quarta-feira, 30 de junho de 2010

Em depoimento, Domenech culpa imprensa por rebelião de jogadores

O técnico francês Raymond Domenech e o presidente da Federação de Futebol do país, Jean-Pierre Escalettes, compareceram à Assembleia Nacional para dar ... Foto: AFP

O técnico francês Raymond Domenech e o presidente da Federação de Futebol do país, Jean-Pierre Escalettes, compareceram à Assembleia Nacional para dar explicações pela pífia campanha do país na Copa

O técnico da seleção francesa na Copa do Mundo da África do Sul, Raymond Domenech, responsabilizou a imprensa de seu país nesta quarta-feira pela rebelião protagonizada pelos jogadores da equipe durante a competição.

O clima no elenco já não era dos melhores, e só piorou com os maus resultados obtidos nos últimos amistosos antes do Mundial. A crise se intensificou com os insultos feitos ao treinador pelo atacante Nicolas Anelka no intervalo da partida contra o México, já na fase de grupos, e teve seu ápice com a recusa do elenco em participar de um treino após a comissão técnica optar pela exclusão do jogador.

Domenech prestou, nesta quarta-feira, depoimento sobre o vexame da equipe na Copa (além da rebelião, foi eliminada logo na primeira fase) a portas fechadas na Assembleia Nacional do país, assim como fez o ex-presidente da Federação Francesa de Futebol, Jean-Pierre Escalettes.

Por meio de sua conta no Twitter, o deputado Lionel Tardy, do partido governista UMP e que participou da audiência, disse que Domenech culpou "a capa do (jornal) L'Équipe por ter "desencadeado tudo".

A edição à qual se referiu Domenech destacou os palavrões ditos por Anelka ao treinador no vestiário e revelados por um membro da seleção que serviu como fonte.

Durante o depoimento, que se prolongou durante cerca de duas horas, o técnico foi questionado sobre a recusa em cumprimentar o brasileiro Carlos Alberto Parreira após a partida contra a África do Sul.

Ainda de acordo com Tardy, Domenech respondeu ter agido em resposta a supostas declarações do treinador da seleção sul-africana em tom de crítica após a classificação da França à Copa com um gol irregular na partida decisiva pela repescagem das Eliminatórias Europeias contra a Irlanda - o atacante Thierry Henry pôs a mão na bola antes de dar aassistência para o zagueiro William Gallas marcar.

Por sua vez, Escalettes assegurou perante a comissão parlamentar que nunca tinha visto situação semelhante à que viveu no Mundial em função do motim dos jogadores.

Ao fim da audiência, os deputados manifestaram que os depoimentos foram "um pouco tristes" e não ajudaram a esclarecer "nada" do que aconteceu na África do Sul, e reivindicaram seu direito de perguntar a Domenech e Escalettes porque, além do resultado esportivo, a imagem internacional da França foi manchada.

Jornal: Pirituba terá arena via PPP e receberá Copa de 2014

  Foto: Alê Cabral/Futura Press

Gilberto Kassab é o atual prefeito de São Paulo

Depois de muitas idas e vindas, Pirituba deve ser mesmo palco dos jogos da Copa do Mundo de 2014 que serão disputados em São Paulo. Nesta quarta-feira, o jornal Folha de S. Paulo publicou que o prefeito paulista Gilberto Kassab nomeou seu secretário de Planejamento Urbano, Miguel Bucalem, para trabalhar no apoio à construção de uma nova arena. De acordo com a publicação, Bucalem irá à África do Sul neste início de julho para se encontrar com dirigentes da Fifa - a entidade não abre mão de ver a abertura do Mundial na capital paulista.

Ainda segundo a Folha de S. Paulo, a intenção da prefeitura de São Paulo é realizar uma Parceria Público Privada (PPP) para viabilizar a construção de uma nova arena em Pirituba. A verba viria de grupos indicados pela Fifa, e a construção deve ter a Odebrecht como responsável - ao término da obra, deve ocorrer uma licitação para a concessão e exploração do estádio. Para efeitos de comparação, a África do Sul gastou cerca de R$ 3,1 bilhões na reforma e construção de duas arenas em Johannesburgo: o Ellis Park e o Soccer City, palco da abertura e da final do Mundial deste ano.

Federer perde para checo e dá adeus ao hepta em Wimbledon

Roger Federer deu adeus ao sonho de conquistar seu sétimo título do tradicional torneio de Wimbledon. O suíço foi derrotado pelo checo Thomas Berdych, por 3 sets a 1, com parciais de 6/4, 3/6, 6/1 e 6/4, em 2h34 de partida. Finalista em Londres desde 2003, o cabeça de chave 1 deixa a competição de forma precoce. Em sete finais consecutivas, o suíço venceu seis e havia perdido apenas para Rafael Nadal, em 2008. Berdych enfrenta na semifinal Novak Djokovic, que venceu o taiwanês Yen-Hsun Lu, por 3 a 0 (6/3, 6/2 e 6/2).

A partida começou bastante equilibrada com disputas de igual para igual. Berdych dava indícios de que estava em quadra e não temia o currículo de Federer no torneio britânico. Eficientes em seus serviços, os tenistas deram pouquíssimas chances para o rival quebrar o saque. No entanto, na única chance que teve, Berdych aproveitou e finalizou a parcial por 6/4, em 34 minutos. O checo fechou o primeiro set com quatro aces contra cinco de Federer, com 14 bolas vencedoras contra 11 do suíço e cinco erros não forçados contra três do rival.

Com 1 a 0 de desvantagem, Federer precisava mostrar poder de reação para retomar o controle do confronto. O suíço fez um bom segundo set e conseguiu empatar o embate, fechando a parcial por 6/3, em 37 minutos. Melhor em quadra, o cabeça de chave 1 fez 12 bolas ganhadoras contra nove, quatro aces contra dois e cometeu apenas dois erros contra três do checo. Assim como na primeira parcial, as chances de quebra foram quase inexistentes. Federer aproveitou a única oportunidade que apareceu e igualou o duelo.

Apesar da vitória no segundo set, Federer não estava nos melhores dias. No terceiro e quarto sets, o suíço perdeu o controle do jogo e Berdych dominou a partida. Na terceira parcial, o checo fez cinco aces contra um, 12 bolas ganhadoras contra cinco e cometeu seis erros contra três de Federer, que sacou muito mal, colocando apenas 61% dos primeiro serviços em quadra contra 77% de Berdych. Arrasador, o checo fechou a parcial por 6/1 e retomou a liderança no placar, em apenas 27 minutos de duelo.

No quarto set, Berdych continuou em excelente performance dentro de quadra, conquistando uma quebra na metade da parcial. Federer seguiu lutando bravamente, teve chance de devolver a quebra no décimo game, porém, o checo sacou bem na reta final e fechou a partida por 6/4, em 56 minutos. O fator decisivo para a vitória de Berdych foram as bolas vencedoras. O checo fez 51 golpes ganhadores contra 44 de Federer. Além disso, apesar de ter feito mais aces (14-12), o suíço não foi bem no serviço, pois conquistou apenas 70% dos pontos quando colocou o primeiro serviço em quadra contra 82% de Berdych.

Musa da Copa promete ficar nua caso Paraguai derrote a Espanha

Larissa Riquelme, musa da Copa, faz a festa da torcida em Assunção Foto: AP

Larissa Riquelme se tornou o símbolo da torcida paraguaia na Copa do Mundo

Os fãs de Larissa Riquelme ganharam um motivo extra para torcer pelo Paraguai no confronto contra a Espanha pelas quartas de final da Copa do Mundo. A musa do torneio avisa que ficará nua caso o seu país consiga a classificação entre os quatro melhores.

"Se o Paraguai chegar às semifinais e na final, vou tirar a roupa em frente à praça da Democracia (na cidade de Assunção) até para provar meu carinho pelo povo", prometeu a moça em entrevista a uma rede de televisão argentina.

Questionada se o ideal não seria guardar a promessa para a decisão da Copa, Larissa Riquelme foi categórica: "Em minha opinião, a classificação para a semifinal ou para a final é a mesma coisa".

Por seus dotes físicos e simpatia, Larissa Riquelme ganhou uma repercussão imensa nos últimos dias. Fotos e matérias sobre a paraguaia foram divulgadas em veículos de comunicação de todo o mundo.

Contudo, a musa da Copa do Mundo diz que entende de futebol e costuma se arriscar em "peladas". "Sou atacante", avisou.

Futebol precisa de mais árbitros ou do uso do replay, diz Donovan

O meia americano Donovan, destaque de sua seleção na Copa do Mundo da África do Sul, participa do programa americano, Late Show with David Letterman Foto: AP

Meia da seleção americana, Donovan esteve no talk-show do apresentador David Letterman

Maior astro da seleção americana de futebol, o meio-campista Landon Donovan esteve nesta terça-feira no programa de TV do apresentador David Letterman, na rede CBS. Abordado sobre as polêmicas arbitragens na Copa do Mundo da África do Sul, o jogador declarou que o futebol atual precisaria de mais árbitros em campo ou algum modo para se utilizar o recurso do replay, visando esclarecer jogadas duvidosas. A informação é do site sul-africano Sport 24.

O americano analisa que é difícil para os árbitros conseguirem ter a percepção de tudo o que acontece em campo, dada a velocidade e dinâmica do jogo. Por isso, defende o uso de mais recursos para evitar que erros - como o gol não concedido a Frank Lampard, em que a bola entrou ou o gol dado a Carlos Tevez, que estava em completo impedimento, por exemplo - aconteçam no futebol.

Para Donovan, é muito difícil para um atleta dar o seu máximo em campo e, de repente, ver seu esforço em vão por causa de um equívoco do juiz. O meia faz referência a dois lances em que os Estados Unidos foram prejudicados na Copa do Mundo de 2010, ainda na fase de grupos.

Na partida contra a Eslovênia (empate por 2 a 2), Maurice Edu marcou, em posição legal, o tento que daria a virada aos americanos, mas teve o gol anulado e a partida terminou empatada.

No jogo seguinte, diante da Argélia, Clint Dempsey viveu situação semelhante, tendo um gol anulado por impedimento - que não existiu. Porém, nos acréscimos do segundo tempo, o próprio Donovan marcou o gol que classificou os EUA às oitavas de final do Mundial, em jogo dramático.

Ainda assim, Donovan disse que a campanha americana - eliminados por Gana nas oitavas por 2 a 1, com um gol na prorrogação - será sempre lembrada e que os jogadores tem a obrigação de usar deste bom momento para incentivar e difundir a prática do futebol no país.

Espanhóis devolvem provocação e citam show de Villa em "tourada"

  Foto: Reprodução

Jornal espanhol devolve provocação portuguesa com o "toureiro" David Villa

Sem muitas dificuldades, a seleção espanhola venceu Portugal por 1 a 0 e se classificou para as quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul, na última terça-feira. Assim, os espanhóis devolveram a provocação dos portugueses e comemoraram a atuação do autor do gol, o "toureiro" David Villa, destaque das capas dos jornais do país desta quarta.

O AS traz como manchete a palavra "toureiros!" com uma foto do artilheiro e diz que a "Espanha fez Portugal dançar e se classificou com outro gol de Villa". Segundo ele, "a perfeição chegou após a troca de Llorente por Torres". O periódico ainda acrescentou que "os campeões estão de volta".

Na apresentação da partida, na terça, o jornal português Record havia estampado o meia-atacante Cristiano Ronaldo fintando um touro, com a manchete "hoje, grande faena (show de tourada)".

Outro jornal esportivo espanhol, o Marca traz uma imagem de David Villa comemorando o gol e o título "esta é minha Espanha", afirmando que a seleção "recupera o ritmo e o toque que fizeram dela a melhor do mundo".

"Partidaço estratosférico de Villa. Seu gol rompeu a retranca de Portugal", escreveu a publicação, destacando as boas atuações de Xavi (eleito melhor da partida), Sérgio Ramos e Llorente, que substituiu o apagado Fernando Torres no segundo tempo do duelo.

No El Mundo Deportivo, a manchete é "genial!", enquanto o Sport, de Barcelona, traz a expressão "que maravilha!" em sua capa, sem deixar de lembrar que Villa, que fez seu quarto gol no Mundial, é reforço do Barcelona para a próxima temporada europeia.

Na imprensa generalista, o autor do gol contra os portugueses também dominou as capas, deixando a crise econômica em segundo plano.

"A Espanha começa a sonhar" destaca o El País, enquanto o El Mundo afirma que "Villa relança o sonho da Espanha".

Com lesão preocupante, Elano desfalca Seleção contra Holanda

Elano vai desfalcar a Seleção Brasileira na partida contra a Holanda, às 11h (de Brasília) da sexta-feira, pelas quartas de final da Copa do Mundo, em Port Elizabeth. Com uma lesão preocupante no tornozelo, o camisa 7 vai fazer tratamento durante a semana e pode até ficar de fora do restante do torneio.

A ausência de Elano foi comunicada pelo próprio jogador e pelo médico da Seleção, José Luis Runco, durante entrevista concedida nesta quarta-feira na concentração brasileira.

"Temos um edema no osso. Não é fratura. Ele consegue fazer tudo, clinicamente não tem nada, mas quando faz a desaceleração, incomoda. Está tratando. Temos que tirar o impacto. Isso pode levar dias, semanas, meses... não tem tempo definido", disse Runco.

Após a vitória contra o Chile por 3 a 0, na última segunda-feira, Runco tinha afirmado que Elano não seria problema para o jogo de sexta. Porém, o meio-campista deixou o treino de terça-feira antes do final aparentando sentir as mesmas dores no tornozelo que o tiraram durante o duelo com a Costa do Marfim, vencido por 3 a 1 ainda na segunda rodada, no último dia 20.

"Elano teve uma evolução muito boa dentro dos conceitos da medicina, evoluindo bem. Colocamos mais carga aos poucos. No domingo, ele trabalhou de uma maneira boa. Depois, reclamou que algo estava incomodando e aí não foi ao jogo. Na segunda ele trabalhou fisicamente e ontem (segunda) trabalhou de olho no duelo com a Holanda", completou o médico.

Ramires, o substituto imediato de Elano, levou o segundo cartão amarelo contra o Chile e está suspenso. O lateral direito Daniel Alves, improvisado algumas vezes no meio-campo, pode entrar na vaga do jogador.

Nesta quarta-feira, o Brasil treina ainda em Johannesburgo, na Hoerskool Randburg, e viaja de noite para Port Elizabeth. Quem vencer o duelo de sexta no estádio Nelson Mandela Bay, encara Uruguai ou Gana nas semifinais.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Representantes do Lyon estão no Brasil e fazem proposta por Ganso

Santos foi melhor durante quase todo o jogo e sufocou o Grêmio no segundo tempo Foto: Agência Lance

Ganso passou recentemente por uma artroscopia no joelho

Apesar da diretoria santista negar propostas oficiais por seus principais jogadores, o Terra apurou que representantes do Lyon, da França, estão no Brasil e já estiveram conversando com a cúpula santista nesta segunda-feira, na Baixada Santista. A intenção dos franceses é contratar o meia Paulo Henrique Ganso.

O Lyon está disposto a desembolsar cerca de 20 milhões de euros (R$ 43,9 milhões) para ficar com o "maestro" do Santos. Nesta terça-feira, está agendada mais uma reunião. Os dirigentes santistas esperam que o clube francês aumente o valor da proposta.

Caso a transação não seja concretizada, o clube terá que iniciar um possível reajuste contratual do jogador. Isso porque, apesar de ser considerado um dos melhores atletas da equipe, Paulo Henrique tem um salário abaixo do teto estipulo pelos dirigentes do clube.

Venus perde para zebra búlgara e dá adeus ao sonho do hexa

A cabeça de chave 2 de Wimbledon está eliminada. Nesta terça-feira, a pentacampeã do torneio londrino, Venus Williams, foi derrotada pela búlgara Tsvetana Pironkova, por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/3, em apenas 1h24 de partida. Este foi o terceiro confronto entre ambas e a segunda vitória da tenista europeia. Pironkova já havia vencido a americana em 2006, no Aberto da Austrália. Com a eliminação, Venus dá adeus ao sonho de conquistar o hexa em Londres.

Venus entrou em quadra e não conseguiu impor seu jogo como vinha fazendo durante todo o torneio londrino. Desde o início da partida a americana errava muito e dava pontos de graça para a búlgara. No primeiro set, a cabeça de chave 2 cometeu 13 erros não forçados contra apenas dois da europeia. As duas aplicaram dois aces e a americana foi superior em bolas vencedoras (10-6). Venus esteve mal no saque, colocando em quadra somente 56% do primeiro serviço, sendo que, ganhou apenas 60% dos pontos nestas condições. Já Pironkova conquistou 87% dos pontos quando jogou com o primeiro saque.

O segundo set começou e a americana não achou seu equilíbrio dentro de quadra. Venus continuou cometendo muitos erros não forçados. A cabeça de chave 2 errou 11 vezes contra quatro de Pironkova. Assim como na primeira parcial, Venus fez mais golpes ganhadores com sete a seis, entretanto, seguiu sacando muito mal, com apenas 56% de aproveitamento do primeiro serviço e nenhum ace. No geral, a búlgara saiu com o resultado positivo por se mostrar mais consistente cometendo seis erros contra 29 da americana. Agora, a jovem de 22 anos enfrenta na semifinal a russa Vera Zvonareva, que venceu a belga Kim Clijsters, de virada, por 2 sets a 1 (3/6, 6/4 e 6/2).

Polícia confirma roubo em sede da Fifa na África do Sul

A polícia sul-africana confirmou nesta terça-feira que a sede da Fifa no país foi roubada, segundo informações do jornal Sport 24. De acordo com o comissário da polícia, Bheki Cele, o assalto aconteceu na noite de segunda.

Foram levadas sete réplicas da taça Fifa e duas camisas da entidade, o que leva a crer que pessoas familiarizadas com o local participaram da ação.

"Sabemos que houve um roubo. Estamos investigando tudo agora", confirmou o comissário da polícia, em entrevista concedida na cidade de Pretória. Segundo o Sport 24, ainda não há suspeitos do crime.

Bheki Cele confirmou ainda que a polícia já prendeu 316 pessoas desde o início da Copa do Mundo, em 11 de junho. Destes, 207 são sul-africanos e 109 estrangeiros. Entre os que não nasceram na África do Sul, os etíopes são os que mais foram presos, com 11 detenções, segundo a polícia.

Com tabela privilegiada, Alemanha e Argentina têm dia de folga

Nesta segunda-feira, em Pretória, os reservas da Argentina realizaram um coletivo contra a equipe sub-20, que acompanha a delegação durante o Mundial Foto: Reuters

Maradona resolveu dar folga para os argentinos, assim como Löw fez com os alemães

Com cinco dias de intervalo entre as oitavas e as quartas de final, Argentina e Alemanha se deram ao luxo de dar a terça-feira completa de folga para os jogadores antes do confronto que definirá um semifinalista na Copa do Mundo da África do Sul, no sábado, às 11h (de Brasília), na Cidade do Cabo.

A última partida das seleções foi realizada apenas no domingo. O período de preparação de Alemanha e Argentina para as quartas é o maior que um país pode ter durante o Mundial e expõe uma tabela privilegiada em relação ao Brasil, por exemplo.

Por conta do cruzamento de chaves previsto para as semifinais, a seleção de Dunga terá apenas três dias de intervalo entre a vitória contra o Chile, na última segunda, e o duelo contra a Holanda, nas quartas, na sexta. Os holandeses estão na mesma situação e as duas seleções não terão como dar descanso aos jogadores.

No entanto, vale lembrar que a tabela é definida antes de o sorteio dos integrantes de cada grupo. A sorte fez com que os argentinos, no Grupo B da competição, tivessem 22 dias entre a estreia e as quartas. Ainda tomando os brasileiros como exemplo, foram 18 dias para percorrer o mesmo caminho.

Por outro lado, o Brasil teve três dias a mais de preparação antes de estrear na competição. E se chegar à decisão da Copa do Mundo, vai ter um intervalo com um dia a mais do que a outra finalista para preparar o time.

Árbitros: se não quiserem erros, é melhor jogar videogame

Na Copa do Mundo de 2010, Inglaterra perdia por 2 a 1 para a Alemanha, até que Lampard marcou o gol de empate no fim do primeiro tempo - o árbitro ... Foto: AFP

Gol anulado de Lampard foi um dos graves erros da arbitragem na Copa

Depois das inúmeras críticas sofridas pela arbitragem da Copa do Mundo, devido aos erros do italiano Roberto Rosetti e do uruguaio Jorge Larrionda, os outros juízes saíram em defesa dos companheiros, como o mexicano Armando Archundia. Ao ser questionado sobre o uso de tecnologia no esporte, o árbitro disse que o futebol deve se manter como está, senão vira videogame.

"Os atletas do futebol são seres humanos, assim como os árbitros. Acho que devemos seguir assim, senão é melhor jogar Nintendo, Wii... lá é tudo quase perfeito, mas também tem erros, já que é só apertar um botão errado", disse.

Sobre a utilização de imagens da televisão para diminuir os erros da arbitragem, o também mexicano Marco Rodríguez afirmou que os árbitros têm o que é necessário para evitar erros. "Acredito que devemos seguir nosso trabalho, seguir nos preparando para tomar as melhores decisões", disse.

Por fim, Archundia afirmou que não há crise no quadro de arbitragem, já que ocorreram erros graves apenas contra as seleções de México (derrota por 3 a 1 para a Argentina) e Inglaterra (derrota por 4 a 1 para a Alemanha).

"Foram quase 54 partidas e só falam de duas situações, então acredito que a preparação tem sido boa. Encerraremos esta Copa com 'chave de ouro'", disse.

Em jogo ruim, Paraguai vence Japão nos pênaltis e faz história

  Foto: AFP

Cardozo faz gol decisivo: Paraguai passa e América do Sul tem quatro entre os oito

Depois de um jogo de poucas emoções e muita luta, o Paraguai venceu o Japão nos pênaltis, por 5 a 3, após empate sem gols no tempo normal e na prorrogação, e fez história. É a primeira vez que o país sul-americano jogará a fase de quartas de final de uma Copa do Mundo, aguardando agora o vencedor do confronto entre Espanha e Portugal. O duelo desta terça-feira foi disputado no Loftus Versfeld, em Pretória.

Com a vitória nos pênaltis, Paraguai dá sequência à grande participação dos países sul-americanos na Copa do Mundo. Pela primeira vez na história, serão quatro países do continente entre os oito melhores. Apenas o Chile deu adeus, mas em um confronto caseiro contra o Brasil.

Três europeus e um africano completarão a fase de quartas de finais. Em duelos contra países de outros continentes, os países sul-americanos só perderam uma vez, no confronto entre Espanha e Chile.

Na primeira disputa por pênaltis da Copa, o Paraguai teve 100% de aproveitamento e converteu as cinco cobranças. O Japão cobrou quatro vezes, mas o lateral direito Komano acertou a trave.

Próxima fase

Com a vitória, o Paraguai avança pela primeira em sua história para a fase de quartas de final de uma Copa. No entanto, ainda aguardará o confronto entre Espanha e Portugal, às 15h30 (de Brasília) na Cidade do Cabo, para conhecer seu adversário.

O duelo de quartas de final será realizado em Johannesburgo, no próximo sábado, às 15h30 (de Brasília). A seleção vencedora irá enfrentar Argentina ou Alemanha por um lugar na decisão.

O jogo

O Paraguai teve duas novidades para enfrentar o Japão: Ortigoza substituiu o suspenso Victor Cáceres, enquanto Benítez, por opção técnica, entrou no lugar de Valdez. O Japão manteve os mesmos jogadores que fizeram grande jogo contra a Dinamarca no encerramento da primeira fase.

O primeiro tempo entre as duas seleções foi marcado por muito equilíbrio em Pretória. O Paraguai teve alto índice de posse de bola, um total de 63%. Mas quem ameaçou mais foi o Japão, com cinco finalizações contra três dos paraguaios, que cozinharam muito a partida e ameaçaram muito pouco.

A primeira grande chance do jogo surgiu em jogada pessoal de Lucas Barrios, que recebeu passe na entrada da área, levou um japonês com um drible magistral e exigiu defesa de Kawashima. A resposta japonesa foi praticamente imediata. Matsui recolheu bola solta no meio-campo e, de fora da área, acertou o travessão de Villar com um chute técnico e potente.

O Paraguai só ameaçaria novamente em um escanteio. Roque Santa Cruz aproveitou vacilo e chutou com perigo, próximo da meta japonesa. Com a bola no pé dos paraguaios, o Japão apostou no contra-ataque. Matsui, o melhor dos asiáticos no jogo, conduziu até o ataque e rolou para Honda, que bateu firme da entrada área. A bola, novamente, foi para fora.

Para a segunda etapa, as duas seleções reforçaram ainda mais a preocupação com o sistema defensivo, o que fez do jogo o mais truncado e sem alternativas na fase de mata-mata da Copa. O primeiro e único lance mais agudo aconteceu aos 15min, quando Riveros cabeceou, forte, livre, para a defesa de Kawashima.

Os paraguaios, que utilizaram Valdez na segunda etapa, insistiram demasiadamente nas bolas aéreas, bem controladas pela firme dupla de zaga do Japão. Até mesmo faltas da intermediária se transformaram em balões atrás dos atacantes sul-americanos.

O Japão também buscou algum tipo de transformação no ataque, acionando o bom atacante Okazaki. Mesmo assim, a equipe asiática dispensou a posse de bola e ficou atrás aguardando alguma chance em contra-ataques, um cenário que se manteve até o fim da segunda etapa.

A segunda prorrogação da Copa, depois de Estados Unidos e Gana, apresentou um cenário muito mais aberto no início. As duas equipes procuraram o gol, o que abriu mais espaços. Os paraguaios ameaçaram mais: primeiro em cabeçada de Lucas Barrios, que Kawashima agarrou bem.

Depois, em jogada de Valdez, que levou a marcação no centro da área e finalizou, mas foi novamente freado pelo goleiro japonês. Assustado, o Japão devolveu em cobrança de falta do atacante Honda. Seguro, Villar espalmou a bola para a lateral do campo.

O jogo ofensivo durou pouco tempo e, na segunda parte da prorrogação, os dois times se concentraram em alçar bolas na área. O Paraguai finalizou com Barrios e Paulo da Silva, enquanto o Japão chegou em cabeçada de Tanaka.

A melhor chance pintou já aos 10min, em boa jogada de Endo pela esquerda. O cruzamento, entretanto, não encontrou nenhum japonês com chances de finalização. Com isso, as duas seleções partiram para a primeira decisão por pênaltis na Copa do Mundo.

Disputa por pênaltis

Primeiro a cobrar, o Paraguai se manteve sempre na frente ou empatado, pois jamais errou na disputa. Barreto, Barrios e Riveros já haviam convertido e os japoneses também tinham marcado com Endo e Hasebe. Terceiro a cobrar para os asiáticos, Komano acertou o travessão e deu vantagem aos paraguaios.

A situação então ficou cômoda a favor do Paraguai e Valdez marcou. Honda não podia errar para os japoneses e manteve vivas as esperanças, convertendo com muita técnica e tranquilidade. Cardozo, cobrador oficial de pênaltis do Benfica, justificou a confiança: fez o gol com segurança e levou a seleção paraguaia, pela primeira vez, às quartas de final de uma Copa.

Cristiano Ronaldo enfrentará amigos espanhóis

cristiano_ronaldo_619x464 Foto: Reprodução

Astro português vai encarar companheiros de Real Madrid nesta terça-feira

Durante a vitória do Brasil contra o Chile, por 3 a 0, nesta segunda-feira, Cristiano Ronaldo twittou uma imagem do treino da seleção portuguesa. O meia-atacante confessou que a partida contra a Espanha, válida pelas oitavas de final da Copa do Mundo, reserva um encontro com vários de seus amigos. É o caso de Iker Casillas, Raúl Albiol e Álvaro Arbeloa, seus colegas no Real Madrid.

Esperançoso pela vitória, Cristiano Ronaldo disse ainda que a seleção espanhola é uma das melhores equipes da Copa. O time de Carlos Queiroz entra em campo diante da Espanha nesta terça-feira, às 15h30 (de Brasília), na Cidade do Cabo

Beckham pode substituir Capello, diz imprensa inglesa

Durante o segundo tempo, o meia não gostou do que viu e fez até caretas em alguns lances Foto: Reuters

Beckham integrou a equipe técnica da Inglaterra na Copa

A imprensa da Inglaterra acredita que o técnico Fabio Capello é o lado mais fraco da má campanha da seleção do país na Copa do Mundo e já começou a pensar em possíveis substitutos para o italiano, entre os quais o meia David Beckham.

Embora tanto Capello como a Federação Inglesa (FA) tenham estipulado um prazo de duas semanas para decidirem se o técnico cumprirá os dois anos de contrato que ainda restam, a mídia local acha que é necessário uma substituição no comando da equipe.

Apenas 24 horas depois da eliminação nas oitavas de final da Copa do Mundo, com a derrota por 4 a 1 para a Alemanha, três são os nomes entre os mais cogitados para treinar a equipe inglesa. Além de David Beckham, o técnico do Totthenam, Harry Redknapp, e o do Fulham, Roy Hodgson, também são especulados.

A grande novidade é o ainda jogador, que não pôde atuar na África do Sul por uma lesão no tendão de Aquiles, mas que para imprensa e torcedores pode ser a pessoa capaz de devolver aos ingleses a confiança em seu futebol.

O jornal local Evening Standard se mostrou a favor de uma oportunidade ao meia, que vestiu a camisa da seleção inglesa 115 vezes e que é respeitado por muitos no futebol, desde os torcedores até outros atletas.

O peso de Beckham ficou demonstrado quando a comissão técnica dirigida por Capello decidiu "convocá-lo" para a Copa, apesar da lesão, para exercer uma função de elo entre a delegação e a federação.

Os elementos contra, reconhece o próprio jornal, são a falta de experiência anterior como técnico e a vida de "pop star" do jogador.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Técnico da Holanda elogia "arrogância positiva" do Brasil

O técnico Bert van Marwijk dá instruções para a equipe, considerada uma das favoritas ao título da Copa Foto: AP

Técnico holandês, Bert van Marwjik dá instrução aos jogadores em treino

Mesmo relutando em falar sobre adversário das quartas de final, já que quando deu a entrevista o Brasil não havia enfrentado o Chile, o técnico da Holanda, Bert van Marwijk, comentou após muita insistência sobre o confronto contra a Seleção Brasileira, na próxima sexta-feira, em Port Elizabeth. Com 100% de aproveitamento na competição, os holandeses encaram pela primeira vez nesta Copa um adversário apontado entre os favoritos ao título.

Sabendo do status da equipe de Dunga, van Marwijk rasgou elogios ao Brasil e disse, que pela primeira vez nesse Mundial, depois de passar por Dinamarca, Japão, Camarões e Eslováquia, seu time pode ser apontado como o azarão em uma partida na África do Sul.

"O Brasil é um time maduro, estável. Defende com até seis jogadores. Tem até um ar de arrogância positiva de que são invencíveis. Uma postura que sinto falta aqui dentro do time da Holanda. Conta com quatro jogadores de frente que podem fazer a diferença. Podemos ser rotulados até como azarões neste confronto".

O treinador, que já havia pedido atenção à sua equipe antes da vitória sobre os eslovacos, voltou a reclamar da queda de produção do time holandês durante a segunda etapa. De acordo com van Marwijk, o time foi muito ameaçado quando estava vencendo apenas por 1 a 0 e a atuação do goleiro Stekelenburg salvou os holandeses de tomar um empate.

"Teve um momento do jogo que o adversário poderia empatar. Jogamos bem no primeiro tempo, mas o segundo tempo não foi nada bom...Nós tivemos nosso melhor periodo, podiamos ter decidido o jogo, fazer 3, 4 a 0. Não fizemos e eles nos pressionariam. O goleiro nos salvou. Depois do segundo gol, decidimos a partida. Mesmo assim, no final ainda tomamos um sufoco", disse o treinador, em referência à partida em que a Holanda venceu por 2 a 1.

Após polêmica, Júlio César sai em silêncio de jogo contra o Chile

Júlio César comemora o gol marcado por Juan Foto: Reinaldo Marques/Terra

Júlio César comemora gol brasileiro na partida contra o Chile

Júlio César adotou o silêncio diante dos jornalistas após a vitória sobre o Chile por 3 a 0 nesta segunda-feira. Após a polêmica sobre a proteção usada pelo goleiro no empate com Portugal na última sexta-feira, ele passou pela zona mista do Ellis Park sem falar com a imprensa.

O camisa 1 da Seleção, que costuma ser um dos mais atenciosos após as partidas, evitou qualquer contato na área de entrevistas do estádio. Júlio apenas acenou e seguiu em direção ao ônibus brasileiro. Enquanto os outros jogadores respondiam perguntas sobre a classificação para as quartas de final da Copa do Mundo, aguardava o momento de voltar para a concentração.

No duelo com os portugueses, após um choque com o meio-campista Raul Meireles, uma câmera de televisão flagrou uma proteção com peças de metal nas costas do atleta. A Confederação Brasileira de Futebol afirmou depois que a Fifa tinha liberado a utilização da cinta.

O goleiro se machucou durante o amistoso com o Zimbábue, na preparação para o Mundial. Ele foi substituído por Gomes na ocasião e treinou separado por alguns dias até a estreia do Brasil na Copa.

domingo, 27 de junho de 2010

Confira a classificação final do GP da Europa de Fórmula 1

Vettel assumiu a terceira colocação do Mundial, com 115 pontos Foto: Reuters

Vettel dominou a prova e após largar em primeiro venceu com tranquilidade

Atual vice-campeão do mundo, Sebastian Vettel conquistou neste domingo sua segunda vitória no ano. Sem perder a ponta em nenhum momento, o alemão da Red Bull cruzou a linha de chegada do GP da Europa seguido por Lewis Hamilton e Jenson Button, ambos da McLaren. Rubens Barrichello foi o quarto colocado.

Confira a classificação do GP da Europa:

1. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - 57 voltas
2. Lewis Hamilton (ING/McLaren) - a 5s
3. Jenson Button (ING/McLaren) - a 12s6
4. Rubens Barrichello (BRA/Williams) - a 25s6
5. Robert Kubica (POL/Renault) - a 27s1
6. Adrian Sutil (ALE/Force India) - a 30s1
7. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber) - a 30s9
8. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - a 32s8
9. Sebastian Buemi (SUI/Toro Rosso) - a 36s2
10. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 44s3
11. Pedro de la Rosa (ESP/Sauber) - a 47s4
12. Vitaly Petrov (RUS/Renault) - a 48s2
13. Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 46s6
14. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso) - a 48s2
15. Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - a 48s8
16. Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India) - a 50s8
17. Lucas Di Grassi (BRA/Virgin) - a 1 volta
18. Timo Glock (ALE/Virgin) - a 2 volta
19. Karun Chandhok (IND/Hispania) - a 2 volta
20. Bruno Senna (BRA/Hispania) - a 2 volta
21. Jarno Trulli (ITA/Lotus) - a 4 volta

Deixaram a prova:
Nico Hulkenberg (ALE/Williams) - volta 50
Heikki Kovalainen (FIN/Lotus) - volta 9
Mark Webber (AUS/Red Bull) - volta 9

Volta mais rápida:
Jenson Button (ING/McLaren) - 1min38s766

Bielsa confirma e até ironiza espionagem ao Brasil

Em coletiva de imprensa, técnico do Chile, Marcelo Bielsa, admite presença de espião chileno em treino da Seleção Brasileira Foto: AP

Espião enviado por Bielsa ao treino do Brasil teve dificuldades para ver a atividade

O técnico Marcelo Bielsa está atento a todos os detalhes para tentar surpreender o Brasil na partida de segunda-feira. Porém, o treinador não conseguiu receber todas as informações da equipe pentacampeã, pois Dunga fechou parte do treino e frustrou um olheiro chileno que estava na atividade, Francisco Meneghini.

Bielsa não desmentiu a presença de seu funcionário na movimentação dos brasileiros, mas ironizou o assunto. "Acompanhar o treino de formação de equipe rival é aceitável, não condenável. Se há espionagem, é porque há a busca de fatores escondidos. Mas a posição dos jogadores brasileiros, que jogam nas melhores equipes do mundo, é acima de qualquer observação".

Neste domingo, Dunga permitiu apenas a presença da imprensa apenas durante o aquecimento, realizado em uma roda de bobinho no Randburg High School. Bielsa, então, brincou ao ser informado que seu olheiro só deve ter visto a conversa dos jogadores com o técnico da Seleção Brasileira.

"Se estivermos muito atentos a esses pormenores, esse fator pode definir o jogo contra o Brasil", ironizou, rindo. Brasil e Chile se enfrentam nesta segunda, às 15h30 (de Brasília), pelas oitavas de final da Copa do Mundo, no Ellis Park.

Barrichello supera Senna em número de pontos

  Foto: AFP

Barrichello se tornou o quarto maior pontuador da história da Fórmula 1

Com a quarta colocação no GP da Europa, Rubens Barrichello quebrou uma marca histórica: superou o número de pontos do compatriota Ayrton Senna e se tornou o quarto maior pontuador da história da Fórmula 1.

Até o início da corrida em Valência, Rubinho somava 614 pontos, mesmo número do tricampeão. Com os doze conquistados neste domingo, Barrichello alcançou os 626. Dessa forma, ele fica atrás apenas do espanhol Fernando Alonso (673), bicampeão mundial, do francês Alain Prost (798,5), que ganhou o campeonato quatro vezes, e do heptacampeão Michael Schumacher (1403).

Vale lembrar que este ano a pontuação mudou drasticamente. A partir de 2003, o sistema de pontos foi 10-8-6-5-4-3-2-1. No momento, os pilotos levam 25-20-15-10-8-6-5-4-3-2-1.

Considerando o sistema antigo, Barrichello teria somado doze pontos a menos, ficando com 614 e ainda empatado com Ayrton. Na média, Senna ainda é muito superior a Rubens, com 3.8 pontos por corrida, contra 2.1 do atual piloto da Williams.

Rubinho já é recordista absoluto de corridas disputadas, e está próximo de chegar à marca de 300. Nelas, venceu 10 vezes, subiu em 68 pódios e foi vice-campeão em 2002 e 2004, quando corria pela Ferrari.

Cielo ganha ouro nos 50 m livre com melhor tempo do ano

  Foto: AFP

Cielo estabeleceu a melhor marca da temporada nos 50 m livre

Campeão olímpico e mundial, César Cielo saiu vencedor, neste domingo, do Paris Open de natação, na prova dos 50 m livre. Com o tempo de 21s55, o brasileiro garantiu também a melhor marca mundial do ano.

Fora do pódio nos 100 m livre um dia antes, Cielo superou os franceses Fabien Gilot (21s83) e Frédérick Bousquet (21s95), seu grande adversário, que detinha até então o melhor tempo de 2010 (21s71).

O brasileiro detinha, até então, o segundo melhor tempo (21s80), estabelecido em maio, no Troféu Maria Lenk.

Tevez brilha, arbitragem ajuda e Argentina elimina "freguês" México

  Foto: Reinaldo Marques/Terra

Argentina venceu por 3 a 1 e vai enfrentar a Alemanha nas quartas de final

Assim como em 2006, a Argentina venceu o México nas oitavas de final na Copa do Mundo e vai encarar a Alemanha nas quartas. O ex-corintiano Tevez teve ótima atuação na vitória deste domingo por 3 a 1, no Estádio Soccer City, em Johannesburgo, e marcou dois gols bem diferentes - o primeiro, irregular, em clara posição de impedimento, e o segundo em um chute espetacular de fora da área. Higuaín fez o outro gol argentino após erro clamoroso do zagueiro Osorio, e o garoto Hernández diminuiu para os mexicanos.

A Argentina não vencia um jogo eliminatório de Copa do Mundo em 90 minutos desde 1990, quando despachou o Brasil nas oitavas de final por 1 a 0. Já o México caiu nas oitavas pelo quinto Mundial consecutivo.

Com o embate diante da Alemanha (marcado para o próximo sábado, dia 3 de julho, na Cidade do Cabo), o time de Diego Maradona vai reeditar o caminho da Copa de 2006. Há quatro anos, foram os alemães quem levaram a melhor nos pênaltis, após empate por 1 a 1 no tempo normal.

As duas equipes tiveram pequenas surpresas em suas escalações iniciais neste domingo. Do lado argentino, Maradona preferiu Maxi Rodríguez no meio de campo, deixando o experiente Verón no banco de reservas. O técnico mexicano Javier Aguirre também barrou jogadores veteranos: os atacantes Blanco e Guille Franco deram lugar a Bautista e Javier Hernández entre os titulares.

Logo nos primeiros minutos, Messi pareceu querer jogo. Movimentando-se por todo o campo, o camisa 10 tentou a primeira jogada individual aos 7min, mas foi travado pela zaga na hora do chute. O México respondeu no lance seguinte, em chute de longe de Salcido que o goleiro Romero espalmou de forma estabanada - a bola ainda tocou no travessão.

Aos 8min, Guardado soltou outra bomba de fora da área, que passou muito perto do gol argentino. A equipe sul-americana passou a tocar a bola, para diminuir o ritmo acelerado que os mexicanos tentavam impor ao jogo. Aos 12min, Messi tentou encobrir o goleiro Pérez (que tem 1,72 m) de fora da área, mas o camisa 1 fez a defesa.

Tendo apenas Mascherano na proteção à defesa, a Argentina mantinha a posse de bola, mas enfrentava problemas quando o México atacava. Mesmo assim, foram os comandados de Maradona abriram o placar - ainda que com um gol irregular. Aos 25min, Messi tentou uma enfiada de bola para Tevez, que foi abafado pelo goleiro Pérez; a bola voltou para Messi e o meia-atacante alçou a bola novamente para Tevez, cerca de um metro impedido, cabecear para as redes.

Os jogadores do México reclamaram muito e o auxiliar fez menção de voltar atrás e anular o lance, depois que as imagens mostrando o claro impedimento de Tevez foram exibidas no telão. Porém, após ser pressionado por ambos os times, o árbitro italiano Roberto Rosetti validou o gol.

O time mexicano pareceu ter se desestabilizado com o erro grosseiro da arbitragem, e entregou de presente o segundo gol aos 32min. Com a bola dominada na defesa, o zagueiro Osorio tocou no pé de Higuaín, que só precisou driblar Pérez e tocar para o gol vazio para ampliar a vantagem.

Salcido quase diminuiu o prejuízo ao arriscar de longe e complicar de novo a vida de Romero, mas a Argentina tinha o controle do jogo. Aos 36min, Higuaín tocou de calcanhar para Di María, que invadiu a área e bateu cruzado, obrigando Pérez a ótima defesa; Tevez pegou o rebote e girou, mas foi bloqueado ao tentar finalizar. Na saída para o intervalo, houve confusão entre os dois times, que precisaram ser separados antes de descer para os vestiários.

O México sofreu outro duro golpe logo aos 7min da segunda etapa. Tevez tentou passe pelo meio e foi travado, mas a bola voltou para o próprio camisa 11, que soltou um foguete de fora da área no ângulo de Pérez para fazer o terceiro. Golaço.

A seleção mexicana se lançou ao ataque para tentar reverter a desvantagem. Aos 15min, Barrera fez grande jogada pela esquerda, passando por Otamendi e Maxi Rodríguez, mas errou na hora de concluir. Depois, Guardado bateu forte de longe, para fora. Salcido voltou a arriscar de fora da área, exigindo nova defesa de Romero.

Aos 23min, Tevez, o nome do jogo, deu lugar a Verón e saiu aplaudido de pé pela torcida argentina presente ao Soccer City. O México quase diminuiu logo em seguida, mas Heinze salvou em cima da linha a cabeçada de Barrera. Aos 26min, não teve jeito: Javier Hernández recebeu na área, girou sobre Demichelis e encheu o pé esquerdo para estufar as redes e dar esperança aos mexicanos. Porém, o placar não foi mais alterado até o apito final.

Diretor do Santos nega vendas de Ganso e Neymar

A dupla inseperável Neymar e Ganso já superou o assunto balada, que agitou o Peixe na última semana Foto: Ricardo Saibun/Gazeta Press

Os dois jogadores estão sendo cobiçados por clubes do futebol europeu

Neymar e Paulo Henrique ficam. Ao menos é o que garante o diretor de futebol do Santos, Pedro Luiz Nunes Conceição. Ligados a possíveis transferências - Neymar para o West Ham (ING) e Ganso para o Lyon (FRA) -, o dirigente esclareceu, por meio de um comunicado oficial do clube, que não negociará os atletas, que só saem mediante ao pagamento das respectivas multas.

A proposta por Neymar ,porém, deve atingir os 35 milhões de euros (R$ 77 milhões) de sua multa rescisória, enquanto a do meia chegaria a 20 milhões de euros (R$ 44 milhões), valor bem abaixo de sua multa de 50 milhões de euros (R$ 109 milhões).

Por Neymar, o Santos possui 60% dos direitos econômicos e o Grupo DIS 40%. No caso de Paulo Henrique, o clube e a DIS dividem 90%, 45% cada, e os 10% restantes são do próprio jogador.

Veja o comunicado:

O Santos FC, através de sua Diretoria de Futebol, esclarece que não recebeu qualquer proposta oficial pelos direitos econômicos dos atletas Neymar e Paulo Henrique Ganso. O Clube não tem qualquer intenção de negociar os dois craques e eles só deixam o Santos mediante pagamento de multa contratual.

Pedro Luiz Nunes Conceição - Diretor de Futebol

Com show e erro de juiz, Alemanha "vinga" 1966 e goleia Inglaterra

  Foto: AP

Müller marcou duas vezes e Alemanha avançou com sobras

Com um grande futebol e um erro incrível da arbitragem, a Alemanha humilhou a Inglaterra com goleada por 4 a 1 e avançou confiante às quartas de final da Copa do Mundo, neste domingo, em Bloemfontein, no Free State Stadium. Gols de Thomas Müller (2), Klose e Podolski deram a vitória aos alemães, que ainda sentiram um gostinho de vingança relembrado a decisão entre os dois países em 1966.

O trio de arbitragem comandado pelo uruguaio Jorge Larrionda, na primeira etapa, quando os alemães venciam por 2 a 1, anularam um gol incrivelmente legal marcado por Frank Lampard. Na jogada, a bola bateu no travessão e caiu dentro do gol de Neuer. Foi idêntico à decisão de 1966, em que um lance supostamente ilegal, já que não há imagem conclusiva, deu o título mundial à Inglaterra.

Independente da jogada, a Alemanha foi bastante superior ao longo do confronto, na alma, na técnica e na eficiência. Seguiu com seu estilo de jogo técnico, com trocas de passes envolventes e meio-campo leve. A Inglaterra teve pouca inspiração, salvo em momentos específicos da partida.

Com a eliminação, os ingleses seguem distantes da semifinal da Copa desde 1990, quando caíram diante da própria Alemanha na briga por um posto na final. Os alemães mantiveram uma sina: nunca perderam uma partida de oitavas no Mundial.

Próxima fase

Com a vitória, a Alemanha aguarda o vencedor do confronto entre Argentina e México, também disputado neste domingo. O duelo de quartas de final será na Cidade do Cabo, no próximo sábado, às 11h (de Brasília).

Se a Argentina vencer, os alemães revivem o duelo marcante também das quartas de final da última Copa. Na ocasião, o goleiro Jens Lehmann brilhou na disputa por pênaltis, mandando os argentinos de volta para casa. Pouco antes do Mundial, cabe lembrar, a seleção de Maradona bateu a Alemanha, em Munique, por 1 a 0.

O jogo

Joachim Löw e Fabio Capello não surpreenderam nas escalações para o duelo mais aguardado de oitavas de final. O treinador alemão repetiu a equipe que bateu Gana, apenas promovendo a volta de Miroslav Klose, que estava suspenso, no lugar do brasileiro Cacau - lesionado, ficou fora do banco. Capello manteve os 11 jogadores que conseguiram a primeira vitória inglesa, diante da Eslovênia, abdicando de Carragher na zaga.

Pois foi o desempenho defensivo o grande calcanhar de Aquiles da Inglaterra em um primeiro tempo dominador dos alemães. Já nos instantes iniciais, Özil entrou como quis na área inglesa e exigiu grande defesa de James.

Melhor em campo, a Alemanha jogava sem a posse de bola, mas sempre ameçando com um estilo vertical. Depois de tiro de meta batido por Neuer, Klose venceu Upson na raça e na força, batendo por baixo de James para abrir o marcador aos 20min.

A Inglaterra, apesar do gol sofrido, seguia pálida e sem inspiração em campo. Para uma Alemanha envolvente, um prato feito. Thomas Müller concedeu grande passe para Klose, que exigiu a segunda defesa importante de James no duelo. Em seguida, Klose se redimiria, iniciando jogada pela direita com lindo passe para Müller, que foi até a grande área e só serviu Podolski: aos 32min, 2 a 0 Alemanha.

Depois de sair atrás, a Inglaterra enfim criou a melhor oportunidade até então, com Lampard finalizando com perigo na pequena área. Em seguida, o inspirado Klose devolveu o susto. Depois de escanteio, girou sobre a marcação de Upson e bateu em cima de James.

Se a defesa inglesa vinha falhando, a Alemanha é que cochilou aos 37min. Gerrard acertou cruzamento venenoso, Boateng subiu atrasado e Upson acertou de cabeça dentro da rede.

O gol animou os ingleses e foi seguido pelo lance mais polêmico da Copa até agora. Repetindo 1966, quando a Inglaterra venceu o Mundial com gol aparentemente irregular sobre a Alemanha, Frank Lampard recolheu na entrada da pequena área e chutou por cima de Neuer - a bola bateu na trave e caiu nitidamente dentro do gol. Capello até chegou a comemorar, mas o uruguaio Jorge Larrionda mandou seguir.

Revoltados, os ingleses talvez se esqueceram da defesa e a Alemanha quase ampliou a vantagem em contra-ataque que terminou com finalização perigosíssima de Podolski passando ao lado da trave de James.

O segundo tempo se anunciava com uma possível reação inglesa e Lampard acertou a trave já no início em cobrança de falta. O lance, que poderia animar, foi praticamente a única boa iniciativa do time de Capello, que foi engolido pela Alemanha em contra-ataques mortais.

Em nova tentativa por cobrança de falta, a Inglaterra perdeu a bola na frente e Schweinsteiger recebeu passe pela esquerda, conduziu em velocidade, deixou um marcador para trás e só serviu Müller, que empurrou para o gol e fez amadurecer a vitória alemã.

Se o terceiro gol dificultava as coisas para a Inglaterra, as coisas ficaram ainda piores três minutos depois, aos 25min. Özil recebeu grande lançamento na esquerda, avançou sobre a marcação e só rolou para Müller fazer o quarto, fechando o caixão inglês em Bloemfontein.

sábado, 26 de junho de 2010

Lavando a Roupa Suja – parte 1

Os grandes acontecimentos da Copa do Mundo são destaque em todo o planeta. Com a eliminação de França e Itália, e atualmente os Estados Unidos, nossos bondosos comentaristas vão lavar a roupa suja dessas péssimas seleções. Você visitante, que quiser expressar sua revolta ou comentário, é só comentar nessa postagem.

1- Pode ser até meio repetitivo, mas nós estamos falando de novo de Itália e França. Esse assunto repercutiu tão intensamente assim?

John: Acho que sim, pois são seleções de tradição, com um futebol convencia, antes dessas péssimas atuações que vimos. O estilo de jogo delas não me emocionou em nenhum momento.

Rogério: Faltou tudo nos jogadores. Faltou vergonha na cara de todos. E essa eliminação mostrou que ela não era bem-vinda nessa copa, depois do escândalo para se classificar.

 Sem título 1

2- O que faltou para o time dos Estados Unidos conseguir a classificação diante de Gana?

Jonathan: Faltou calma e equilíbrio. Não vi um campo um time competitivo, só arrumou as coisas depois do empate, mas mesmo assim não resolveu, e na prorrogação, acabou levando o gol da eliminação.

Rosana: Faltou futebol, que não vi em nenhum dos três jogos do time americano.

Kaká, Robinho e Elano "reforçam" treino de reservas da Seleção

Kaká com Robinho - atm e interna Foto: Reinaldo Marques/Terra

Kaká e Robinho em ação durante o treinamento da Seleção Brasileira

Homens de confiança do técnico Dunga, Kaká, Robinho e Elano "reforçaram" o treino dos reservas da Seleção Brasileira neste sábado, na Saint Sthithians School, em Johannesburgo.

Como não atuaram no empate sem gols com Portugal, os três jogadores participaram do treino com bola na universidade sul-africana. Os titulares da partida de sexta-feira, em Durban, ficaram no hotel fazendo recuperação muscular.

Elano, que desfalcou o time por conta de uma lesão no tornozelo, participou normalmente da atividade, aparentou não sentir dores e deve enfrentar o Chile na segunda-feira, pelas oitavas de final da Copa do Mundo.

Já Robinho, poupado contra os portugueses com um desconforto muscular, já confirmou que está 100% fisicamente para a partida do mata-mata. Substituído por Nilmar, ele volta ao time para fazer dupla com Luís Fabiano.

Kaká, suspenso após receber cartão vermelho contra a Costa do Marfim, também treinou com os reservas. O meio-campista aproveitou os dias de "folga" para aprimorar a parte física depois das contusões que o prejudicaram na última temporada.

A Seleção faz no domingo o último treino antes da partida contra o Chile. Os brasileiros voltarão a utilizar a Hoerskool Randburg, escola que havia sido deixada de lado por causa do mau estado do gramado.

Jogador da Nigéria disse que "pirou" após receber insulto racista

Kaita se revolta ao receber cartão vermelho, o primeiro por agressão nesta Copa Foto: AP

Kaita recebe cartão vermelho e vê as chances da Nigéria acabarem na Copa

A Nigéria ganhava o jogo em sua segunda participação da Copa do Mundo, disputada contra a Grécia, até que um de seus principais jogadores, o meia Sani Kaita, cometeu uma falta violenta em um adversário e foi expulso. Com um jogador a menos, a Nigéria tomou a virada por 2 a 1 e viu suas chances no Mundial acabarem.

Em declaração a revista africano Kick Off, Kaita alega que teria recebido um insulto racista do grego Vassileos Torosidis. Segundo a revista, o insulto seria o seguinte: "p... de negro".

O meia nigeriano afirmou que ficou descontrolado com as ofensas e lembrou seu bom histórico disciplinar para se justificar. Mesmo assim, pediu desculpas por sua expulsão aos torcedores da Nigéria.

A Nigéria acabou a primeira fase com apenas um ponto no Grupo B e foi desclassificada da Copa do Mundo.

Ross Brawn admite decepção com Michael Schumacher

Schumacher decepcionou e larga apenas na 15ª colocação Foto: Reuters

Schumacher larga na 15ª colocação em Valência

A cada etapa que passa, o retorno de Michael Schumacher à Fórmula 1 parece não ter sido a melhor escolha do heptacampeão da categoria. Segundo o site F1SA, o chefe da Mercedes, Ross Brawn, se mostrou decepcionado com o desempenho apresentado pelo alemão ao longo da atual temporada.

Para Brawn, a performance de Schumacher tem desagradado também ao próprio piloto, que não pretendia retornar à categoria e encontrar as dificuldades que está tendo pelo árduo caminho. No GP da Europa, Schumacher vai largar na 15ª colocação, até mesmo atrás do seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, que sai em 12º.

Brawn disse que o momento de Schumacher é decepcionante, principalmente por não ter conseguido o melhor acerto do carro em determinadas provas, como a de Valência, neste domingo.

O desânimo da Mercedes com Schumacher é tanto, que a imprensa internacional já cogita que a equipe pensa em contratar o polonês Robert Kubica, atualmente na Renault, para a vaga do alemão de 41 anos.

Bellucci resiste, mas perde para Soderling e deixa Wimbledon

Thomaz Bellucci enfrentou Robin Soderling pela terceira rodada de Wimbledon e está eliminado do torneio. Em 1h52, o brasileiro não resistiu ao jogo agressivo do sueco e perdeu a partida por 3 sets a 0, com parciais de 6/4, 6/2 e 7/5. Mesmo cometendo poucos erros não forçados, Bellucci não suportou o potente jogo de Soderling, que aplicou 41 bolas vencedoras contra apenas 18 do brasileiro. Garantido nas oitavas, o sueco encara o espanhol David Ferrer, que venceu o francês Jeremy Chardy, por 3 sets a 2 (7/5, 6/3, 4/6, 3/6 e 7/5).

Com estilo de jogo mais adaptado à grama do torneio londrino, Soderling entrou em quadra com favoritismo sobre o brasileiro. No primeiro set, o sueco foi ofensivo, arriscou bastante e aplicou 15 bolas ganhadoras contra somente oito de Bellucci, que cometeu apenas seis erros contra dez do tenista europeu, que conseguiu uma quebra de saque no décimo e decisivo game e fechou a parcial por 6/4.

Soderling iniciou o segundo set sacando e logo mostrou ao brasileiro que seguiria com a mesmo postura. Bellucci diminuiu a qualidade de seu jogo e foi presa fácil para o sueco no segundo set. O cabeça de chave 6 de Wimbledon cometeu quatro falhas contra duas do brasileiro, mas Soderling continuou em vantagem no número de bolas vencedoras (8-4). O sueco finalizou o set com parcial de 6/2 e abriu 2 a 0 sobre o brasileiro.

Mesmo com 2 a 0 contra, Bellucci não desanimou e fez um bom terceiro set, deixando a partida equilibrada até os últimos pontos quando, novamente, vacilou no instante crucial do confronto e cedeu uma quebra de serviço quando o duelo registrava 6-5 para o europeu. Soderling fechou a parcial por 7/5 e o jogo em 3 sets a 0. No resumo da partida, o sueco fez 15 aces contra nove de Bellucci e cometeu 27 erros não forçados contra 20 do brasileiro. Soderling ganhou 90% dos pontos quando colocou em quadra o primeiro serviço.

Contra introdução de vídeos, Fifa planeja mais dois assistentes em 2014

Kaká não aceita a penalidade e discute com o árbitro Foto: Reuters

O árbitro Stephanne Lannoy expulsou o brasileiro Kaká no duelo contra a Costa do Marfim

A Fifa estuda um projeto para melhorar a arbitragem que consistente na introdução de dois novos assistentes para ajudar o árbitro principal, mas negou que esteja considerando a utilização do recurso do vídeo em lances duvidosos.

"Analisando as imagens, houve algumas decisões arbitrais que não foram completamente satisfatórias. O sistema de arbitragem, que está sujeito a erros, pode mudar para o Mundial de 2014. Estamos trabalhando para ver o que podemos fazer para melhorá-lo", declarou o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke.

Assim que terminar a Copa da África do Sul, a Fifa "começará a trabalhar em Zurique para examinar este assunto", afirmou o funcionário da entidade. "Não contemplamos a utilização do vídeo, mas podemos colocar dois novos assistentes, que serviriam para ajudar o árbitro", acrescentou.

Diversos erros já foram registrados nas partidas até aqui, como os dois gols mal anulados dos Estados Unidos - um contra a Eslovênia e outro com a Argélia -, além da polêmica expulsão de Kaká contra a Costa do Marfim.

No lance envolvendo o brasileiro, o árbitro francês Stephanne Lannoy considerou que o camisa 10 agrediu o marfinense Keita, que simulou uma cotovelada no rosto

Brasil vence na Holanda e mantém liderança na Liga Mundial

  Foto: Paulo Augusto/Vipcomm/Divulgação

Time de Bernardinho lidera o Grupo A da Liga

Em um confronto direto na briga pela liderança do Grupo A da Liga Mundial de vôlei, a Seleção Brasileira enfrentou a Holanda neste sábado, em Roterdã, e conseguiu o que queria: venceu por 3 sets a 1 e se manteve na ponta da tabela. A vitória dos comandados de Bernardinho foi garantida com parciais de 25/20, 23/25, 26/24 e 25/16.

Por ter perdido somente uma etapa, o Brasil soma três pontos pela vitória, mesmo número que deixou de ganhar por ter perdido em sets diretos para a Holanda em Brasília, no início da competição. Desta forma, a equipe verde e amarela também ganha mais tranquilidade na liderança do Grupo A da Liga Mundial.

A equipe verde-amarela soma agora 17 pontos, contra 13 da Bulgária, que tem um jogo a menos. Somente o primeiro colocado de cada uma das quatro chaves, além do melhor segundo e da Argentina disputam a fase final do torneio, programada para o mês que vem na cidade de Córdoba.

Mais uma vez, o maior pontuador brasileiro na partida foi Murilo. O ponteiro do Sesi somou 18 pontos, seis a menos que o holandês Niels Klapwijk. Apesar de ainda não ter mostrado todo o seu potencial na seleção, o oposto Leandro Vissotto conseguiu 14.

Bernardinho começou a partida deste sábado com Giba/Murilo na entrada de rede e Lucão/Rodrigão como centrais. O levantador reserva Marlon, porém, teve uma boa participação quando exigido, no quarto set, assim como o meio de rede Sidão.

Após um primeiro set tranquilo, os brasileiros tiveram mais dificuldades na segunda etapa. Ainda assim, conseguiram ter uma vantagem de dois pontos (22 a 20) na reta final da parcial, mas tomaram a virada e o empate veio em um lance de sorte de Kooistra, cujo saque tocou a fita da rede antes de cair.

No terceiro set, o Brasil quase se complicou ainda mais e chegou a se ver com 11-16 no placar. Foi aí que Bernardinho mostrou sua competência e arrumou a equipe, chegando à igualdade nos 22 pontos em um erro de Klapwijk. Dante fez 2 a 1 no jogo atacando uma bola de xeque mal recebida pelo líbero Jelte Maan.

Com Sidão e Marlon entrando muito bem no quarto set, a Holanda se tornou pesa fácil e pouca resistência ofereceu antes de sofrer sua quarta derrota seguida. Os dois times se enfrentam novamente neste domingo, às 10h (horário de Brasília).

Podolski provoca: "não temos que ter medo da Inglaterra"

Grande esperança da seleção alemã, o atacante Podolski não teve, novamente, uma boa atuação Foto: AP

Podolski não teme confronto contra a Inglaterra nas oitavas de final

O alemão Lukas Pudolski afirmou neste sábado que seu time não tem nenhum motivo "para temer" a Inglaterra, a rival nas oitavas de final do Mundial de futebol da África do Sul - 2010, neste domingo na cidade de Bloemfontein.

"No meu ponto de vista, é verdade que os ingleses jogaram relativamente bem a última partida do grupo (1 a 0 contra a Eslovênia), mas, pelo conjunto do torneio, não há motivos para temor", explicou o alemão de origem polonesa, no site da Federação alemã (DFB).

Podolski, eleito o melhor jogador do Mundial da Alemanha em 2006, rejeitou fazer deste choque uma partida isolada, em meio à eterna rivalidade entre ambos os países, tanto nos campos de futebol quanto na história em comum, em particular durante as duas Guerras Mundiais.

"É um jogo muito importante, mas também uma partida normal da Copa do Mundo. O passado pertence ao passado (...) Temos que nos concentrar na partida, só isso", insistiu o atacante do Colônia, da Bundesliga de futebol. "Nossa intenção é decidir o jogo no tempo regulamentar", afirmou.

Em dia de Suárez, Uruguai bate Coreia e volta às quartas após 40 anos

  Foto: AFP

Herói, Luis Suárez fez duas vezes e levou o Uruguai às quartas de final

Uma atuação decisiva do atacante Luis Suárez levou o Uruguai às quartas de final de uma Copa do Mundo após 40 anos. Neste sábado, em jogo que abriu a fase de oitavas, os uruguaios bateram a Coreia do Sul por 2 a 1, no Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth. Suárez fez os dois gols e salvou sua seleção em um segundo tempo em que foi amplamente dominada pelos asiáticos.

Desde o Mundial no México, em 1970, quando foi semifinalista, o Uruguai não conseguia uma campanha tão expressiva. Parte disso se deve à força defensiva: até o gol marcado por Lee Chong-Yong, aos 23min do segundo tempo, foram 338 minutos sem o arqueiro Muslera ser vazado.

O Uruguai agora aguarda o vencedor do confronto entre Estados Unidos e Gana, a ser disputado ainda neste sábado. A seleção de Luís Suárez precisará se recuperar fisicamente até o dia 2, próxima sexta-feira, quando disputará um lugar na semifinal. O jogo será no Soccer City Stadium, em Johannesburgo, às 15h30 (de Brasília).

Com os dois gols diante da Coreia do Sul, Luis Suárez se juntou a Higuaín, David Villa e Vittek na artilharia do Mundial. O uruguaio precisará secar os rivais, já que todos ainda atuarão na fase de oitavas.

O Uruguai repetiu a formação que havia batido a África do Sul por 3 a 0 na segunda rodada do Mundial, com o zagueiro Godín, poupado contra o México, retornando aos titulares no lugar de Victorino. A Coreia do Sul surpreendeu escalando Kim Jae-Sung na vaga costumeiramente ocupada por Yeom Ki-Hun.

O jogo

Com um gramado bastante prejudicado, Uruguai e Coreia do Sul fizeram um primeiro tempo de poucas emoções em Port Elizabeth. A principal arma do time asiático foi a bola parada, e assim o goleiro uruguaio Muslera levou um grande susto aos 5min.

Park Chu-Young, que já havia marcado de falta contra a Nigéria, por pouco não repetiu a dose. Em chute venenoso, ele surpreendeu ao não cruzar para a área e bateu direto, acertando a trave.

Apesar da animação, a Coreia do Sul logo seria batida. Após inversão, Diego Forlán abriu pela ponta esquerda, cortou um marcador e fez cruzamento despretensioso por baixo. Toda a defesa sul-coreana só olhou, inclusive o goleiro Jung Sung-Ryong. Atento, Luis Suárez só empurrou para o gol vazio e marcou seu segundo no Mundial.

Com o jogo bem controlado pelo experiente time uruguaio, a Coreia do Sul só conseguiu chegar à meta mais uma vez ao longo do primeiro tempo. Em jogada pessoal, Park Chu-Young, o mais inspirado da equipe, avançou pela direita e bateu com perigo na meta de Muslera.

Ainda antes do intervalo, os uruguaios reclamaram de um pênalti não marcado pelo árbitro Wolfgang Stark. Maxi Pereira fez jogada individual e acertou finalização no braço de um sul-coreano, dentro da área. O apitador alemão mandou seguir.

Na segunda etapa, o Uruguai adotou uma postura excessivamente defensiva, o que não acabaria bem. Fisicamente muito acima e com personalidade, a Coreia do Sul se impôs, adiantou suas linhas e passou a jogar no campo de ataque. O treinador sul-coreano também mandou o time para a frente, com Lee Dong-Guk entrando no lugar de Kim Jae-Sung aos 16min.

A pressão da Coreia do Sul finalmente surtiu efeito aos 23min. Depois de falta batida na área, a bola respingou e Lee Chung-Yong usou a cabeça para balancar as redes do Uruguai. Foi o primeiro gol sofrido pelos sul-americanos na Copa.

Assustado pelo empate, o Uruguai quase concedeu a virada aos sul-coreanos logo em seguida. Park Chu-Young disparou pela direita e, da entrada da área, finalizou com perigo. Para a sorte uruguaia, a bola saiu muito fraca.

O Uruguai retomou a condição de protagonista da partida nos 15 minutos finais. Marcando mais à frente e trabalhando a posse de bola, o time concedeu duas boas jogadas a Luis Suárez, que em ambas acabou desperdiçando.

Jogador uruguaio mais ligado em campo, Suárez comprovou sua excelente Copa do Mundo com um gol absolutamente decisivo. Depois de escanteio cobrado da esquerda, o atacante recolheu, fintou a marcação e acertou um chute precioso, sem chances para Jung Sung-Ryong, a 10 minutos do fim.

Lee Dong-Guk, aos 42min, por pouco não igualou. O atacante saiu livre na frente de Muslera e finalizou. A bola caprichosamente ia entrando no gol, mas Lugano apareceu e botou para longe. Foi a última chance e o adeus da Coreia do Sul no Mundial 2010.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Um pouco mais sobre as polêmicas da Copa do Mundo

Situação Itália

O que houve com a seleção italiana foi uma lástima, com um futebol pouco convincente e que ninguém achava que iríamos ver. Todos pensavam numa classificação muito boa dessa seleção. Não foi o que vimos.

O técnico da seleção da Itália pode ser até um pouco culpado por isso, por cortar certos jogadores que poderiam mudar esse rumo. Por outro lado, os jogadores tinham capacidade de sobra para que a seleção pudesse se classificar. O que faltou a Itália foi um futebol que convencesse e que pudesse buscar bons resultados. Isso não aconteceu.

Situação França

O péssimo futebol apresentado pela França é impressionante. Nunca vi uma seleção de tradição como ela fazer uma copa do mundo tão medíocre como vimos. Apesar de ser um seleção grande, ela jogou como se fosse de várzea. Espero não ver a repetição disso no Brasil.

Henry, o “pivô” de tudo isso, depois de sua mão linda no jogo contra a Irlanda, foi um dos grandes culpados desse falta de boa atuação da França. Uma seleção que se classifica por “roubo” não merece nem pontuar na copa.

Situação Brasil

Quem viu o jogo contra Portugal viu que a seleção não faz uma boa atuação sem Kaká e Robinho. O time foi outro completamente inferior ao que vimos contra a Costa do Marfim. É difícil admitir, mas eu acho que teríamos uma boa seleção se Neymar e Ganso tivessem aparecido nessa copa. Faltou tudo para a seleção fazer uma boa atuação contra a seleção portuguesa. Michel Bastos pouco aproveitado pelos companheiros e Júlio Baptista um caos em campo. Não fez praticamente nada.

Júlio Cesar foi o salvador de muitas chances de gol de Portugal. Cristiano Ronaldo até jogou bem, mas ficou apagado depois dos 30 minutos do segundo tempo. Melhoras seleção!

"Algoz do Brasil" anuncia aposentadoria da seleção nigeriana

O atacante nigeriano Nwankwo Kanu disse confiar na alegria como maior força de sua seleção Foto: Reuters

Kanu deixa seleção após eliminação precoce na Copa do Mundo

A eliminação da Nigéria na Copa do Mundo de 2010 marcou o fim da carreira de Kanu pela seleção. Depois de 80 partidas e dois títulos conquistados (Mundial Sub-17 e Olimpíada), o atacante de 33 anos - algoz do Brasil nos Jogos Olímpicos de 1996 - anunciou que seu ciclo está encerrado.

"É uma despedida no mesmo continente em que comecei", afirmou Kanu, que estreou pela seleção principal em maio de 1994, contra a Suécia.

O atacante se mostrou emocionado com a despedida. "Foi emocionante jogar com a minha família nas arquibancadas", disse.

A trajetória de Kanu pela Nigéria começou em 1993, quando o atacante participou da conquista do Mundial Sub-17. Três anos depois foi a estrela da conquista da medalha de ouro nos Jogos de Atlanta. Marcou dois gols na vitória por 4 a 3 sobre o Brasil, na semifinal.

A história em Copas, no entanto, não é das mais felizes. Kanu disputou os Mundiais de 1998, 2002 e 2010, mas nas duas últimas acabou eliminado logo na primeira fase

Isner cai em Wimbledon após ganhar jogo mais longo da história

O esforço de mais de 11 horas realizado por John Isner para chegar à segunda rodada do torneio de Wimbledon só valeu pela notoriedade da partida. Nesta sexta-feira, o americano foi facilmente derrotado pelo holandês Thiemo de Bakker por 3 sets a 0, parciais de 6/0, 6/3 e 6/2, e está eliminado.

Curiosamente, desta vez a partida foi bastante rápida, com Bakker assegurando a sua classificação em apenas uma hora e 14 minutos. Mais irônico ainda é que ele caiu em apenas 23 games, o menor número de uma partida completa na edição 2010 da disputa - na estreia, contra o francês Nicolas Mahut, ele jogou a partida com mais games na história: 183.

Novo recordista de aces em um só jogo (foram 112 diante do primeiro rival), Isner desta vez não marcou um ponto sequer direto no saque. Visivelmente cansado, o tenista dos Estados Unidos cometeu 32 erros não-forçados, contra cinco de Bakker. Ele também teve um aproveitamento de apenas 45% nas bolas do primeiro saque.

Na próxima rodada, o holandês terá pela frente o vencedor do duelo entre o russo Mikhail Youzhny e o francês Paul-Henri Mathieu.

Brasileiro Paulão é o 45º selecionado no draft da NBA

  Foto: Getty Images

Comissário da NBA, David Stern anunciou os escolhidos

O brasileiro Paulo Prestes, mais conhecido como Paulão, foi selecionado no draft da temporada 2010/2011 da NBA, nesta quinta-feira, pelo Minessota Timberwolves. O primeiro escolhido foi o armador John Wall, pelo Washington Wizards, o que já era esperado.

Paulão joga pelo CB Múrcia, da Espanha, foi escolhido na segunda rodada pelo Minnesota Timberwolves. Aos 22 anos, ele foi o 45º selecionado do draft. O jogador teve uma média de 9,2 pontos e 7,3 rebotes na última temporada pelo clube europeu.

A segunda escolha foi do Philadelphia Sixers, que também selecionou um armador: Evan Turner, da Universidade de Ohio State. Pior equipe da temporada, o New Jersey Nets foi o terceiro a escolher, e ficou com Derrick Favors, da Universidade Georgia Tech.

As atenções, agora, se voltam para a abertura do mercado de agentes livres, no dia 1º de julho. Equipes como Chicago Bulls, New York Knicks e Miami Heat prometem brigar para contratar os grandes nomes.

Durante o draft, aliás, os torcedores do Knicks presentes no Madison Square Garden, ginásio do time, gritaram o nome de LeBron James, que é cotado para acertar com a franquia de Nova York para a próxima temporada.

Italianos culpam Lippi por "vergonha": pior Itália da história está fora

  Foto: Getty Images

Veículos lembram que treinador italiano deixou de convocar jogadores como Antonio Cassano e Marco Ballotelli

A imprensa da Itália dá grande destaque ao "Mundial da vergonha" e responsabiliza o treinador Marcelo Lippi pelo "desastre" da campanha da seleção do país na Copa do Mundo da África do Sul, após a derrota por 3 a 2 para a Eslováquia, na última quinta-feira, e a eliminação ainda na primeira fase.

A palavra "vergonha" é a mais utilizada nas capas dos jornais que chegam nesta sexta-feira às ruas do país. A imprensa afirma que a eliminação é uma das páginas mais tristes da história do futebol tetracampeão do mundo.

O Corriere dello Sport, por exemplo, traz "Vergonha!" em letras enormes como sua manchete. Em suas páginas interiores, o diário esportivo destaca a opinião da maioria dos italianos: "Lippi, a culpa é só sua".

Desde 1974 a Itália não ficava fora de uma Copa do Mundo ainda na primeira fase. Desta vez, porém, a situação é ainda pior, já que a equipe nunca tinha saído de um Mundial sem vencer nenhum jogo.

"É a página mais horrível e humilhante de nossa seleção", afirma uma coluna assinada por Alessandro Vocalelli e publicada na capa do próprio Corrierre dello Sport.

"Tudo negro! A pior Itália da história está fora", é o que destaca a capa do La Gazzetta dello Sport, o jornal esportivo mais lido do país, que acrescenta em suas páginas internas: "Itália para chorar".

Desde o início da Copa, como lembra a imprensa italiana, os torcedores questionaram as decisões do treinador, que não convocou jogadores como Antonio Cassano (Sampdoria) e Marco Ballotelli (Inter de Milão), ou outras opções para o ataque.

Para a Gazzetta dello Sport, Lippi é culpado por ter ficado "muito unido a seus homens de confiança" e não ter feito testes com jogadores como Cassano e Balotelli.

"O Mundial da vergonha. A Itália volta para casa", destaca o jornal generalista La Stampa que afirma que a campanha foi o "fracasso de Lippi", e a "página mais negra do futebol italiano".

As palavras do volante Gennaro Gattuso, que disse que o time italiano passou de "campeões do mundo" a "cavalheiros da vergonha", foram publicadas em vários veículos.

O jornal romano Il Messaggero diz que o time foi eliminado "sem honra". A publicação dedica um grande espaço à amargura, raiva e tristeza dos italianos que acompanharam a partida perante telões instalados em vários pontos importantes do país.

Para o jornal La Repubblica a Copa se resume em "vergonha e lágrimas" para os italianos, e a eliminação é a "Waterloo azzurra".

Destaque do Japão nega ser azarão e avisa: "não terminamos por aqui"

Honda (centro) foi o nome do jogo; criou diversas jogadas de ataque, fez um gol e deu passe para outro Foto: AFP

Honda abriu o marcador contra a Dinamarca e foi eleito o melhor da partida pela segunda vez

O meia Keisuke Honda, principal jogador japonês nos primeiros três jogos da equipe na Copa do Mundo, disse que a história dos orientais na competição ainda não acabou, e que os orientais ainda podem ir longe no torneio.

Eleito pela segunda vez o melhor da partida, Honda mostra confiança. "Eu sei que esta é uma grande vitória para o Japão. Eu esperava estar realmente contente, mas não estou tanto quanto eu pensava que estaria, porque eu não acredito que nós terminamos aqui. Eu penso que nós podemos ir ainda mais longe na competição", disse ao site da Fifa.

Uma vitória sobre o Paraguai, nas oitavas de final, faria desta campanha a melhor da história do Japão em Mundiais, superando a camanha de 2002, quando, jogando em casa, foram eliminados nas oitavas para a Turquia por 1 a 0. "O time como um todo está se tornando uma equipe que pode continar na Copa", reforçou Honda, que creditou a vitória sobre a Dinamarca ao técnico Takeshi Okada.

"Tudo vem da instrução passada pelo nosso treinador. Ele nos disse que não deveríamos nos concentrar na defesa (um empate era suficiente para a classificação). Nós tínhamos que atacar, de outra maneira nós nunca poderíamos vencer. Realmente foi uma tática eficiente que nos levou a esse grande resultado", afirmou.

Okada confirmou o planejamento. "Nós sabíamos que precisávamos apenas do empate, mas não quisemos ser passivos. A Dinamarca nos colocou sob pressão no começo e tivemos algumas situações de risco, então mudamos a formação e conseguimos marcar com duas cobranças de faltas. Eles viram com força do intervalo, mas mostramos que o time tem força que muitos não têm", disse o comandante japonês, que estabeleceu como obejtivo para seus atletas alcançar pelo menos as semifinais da Copa.

Vestiário do Brasil tem cofre individual para jogo contra Portugal

Vestiário do Brasil pronto para receber os jogadores antes da partida contra Portugal Foto: Divulgação

Vestiário da Seleção Brasileira antes do duelo contra Portugal, pelo Grupo G da Copa

Momentos antes de a bola rolar para Portugal x Brasil, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou, por intermédio do Twitter, uma foto do vestário brasileiro à espera dos jogadores. A partida, válida pela terceira rodada do Grupo G da Copa do Mundo, será disputada no Estádio de Durban, na África do Sul, às 11h (de Brasília).

O que mais chamou a atenção no vestiário brasileiro é a presença de cofres individuais acima dos armários destinados aos atletas. Além disso, a comissão técnica da Seleção tem uma televisão à disposição no local.

Ainda pelo Twitter, a CBF disponibilizou uma imagem da bola do jogo. O objeto sempre é colocado em cima de um pedestal, para que no momento da entrada dos árbitros e jogadores em campo ela seja carregada.

A Jabulani utilizada nos jogos possui marcações para evitar que sejam vendidas falsificações, se passando pela bola utilizada nas partidas da Copa. Cada confronto é gravado no couro, assim como a data e o estádio.

O jogo entre Portugal e Brasil acontece nesta sexta, às 11h (de Brasília), em Durban (no estádio com o mesmo nome). Também pelo Grupo G, jogam Costa do Marfim e Coreia do Norte, no mesmo horário, em Nelspruit.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Saiba mais sobre o local do jogo entre Portugal x Brasil

Um estádio com estilo moderno, numa das três maiores cidades da África do Sul. Durban mostra que a copa africana é realmente uma novidade aos olhos do espectadores.

Localização da Cidade de Durban:

Imagem do mapa

Dados Importantes:

Localização Durban, África do Sul
Inauguração 2006
Aberto 28 de novembro de 2009
Renovação 2009
Expandido 2009
Proprietário Durban Metropolitana Unidade
Superfície Grama
Custo de Construção R 3400000000 (USD $ 450 milhões)
Arquiteto Gerkan, Marg and Partners Durban, dentre outros
Capacidade 62760
Dimensões do Campo 320m x 280m x 45m, Arcos: 100m
Inquilinos Golden Arrows

O novíssimo Estádio Moses Mabhida em Durban sediará uma das semifinais da Copa do Mundo da FIFA 2010. O estádio exemplifica a inovação arquitetônica à mostra na África do Sul e é inspirado na bandeira nacional, com o seu grandioso arco representando a união de um país apaixonado pelo esporte. Os dois mastros do arco no lado sul do estádio se unem para formar uma única base no lado norte, simbolizando a nova unidade de uma nação anteriormente dividida.

Com capacidade para 69.957 espectadores sentados, a arena foi especificamente projetada como uma arena multiuso e um anfiteatro completo com um teleférico que leva a uma plataforma de observação no topo do enorme arco de 350 metros de extensão, mais de 100 metros acima do gramado. De lá, os visitantes têm vistas panorâmicas espetaculares da costa e da cidade. A cobertura é ligada ao arco por cabos de aço com 95 mm de diâmetro. Cada assento é espaçoso e confortável, com uma ótima visão do gramado. 

A arena multifuncional de última geração está localizada no coração do Complexo Esportivo Kings Park, no terreno do antigo Estádio Kings Park. A área como um todo terá outros estádios e instalações esportivas, além de restaurantes, lojas, áreas para crianças e uma passarela de pedestres que ligará o complexo à praia. 

Moses Mabhida nasceu em Thornville no dia 14 de outubro de 1923 em uma família pobre que depois foi removida das suas terras. Em 1963, trabalhando na Tchecoslováquia para a Federação Sindical Mundial, Mabhida recebeu de Oliver Tambo o convite de voltar à África para desenvolver o grupo armado do partido ANC, o Umkhonto we Sizwe (MK). Ele passou por treinamento militar e se tornou o principal instrutor político dos novos recrutas. Posteriormente, foi comandante do MK.

Jogos que aconteceram em Durban:

Jogo

Data - Horário

Fase

   

Resultados

   

7

13 Junho - 20:30

Grupo D

clip_image001

Alemanha

4:0 (2:0)clip_image003

Austrália

clip_image004

16

16 Junho - 16:00

Grupo H

clip_image005

Espanha

0:1 (0:0)clip_image003[1]

Suíça

clip_image006

25

19 Junho - 13:30

Grupo E

clip_image007

Holanda

1:0 (0:0)clip_image003[2]

Japão

clip_image008

35

22 Junho - 20:30

Grupo B

clip_image009

Nigéria

2:2 (1:1)clip_image003[3]

Coreia do Sul

clip_image010

45

25 Junho - 16:00

Grupo G

clip_image011

Portugal

Prévia

Brasil

clip_image012

53

28 Junho - 16:00

Rodada de 16

clip_image007[1]

Holanda

Retrospecto

Eslováquia

clip_image013

62

07 Julho - 20:30

Semifinais

 

W59

-

W60