terça-feira, 31 de maio de 2011

Scholes se aposenta e passa a integrar a comissão técnica do Man. United

Paul Scholes disputa lance com Baumjohann. Foto: AP

Scholes se consagrou com a camisa do Manchester United

O veterano meio-campo Paul Scholes, 36 anos, anunciou nesta terça-feira sua aposentadoria dos gramados, informando que passará a integrar a comissão técnica do Manchester United.

Scholes conquistou dez títulos do Campeonato Inglês, duas Ligas dos Campeões da Europa e três Copas da Inglaterra pelo Manchester United, além de dois Mundiais.

"Não sou um homem de muitas palavras, mas posso dizer com honestidade que jogar futebol é tudo o que sempre quis fazer. Ter conseguido uma longa carreira no Manchester United foi uma verdadeira honra", disse o jogador, que disputou 676 partidas pelo clube.

"Ter integrado esta equipe e ter ajudado o clube a alcançar o recorde de 19 títulos (do Campeonato Inglês) é um privilégio", completou.

Murray sofre, mas reage para eliminar sérvio e ir às quartas

Andy Murray sofre, mas consegue virada sobre Viktor Troicki e confirma presença nas quartas de final de Roland Garros. Foto: Getty Images

Murray teve problemas, mas conseguiu reagir no quinto set e eliminar Troicki

O escocês Andy Murray, cabeça de chave número 4 de Roland Garros, avançou nesta terça-feira para as quartas de final do torneio parisiense ao derrotar o sérvio Viktor Troicki de virada, por 3 sets a 2, com parciais de 4/6, 4/6, 6/3, 6/2, 7/5. A partida, que chegou a ser interrompida na segunda por falta de luz natural, foi marcada pela superação do britânico e pela dificuldade do rival em conseguir justificar a vantagem e encerrar o duelo.

Além de ter vencido os dois primeiros sets, Troicki permitiu que Murray se recuperasse na partida e forçasse o quinto set. Antes da etapa decisiva, o duelo foi interrompido pela falta de luz natural em Paris e remanejado para esta terça.

Troicki, novamente, foi arrasador contra Murray: chegou a abrir 5/2 e ter o saque para fechar a partida. O sérvio, porém, perdeu o serviço e viu o britânico novamente reagir: ele venceu os cinco games seguintes, fechar a etapa com 7/5 e confirmou a classificação para as quartas de final do segundo Grand Slam da temporada.

Na próxima fase, Murray enfrentará o argentino Juan Ignacio Chela, que havia se classificado na segunda-feira. O tenista de Buenos Aires levou a melhor no duelo sul-americano com o colombiano Alejandro Falla, também em cinco sets, mas de maneira menos sofrida: 4/6, 6/2, 1/6, 7/6 (7-5) e 6/2.

Chefe da Renault "recomenda" melhora a Heidfeld em treinos

Button se manteve em condições tranquilas na segunda competição; Heidfeld foi beneficiado por toque entre Hamilton e Alonso e recolocou Lotus Renault .... Foto: AP

Heidfeld chegou a ir ao pódio no início da temporada, mas não manteve o bom ritmo

Eric Boullier está incomodado com o desempenho da Renault após as seis primeiras provas da temporada. Sem pouparas críticas, o chefe da equipe afirmou que o alemão Nick Heidfeld, substituto do acidentado polonês Robert Kubica, precisa melhorar após os maus resultados que obteve nas últimas provas.

Heidfeld esboçou ter um bom começo de temporada, conseguindo um pódio na segunda prova da temporada, o GP da Malásia. A seguir, no entanto, ele falhou na disputa interna com o russo Vitaly Petrov, ficando atrás do companheiro de equipe e também do grupo dos seis primeiros nas provas.

Para Boullier, a temporada do experiente piloto alemão não tem sido boa o suficiente, e ele precisa melhorar para ficar apto a brigar por melhores resultados tanto no time, como nas provas.

"Precisamos nos sentar e conversar para entender suas dúvidas e compreender completamente o que acontece. Ele precisa melhorar desde o primeiro treino livre para chegar ao menos até a velocidade de Vitaly (Petrov). No treino classificatório, se você não tiver um bom acerto, não pode desenvolver uma única boa volta", contou.

Perguntado sobre como definiria o desempenho de Heidfeld até aqui, Boullier não hesitou em demonstrar sua insatisfação. "Vamos dizer que bom, mas não bom o suficiente. No domingo está ok, a velocidade dele é boa nas provas. Mas quanto mais alto você se classifica para ela, mais pontos pode acabar conquistando", discursou.

Guardiola tem proposta milionária para treinar Catar em 2013

Guardiola beija a taça da Liga dos Campeões da Europa, sua segunda como técnico do Barcelona. Foto: EFE

Guardiola tem mais um ano de contrato com o Barcelona

Após conquistar a Liga dos Campeões pela segunda vez na carreira à frente do Barcelona, o técnico Pep Guardiola já planeja seu futuro. De acordo com o jornalMarca, o ex-jogador tem uma proposta de 36 milhões de euros (cerca de R$ 82 milhões) por ano do presidente da federação do Catar, Sheikh Hamad Bin Khalifa Bin Ahmad Al Thani, para dirigir a seleção do país asiático em 2013.

O treinador ainda tem um ano de contrato com o Barcelona, para a temporada 2011/12, e pretende cumpri-lo. Depois, tiraria um ano para descansar, assumindo o comando da seleção catariana para a temporada 2013/14.

Guardiola já jogou no futebol do Catar, tendo defendido o Al-Ahli entre 2003 e 2005. No comando do Barcelona desde o meio de 2008, ele soma dez títulos conquistados em três temporadas: duas Ligas dos Campeões, três Campeonatos Espanhóis, duas Supercopas da Espanha, um Mundial de Clubes, uma Supercopa da Europa e uma Copa do Rei.

Em abertura de Congresso da Fifa, Blatter fala em "momento perigoso"

Joseph Blatter é o presidente da FIFA desde 1998. Foto: Reuters

Blatter está à frente da Fifa desde 1998

Em seu texto inicial aos membros da Fifa na abertura do 61º Congresso da entidade, realizado em Zurique, o presidente Joseph Blatter a crise vivida pelo órgão máximo do futebol mundial. Em meio ao emaranhado de denúncia que a entidade está envolvida, Blatter ressaltou que o futebol vive um "momento perigoso".

"O mundo não está destruído por movimentos humanos, mas naturais. Vimos catástrofes no Haiti, Chile, Paquistão, Austrália, Nova Zelândia e Japão. Se até a natureza está se revoltando, porque não os homens", disse Blatter.

"Achei que estávamos vivendo um mundo de 'fair play' (jogo limpo) e disciplina. Este não é o caso. Porque nossa pirâmide da Fifa está insegura em alguns espaços e isto é perigoso. Amanhã, na abertura dos trabalhos do Congresso, eu falarei sobre esse perigo e mostrar como podemos brigar para que esse risco, para que nosso esporte possa se unir", completou o presidente.

Antes do discurso de Blatter, um malabarista fez um show com pequenas bola e depois com bolas que foram usadas na Copa do Mundo. O presidente da Fifa aproveitou a situação para novamente mencionar o momento crítico que vive a entidade.

"Vocês viram o show que o malabarista fez agora a pouco e como é fácil manejar pequenas bolas, mas difícil fazer o mesmo com bolas de futebol. Nosso jogo não é fácil, mas é fascinante. Para manter essa fascinação, nós temos que manter o respeito. Todos tem a responsabilidade de proteger o esporte. Mas falarei sobre isso amanhã, hoje é um dia festivo".

O 61º Congresso da Fifa é marcado pela eleição presidencial da entidade. Depois de denúncias de possível compra de voto para a Copa do Mundo de 2022, Mohamed Bin Hammam, presidente da Confederação Asiática de Futebol, decidiu retirar sua candidatura. Com isso, Blatter é candidato único.

A Federação Inglesa de Futebol (FA), porém, tenta conseguir o adiamento da eleição. De acordo com o presidente da FA, esta seria uma forma de "dar mais credibilidade ao processo" e faria com que algum candidato alternativo possa concorrer ao pleito.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Paulista vira dúvida no Sport depois de estrear com gol

Artilheiro do Campeonato Pernambucano de 2011, o centroavante Paulista estreou na Série B mostrando personalidade. Autor do gol de empate do Sport no duelo contra o Guarani, o jogador transpareceu muita frieza na finalização depois de receber um belo passe de Bruno Mineiro. Mas o atleta já virou dúvida para a partida desta terça-feira, contra o Grêmio Barueri, depois de levar uma pancada na região do osso ilíaco.

"O prognóstico não é ruim para Paulista não. Vamos ver como é que ele vai evoluir. Está em repouso, mas como são dois dias só, a possibilidade dele jogar é possível. O que atrapalha é a proximidade, mas como é contusão direta, a gente tem uma expectativa um pouco melhor", explica o médico do Sport, Antonio Bezerra.

Empolgado, o jogador garantiu que tem 80% de chances de atuar contra o Barueri. "Senti uma dor forte na primeira pancada e tentei continuar, mas depois da segunda não dava mais. Era uma dor muito forte. Está incomodando, mas o médico falou que é só uma dor chata. Disse que ainda vai incomodar um pouco, mas devo estar apto para jogar já na próxima terça-feira", disse o atacante.

Envolvido na negociação de Ciro com o Fluminense, o meia Willians treinou ontem na Ilha do Retiro e será apresentado na tarde desta segunda-feira à imprensa. "Sou um jogador de velocidade, bastante marcação e espero dar bastante alegria à torcida do Sport e colocar o time no seu devido lugar que é a primeira divisão", disse o novo reforço, em entrevista divulgada no site do Sport. Também serão apresentados os volantes Danilo (que disputou o Carioca pelo Olaria), Rithelly (Goiás) e Moacir (ex-Corinthians).

Domenicali e Alonso discordam sobre chances da Ferrari

Domenicali também apareceu ao lado de Felipe Massa; piloto estava menos sorridente que seu pai. Foto: EFE

Domenicali (à esq.) ainda acredita que Ferrari pode superar a Red Bull

A Ferrari não está descartada da briga pelo título da temporada 2011, mesmo com o domínio da Red Bull. Quem acredita nisso é o chefe da escuderia italiana, Stefano Domenicali, que não vê o time com chances de alcançar os líderes do campeonato neste momento, mas em um futuro próximo, a depender de uma combinação de resultados favoráveis nas próximas provas.

A declaração vai de encontro ao que disse o próprio piloto ferrarista Fernando Alonso, que afirmou após o GP de Mônaco que a distância para o líder do Mundial, Sebastian Vettel, é inalcançável neste momento, entre os dois existe uma diferença de 74 pontos.

"Nós temos que vencer três corridas sem que ele (Vettel) pontue. Acho que neste momento não é possível, porque se você está um segundo atrás em todo treino classificatório, tem que tomar estratégias estranhas, e tem começos de prova diferentes do normal, fica difícil. Então precisamos melhorar o carro prova a prova para conseguir o máximo em cada corrida. Pensar em vitória talvez seja um pouco otimista", afirmou Alonso.

Domenicali, por sua vez, mostrou o otimismo dito pelo piloto espanhol, após o segundo pódio conquistado pela equipe. Para ele, uma boa sequência de sucessos pode, sim, recolocar o time em condições de brigar pelo título.

"É óbvio que existe uma grande diferença, sem dúvida, mas sabemos como as coisas podem mudar rapidamente. Não é fácil, mas se tivermos bons resultados nas próximas duas provas pode fazer isso acontecer, então precisamos nos concentrar e nos esforçar um pouco mais. Mas não há dúvida que eles são fortes. O nosso objetivo é continuar acreditando", afirmou.

Nadal vence Ljubicic e avança às quartas de Roland Garros

 . Foto: EFE

Nadal acena para a torcida após derrotar Ljubicic e passar às quartas de final de Roland Garros

O espanhol Rafael Nadal passou para as quartas de final de Roland Garros. Pentacampeão do Grand Slam francês, Nadal passou com facilidade pelo croata Ivan Ljubicic por 3 sets a 0, com parciais de 7/5, 6/3 e 6/3, e deu mais um passo na luta para conquistar o sexto título no saibro de Paris.

Na próxima rodada, Nadal enfrenta o vencedor do duelo entre o francês Gilles Simon e o sueco Robin Soderling. Vale lembrar que Soderling foi o único tenista a eliminar o espanhol em Roland Garros. Em 2009, o número um do mundo caiu na terceira rodada, perante Soderling, por 3 sets a 1.

Contra Ljubicic, Nadal jogou um tênis consistente e não foi ameaçado pelo adversário ao longo da partida, apesar de ter sofrido um pouco no primeiro set. Em duas horas e 26 minutos de partida, o número 1 do mundo teve um desempenho apenas regular no seu serviço, porém conseguiu mais pontos no fundo de quadra. Ljubicic, apesar de ter conseguido 24 bolas vencedoras, cometeu muitos erros, o que lhe custou a partida.

Com mais esta vitória, Nadal ampliou o retrospecto positivo contra Ljubicic no circuito e agora tem sete vitórias no confronto direto, contra apenas duas do croata.

Em outra partida na manhã desta segunda, o argentino Juan Ignacio Chela derrotou o colombiano Alejandro Falla em batalha de cinco sets. Chela avançou para as quartas de final ao anotar 3 sets a 2, com parciais de 4/6, 6/2, 1/6, 7/6 (7-5) e 6/2. Na próxima rodada, o argentino duela com o vencedor da partida entre o britânico Andy Murray e o sérvio Viktor Troicki.

Construtora promete entregar estádio corintiano em 947 dias

 . Foto: Fernando Borges/Terra

Previsão de entrega das obras é 31 de dezembro de 2013

Corinthians e Odrebecht deverão fazer em aproximadamente mil dias o sonho corintiano de um século: erguer o estádio alvinegro dentro do prazo para a Copa do Mundo de 2014. Engenheiro responsável pelo início das obras em Itaquera nesta segunda-feira, Frederico Barbosa prometeu finalizar as obras em 947 dias, desde que não haja atrasos - principalmente em decorrência da temporada de chuvas, principal "adversária" para a construção da arena.

Desta segunda-feira até 31 de dezembro de 2013, prazo prometido pelo engenheiro representante da Odebrecht, restam 947 dias. Como a expectativa é de que São Paulo receba a abertura da Copa do Mundo, serão aproximadamente 1,1 mil dias até a cerimônia inaugural (o calendário do Mundial de 2014 será definido em julho).

Esses cerca de 200 dias servem como "gordura", em eventuais atrasos. E as chuvas entre outubro e abril de 2011 e 2013 são os maiores empecílios, segundo Barbosa. Contudo, outros fatores externos às obras podem prejudicar - recentemente, por exemplo, o presidente corintiano Andrés Sanchez admitiu estar à procura de parceiros para reduzir os custos do clube.

"Vamos torcer para que não sejam períodos de chuva tão agressivos", disse o engenheiro nesta segunda-feira, depois de iniciar oficialmente as obras na zona leste de São Paulo. "Nesses períodos, daremos prioridade para a construção das peças pré-moldadas (em galpões)", acrescentou Barbosa.

Para conseguir cumprir o prazo de entregar o estádio corintiano até o último dia de 2013, a Odebrecht iniciou os trabalhos com turnos de 9h20 (um expediente de 7h20 diário e mais duas horas extras), de segunda-feira a sábado.

Nesta segunda, a primeira escavadeira para a terraplanagem do terreno em Itaquera foi ligada às 8h15 (de Brasília), e cerca de 20 trabalhadores deram início às obras. Segundo a Odebrecht, neste primeiro momento serão até 150 pessoas em serviço no terreno. Até o final do ano, a previsão é de que este número fique entre 600 e 800 funcionários.

Por enquanto não haverá abertura de novas vagas para a construção do estádio corintiano - apenas funcionários estão sendo remanejados de outras obras da Odebrecht. Tanto Corinthians quanto a construtora anunciarão posteriormente quando darão início à contratação de pessoal. Na última semana, pessoas fizeram filas em Itaquera buscando emprego na construção da nova casa corintiana.

domingo, 29 de maio de 2011

Em GP eletrizante, Vettel vence a 1ª em Mônaco e confirma supremacia

Red Bull vai mal nos boxes, mas Sebastian Vettel consegue vencer prova tumultuada em Mônaco neste domingo e terminar na frente no GP de Monte Carlo .... Foto: Reuters

Vettel conquisstou sua quinta vitória em seis etapas disputadas em 2011

Nem mesmo uma confusão da Red Bull na troca de pneus impediu que Sebastian Vettel vencesse o GP de Mônaco, um dos mais tradicionais e prestigiados da Fórmula 1, pela primeira vez em sua carreira. Neste domingo, o alemão triunfou em uma corrida eletrizante no circuito de rua de Monte Carlo e conquistou sua quinta vitória em seis etapas.

O espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, ficou com a segunda colocação, seguido pelo inglês Jenson Button, da McLaren.

Com o resultado, Vettel chegou a 143 pontos na liderança da temporada. Mais do que isso, neste domingo o alemão deu mais um passo para confirmar a fama de grande piloto, chancela proporcionada por uma vitória no tradicional circuito de rua.

A prova

Conhecida como uma prova de poucas ultrapassagens, a etapa de Mônaco neste domingo contrariou a fama e apresentou várias disputas, ficando marcada por acidentes e troca de acusações entre os pilotos. Lewis Hamilton e Rubens Barrichello, por exemplo, deixaram Michael Schumacher para trás com belas manobras.

Em uma outra disputa, Lewis Hamilton tocou o carro de Felipe Massa, que perdeu a asa dianteira e acabou batendo na parede do túnel, sendo obrigado a abandonar a prova na 34ª volta. O brasileiro acusou o inglês de ser o responsável por sua saída da corrida.

Hamilton, por sua vez, acusou Massa de jogar o carro sobre ele. O inglês, aliás, se envolveu na maioria dos acidentes da prova.

Largada e confusão da Red Bull

Após manter a primeira colocação na largada, Vettel abriu vantagem para seus adversários e só teve seu domínio ameaçado por erro da própria equipe, a Red Bull, que demorou para realizar uma troca de pneus e viu Button assumir a liderança.

Contudo, Vettel aproveitou-se da ida de Button aos boxes e da entrada do safety car (em virtude da batida de Hamilton e Massa) para reassumir a liderança.

Paralisação e vitória de Vettel

Já no final da prova, quando Vettel, Alonso e Button estavam "colados", disputando a primeira colocação, Lewis Hamilton, Vitaly Petrov e Jaime Alguersuary se envolveram em uma batida, provocando bandeira vermelha (que interrompeu a prova para a retirada dos pedaços dos carros acidentados).

A prova ficou paralisada por aproximadamente 20 minutos, e na relargada, apesar de mais um acidente de Hamilton, desta vez com Pastor Maldonado, Vettel confirmou a vitória, seguido por Alonso e Button.

Massa bate dentro de túnel, abandona e culpa Hamilton

  . Foto: AP

Massa bateu no muro dentro do túnel e abandonou a prova

Felipe Massa abandonou o GP de Mônaco de Fórmula 1 na 34ª volta neste domingo. Dentro do túnel do circuito, o piloto da Ferrari ficou do lado sujo da pista, perdeu o controle e bateu no muro. Em seguida, o brasileiro culpou o inglês Lewis Hamilton, da McLaren, por sua saída na prova.

Na 34ª volta, o carro de Massa havia sido tocado por Lewis Hamilton, de quem defendia a décima posição, e Mark Webber dono da nona colocação.

Por conta dos toques com Hamilton e Webber, o brasileiro teve a asa dianteira de sua Ferrari quebrada e não conseguiu fazer a curva dentro do túnel, acertando o guard-rail com força e obrigando o safety car a entrar na pista.

"Ele (Hamilton) me passou onde não dava e acabou encostando em mim e me fez encostar no Webber. Destruiu minha asa dianteira, cheguei no túnel, o carro não virava. Passei reto", disse Massa à TV Globo. "Tudo aconteceu porque ele (Hamilton) tentou passar onde não dava", reclamou.

Hamilton, por sua vez, falou à sua equipe, a McLaren, por meio do rádio, que Massa havia jogado o carro sobre ele de propósito.

Também na 34ª volta, o alemão Michael Schumacher teve problemas com sua Mercedes e foi outro a abandonar a prova.

Atrás de desafios, Guardiola acena deixar Barcelona em um ano

Jogadores do Barcelona festejam com Josep Guardiola e jogam o técnico para o alto após conquista da Liga dos Campeões. Foto: Getty Images

Técnico Josep Guardiola acena com uma possível saída do Barcelona no final da temporada 2011/12

Josep Guardiola preparou uma máquina de títulos. Em três anos no comando do Barcelona são três conquistas do Campeonato Espanhol, duas da Liga dos Campeões e mais diversos troféus erguidos pelo treinador e seus comandados. Porém, apesar de tudo isso, o técnico já acena com uma possível saída da equipe catalã daqui a um ano, no final da temporada 2011/12.

O motivo de Guardiola querer largar Messi, Xavi, Iniesta e companhia é tentar um novo desafio. "Sei que dificilmente conseguirei colocar meu plano de jogo aqui do Barcelona em outro lugar. se você joga esse tipo de futebol, tem que ter esses jogadores. Quando for para outro, vou olhar e pensar falta esse, aquele jogado. Meu futuro vai ser difícil, mas tenho que superar os desafios". Apesar de acenar com uma saída, Guardiola descartou a chance de dirigir a equipe do Chelsea na próxima temporadas, como vem sendo especulado na imprensa inglesa. "Como eu disse ainda tenho um ano de contrato e espero cumpri-lo".

O treinador do Barcelona comentou uma fala de Alex Ferguson após a partida, afirmando que este é o melhor momento vivido pelo futebol espanhol e que ele gostaria ver um técnico permanecer um longo espaço de tempo no comando de uma equipe espanhola. "Na Espanha, ficar 25 anos à frente de um time é impossível. Você sempre tem que se manter no topo. Se você fica, um ano, um ano e meio sem ganhar nada você é demitido", disse Pep.

"Quando você imagina um técnico 25 anos à frente de um time gigante como o Manchester United (como Ferguson está), com jogadores saindo e jogadores entrando é algo inimaginável. O treinador depende não só dele para se manter, depende dos jogadores e de várias outras coisas".

Guardiola comentou ainda que as três temporadas que teve a frente do Barcelona tiveram o mesmo grau de dificuldade. Cada um por sua razão específica. "A primeira pelo desafio de ser a primeira, a de estreia. A segunda por você ter que repetir algo que é impossível superar. Temos vários problemas para superar, por isso tenho que seguir treinando muito para conseguir o melhor do meu time".

Desentrosado, Brasil joga para o gasto e vence em reestreia de Gustavo

Com a volta de Gustavo e problemas de entrosamento, o Brasil venceu Porto Rico pela segunda vez neste sábado, pela Liga Mundial de vôlei masculino. Foto: FIVB/Divulgação

Brasil teve dificuldades, mas venceu Porto Rico pela segunda vez

A Seleção Brasileira masculina de vôlei contou com a reestreia do experiente central Gustavo na noite deste sábado. Ele iniciou como titular no segundo confronto contra Porto Rico, válido pela primeira rodada da fase internacional da Liga Mundial, e com um pouco menos facilidade, os comandados do técnico Bernardinho venceram por 3 sets a 0, em parciais de 25/19, 31/29 e 25/23, em uma hora e 50 de partida.

Bernardinho esteve mais nervoso na segunda partida de sua caminhada rumo ao nono título da Liga Mundial (sem ele, o Brasil venceu a competição apenas mais uma vez). Para colocar o camisa 13 em quadra, o treinador poupou alguns atletas, como Bruninho, Vissotto, Rodrigão e Lucão, e o time sentiu o desentrosamento - tanto que os dois primeiros chegaram a entrar em quadra durante alguns instantes.

Em ritmo de treino, o Brasil conseguiu sua segunda vitória em duas partidas, e volta para o Brasil para disputar a segunda rodada contra a Polônia. A série de partidas será no próximo final de semana, com jogos no sábado (4) e domingo (5) no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ).

O jogo

Gustavo teve atuação discreta em sua reestreia na Seleção, e foi um espelho do time, com pouco ou nenhum brilho, e jogando para o gasto. Escalado no sexteto inicial pela primeira vez desde que se aposentou da Seleção, ele jogou durante todo o primeiro período e converteu o ponto final da parcial finalizada em 25 a 19 para o time visitante, após 24 minutos de bola em jogo e alguns erros tanto do atleta, como da equipe em si.

No segundo set, o time porto-riquenho conseguiu ficar na frente no placar pela primeira vez dentre as duas partidas, ao fazer 2 a 1. Mesmo com as broncas de Bernardinho, Porto Rico conseguiu levar a disputa para 29 a 28 a seu favor, mas o Brasil virou para 31 a 29 e fez 2 a 0 no jogo.

No terceiro set, o Brasil retomou a mão e passou a jogar com maior seriedade que nos sets anteriores. No entanto, não chegou a abrir uma grande vantagem, mantendo de dois a três pontos de diferença como na maior parte da primeira parcial.

Os limitados porto-riquenhos chegaram a empatar em 22 a 22, mas após uma série de erros próprios, o Brasil fez 25 a 23 e fechou o jogo em 3 sets a 0, em uma das mais modestas partidas do time de Bernardinho nos últimos tempos.

Apesar da vitória difícil (ainda que por 3 sets a 0), o Brasil lidera o Grupo A, com duas vitórias em duas partidas. Polônia e Estados Unidos têm uma vitória cada, e Porto Rico é o lanterna, com duas derrotas. A segunda rodada será no próximo final de semana, com os confrontos entre Brasil x Polônia e Estados Unidos x Porto Rico.

Após "jogo horrível", Santos sonha em pegar o Barcelona no Mundial

Pará e Cortês dividem bola em vitória do Botafogo sobre o Santos. Foto: Agência Lance

Segundo Muricy Ramalho, Santos abusou dos chutões durante o jogo

Após a derrota por 1 a 0 para o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro, o Santos esqueceu a competição e passou a sonhar com uma possível vaga no Mundial de Clubes. De acordo com o técnico Muricy Ramalho, o time, que luta por vaga na final da Copa Libertadores, já imagina como seria enfrentar o Barcelona, que neste sábado conquistou a Liga dos Campeões.

"Seria muito bom se isso acontecesse, tomara que Deus nos ajude. É o sonho de todos nós", afirmou o treinador, no Engenhão. Os jogadores do Santos já comentam, entre si, essa possibilidade.

"Estava conversando com isso com o Maikon Leite na concentração. É uma vontade e um desejo de todos nós", afirmou Alex Sandro. Nem mesmo se o Santos vencer a Libertadores Maikon Leite poderá enfrentar o Barcelona, já que tem pré-contrato com o Palmeiras.

O Santos joga na quarta-feira contra o Cerro Porteño, no Paraguai, por uma vaga na final da Copa Libertadores, contra Vélez Sarsfield ou Peñarol. "Será um jogo dificílimo, eles têm um time grande e forte. Mas vamos lá para jogar, ninguém vai se esconder. Esse é o nosso estilo de jogo", apontou Muricy Ramalho, após sua primeira derrota como técnico do Santos.

Após o tropeço, ele criticou muito a atuação da equipe. "Foi um jogo horrível. Não é a desculpa, mas faltou entrosamento. Temos que jogar o nosso melhor futebol. Erramos muitos passes e demos muito "balão". Foi um jogo ruim. Sofri no banco de reservas, imagino o torcedor na arquibancada", afirmou.

sábado, 28 de maio de 2011

Ministro britânico pede suspensão de eleição a presidente da Fifa

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, desembarcou nesta quinta-feira no aeroporto de Doha, para sua primeira visita oficial ao Catar desde que o país .... Foto: Reuters

Candidatos à presidência da Fifa, Bin Hammam e Blatter são acausados de corrupção

O ministro dos Esportes do Reino Unido, Hugh Robertson, pediu a suspensão das eleições a presidente da Fifa devido ao escândalo de corrupção que, segundo ele, transformou a campanha em "uma farsa".

"A campanha para a eleição presidencial se degradou a uma farsa. Com os dois candidatos acusados de corrupção, tudo indica que a eleição deveria ser suspensa", opinou Hugh Robertson, que pediu transparência nos organismos desportivos.

O suíço Joseph Blatter, atual presidente da Fifa e candidato à reeleição, e o catariano Mohammed Bin Hammam, que também concorre ao cargo, terão de dar explicações ao Comitê Ético da entidade neste domingo, apenas três dias antes da eleição, prevista para o dia 1º de junho.

Na última quarta-feira, a Fifa anunciou que seu Comitê Ético havia aberto um procedimento disciplinar para investigar a suspeita de violação do Código Ético por parte do vice-presidente Jack Warner e de Mohammed Bin Hammam.

Dois dias depois, uma denúncia apresentada por Mohammed Bin Hammam, membro do Comitê Executivo da Fifa e rival de Blatter nesta campanha eleitoral, obrigou a abertura de outro procedimento disciplinar, neste caso contra o atual presidente.

Segundo o ministro dos Esportes do Reino Unido, "deve haver uma mudança pelo bem do mundo do futebol" e, para isso, fez uma comparação com o novo regulamento adotado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) após o escândalo de subornos nos Jogos de Inverno de Salt Lake City, em 1999.

"A Fifa precisa urgentemente de uma reforma, igual à que o COI fez após Salt Lake City", advertiu o ministro britânico.

O escândalo de 12 anos atrás veio à tona quando se descobriu que a candidatura de Salt Lake City para os Jogos de Inverno de 2002 tinha destinado US$ 1 milhão em privilégios a membros do COI e suas famílias como favorecimento.

"Não vejo como se vai desenvolver um processo de eleição com ambos os candidatos acusados de corrupção. Seria um processo sem sentido", disse Robertson.< p> "Há um desejo de tentar, trabalhar e mudar a Fifa de dentro. Se a Fifa demonstra que é incapaz de fazer isso, então me atreveria a dizer que todas as opções são possíveis", declarou Robertson à emissora britânica BBC.

Mais maduros, Manchester e Barça revivem final em "jogo da década"

 . Foto: Getty Images

Técnico do Manchester United, Alex Ferguson afirma que partida deste sábado é o "jogo década"

Sir Alex Ferguson, com 25 anos de Manchester United, resumiu muito bem o que será a decisão da Liga dos Campeões deste sábado: "o jogo da década". Dois dos times mais vitoriosos do futebol europeu nas últimas temporadas, Barcelona e Manchester revivem a partir das 15h45 (horário de Brasília), no Estádio Wembley, a decisão da temporada 2008/09.

Na ocasião, a equipe catalã, no primeiro ano de Josep Guardiola em seu comando, venceu por 2 a 0 no Estádio Olímpico de Roma, com gols de Eto'o e Messi. Dois anos se foram, ambas equipes viveram frustrações grandes na temporada passada, com eliminações para Bayern de Munique e Inter de Milão, e o reencontro promete ser imperdível.

"Agora nos conhecemos mais. Em Roma, ganhamos pela euforia do primeiro ano (comigo no comando), mas se agora jogarmos como em 2009 não vamos ganhar. O time cansará rapidamente e será dominado pelo Manchester", disse Guardiola, em entrevista concedida ontem.

O time catalão traz a mesma base de duas temporadas, com duas mudanças substanciais no ataque: as entradas de David Villa e Pedro. Os dois deram maior rapidez para o time do que a dupla formada por Eto'o e Henry.

Com a base da seleção espanhola que ganhou a Copa do Mundo do ano passado, o time ainda tem o toque extra do melhor do mundo Lionel Messi. Mais experiente do que há dois anos, o argentino sabe da importância de conquistar mais um título da Liga dos Campeões. Colocaria definitivamente o time na galeria dos maiores vitoriosos da história.

Para o duelo deste sábado, Guardiola tem apenas uma dúvida no setor defensivo. O treinador não sabe se escala Mascherano no miolo de zaga ou promove a entrada de Abidal, tirando Puyol do lado esquerdo. "Os dois estão preparados. Vou decidir quem começa jogando".

Do lado do Manchester, a base também é semelhante a que viveu uma frustração dois anos antes. Um dos times mais consistentes do futebol europeu na última década, a equipe de Alex Ferguson chega mais calejada que em Roma para enfrentar o time do Barcelona.

"Nos preparamos muito para este jogo. Tenho certeza que tudo o que eu podia fazer para deixar meus jogadores prontos, eu fiz". Ferguson que rasgou elogios para o rival disse que Barcelona e Manchester são as duas equipes que melhor vem se portando nos últimos anos dentro do futebol europeu. "O atrativo de um jogo entre times com grandes histórias como esses é óbvio. Podemos ter muitos gols, emoção e surpresas até o final".

Com relação ao time de 2009, a mudança mais substancial se dá também no setor ofensivo. A equipe, que contava com o badalado Cristiano Ronaldo, viu o jovem Chicharito Hernández ocupar o seu lugar. Tido por muitos como a melhor contratação da temporada na Europa, o mexicano deu um ar de jovialidade e um jogo mais veloz ao time inglês.

Outro jovem que parece agradar o experiente treinador é Fábio. Depois da contusão do seu irmão gêmeo Rafael, o lateral dominou o lado direito da equipe de Ferguson e deve ser o único brasileiro a começar a partida pelo lado do Manchester.

Barcelona x Manchester United
Horário: 15h45 (horário de Brasília)
Local: Estádio Wembley, em Londres
Árbitro: Viktor Kassai (HUN)

Barcelona: Victor Valdés, Daniel Alves, Piqué, Mascherano (Abidal) e Puyol; Busquets, Xavi e Iniesta; Pedro, Villa e Messi
Técnico: Josep Guardiola

Manchester United: Van der Sar, Fábio, Rio Ferdinand, Vidic e Evra; Carrick, Giggs, Valencia e Park; Chicharito e Rooney
Técnico: Alex Ferguson

Nadal despacha zebra croata e chega às oitavas em Paris

Rafael Nadal evita zebra e despacha quali croata algoz de Nikolay Davydenko para ir às oitavas de final de Roland Garros. Foto: AP

Rafael Nadal superou algoz de Davydenko e avançou no torneio

O espanhol Rafael Nadal chegou às oitavas de final de Roland Garros sem grandes problemas. O atual líder do ranking confirmou o favoritismo diante do croata Antonio Veic e deixou a quadra com a classificação garantida com um triunfo por 3 sets a 0, parciais de 6/1, 6/3 e 6/0, e agora aguarda seu próximo adversário no segundo Grand Slam da temporada.

Dono de cinco títulos do Aberto da França, Nadal evitou que Veic continuasse surpreendendo no saibro parisiense. O croata, oriundo do qualifying, conseguiu chegar até a terceira rodada ao derrotar o uruguaio Pablo Cuevas na estreia por 3 sets a 1 e, na fase seguinte, conseguiu despachar o russo ex-top 5 e cabeça de chave 28, Nikolay Davydenko, em cinco sets.

Depois de superar Veic, 23 anos e atual número 227 do ranking da ATP, Nadal fica de olho em outro confronto envolvendo um espanhol e um croata para ter definido seu próximo adversário em Roland Garros. O espanhol número 1 do mundo pegará o vencedor da partida entre o compatriota Fernando Verdasco e Ivan Ljubicic. Eles se enfrentarão ainda neste sábado.

O triunfo sobre o quali croata, aliás, foi o décimo consecutivo de Nadal no saibro da capital francesa. Vencedor da edição 2010 da competição, o espanhol perdeu pela última (e única) vez em Roland Garros nas oitavas de final de 2009, quando foi despachado pelo sueco Robin Soderling por 3 sets a 1. No total, o tenista de Manacor, cidade de Mallorca, tem em Roland Garros 42 partidas disputadas em sete edições.

Barueri reestreia em casa, vira e vence duelo paulista com Bragantino

 . Foto: Marcos Bezerra/Futura Press

Alex Lima marcou o primeiro do Barueri, mas quase complicou a equipe ao ser expulso no fim

O Barueri comemorou com uma vitória suada o retorno à cidade da região metropolitana de São Paulo. Depois de ter atuado como Grêmio Prudente, pela cidade de Presidente Prudente, entre 2010 e o início deste ano, a equipe conseguiu derrotar o Bragantino nesta sexta-feira por 3 a 2, de virada, deixando o gramado da Arena Barueri com os primeiros na Série B do Campeonato Brasileiro.

Derrotado na estreia para o Goiás, no Serra Dourada, o Barueri conquistou nesta segunda rodada sua primeira vitória na segunda divisão nacional. Já o Bragantino, que apenas havia empatado por 1 a 1 em Bragança Paulista com o ABC de Natal, segue em mau momento na busca por uma vaga na elite do Brasileiro.

Quem saiu na frente do placar nesta sexta-feira, porém, foi o Bragantino. O time visitante na Arena Barueri aos 20min do primeiro tempo, com um chute cruzado do atacante Bruno Iotti, após receber bom passe de Paulo Roberto.

A reação dos baruerienses veio apenas na segunda etapa. O empate saiu somente em uma jogada de bola parada, quando aos 9min o zagueiro Alex Lima subiu mais que a defesa adversária e cabeceou para as redes após jogada de escanteio.

O gol do zagueiro e a igualdade no marcador motivaram o Barueri, que foi para cima e chegou à virada. Um minuto depois de o lateral Alex Maranhão acertar a trave do goleiro Gilvan, o atacante Pedrão serviu o companheiro Eraldo, que colocou o 2 a 1 no placar aos 23min.

Jogador que se destacou com a camisa do Barueri antes da mudança a Presidente Prudente, Pedrão também deixou a sua marca na Arena nesta sexta-feira. O artilheiro ampliou a vantagem com um gol aos 31min, em belo chute de fora da área.

O Bragantino chegou a ganhar ânimo aos 34min, depois de Alex Lima ser expulso de campo. Um minuto depois, os visitantes descontaram com o zagueiro Junior Lopes. Antes do apito final, Junior Quixadá chegou a acertar a trave do Barueri, que conseguiu se segurar até o apito final.

As duas equipes paulistas voltam a campo já nesta terça-feira, pela terceira rodada da Série B. O Barueri deixa São Paulo e parte a Pernambuco, onde medirá forças com o Sport na Ilha do Retiro, às 21h (de Brasília). No mesmo horário, mas no Estádio Nabi Abi Chedid, o Bragantino desafia o São Caetano.

Vettel conquista 5ª pole no ano; Massa larga em sexto

Em Monaco, alemão Sebastian Vettel conquista sua quinta pole position em seis corridas na temporada da Fórmula 1. Foto: Reuters

Sebastian Vettel fez sua quinta pole em seis corridas

Em um treino marcado pelo grave acidente do mexicano Sergio Perez, da Sauber, neste sábado, o alemão Sebastian Vettel cravou 1min13s556, desbancou Fernando Alonso, que vinha dominando os treinos livres, e conquistou a pole position para o GP de Mônaco de Fórmula 1, sua quinta em seis corridas na temporada.

Jenson Button, da McLaren, ficou com a segunda colocação (1min13s997), seguido por Mark Webber (1min14s019), da Red Bull. Já Fernando Alonso, da Ferrari, não repetiu o bom desempenho dos treinos livres e largará apenas na quarta colocação.

Companheiro de equipe de Alonso, o brasileiro Felipe Massa largará da sexta posição, uma atrás de Michael Schumacher, da Mercedes.

O treino classificatório deste sábado foi interrompido por aproximandamente 40 minutos em virtude de uma forte batida de Sergio Perez. Faltando pouco mais de dois minutos para a definição do grid, ao sair do túnel, o mexicano perdeu o controle de sua Sauber e bateu em duas proteções.

Sergio Perez ficou desacordado e, após ser atendido ainda na pista, foi levado para um hospital. Segundo a Sauber, o piloto deixou o circuito consciente e reclamando de dores na perna.

Quando os carros voltaram à pista, Vettel confirmou a boa fase e conquistou mais uma pole. Já o inglês Lewis Hamilton, da McLaren, acabou prejudicado pela interrupção.

O treino foi interrompido quando ele partia para sua primeira volta rápida e teve que retornar aos boxes. Quando as atividades foram retomadas, ele marcou apenas o sétimo tempo

O brasileiro Rubens Barrichello largará da 12ª colocação em Mônaco. Neste sábado, ele marcou o tempo de 1min15s826 no treino classificatório e foi eliminado no Q2.

Confira o grid de largada para o GP de Mônaco

1. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull): 1min13s556
2. Jenson Button (INGL/McLaren): 1min13s997
3. Mark Weber (AUS/Red Bull): 1min14s019
4. Fernando Alonso (ESP/Ferrari): 1min14s483
5. Michael Schumacher (ALE/Mercedes): 1min14s682
6. Felipe Massa (BRA/Ferrari): 1min14s877
7. Lewis Hamilton (INGL/McLaren): 1min15s280
8. Nico Rosberg (ALE/Mercedes): 1min15s766
9. Pastor Maldonado (VEN/Williams): 1min16s528
10. Sergio Pérez (MEX/Sauber): sem tempo
11. Vitaly Petrov (RUS/Lotus-Renault): 1min15s815
12. Rubens Barrichello (BRA/Williams): 1min15s826
13. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari): 1min15s973
14. Paul di Resta (ESC/Force India): 1min16s118
15. Adrian Sutil (ALE/Force India): 1min16s121
16. Nick Heidfeld (ALE/Lotus-Renault): 1min16s214
17. Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso): 1min16s300
18. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus): 1min17s343
19. Jarno Trulli (ITA/Lotus): 1min17s381
20. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso): 1min17s820
21. Timo Glock (ALE/Virgin): 1min17s914
22. Jerome d'Ambrosio (BEL/Virgin): 1min18s736
23. Narain Karthikeyan (IND/Hispania): sem tempo
24. Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania): sem tempo

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Conheça os rivais que tentarão impedir soberania do Brasil na Liga

Dante (ponteiro) - São vários anos de Seleção e uma regularidade de impressionar. É quase insubstituível no time titular e um dos principais .... Foto: FIVB/Divulgação

Seleção Brasileira busca seu décimo título da Liga Mundial

Na luta por seu décimo título da Liga Mundial, o que tornaria a Seleção Brasileira soberana no torneio com duas conquistas a mais que a Itália, o elenco do técnico Bernardinho chega ao torneio como a equipe a ser batida pelos rivais. Conheça abaixo os principais adversários que prometem ser grandes obstáculos para o time verde e amarelo:

Rússia - Liderado pelo capitão Taras Khtei, o time conta com o atacante Mikhaylov, principal pontuador da Liga Mundial do ano passado, e com o gigante Dmitriy Muserskiy, 2,18m. Atual vice-campeão da Liga Mundial, promete ser um dos times a dar mais trabalho para o grupo de Bernardinho.

Polônia - Sede da fase final, a equipe polonesa promete ser a mais complicada da chave do Brasil. As atenções do país estão voltadas para o vôlei, já que além da Liga deste ano, a Polônia será a casa do Mundial de 2014. Com a experiência do capitão Piotr Gruszka, o país acertou a chegada do técnico Andrea Anastasi, quarto colocado com a Itália no último mundial.

Sérvia - Mesmo sem a presença de dois dos seus principais nomes na última década, o levantador Nikola Grbic e Iván Miljkovic, um dos maiores pontuadores do time, os sérvios prometem dar trabalho nesta edição da Liga Mundial, principalmente graças aos grandalhões centrais Dragan Stankovic, de 2,05m, e Marko Podrascanin, de 2,04m.

Estados Unidos - Outro adversário que pode complicar a vida da Seleção Brasileira na primeira fase. Os americanos ainda sentem falta de um substituto para o levantador Ball, que largou a seleção após o título olímpico de 2008. Sem ele, quem segue comandando o time são Priddy e Stanley.

Itália - Com a chegada do técnico Mauro Berruto e uma equipe renovada com relação ao que se viu no último Mundial, no qual jogou em casa, a seleção italiana apresentará uma nova safra na Liga. Jogadores experientes como Fei, Mastrangelo e Vermiglio são ausências na lista, o que mostra um novo momento no voleibol italiano.

Cuba - Com um time ainda jovem, mas bem mais amadurecido após o vice-campeonato mundial em 2010, a equipe de Cuba pode ser uma pedra no sapato do time de Bernardinho. Os cubanos chegam para disputar a Liga com uma polêmica: as ausências do meio de rede Simón, capitão e maior bloqueador do último Mundial, do ponteiro Yoandy Leal e do levantador Raydel Hierrezuelo. A suspeita é de que os três foram afastados porque tinham um plano de fuga para deixar a ilha. A Federação Cubana nega. O capitão da equipe será o jovem León, principal peça do time.

Bulgária - Depois da polêmica partida no Mundial de 2010, na qual o Brasil foi acusado de entregar o jogo ao entrar em quadra com o oposto Théo como levantador, a rivalidade entre as duas equipes promete ser acirrada em um possível confronto na Liga Mundial. Na ocasião, o capitão búlgaro Vladimir Nikolov ironizou a derrota brasileira dizendo que a Seleção estava com medo da "pequena Cuba". A declaração irritou os jogadores brasileiros, em especial, o capitão Giba, que participou da mesma entrevista de Nikolov.

Fifa exclui São Paulo e Natal da Copa das Confederações

 . Foto: AFP

Jérôme Valcke comandou a reunião que excluiu São Paulo e Natal da Copa das Confederações

A Fifa anunciou oficialmente a exclusão das cidades de São Paulo e Natal da Copa das Confederações, que acontecerá no Brasil em 2013. A informação foi divulgada no mesmo comunicado que definiu o Rio de Janeiro como sede do Centro Internacional de Transmissão da Copa 2014.

"Foi determinado na reunião que apenas cidades com previsão de conclusão das obras nos estádios até o início de 2013 serão consideradas para sediar partidas da Copa das Confederações da Fifa", divulgou o Conselho de Administração do Comitê Organizador Local (COL) da Copa 2014. Como as capitais paulista e potiguar não terão seus estádios concluídos no prazo determinado, as cidades acabaram excluídas da competição.

O COL recebeu relatórios sobre diversas áreas operacionais na organização das cidades-sedes, incluindo detalhes da construção e melhoria dos estádios, e considerou que "a maioria das atividades (está) no rumo certo".

A Fifa ainda informou que as questões sobre operação de aeroportos e infraestrutura de transportes estão sendo tratadas com as autoridades brasileiras. "É crucial que todos os locais que sediarão a Copa do Mundo da Fifa tenham infraestrutura adequada, que atenda aos milhares de espectadores e possibilite que eles se movimentem pela cidade para irem a um jogo. Se esse não for o caso, não poderemos sediar jogos nessas cidades", enfatizou o Secretário Geral da Fifa, Jérôme Valcke, durante a reunião do COL.

Federer vence com facilidade e vai às oitavas na França

Roger Federer venceu o sérvio Janko Tipsarevic e está classificado para as oitavas de final de Roland Garros pelo sétimo ano consecutivo. Foto: Getty Images

Gal - Federer x Tipsarevic roland garros REPRE

Disputar Roland Garros livre de pressão pode ser mesmo a chave da vitória para Roger Federer. Na manhã desta sexta-feira ele enfrentou o sérvio Janko Tipsarevic, e deu mais um show de habilidade ao vencer por 3 sets a 0, em parciais de 6/1, 6/4 e 6/3, após uma hora e 30 minutos de jogo.

Federer mostrou um estilo bastante agressivo e concentrado, e mostrou a que veio logo no primeiro set, quando anotou dois aces e promoveu duas quebras de saque. Imbatível, ele acertou incríveis 11 de 12 pontos de primeiro serviço e 12 bolas vencedoras, fechando o set perdendo apenas um game, em apenas 19 minutos de bola rolando.

No segundo set, o suíço não deixou a agressividade de lado, mas deu margem a uma leve reação do sérvio, cabeça de chave número 29 do torneio. Tipsarevic chegou a fazer 3 a 2 a seu favor no set, mas Federer acordou e imprimiu novamente seu ritmo forte para o jogo, conseguindo quatro aces e fechando a parcial em 6/4.

No terceiro set, o terceiro melhor do mundo foi mais tranquilo, mas manteve o bom nível de seu jogo. Subindo bastante à rede, ele converteu rapidamente os seus pontos, mas também viu o adversário forçar sua corrida em algumas bolas, promovendo muitos erros em devolução e em lances não-forçados. Mesmo assim, perdeu apenas três games e quebrou o saque do rival pela quinta vez no jogo para confirmar a vitória por 3 sets a 0.

Na próxima fase, as oitavas de final, Federer irá enfrentar o vencedor do confronto entre o também suíço Stanislas Wawrinka e o francês Jo-Wilfried Tsonga, um dos maiores ídolos locais na disputa do segundo Grand Slam do ano.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Capitão com Magnano, Huertas define ida a Londres como obrigação

 . Foto: Reuters

Huertas quer classificação para Olimpíada

Nenhum brasileiro saiu do Mundial do ano passado com mais crédito do que o armador Marcelinho Huertas. Mesmo em meio aos compatriotas da NBA, o atleta do Caja Laboral Baskonia, da Espanha, conduziu a seleção nacional às oitavas de final. Capitão do técnico Rubén Magnano, Huertas define a classificação aos Jogos Olímpicos de Londres 2012 como obrigatória.

O Brasil, dono de três medalhas de bronze olímpicas (1948, 1960 e 1964), não participa do evento desde 1996, em Atlanta. Apesar do retrospecto desfavorável, Marcelinho confia na presença, porém alerta sobre possíveis contratempos. Como não conseguiu a vaga via Mundial, a equipe brasileira pleiteará uma das duas credenciais dadas pelo Pré Olímpico, que será realizado na cidade argentina de Mar Del Plata e terá início no dia 30 de agosto.

"Temos que classificar e ponto. O time está bem montado e temos chances de voltar às Olimpíadas depois de tanto tempo. Infelizmente, sempre temos alguns problemas de desfalques e isso complica um pouco. Além disso, tem essa questão da greve na NBA que a gente não sabe o que vai acontecer, né? Mesmo assim, o Brasil tem que conseguir a vaga", projetou Huertas.

Devido ao impasse entre os sindicatos dos jogadores e os proprietários das franquias norte-americanas em relação ao teto salarial das próximas temporadas, a seleção brasileira pode ficar sem seus figurões da NBA. Somando-se à possível greve patronal (e, nesse caso, a CBB não teria como bancar o seguro dos atletas), as condições físicas do pivô Anderson Varejão, em recuperação de uma cirurgia no tornozelo direito, e Leandrinho, que cogita uma intervenção no punho direito, também preocupam o argentino Rubén Magnano. Por fim, Nenê Hilário, atualmente no Denver Nuggets, tem seu futuro incerto nos Estados Unidos e pode novamente ser ausência.

Dúvidas à parte, Marcelinho se apega ao desempenho no último Mundial para alimentar suas esperanças. Na primeira fase, o Brasil derrotou Irã, Tunísia e Croácia e perdeu para os Estados Unidos e Eslovênia. Nas oitavas, foi eliminado pela Argentina ao perder por 93 a 89, encerrando assim na nona posição. Contra os hermanos, o armador Huertas anotou incríveis 32 pontos.

"O Brasil foi bem no Mundial, mas poderia ter ido bem melhor. Pelo nosso potencial, nossa meta era chegar à semi. Mas tivemos a infelicidade de pegar uma Argentina, com um Scola inspirado", afirmou.

Para Huertas - que terminou o Mundial como o vice-líder nas assistências, com uma média de 5,8 por jogo -, outro trunfo do Brasil é o treinador Rubén Magnano, campeão olímpico em Atenas-2004 à frente da seleção de seu país.

"Ele é um técnico que tem o time nas mãos. Ele não se importa com qual jogador é, onde joga, ele trata todos do mesmo jeito. Ele sabe cobrar, tirar o que cada um tem de melhor. E, além da experiência e dos títulos, tem um conhecimento de jogo superior à grande maioria", enalteceu.

Desfalcado ou não, o Brasil enfrentará na primeira fase do Pré-Olímpico Canadá, República Dominicana, Venezuela e Cuba. Caso não chegue à final, a seleção poderá ratificar presença em Londres no Pré-Olímpico Mundial, mas, para isso, precisa ficar entre terceiro e quinto.

Por "proposta irrecusável" do Brasil, Renato deixará o Sevilla

Brasileiro Renato vibra com o excelente começo de campeonato do time. Foto: EFE

Brasileiro Renato (dir) está no Sevilla desde 2004

Jogador estrangeiro que mais vezes vestiu a camisa do Sevilla, o volante brasileiro Renato está de saída do clube espanhol. De acordo com o diário Marca, o campeão brasileiro pelo Santos em 2002 vai rescindir seu contrato com a equipe andaluz para voltar ao Brasil, onde firmará um contrato de três temporadas com um clube ainda não divulgado.

Apesar de o jogador de 32 anos ser um dos ídolos do Sevilla, os diretores do clube espanhol não colocarão obstáculos para sua saída. De acordo com a publicação, a proposta da equipe brasileira foi "irrecusável" para o atleta.

Renato é parte da geração que venceu seis títulos com a camisa do Sevilla: duas Copas da Uefa, duas Copas do Rei, uma Supercopa da Uefa e uma Supercopa da Espanha. Ele seguirá jogadores como Luís Fabiano e o sérvio Dragutinovic, que também deixaram o time espanhol após temporadas de sucesso.

Renan pode deixar o Avaí para defender o Benfica

Renan (goleiro): Avaí. Foto: Getty Images

Renan é desejado por diversos clubes e não deve permanecer no Avaí

Destaque na equipe do Avaí na temporada e convocado recentemente pelo técnico Mano Menezes para defender a Seleção Brasileira, o goleiro Renan começa a despertar interesse em clubes do futebol europeu. Nesta quinta-feira, a imprensa portuguesa desta que o Benfica já entrou em contato com a diretoria do clube catarinense e pode fechar a negociação logo na abertura da janela de transferências, após o término da Copa do Brasil.

"Existe o interesse, que foi manifestado devido ao desempenho do goleiro até então. Ainda não é concreto, mas aquilo que sabemos é que existe o interesse do Benfica", explicou o diretor de futebol Mauro Galvão, em entrevista à rádio Renascença.

Com contrato com o Avaí até 2012, o jovem Renan, que já foi sondado por outras equipes, inclusive do futebol brasileiro, como o Corinthians e São Paulo, teria recebido uma proposta de 1,5 milhão de euros, cerca de R$3,5 milhões, do clube português. "Acho que é uma boa proposta, mas ainda não temos nada de concreto", disse Mauro Galvão.

Eliminado da Copa do Brasil na noite da última quarta-feira, ao ser derrotado por 2 a 0 pelo Vasco, em pleno estádio da Ressacada, o Avaí agora volta suas atenções no Campeonato Brasileiro. A equipe catarinense, comandada pelo técnico Silas, se prepara para encarar o Atlético-MG, neste sábado, após ser derrotado na estreia pelo Flamengo por 4 a 0.

Com pneus supermacios, Alonso crava melhor tempo do dia

 . Foto: Getty Images

Alonso faz melhor tempo do dia e demonstra evolução da Ferrari para GP de Mônaco

A Ferrari demonstrou que pode se aproximar da rival Red Bull durante o GP de Mônaco deste fim de semana. Depois de conseguir o segundo e o quarto melhores tempos nos treinos livres da manhã desta quinta-feira, a segunda sessão foi liderada pelo espanhol Fernando Alonso, com 1min15s123. A volta também foi o melhor tempo do dia.

Alonso liderou a maior parte do treino. Na primeira metade da sessão, ainda com pneus macios, o piloto da Ferrari derrubou a melhor volta da manhã, com 1min16s408, tempo que durou até 43 minutos do final.

Daí em diante, a maioria dos pilotos foi à pista com os pneus supermacios, de maior desgaste, mas com melhor desempenho. A mudança derrubou em mais de 1s5 o tempo em relação às voltas da manhã. Nesta parte, o alemão Sebastian Vettel chegou a fazer a melhor volta duas vezes, mas logo foi superado por Alonso, a 40min do fim, tempo que não foi mais batido.

O brasileiro Felipe Massa também conseguiu reduzir significativamente o tempo de volta com a mudança dos pneus, mas não teve desempenho tão bom e acabou ficando em sexto.

O inglês Lewis Hamilton foi o segundo, e Nico Rosberg o terceiro. Depois de liderar os treinos da manhã, o líder do Mundial, Vettel, conseguiu apenas o quinto melhor tempo do dia. O brasileiro Rubens Barrichello, da Williams, obteve o 13º tempo.

Tradicionalmente, não há treinos durante a sexta para o GP de Mônaco. A última sessão de atividades livres acontece às 6h (de Brasília) do sábado. Já a classificação para a prova será às 9h (de Brasília) do mesmo dia.

Confira os melhores tempos do 1º dia de treinos para o GP de Mônaco

1. Fernando Alonso (ESP/Ferrari): 1m15s123
2. Lewis Hamilton (ING/McLaren): 1m15s228
3. Nico Rosberg (ALE/Mercedes): 1m15s321
4. Jenson Button (ING/McLaren): 1m15s448
5. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull): 1m15s667
6. Felipe Massa (BRA/Ferrari): 1m15s781
7. Michael Schumacher (ALE/Mercedes): 1m16s356
8. Mark Webber (AUS/Red Bull): 1m16s642
9. Adrian Sutil (ALE/Force India): 1m17s101
10. Nick Heidfeld (ALE/Lotus Renault): 1m17s126
11. Vitaly Petrov (RUS/Lotus Renault): 1m17s337
12. Sergio Pérez (MEX/Sauber): 1m17s541
13. Rubens Barrichello (BRA/Williams): 1m17s570
14. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso): 1m17s581
15. Pastor Maldonado (VEN/Williams): 1m17s633
16. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber): 1m17s706
17. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso): 1m17s789
18. Heikki Kovalainen (FIN/Team Lotus): 1m18s266
19. Jarno Trulli (ITA/Team Lotus): 1m18s490
20. Paul di Resta (ING/Force India): 1m19s053
21. Jerome D'Ambrosio (BEL/Virgin Racing): 1m19s185
22. Timo Glock (ALE/Virgin Racing): 1m19s338
23. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso): 1min19s463
24. Narain Karthikeyan (IND/Hispania): 1m22s066
25. Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania): 1min22s840

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Scheidt/Prada lidera classificação de competição na Holanda

 . Foto: Thomas Scheidt/Divulgação

Scheidt e Prada lideram competição na Holanda

Robert Scheidt e Bruno Prada estrearam com um terceiro e um primeiro lugares nesta terça-feira, primeiro dia de disputas da Delta Lloyd Regatta, em Medemblik, na Holanda. Com os resultados, os brasileiros lideram a classificação geral, com quatro pontos perdidos. Os vice-líderes são os ingleses Iain Percy e Andrew Simpson, com 5 pontos perdidos.

A competição em Medemblik faz parte da programação da dupla para 2011, ano pré-olímpico, que vai culminar no Mundial de Perth, em dezembro, na Austrália, quando Scheidt e Prada vão lutar para levar a classe Star do Brasil aos Jogos de Londres, em 2012 - 11 vagas estarão em disputa na Austrália.

A Delta Lloyd Regatta também é uma das etapas da Copa do Mundo de Vela da Federação Internacional de Vela (Isaf). Líderes do ranking mundial da Star (4.589 pontos), Scheidt e Prada também ocupam o topo da classificação da Copa do Mundo, com 53 pontos.

O vento muito forte em Medemblik, acima dos 30 nós (mais de 55 km/h), retardou as regatas da Star. Mesmo assim, quando a disputa teve início, ainda soprava a cerca de 20 nós (37 km/h). Scheidt e Prada, que gostam de velejar com ventos fortes, saíram da água cansados pela longa espera, mas satisfeitos com o desempenho e as condições da velejada.

"Foi um dia de ventos fortes e rondados", afirmou Scheidt. "Tivemos uma primeira regata difícil. Fomos penalizados com uma bandeira amarela logo no primeiro popa da primeira regata, mas conseguimos nos recuperar e terminar em terceiro lugar". Prada disse que a dupla largou melhor na segunda regata. "A partir daí, lideramos de ponta a ponta. Medemblik está sendo um teste muito bom com o inglês (Iain Percy), atual campeão olímpico".

A Delta Lloyd Regatta prevê a disputa de dez provas na fase classificatória, mais a Medal Race, no sábado (28/5). Com três regatas completadas, a competição será considerada válida. Quando cinco ou mais provas da fase classificatória forem completadas, os velejadores terão direito ao descarte do pior resultado. A Medal Race, para os dez primeiros colocados na fase de classificação, tem pontuação dobrada, que não pode ser descartada.

Classificação geral após duas regatas:

1. Robert Scheidt e Bruno Prada, Brasil, 4 pontos perdidos
2. Iain Percy e Andrew Simpson, Inglaterra, 5 pontos perdidos (1+4)
3. Richard Clarke e Tyler Bjorn, Canadá, 7 pontos perdidos (5+2)
4. Robert Stanjeh e Frithjof Kleen, Alemanha, 8 pontos perdidos (2+6)
5. Peter O'Leary e David Burrows, Irlanda, 11 pontos perdidos (6+5)

FIA define área para uso da asa móvel no GP de Mônaco

Inglês Lewis Hamilton chega na quinta colocação em Mônaco, a 4s363 atrás do campeçao Webber. Foto: EFE

Durante a prova, asa móvel poderá ser usada na reta de chegada

Após ser pressionada e ter acatado o pedido dos pilotos para a proibição da asa móvel traseira no túnel do Grande Prêmio de Mônaco a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) divulgou nesta quarta-feira a nova área de ultrapassagem para a prova deste fim de semana, localizada na reta dos boxes.

Assim como na Espanha, o dispositivo da asa traseira poderá ser ativado depois da última curva. A cronometragem, por sua vez, será feita antes de penúltima. A linha de chegada, portanto, deverá ser um ponto importante de ultrapassagem neste final de semana.

Para usar a recurso, que aumenta a aceleração do carro, o piloto deve estar pelo menos a um segundo de diferença atrás de seu competidor quando passar pela zona responsável por medir os tempos. Nos treinos livres, os pilotos poderão ativá-lo durante todo o circuito, exceto na altura do túnel, considerada perigosa pelos próprios competidores.

As atividades no circuito de rua de Monte Carlo começam nesta quinta-feira, com uma folga na sexta e retorno no sábado, já para os treinos classificatórios. A corrida está marcada para às 9h (de Brasília) do domingo.

Wozniacki derrota "xará" e avança em Roland Garros

 . Foto: Reuters

Na próxima rodada, Wozniacki (foto) enfrenta a vencedora do jogo entre a Errani e Hantuchova

No duelo entre a número um Caroline Wozniacki e a canadense Aleksandra Wozniak, 162 do mundo, se deu melhor a melhor tenista do ranking da WTA. A dinamarquesa teve problemas no segundo set, mas conseguiu evitar a terceira parcial e fechou a partida desta quarta-feira por 6/3 e 7/6 (8-6), pela segunda rodada do torneio de Roland Garros.

Na próxima rodada em Paris, Wozniacki vai enfrentar a vencedora do confronto entre a italiana Sara Errani e a eslovaca Daniela Hantuchova.

Ainda nesta quarta, a australiana Samantha Stosur confirmou o favoritismo com sobra ao bater a romena Simona Halep por 6/0 e 6/2, com direito a "pneu" (set vencido sem perder games). A adversária no saibro parisiense é a argentina Gisela Dulko, que passou pela búlgara Tsvetana Pironkova, por 6/4 e 6/2.

Também durante a manhã, a alemã Julia Goerges, que não tem muita experiência jogando Grand Slam na carreira, derrotou a checa Lucie Safarova, de virada, com parciais de 2/6, 7/5 e 6/2, e aguarda a vencedora do jogo entre a local Marion Bartoli e bielorrussa Olga Govortsova.

Fifa lança nova investigação sobre alegações de corrupção

No dia da primeria visita oficial de Blatter ao Catar desde o anúncio da escolha, a Fifa admitiu, por meio de seu secretário-geral, Jérome Valcke, que .... Foto: Reuters

Bin Hammam, que disputa a eleição da Fifa com Joseph Blatter, terá que se explicar ao Comitê de Ética da Fifa

A Fifa, entidade que coordena o futebol mundial, anunciou nesta quarta-feira a abertura de uma investigação sobre acusações de suborno envolvendo quatro membros. Entre os investigados estão Mohammed bin Hammam, presidente da Confederação Asiática de Futebol e candidato à presidência da Fifa, e Jack Warner, presidente da Concacaf (Confederação de Futebol da América do Norte e do Caribe) e vice-presidente da Fifa.

As acusações foram feitas pelo secretário-geral da Concacaf, Chuck Blazer, que também é membro do comitê executivo da Fifa. O dirigente alegou que o código de ética da entidade foi violado durante reuniões aparentemente organizada por Bin Hammam e por Warner. Os outros dois investigados são Debbie Minguell e Jason Sylvester, da União Caribenha de Futebol.

As reuniões, realizadas nos dias 10 e 11 de maio, teriam relação com a eleição para a presidência da Fifa, marcada para o próximo dia 1º de junho.

Os quatro membros acusados por Blazer foram convocados para prestar declarações à comissão de ética da entidade no dia 29 de maio. A Fifa ainda anunciou que o presidente da comissão, Claudio Sulser, não participará da audiência por ter nacionalidade suíça, a mesma de Blatter.

O vice-presidente da comissão, Petrus Damaseb, da Namíbia, encabeçará a audiência em seu lugar.

O comunicado divulgado nesta quarta-feira afirma que "nenhum outro comentário será feito pela Fifa até segunda ordem".

A investigação anunciada nesta quarta não tem relação com a recente acusação feita pelo ex-presidente da Associação Inglesa de futebol, David Triesman, de que teria recebido pedidos de suborno de quatro membros do comitê executivo em troca de apoio para a candidatura da Inglaterra como sede da Copa de 2018. A Rússia foi escolhida como sede desta Copa.

Jack Warner era um dos acusados por Triesman, ao lado do presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Ricardo Teixeira, do presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol, Nicolás Leoz, e do presidente da federação da Tailândia, Worawi Makudi. Os quatro negam as acusações.

A Fifa enfrenta uma série de denúncias de corrupção. Uma delas envolve o brasileiro João Havelange, ex-presidente da entidade, e Ricardo Teixeira, presidente da CBF, acusados de receberem suborno da empresa International Sports & Leisure (ISL).

terça-feira, 24 de maio de 2011

Juliana Veloso mira 2012 e rebate críticos: "pensam que eu já era"

Melhor brasileira dos saltos ornamentais, Juliana Veloso ainda acredita em bons resultados e sonha com medalha olímpica aos 30 anos. Foto: Fluminense/Divulgação

Juliana Veloso ainda sonha com vaga para Londres 2012

A consolidação como maior atleta brasileira dos saltos ornamentais, os 30 anos de idade e o filho Pedro, nascido em 2009, não tiraram a gana de Juliana Veloso pelo sonho de uma medalha inédita para o Brasil. Em meio aos treinos para o Mundial de Xangai (de 16 e 31 de julho), onde ela espera conquistar o índice para os Jogos Olímpicos de 2012, a atleta contraria quem não acredita na continuidade do trabalho.

"Muita gente pensa que a Juliana já acabou, mas não estou nem aí. Não quero provar nada para ninguém, simplesmente continuo saltando, e faço o que gosto. Vejo que estou cada dia melhor. O dia que eu olhar e ver que não vou mais para frente, que eu não posso melhorar, eu paro. Mas enquanto isso não acontecer, eu vou continuar", afirmou.

Juliana, que conquistou a primeira medalha nos saltos ornamentais para o Brasil em um Pan-Americano (Santo Domingo, 2003), afirma contar apenas com o apoio do Fluminense, da sua treinadora Andrea Boheme e do patrocinador. Sem citar entidades ou nomes, ela se diz magoada com a falta de incentivo.

"Não pensam em investir em mim para 2012. Eu tenho certeza, não pensam em mim", desabafa. No entanto, a atleta tem confiança de que segue seu rumo para representar o Brasil nos Jogos. "Continuo sendo a melhor do Brasil e a representante do esporte no País. Nos campeonatos brasileiros quem vai bem sou eu e quem representa e vai bem lá fora também sou eu", afirmou.

Gravidez e mudanças

Há quase dois anos, a vida de Juliana mudou radicalmente. Até então a rotina se resumia às 9 horas diárias de treino, às competições de saltos ornamentais, às aulas na faculdade de jornalismo e ao tempo que passava com o namorado. Com dores no pulso após uma cirurgia realizada em fevereiro de 2009, Juliana procurou o médico, e recebeu o que descreve ser a noticia mais fantástica e assustadora da sua vida: ela estava grávida.

"Meu médico falou que eu tinha que aguentar, porque meu filho não podia tomar remédios. Tomei um susto, aliás, dois. Ele achava que eu sabia que estava grávida, mas não queria contar para ele. Só que eu nem imaginava. Meu segundo susto foi quando ele me falou do tempo de gestação. Durante o exame, ele viu que era um menino, e que eu já devia estar próxima dos 6 meses de gravidez. Como eu podia estar grávida e com tanto tempo de gestação e não saber?"

Juliana conta que não ganhou peso. Ela tomava pílula e não sentiu nenhum sintoma de gravidez. Sem saber, visitou a Disney World e andou em todas as montanhas russas. "Jamais faria isso se soubesse que estava esperando o Pedro", disse.

Com a chegada de Pedro, que está prestes a completar dois anos, Juliana passou a dedicar apenas quatro horas por dia aos treinos - a carga horária passa para seis horas quando as competições se aproximam. Nada comparado às nove horas que fazia antes do nascimento. "Hoje não dá mais, tenho filho, marido, casa e faculdade", conta.

Em busca da série perfeita

Mesmo com todas as mudanças, Juliana Veloso olha para frente e vê margem para melhora. Ela abandonou a plataforma de 10 m, prova em que conquistou a prata no Pan-Americano de 2003, em Santo Domingo, e passou a se dedicar apenas ao trampolim de 3 m.

De acordo com a atleta, no trampolim, a idade não é empecilho. As quedas são menos doloridas e as lesões são menos frequentes. Além disso, essa prova também traz boas recordações. Em 2003, Juliana havia se preparado para a plataforma, mas também teve uma surpresa ao saltar e conquistar o bronze no trampolim.

"Eu não treinei, não estava preparada e nem ia saltar o trampolim. Mas saltei e ganhei a medalha de bronze. Foi o resultado de uma fase ótima que eu estava", lembrou.

A nova série de saltos está exigindo dedicação e cobrança maiores por parte da atleta. Juliana Veloso considera que se preparar bem os saltos, ficará em igualdade com as demais atletas.

No momento, ela tem nota máxima dez em apenas um dos saltos. Nos outros quatro, tem nota máxima oito. Ela trabalha para aumentar o potencial de todos os saltos. Segundo Juliana, os resultados não aparecerão de imediato, mas a série deve ter continuidade e ser colocada à prova em competições com um objetivo maior. "Estou visando uma final olímpica no ano que vem. E se eu quero chegar entre as seis melhores do mundo, não posso recuar agora".

Mesmo com a série aperfeiçoada, Juliana acha muito difícil bater as chinesas na modalidade, que devem ficar com prata e ouro em 2012. "Mas ficar entre a terceira e a sexta colocação é muito possível. Não é fácil, mas também não é impossível", afirmou.

Juliana conta que gosta de trabalhar sob pressão. Quanto mais nervosa antes das provas, melhor o trabalho. A bronca da técnica Andrea Boheme, para ela, serve como estimulante e a adrenalina é um complemento para conseguir realizar os saltos da forma mais perfeita possível.

Futuro

Única representante brasileira nos saltos ornamentais femininos no Mundial de Xangai, Juliana considera que poderia competir no Rio, em 2016. Mas ela pondera e diz que até lá as prioridades em sua vida podem mudar.

"Ainda tenho caminho até 2016. Mas o que acontece com as mulheres, principalmente, é que temos que cuidar da família. E acaba o seu tempo. E nem sempre as atletas mais velhas conseguem patrocínio. Já é difícil para as mais novas, imagina as mais velhas. Investimento não tem para ninguém".

Otimista, Renault mira vitória no GP de Mônaco

Provável substituto de Kubica na Lotus Renault, Nick Heidfeld testou o carro da escuderia na manhã deste sábado. Foto: Getty Images

Lotus Renault tenta melhorar seu desempenho na temporada

Quarta colocada na classificação do Mundial de Construtores, a Renault sonha alto para a próxima etapa do calendário da Fórmula 1. Segundo o chefe da equipe, Eric Boullier, o objetivo é brigar com a Red Bull de Sebastian Vettel e Mark Webber pela vitória no Grande Prêmio de Mônaco, no próximo fim de semana.

As ambições da escuderia fundamentam-se no bom desempenho apresentado em 2010 por Robert Kubica, piloto que está fora da atual temporada em função de um grave acidente sofrido no começo do ano. Na ocasião, o polonês brigou na frente com os pilotos da RBR por um lugar no pódio e, com a similaridade entre os modelos atual e do ano passado, a Renault crê em outro ótimo desempenho em Monte Carlo.

"Acho que esse é um pensamento fundamental em qualquer corrida, mas especialmente em Mônaco: classificar na frente. Vamos ver como trabalharemos, mas eu estou bastante certo de que nosso carro será rápido", declarou Boullier.

O dirigente também acrescentou que a equipe tem muito potencial, apesar dos resultados ruins apresentados nesta temporada. "Nós ficamos surpresos com a volta de Vitaly (Petrov) no Q3 da Espanha. Nós tivemos um pequeno problema na seleção de marchas, mas ele poderia claramente ter terminado entre os caras do topo", disse.

Sobre os pneus, o francês acredita que os super moles serão mais uma vez uma incógnita na prova, independentemente da equipe. "Então eu acho que Mônaco, do jeito que nós desenhamos o carro, deve ser melhor para nós, e então deveremos chegar perto das primeiras posições", disse.

Na classificação, o melhor piloto da Renault é Nick Heidfeld, sétimo colocado com 25 pontos. Já os melhores resultados foram as terceiras colocações do alemão na Malásia e de seu colega Vitaly Petrov na abertura da temporada, o GP de Melbourne.

Dirigente do São Paulo nega Bianchi e vê Coates mais próximo

De acordo com o jornal  Folha de S. Paulo , o técnico argentino  Carlos Bianchi  - quatro vezes vencedor da Copa Libertadores e tricampeão mundial - .... Foto: Getty Images

O dirigente João Paulo de Jesus Lopes negou que Carlos Bianchi possa assumir o comando do São Paulo

A informação de que o técnico Carlos Bianchi poderia assumir o São Paulo em julho pegou até mesmo o vice-presidente de futebol João Paulo de Jesus Lopes de surpresa. Um dos homens de confiança do presidente Juvenal Juvênio, o cartola afirmou ao Terra que não há nenhuma negociação com o treinador argentino e não vê motivos para a demissão de Paulo César Carpegiani.

"A notícia sobre o Bianchi não procede, até porque não cogitamos a substituição do nosso técnico neste momento", disse Jesus Lopes, deixando a entender que o futuro de Carpegiani está seguro nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro. O treinador foi tachado como principal culpado pelas eliminações no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil.

Após a derrota por 3 a 1 para o Avaí em Florianópolis, resultado que culminou a saída da Copa do Brasil, o presidente Juvenal Juvêncio chegou a insinuar a saída de Paulo César Carpegiani. Nomes como Cuca e Dorival Júnior foram especulados, mas o São Paulo desistiu de trocar o comando da equipe, muito por causa da multa de R$ 1 milhão prevista no contrato do técnico.

Uruguaio mais perto

Se o argentino Carlos Bianchi não faz parte dos planos, o mesmo não se pode dizer do zagueiro uruguaio Sebastian Coates. Apontado em seu país como "o novo Lugano", ele está praticamente acertado com o São Paulo e deve desembarcar no Morumbi em breve para substituir Miranda, que irá para o Atlético de Madrid. "Faltam detalhes finais com o investidor para anunciarmos o Coates", confirmou Jesus Lopes.

O dirigente confirmou também que Ilsinho está perto de acertar a renovação com o time tricolor. Segundo o cartola, o volante Rodrigo Souto também já recebeu a proposta do São Paulo e faz parte dos planos para o segundo semestre.

"Os dois foram procurados para a extensão de contrato. Em relação ao Ilsinho, digo que faltam pequenos detalhes comerciais que devem ser resolvidos muito em breve. Com o Souto, conversei com ele e o representante. O São Paulo tem interesse", disse o vice-presidente. Os contratos oferecidos à dupla variam de seis meses a um ano.

Sobre a possível chegada de Diego Forlán, João Paulo de Jesus Lopes foi mais realista ao apontar a vantagem financeira de clubes europeus e asiáticos. "Não temos expectativas sobre o Forlán. Tem um bom contrato na Europa e os clubes interessados nele têm condições bem superiores ao que podemos oferecer", concluiu.

Murray tem estreia fácil em Roland Garros contra Prodon

 . Foto: Getty Images

Murray venceu o francês Eric Prodon com facilidade na estreia de Roland Garros

O escocês Andy Murray iniciou sua campanha no torneio de Roland Garros com uma vitória fácil sobre o local Eric Prodon, número 124 do mundo vindo do qualificatório. Em uma hora e quarenta e quatro minutos de jogo, o britânico bateu seu adversário em Paris por 6/4, 6/1 e 6/3, nesta terça-feira.

Ótimo no saque, Murray teve 12 aces no duelo em que conquistou 87% dos pontos disputados em seu primeiro serviço. Nas quebras, também foi efetivo: foram sete break-points convertidos em 11 oportunidades que teve.

Seu próximo adversário será o italiano Simone Bolelli, que derrotou o canadense Frank Dancevic por 3 a 1 (parciais de 6/1, 6/3, 6/7 (5-7) e 6/2). No confronto direto, o número quatro do mundo venceu o 126 nas duas partidas em que se encontraram, ambas no Masters 1000 de Madrid, nas edições de 2008 e em 2009.

Com as semifinais de Roma e de Monte Carlo, perdidas para Novak Djokovic e Rafael Nadal, respectivamente, o escocês vem embalado para Paris por ter dado trabalho para os dois melhores ranqueados da ATP em ambas as apresentações.

Polêmicas extracampo irritam Emerson em apresentação

 . Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

Emerson é apresentado no Corinthians

O atacante Emerson foi apresentado como jogador do Corinthians na manhã desta terça-feira, no Parque Ecológico, na cidade de São Paulo. No entanto, o que chamou atenção na apresentação foi a irritação do jogador ao ser perguntado sobre um suposto caso de falsidade ideológica que ocorreu no início de sua carreira.

"Aconteceu há muito tempo. Todas as medidas foram tomadas para voltar ao normal. Assunto resolvido. Faz parte do passado. No início da minha carreira teve esse problema, mas está tudo desfeito. Estou inscrito com meu nome. Vamos mudar de assunto", afirmou o jogador, em seu primeiro dia com a camisa corintiana.

Roberto Andrade, dirigente do Corinthians, também comentou sobre o assunto e fez questão de colocar panos quentes na situação. "Isso é um caso já superado. O Corinthians não tem nada a dizer sobre isso. O que ficou resolvido não nos interessa", afirmou o cartola.

Por conta do caso de falsidade ideológica, Emerson realizava um trabalho comunitário no Rio de Janeiro. Com a mudança para São Paulo, os advogados do jogador tentarão isentá-lo da obrigação.

Outra polêmica extracampo abordada na entrevista foi a conturbada saída do Fluminense. Em seu ex-clube, onde foi campeão brasileiro de 2010, Emerson foi criticado e acabou sendo mandado embora por supostamente ter cantado músicas que faziam alusão ao Flamengo em plena concentração do time tricolor.

"Eu não cantei o bonde (Bonde do Mengão sem Freio). Cantei uma música popular, que todo mundo canta, um hit, um funk. Essa música tinha um trecho do Bonde. Não teve nada demais", disse Emerson, visivelmente irritado, mas tentando disfarçar com um leve sorriso no rosto. "Fiquei magoado da maneira que fui tratado, porque é lugar que fiz amigos, me dediquei. Mas não estou arrependido de nada, porque falei a verdade".

segunda-feira, 23 de maio de 2011

No Twitter, internautas dão parabéns a Rubinho pelo dia da tartaruga

Já Rubens Barrichello, da Williams, ficou no 14º lugar. Foto: Getty Images

Barrichello é alvo de piadas no dia do aniversário

O piloto Rubens Barrichello completa nesta segunda-feira, dia 23 de maio, 39 anos. O veterano é o competidor com maior número de Grandes Prêmios disputados na F1 - 309 -, mas o seu aniversário tem sido alvo de piadas no Twitter.

No mesmo dia é comemorado o Dia Mundial da Tartaruga, criado em 2000 por uma associação americana. Os internautas não perderam a oportunidade para brincar com o piloto da Williams.

Mesmo com as piadas de torcedores, Barrichello é um dos pilotos mais respeitados do paddock. Desde 1993 na F1, o brasileiro acumula 11 vitórias, 14 pole positions e dois vice-campeonatos. Atualmente na Williams, ele já completiu por Jordan, Stewart, Ferrari, Honda e Brawn GP.

Djokovic atropela holandês em Paris e obtém 40ª vitória seguida

 . Foto: Reuters

Djokovic vence sua estreia em Roland Garros

Tenista em melhor fase no mundo atualmente, Novak Djokovic confirmou seu bom momento em sua estreia no Aberto da França ao derrotar com tranquilidade o holandês Thiemo de Bakker nesta segunda-feira. Invicto em 2011, o sérvio venceu por 3 sets a 0 (parciais de 6/2, 6/1 e 6/3) e assegurou seu 40º triunfo seguido.

Djokovic espera agora o vencedor do duelo entre o francês Benoit Paire e o romeno Victor Hanescu para descobrir seu próximo adversário em Roland Garros. O número 2 do mundo jamais venceu este Grand Slam, tendo alcançado a semifinal em 2007 e 2008.

Com 1h32 de jogo, Djokovic dominou completamente a partida e não teve dificuldade para conquistar sua vitória. Ele agora se aproxima do americano John McEnroe, detentor do melhor recorde de partidas seguidas com vitória no circuito mundial em uma temporada: 42.

O outro objetivo, o principal deles, de Djokovic é chegar à liderança do ranking da ATP. Com pouca diferença entre ele e Rafael Nadal - apenas 405 pontos - o sérvio pode alcançar o topo se conseguir ir à final e o espanhol não se classificar para decisão.

Fifa destaca "tropeços" de Flu e Cruzeiro em abertura

Defensor do título do Campeonato Brasileiro, o Fluminense caiu diante do São Paulo na estreia, no Estádio de São Januário. Foto: Rafael Moraes/Photocamera/Divulgação

Atual campeão, Fluminense foi derrotado pelo São Paulo na estreia do Brasileiro

O site da Fifa destacou, nesta segunda-feira, os tropeços dos favoritos Fluminense e Cruzeiro na estreia do Campeonato Brasileiro. A entidade máxima do futebol apontou para o fato de o time carioca, atual campeão da competição, ter sido derrotado em casa pelo São Paulo, por 2 a 0 - gols de Dagoberto e Lucas.

Lembrando que o Cruzeiro foi vice-campeão em 2010, o site da Fifa destacou que um gol contra de Marquinhos Paraná foi o suficiente para dar a vitória de 1 a 0 ao Figueirense diante dos mineiros.

A entidade máxima do futebol ainda noticiou as vitórias de Corinthians (2 a 1 sobre o Grêmio, de virada) e Palmeiras (1 a 0 diante do Botafogo), destacando o papel decisivo de Liédson para o time do Parque São Jorge e de Kleber para a equipe alviverde.

Bellucci aproveita erros de Golubev e vence estreia em Paris

Thomaz Bellucci comemora ponto em confronto com Andrey Golubev. Foto: AP

Thomaz Bellucci venceu estreia contra Golubev

Número 25 do mundo, o brasileiro Thomaz Bellucci teve estreia irregular em Roland Garros, mas superou o cazaque Andrey Golubev. Aproveitando os erros de seu adversário, o paulista obteve vitória por 3 sets a 1, com parciais de 6/4, 6/4, 6/7(4-7) e 7/6(7-5). Na próxima rodada, o paulista enfrentará o italiano Andreas Seppi, que superou em sua estreia o russo Teymuraz Gabashvili (triunfo por 3 sets a 0, parciais de 6/3, 7/5 e 75).

Esta foi a segunda vez que Bellucci enfrentou Golubev. O primeiro encontro entre os tenistas ocorreu no qualifying do Masters 1000 de Roma de 2009, em que o brasileiro venceu por duplo 6/4.

Foram 3h19min de partida, em que Bellucci foi mais eficiente que seu adversário. O brasileiro cometeu apenas 28 erros não-forçados, contra 59 do cazaque. Golubev ainda conseguiu 47 winners, enquanto o paulista obteve 26 bolas vencedoras.

Bellucci não começou bem a partida, e viu o cazaque abrir 3/0. O brasileiro, porém, se recuperou, e empatou o set retribuindo a quebra. Aproveitando os erros seguidos de Golubev, o tenista paulista deixou a parcial em 5/3 com nova quebra, para na sequência confirmar de zero seu último saque e o 6/4.

No set seguinte, Bellucci manteve a eficiência e contou com novas falhas do cazaque para abrir 3/1. A vantagem permitiu ao brasileiro jogar com calma, confirmando seus serviços e vencendo o set por novo 6/4.

A terceira parcial começou de maneira complicada para o paulista. Apesar de pressionar, Bellucci viu Golubev conseguiu a quebra no segundo game. Na sequência, porém, o brasileiro retribuiu a quebra e empatou o set. A parcial prosseguiu equilibrada e, no tie-break, o cazaque venceu por 7-4.

A partida seguiu equilibrada no quarto set, com os tenistas se arriscando pouco e confirmando seus saques. Bellucci teve oportunidades de quebra, mas as desperdiçou e houve necessidade de novo desempate. No tie-break, o brasileiro não deu chances para Golubev e fechou com um 7-5.

domingo, 22 de maio de 2011

É dada a largada!

Hoje iniciamos mais um campeonato brasileiro, cheio de expectativas e emoções. Com show de bola que vimos nos estaduais, esperando da elite do campeonato, um futebol de garra, determinação, força de vontade e uma chuva de gols.

Algumas mudanças, como a última rodada das dos dois turnos cheia de clássicos, não tira aquela sensação da “entrega” dos times. Essa mudança foi realmente para isso acabar, mas comentaristas e até membros dos times não descartaram essa hipótese.

Damos destaques para São Paulo, Cruzeiro, Santos, Flamengo, Internacional e Corinthians que estarão na corrida pelo tão sonhado título, que pode chegar em bom momento aos clubes.

Que vença o melhor!!!!

Ex-boxeador De la Hoya é internado em um centro de reabilitação

O ex-campeão mundial mexicano-americano Oscar de la Hoya foi internado em um centro de reabilitação por causa de uma substância ainda não divulgada no Estado da Califórnia. Depois que várias versões começaram a circular no sábado de manhã sobre a situação de De la Hoya, o ex-boxeador divulgou um comunicado para pôr fim às especulações, no qual diz que depois de fazer uma autoavaliação honesta, reconheceu que tem vários assuntos que deve atender.

"Como todas as pessoas, eu também cometi erros, mas não quero ser uma dessas pessoas que teme abordar essas falhas", acrescenta De la Hoya. "Através da minha carreira sempre encarei de frente todos os desafios e este não é diferente. Confio em que, com o apoio da minha família e amigos, me transformarei em uma pessoa mais forte e mais saudável", diz.

O ex-boxeador conclui seu comunicando pedindo respeito e privacidade enquanto sua família e ele passam por este processo. O único boxeador que conseguiu ser campeão mundial em seis categorias diferentes, se aposentou como pugilista profissional em 2009, poucos meses depois que o filipino Manny Pacquiao o venceu por nocaute.

Em casa, Portuguesa atropela Náutico na estreia na Série B

A Portuguesa estreou com vitória tranquila na Série B do Campeonato Brasileiro de 2011. Em duelo entre dois dos mais tradicionais times da competição, a equipe paulistana recebeu o Náutico no Canindé e goleou por 4 a 0, colocando-se no G4 logo na primeira rodada e surpreendendo a equipe pernambucana.

Com o resultado, os alvirrubros devem terminar a primeira rodada na 19ª posição, sem pontuar - apenas o ASA-AL, que perdeu por 5 a 0 para a Ponte Preta, ficaria atrás. A Portuguesa, por sua vez, larga temporariamente na vice-liderança, com os primeiros três pontos, justamente atrás da equipe de Campinas. Ituiutaba x Paraná completa a rodada e pode alterar posições.

A Portuguesa entrou em campo para apresentar a nova defesa aos 2.203 torcedores presentes ao estádio: sem Domingos e Preto Costa, dispensados após o Campeonato Paulista, a zaga passou a ser formada por Jaime e Mateus. Já o Náutico, que estreava o técnico Waldemar Lemos, tentava se recuperar após a eliminação nas semifinais do Campeonato Pernambucano.

Jogando em casa, a Portuguesa não demorou a pressionar. Primeiro, com um chute de Henrique a 1min do primeiro tempo, que Glédson espalmou. Depois, aos 3min, em jogada de Luís Ricardo, Ananias recebeu pela direita e bateu cruzado para abrir o placar.

A partir daí, os dois times passaram a fazer um duelo equilibrado, com boas chances no primeiro tempo. O Náutico chegou com Kieza, aos 9min, e Rodrigo Heffner, aos 15min, mas parou na defesa nas duas oportunidades. A equipe paulista, por sua vez, teve chute perigoso com Henrique, aos 10min, que Glédson espalmou por cima do travessão.

A Portuguesa ainda teve nova chance aos 29min, em falha da zaga que Ananias aproveitou e bateu pela esquerda - o chute, porém, saiu fraco e parou nas mãos de Glédson. A resposta veio aos 36min, com Bruno Meneghel entrando na área pela esquerda e caindo após dividida com Jaime. O árbitro, porém, deu amarelo para o atacante do Náutico por simulação.

Os times foram para o intervalo e voltaram sem alterações. A Portuguesa, porém, ampliou logo aos 3min em lance confuso. Marco Antônio cobrou a falta na área pela direita, e o lateral Marcelo Cordeiro cabeceou a bola no travessão; no rebote, Jorge Felipe não conseguiu afastar e mandou para o próprio gol. Na comemoração, os jogadores da Portuguesa abraçaram o zagueiro Mateus, que nem sequer chegou a tocar na bola.

Pouco tempo depois, aos 6min, saiu o terceiro gol: após jogada pela esquerda, Marco Antônio recebeu na área, se enrolou com a marcação e tocou para trás para que o volante Guilherme - formado no clube - acertasse um forte chute para ampliar o marcador no Canindé.

O golpe de misericórdia veio aos 16min, em falha da defesa alvirrubra, que perdeu a bola para Marco Antônio na entrada da área; o camisa 10 tocou por cima para Marcelo Cordeiro, que apenas amorteceu dentro da área, tirando de Glédson e abrindo para Henrique, responsável pelo chute para o gol vazio que decretou o 4 a 0.

A partir daí, as duas equipes passaram a criar poucas chances e tentar substituições. Aos 38min, Luis Ricardo ainda teve a chance de fazer o quinto, mas o chute da entrada da área saiu fraco e foi defendido por Glédson. O Náutico tentou a resposta no minuto seguinte, mas a falta de Elicarlos parou na barreira. Aos 41min, Rogério também tentou, mas bateu ao lado do gol.

Com a primeira vitória assegurada, a Portuguesa volta a entrar em campo agora na terça, quando vai a Curitiba para enfrentar o Paraná pela segunda rodada da Série B, às 21h (de Brasília). O Náutico, por sua vez, busca a reabilitação no próximo sábado, quando mede forças com o Goiás, no Estádio dos Aflitos, às 16h20.

Grêmio leva a melhor sobre Santos e contrata atacante

Após indicação de Muricy Ramalho, o Santos foi atrás do meia-atacante  Miralles , um dos destaques do Colo Colo nesta edição da Libertadores, apesar .... Foto: Getty Images

Diretor de futebol gremista confirmou contratação de Miralles

A disputa entre Grêmio e Santos estava acirrada para ver quem levava o atacante Ezequiel Miralles, do Colo Colo, mas quem levou a melhor foram os gaúchos. A informação foi confirmada na manhã deste sábado pelo diretor de futebol do Grêmio Vicente Martins.

De acordo com o jornal chileno El Mercúrio, o valor dos dois times brasileiros foi fixado em US$ 2,3 milhões, mas a diretoria do elenco alvinegro queria pagar a quantia em três vezes, diferente do Grêmio, que quer pagar em apenas uma parcela.

Ainda segundo Martins, a data de apresentação do jogador depende dos resultados do Colo Colo na rodada desse fim de semana do Campeonato Chileno. Caso, o clube chileno não avance para as quartas de finais da competição, Miralles será apresentado na próxima semana. Caso contrário, o Grêmio deve enviar uma equipe para realizar exames no Chile e confirmar a assinatura de contrato de três anos.

O Colo Colo já pensa em contratar alguns jogadores para suprir a ausência de Miralles. A diretoria chilena pretende trazer mais quatro reforços para o restante da temporada.

Com a contratação de Miralles, o Grêmio deve se juntar ao Corinthians para pedir o adiantamento da janela de transferência de jogadores vindos do exterior.

Vettel segura pressão de Hamilton e conquista 4ª vitória no ano

 . Foto: Getty Images

Hamilton pressiona, mas Vettel segura e vence na Espanha

Depois de conquistar vitórias com bastante tranquilidade nas etapas anteriores da Fórmula 1, o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, se viu com uma pressão gigante do inglês Lewis Hamilton, da McLaren, nas últimas voltas do GP da Espanha, neste domingo, e teve de se defender de várias formas para conquistar sua quarta vitória na temporada 2011.

O atual campeão e seu companheiro Mark Webber já tinham sido surpreendidos por Fernando Alonso logo na largada, quando o espanhol da Ferrari saltou na frente e permaneceu por 20 voltas na liderança da corrida. A rapidez da Red Bull nos boxes fez a diferença para colocar Vettel de novo na liderança. O que surpreendeu a equipe foi o bom desempenho da McLaren no final, que também arrancou um terceiro lugar com Jenson Button,

Depois de largar em primeiro e quebrar a hegemonia de cinco poles do companheiro de Red Bull Vettel, o australiano Webber não conseguiu manter o bom desempenho do fim de semana e terminou o GP da Espanha apenas na quarta colocação, com Fernando Alonso em quinto lugar.

Com mais um triunfo no ano, Vettel se isola ainda mais na ponta da classificação. A diferença que antes era de 34 pontos aumenta para 41, com o alemão chegando a 118 pontos, contra 77 de Hamilton, segundo colocado.

Outra surpresa ficou por conta de Michael Schumacher, da Mercedes, completando a prova na sexta colocação após largar em décimo. Nick Heidfeld também foi um dos destaques da prova. O alemão da Renault largou em 24º, último lugar, e ganhou nada menos que 16 posições, encerrando a quinta etapa da F1 em oitavo lugar.

A decepção mais uma vez ficou por conta dos dois brasileiros do grid. Felipe Massa, da Ferrari, que largou na oitava posição não completou o GP da Espanha. Já Rubens Barrichello, da Williams, largou na 19ª colocação e terminou a prova em 17º, ainda sem pontuar na temporada 2011 de Fórmula 1.

Confira a classificação do GP da Espanha:

1. Sebastian Vettel (ALE) - Red Bull
2. Lewis Hamilton (GBR) - McLaren - a 0s6
3. Jenson Button (GBR) - McLaren - a 35s6
4. Mark Webber (AUS) - Red Bull - a 47s9
5. Fernando Alonso (ESP) - Ferrari - a 1 volta
6. Michael Schumacher (ALE) - Mercedes - a 1 volta
7. Nico Rosberg (ALE) - Mercedes - a 1 volta
8. Nick Heidfeld (ALE) - Renault - a 1 volta
9. Sergio Pérez (MEX) - Sauber - a 1 volta
10. Kamui Kobayashi (JAP) - Sauber - a 1 volta
11. Vitaly Petrov (RUS) - Lotus Renault - a 1 volta
12. Paul di Resta (GBR) - Force India - a 1 volta
13. Adrian Sutil (ALE) - Force India - a 1 volta
14. Sébastien Buemi (SUI) - Toro Rosso - a 1 volta
15. Pastor Maldonado (VEN) - Williams - a 1 volta
16. Jaime Alguersuari (ESP) - Toro Rosso - a 2 voltas
17. Rubens Barrichello (BRA) - Williams - a 2 voltas
18. Jarno Trulli (ITA) - Team Lotus - a 2 voltas
19. Timo Glock (ALE) - Virgin - a 3 voltas
20. Jérôme D'Ambrosio (BEL) - Virgin - a 4 voltas
21. Narain karthikeyan (IND) - Hispania - a 5 voltas
22. Felipe Massa (BRA) - Ferrari - Abandonou
23. Heikki Kovalainen (FIN) - Team Lotus - Abandonou
24. Vitantonio Liuzzi (ITA) - Hispania - Abandonou