sábado, 29 de outubro de 2011

Leandro Cunha espanta "zebra" americana e leva ouro no judô

O judoca brasileiro Leandro Cunha, número 6 do ranking mundial, derrotou a "zebra" americana Kenneth Hashimoto - apenas o 105º na modalidade - nesta sexta-feira, em duelo realizado no Ginásio Del Code II e válido pelos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Com o resultado, o atleta garantiu o ouro na categoria meio-leve (-66 kg).

Leandro começou melhor no duelo e aplicou um yuko no oponente logo de cara. Depois, conseguiu aplicar um wazari e tentou a imobilização do braço do adversário, mas o americano escapou em tempo. Leandro ainda somou outro yuko na sequência, pouco antes de o americano receber sua terceira punição e dar mais um ouro ao Brasil.

"Há uns três anos não tive tantos resultados importantes e agora fui ouro no Pan, tenho que continuar trabalhando agora", afirmou o atleta logo após o combate. "A gente tem que colocar esse favoritismo no tatame, esse momento está sendo maravilhoso para mim e preciso continuar batalhando para a Olimpíada", acrescentou.

O brasileiro havia estreado Guadalajara direto na etapa de quartas de final e eliminou o canadense Sasha Mehmedovic logo em seu primeiro combate. Depois, passou por cima do mexicano Francisco Carreon e conquistou vaga na decisão da modalidade.

Apesar de ter 31 anos, Leandro Cunha fez sua estreia em Pan-Americanos apenas na edição Guadalajara. Entretanto, o atleta tem resultados expressivos em Mundiais de judô: ficou com a prata em 2010 e 2011. É um atleta experiente: está há 10 anos na Seleção Brasileira de judô.

Ballack desencanta e Leverkusen vence lanterna fora de casa

Ballack marcou o gol da vitória por 1 a 0 do Leverkusen. Foto: EFE

Ballack marcou o gol da vitória por 1 a 0 do Leverkusen

Com gol de Michael Ballack, o Bayer Leverkusen venceu o Freiburg por um 1 a 0, em jogo válido pela 11ª rodada do Campeonato Alemão. O jogo foi realizado no Badenova Stadion, no sul da Alemanha.

Lanterna da competição, o Freiburg decepcionou sua torcida logo no segundo minuto de jogo. A bola foi alçada na área do time da casa e sobrou para Ballack, que de peito de pé abriu o placar para o Leverkusen e marcou seu primeiro gol na Bundesliga 2011/12.

Chegando a 17 pontos e subindo para a 8ª posição, o clube visitante se resguardou na defesa e esperou o Freiburg em seu campo. Pouco inspirado, o clube da casa provou porque é o lanterna da competição e abusou do chuverinho.

As melhores jogadas do Freiburg saíram dos pés de Papiss Cisse. Aos 38min do primeiro tempo, o senegalês chutou perto do gol defendido por Leno. Aos 25min do segundo tempo, o atacante dominou bonito e finalizou; a bola saiu por cima do travessão. A pressão durou até o fim, mas Leno e a má pontaria decretaram a vitória dos visitantes.

Na próxima rodada, o Freiburg, 18º com 7 pontos, viaja até a Baviera para enfrentar o Nuremberg. Já o Bayer Leverkusen recebe o Hamburgo.

Sem coração para formar "cascudos", Leão promete vencer do seu jeito

Em 2004, Leão optou por um time, como ele mesmo chamou, de cascudos, com três zagueiros. Foto: João Neto/VIPCOMM/Divulgação

Em 2004, Leão optou por um time, como ele mesmo chamou, de "cascudos", com três zagueiros

Em setembro de 2004, Emerson Leão foi contratado pelo São Paulo para elevar o ânimo de um grupo ainda abalado pela eliminação na Libertadores. Optou por um time, como ele mesmo chamou, de "cascudos", com três zagueiros e marcadores do meio para a frente para evitar derrotas. Assim, formou a base da equipe campeã estadual, continental e mundial no ano seguinte. Agora, porém, esse caminho não é mais possível.

"O biótipo daqueles atletas não existe mais aqui dentro. Aquele íntimo feroz não tem mais. E não se faz cascudos sem o coração forte", declarou o técnico. Uma dura declaração que pode ter exatamente o efeito que a diretoria tanto quer, mexendo com o brio dos jogadores.Sempre adepto da filosofia de criticar publicamente para provocar seus comandados, o ex-goleiro insiste que técnica não é tudo na busca por vitórias. "Nossa virtude é a qualidade individual principalmente. Outra coisa boa é a juventude. Mas precisamos traduzir isso em resultado em campo, o que não estamos conseguindo."

Na prática, Leão ainda não desistiu de mandar a campo uma equipe baseada na garra e incessante perseguição para tomar a bola do adversário. No último coletivo antes de enfrentar o Vasco no domingo, com três na zaga, o treinador gritava para que seus comandados não aliviassem na marcação no campo de ataque. E é bom fazerem como ele quer.

"Eles são pagos para jogar do meu jeito e vão jogar do meu jeito", sentenciou Leão, com a "linha-dura" que convenceu o presidente Juvenal Juvêncio a trazê-lo com contrato inferior a três meses. "Reservando as particularidades, individualidades e qualidades de cada um, taticamente é como o treinador determina", insistiu o técnico.

Exigente, o ex-goleiro avisa que ainda não detectou todas as deficiências do elenco. Mas já cobra uma solução simples: vencer. "É muito pouco tempo para identificar muitos problemas, que ficarão entre nós, mas suficiente para começar a iniciar uma possível solução. Compete a eles a realização final da busca da solução, e solução sempre passa por vitória", simplificou o chefe.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Massa diz que não está velho e tem muitos anos na Fórmula 1

Na Ferrari desde 2006, Felipe Massa está próximo de completar 100 GPs pela equipe italiana. Foto: AP

Na Ferrari desde 2006, Felipe Massa está próximo de completar 100 GPs pela equipe italiana

O piloto da Ferrari, Felipe Massa, 30 anos, não está velho e ainda almeja grandes feitos na Fórmula 1. Pelo menos foi o que disse o brasileiro em entrevista coletiva antes do Grande Prêmio da Índia, que acontece neste final de semana. Após chegar a marca de 150 corridas na Fórmula 1, Massa, que completará 100 GPs pela Ferrari na etapa do Brasil, comemorou os números alcançados.

Felipe Massa estreou na categoria mais importante do automobilismo mundial em 2002, pilotando um dos carros da equipe Sauber, onde competiu até 2005, com uma pausa na temporada de 2003. Na Ferrari desde 2006, quando substituiu seu compatriota Rubens Barrichello, Massa teve seu auge na temporada de 2008, quando perdeu o título do Mundial para o inglês Lewis Hamilton, da McLaren, por apenas um ponto de diferença.

Apesar do desempenho irregular nas últimas duas temporadas, o brasileiro, que não vence desde o GP do Brasil de 2008, acredita que ainda possa realizar grandes feitos na Fórmula 1.

Na Índia para a disputa da 17ª etapa desta temporada, Massa elogiou o traçado do circuito de Buddh. O ferrarista afirmou que é uma pista satisfatória, já que alterna curvas rápidas e lentas. Por último, o brasileiro disse que espera superar o desempenho que teve no Grande Prêmio da Coreia do Sul, no último dia 16, quando terminou a prova na 6ª colocação, logo atrás de seu companheiro, Fernando Alonso.

Tiago Camilo derruba cubano, é ouro e celebra o tri no judô

Em apenas 1min45s, o brasileiro Tiago Camilo aplicou um ippon e derrubou o cubano Asley Gonzalez nesta quinta-feira e deu mais um ouro para o Brasil no judô do Pan-Americano de Guadalajara, na categoria para judocas de até 90 kg. O atleta levou o tri na competição, uma vez que já havia levado dois primeiros lugares no pódio nos Jogos de Santo Domingo, em 2003, e Rio de Janeiro, 2007.

O atleta derrotou o tradicional cubano em quase dois minutos de luta, após aplicar um belo ippon. Seu ouro veio logo após a conquista de Leandro Guilheiro, que havia derrubado o portorriquenho Gadiel Miranda minutos antes. "Acima de tudo quero vencer, mas vencer com ippon é muito bom", desabafou o brasileiro após o combate.

Em seu caminho até o ouro, o brasileiro derrotou, antes de chegar à decisão, o canadense Alexandre Emond, nas quartas de final, e o mexicano Isao Alfonso Cardenas, na semifinal. Ele havia vencido o ouro no Pan de Santo Domingo na categoria até 73 kg, enquanto triunfou na de até 90 kg nos Jogos do Rio de Janeiro.

Para homenagear filha, Maurren se "pinta" de rosa no pódio

Com as unhas e os lábios pintados de rosa, a atleta Maurren Maggi subiu ao pódio para receber, no início da tarde desta quinta-feira, no Estádio Telmex de Atletismo, em Guadalajara, a terceira medalha de ouro da carreira nos Jogos Pan-Americanos. A premiação aconteceu pela vitória da brasileira no salto em distância, disputado na última quarta-feira.

"Fiz isso para homenagear a Sophia (filha de Maurren), então pintei uma mão para cada uma", explicou a atleta, que ainda recebeu o mascote Hiuchi na premiação. "Esse bichinho já tem destino certo, vai para a minha filha", completou Maurren.

Experiente, a brasileira conquistou sua quarta medalha na competição continental, terceira de ouro no salto em distância, mas comemorou muito o feito, que desde 1999 não é mais inédito. "Sim, até porque sou a única tricampeã pan-americana da categoria, então obviamente esse pódio e essa medalha têm um sabor especial", afirmou.

Aos 35 anos, Maurren ainda vislumbra a participação em outras grandes competições. "Lógico que penso. Está na hora das pessoas pararem de me aposentar. Ainda tenho muito a conquistar", declarou, confiante em mais títulos e em manter a hegemonia continental da modalidade.

Dentro de sua mochila, a atleta carregava o cachorro que sempre a acompanha, além de seus dois primeiros ouros pan-americanos. "Vou tomar cuidado com a mala. Ela vale muito", finalizou a brasileira.

Do estádio, Maurren irá direto para o aeroporto. De lá, ela retornará ao Brasil.

Após queda de Orlando, Aldo Rebelo é novo ministro do Esporte

Após ser confirmado como como novo ministro do Esporte, o deputado Aldo Rebelo fala aos jornalistas. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Após ser confirmado como como novo ministro do Esporte, o deputado Aldo Rebelo fala aos jornalistas

Após receber o pedido de demissão do ex-ministro do Esporte Orlando Silva, o Palácio do Planalto anunciou nesta quinta-feira, às 12h35, Aldo Rebelo como seu substituto. Com a confirmação do deputado federal como novo ministro, o PCdoB mantém o controle da pasta, que vem sendo alvo de denúncias de desvio de recursos de convênios com organizações não governamentais (ONGs). A posse, de acordo com o Planalto, ocorre na próxima segunda-feira.

"A presidente Dilma (Rousseff) me fez um convite para assumir o ministério do Esporte, eu agradeci a confiança e aceitei como um desafio. As orientações (da presidente) são a de procurar conduzir o trabalho com os desafios que estão à frente do País e também do ministério, Copa do Mundo e Olimpíadas, e todas as tarefas relacionadas não apenas com os programas do ministério, mas também com esses eventos internacionais que vão ser sediados no Brasil", afirmou o novo ministro.

Ele não entrou em detalhes da situação do Esporte e nem falou sobre os convênios com as ONGs, que derrubaram seu antecessor. Renato Rabelo, presidente do PCdoB, afirmou que Aldo "é um grande quadro e acho que vai dar uma grande contribuição ao ministério". A presidente Dilma assinou hoje a nomeação, que deve ser publicada na sexta-feira no Diário Oficial da União.

Deputado federal por São Paulo pelo quinto mandato consecutivo, Aldo Rebelo presidiu a Câmara entre 2005 e 2007 e foi ministro-chefe da Secretaria de Coordenação Política e Relações Institucionais de 2004 a 2005, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva. Sua carreira política teve início no movimento estudantil, chegando à presidência da União nacional dos Estudantes (UNE). Seu primeiro cargo eletivo foi o de vereador da cidade de São Paulo, que exerceu entre 1989 a 1991.

Como deputado, Rebelo foi o relator do projeto de lei que atualiza o Código Florestal. Outros projetos de sua autoria causaram polêmica por sua suposta irrelevância. Um deles é o que trata da promoção, proteção e defesa da língua portuguesa. Atualmente em tramitação no Senado, a proposta combate o uso excessivo de expressões em língua estrangeira. Caso a lei seja aprovada, todos os documentos oficiais do Brasil deverão ser escritos em português. O projeto prevê ainda que toda comunicação dirigida ao público, caso utilize palavras em outra língua, terá tradução para o português. A regra vale para peças publicitárias, relações comerciais, meios de comunicação de massa e informações afixadas em estabelecimentos comerciais.

Outra proposta polêmica foi a criação do Dia do Saci Pererê no dia 31 de outubro - quando, em outros países, é comemorado o Halloween. Em sua justificativa, o político lembrou que o símbolo do folclore é uma "força da resistência cultural à invasão dos x-men, dos pokemons, os raloins (sic) e os jogos de guerra". Conforme o texto do PL 2762/2003, a lei "apoiará as iniciativas, programas e atividades culturais de entidades públicas (...), que poderão contribuir para a celebração do folclore brasileiro, através do Saci e de seus amigos (Iara, Curupira, Boitatá e tantos outros)". A proposta, no entanto, não chegou a ser apreciada por nenhuma comissão da Casa e foi arquivada em janeiro de 2007, ao fim da legislatura.

As acusações contra Orlando Silva
Reportagem da revista Veja de outubro afirmou que o ex-ministro do Esporte Orlando Silva (PCdoB) lideraria um esquema de corrupção na pasta que pode ter desviado mais de R$ 40 milhões em oito anos. Segundo o delator, o policial militar e militante do partido João Dias Ferreira, organizações não-governamentais (ONGs) recebiam verbas mediante o pagamento de uma taxa que podia chegar a 20% do valor dos convênios. Orlando teria recebido, dentro da garagem do ministério, uma caixa de papelão cheia de cédulas de R$ 50 e R$ 100 provenientes dos desvios que envolveriam o programa Segundo Tempo - iniciativa de promoção de práticas esportivas voltada a jovens expostos a riscos sociais.

João Dias Ferreira foi um dos cinco presos no ano passado pela polícia de Brasília sob acusação de participar dos desvios. Investigações passadas apontavam diversos membros do PCdoB como protagonistas das irregularidades, na época da Operação Shaolin, mas é a primeira vez que o nome do ex-ministro é mencionado por um dos suspeitos. Ferreira, por meio da Associação João Dias de Kung Fu e da Federação Brasiliense de Kung Fu, firmou dois convênios, em 2005 e 2006, com o Ministério do Esporte.

O ex-ministro nega as acusações e afirmou não haver provas contra ele, atribuindo as denúncias a um processo que corre na Justiça. Segundo ele, o ministério exige judicialmente a devolução do dinheiro repassado aos convênios firmados com Ferreira. Ainda conforme Orlando, os convênios vigentes vão expirar em 2012 e não serão renovados.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Fifa investiga mais dez dirigentes caribenhos por suposto suborno

A Fifa iniciou a investigação de dez dirigentes da associação União de Futebol Caribenha de envolvimento no escândalo de suborno que teve Mohamed bin Hamman, ex-candidato à presidência da entidade, como principal protagonista. As informações são do site do jornal britânico The Guardian.

Cinco funcionários de diferentes federações já foram banidos da Fifa, inclusive Hamman, além de oito terem sido repreendidos por suas ações. Os casos dos dez novos acusados começarão a ser analisados já em meados do mês de novembro.

Segundo a investigação do comitê de ética da entidade, anunciada em julho, Hammam teria presenteado 25 chefes de federações caribenhas com o equivalente a quase R$ 70 mil durante uma reunião especial realizada em maio, em Trinidad e Tobago.

Os oficiais acusados de receber propina pela Fifa são Raymond Guishard (Anguilla), Damien Hughes (Anguilla), Everton Gonsalves (Antigua and Barbuda), Derrick Gordon (Antigua and Barbuda), Lionel Haven (Bahamas), Patrick John (Dominica), Philippe White (Dominica), Vincent Cassell (Montserrat), Tandica Hughes (Montserrat) e Oliver Camps (Trinidad and Tobago).

Hamman nunca assumiu o suposto suborno, apesar de ter admitido o pagamento de passagens aéreas e hospedagem a seus pares no encontro que organizou na América Central.

Wozniacki sofre, mas consegue vitória sobre Radwanska

Wozniacki derrotou Agnieszka Radwanska em Istambul. Foto: Reuters

Wozniacki derrotou Agnieszka Radwanska em Istambul

A líder do ranking da WTA, Caroline Wozniacki, tomou um susto, mas confirmou seu favoritismo e venceu a polonesa Agnieszka Radwanska por 2 sets a 1, com parciais de 5/7, 6/2 e 6/4, em duas horas e 39 minutos de partida, pelo WTA Masters, em Istambul. Com a vitória, a tenista fica em segundo lugar do Grupo Vermelho, atrás da checa Petra Kvitova, que bateu a russa Vera Zvonareva sem perder nenhum set.

No primeiro set, a polonesa manteve um bom padrão de jogo e conseguiu quebrar o saque de Wozniacki em duas oportunidades. A dinamarquesa não aproveitou suas chances de quebrar o serviço da adversária, que conseguiu defender três break points da líder do ranking, tendo seu serviço quebrado em apenas uma oportunidade. Com isso, Radwanska terminou o primeiro set na frente, com 7/5 no placar.

Precisando do resultado no set seguinte, Caroline Wozniacki voltou a apresentar boa forma quebrando todos os serviços de sua adversária e sendo quebrada apenas duas vezes. Com isso, fechou o segundo set em 6/2.

No terceiro e decisivo set, Radwanska começou bem e obrigou Wozniacki a defender dois break points para confirmar seu serviço no primeiro game. As tenistas continuaram confirmando seus serviços até o sexto game, quando a dinamarquesa conseguiu quebrar o saque de Radwanska e abrir 4/2 no placar.

No game seguinte, Wozniacki chegou a abrir 40-0, mas permitiu a virada da polonesa, que devolveu a quebra e empatou o set no game seguinte. Mesmo assim, confirmando seu saque e conseguindo a quebra em um último game marcado pela tensão das duas tenistas, Caroline Wozniacki saiu vitoriosa do confronto.

"Azarão", medalhista de ouro não pensava no Pan: "ia sair de férias"

Rosângela Santos quase não participou do Pan de Guadalajara. Foto: Reinaldo Marques/Terra

Rosângela Santos quase não participou do Pan de Guadalajara

Grande surpresa do dia para o Brasil nos Jogos Pan-Americanos, a velocista Rosângela Santos afirmou que pensou em largar a carreira um ano após os Jogos Olímpicos de Pequim por conta das diversas lesões que teve e que não pretendia participar da competição continental. "Pensei em parar de fazer atletismo. Sofria com as lesões e com as muitas dores. Tive estiramento, lesão no joelho", disse.

"Eu nem vinha para o Pan. Eu ia sair de férias. Não pensava em disputar o Pan. Depois que competi bem no Mundial, queria descansar. Meu treinador que me fez mudar de ideia. Ele disse: 'fica duas semanas parada'. Ele disse para eu vir, que eu iria conseguir uma marca boa. Não estava acreditando muito. Mas consegui. Fiz a minha melhor marca e ouro no meu primeiro Pan", completou Rosângela.

Além do incentivo do técnico, Rosângela contou com um "empurrãozinho" de Maurren Maggi em conversa que teve com a campeã olímpica na Vila. Segundo a velocista, as palavras da experiente saltadora fizeram a diferença para ganhar mais autoestima antes da prova desta terça-feira.

"O segredo é você, mesmo não tendo muita confiança, criar sua autoconfiança, sua autoestima. E conversar com as pessoas que te dão apoio. Por exemplo, em uma conversa com a Maurren , eu disse que não estava esperando muita coisa do Pan. E ela disse: 'É quando a gente menos espera que consegue as melhores marcas'", contou.

Após a medalha de ouro, Rosângela se mostrou sem saber como agir. "Minha ficha não caiu, estou tremendo. Estou muito feliz. É isso aí, ouro é do Brasil. Enfim, não sei nem o que dizer". Com as esperanças brasileiras depositadas muito mais em Ana Cláudia Lemos do que nela, Rosângela ressaltou que na hora da prova, não é estar melhor ranqueada que faz a diferença. "Foi provado que ranking não conta. Conta o momento, a hora da prova, quem está mais concentrada. Graças a Deus fui a melhor", afirmou.

Mesmo com o melhor tempo da sua vida (11s22), Rosângela ainda encontrou erros em sua performance. "Não gosto de entrar com tanta confiança. Às vezes atrapalha, então estou sempre com o pé atrás. Minha largada foi horrível, meu técnico vai me matar, poderia ter feito um tempo melhor. Fui recuperando, vi a americana do lado, não me desesperei", explicou.

Leão reestreia no São Paulo em busca de nova "Conmebol"

Após vencer o primeiro jogo, o São Paulo precisa de um empate para avançar na Sul-Americana. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

Após vencer o primeiro jogo, o São Paulo precisa de um empate para avançar na Sul-Americana

Em 1997, o então pouco cotado Emerson Leão era uma aposta contestável no Atlético-MG, mas iniciou sua caminhada para ser um técnico de alto escalão ao vencer a Conmebol naquele ano, repetindo o título em 1998 com o Santos. Um passaporte para a glória que ele pode começar a repetir na reestreia pelo São Paulo às 21h50 (de Brasília) desta quarta-feira, contra o Libertad, no estádio Nicolás Leoz, no Paraguai.

A partida garante a classificação para as quartas de final da Copa Sul-americana, competição secundária do continente como era a Conmebol nos anos 1990. O São Paulo passa mesmo em caso de derrota por até um gol de diferença, caso marque na casa do adversário, já que venceu o primeiro confronto por 1 a 0 no Morumbi, com gol de Luis Fabiano, sob o comando interino de Milton Cruz.

Para Leão, vale mais. Sem um trabalho elogiável desde quando salvou o Corinthians do rebaixamento no Brasileiro de 2006, o treinador tem a oportunidade de conquistar uma nova taça minimizada por muitos, mas que em 1997 e 1998 abriu o caminho para ele comandar grandes clubes e chegar até à Seleção Brasileira. Exatamente o que o ex-goleiro deseja agora após um ano desempregado e passagens pelos rebaixados Sport e Goiás nas duas últimas temporadas. Para o São Paulo, ainda é a manutenção do sonho por uma vaga na Libertadores em duas frentes - como campeão da Sul-americana ou terminando entre as quatro primeiras posições do Campeonato Brasileiro. Também por isso, o técnico, que chegou até a literalmente ter o rosto quebrado na final da Conmebol em 1997, contra o Lanús, na Argentina, reforça o aspecto decisivo da partida, que saiu do Defensores Del Chaco para ser disputada no Nicolas Leoz, um alçapão com capacidade para 10 mil torcedores.

"Se eu fosse jogador do nosso adversário, eu estaria contando os minutos para jogar. É a vida ou o resultado", declarou Leão. "O São Paulo tem meio resultado, mas precisa confirmar o que fez no Morumbi", continuou, ainda indisposto a escolher entre Brasileiro ou Sul-americana para colocar a equipe na Libertadores de novo.

Essa dúvida não faz parte do Libertad. Na briga pelo título paraguaio, o técnico Jorge Burruchaga ainda não quer abrir mão da Copa Sul-americana, embora valorize mais a conquista nacional. De qualquer forma, não aceitará um vexame em seu estádio, em Assunção.

Diferentemente da postura adotada no Morumbi, quando teve sempre nove jogadores no campo defensivo e dois atacantes prontos para o contra-ataque, o time paraguaio deve avançar mais. Mas sem deixar espaços para sofrer um gol que complicaria ainda mais a missão de avançar na Sul-americana.

"Será uma partida distinta. Devemos ser inteligentes para não levarmos gol e sabermos que há 90 minutos para fazermos o melhor e nos classificarmos. A disputa está aberta, mas estramos conscientes de que os 180 minutos são de jogos distintos. Logicamente, o São Paulo vai administrar sua mínima vantagem", previu o técnico argentino.

FICHA TÉCNICA
LIBERTAD X SÃO PAULO

Local: estádio Nicolás Leoz, em Assunção (Paraguai)
Data: 26 de outubro de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)
Assistentes: Eduardo Díaz e Wilson Berrio (ambos da Colômbia)

LIBERTAD: Medina; Bonet, Benegas, Canuto e Samudio; Víctor Ayala, Sergio Aquino, Víctor Cáceres e Civelli, Robin Ramírez e Menéndez
Técnico: Jorge Burruchaga

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Piris, João Filipe, Rhodolfo e Juan; Denilson, Wellington, Lucas e Cícero; Dagoberto e Luis Fabiano
Técnico: Emerson Leão

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Palmeiras faz campanha de rebaixado no segundo turno

Alviverde em partida do primeiro turno do torneio nacional, período no qual somou 32 pontos, contra apenas nove no returno. Foto: Ivan Pacheco/Terra

Alviverde em partida do primeiro turno do torneio nacional, período no qual somou 32 pontos, contra apenas nove no returno

A série de seis partidas sem vitórias no Campeonato Brasileiro coloca o Palmeiras cada vez mais em risco no torneio. Mesmo permanecendo no grupo de classificação à Copa Sul-Americana, o que poderia servir para mostrar que o time não é tão fraco assim, a equipe apresenta campanha de time rebaixado no segundo turno do Nacional.

Nesta segunda parte da competição, o grupo comandado pelo técnico Luiz Felipe Scolari somou apenas nove pontos, com uma vitória, seis empates e cinco derrotas. De fato, seu aproveitamento no returno é superior somente ao de Cruzeiro e Ceará, que acumularam sete pontos no período.

A única coisa que mantém o Palmeiras fora da zona de rebaixamento é a campanha do primeiro turno, quando somou 32 pontos. Nas rodadas passadas, porém, com os péssimos resultados conquistados tanto dentro quanto fora de casa, o clube deu de vez adeus ao sonho de se classificar para a Copa Libertadores do ano que vem.

Antes exaltado por sua solidez defensiva, a equipe vê agora o Corinthians como dono da zaga menos vazada do Brasileiro. Além disso, o alviverde tem um dos piores ataques do returno, com apenas 11 gols no período, número que só supera os registrados por Atlético-PR e Ceará.

Em 13º no torneio, o time de Felipão busca a recuperação na noite de domingo, quando enfrenta o ameaçado Atlético-MG em Sete Lagoas.

Ouro solitário, fiascos do Brasil e ira de Romário marcam 10º dia do Pan

Marcel Stürmer confirmou o favoritismo e trouxe o único ouro do dia para o Brasil. Foto: Ivan Pacheco/Terra

Marcel Stürmer confirmou o favoritismo e trouxe o único ouro do dia para o Brasil

O Brasil não contou com a sorte em seu 10º dia de participação nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara nesta segunda-feira. Com exceção de um ouro solitário de Marcel Stürmer, que brilhou no programa longo da patinação artística, o País viu seus atletas tropeçarem em algumas decisões que eram considerados favoritos, como nas finais do handebol e do salto com vara, e também protagonizaram alguns fiascos, como na semifinal do basquete feminino e na ginástica. Além disso, o dia também foi marcado pela ira do ex-atacante Romário, que disparou contra a CBF em seu Twitter pessoal.

"É uma pena que ainda nos dias de hoje existam essas babaquices por parte de uma entidade como a CBF. Só pode ser sacanagem. E o pior, ninguém toma uma decisão para resolver essa vergonha", declarou o ex-camisa 11 em seu microblog, pouco antes de responder a um internauta que lhe questionou a respeito do jogo que custou a eliminação precoce do Brasil no futebol masculino na noite anterior: "tomamos um pau de 3 a 1 da Costa Rica", completou o ex-atleta, que viajou a Guadalajara para comentar as partidas por uma emissora de televisão.

Ouro solitário

Depois de passar por um susto em Porto Alegre, onde os equipamentos e patins necessários para disputar os Jogos Pan-Americanos foram roubados, o brasileiro Marcel Stürmer confirmou o favoritismo e trouxe o único ouro do dia para o Brasil. Nesta segunda, o competidor brilhou no programa longo da competição em Guadalajara ao tirar 134.20 e assegurar o tricampeonato do evento mais importante do esporte nas Américas.

Fiasco no basquete

A Seleção Brasileira feminina, uma das favoritas ao ouro da modalidade no Pan-Americano mexicano, apresentou um basquete irreconhecível e perdeu a chance de ir à final dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Nesta segunda-feira, a equipe sofreu "apagões" no segundo e terceiro quartos, e foi derrotada pelo inexpressivo time de Porto Rico por 69 a 68. O tropeço ainda teve tons dramáticos, com Damiris tendo a bola do jogo nas mãos a um segundo do fim e desperdiçando.

Decepção na ginástica

Os erros da Seleção Brasileira feminina de ginástica custaram a medalha de bronze para o time, que participou da decisão por equipes na primeira rotação. A equipe mexicana somou 214.325 pontos e conquistou a medalha de bronze. A apresentação nacional, com 209.825, ficou atrás até da pouco tradicional Colômbia, quarta colocada com 209.975. Os Estados Unidos, favoritos, acabaram com o ouro (219.750) e o Canadá com a prata (217.450).

A apresentação da equipe brasileira ficou marcada pelas quedas durante o exercício solo de Adrian Nunes. A ginasta, em seu último salto, não conseguiu cravar a aterrissagem e caiu com o tórax no chão. No entanto, ela não foi a única a falhar. Principal atleta brasileira no exercício do solo, Daiane dos Santos também foi mal. Ela não conseguiu cravar um salto e caiu de costas.

Já na classificação individual, Daniele Hypólito avançou para disputar a final em dois aparelhos: no salto sobre a mesa, em que terá a companhia de Adrian Nunes, e no solo, justamente o local no qual a equipe decepcionou com diversos erros. A outra atleta nacional em decisão é Priscila Cobello, na trave de equilíbrio. Nenhuma das outras, nem Daiane dos Santos, maior esperança no solo, conseguiu avançar às finais.

Quedas no handebol e salto com vara

Em Guadalajara, pela terceira edição consecutiva, Brasil e Argentina se encontraram na final masculina de handebol dos Jogos Pan-Americanos. Mas, diferentemente do que aconteceu em 2003 e 2007, os argentinos deram o troco e venceram por 26 a 23, deixando o Brasil sem o tricampeonato e sem a vaga para a Olimpíada de Londres, dedicada apenas à equipe que faturasse o título continental. Agora, resta ao País buscar a vaga olímpica em torneio que será disputado com outros três times europeus.

Já no salto com vara, a brasileira Fabiana Murer, favorita ao ouro na categoria, e a cubana Yarisley Silva travaram um duelo emocionante no Estádio Telmex de Atletismo. Pior para Murer, que viu a rival realizar uma apresentação quase perfeita, acertando todos os saltos até a marca de 4,75 m - novo recorde pan-americano e errando apenas as tentativas de pular sobre 4,80 m. Murer conseguiu chegar até os 4,70 m e terminou apenas com a prata, deixando o primeiro lugar no pódio para a adversária.

Três bronzes e uma prata

A patinadora brasileira Talitha Haas brilhou e, depois de um desempenho abaixo do esperado no primeiro dia, se recuperou, foi soberana no programa longo e conquistou o terceiro posto no pódio para o Brasil. No atletismo, Ronald Julião surpreendeu no arremesso de disco, acertou todos os seus lançamentos e, no quarto deles, alcançou a marca de 61,70 m, um centímetro atrás do segundo colocado, o americano Jarred Rome, ficando com o bronze.

Para completar, com o tempo de 14min16s11, o brasileiro Joilson Silva cruzou a linha de chegada dos 5.000 m, conseguindo o terceiro lugar no Estádio Telmex de Atletismo. Com apenas dois centésimos de segundo de vantagem, Joilson ficou à frente do também mexicano Juan Carlos Romero, que fez o melhor tempo de sua carreira.

Já a prata no atletismo veio com a fundista brasileira Cruz da Silva, que não conseguiu resistir ao melhor ritmo da mexicana Marisol Romero, mas foi capaz de salvar a participação nos 10.000 m. Com o tempo de 34min22s44, a atleta nacional chegou em segundo e conquistou a prata. O bronze ficou com a colombiana Yolanda Caballero.

Show e desclassificação anulada no boxe

O brasileiro Julião Henriques Neto arrasou nesta segunda-feira Jhon Nelson Corona, de El Salvador, por 25 a 5, pelo peso mosca (52 kg), e se classificou à semifinal do boxe nos Jogos Pan-Americanos. De quebra, o atleta nacional garantiu o bronze na modalidade.

Já Robson da Conceição massacrou o americano Toka Titus Kahn-Clary por 21 a 6, na Arena Expo Guadalajara, pela categoria dos leves (60kg). O resultado também levou o atleta do Brasil à semifinal da modalidade, garantindo ao menos um bronze para o País.

Por outro lado, Yamaguchi Falcão deixou o ringue derrotado pelo dominicano Felix Varela, que alegou um golpe baixo e conseguiu eliminar o brasileiro. Entretanto, horas depois, a organização do Pan de Guadalajara voltou atrás na decisão e classificou o brasileiro por nocaute, que permaneceu mais de 10 segundos (contagem completa) no solo.

Brasileiro ressalta show de goleiro argentino, mas diz: "erramos muito"

Destaque da final do handebol masculino, goleiro argentino parou o ataque brasileiro. Foto: Reinaldo Marques /Terra

Destaque da final do handebol masculino, goleiro argentino parou o ataque brasileiro

A derrota da Seleção Brasileira para a arquirrival Argentina, por 26 a 23, na final do handebol masculino nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, tirou a chance do País conquistar o tri do torneio e adiou o sonho da vaga para a Olimpíada de Londres, em 2012. O goleiro brasileiro Maik apontou os dois principais vilões do réves: o excesso de chances desperdiçadas pelo ataque e a grande atuação do arqueiro argentino Carlos Schulz, que deu um show e fez ótimas defesas.

"Erramos muito na finalização. Eu acho que a gente só tem que agradecer o esforço e lamentar que a medalha de ouro não veio. Tem dia que você está bem e tem dia que está mal. Paciência, é seguir lutando para tentar a vaga olímpica no Pré-Olímpico que teremos pela frente", afirmou.

Triste com a derrota, o goleiro brasileiro reconheceu a grande partida realizada por Carlos Schulz e elogiou o rival. "Com certeza a atuação dele foi acima da média. Ele já tinha feito um belo Mundial e encontrou o tempo certo das nossas finalizações. Tenho somente que dar os parabéns pelo que ele fez essa noite", afirmou Maik, um dos jogadores mais vibrantes da equipe brasileira e que também teve boa atuação na decisão.

"Tentei ajudar da minha forma, inibindo os gols deles, principalmente no segundo tempo. Eu acreditei desde o começo e com as defesas eu chamava a torcida e tentava levantar o nosso time. Mas a Argentina foi superior", lamentou o jogador.

Maik ressaltou a ótima preparação realizada pela Seleção para o Pan. Os jogadores ficaram mais de 200 dias longe de casa para tentar conquistar a medalha de ouro e a vaga olímpica. Apesar do esforço, o goleiro lamentou a chance perdida e afirmou que a meta agora é focar no Pré-Olímpico.

"Nos preparamos desde março. Não faltou nada para gente na preparação. Essa equipe era somente um grupo e se tornou um time forte e unido. Só faltou a vitória. A gente fez tudo o que pôde e nos dedicamos até o fim. A Argentina se dedicou e temos que dar os parabéns. Agora é pensar que ainda tem o Pré-Olímpico", disse o atleta.

Neymar estaria entre finalistas ao prêmio de melhor do mundo

Neymar foi campeão da Libertadores, do Paulista e do Sul-Americano Sub-20. Foto: Ricardo Ramos/Gazeta Press

Neymar foi campeão da Libertadores, do Paulista e do Sul-Americano Sub-20

O nome de Neymar consta na relação de 50 finalistas que a imprensa europeia especula concorrer ao prêmio Bola de Ouro da Fifa, que indica o melhor da temporada 2011. Oficialmente, a revista France Football irá anunciar, em novembro, o nome de 23 concorrentes. No mês seguinte, a Fifa fecha os três jogadores e, em janeiro, o vencedor é anunciado.

Neymar é o único jogador em atividade na América do Sul que faz parte do grupo de 50 nomes que a imprensa europeia lista nesta terça-feira. O Barcelona tem 10 representantes e é o clube mais bem representado. Bayern de Munique, com seis jogadores, e o Real Madrid, com cinco, viriam em sequência.

Segundo o jornal catalão Sport, a relação teria os seguintes 34 nomes*:

Barcelona: Daniel Alves, Puyol, Piqué, Abidal, Xavi, Iniesta, Fabregas, Messi, Villa e Alexis Sánchez
Real Madrid: Casillas, Xabi Alonso, Cristiano Ronaldo, Khedira e Özil
Bayern: Schweinsteiger, Lahm, Gómez, Müller, Robben e Ribery
Manchester United: Rooney e Chicharito Hernández
Manchester City: Agüero e David Silva
Arsenal: Van Persie
Tottenham: Van der Vaart
Liverpool: Luis Suárez
Inter de Milão: Sneijder e Forlán
Lazio: Klose
Udinese: Di Natale
Anzhi: Samuel Eto'o
Santos: Neymar

* 16 nomes não teriam vazado à imprensa

Leão vê garotos são-paulinos como realidades, mas detecta inexperiência

  1. Notícia
  2. Vídeo

O volante Casemiro é uma das apostas do técnico Emerson Leão nessa nova passagem pelo São Paulo. Foto: Luiz Pires/VIPCOMM/Divulgação

O volante Casemiro é uma das apostas do técnico Emerson Leão nessa nova passagem pelo São Paulo

Um dos melhores trabalhos da carreira de Emerson Leão como treinador foi no Santos, em 2002, quando a segunda geração de Meninos da Vila faturou o título brasileiro guiada por jovens como Diego e Robinho. Agora no São Paulo, ele se sente pronto para dirigir outras promessas do futebol brasileiro, como Lucas e Casemiro.

"O treinador de uma grande equipe não precisa de recomendação em relação a garotos. Nossa obrigação é preparar sempre o futuro e às vezes o futuro é também o presente. Eles já passaram pela Seleção, não são mais garotos, são realidades", comentou Leão.

Entre os jovens são-paulinos, Lucas e Casemiro já defenderam a Seleção Brasileira principal, enquanto Bruno Uvini, Henrique, Wellington, Henrique Miranda e Willian José (o único que não foi formado em Cotia) têm passagens pelas divisões inferiores. Outras promessas do elenco são Luiz Eduardo e Rodrigo Caio.

Apesar da experiência com a amarelinha, dos altos salários e da fama precoce, Leão ainda detecta certa falta de experiência e espera auxiliar os jovens com sua vivência. "Eles têm muito caminho para percorrer. Se você observar as idades desses jogadores, vai ver que estão em fase de aprendizado e qualquer ajuda é benéfica. Nós estamos aqui para ajudá-los".

O comandante fará sua estreia pelo São Paulo nessa quarta, no jogo de volta pelas oitavas de final da Sul-americana, contra o Libertad, no Paraguai. Wellington e Lucas devem ser titulares.

sábado, 15 de outubro de 2011

Em quinto no grid, Massa espera se livrar de "incidentes estranhos"

Felipe Massa espera corrida da Coreia do Sul sem incidentes. Foto: Getty Images

Felipe Massa espera corrida da Coreia do Sul sem incidentes

O brasileiro Felipe Massa largará na quinta posição no Grande Prêmio da Coreia do Sul de Fórmula 1, neste domingo, e diz estar confiante para a corrida. Ele só torce para que a prova transcorra sem incidentes, diferentemente de suas últimas corridas na temporada.

"Vamos ver como as coisas vão amanhã. Estou confiante. Se nada estranho acontecer comigo, como tem sido o caso nas últimas corridas, acho que podemos fazer um bom trabalho", afirmou o brasileiro, que larga um posto à frente de seu companheiro Fernando Alonso.

Foi justamente no Grande Prêmio da Coreia do Sul do ano passado em que Felipe Massa subiu pela última vez ao pódio na categoria. Na prova de 2010, ele ficou com a terceira colocação, atrás do britânico Lewis Hamilton, pole position este ano, e Fernando Alonso.

"Talvez hoje à noite eu assista àquela corrida de novo, mesmo que as condições climáticas tenham sido muito diferentes do que as que esperamos amanhã", afirmou Massa. Nesta temporada, o melhor resultado do ferrarista é a quinta posição, obtidas nos GPs da Malásia, Europa, Inglaterra e Alemanha.

Hypolito é bronze no solo e garante vaga em Londres 2012

Diego Hypolito conseguiu 15.466 pontos no solo masculino e levou o bronze no Mundial de Ginástica. Foto: Reuters

Diego Hypolito conseguiu 15.466 pontos no solo masculino e levou o bronze no Mundial de Ginástica

No penúltimo dia do Mundial de Ginástica em Tóquio, na madrugada deste sábado, Diego Hypólito fez bonito na final do solo masculino, ficou como bronze e conseguiu carimbar o passaporte para a Olimpíada de Londres 2012. Essa é a primeira medalha brasileira na competição.

Na prova, o israelense Alexander Shatilov fez a mesma pontuação de Diego e ficou empatado com o brasileiro, levando também o bronze. O ouro ficou com japonês Kochei Uchimira e a prata com o chinês Kai Zou, com 15.633 e 15.500 pontos, respectivamente.

Primeiro a competir, o brasileiro fez uma boa apresentação e, mesmo com uma falha em uma das acrobacias, conquistou a pontuação que lhe fez subir ao pódio, 15.466 pontos. Nas eliminatórias, Diego havia feito 15.500 pontos, ficando em quarto lugar.

Saiba quem são os brasileiros que podem conquistar medalhas no 1º dia

Yane Marques é favorita ao ouro no pentatlo moderno. Foto: Divulgação

Yane Marques é favorita ao ouro no pentatlo moderno

Depois da música, dos fogos e dos discursos que marcaram a cerimônia de abertura no Estádio Omnilife, as atividades esportivas dos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara, terão início, enfim, neste sábado. E, logo no primeiro dia de competições na cidade mexicana, a delegação brasileira já entrará no evento continental com boas oportunidades de abrir a contagem no quadro de medalhas. O País contará com nomes como Thiago Pereira e Yane Marques, que defenderão no México os títulos conquistados há quatro anos no Rio de Janeiro.

A primeira disputa dos Jogos Pan-Americanos contará com a presença de três atletas brasileiros. No ciclismo de mountain bike, representarão o Brasil a atual tricampeã nacional da modalidade Erika Gramiscelli, no feminino, e, Vando Cruz, medalhista de prata no Pan de Santo Domingo, em 2003, e o ex-operário e segundo colocado no Sul-Americano de Medellin, em 2010, Rubinho Valeriano, no masculino.

Também logo no primeiro dia de competições, a natação promoverá os primeiros pódios, e o Brasil possui grandes chances de conquistar o ouro com Thiago Pereira. Um dos principais destaques do Pan-Americano do Rio de Janeiro, o nadador brasileiro disputará pela manhã as eliminatórias dos 400 m medley, prova na qual defende o título conquistado há quatro anos. Na distância, ele terá a companhia de Diogo Yabe. Caso passem de fase, os dois atletas nacionais disputarão neste sábado, pela noite, a final da competição.

Também entre os homens, Giuliano Rocco e Lucas Kanieski buscam a surpresa nos 400 m livres. Já nos 400 m medley feminino, o Brasil surge como azarão. Com Joanna Maranhão, medalhista de bronze em Santo Domingo, em 2003, e Larissa Cieslak, o País tenta repetir o pódio de oito anos atrás com Joanna, até então apontada como revelação.

As mulheres terão uma maior responsabilidade de medalha neste sábado nos 100 m borboleta e no revezamento 4x100 m livre. Na prova individual, Gabriella Silva, finalista olímpica da distância em Pequim e no Mundial de Roma, em 2009, e a revelação Daynara de Paula brigarão por medalha à noite, caso passem pela fase eliminatória pela manhã.

Já no revezamento, Daynara, Flávia Delaroli, Michele Lenhardt e Tatiana Lemos encontrarão adversárias fortes na briga pelo pódio. No Rio de Janeiro, há quatro anos, por exemplo, o Brasil, mesmo com o apoio da torcida, não conseguiu uma medalha - os Estados Unidos acabaram com o ouro, o Canadá com a prata e a Venezuela com o bronze.

Na ginástica rítmica, Natália Gaudio e Angélica Kvieczynski disputam, a partir das 18h (de Brasília), a prova individual geral em busca de um lugar no pódio e podem aparecer como surpresa. Já no taekwondo, o País entra com boas chances de medalha com a campeã pan-americana de 2010, Kátia Arakaki (até 49 kg), e com o medalhista de prata no Rio de Janeiro, Márcio Wenceslau, que já entra nas quartas de final na categoria até 58 kg - os combates preliminares serão realizados entre 13h e 15h30, enquanto as semifinais e finais ocorrerão entre 19h e 21h30.

Já entre às 11h e às 19h, o Brasil defenderá uma medalha de ouro no pentatlo moderno com Yane Marques. Uma das favoritas para ocupar o lugar mais alto do pódio depois da combinação de modalidades, a pernambucana terá a companhia de uma compatriota na edição deste ano. A pernambucana Priscila Oliveira, que assegurou classificação na última disputa classificatória no Sul-Americano do Rio de Janeiro, também tentará ocupar um lugar de destaque na prova.

Confira os esportes que serão transmitidos pelo Terra neste sábado (horários de Brasília):

11h55 - 14h03: eliminatórias da natação
- 100 m borboleta feminino
- 400 m medley masculino
- 400 m medley feminino
- 400 m livre masculino
- revezamento 4 x 100 m livre feminino

12h55 - 15h30: oitavas e quartas de final do taekwondo
- masculino até 58 kg
- feminino até 49 kg

14h50 - 19h03: fase de grupos do vôlei - feminino
- Estados Unidos x Porto Rico
- Cuba x Canadá

14h50 - 19h03: fase de grupos do handebol - feminino
- Brasil x Estados Unidos
- Argentina x Porto Rico

17h55 - 21h30: ginástica rítmica - fase classificatória e final do individual geral

18h55 - 21h28: taekwondo - semifinal e decisão de medalhas
- masculino até 58 kg
- feminino até 49 kg

19h50 - 23h30: fase de grupos do vôlei - feminino
- México x Peru
- Brasil x República Dominicana

19h50 - 23h30: fase de grupos do handebol - feminino
- República Dominicana x Uruguai
- México x Chile

20h55 - 23h03: natação - finais
- 100 m borboleta feminino
- 400 m medley masculino
- 400 m medley feminino
- 400 m livre masculino
- revezamento 4 x 100 m livre feminino

Chicharito entra, empata para o Manchester e impede festa do Liverpool

Gerrard abriu o placar, mas Manchester buscou empate com Chicharito Hernández. Foto: Getty Images

Gerrard abriu o placar, mas Manchester buscou empate com Chicharito Hernández

O brilho do mexicano Javier Chicharito Hernández, neste sábado, salvou o Manchester United e impediu vitória do Liverpool em Anfield Road no clássico de maior rivalidade do Campeonato Inglês. Steven Gerrard havia aberto o placar em cobrança de falta, mas Chicharito saiu do banco de reservas para decretar o empate por 1 a 1.

O empate em casa leva o Liverpool a 14 pontos e mantém a equipe de Gerrard fora do grupo de classificação para a próxima Liga dos Campeões. Líder do Inglês, o United vai a 20 e pode de ser ultrapassado pelo City, que recebe o Aston Villa ainda neste sábado.

A partida em Anfield Road teve presença ilustre: nas arquibancadas do Anfield Road, o ala LeBron James, do Miami Heat, acompanhou o clássico de forma atenta. LeBron, vice-campeão da NBA na última temporada, é acionista mijoritário do Liverpool, e até se arriscou com o cachecol do time da casa.

Com a bola rolando, a etapa inicial teve poucas emoções. Alex Ferguson poupou Nani, Javier Chicharito Hernández e Wayne Rooney, que iniciaram o jogo no banco de reservas. Já o Liverpool teve o retorno de Steven Gerrard à equipe titular após cerca de seis meses de inatividade e um retorno lento aos gramados no início do Campeonato Inglês.

Phil Jones, de cabeça, participou bem em cruzamento da esquerda na grande área do Liverpool. O time da casa assustou em bola alçada por Gerrard que cruzou toda a área do Manchester e por pouco não morreu nas redes de De Gea. Suárez, aos 33min, teve a melhor chance ao recolher bola solta, fintar a marcação e exigir grande defesa do goleiro espanhol.

O segundo tempo foi mais movimentado e, aos 23min, o Liverpool abriu o placar. Em falta próxima da área, Steven Gerrard cobrou bonito, por baixo, e contou com vacilo de Ryan Giggs na barreira para abrir o marcador. Foi o primeiro gol do capitão desde janeiro.

Ferguson, que havia lançado seus reservas mais preciosos, acabou premiado aos 36min do segundo tempo. Após cobrança de escanteio, o mexicano Chicharito se aproveitou de bola desviada no primeiro pau e mergulhou, de cabeça, para decretar o empate em Anfield Road.

Nos minutos finais, o Liverpool ainda impôs pressão ao Manchester, que se segurou graças a grandes participações do espanhol De Gea. Primeiro, ele impediu gol de Kuyt após cruzamento de Downing pela esquerda. Depois, salvou chute de longe do meia Henderson. A última chance foi de Suárez, que parou em Rooney, na pequena área.

Sem jogos em BH, times mineiros lutam para evitar queda tripla

Estádios vazios e resultados inesperados cercam a camapanha dos times mineiros no Brasileiro deste ano. Foto: Vinnícius Silva/Futura Press

Estádios vazios e resultados inesperados cercam a campanha dos times mineiros no Brasileiro deste ano

Pode ser coincidência ou causa. Mas o fato é que, com o fechamento do Mineirão e Independência para reformas, Cruzeiro, Atlético-MG e América-MG amargam o pior desempenho na Série A desde o início da era dos pontos corridos em 2003. Jogando longe de Belo Horizonte, predominantemente em Sete Lagoas, os times mineiros flertam com um rebaixamento triplo no Campeonato Brasileiro.

Atualmente, a média de pontos de América-MG, Atlético-MG e Cruzeiro é de 28,3 pontos ganhos, sendo que os dois primeiros ocupam a zona do rebaixamento, enquanto os cruzeirenses estão na 16ª colocação, a apenas uma do descenso.

O pior desempenho dos mineiros havia sido em 2004 e 2005 Em 2004, o Cruzeiro era o 12º colocado e o Atlético-MG, o 17º, quando 24 equipes disputavam o torneio. Já em 2005, com 22 clubes, o Cruzeiro disputou as primeiras posições e o Atlético-MG acabou rebaixado.

Crise no bolso

Quanto ao prejuízo financeiro, os números são assustadores, principalmente, em relação às bilheterias. Com o fechamento do Mineirão em meados de 2010, o faturamento do Atlético-MG caiu cerca de R$ 6 milhões anuais.

Em relação ao Cruzeiro, a maior perda foi no Programa Sócio do Futebol, que chegou a 20 mil torcedores e, hoje, restaram 3 mil. De acordo com o balanço anual do ano passado, a equipe teve uma queda de arrecadação de apenas R$ 285 mil com a mudança dos jogos da capital para o interior (Sete Lagoas, Uberlândia e Ipatinga).

Porém, a tendência é de que o faturamento do Cruzeiro com bilheteria em 2011 diminua significativamente. Em 2010, o clube celeste utilizou o Mineirão na Copa Libertadores além de ter tido bons públicos quando enfrentou Corinthians, Flamengo e São Paulo, no Estádio Parque do Sabiá, em Uberlândia.

Em 2011, em levantamento até a 23ª rodada do Brasileiro, o Atlético-MG ocupava a 10ª posição com 13.151 pagantes por jogo, o Cruzeiro era o 15º com 8866 pessoas por jogo, e o América-MG, o último, com apenas 2.493 pagantes por partida.

Os dirigentes dos três clubes de Belo Horizonte acreditam que a falta de estádios na capital mineira influencia diretamente no desempenho ruim de todos eles na Série A. "O resultado ruim se deve 60% ao fator mando de campo e 40% ao time que não se encontrou", afirma Eduardo Maluf, diretor de futebol do Atlético-MG.

"Sete Lagoas abriu as portas para nos receber, mas não é a mesma coisa. Também jogamos em Uberlândia. O reflexo é dentro de campo. É o segundo ano seguido. No primeiro momento dá a sensação de que é uma coisa de improviso. Mas, agora, estamos no segundo ano e o desgaste, as viagens e o lado financeiro começam a pesar mais", explica o diretor de futebol do América-MG, Alexandre Mattos.

O desempenho do Cruzeiro, vice-campeão brasileiro em 2010, boa parte do torneio sem atuar no Mineirão, gera maiores questionamentos. Além de ter trocado quatro técnicos na temporada, a diretoria negociou vários jogadores titulares no decorrer do ano: lateral Jonathan, volante Henrique, zagueiro Gil, atacante Thiago Ribeiro além do meia Dudu, destaque no Mundial Sub-20 com a Seleção Brasileira.

O presidente eleito do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, também justifica o fracasso da Raposa no Campeonato Brasileiro pela falta de estádios em Belo Horizonte.

"É preciso raciocinar em cima da atual situação. O clube disputou o Brasileiro com falta de um estádio em BH. O problema não é jogar na Arena (do Jacaré, em Sete Lagoas). O problema e que, no Mineirão, tínhamos 20 mil torcedores do sócio-torcedor. Com a transferência, tivemos que passar a fazer os jogos no interior, onde não tínhamos o projeto", pondera".

"Perdemos renda, torcida, e isso ajudou, inclusive, a inviabilizar e montar o time do mesmo nível de 2010. Em 2010, mesmo fora, conseguimos ser vice. Mas seríamos campeões se os jogos tivessem sido disputados no Mineirão. Fomos prejudicados técnica e financeiramente com a falta do Mineirão", completa.

O Governo do Estado de Minas Gerais, responsável pelas reformas dos estádios mineiros, garante que as obras do Independência serão concluídas em dezembro de 2011. Porém, o prazo de entrega foi alterado diversas vezes por questões burocráticas. Somados recursos dos governos federal e estadual, a reforma do estádio Independência vai custar R$ 120 milhões.

De acordo com a Secopa, estão em andamento a montagem da cobertura, a construção do estacionamento externo, revestimentos internos das paredes e ainda a vedação dos prédios e das arquibancadas.

Respiro

A última rodada foi relativamente positiva, com vitórias do Atlético e do América. Os resultados , no entanto, colocaram mais pressão no rival Cruzeiro, que apenas empatou com o Bahia. Com apenas um ponto de diferença na tabela (31 a 30), atleticanos e cruzeirenses podem inverter de posição dependendo dos placares diante dos líderes Vasco e Corinthians, respectivamente, no domingo. Na lanterna com 24 pontos, o América-MG enfrenta o Figueirense em Florianópolis em busca de ar.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Atlético-MG terá sete desfalques para enfrentar o Vasco

O meia Daniel Carvalho não jogará contra o Vasco. Foto: Agência Lance

O meia Daniel Carvalho não jogará contra o Vasco

O Atlético-MG terá mais de meio time de desfalques para a partida deste domingo, às 18h (de Brasília), contra o Vasco da Gama, em São Januário. O técnico Cuca não poderá contar com o zagueiro Réver, volante Pierre e o meia Bernard, todos suspensos, sem contar com atletas lesionados: os atacantes Guilherme e Marquinhos Cambalhota, o meia Daniel Carvalho e olateral esquerdo Triguinho.

Logo após a vitória por 2 a 1 sobre o Santos, Cuca preferiu não lamentar os desfalques para o fim de semana. "Joga outro e vai jogar bem porque está bem trabalhado, esperando sua hora. Não trabalhamos 11, mas uma equipe, por isso diminuiu o número de jogadores. Trabalhamos 24, 25 jogadores do mesmo jeitinho. Não tem uma disparidade grande. Perde alguma coisa, que é o conjunto, mas ganha oportunidade para outros. Isso, às vezes, é até melhor que o próprio conjunto", explica.

Mesmo sem confirmar oficialmente, na defesa Werley deverá ser o substituto de Réver. Para a vaga de Pierre, Serginho é o favorito. Na lateral-esquerda, Richarlyson e Eron são as opções. No meio-campo, o técnico Cuca tem como opções: Renan Oliveira, Didira, Mancini e Wesley. No ataque, a tendência é que a dupla seja mantida com André ao lado de Magno Alves.

O comandante relacionou 20 atletas para viagem ao Rio de Janeiro. Neste sábado pela manhã, os jogadores fazem o último treinamento antes do confronto contra o Vasco.

Confira a lista dos atletas relacionados:

Goleiros: Renan Ribeiro e Lee
Laterais: Carlos César e Eron
Zagueiros: Werley, Leonardo Silva e Lima
Volantes: Dudu Cearense, Serginho, Fillipe Soutto, Richarlyson e Gilberto
Meias: Renan Oliveira, Didira, Wesley e Mancini
Atacantes: Magno Alves, Jonatas Obina, Neto Berola e André

Dortmund vence Werder fora, embala e assume vice-liderança

Borussia Dortmund venceu o Werder Bremen por 2 a 0 nesta sexta-feira. Foto: Reuters

Borussia Dortmund venceu o Werder Bremen por 2 a 0 nesta sexta-feira

O Borussia Dormund visitou o Werder Bremen, no Weserstadion, nesta sexta-feira e venceu por 2 a 0, em partida válida pela nona rodada do Campeonato Alemão. Com o resultado, o atual campeão alemão, que conquistou sua terceira vitória consecutiva na competição, chega a 16 pontos e assume, pelo menos até o sábado, a segunda posição na tabela. Já o Werder Bremen, que até então era o vice-líder, possui os mesmos 16 pontos, porém cai para a quarta colocação.

Atuando em casa e com um jogador a mais desde o início do segundo tempo, o Werder Bremen dominou a maior parte do jogo desta e criou diversas chances de gol, porém não conseguiu balançar as redes. Já o Borussia Dortmund soube aproveitar suas poucas oportunidades e garantiu a vitória com um gol em cada etapa.

O duelo começou bastante agitado e com as duas equipes alternando investidas no campo de ataque, sobretudo em jogadas pelos lados do campo. Porém, as oportunidades de gol eram poucas devido à forte marcação de ambos os times. Com o tempo, os mandantes passaram a dominar a partida e, atuando bastante pelas pontas e acionando com frequência o atacante Pizarro, assustavam o Borussia Dortmund.

Apesar disso, quem marcou o único da primeira etapa foi o time visitante. Aos 42min, Sven Bender recebeu passe de Robert Lewandowski e acionou Ivan Perisic na área. O meia croata escapou da marcação de Sokratis Papastathopoulos e chutou forte para superar o goleiro Sebastian Mielitz.

Na volta para a etapa final, o autor do gol, Perisic, chegou forte em Sokratis, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso de campo, com menos de um minuto após o início do segundo tempo. Empurrado pelo seu torcedor e com um jogador a mais, o Werder Bremen deu sequência à pressão que exercia durante boa parte dos primeiros 45 minutos. A equipe do brasileiro Naldo chegou a marcar com Aaron Hunt, aos 11min, porém a arbitragem assinalou a posição irregular do jogador.

Nesse panorama, o time mandante seguia no campo de ataque e pressionando o adversário, que levava perigos em raros contra-ataques. No entanto, assim como no primeiro tempo, o Borussia Dortmund conseguiu balançar as redes, apesar do domínio do Werder Bremen, que chegou a acertar uma bola na trave. Aos 27min, Hummels desviou após cobrança de escanteio e Owomoyela, na pequena área, completou para o fundo do gol, dando números finais ao confronto. Até o apito final, os mandantes continuavam criando chances de gol, porém não obtiveram sucesso.

Na próxima rodada do Campeonato Alemão, o Werder Bremen visitará o Augsburg às 15h30 (de Brasília) no próxima sexta-feira. Um dia depois, o Borussia Dortmund receberá o Colônia, às 10h30.

Ross Brawn quer acordo justo sobre custos na Fórmula 1

Um acordo para a redução de custos na Fórmula 1 está por um triz, porque as grandes equipes estão começando a sentir os efeitos do aperto de cintos, disse nesta sexta-feira o chefe da equipes Mercedes, Ross Brawn.

O Acordo de Restrição de Recursos (RRA, na sigla em inglês) foi acertado por todas as equipes para proteger a categoria e ajudar as escuderias menores a sobreviverem em meio à crise financeira iniciada em 2008. O acordo expira no ano que vem.

Mas há especulações de que algumas equipes estão desrespeitando o acordo ou encontrando maneiras de disfarçar seus gastos reais. "Acho que (o acordo) está numa encruzilhada, porque está começando a morder aqueles três ou quatro times que precisam controlar seus recursos para se adequarem", disse Brawn na Coreia do Sul, cenário do próximo GP.

A própria Mercedes fez contratações técnicas vultosas e precisa pagar o salário de um grande astro como Michael Schumacher. A Red Bull, virtual bicampeã do Mundial de Construtores, também é alvo de rumores sobre os seus gastos.

Brawn disse que o problema com o acordo é que ele não foi suficientemente estruturado para ter mecanismos de controle adequados.

Murray vence Ebden sem dificuldades e avança em Xangai

Murray vibra com vitória sobre Matthew Ebden. Foto: Getty Images

Murray vibra com vitória sobre Matthew Ebden

O quarto integrante das semifinais do Masters 1000 de Xangai foi definido na manhã desta sexta-feira. Contra o australiano Matthew Ebden, o inglês Andy Murray mostrou o motivo por ser apontado um dos favoritos ao título da competição e avançou no torneio na China ao derrotar o adversário por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 6/2.

Com o resultado, o inglês terá como rival na próxima fase o jovem japonês Kei Nishikori, grande sensação do Masters 1000 até o momento.

Apesar de mostrar uma falta de foco no início do confronto, Murray superou as falhas do começou do set e fez 6/3 diante de Ebden. Já no segundo set, o inglês aproveitou o cansaço do adversário e mostrou sua técnica e classe ao vencer por 6/2 e encerrar a partida.

Corinthians trocaria Jorge Henrique mais R$ 14,5 mi por Montillo

Montillo está na mira dos dirigentes do Corinthians, que poderiam envolver Jorge Henrique no negócio. Foto: Washington Alves/Vipcomm/Divulgação

Montillo está na mira dos dirigentes do Corinthians, que poderiam envolver Jorge Henrique no negócio

Destaque do Cruzeiro, o meia Montillo é alvo constante de especulações para deixar o time. Nesta sexta-feira, surgiu a informação que o Corinthians, próximo adversário do time no Campeonato Brasileiro, estaria disposto a desembolsar cerca de R$ 14,5 milhões mais os direitos do atacante Jorge Henrique para ter o jogador.

O diretor de comunicação do Cruzeiro, Guilherme Mendes, se apressou em negar a saída do atleta do time mineiro. "Em Salvador, ele foi entrevistado por várias pessoas para falar disso e negou. O Cruzeiro não recebeu nenhuma proposta por nenhum jogador. O Cruzeiro não vai falar de negociação antes do fim do Campeonato Brasileiro", afirmou.

Apesar de dizer que não recebeu proposta do Corinthians por Montillo, pessoas ligadas ao clube, confirmam que o Cruzeiro aceitaria vender o argentino por 14 milhões de euros (cerca de R$ 33,5 milhões), valor que nenhum time brasileiro ou do exterior ofereceu até o momento. Aproximadamente 80% dos direitos econômicos de Montillo pertencem ao Cruzeiro, enquanto os 20% restantes são do banco BMG.

Além de ter o nome envolvido em especulações, Montillo convive com o mau momento do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro. Além disso, o atleta tem que administrar um drama familiar com o filho Santino, de apenas um ano e sete meses, que nesta sexta-feira foi internado com urgência, em um hospital de Belo Horizonte para fazer uma cirurgia no intestino.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Palmeirense agredido tinha ido "imprimir nomes": entenda o caso

Segundo o advogado do Palmeiras, João Vitor manteve a tranquilidade apesar da agressão sofrida. Foto: Oslaim Brito/Futura Press

Segundo o advogado do Palmeiras, João Vitor manteve a tranquilidade apesar da agressão sofrida

O volante João Vitor, agredido por um grupo de torcedores do Palmeiras em frente à loja oficial do clube na última terça-feira, na Rua Turiassu, ao lado da sede do clube alviverde, tinha ido ao local para "imprimir nomes" em algumas camisas da equipe do Palestra Itália. O meio-campista foi abordado instantes depois por membros de uma organizada do clube, que o agrediram.

"O João está tranquilo, ele é aguerrido e corajoso, não se abateu. Conseguiu conduzir isso da melhor forma possível. Ele tinha ido imprimir nomes na loja do Palmeiras, pois camisa ele ganha aos montes. Ele tinha ido pedir para gravar alguns nomes nas camisas", afirmou o advogado palmeirense, André Sica, na saída do 23º distrito policial, na Lapa.

O Palmeiras emitiu um comunicado oficial em seu site e prometeu se pronunciar sobre o caso da agressão ao jogador somente após uma investigação completa das autoridades.

Segundo o boletim de ocorrência, divulgado nesta quarta-feira, João Vitor alegou que, ao sair da loja, foi abordado por um torcedor que o ofendeu e cobrou um melhor desempenho da equipe nesta temporada. O mesmo indivíduo ainda chutou seu carro, motivando seu cunhado e seu amigo a descerem do veículo para encerrar a discussão.

Neste momento, o torcedor tentou agredir o jogador, que, juntamente com seu amigo e seu cunhado, teriam tentado apenas se defender. Logo na sequência, outros membros da torcida do Palmeiras se juntaram à confusão, segundo a versão do atleta palmeirense. Por outro lado, o torcedor afirmou que apenas cobrou mais garra de João Vitor, negando ter chutado o carro. Além disso, deixou claro que as agressões partiram dos amigos do volante.

Após a agressão, João Vitor apresentou apenas algumas escoriações no rosto e pelo corpo.

Posição oficial após jogo com o Flamengo

Como João Vitor não é um dos líderes do elenco e sequer é considerado titular da equipe, o teor das agressões poderia até ter envolvimentos políticos, conforme pessoas ligadas ao Palmeiras. O clube não irá se pronunciar de maneira oficial até a próxima quinta devido ao compromisso contra o Flamengo nesta quarta, às 21h50 (de Brasília), no Engenhão - o jogo é crucial para as pretensões do time alviverde no Campeonato Brasileiro.

Contudo, para o jogo contra o Flamengo, a equipe não contará com Kleber. O jogador não embarcou para o Rio de Janeiro com o restante da delegação, após ter se desentendido com a diretoria quanto à posição do clube diante do caso de João Vitor.

Atleta passa bem se manteve tranquilo

Ao longo de toda a noite, João Vitor alternou algumas horas no Hospital São Camilo, depois circulou por duas delegacias distintas - primeiro no 23º DP, em Perdizes, e depois no 7º DP, na Lapa, onde passou cerca de quatro horas. O atleta optou pelo silêncio e não quis conversar com a imprensa, dizendo apenas que "fala amanhã (quarta-feira) no CT". Contudo, o Palmeiras já vetou qualquer palavra oficial do jogador antes do duelo contra o Flamengo.

Assustado com o desenrolar dos acontecimentos, o volante demonstrou tranquilidade durante todo o tempo, de acordo com o departamento jurídico alviverde. Ele passará por exames de corpo de delito e outros trâmites adicionais apenas a partir da próxima semana, a pedidos do próprio clube - o volante passa bem e não teve ferimentos graves. Além disso, o imbróglio envolvendo a agressão deve demorar mais alguns dias.

B.O. do torcedor

Wellington, como foi identificado o torcedor que se desentendeu com o jogador, fez B.O. contra João Vitor alegando que o atleta teria o agredido primeiro. Duas testemunhas estiveram presentes na delegacia, mas o advogado André Sica adiantou que ambas "não acrescentaram muito aos depoimentos". A versão dada pelo torcedor - que teria inúmeras tatuagens pelo corpo com o nome da principal organizada do Palmeiras - apresentou diversas contradições, conforme verificou a reportagem.

"Os torcedores se colocam como vítimas. Peço desculpas, mas não vou entrar em detalhes, só depois do jogo. O B.O. está escasso, mas nesse primeiro momento ninguém fez acusações. Todos deram versões escassas. Os torcedores disseram que não viram como e de onde veio. Foi feito um B.O. conjunto, o João deu uma versão genérica, o torcedor deu a dele como vítima, e tiveram mais duas testemunhas que não acrescentaram muito", finalizou o advogado do Palmeiras.

Ex-lutador de MMA é acusado de matar companheiro de cela

O ex-lutador de MMA Joseph Hyungmin Son, 40 anos, foi apontado pelas autoridades responsáveis pela Penitenciária Estadual de Wasco, na Califórnia, como principal suspeito do assassinato de um preso não identificado, com quem dividia cela. A vítima foi encontrada morta na segunda-feira, mas as causas ainda são desconhecidas.

Um porta-voz do departamento de legistas do Condado de Kern informou a Associated Press de que uma autópsia será feita na manhã de quarta-feira para dar mais detalhes às investigações. Os funcionários da prisão de Wasco só devem fazer denúncia contra Joe Son quando os resultados das investigações forem divulgados pela polícia.

Joe Son teve trajetória efêmera no MMA, lutando apenas uma vez no UFC - UFC 4, quando perdeu para Keith Hackney - e outras duas no Pride. Ficou conhecido principalmente por interpretar o personagem Random Task no filme "Austin Powers - Um Agente Nada Discreto", de 1997.

Foi preso em 2008, julgado e condenado inicialmente a 275 anos de prisão. Algumas acusações foram retiradas por conta de limitações legais, e então Joe Son foi condenado a prisão perpétua com possibilidade de liberdade condicional. Estava na penitenciária de Wasco, de onde seria remanejado para outra unidade, há menos de um mês.

De acordo com investigações, Joe Son e seu cúmplice Santiago Lopez-Gaitan sequestraram, estupraram seguidas vezes e ameaçaram de morte uma garota de 20 anos que passeava com seu cachorro na véspera do Natal de 1990. O caso permaneceu sem solução por quase duas décadas até que amostras de DNA recolhidas ligaram o ex-lutador de MMA ao caso.

Voo fretado pela CBF atrasa e clubes perdem reforços para quarta

  1. Notícia

Ronaldinho fica de fora de Flamengo x Palmeiras nesta noite. Foto: Mowa Press/Divulgação

Ronaldinho fica de fora de Flamengo x Palmeiras nesta noite

Um atraso que pode chegar a até 12 horas atrapalhou os planos de Flamengo e Botafogo para utilizar Ronaldinho e Jefferson, respectivamente, nos jogos contra Palmeiras e Corinthians na noite desta quarta. Em razão de problemas no espaço aéreo colombiano, o voo fretado pela CBF com atletas que atuam no futebol brasileiro não desembarcou pela manhã, como era previsto.

Segundo o gerente de futebol do Fluminense, Marcelo Teixeira, a expectativa é que o avião fretado chegue ao Brasil apenas entre 22h (de Brasília) e meia-noite. Sendo assim, só Dedé (Vasco), Fred (Flu), Neymar (Santos) e Réver (Atlético-MG) poderão atuar, já que seus times vão a campo apenas na noite de quinta-feira.

Dos nove clubes com jogadores na Seleção que enfrentou o México na noite de terça-feira, em Torreón, apenas o Internacional, o São Paulo e o Corinthians não optaram por entrar no rateio e antecipar os retornos do Oscar, Lucas e Ralf. O valor gasto por cada equipe pode chegar a até R$ 30 mil.

McLaren tenta conter crise de Hamilton no final da temporada

Objetivo da McLaren é fazer Hamilton se sentir querido após dificuldades. Foto: Getty Images

Objetivo da McLaren é fazer Hamilton se sentir querido após dificuldades

Com o campeonato de pilotos da Fórmula 1 definido a favor de Sebastian Vettel, uma das preocupações da McLaren para a reta final da temporada é cuidar de Lewis Hamilton. O campeão mundial de 2008 vive má fase e não esconde o abatimento por isso. "Estou preocupado em mostrar a ele que estamos 100% com ele, e a equipe toda também", afirmou o diretor Jonathan Neale, segundo a revista Autosport.

Com desempenho abaixo do esperado - não alcança o pódio desde o GP da Alemanha, em julho, quando venceu -, Hamilton foi ultrapassado por seu companheiro de equipe Jenson Button, vice-líder do campeonato. Além disso, se envolveu em uma série de acidentes durante as últimas provas, principalmente com o brasileiro Felipe Massa, que o tem criticado duramente.

"Ele quer vencer desesperadamente e está compreensivelmente infeliz por seu companheiro de equipe batê-lo, ou por outra pessoa conquistar o campeonato", afirmou Jonathan Neale, que até afastou a responsabilidade do piloto inglês por conta dos resultados ruins. "Nós queremos cuidar dele. Tem sido uma temporada difícil. Nós realmente não demos um carro para dar conta do recado, mas o que ele tem feito é fantástico", disse.

De acordo com o diretor, todo o staff que trabalha com Hamilton manifestou a intensão de mostrar a ele o quanto apreciam o trabalho feito até agora em 2011. "Eles estão muito interessados em se certificar de que Lewis se sentirá querido e amado neste final de temporada", apontou Neale, sem fazer comparações entre os representantes da McLaren.

"Os dois pilotos estão melhorando. Alguns podem afirmar que Jenson está provavelmente pilotando melhor do que nunca e segue cada vez mais forte", analisou. "Estou confiante de que Lewis tem algumas coisas para aprender e pode evoluir ainda, mas aí vejo que tenho o dobro da idade dele e o mesmo vale para mim", complementou Jonathan Neale, com mais um incentivo ao campeão da F1 de 2008.

Figueirense faz 3 no Olímpico, vence e ultrapassa Grêmio na tabela

Aloísio marcou o primeiro gol do Figueirense na vitória contra o Grêmio. Foto: Wesley Santos/Futura Press

Aloísio marcou o primeiro gol do Figueirense na vitória contra o Grêmio

Com gols de Aloísio, Elias e Wellington Nem, o Figueirense venceu o Grêmio por 3 a 1, no Estádio Olímpico e ultrapassou o clube gaúcho na tabela, chegando provisoriamente na 8ª posição. O gol dos donos da casa foi marcado por Edcarlos. A derrota, em jogo válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi apenas a terceira dos gremistas em seu estádio. Antes, o time só tinha perdido para o Corinthians, por 2 a 1, e para o Botafogo, por 1 a 0 nos seus domínios.

O jogo começou estudado, com as duas equipes trocando passes curtos. O Grêmio chegou pela primeira vez em uma bola parada. Em escanteio cobrado por Marquinhos na segunda trave, a bola foi ajeitada para André Lima, que acertou um voleio, defendido por Wilson. Principal nome do Grêmio no primeiro tempo, Marquinhos, aos 17min, deu um belo corte na entrada da área e disparou. Wilson mais uma vez defendeu.

Esperando o Grêmio no seu campo e explorando os erros do time da casa, o Figueirense quase abriu o placar aos 31min, quando Pablo lançou Wellington Nem na área, que de bico quase empurrou para o fundo das redes. Dois minutos depois saiu o gol. Wellington Nem não conseguiu dominar lançamento na área, porém, a bola sobrou para Aloísio, que de primeira fuzilou de direita e fez o primeiro gol da partida. O ex-gremista fez seu quarto gol na competição.

Mal posicionada e desatenta, a defesa do Grêmio levou um contra-ataque mortal aos 36min. Juninho puxou a jogada e achou Elias livre na direita. O meia trouxe para a perna esquerda e chutou. Victor conseguiu chegar na bola, mas não o suficiente para corrigir a falha e impedir o segundo gol do Figueirense.

Aos 39min, Wellington Nem saiu cara a cara com o goleiro gremista. O toque de cobertura passou por cima do travessão. Tentando reagir, o Grêmio colocou duas bolas na trave. Aos 41min, Marquinhos deu mais um chute de fora da área, que carimbou o travessão. Aos 45min, Douglas cobrou escanteio fechado e acertou a trave direita de Wilson.

Com duas mudanças para o segundo tempo, o Grêmio tentou diminuir o placar com rapidez, mas esbarrou na defesa bem montada da equipe catarinense. A primeira chance gaúcha aconteceu aos 8min, quando Douglas chutou de esquerda e Wilson espalmou.

Tentando no desespero, o Grêmio começou a cruzar na área. Aos 24min, a estratégia deu certo. Da ponta direita, Douglas cruzou para Edcarlos, que na segunda trave cabeceou forte e diminuiu o placar.

Entretanto, seis minutos depois, a campanha para o empate sofreu um banho de água fria. Wellington Nem recebeu bola na ponta direita, disparou na diagonal, driblou Gilberto Silva e Victor e empurrou para o fundo das redes, marcando um golaço para o clube catarinense.

Por pouco a diferença não foi maior. Rhayner recebeu bola rolada por Wellington Nem na área e chutou mal. Na jogada seguinte, mais uma vez Nem ficou cara a cara com Victor, que saiu bem do gol e impediu o quarto.

Com a derrota, o Grêmio caiu para a 11ª posição, com 39 pontos. Na próxima rodada o time viaja para enfrentar o Santos. Já o Figueirense, com 41 pontos, subiu para a 8ª posição. O próximo jogo será contra o América-MG, em Florianópolis.

São Paulo leva sufoco do Inter, empata e amplia jejum de vitórias

Rogério Ceni cobra falta em partida contra o Internacional. Foto: Idário Café/Vipcomm/Divulgação

Rogério Ceni cobra falta em partida contra o Internacional

Jogando na Arena Barueri devido ao show do guitarrista Eric Clapton no Morumbi, o São Paulo empatou sem gols com o Internacional pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. O clube tricolor chegou ao quinto jogo sem vencer na competição nesta quarta-feira.

O resultado mantém o time de Adilson Batista, que começa a ser contestado pelos torcedores, na terceira posição, com 48 pontos ganhos, embora possa ser ultrapassado por Flamengo e Botafogo e ficar fora do G-4 nesta rodada. O Inter fica em sétimo lugar na tabela, com 44 pontos.

A última vitória tricolor foi contra o Ceará, em 17 de setembro, quando goleou por 4 a 0. Já a equipe colorada vinha embalada pelo triunfo de 3 a 0 sobre o Vasco.

Sem Leandro Damião, artilheiro do Inter no Brasileiro, o técnico Dorival Júnior optou pela entrada de Dellatorre. Já Adilson Batista, sem Lucas, na Seleção Brasileira, e Denilson, expulso no último jogo, armou o meio campo tricolor com Rivaldo, apagado na partida, e Wellington.

Na próxima rodada, o São Paulo enfrenta o Atlético-GO no Serra Dourada, no próximo domingo, às 16h (de Brasília). O Internacional, por sua vez, recebe o Avaí no Beira Rio, também no domingo às 16h.

O jogo

O Internacional começou pressionando a saída de bola do São Paulo, que era lento na saída de bola. O zagueiro João Filipe levantava - e preocupava - a torcida tricolor presente na Arena Barueri, que teve pouco mais de 24 mil pagantes, com dribles e fintas na defesa.

Aos 8min, Dellatorre perdeu chance incrível próximo à linha de fundo ao preferir a finalização em vez de tocar para o companheiro no meio da área. O centroavante colorado chutou duas vezes e foi travado em ambas. No rebote, Ilsinho, ex-jogador do São Paulo, foi desarmado por Rhodolfo.

Aos 16min, após falta em Dagoberto, Rogério Ceni, que marcou seu centésimo gol justamente na Arena Barueri, contra o Corinthians, levantou bola na área, mas Luís Fabiano errou a cabeçada. O jogo caiu de ritmo e prosseguiu sem muitas chances de gol. Dagoberto, aos 29min, recebeu dentro da área, cortou o marcador, mas bateu fraco e no meio do gol com o pé esquerdo.

O zagueiro João Filipe acertou Rivaldo, sentiu dor na perna e foi substituído por Xandão no intervalo.

Na etapa complementar, o São Paulo adiantou a marcação e passou a procurar mais o ataque. Aos 5min, Rivaldo desperdiçou cobrança de falta próxima à area na barreira. A melhor chance do São Paulo ocorreu aos 27min, quando Luís Fabiano e Dagoberto trocaram passes de cabeça, mas Rivaldo finalizou para fora.

O Inter respondeu aos 29min. D'Alessandro recebeu na esquerda e tocou na saída de Rogério, mas para fora. Aos 38min, João Paulo aproveitou contra-ataque colorado, invadiu a área e bateu rasteiro para defesa em dois tempos de Rogério Ceni.

Ficha técnica

SÃO PAULO 0 X 0 INTERNACIONAL

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Jean, João Filipe (Xandão), Rhodolfo e Juan; Wellington, Carlinhos Paraíba (Casemiro), Cícero e Rivaldo; Dagoberto (Marlos) e Luís Fabiano;
Treinador: Adilson Batista

INTERNACIONAL: Muriel. Nei, Rodrigo Moledo, Índio e Kleber; Guiñazu, Bolatti, Andrezinho (Tinga), Ilsinho (João Paulo) e D'Alessandro; Dellatorre (Fabricio)
Treinador: Dorival Júnior

Cartões amarelos
SÃO PAULO: João Filipe e Carlinhos Paraíba
INTERNACIONAL: Kleber, Ilsinho e Guiñazu

Árbitro
Evandro Rogério Roman (PR)

Local
Arena Barueri, em Barueri (SP)

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Nadal vence colombiano e pega Fish na semifinal em Tóquio

Rafael Nadal teve muitas dificuldades para vencer o colombiano Giraldo. Foto: EFE

Rafael Nadal teve muitas dificuldades para vencer o colombiano Giraldo

Principal favorito à conquista do ATP 500 de Tóquio, o espanhol Rafael Nadal precisou suar para avançar à semifinal do torneio. Na madrugada desta sexta-feira, o cabeça de chave número um fez jogo duro com o colombiano Santiago Giraldo e venceu por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7-5) e 6/3, após 2h02min de jogo.

O próximo desafio de Nadal, que defende o título conquistado no ano passado, será contra o americano Mardy Fish, cabeça de chave 4 em Tóquio, que derrotou também nesta sexta-feira, de virada, o australiano Bernard Tomic.

No retrospecto, o espanhol tem vantagem ampla, com seis vitórias em sete partidas disputadas. Porém, no último jogo entre os dois, no Masters 100 de Cincinnati, quem levou a melhor foi o americano.

Diante de Giraldo, Nadal teve muitas dificuldades no primeiro set. Com bons saques dos dois tenistas sacaram bem, a partida chegou até o tie-break sem nenhuma quebra de serviço. No desempate, Nadal conseguiu aproveitar sua maior experiência, venceu os pontos decisivos e fechou a parcial.

O espanhol iniciou o segundo set em ritmo forte e venceu os dois primeiros games. Giraldo conseguiu se manter vivo na partida, apostando em bolas anguladas e jogando com muita raça, mas o número dois do ranking da ATP garantiu a vitória com um erro não forçado do colombiano.

Button mantém domínio e fecha dia como mais rápido; Vettel é 3º

Button foi novamente o mais rápido no segundo treino livre para o Grande Prêmio do Japão. Foto: Reuters

Button foi novamente o mais rápido no segundo treino livre para o Grande Prêmio do Japão

Após registrar o melhor tempo no primeiro treino livre para o Grande Prêmio do Japão, Jenson Button, da McLaren, repetiu a dose e cravou 1min31s901 para superar o espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, e o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, respectivamente segundo e terceiro, e ficar com o topo da classificação no segundo treino.

Único piloto com chances de tomar o título do Mundial de Vettel - o piloto alemão da Red Bull precisa de apenas um ponto para sagrar-se bicampeão -, o inglês manteve o domínio de mais cedo - manhã no Japão (noite de quinta-feira no Brasil) - e mostrou que não irá abandonar a disputa, apesar de ter declarado publicamente que o campeonato está definido.

Assim como Button, Vettel repetiu seu desempenho da manhã, terminando na terceira posição, resultado, que se concretizado na prova no domingo, lhe concederia 15 pontos e o título de maneira antecipada.

O brasileiro Felipe Massa chegou a liderar a parcial, a 47 minutos para o final, mas foi rapidamente superado por Alonso e posteriormente por Webber, Vettel e Button, terminando em uma discreta quinta colocação.

A colocação final do brasileiro da Ferrari é melhor do que a registrada na primeira sessão, mas novamente inferior em relação a seu companheiro de equip.

Bruno Senna, que cometeu um erro e saiu da pista após registrar uma volta, tendo que ser ajudado para retornar ao circuito, não conseguiu anotar um grande tempo e terminou nas posições finais da tabela, na 14ª colocação, seis postos atrás do russo Vitaly Petrov, parceiro do brasileiro na Renaut, e um de seus concorrentes por um lugar como titular da equipe na próxima temporada.

Rubens Barrichello, que segue ameaçado de ser substituído pelo finlandês Kimmi Raikkonen em 2012, escorregou na brita ao realizar uma curva, rodou e colidiu contra os pneus da curva seguinte, abandonando o treino e não passando de uma modesta 18ª posição.

O Terra acompanha em tempo real o terceiro treino livre, às 23h desta sexta-feira, e o treino de classificação que define o grid de largada do GP do Japão, às 2h, na madrugada de sábado (horários de Brasília).

Confira o resultado do segundo treino livre do Grande Prêmio do Japão:

1 - Jenson Button (ING/McLaren): 1min31s901
2 - Fernando Alonso (ESP/Ferrari): 1min32s075
3 - Sebastian Vettel (ALE/Red Bull): 1min32s095
4 - Mark Webber (AUS/Red Bull): 1min32s147
5 - Felipe Massa (BRA/Ferrari): 1min32s448
6 - Michael Schumacher (ALE/Mercedes): 1min32s710
7 - Nico Rosberg (ALE/Mercedes): 1min32s982
8 - Lewis Hamilton (ING/McLaren): 1min33s245
9 - Vitaly Petrov (RUS/Lotus Renault): 1min33s446
10 - Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso) : 1min33s681
11 - Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso): 1min33s705
12 - Adrian Sutil (ALE/Force India): 1min33s790
13 - Sergio Pérez (MEX/Sauber): 1min34s393
14 - Bruno Senna (BRA/Lotus Renault): 1min34s557
15 - Paul di Resta (ESC/Force India): 1min34s601
16 - Kamui Kobayashi (JAP/Sauber): 1min36s038
17 - Heikki Kovalainen (FIN/Team Lotus): 1min36s225
18 - Rubens Barrichello (BRA/Williams): 1min37s123
19 - Timo Glock (ALE/Virgin): 1min37s440
20 - Jerome D''Ambrosio (BEL/Virgin): 1min38s093
21 - Pastor Maldonado (VEN/Williams): 1min38s387
22 - Daniel Ricciardo (AUS/Hispania): 1min38s763
23 - Jarno Trulli (ITA/Team Lotus): 1min39s800
24 - Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania): 1min42s480

Uma semana antes da abertura, Pan 2011 encara trilha de problemas

  1. Notícia

Principal problema é o Estádio Pan-Americano de Atletismo; organizadores correm contra o relógio. Foto: Víctor Casarreal/Terra

Principal problema é o Estádio Pan-Americano de Atletismo; organizadores correm contra o relógio

Faltam apenas sete dias para a cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Mesmo assim, a organização da competição evidencia problemas que, se não chegam a ameaçar o evento, poderiam ter sido resolvidos com alguma antecedência. A pouco tempo do pontapé inicial do Pan, a capital do Estado de Jalisco se vê às voltas com tráfego confuso, obras inacabadas e outros não tão pequenos detalhes.

Uma mostra deste pequeno cenário de caos pôde ser visto na última quinta-feira, em entrevista coletiva de representantes do Comitê Organizador do Pan de Guadalajara (Copag). Com sete membros à mesa, diversos feitos foram lembrados ao longo do discurso. Porém, quando as perguntas foram abertas aos jornalistas da América Latina presentes, disparou a metralhadora de questões a respeito dos corredores de trânsito, de cambistas e dos problemas nas sedes.

O principal problema é o Estádio Pan-Americano de Atletismo. Reinaldo González, organizador do Pan de Havana (1991) e convidado do Copag, compareceu à entrevista com um discurso inflamado e otimista. Ali, apesar de admitir problemas com a obra, assegurou a entrega da mesma nesta sexta, e a posterior homologação da Federação Internacional de Associações de Atletismo (IAAF, em inglês) para o dia seguinte.

"A pista, motivo de preocupação para muitos, vai ter uma solução, uma resposta", disse González - que compareceu à entrevista para substituir Jimena Saldaña de Aja, secretária geral do Copag, ausente. No dia da entrevista, porém, as obras na sede seguiam, com raias da pista ainda a serem pintadas e restos de entulhos espalhados por todos os lados. Esforços dos operários devem assegurar, a toque de caixa, o aval da IAAF.

No caminho dos espectadores até as sedes, outro problema pode surgir: o tráfego. Nas principais avenidas de Guadalajara foi implantada uma faixa especial, dedicada a carros credenciados para o Pan. A medida, porém, gerou insatisfação dos demais motoristas, que perdiam uma opção para a mobilidade urbana. Resultado: muitos deles seguiram passando pelas faixas em questão, os chamados "carriles".

Vieram as ameaças de multa, e uma discussão pouco amistosa começou dos dois lados. Porém, o Copag e as autoridades de trânsito conseguiram uma solução que parece benéfica para os dois lados: liberou a faixa para a circulação, e pediu gentileza para os motoristas à frente de um veículo credenciado. "Se vemos um caminhão, vamos para o lado, como o fazemos normalmente com uma ambulância", pediu Carlos Andrade Garín, diretor geral do Copag.

Por fim, outro ponto deixado à vista pelos dirigentes foi a fiscalização dos ingressos. Segundo Horário de la Vega Flores, diretor comercial do Copag, "três ou quatro sites" já foram flagrados revendendo bilhetes - na internet, apenas a empresa Ticketmaster é autorizada a fazê-lo. O comitê alega que, por enquanto, foram poucas as entradas descobertas, e reconhece que a fiscalização tem como foco principal a atividades durante as competições.

Legalmente, 500 mil ingressos foram vendidos (a carga total é de 700 mil). De la Vega já avisou que as entradas ilegais serão canceladas, mas isso não bastou para aplacar a ira de Carlos Andrade Garín ao ser informado que ingressos para o ensaio da abertura do Pan, que foram distribuídos gratuitamente a organizadores e estudantes, estavam à venda. "Se alguém estiver comprando, é idiota", afirmou o diretor geral do Pan.

Os problemas, no entanto, não devem impedir Guadalajara de realizar o Pan a partir de 14 de setembro, e nem tiram o otimismo de dirigentes e moradores. Diante de sedes prontas e da chegada dos atletas, o Copag esbanja otimismo para a realização da "Olimpíada das Américas", lembrando, inclusive, que 15 das modalidades em disputa classificarão atletas para os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

"Para o continente americano, o Pan é cada vez mais forte. Isso é um grande incentivo para o esporte da América. Na América, na Ásia, na África, esses jogos são importantes para que os atletas olímpicos tenham uma importante preparação. Parece que este vai ser o caso do Pan de Guadalajara", animou-se Ivar Sisniega Campbell, diretor de operações e esportes do Copag, otimista em meio ao turbilhão de contas a fazer.

Boxe: Everton vai para a final e Esquiva fica com bronze em Baku

Boxe: Everton vai para a final e Esquiva fica com bronze em Baku
07 de outubro de 2011 09h03 atualizado às 10h05

Comentários
0
  1. Notícia

Com medalhas já garantidas para o Brasil, os pugilistas Everton Lopes e Esquiva Florentino obtiveram resultados diferentes nesta sexta-feira no Mundial de Boxe de Baku, no Azerbaijão. Everton triunfou sobre o italiano Vincenzo Mangiacapre, avançou à final e, consequentemente, já assegurou a prata. Esquiva, por sua vez, caiu diante do japonês Ryota, mas ficou com o bronze.

Everton (até 64kg) foi o primeiro a lutar e venceu o italiano Vincenzo Mangiacapre. Dominando o confronto, o brasileiro venceu os três assaltos e terminou com a vantagem de 16 a 7. Mesmo com a derrota, o italiano levou o bronze, pois não houve a disputa de terceiro lugar. Everton agora disputa a medalha de ouro contra o ucraniano Denys Berinchyk.

Pela categoria até 75kg, Esquiva Florentino estava desconcentrado na semifinal e foi derrotado por 24 a 11 em disputa acirrada contra o japonês Ryota. O asiático manteve a guarda fechada por toda a luta, anulou a agressividade do brasileiro e foi melhor na briga. Mesmo assim, Esquiva volta para o Brasil com a medalha de bronze, pois não houve a disputa do terceiro lugar.

Com as medalhas, Everton e Esquiva quebram um tabu de 25 anos, pois o último brasileiro a obter uma medalha em mundiais havia sido José Rodrigues, dono de um bronze em 1986. Além disso, os dois lutadores já tinham garantido a vaga para os Jogos de Londres em 2012. O mundial concede dez vagas para a Olimpíada em cada categoria.

Outro brasileiro ainda tem esperança de se classificar para os Jogos de 2012. Na última terça-feira, Robson Conceição havia derrotado o campeão Vasyl Lomachenco, da Ucrânia, pelo placar apertado de 20 a 19, pelas oitavas de final. Porém, a Federação Ucraniana reclamou alegando que seu atleta tinha sido penalizado de forma incorreta e obteve a alteração do resultado.

Após esta decisão, a classificação para as quartas e para o torneio olímpico de Londres em 2012 ficaram com Lomachenco. Mas, Robson ainda pode angaria uma vaga na Olimpíada caso o ucraniano chegue à final do Mundial.