segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Dorival praticamente confirma Inter que encara Grêmio

Técnico espera resultado do julgamento de Bolívar para sanar última dúvida para o Gre-Nal. Foto: Jefferson Bernardes/Vipcomm/Divulgação

Técnico espera resultado do julgamento de Bolívar para sanar última dúvida para o Gre-Nal

O Internacional abre a semana do Gre-Nal com o técnico Dorival Júnior praticamente confirmando o time para o clássico do próximo domingo. A única dúvida do treinador é em relação ao zagueiro Bolívar, que será julgado nesta segunda-feira no STJD e pode pegar até seis jogos de suspensão. Caso ocorra a punição, Índio é o substituto imediato.

"O time para o Grenal é este que esta jogando e que esta passando confiança. Se não for o Bolívar, aí joga o Índio", confirmou o técnico, após a derrota para o Flamengo ontem, por 1 a 0, no Rio de Janeiro.

Para garantir presença na Libertadores de 2012, o Inter - que acabou a rodada na sexta colocação - terá que vencer o Grêmio e torcer por resultados paralelos, como a derrota do Coritiba, no clássico contra o Atlético-PR, ou revés do Flamengo, que encara o Vasco, que ainda briga com o Corinthians pelo título brasileiro.

Apesar da derrota, Bernardinho elogia Seleção e destaca luta

Bernardinho fez questão de elogiar o desempenho da Seleção. Foto: FIVB/Divulgação

Bernardinho fez questão de elogiar o desempenho da Seleção

Pela segunda vez nesta Copa do Mundo masculina de vôlei, a Seleção Brasileira deixou a quadra com uma derrota. Nesta segunda-feira, a equipe do Brasil foi superada por Cuba por 3 sets a 2 (parciais de 17/25, 25/22, 25/23, 20/25 e 15/12), e viu a briga pelo título da competição ficar mais complicada. Apesar do revés, o técnico Bernardinho aprovou a atuação de sua equipe, destacando a "luta".

"O time lutou. Eu diria que foi uma boa atuação do Brasil. Foi uma partida de alto nível, e o time jogou de uma forma correta. Só precisamos ter um pouco de atenção é em situações de dificuldade não conceder os pontos de bloqueio. É trabalhar mais um pouco a bola, deixar que eles se atrapalhem também em algumas situações. Fizemos cinco pontos a mais que eles no jogo. Foi um jogo muito igual", analisou o treinador.

"Não ficamos frustrados por não ter lutado nem nada assim, acho que o time fez uma boa partida. Depois das partidas contra Rússia e Estados Unidos, essa foi nossa melhor partida. Temos que estudar e pensar na Sérvia. Vamos embora cansados e teremos uma partida decisiva amanhã. E temos um conhecimento limitado, já que a Sérvia não jogou todas as partidas com a formação principal, o que dificulta o nosso esquema", disse.

A derrota da Seleção começou a ser construída depois do primeiro set, vencido com autoridade pelos brasileiros. A seguir, os cubanos ganharam as parciais decorrentes e obtiveram sua virada. Para Bernardinho, sua equipe não diminuiu o ritmo de um set para outro, e sim o adversário que teve o mérito.

"Eles tiveram uma atuação melhor, não foi tanto o Brasil que caiu. Fizemos acho que um ponto de bloqueio a menos que ele durante a partida. Hoje trabalharam muito bem a defesa, tiveram uma partida de alto nível", comentou.

Chefes de McLaren e Ferrari celebram fim de briga entre Hamilton e Massa

Brasileiro e inglês tiveram temporada marcada por entreveros pessoais. Foto: AP

Brasileiro e inglês tiveram temporada marcada por entreveros pessoais

Depois de se envolverem em incidentes nos GPs de Mônaco, Cingapura, Japão e Índia, Lewis Hamilton e Felipe Massa fizeram as pazes. Os pilotos, que se abraçaram durante a coletiva de imprensa concedida após o GP do Brasil, foram elogiados por seus chefes de equipe.

"Foi bom no final, de uma maneira improvisada, pelo Lewis ter abraçado o Felipe. Esperamos que essa história termine agora e vamos seguir em frente para uma ótima disputa do campeonato no ano que vem" disse Martin Whitmarsh, chefe de Mclaren, em entrevista à Reuters.

"Foi muito legal ver o Hamilton vir aqui e abraçar o Felipe. No final do dia, é isso que importa. Foi um bom gesto e estou muito feliz que hoje isso ficou bem claro", corroborou Stefano Domenicalli, chefe da Ferrari.

Em Interlagos, Massa e Hamilton chegaram a se encontrar na pista, na disputa pela quinta posição. Desta vez, no entanto, não houve problemas, uma vez que o britânico abandonou a corrida por causa de um problema na caixa de câmbio.

Com 2011 perto do fim, Fluminense já planeja a próxima temporada

Abel Braga já passou uma lista de reforços para a diretoria do Fluminense. Foto: Dhavid Normando/Photocamera/Divulgação

Abel Braga já passou uma lista de reforços para a diretoria do Fluminense

A derrota para o Vasco, por 2 a 1, no último domingo, praticamente mudou o foco da diretoria e da própria comissão técnica do Fluminense. Antes sonhando com uma improvável conquista do Campeonato Brasileiro deste ano, os comandantes do clube tricolor agora visam o planejamento da próxima temporada, que será movimentada para o time carioca.

Classificado para a Libertadores da América, o clube já está de olho em alguns nomes para reforçar o elenco em 2012. A intenção do técnico Abel Braga é aumentar o número de jogadores que formam o plantel para dar mais opções durante a temporada, uma vez que o desgaste físico e as lesões deverão estar presentes durante a competição internacional.

"O Fluminense vai procurar equilibrar mais em algumas posições e ter um pouco mais de jogadores que esse ano. Em muitos momentos, vamos ter que olhar diferente a Libertadortes, por causa do Estadual. Além disso, alguns jogadores vão sair, o que é natural. Já tenho alguns nomes e observações. Agora, vou deixar com a direção", afirmou Abel Braga.

Além de procurar mais reforços no mercado, o treinador destacou o modo como se adaptou ao time que foi montado por outros técnicos. O atual comandante do Fluminense chegou ao clube apenas no meio do ano e teve que aplicar seu esquema tático aos atletas que já se encontravam nas Laranjeiras.

"Lógico que alguns atletas que não tiveram muitas chances vão acabar saindo. Entretanto, este plantel não foi feito por mim e eu me sinto lisonjeado por ser o comandante deles. Estes jogadores me mostraram que têm totais condições de jogar contra qualquer equipe, dentro ou fora de casa", finalizou.

Felipão nega problemas com Tite: "só somos adversários em campo"

Técnico palmeirense disse que não se negará a cumprimentar rival no clássico de domingo. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

Técnico palmeirense disse que não se negará a cumprimentar rival no clássico de domingo

Os técnicos Luiz Felipe Scolari e Tite já foram grandes amigos, mas a relação amistosa entre os dois foi abalada neste ano. O treinador corintiano não fala mais sobre o pentacampeão e se mostra irritado quando questionado sobre o assunto. Mesmo assim, Felipão nega ter problemas com o rival, mas desconversa sobre a hipótese de cumprimentá-lo no clássico de domingo.

"Eu cumprimento na medida em que acontecer uma situação normal. Não vejo por que eu tenho que me dirigir a ele, e nem ele a mim. Somos adversários de campo, mas não fora. Minha amizade permanece a mesma, independentemente do que ele pensa ou não", afirmou o palmeirense.

O auge do atrito entre Felipão e Tite aconteceu no Campeonato Paulista, quando o treinador corintiano discutiu com o ex-amigo e gritou "fala muito", à beira do gramado.

Agora, o Corinthians precisa apenas de um empate no clássico de domingo para ser campeão brasileiro. Felipão, porém, minimiza a interferência do Palmeiras no fim do campeonato e avisa que pensa só na vitória de seu time.

"Não é questão de atrapalhar, são três pontos e jogamos sempre por isso. Algumas vezes, fomos mal e não conseguimos. Mas não pensamos na história de atrapalhar A ou B. Nossa preocupação é mostrar que estamos novamente em um bom ritmo, organizados", completou.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Humilde, Federer atribui massacre em Nadal ao piso do ATP Finals

Federer defende que leva vantagem sobre Nadal em quadras mais rápidas. Foto: Reuters

Federer defende que leva vantagem sobre Nadal em quadras mais rápidas

Em 61 minutos, o suíço Roger Federer atropelou o rival Rafael Nadal na segunda rodada do ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores tenistas do ano e encerra o circuito masculino. Com o placar de 2 a 0 e direito a pneu no segundo set, o quarto tenista do mundo atribuiu o resultado expressivo ao estilo de piso da Arena O2 de Londres.

"Pelo menos em uma superfície eu tenho vantagem", brincou. "Sempre soube que poderia vencer Rafa. A questão é que às vezes foi difícil porque ele comanda muito como os jogos acontecem. Quanto mais rápida a quadra, mais vantagem para mim. Talvez ele não tenha jogado o seu melhor, mas em quadra coberta, tudo acontece rápido. Foi legal jogar essa partida", declarou.

Se no confronto direto Nadal leva larga vantagem, 17 a 9, no ATP Finals o espanhol é freguês do suíço. Pentacampeão, Federer venceu todos os quatro duelos, inclusive a decisão da temporada passada. Agora, precisa apenas chegar à final desta edição para retomar o terceiro lugar do ranking, que atualmente pertence a Andy Murray. O britânico abandonou a competição.

"Foi um resultado muito surpreendente. Estou animado com o jeito que eu joguei. Foi um ótimo jogo para mim do começo ao final. Consegui fazer o que pretendia: dominar no fundo, jogar perto da quadra, sacar bem, tirar tempo dele. Nem sempre isso funcionou", encerrou.

Oscar Pistorius é eleito embaixador de programa beneficente

Oscar Pistorius foi eleito embaixador de programa beneficiente para jovens carentes. Foto: AP

Oscar Pistorius foi eleito embaixador de programa beneficiente para jovens carentes

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Londres 2012 (Locog, em inglês) acaba de anunciar Oscar Pistorius - primeiro atleta paraolímpico da história do esporte mundial a competir em igualdade com atletas não deficientes - como embaixador da Inspiração Internacional, programa que tem como objetivo levar o esporte a comunidades carentes em todo o mundo, em parceria com British Council, Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) do Reino Unido e UK Sport.

Como primeira tarefa com a patente, Pistorius, conhecido como Blade Runner por usar próteses feitas de fibra de carbono nas pernas , visitou a Tanzânia, na África Ocidental.

"O esporte teve um enorme impacto na minha vida e ajudou a me tornar a pessoa que sou agora. Ao falar com alguns dos jovens que estão se beneficiando do programa Inspiração Internacional aqui na Tanzânia, pude perceber o impacto do esporte na vida dessas pessoas. É fantástico ver que os Jogos de Londres 2012 estão realmente cumprindo sua promessa a inspirar jovens de todo o mundo a escolherem a prática esportiva", comentou o atleta sul-africano.

Na Tanzânia, o programa beneficente tem como objetivo agregar ao esporte em torno de 2 milhões de jovens até 2014, com apoio e aconselhamento sobre aspectos gerais da vida dessas pessoas.

Seb Coe, presidente do Locog, demonstrou estar satisfeito com a adesão de Pistorius ao projeto internacional.

"Estou feliz que Oscar Pistorius juntou-se ao Inspiração Internacional. Eu sei a diferença que o esporte pode fazer na vida de alguém, e tive a sorte de ver por mim mesmo o impacto que esse programa pode ter sobre os jovens. Dissemos sempre que queríamos usar o poder dos Jogos Olímpicos para inspirar as crianças e jovens ao redor do mundo, e o Oscar vai nos ajudar a conseguir isso - ele é uma verdadeira inspiração para pessoas, tanto na Tanzânia, como em torno de o mundo", disse.

Para construir um legado duradouro e assegurar que as crianças e jovens atendidos permaneçam no caminho do esporte, o programa pretende treinar professores das comunidades participantes, para que eles trabalhem na manutenção dos conceitos ensinados a esses garotos e garotas.

Técnico diz que Ibrahimovic precisará de "valium" para pegar Barcelona

Atacante reencontra Guardiola, criticado duramente pelo sueco em sua autobiografia. Foto: AFP

Atacante reencontra Guardiola, criticado duramente pelo sueco em sua autobiografia

Se já é difícil encarar o Barcelona no onze contra onze, o técnico Maxilimiano Allegri, do Milan, sabe que não pode perder jogadores expulsos em lances bobos para os catalães. Porém, a receita do comandante para a estrela da equipe italiana, o atacante Zlatan Ibrahimovic, é enfática: daria Valium - medicamento usado como tranquilizante - ao sueco para o confronto desta quarta, pela Liga dos Campeões.

A declaração irônica do treinador, dada durante a coletiva para a partida do Grupo H e válida pela penúltima rodada da fase de grupos, faz menção à tensão criada pelo atacante com o técnico rival Pep Guardiola por causa da publicação de sua autobiografia "Eu sou Zlatan Ibrahimovic", onde o camisa 11 do Milan faz duras críticas ao espanhol, que o treinou no Barcelona antes da chegada ao San Siro, na última temporada. Porém, em declarações dadas recentemente, Ibrahimovic garantiu que o reencontro será amistoso e que irá cumprimentá-lo, mesmo não sabendo da reciprocidade do comandante catalão.

Com 10 pontos, o Barcelona pode garantir o primeiro lugar da chave com uma vitória no Estádio San Siro. Aos italianos, com oito pontos, é preciso vencer para chegar à última rodada na liderança. Ambos já estão classificados para as oitavas de final da Liga dos Campeões.

Seleção faz 1º treino em Kumamoto com foco em "monstros" da Rússia

A Seleção Brasileira masculina de vôlei fez nesta quarta-feira seu primeiro treinamento em Kumamoto, cidade japonesa que receberá seus jogos na segunda fase da Copa do Mundo. A equipe deixou Kagoshima na noite da última terça-feira, pouco após a derrota para a Itália, e aproveitou o dia sem jogos para conhecer o novo ginásio e se preparar para a importante partida contra a Rússia, na quinta-feira, a partir das 4h (de Brasília).

"Depois de um jogo cansativo como o de ontem e uma viagem, fizemos um treino curto, mais para tirar esse ranço, um pouco da dor da derrota, e pensar para frente. É hora de focar no próximo adversário que é a Rússia, é importante que trabalhemos melhor as bolas estouradas, as bolas altas, o nosso contra-ataque tem que funcionar melhor. Não podemos conceder tanto", afirmou o técnico Bernardinho.

O sete pontos conquistados em três partidas (duas vitórias e uma derrota por 3 a 2) deixam o Brasil em terceiro lugar na classificação geral, tendo a sua frente a Polônia e a Rússia, líder da tabela. O time russo venceu seus três jogos iniciais, entre eles os gigantes Estados Unidos e Itália. Para Bernardinho, caso a Seleção deixe o adversário de quarta jogar, ele se tornará um time "de monstros".

"É uma equipe muito forte que está em um momento de confiança muito grande. Na Liga Mundial mostraram a força deles e agora estão liderando aí, ganhando partidas importantes, venceram a Itália e os Estados Unidos de forma contundente, eles vêm em busca do título. Sabemos que são um dos favoritos e vamos fazer o nosso possível. Precisamos pressionar, porque sem pressão eles ficam um time de monstros", disse o treinador.

Corintiano pede desculpas por "cala boca" e nega sonho com Milan

Paulinho relembrou mudança do Bragantino para o Corinthians. Foto: Edson Lopes Jr./Terra

Paulinho relembrou mudança do Bragantino para o Corinthians

Jogador do elenco corintiano mais cotado para atuar no exterior, o volante Paulinho negou que esteja com a cabeça no Milan, seu destino mais citado. Segundo ele, um dos destaques do Campeonato Brasileiro, é possível fazer um esforço financeiro para recusar alguma oferta maior para permanecer no Brasil. Paulinho, contudo, nega qualquer tipo de proposta.

"Há muita especulação de que estou de mala pronta, indo embora, mas não houve nada, não tem nada. Estou focado, quero ser campeão brasileiro. Ainda mais no Corinthians, isso é visto de outra forma. Minha cabeça está totalmente aqui", afirmou na manhã desta quarta-feira. "Estou em um time grande, que oferece todas as condições e faria e farei um esforço para permanecer. Até porque não tem nada".

Autor de 11 gols na temporada, Paulinho só marcou menos que Liedson, centroavante da equipe. Após o último de seus gols, contra o Atlético-PR há dois domingos, ele chegou a dizer que foi um "cala a boca" para quem o acusou de pensar no Milan. "Foi um termo forte, mas na hora você está nervoso e acaba falando algumas coisas. Depois você vê que falou algo a mais".

Assegurado para enfrentar o Figueirense no próximo domingo, em jogo que pode dar o título ao Corinthians, ele lembrou do salto que deu na carreira nos últimos meses e admitiu o desejo de atuar no exterior. "É o sonho, mas tudo tem hora certa e o momento certo na carreira. Estou feliz demais por aqui. Tem diferença do Bragantino (ex-clube) e tem que colocar tudo na balança. Vim de um time inferior onde aprendi muitas coisas, com as pessoas e o Marcelo Veiga (treinador). É um salto muito grande, que envolve tudo, local de trabalho e estrutura", comparou.

Especula-se que Paulinho, 23 anos, pode receber oferta de até R$ 24 milhões da equipe italiana. Ele é revelado pelo Pão de Açúcar, que detém 50% de seus direitos econômicos - o Banco BMG tem outros 40% e o Corinthians, apenas 10%.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Brasil supera ausência de Dante, freia reação dos EUA e vence 2ª

A Kagoshima Arena viu um desempenho eficiente da Seleção Brasileira na tarde desta segunda-feira no Japão, madrugada no Brasil, pela Copa do Mundo masculina de vôlei. A equipe do técnico Bernardinho derrotou os Estados Unidos por 3 sets a 1 (parciais de 25/17, 25/18, 16/25 e 25/16), superando a reação iniciada pelo adversário na terceira parcial. Nem mesmo a ausência de Dante, desfalque por dores musculares no abdômen, interferiu na grande performance da Seleção.

Se Murilo foi o destaque na estreia contra o Egito, nesta segunda-feira o trabalho de levar o Brasil à vitória foi liderado por Leandro Vissotto, mas compartilhado por Giba e Lucão - este mostrando sua força no bloqueio. O Brasil encerra a sua participação na primeira fase da Copa do Mundo contra a Itália, a partir das 4h (de Brasília).

O Brasil iniciou a partida com a alteração que era esperada - Giba substituindo Dante. Novamente Marlon foi o levantador titular, enquanto Bruninho ficou como opção. O jogo começou bastante equilibrado e até com ânimos quentes. Quando o Brasil conseguiu seu quarto ponto a partir de erro dos EUA, o árbitro parou o jogo e juntou Stanley e Giba para que encerrassem logo qualquer polêmica.

O primeiro tempo técnico veio quando a Seleção tinha vantagem mínima, 8 a 7. Nenhuma equipe era capaz de abrir dois pontos de diferença, até que o Brasil fez 15 a 12. Este momento foi fundamental para o Brasil, que conseguiu trabalhar bem com a vantagem e imprimir seu ritmo à partida. As jogadas começaram a fluir com mais tranquilidade, e o time de Bernadinho fechou o set em 25 a 17.

A Seleção seguiu eficiente na segunda parcial, que voltou ao equilíbrio do início do set anterior. O ataque brasileiro funcionava bem, tanto que os americanos conseguiram seu primeiro ponto de bloqueio no jogo quando o placar marcava 9 a 8 a seu favor. O Brasil, porém, pouco a pouco retomou o controle da partida, e conseguiu deslanchar no marcador.

No segundo tempo técnico, o placar indicava 16 a 13 para o Brasil. Vissotto era o homem de confiança do Brasil, aproveitando as chances que lhe eram criadas. E foi com um ace do oposto que a Seleção venceu a parcial por 25 a 18.

Os EUA voltaram com um ritmo mais forte para o quarto set. Irritados com o desempenho nas parciais anteriores, os americanos buscaram oprimir o adversário e abriram vantagem de três pontos em seu sétimo tento. Até então apagado, Stanley "acordou" e passou a criar problemas para o time brasileiro.

O melhor jogo dos EUA fez com que o bloqueio começasse a ser um problema para a Seleção. Bernardinho mudou o time para tentar frear a reação adversária, colocando Bruno e Theo em quadra. O que se viu, porém, foi a manutenção do domínio americano, e a vitória no terceiro set por 25 a 16.

Os EUA seguiram bem na parcial seguinte e abriram vantagem de três pontos rapidamente. Essa diferença, porém, caiu frente ao bloqueio brasileiro, que voltou a funcionar. Com dois aces, Sidão deixou a Seleção na dianteira para não mais perdê-la.

O paredão formado por Vissotto, Sidão e Lucão passou a determinar o andamento da partida, além de fazer a Seleção deslanchar no placar. Com a vantagem estabelecida, a vitória por 25 a 16 veio no bloqueio duplo.

Lesionado, Beckham ajuda Galaxy a bater Dynamo e conquistar a MLS

David Beckham levanta o troféu da MLS, seu primeiro título com a camisa do Los Angeles Galaxy. Foto: Getty Images

David Beckham levanta o troféu da MLS, seu primeiro título com a camisa do Los Angeles Galaxy

Com um gol de Landon Donovan, o Los Angeles Galaxy, equipe do inglês David Beckham, venceu o Houston Dynamo por 1 a 0 na noite de domingo e conquistou o título da Major League Soccer (MLS), o campeonato de futebol dos Estados Unidos.

O gol do título foi marcado aos 27min do segundo tempo da final, disputada diante de 30.281 torcedores no Estádio Home Depot Center de Carson, perto de Los Angeles. Este foi o terceiro título do Galaxy, depois das conquistas de 2002 e 2005.

Beckham, 36 anos, conquistou pela primeira vez o campeonato desde que chegou ao LA Galaxy em 2007, e, segundo o treinador da equipe, Bruce Arena, atuou na decisão mesmo estando com uma lesão no tornozelo, motivo que despertou a admiração do comandante pelo jogador.

"David é um campeão. Eu tenho estado rodeado de grandes atletas e competidores em minha vida em diferentes modalidades esportivas, e esse cara é tão bom quanto pinta, tem um desejo incrível de vencer e competir, e provou isso esta noite. Ele obviamente queria estar lá. Tiro o meu chapéu para David", disse o treinador.

Campeão, Beckham, que possui em sua carreira títulos dos Campeonato Inglês e Espanhol, da Liga dos Campeões e do Mundial de Clubes, se mostrou muito feliz com a nova conquista e disse sentir orgulho do feito de sua equipe.

"Ser bem sucedido sempre faz bem. Provar que as pessoas estavam erradas é ainda melhor. Acho que as pessoas duvidaram de nós. Nós somos o Galaxy, nós somos o maior clube deste país e deste campeonato, e estamos orgulhosos esta noite, estamos orgulhosos de fazer parte disso", disse o jogador, que pode ter feito sua última apresentação com a camisa do clube dos Estados Unidos, já que seu contrato se encerra no dia 31 de dezembro.

"Tudo o que ele decidir fazer, eu vou apoiá-lo cem por cento, ele ganhou isso. Se ele decide ficar em seu cavalo e ir em direção ao pôr do sol, ou ir para outro lugar, ou se aposentar, eu apoio isso. Ele ganhou. Ele é realmente ganhou o direito de tomar qualquer decisão que quiser", disse Arena.

"Eu já disse antes, eu preciso sentar, relaxar e aproveitar este momento, e então decidir o que vou fazer. Eu poderia falar disso no passado, de vez em quando, mas isso não significa que eu não vou voltar. No final do dia, preciso decidir o que é melhor para mim, o que é melhor para a equipe e para a minha família, e depois veremos", disse o jogador, que aproveitou para retribuir os elogios ao técnico e manifestar sua satisfação por atuar no Galaxy. "Estes últimos cinco anos tem sido incríveis, é incrível fazer parte de uma equipe treinada por Bruce. Foi o momento mais agradável da minha carreira aqui na América, nesses últimos anos, e este título torna tudo ainda melhor", completou o inglês.

Com o fim de seu vínculo com o time americano próximo, o inglês já é especulado em equipes europeias, e pode retornar ao continente para prosseguir sua carreira. O Paris Saint-Germain, da França, tem interesse em adquirir o jogador em janeiro, para a segunda metade da temporada 2011/2012.

Outra equipe que pode surgir como destino para Beckham é o Tottenham, da Inglaterra. O meia esteve perto de acertar com o clube de seu país no final da última temporada, quando estava de férias da MLS.

Mesmo sem ter se manifestado sobre qualquer interesse em ter o jogador novamente, o Milan, da Itália, aparece como um provável candidato também, uma vez que o meia defendeu o clube em duas ocasiões, enquanto vigorava seu contrato com o Galaxy, sendo emprestado durante o recesso da liga norte-americana.

Ex-catador de lixo celebra ouro no Pan: "sonho realizado"

Histórias de superação não são algo incomum no esporte brasileiro. O maratonista Solonei Silva, medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara, é dono de mais uma história vitoriosa no País. Ex-coletor de lixo em Penápolis, sua cidade natal e que fica no interior de São Paulo, Silva afirmou que foi um sonho participar da competição em território mexicano.

"O momento da largada foi um sonho realizado. Queria ir para os jogos Pan-Americanos para representar meu clube e os que estavam torcendo por mim", disse o medalhista em entrevista exclusiva ao Terra nesta segunda-feira. "Sair da coleta do lixo para ser campeão Pan-Americano é algo para poucos. Conquistei minha medalha logo em minha estréia em Jogos Pan-Americanos. Foi muito emocionante", completou.

Líder da maratona Pan-Americana desde o km 21, Silva explicou que tinha certeza que venceria a prova, pois abriu grande vantagem sobre seu principal rival, o colombiano Diego Colorado, que ficou com a medalha de prata, seguido por seu compatriota, Juan Cardona.

"Quando iniciei a última volta (eram quatro voltas), meu técnico me avisou que tinha 1 minuto de vantagem em relação ao colombiano, então percebi que possuía totais condições de ganhar a medalha de ouro. No km 38, peguei a bandeira do Brasil de um torcedor e já tinha certeza de que ganharia", afirmou.

Além disso, o atleta, que conquistou a 48ª e última medalha de ouro do Brasil, afirmou que foi difícil segurar a emoção quando ouviu o hino nacional no pódio. Filho único, Silva entrou em contato com sua mãe logo após triunfar nos Jogos Pan-Americanos.

"Tive que segurar a emoção no momento do pódio. Chorei muito após a linha de chegada. Tive o prazer do Terra colocar minha mãe em contato telefônico comigo. Dentro do estádio estava uma vibração diferente, até por ser o encerramento. Foi sensacional ouvir o hino brasileiro na última competição do Pan-Americano. Sabia que se começasse a chorar, não conseguiria me conter", finalizou Solonei Silva.

Cigano aposta em Lesnar, mas ressalta: "nunca escolhi adversário"

Dono do cinturão dos pesos-pesados, Cigano diz que ainda não caiu a ficha. Foto: Edson Lopes Jr./Terra

Dono do cinturão dos pesos-pesados, Cigano diz que "ainda não caiu a ficha"

Atual campeão dos pesos pesados do UFC, Júnior "Cigano" dos Santos concedeu, nesta segunda-feira, uma entrevista em uma loja da Pretorian, patrocinadora dele, em São Paulo. Entre outros assuntos abordados, o lutador falou sobre o próximo desafio, a primeira defesa do cinturão, que se define no confronto entre o ex-campeão do UFC Brock Lesnar e o ex-campeão do Strikeforce Alistair Overeem, no dia 30 de dezembro.

Ao lado de seu treinador de boxe, Luiz Dórea, Cigano reconheceu as qualidades dos rivais e previu que o duelo, que acontece no MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas, Nevada, será equilibrado. Porém, o brasileiro acredita que o estilo de Lesnar pode prevalecer sobre o de Overeem.

"Realmente os dois são pesados e fortes, acho que vai ser uma boa luta, e é difícil prever um resultado. Eu acho que talvez dê Brock (Lesnar), porque o início de luta dele é mais perigoso", apostou.

Invicto no UFC, Cigano, que estava credenciado para lutar pelo cinturão ainda quando Lesnar era o detentor do título, contou que "ainda não caiu a ficha" pelo título da categoria, e que não começou a estudar o próximo desafiante, embora tenha conhecimento prévio do americano por ter tido a possibilidade de enfrentá-lo no passado.

"Não estou estudando eles ainda não. O Brock eu já estudei bastante, eu já assisti a algumas lutas, e já pensei em como seria minha estratégia, porque eu iria lutar com ele, eu já estava credenciado a lutar pelo cinturão, mas ele se machucou", lembrou o brasileiro, sobre o problema de saúde de Lesnar, que teve diverticulite e ficou afastado do esporte por um tempo.

Apesar de prever que o americano terá vantagem no embate contra o holandês, Cigano aponta que não tem preferência por nenhum dos dois oponentes, e que está preparado para encarar o lutador que se credenciar para disputar o cinturão. "Nunca escolhi adversário", disse.

domingo, 20 de novembro de 2011

Aos gritos de "Imperador", Adriano vira ídolo e deixa Pacaembu em Porsche

Adriano foi ovacionado pelo torcedor corintiano depois de definir a vitória. Foto: Edson Lopes Jr./Terra

Adriano foi ovacionado pelo torcedor corintiano depois de definir a vitória

O torcedor corintiano parece ter um novo ídolo. Após marcar um gol heróico aos 43min do segundo tempo que deu a vitória ao Corinthians contra o Atlético-MG por 2 a 1, o atacante Adriano deixou o Pacaembu em seu Porsche Cayenne, avaliado em R$ 500 mil, e foi ovacionado por milhares de pessoas que o aguardavam no estacionamento do estádio e nas ruas fora dele. "Imperador, imperador, imperador", gritavam os fãs.

Adriano entrou no jogo aos 20min da etapa complementar e mudou a história do confronto. Com ele em campo, o Corinthians incendiou o jogo e acuou o adversário, que vencia por 1 a 0. Se antes a equipe da casa não havia dado nenhuma finalização certa a gol, a história mudou de figura na sequência.

O quadro que veio a seguir foi o oposto do que se viu nos outros 65 minutos de partida. O Corinthians, renascido, lançou-se ao ataque e quase marcou em cruzamentos na área de Alex, mas não contou com a sorte. Ela só apareceu aos 34min, com Liédson, que completou de cabeça cruzamento de Alessandro.

E Adriano, que até então só havia feito de significativo um domínio bizarro na bola em lance de impedimento assinalado pelo bandeirinha, voltou a ser o "velho Adriano" em uma única jogada, a dois minutos do apito final. Foi o bastante: passe de Émerson e finalização de canhota do camisa 10 certeira, no poste esquerdo e depois nas redes do Atlético-MG.

E o corintiano nas arquibancadas, assombrado, parecia não acreditar no que havia acabado de acontecer. Foi repetição do filme de Ronaldo, que fez um tento espírita no último minuto de partida no clássico contra o Palmeiras, empatando o confronto e fazendo história no Prudentão, em Presidente Prudente.

Se desde a aposentadoria do camisa 9 o torcedor corintiano não havia identificado a figura de um ídolo maior, ela parece ter surgido hoje. O jogador foi de "gordo" a "Imperador" em um único chute, e poderia ter deixado o estádio paulistano carregado pelos braços no torcedor, que quase o tirou de dentro de seu Porsche e o carregou nos braços.

O jogador parece ter caído nas graças do torcedor após o feito deste domingo. Se antes o corintiano tinha ressalvas e dúvidas quanto à sua mais bombástica contratação de 2011, todas elas parecem ter acabado nas redes atleticanas, aos 43min do segundo tempo do duelo válido pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro deste ano. Enfim, o corintiano tem um novo ídolo: é Adriano.

Clássico Brasil x Argentina no futebol de 5 fecha Parapan

Em Guadalajara, a Seleção de futebol de 5 só perdeu para a Argentina, no último, numa prévia da final. Foto: Luciana Vermell / FOTOCOM.NET / CPB /Divulgação

Em Guadalajara, a Seleção de futebol de 5 só perdeu para a Argentina, no último, numa prévia da final

O Brasil entra no último dia dos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara já garantido como bicampeão, já que com 79 medalhas de ouro não pode mais ser alcançado pelos americanos, que têm 51 ouros. No entanto, os paratletas brasileiros ainda têm brigas acirradas por medalhas neste domingo, com a decisão do futebol de 5, contra a Argentina, e finais do judô.

Os brasileiros vão atrás da revanche contra os argentinos na final do futebol de 5. As duas equipes se enfrentaram no último sábado ainda pela fase classificatória e, em uma partida equilibrada, a Argentina tirou a invencibilidade do Brasil, vencendo por 1 a 0. A disputa pela medalha de ouro ocorre neste domingo, às 14h (18h de Brasília).

O Brasil vai reviver a final do Parapan do Rio 2007, quando encontrou a Argentina pela decisão do ouro e venceu por 1 a 0. Dessa forma, os brasileiros vão tentar defender o bicampeonato na modalidade.

Quatro judocas entram nos tatames, neste domingo, em busca de mais medalhas brasileiras no México. Karla Ferreira (48 kg), Michele Ferreira (52 kg), Rayfran Mesquita (60 kg) e Magno Marques (66 kg) são os representantes do País.

No último sábado, o destaque no judô ficou para Daniele Bernardes (até 63kg), medalha de ouro no Rio 2007, que conquistou a prata em Guadalajara depois de perder o confronto com a cubana Dalidaivis Rodrigues. Harlley Pereira (até 81 kg) levou um bronze na bagagem de volta. Com os resultados, o Brasil soma um ouro, três pratas e um bronze e está na segunda posição, atrás de Cuba, que tem quatro outros, duas pratas e um bronze.

Jornal: em crise, Traffic cogita se desfazer de jogadores

A Traffic, comandada por J. Hawilla (acima), não conseguiu obter empréstimos bancários para amenizar crise. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

A Traffic, comandada por J. Hawilla (acima), não conseguiu obter empréstimos bancários para amenizar crise

A Traffic, empresa conhecida por sua atuação em atividades esportivas e detentora dos direitos econômicos de diversos jogadores brasileiros, passa por uma crise financeira de grandes proporções e pensa em se desfazer de boa parte de seus atletas. A informação é da edição deste domingo do jornal Folha de S. Paulo.

Segundo a publicação, a Traffic tentou conseguir empréstimos bancários para melhorar sua situação, mas os pedidos foram negados por diversas instituições. Uma das soluções para a crise seria vender os direitos dos atletas ligados ao grupo, mas aos poucos, para evitar desvalorização. O investimento em novos jogadores poderia ser feito, embora de forma mais contida.

Rubinho "ignora" pedido de filho e diz que fé vai mantê-lo na F1

Ameaçado de perder vaga para Raikkonen, brasileiro diz: temos de estar preparados para tudo. Um dia terei de parar. Foto: Getty Images

Ameaçado de perder vaga para Raikkonen, brasileiro diz: "temos de estar preparados para tudo. Um dia terei de parar"

Ameaçado de perder a vaga na Williams, Rubens Barrichello, 39 anos, ignora até o desejo do filho Fernando, 6, enquanto luta para permanecer na Fórmula 1. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o caçula do piloto fez um pedido: "pare de correr para ficar (mais) comigo". O experiente automobilista, porém, tem outros planos, contando com o apoio do outro filho, Eduardo, 10, que afirmou: "continuar na F1 vai deixar meu pai muito contente, portanto torço por isso".

Barrichello, em conversa com o mesmo diário, disse que quer tanto permanecer na categoria que nos dois últimos meses visitou "bem mais empresas do que quando buscava patrocinadores para correr no exterior, em 1990". Em 2008, ele também competiu no GP do Brasil sem a certeza de que não se aposentará - o que deve ocorrer também neste ano -, e em fevereiro do ano seguinte assinou contrato com a Brawn GP. Por isso mesmo, evita se preocupar tanto com a indefinição atual. "Sou uma pessoa feliz pelo simples fato de, com 20 anos de carreira na F1, estar lutando para ter outra chance. Sou um homem de fé. Em todo país que vou sempre visito igrejas, mesquitas, sinagogas, não importa, todas têm muito a oferecer", apontou ele, que é católico.

C. Sampaio pensa em seis "nº 1" para Palmeiras ser campeão em 2013

César Sampaio acha que pode montar uma equipe competitiva, mas não promete título para 2012. Foto: Edson Lopes Jr./Terra

César Sampaio acha que pode montar uma equipe competitiva, mas não promete título para 2012

A crise tem sido a regra no Palmeiras nos últimos anos, mais isso não assusta o recém-contratado gerente de futebol do clube, César Sampaio, que acredita ser possível montar uma equipe competitiva para a próxima temporada. Em entrevista publicada na edição deste domingo do jornal Folha de S. Paulo, o ex-jogador afirmou que pensa em seis ou sete reforços "número um" para 2012, o que ele definiu como aqueles jogadores que todo mundo quer.

Com essas contratações, Sampaio acredita que o time consiga, no mínimo, a classificação para a Libertadores de 2013 - para aí, com a incorporação de mais alguns nomes, garantir um título. Na entrevista, o gerente de futebol palmeirense também comentou que não sabe se sua contratação foi uma indicação do técnico Luiz Felipe Scolari.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Por Libertadores e 2012, Botafogo sonda Jorginho e Levir

Técnico da Portuguesa é cotado para assumir posto no fim do Brasileiro. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

Técnico da Portuguesa é cotado para assumir posto no fim do Brasileiro

Horas depois de confirmar o desligamento do técnico Caio Junior, que ajudou a tirar do Botafogo as chances de conquistar o título do Campeonato Brasileiro e ainda dificultou o caminho pela vaga na próxima edição da Copa Libertadores, a diretoria do Botafogo já começa a trabalhar na contratação de um substituto. Dois nomes são ventilados: Jorginho, campeão brasileiro da Série B pela Portuguesa, e Levir Culpi.

A ideia é contratar um treinador que assuma imediatamente a equipe, mas que possa permanecer à frente do plantel em 2012, quando a diretoria promete investir forte para montar um grupo que vença o Campeonato Carioca, o Brasileirão e a própria Libertadores, que ainda não é uma certeza de disputa.

O nome que surge com mais força é o de Jorginho, que conduziu a Portuguesa ao título da Série B do Campeonato Brasileiro e vem negociando a renovação de contrato com a equipe paulistana. O treinador pretende anunciar seu futuro nesta sexta-feira, o que pode ser um sinal de que ouvirá ao convite dos botafoguenses.

Outro nome que chegou a ser cotado foi o de Levir Culpi, que retornou ao Brasil depois de quatro anos no Cerezo Osaka-JAP e se encontra sem clube. Mas, exatamente pelo fato de ter passado muitos anos no exterior, existe o temor de que não esteja familiarizado com os atletas alvinegros.

Para a partida do próximo domingo, às 17h (de Brasília), contra o Internacional, no Engenhão, a equipe será dirigida pelo preparador de goleiros Flávio Tênius.

Kubica pode substituir Massa na Ferrari em 2013, diz revista

Robert Kubica é aguardado na Lotus em 2012 e já está sendo especulado pela Ferrari para 2013. Foto: Getty Images

Robert Kubica é aguardado na Lotus em 2012 e já está sendo especulado pela Ferrari para 2013

O piloto polonês Robert Kubica foi especulado em uma possível transferência para a Ferrari no ano de 2013, no lugar do brasileiro Felipe Massa. As informações são da revista inglesa Autosport.

Boatos sobre a ida de Kubica a Maranello já haviam se espalhado no ano passado. No entanto, ele sofreu um grave acidente em fevereiro deste ano em um rali, na Itália, não participou da temporada da Fórmula 1 e até agora está em recuperação dos ferimentos após diversas cirurgias.

Ainda com seu futuro na F1 em dúvida, o piloto é aguardado pela Lotus Renault para formar a dupla de 2012 do time, provavelmente ao lado do russo Vitaly Petrov. Recentemente, o chefe da equipe, Eric Boullier, disse que cogita até colocá-lo com a temporada em andamento, no ano que vem.

O contrato de Felipe Massa com a Ferrari, por sua vez, acaba em 2012. Apesar da escuderia garantir que irá cumprir o prazo até o fim, não deve ser renovado caso o brasileiro não convença os italianos no próximo Mundial.

Löw vê Alemanha mais próxima da seleção espanhola

Alemães derrotaram a Holanda por 3 a 0 no último amistoso disputado. Foto: AP

Alemães derrotaram a Holanda por 3 a 0 no último amistoso disputado

O técnico da Alemanha, Joachim Löw, afirmou que a seleção da Alemanha evoluiu muito neste último ano e que, com um desempenho melhor, aproximou-se do nível da Espanha em relação aos comparativos entre a Eurocopa de 2008 e o Mundial de 2010.

"Está claro que nos aproximamos e progredimos no jogo. Isso é fundamental quando se trata de jogar contra a Espanha", disse Löw, em entrevista publicada nesta quinta-feira pela revista "Kicker".

Löw mostrou-se satisfeito com a moral adquirida em 2011, e disse que sua equipe jogou de forma constante e em alto nível ao longo de todo o ano.

O treinador mencionou o amistoso contra a Ucrânia, no qual a Alemanha reverteu uma vantagem de dois gols do time adversário, e também tratou de lembrar sobre o último amistoso contra a Holanda.

Na ocasião, a Alemanha goleou a seleção holandesa por 3 a 0. "É uma alegria ver como a equipe resolveu os problemas com recursos técnicos", afirmou Löw, que não teme que o time seja considerado um dos favoritos ao título da Eurocopa.

"Acho que o grupo pode viver com essas expectativas", disse.

Por Libertadores e 2012, Botafogo sonda Jorginho e Levir

Técnico da Portuguesa é cotado para assumir posto no fim do Brasileiro. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

Técnico da Portuguesa é cotado para assumir posto no fim do Brasileiro

Horas depois de confirmar o desligamento do técnico Caio Junior, que ajudou a tirar do Botafogo as chances de conquistar o título do Campeonato Brasileiro e ainda dificultou o caminho pela vaga na próxima edição da Copa Libertadores, a diretoria do Botafogo já começa a trabalhar na contratação de um substituto. Dois nomes são ventilados: Jorginho, campeão brasileiro da Série B pela Portuguesa, e Levir Culpi.

A ideia é contratar um treinador que assuma imediatamente a equipe, mas que possa permanecer à frente do plantel em 2012, quando a diretoria promete investir forte para montar um grupo que vença o Campeonato Carioca, o Brasileirão e a própria Libertadores, que ainda não é uma certeza de disputa.

O nome que surge com mais força é o de Jorginho, que conduziu a Portuguesa ao título da Série B do Campeonato Brasileiro e vem negociando a renovação de contrato com a equipe paulistana. O treinador pretende anunciar seu futuro nesta sexta-feira, o que pode ser um sinal de que ouvirá ao convite dos botafoguenses.

Outro nome que chegou a ser cotado foi o de Levir Culpi, que retornou ao Brasil depois de quatro anos no Cerezo Osaka-JAP e se encontra sem clube. Mas, exatamente pelo fato de ter passado muitos anos no exterior, existe o temor de que não esteja familiarizado com os atletas alvinegros.

Para a partida do próximo domingo, às 17h (de Brasília), contra o Internacional, no Engenhão, a equipe será dirigida pelo preparador de goleiros Flávio Tênius.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Com 15 medalhas no segundo dia, atletismo passa EUA no Parapan

Em pódio verde-amarelo, Therezinha  foi ouro nos 100 m T11, seguida de Jerusa e Jhulia . Foto: Bruno de Lima/Fotocom/Divulgação

Em pódio verde-amarelo, Therezinha foi ouro nos 100 m T11, seguida de Jerusa e Jhulia

O Brasil conseguiu um resultado espetacular no segundo dia de disputa do atletismo nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara, pois todos os brasileiros que chegaram às finais, subiram ao pódio. Foram 15 medalhas, sendo sete de ouro, seis de prata e duas de bronze, que deram ao país a liderança na modalidade.

Entre as conquistas da última terça-feira, destaque para as mulheres cegas mais rápidas do continente. Terezinha Guilhermina, Jerusa Santos e Jhulia Karol formaram o pódio verde-amarelo dos 100 m T11 (perda total de visão). Por causa de uma inovação definida no Mundial de Atletismo da Nova Zelândia, os atletas-guia também receberam medalha, pela primeira vez em Guadalajara.

"Eu sempre fui à favor. Para mim, o Guilherme (Santana) é parte fundamental das minhas conquistas e também merece a medalha", aprovou Terezinha.

Nos 100 m T11 (prova para atletas com deficiência visual), o brasileiro Lucas Prado confirmou o seu favoritismo, levou a medalha de ouro e também bateu o recorde no torneio. Outro brasileiro ficou com a medalha de prata, Daniel Silva.

O acreano Thierb Siqueira, de 21 anos, se consagrou o melhor das Américas nos 400 m T12 (baixa visão) e comemorou o resultado: "é um momento de muita emoção para mim". "Eu venci um tumor no cérebro no começo do ano, não pude competir o Mundial da Nova Zelândia e vim com tudo para o Parapan. Esse ouro representa muito para mim, e quero mais", contou o atleta.

Com o resultado, o Brasil se iguala aos os Estados Unidos em número de ouros na modalidade, cada um tem nove medalhas douradas, no entanto, o País tem e quatro pratas a mais (10 contra seis). Nesta quarta-feira, a equipe brasileira volta ao estádio de atletismo para disputar 21 provas, sendo sete finais.

Confira os recordes Parapan-Americanos batidos por brasileiros na última terça-feira:

Lucas Prado - 100 m T11 - 11s15
Yohansson Nascimento - 100 m T46 - 11s08
Jenifer Santos - 200 m T38 - 31s01
Terezinha Guilhermina - 400 m T11 - 1m02s82
Shirlene Coelho - lançamento de dardo F37 - 33.99

Francês domina teste de novatos na Fórmula 1; brasileiro é 7º

Jean-Eric Vergne teve problemas no carro, mas conseguiu ser o mais rápido novamente. Foto: Getty Images

Jean-Eric Vergne teve problemas no carro, mas conseguiu ser o mais rápido novamente

O francês Jean-Eric Vergne cravou 1min40s188 e se manteve na primeira colocação na primeira sessão do teste de novatos da Fórmula 1 desta quarta-feira, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes. Ele havia liderado os dois primeiros treinamentos da última terça-feira.

Na segunda colocação, novamente ficou a Ferrari de Jules Bianchi. A surpresa ficou com Valtteri Bottas, que colocou a Williams na terceira posição, logo à frente de Gary Paffett, da McLaren. Esteban Gutierrez terminou em quinto com a Sauber. O brasileiro Luiz Razia, do Team Lotus, concluiu com o sétimo posto.

Vergne, no entanto, não dominou durante toda a sessão. Com um problema em seu RB7, ele ficou um bom tempo nos boxes, mas conseguiu ir à pista no fim para correr 17 voltas e assegurar a melhor marca com o carro em que Sebastian Vettel sagrou-se bicampeão neste ano.

Na última terça-feira, quando concedeu entrevista após dominar totalmente o primeiro dia, o francês disse que "todos esperam que ele seja o mais rápido por ter o melhor carro" e minimizou seu desempenho. Não é a primeira vez que ele corre em um F-1, visto que já realizou treinamentos com a Toro Rosso, escuderia irmã da Red Bull.

Confira o resultado da primeira sessão desta quarta-feira em Abu Dhabi:
1 - Jean-Eric Vergne (FRA/Red Bull), 1min40s188
2 - Jules Bianchi (FRA/Ferrari), 1min40s838
3 - Vatteri Bottas (FIN/Williams), 1min42s548
4 - Gary Paffett (ING/McLaren), 1min42s645
5 - Esteban Gutierrez (MEX/Sauber), 1min43s637
6 - Sam Bird (ING/Mercedes), 1min43s734
7 - Luiz Razia (BRA/Team Lotus), 1min44s323
8 - Kevin Korjus (EST/Lotus-Renault), 1min44s425
9 - Kevin Ceccon (ITA/Toro Rosso), 1min44s947
10 - Johnny Cecotto Jr (VEN/Force India), 1min45s475
11 - Jan Charouz (TCH/Hispania), 1min46s728
12 - Charles Pic (FRAVirgin), 1m48s39

Neymar nega ser 3º do mundo e brinca: Santos poderia jogar Liga dos Campeões

Para Neymar, seria um prazer enfrentar extraterrestres do Barcelona na final do Mundial de Clubes. Foto: Guilherme Dionízio/Futura Press

Para Neymar, seria um "prazer" enfrentar "extraterrestres" do Barcelona na final do Mundial de Clubes

A avaliação de Muricy Ramalho segundo a qual Neymar é atualmente o terceiro melhor jogador do mundo não é compartilhada pelo atleta. Em entrevista à revista francesa France Football, o atacante se mostrou modesto e falou sobre o sonho de disputar a Liga dos Campeões da Europa, brincando ao afirmar que o Santos poderia participar da competição.

Concordando com o técnico, Neymar se disse inferior ao argentino Lionel Messi, que de acordo com o brasileiro continua o melhor do mundo, e ao português Cristiano Ronaldo, o segundo. Questionado se seria o terceiro, o jogador do Santos negou, embora não tenha indicado quem também estaria acima de seu nível.

Cauteloso, ele afirmou apenas que "estar entre os 23 nominados já é maravilhoso" - em referência à lista dos atletas que concorrem à Bola de Ouro, prêmio de melhor do planeta distribuído em conjunto entre a Fifa e a France Football.

Na mesma entrevista, Neymar agradeceu ao interesse de Real Madrid e Barcelona em sua contratação e admitiu o sonho de atuar na Europa, mas ratificou que "no momento" sua escolha é "ficar no Santos". Na semana passada, ele anunciou a renovação do contrato com o clube alvinegro até agosto de 2014.

Seu principal objetivo no continente é participar da Liga dos Campeões, "o melhor torneio do mundo", conforme definiu o brasileiro. Ele disse que acompanha bastante a competição e que "jogar contra equipes de França, Inglaterra, Alemanha dá prestígio". E completou apontando que gostaria que o Santos também disputasse o evento.

Neymar comentou ainda sobre a Seleção Brasileira e admitiu que a equipe foi mal na Copa América de 2011, quando acabou eliminada nos pênaltis nas quartas de final pelo Paraguai. No entanto, o atacante avaliou que os jogadores "aprenderam muito (a partir) daquela derrota". Ele já está de olho no Mundial de 2014, mas antes, em 2012, o foco se voltará para "ganhar o ouro olímpico, o único título que falta" ao País.

sábado, 12 de novembro de 2011

Flu quer evitar nova surpresa do América-MG para dormir líder

Atual campeão brasileiro, time tricolor pode assumir ponta pela primeira vez na edição 2011 do torneio. Foto: Alexandro Auler/Photocamera/Divulgação

Atual campeão brasileiro, time tricolor pode assumir ponta pela primeira vez na edição 2011 do torneio

Embalado pela vitória por 2 a 1 sobre o Internacional, em pleno Estádio Beira-Rio, o Fluminense pode assumir neste sábado a liderança provisória do Campeonato Brasileiro. Ao receber o lanterna América-MG, às 19h (de Brasília), no Estádio do Engenhão, o time tricolor passaria a noite na ponta em caso de triunfo. Terceiro colocado com 56 pontos, o Flu superaria Corinthians e Vasco, que lideram com 58 pontos, mas que entram em campo somente neste domingo.

Já os mineiros, na última posição com 28 pontos, tentam manter vivo o sonho de evitar o rebaixamento. Para isso, se inspiram no feito da semana passada, quando bateram o líder Corinthians, por 2 a 1, embolando a briga pelo título. Também serve de motivação para a equipe a vitória sobre o próprio Fluminense, no primeiro turno, com um convincente 3 a 0. Por isso, o elenco do time carioca está em alerta contra surpresas.

"O América-MG não derrotou o Corinthians por acaso e nem conseguiu fazer outros grandes jogos neste Campeonato Brasileiro sem qualidade. Estamos cientes de que teremos muitas dificuldades pela frente neste sábado e só vamos contar com a vitória após os noventa minutos. Nosso favoritismo representa nada antes do jogo", disse o zagueiro Leandro Euzébio.

Além de não menosprezar o adversário, o atual campeão nacional tenta controlar a ansiedade proveniente da possibilidade de assumir a liderança da competição pela primeira vez em 2011.

"O nosso foco é fazer uma grande campanha nestes últimos cinco jogos para ver se conseguimos a conquista do título, pois sabemos que a torcida do Fluminense deseja muito esse bicampeonato. Sabemos que não será nada fácil, que nossos concorrentes também são fortes e que nossos confrontos se desenham complicados, mas estamos focados. Não é o momento de pensar em ser líder ou em secar adversários. O momento é de pensar sempre no próximo jogo e somar três pontos", afirmou o atacante Rafael Sóbis.

Para este compromisso, o Fluminense não poderá contar com o lateral esquerdo Carlinhos e nem com o meia Deco, ambos suspensos por acúmulo de cartões amarelos. Sendo assim, Jeferson entra na lateral e o argentino Lanzini vai auxiliar Marquinho na criação de jogadas.

Mesmo ficando à disposição após cumprir suspensão, o zagueiro Márcio Rosário perdeu a posição para Elivélton, que está mantido como companheiro de Leandro Euzébio na defesa. A dúvida ainda está no gol, onde Diego Cavalieri, que passou a semana lutando contra uma gripe e uma crise de gastroenterite, passou a ter a sua escalação colocada em xeque. Se for vetado, Ricardo Berna assume o posto.

À espera de um milagre para escapar do rebaixamento, o América-MG terá que vencer o Fluminense a qualquer custo se quiser continuar sonhando em se manter na elite do futebol brasileiro. Para isso, o técnico Givanildo poderá contar com o lateral-direito Marcos Rocha, expulso contra o Grêmio e que foi absolvido em julgamento no STJD. Gilson e Alessandro, que cumpriram suspensão na última rodada, também ficam à disposição para atuar. Em compensação, o zagueiro Anderson está vetado pelo departamento médico. Durante a semana, o comandante americano ensaiou a equipe com Fábio Júnior ao lado de Kempes no ataque, deixando Alessandro na reserva.

"Não será fácil. Mostramos contra o Corinthians que temos condições, que tecnicamente somos capazes de vencer", disse Alessandro, que quer acabar com o tabu do Coelho de jamais ter vencido um jogo no Engenhão. "O momento ideal de acabar com isso é agora. Nem é muito por tabu. Estamos em uma situação difícil, temos que vencer, e mostramos contra o Corinthians que tecnicamente podemos continuar lutando", completou.

Givanildo vem procurando trabalhar o aspecto psicológico de seus jogadores para que eles esqueçam a situação delicada do time na tabela de classificação e se concentrem apenas no próximo jogo. Pelo discurso adotado pelos atletas, a estratégia vem dando certo.

"Nós estamos pensando apenas em conseguir uma vitória sobre o Fluminense. Neste momento não estamos pensando em pontuação. Queremos ganhar os jogos que restam e ver se será possível escapar", finalizou Givanildo.

Copa Paulista: Jogos de volta definem finalistas e mantém sonho da Copa do Brasil

Acontecem neste sábado os jogos de volta da semifinal da Copa Paulista e serão conhecidos os clubes finalistas e que continuarão sonhando com o caneco e vaga na Copa do Brasil da próxima temporada. Paulista e Comercial se deram bem na primeira partida e estão em vantagem.

Dos quatro times que estão na semifinal, o Paulista, atual campeão, é o que tem melhor vantagem para avançar na competição. Contra o Velo Clube, em Jundiaí, venceu por 4 a 0 e agora, em Rio Claro, no Estádio Benitão, às 19 horas, poderá perder para o mesmo rubro-verde por três gols de diferença que de qualquer forma estará classificado. O Velo, por sua vez, precisa golear por mais de quatro gols para continuar na briga.

Na outra chave, o Comercial também tem uma boa vantagem para ser finalista. Como venceu por 2 a 0, em Ribeirão Preto, o São Bernardo, agora o Bafo poderá perder por até um gol de diferença, no ABC paulista, que estará garantido na decisão. Para o time da casa, vitória por três gols de diferença lhe garantirá a classificação.

Após as semifinais, a Federação Paulista de Futebol (FPF) deverá se reunir com os clubes finalistas na segunda-feira e definir data e horário dos jogos. Tudo indica que, como na Segunda Divisão do Campeonato Paulista, as finais acontecerão aos domingos (20 e 27), às 10 horas.

Seleção Brasileira admite superioridade italiana em Sapporo

Logo depois de perder para a Itália por 3 a 0 (25/23, 25/16 e 25/22), a Seleção Brasileira feminina de vôlei confessou que a líder da competição foi totalmente superior nas quadras de Sapporo, onde foi realizada a partida da Copa do Mundo do Japão.

O técnico José Roberto Guimarães elogiou as adversárias. "A Itália foi melhor do que nós em todo o jogo. Perdemos muitas oportunidades no primeiro e terceiro set. Quando cometemos muitos erros contra uma equipe como a Itália, é sempre difícil. Amanhã temos mais um jogo complicado contra o Japão", analisou.

Já Paula Pequeno manteve o discurso humilde, mas preferiu lembrar as voltas por cima que a equipe deu na competição, como quando superou Coreia do Sul, Sérvia e China em grandes viradas.

"Quando Brasil e Itália se enfrentam, tudo pode acontecer. Elas jogaram muito bem na partida. Foram mais eficientes durante o jogo. Temos que manter o time junto. O resultado contra as italianas não apaga a nossa luta no torneio", ressaltou.

Do lado italiano, o treinador Massimo Barbolini comemorou mais um resultado de seu time, em grande fase na competição.

"Vencemos um dos melhores times do mundo. Estamos voltando a ser aquela Itália que defende, contra-ataca e joga com garra e alegria. O nosso bloqueio também funcionou bem ao longo do jogo", elogiou.

Na classificação da Copa do Mundo, a Itália é a líder isolada com 20 pontos conquistados em sete jogos. A China é a segunda com 16, logo à frente dos Estados Unidos, que têm um jogo a menos e 15 pontos. Alemanha e Brasil, respectivamente com 15 e 12 na pontuação, estão logo atrás das americanas. As três melhores equipes do torneio se classificam para os Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem.

Mano pede que Seleção continue solta em jogo mais duro contra Egito

Técnico Mano Menezes afirma que amistoso contra o Egito será mais difícil para a Seleção. Foto: Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação

Técnico Mano Menezes afirma que amistoso contra o Egito será mais difícil para a Seleção

O técnico Mano Menezes tem a consciência de que o Brasil deve encontrar, na partida contra o Egito, nesta próxima segunda, um adversário bem mais forte tecnicamente do que foi o duelo contra o Gabão, que terminou com a vitória da Seleção por 2 a 0, em Libreville, na última quinta-feira. O treinador, porém, ressaltou que as condições do gramado no duelo em Doha, no Catar, também estarão bem melhores do péssimo campo em solo gabonês.

"O jogo contra o Egito é mais difícil. Seleção do Egito é uma seleção mais qualificada, mas as condições do gramado também serão melhores. A tendência sempre quando você reúne é fazer o segundo jogo melhor do que o primeiro", disse.

"Então vai mudando, vamos retornar jogadores que estiveram fora hoje, como a questão do Thiago, como a questão do Lucas (Leiva), que nem era para entrar hoje só entrou por conta da lesão do Sandro. Vamos estudar a situação do Fernandinho, que apresentou alguma dificuldade e nós vamos levar isso em consideração", completou Mano.

O comandante afirma que espera, mesmo com um rival mais duro, uma Seleção Brasileira com a mesma postura que mostrou diante do Gabão. "A gente espera para o jogo contra o Egito que a Seleção continue solta, trabalhando bem, criando cada vez mais. Independentemente do adversário. A Seleção precisa ter um padrão e é atrás desse padrão que a gente trabalha".

Mano Menezes ressaltou que as duas partidas são importantes para testar jogadores e dar confiança para estes atletas se sentirem à vontade na Seleção. "Isso vai dando a possibilidade de você ficar seguro em relação aos jogadores, entender bem sua capacidade de produção. Para lá na frente tomar as decisões que precisa se tomar, levando em consideração coisas bem objetivas".

Felipão admite mudar 30% do elenco do Palmeiras para 2012

Técnico já sugeriu à diretoria do time alviverde uma lista com 12 reforços para 2012. Foto: Bruno Santos/Terra

Técnico já sugeriu à diretoria do time alviverde uma lista com 12 reforços para 2012

O técnico Luiz Felipe Scolari considera natural realizar mudanças no elenco do Palmeiras para a próxima temporada, principalmente pela discreta campanha neste Campeonato Brasileiro. Por isso, o comandante reconhece que realizará alteração em 30% dos jogadores para 2012.

"Todos vão fazer reformulação, até os que vão jogar só o (Campeonato) Paulista. As trocas vão acontecer em 30% no elenco de todos, e fazemos parte disso", afirmou o treinador.

Felipão já entregou à diretoria do Palmeiras uma relação com 12 nomes de reforços que deseja para o ano que vem. Os meias Wagner, que está no Lokomotiv (Rússia), e Jorge Wagner (Kashiwa Reysol, do Japão) aparecem como alvos do time alviverde, assim como o atacante Diego Tardelli, que está no Anzhi (Rússia). Mas o treinador preferiu não comentar sobre os nomes sugeridos por ele.

"Da minha lista, quem sabe são Tirone, Frizzo e César Sampaio. Eu não tenho o que revelar. Se eu falar que esta água é boa, ela vai valer R$ 10 mil. Se os nomes vazarem, a culpa não é minha", comentou.

Enquanto Felipão concedia entrevista na sala de imprensa, César Sampaio era visto conversando ao telefone no gramado de um dos campos da Academia de Futebol. O treinador explicou que é importante no Palmeiras o dirigente se isolar para tratar de assuntos importantes.

"O Sampaio tem que ir falar escondido, atrás da árvore, porque no vestiário é difícil. Se falar de bomba atômica, ela explode", ironizou.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Raikkonen admite conversas com Williams, mas não confirma acordo

Kimi Raikkonen admitiu negociação com a Williams e pode voltar à Fórmula 1 em 2012. Foto: Getty Images

Kimi Raikkonen admitiu negociação com a Williams e pode voltar à Fórmula 1 em 2012

O finlandês Kimi Raikkonen falou pela primeira vez sobre sua possível volta à Fórmula 1. Recentemente, foi especulado que o piloto, campeão em 2007, correria a temporada 2012 com a Williams. Nesta quinta-feira, ele admitiu que está negociando com a equipe, mas que nada está certo por enquanto.

"Estamos conversando com eles, mas eu ainda não tenho nenhum contrato fechado em nenhuma direção", disse em entrevista ao jornal finlandês Turun Sanomat, durante uma etapa do Mundial de Rali, no País de Gales.

Perguntado se demoraria para se adaptar aos atuais carros da Fórmula 1, Raikkonen disse que um eventual problema poderia ser os novos pneus Pirelli, que se desgastam mais facilmente. Sobre a configuração das máquinas, ele acredita que estão bastante parecidas com as da sua última temporada na categoria, em 2009.

"(Pilotar um Fórmula 1) é a coisa que eu mais fiz na minha vida. Muito mais desafiador seria tentar fazer outra coisa. Pelo que você vê na televisão, não (mudou muito). A principal diferença está nos pneus", comentou.

Caso seja confirmado o retorno do campeão mundial à Fórmula 1 pela Williams, a situação do brasileiro Rubens Barrichello fica bastante complicada. Sem patrocínio, o mais longínquo piloto da categoria pretende fazer a sua 20ª temporada em 2012, mas perderá espaço no time inglês, que ainda conta com o venezuelano Pastor Maldonado, fortemente incentivado por uma estatal de seu país.

Djokovic vira contra compatriota e está nas quartas em Paris

Djokovic venceu Troicki por 2 sets a 1 e foi para as quartas de final do Masters 1000 de Paris. Foto: EFE

Djokovic venceu Troicki por 2 sets a 1 e foi para as quartas de final do Masters 1000 de Paris

O sérvio Novak Djokovic, número um do mundo, levou um susto diante de seu compatriota e amigo Viktor Troicki, nesta quinta-feira. No entanto, recuperou-se e virou a partida válida pelas oitavas de final do Masters 1000 de Paris. As parciais foram de 4/6, 6/3 e 6/1.

Seu próximo adversário será o francês Jo-Wilfried Tsonga, cabeça de chave número 6, que não teve dificuldades para vencer o italiano Andreas Seppi, em sets diretos, com parciais de 6/3 e 6/4.

Djokovic começou mal o jogo e demorou para entrar no ritmo. Foi quebrado logo no começo, o que custou toda a parcial para ele. No segundo set, no entanto, impôs seu jogo aos poucos para deixar tudo igual. No último set, não teve problemas para bater o cansado Troicki, que errava demais.

Esta foi a sua décima vitória diante do número 19 do mundo em 11 encontros. Foi também a 69ª vez que saiu vitorioso de quadra apenas na temporada 2011, na qual é o melhor tenista disparado à frente dos principais rivais, Rafael Nadal, Andy Murray e Roger Federer.

André Lima rejeita jogar no Palmeiras, e Grêmio espera por Kleber

André Lima não aceitou ser moeda de troca na negociação do Grêmio pelo atacante Kleber. Foto: Ricardo Rímoli/Agência Lance

André Lima não aceitou ser moeda de troca na negociação do Grêmio pelo atacante Kleber

O centroavante André Lima não aceitou se transferir para o Palmeiras como moeda de troca na negociação do Grêmio por Kleber. Assim, a direção da equipe gaúcha terá de pagar na totalidade o valor exigido pelos paulistas para contar com o atacante. Apesar de não conseguir efetuar a troca, o diretor executivo gremista, Paulo Pelaipe, afirma que está tudo acertado entre os clubes.

"O André Lima não aceitou ir para o Palmeiras, preferiu ficar no Grêmio. Entre os clubes está tudo acertado. Ontem a noite o Kleber e seu empresário estiveram reunidos aqui em Porto Alegre e ficaram satisfeitos com a proposta. Porém, pediram 48 horas para dar uma resposta e nós entendemos como normal este pedido do jogador", disse Pelaipe durante uma entrevista à rádio Bandeirantes.

Pelaipe também disse que desconhece qualquer proposta do Corinthians por Kleber e acredita que o atacante deve jogar no Grêmio na próxima temporada. "Nós não temos conhecimento oficial de que algum time tenha se atravessado. O Frizzo (Diretor de futebol do Palmeiras) disse que o único time que fez proposta e procurou o Palmeiras foi o Grêmio. Estamos esperançosos de que o jogador venha atuar no Grêmio."

A direção gremista espera anunciar a contratação de Kleber até sexta-feira, fazendo a apresentação do jogador no futuro estádio do clube, a Arena Tricolor, que ainda está em obras e só ficará pronto em 2013.

sábado, 5 de novembro de 2011

Fora de casa, City vence QPR e mantém vantagem na liderança

David Silva marcou o segundo gol do City na partida. Foto: Getty Images

David Silva marcou o segundo gol do City na partida

Neste sábado, em partida muito movimentada, o Manchester City visitou o Queen's Park Rangers e, apesar das dificuldades, venceu por 3 a 2. Com o resultado e mais três pontos conquistados, a equipe comandada por Roberto Mancini manteve-se tranquila na liderança do Campeonato Inglês.

Logo no início, o jogo mostrou que seria disputado, e ambas as equipes lançaram-se ao ataque. Aos 27min, Barton cobrou falta na cabeça de Bothroyd, que subiu entre os zagueiros para testar e inaugurar o marcador para os donos da casa, que, inclusive, poderiam ter ampliado, não fossem as boas defesas do goleiro Hart, do City.

Ainda no primeiro tempo, a equipe de Manchester conseguiu o empate após ótima jogada de Dzeko pela esquerda. O atacante puxou toda a marcação adversária para o meio e bateu no contrapé do goleiro: 1 a 1.

Na segunda etapa, o City viu-se acuado e tomando pressão, e precisou acelerar o jogo. Em jogada rápida pela lateral, Dzeko rolou para David Silva, que dominou já tirando o zagueiro do lance e anotou o gol da virada. Pouco tempo depois, o QPR igualou novamente. De cabeça, em lance contestado pelos comandados de Mancini, Helguson empatou.

Porém, logo depois, Yayá Touré aproveitou cruzamento na área e, também de cabeça, deu números finais ao confronto. Desta forma, o Manchester City chegou aos 31 pontos, cinco a mais que o rival United, segundo colocado.

IAAF divulga finalistas melhores do ano; Murer é ausência

Brasileira não integra primeira lista feminina; Usain Bolt foi lembrado entre os homens. Foto: Jefferson Bernardes/Vipcomm/Divulgação

Brasileira não integra primeira lista feminina; Usain Bolt foi lembrado entre os homens

A Federação Internacional de Associação de Atletismo divulgou a lista de finalistas para o prêmio de melhores do ano nesta sexta-feira. Dentre eles, o destaque é o jamaicano Usain Bolt, que mesmo após a decepção no Mundial de Daegu, é um dos favoritos a ficar com o prêmio na categoria masculina.

Concorrem com Bolt o compatriota Yohan Blake e o queniano David Rudisha, medalha de ouro nos 800 m em Daegu, na Coreia do Sul. Bolt decepcionou no último Mundial depois de queimar a largada na melhor prova, os 100 m rasos. Yohan Blake foi quem se favoreceu do deslize e ficou com o ouro na ocasião.

Apesar do erro, Bolt se redimiu na Coreia. Ele conquistou o ouro nos 200 m rasos e ainda colaborou com a vitória e o recorde mundial no revezamento 4x100 m. Por essas e outras conquistas, o nome do jamaicano é um dos mais citados.

Na lista feminina está a neozeolandesa Valerie Adams, campeã olímpica e mundial do arremesso de peso, a queniana Vivian Cheruiyot, vencedora do Mundial nos 5.000 m e 10.000 m, e a australiana Sally Pearson, campeã mundial nos 100 m com barreiras.

Mesmo com o primeiro ouro brasileiro na história dos Mundiais, Fabiana Murer já ficou de fora da primeira lista divulgada pela IAAF. A ausência da brasileira foi a grande surpresa do prêmio.

Os vencedores serão anunciados dia 12 de novembro, em Mônaco, durante a festa de gala do atletismo.

Bahia aproveita pane do São Paulo, vira "jogo perdido" e respira

Bahia mostrou superação e conseguiu virada histórica diante do São Paulo. Foto: Edson Ruiz/Gazeta Press

Bahia mostrou superação e conseguiu virada histórica diante do São Paulo

Em um segundo tempo eletrizante, o São Paulo, após ter dois gols de vantagem, permitiu uma virada incrível do Bahia e saiu derrotado por 4 a 3 do Estádio do Pituaçu, neste sábado, pela 33ª rodada do Brasileiro. O resultado marca o nono jogo sem vitórias do time paulista na competição, superando o jejum de 2005 (8 jogos sem vitórias sob o comando de Paulo Autuori), que era o maior da história do clube até então.

Com o resultado, os baianos chegam aos 39 pontos e mantêm o 15º lugar na tabela, mas se distanciam bem da zona do rebaixamento. No momento, os comandados de Joel Santana estão sete pontos na frente do Ceará, que ainda tem uma partida a menos.

Já o São Paulo perde uma posição na tabela, cai para o oitavo lugar, e, com 50 pontos, pode terminar a rodada a até cinco pontos da zona de classificação para a Copa Libertadores.

Com gols de dois ex-corintianos (Souza e Lulinha), além de Fahel e um contra de Luiz Eduardo, o Bahia ofuscou os golaços que os são-paulinos Wellington, Lucas e Cícero marcaram na mesma semana em que o treinador Emerson Leão, ainda sem vencer sob o comando do clube paulista, promoveu um treino específico de finalização.

Na próxima rodada, o São Paulo joga em casa contra o Avaí. Em Goiânia, o Bahia mede forças com o Atlético-GO.

O jogo

O início do jogo deu ao torcedor são-paulino a impressão de que o martírio continuaria. Sem confiança, a equipe era facilmente dominada pelos baianos, melhores organizados em campo.

Aos 12min, Souza, que já havia tocado a bola entre as pernas de Carlinhos Paraíba, fez mais uma jogada de efeito. O atacante passou por João Filipe, na ala direita, e cruzou para Fahel, que desviou de cabeça, perto da trave de Dênis.

Na primeira chegada ofensiva, porém, o São Paulo abriu o placar e mudou o panmorama da partida. Aos 22min, Wellington recebeu perto da área, aplicou chapéu em Paulo Miranda e acertou uma bomba cruzada de perna direta, no canto de Marcelo Lomba.

O gol desestabilizou os baianos e deu confiança aos comandados de Leão. Faltou pouco para Luís Fabiano ampliar, aos 32min: após bela jogada de Lucas, o camisa 9 chutou à queima roupa no goleiro baiano, que fez grande defesa.

Na sequência, os são-paulinos pediram um pênalti. Aos 34min, após nova jogada de Lucas, Dagoberto bateu da meia-lua e exige mais uma grande defesa de Lomba. Na sequência, Luis Fabiano disputou a bola e caiu, mas o árbitro mandou o jogo seguir.

O São Paulo manteve o domínio até o intervalo, mas não conseguiu aumentar a vantagem. O castigo veio logo no primeiro lance do segundo tempo, quando, aos 51seg, Souza gingou para cima de João Filipe e chutou forte da entrada da área, empatando o confronto.

Antes que os baianos pudessem comemorar, Lucas prontamente colocou o São Paulo mais uma vez à frente, com uma forte bomba da entrada da área que acertou o ângulo direito do gol baiano.

A equipe da casa voltou a sentir o golpe. Já pressionado pela torcida, o Bahia mostrava nervosismo e viu o São Paulo chegar ao terceiro. Aos 15min, Cícero apanhou rebote na zaga e bateu forte da entrada da área. A bola bateu no poste direito de Lomba e entrou.

A partida parecia definida. Aos 21min, Dagoberto foi lançado por trás da zaga e, na cara do gol, parou em outra grande defesa de Marcelo Lomba. Nem a bola na trave de Lulinha, aos 22min, assustou os são-paulinos, que pareciam muito mais próximos de golear do que de permitir alguma reviravolta no placar.

Em quinze minutos, no entanto, o Bahia conseguiu virar um "jogo perdido". O primeiro gol saiu aos 23min: Nikão arrancou pela esquerda e cruzou para a área. Lulinha completou para o fundo do gol, diminuindo.

O empate veio aos 28min, com Fahel, de cabeça, aproveitando cruzamento de Dodô. O lance inflamou a torcida baiana, que empurrou o time para cima, na busca da virada improvável.

O São Paulo sucumbiu diante da pressão e sofreu o quarto gol aos 38min. Nikão disparou pela esquerda e cruzou para a área, encontrando o são-paulino Luiz Eduardo, que tentou o corte e mandou para o fundo das redes, marcando gol contra.

Os paulistas não tiveram força para reagir e saíram de campo vaiados, tanto pelos torcedores do Bahia quanto pelos são-paulinos presentes no Estádio do Pituaçu.

Americana empata com a Ponte, amplia jejum e sai do G-4

  1. Notícia
  2. Fotos

Goleiro Jaílson fez grandes defesas no segundo tempo. Foto: Ricardo Suarenga/Gazeta Press

Goleiro Jaílson fez grandes defesas no segundo tempo

Apesar da boa atuação fora de casa, o Americana não passou de um empate por 0 a 0 com a Ponte Preta, no Estádio Moisés Lucarelli, neste sábado, pela 34ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. A quatro jogos do fim do torneio, os comandados do treinador Roberto Fernandes deixaram o G-4 e embolaram ainda mais a acirrada disputa pelo acesso.

O resultado também foi ruim para o time da casa, que caiu para a terceira colocação e já não tem mais chances matemáticas de ultrapassar a líder Portuguesa, virtual campeã da competição.

Com 58 pontos, a Ponte ainda precisa de mais duas vitórias para assegurar a vaga na Série A de 2012 sem qualquer risco. É provável, no entanto, que a conquista venha mesmo com menos pontos, dado o equilíbrio e a inconstância dos clubes que brigam pelo quarto lugar do campeonato.

No momento, estão muito próximos o Vitória (quarto colocado, com 53 pontos somados) e, na sequência da classificação, Bragantino (52), Americana (52), Sport (51) e Criciúma (50).

Há seis jogos sem vitórias na Série B (quatro empates e duas derrotas), o Americana fez um bom primeiro tempo no Moisés Lucarelli, mas viu a Ponte crescer na segunda etapa, com a entrada de Renato Cajá. As defesas de Jaílson foram fundamentais para manter o empate até o fim.

Na próxima rodada, toda marcada para a terça, às 20h30 (de Brasília), a Ponte terá pela frente outra equipe postulante ao G-4: o Criciúma, fora de casa. Já o Americana, jogando no Estádio Décio Vitta, receberá o Vitória.

O jogo
O Americana conseguiu fazer um bom primeiro tempo em Campinas, mantendo a posse de bola e neutralizando as ações da Ponte. Na melhor chegada do time da casa, aos 24min, Ricardinho entrou na área pela direita e, com ângulo para finalizar, chutou forte, mas parou em grande defesa de Jaílson.

Pelo lado da equipe visitante, Fumagalli desperdiçou boas oportunidades e nenhum dos dois times inaugurou o placar antes do intervalo.

Mais ofensiva na segunda etapa, a Ponte Preta criou boa chance de marcar aos 14min, em bela cobrança de falta de João Paulo Silva. O time alvinegro ganhou mais qualidade com a entrada de Renato Cajá, que ainda se recupera de lesão muscular e não tem condições de jogar uma partida inteira.

Com a Ponte em melhor momento, o goleiro Jaílson começou a se destacar. Foram grandes defesas em chutes de Bruno Nunes, aos 25min, e de Renato Cajá, aos 34min.

Já no fim do jogo, o Americana também mostrou qualidade e, no contra-ataque, deu trabalho para o goleiro Júlio César. Os cinco minutos de acréscimo foram emocionantes, com oportunidades de ambos os lados.