segunda-feira, 30 de abril de 2012

FPF divulga grupos da Copa Paulista 2012

Noroeste e América estão no Grupo 1, ao lado de outras cinco equipes; competições começam dia 15 de julho.

A Federação Paulista de Futebol (FPF) divulgou no final da tarde desta sexta-feira (27) os grupos da Copa Paulista 2012. A competição vai começar no dia 15 de julho, com a primeira fase terminando no dia 16 de setembro. A final está prevista para o dia 25 de novembro. Serão 31 clubes, divididos em quatro chaves na primeira fase, sendo que três grupos terão oito equipes, enquanto o outro grupo terá sete clubes.

A competição será disputada nos mesmos moldes da última temporada. Os times jogarão dentro da chave entre si, em turno e returno, com os quatro primeiros de cada grupo avançando para a segunda fase, totalizando 16 equipes, que serão divididas em quatro grupos com quatro clubes cada.

As duas primeiras avançarão para as quartas-de-final, em sistema de mata-mata, com quatro equipes chegando até a fase semifinal, novamente em sistema de mata-mata, com o vencedor de cada confronto chegando à final. O campeão garante vaga na Copa do Brasil de 2013.

O Noroeste e o América estão no Grupo 1, ao lado de Barretos, Ferroviária, Marília, Penapolense e Santacruzense. A tabela da Copa Paulista deve ser divulgada pela FPF nas próximas semanas.

FPF

Neymar esquece gripe para liderar ranking de velocistas do Santos

neymar santos semifinal são paulo (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

A última semana não foi fácil para Neymar. Além de ter de encarar uma viagem para La Paz, a mais de 3.600 metros acima do nível do mar, o craque do Santos teve de enfrentar o Bolívar, pelas oitavas de final da Libertadores, com gripe. No entanto, nem o vírus, nem a altitude da capital boliviana abateram o atacante. O camisa 11 do Peixe está com fôlego em dia e provou isso na semifinal do Paulistão, diante do São Paulo, no último domingo.

Como já virou rotina em jogos do Alvinegro, Neymar foi mais uma vez decisivo. Ele fez os três gols da vitória por 3 a 1 do Peixe sobre o Tricolor e infernizou a defesa são-paulina. Ao repertório de dribles que lhe é peculiar, o craque acrescentou a correria: foi o santista mais veloz e que mais deu arrancadas na semifinal – ficou atrás apenas do lateral Cortez no geral dos dois critérios.

O segundo dos três gols do último domingo é um exemplo de que a gripe e os efeitos da altitude ficaram para trás. Após vacilo da defesa tricolor, Ganso deu uma enfiada para Neymar, que ganhou do zagueiro Paulo Miranda na corrida para balançar a rede.

Só no último domingo, essa cena se repetiu 34 vezes. Em uma dessas arrancadas, o velocista Neymar chegou a atingir a velocidade de 34,71km/h. Para se ter uma dimensão mais clara, se o craque fosse disputar uma prova de 100 metros rasos contra o recordista mundial Usain Bolt, ainda sairia na foto, já que a velocidade máxima do jamaicano é de aproximadamente 44km/h.

– É por isso que ele é o diferente. O duro é ter de lidar com um jogador mais ou menos. É bom conviver com um dos melhores do mundo. Atende até demais as pessoas. Um fora de série dentro e fora do campo. Na minha idade, não dá mais para aguentar jogador "mala". Basta eu – brinca o técnico Muricy Ramalho, que tem 56 anos. – O Neymar é um moleque humilde, que respeita todo mundo. Falo para ele ir para cima – emenda o comandante alvinegro.

Para parar esse torpedo driblador, somente com faltas. Neymar é alvo dos marcadores. No domingo não foi diferente, sendo que três das faltas no atacante provocaram cartões amarelos para os são-paulinos. Os dribles do camisa 11 do Peixe irritaram o técnico Emerson Leão, mas Muricy não se preocupa.

– Neymar sabe o limite dele. Só não quero que ele entre em atrito com adversário. É difícil marcar o garoto, não tem como chegar leve. Aí as faltas parecem escandalosas, mas são do jogo, são normais – disse Muricy.

“É difícil marcar o Neymar, não tem como chegar leve. Aí as faltas parecem escandalosas, mas são do jogo, são normais"

Muricy Ramalho

Globo Esporte

Jonathan: Legal, até o próprio técnico do time disse que a falta são normais. E por que toda essa proteção e reclamação do Neymar? Difícil de explicar?

Sauber exibirá escudos do Chelsea nos carros a partir do GP da Espanha

A Sauber anunciou, nesta segunda-feira, uma parceria com o clube inglês de futebol Chelsea. Os carros da dupla Sergio Pérez e Kamui Kobayashi levarão o escudo do time de Londres na pintura a cima do motor a partir do GP da Espanha, quinta etapa do mundial de Fórmula 1, de 11 a 13 de maio. Já o Chelsea, finalista da Liga dos Campeões, exibirá o logo da Sauber nas placas de publicidade do estádio Stamford Bridge em "backdrops" de entrevistas.

- Uma parceria como essa, entre Fórmula 1 e futebol nunca existiu antes desta forma, com numerosos pontos em comum e sinergias possíveis. Estamos falando de equipes do mais alto nível. A Sauber e o Chelsea lidam com diversos dos mesmos assuntos comerciais e queremos fortalecer um ao outro nessas áreas. Estamos ansiosos para explorar essas oportunidades e parabenizamos o Chelsea por alcançar a final da Liga dos Campeões - destacou Monisha Kaltenborn, diretora executiva da Sauber. O clube londrino buscará o primeiro título da competição europeia na decisão contra o Bayern de Munique, no dia 19 de maio.

Sauber exibiu mensagem de boas vindas 'Welcome Chelsea' no anúncio de parceria (Foto: Reprodução)

Sauber exibiu mensagem de boas vindas 'Welcome Chelsea FC' no anúncio de parceria

Nos GP da China e do Bahrein, a Sauber havia dado pistas da parceria, ao levar nos carros as inscrições "Out of the blue" e "True Blue", em alusão à cor azul, do Chelsea, conhecido como “The Blues”. De acordo com o comunicado, a parceria focará na venda de artigos esportivos e intercâmbio de conhecimento na área de ciência de esporte.

- Esta é uma parceria inovadora, juntando dois dos maiores esportes e unindo fãs. Sentimos que a equipe suíça reflete nossos ideais perfeitamente. A filosofia da Sauber para o desenvolvimento de base produziu alguns dos melhores pilotos da F-1, o que espelha nossa dedicação para desenvolver jovens talentos do futebol através de nossa academia. Em um ano que celebramos vinte temporadas como time da Premier League, a Sauber faz isso como equipe de F-1 (cinco delas com o nome de BMW Sauber) - disse Ron Gourlay, chefe executivo do clube londrino.

Não é a primeira vez que uma equipe de F-1 faz referência a um clube de futebol em seus carros. Em 2011, o Team Lotus (atual Caterham), prestou uma homenagem ao Queen's Park Rangers, também da Inglaterra. O clube, que pertence a Tony Fernandes, dono da equipe anglo-malaia, foi lembrado nas laterais dos carros com a pintura com a inscrição "Team Loftus", em referência ao estádio Loftus Road.

Globo Esporte

Tony brilha em relargada, cai nos boxes e se salva em batida; entenda

Em prova agitada, brasileiro oscilou entre o quarto lugar e a 18ª posição. Foto: Edson Lopes Jr./Terra

Em prova agitada, brasileiro oscilou entre o quarto lugar e a 18ª posição

Dos quatro brasileiros que disputaram a São Paulo Indy 300 neste fim de semana, Tony Kanaan teve provavelmente a corrida mais inusitada. Apesar de ser o melhor representante do País no grid de largada, saindo do 11º lugar beneficiado por uma punição, ele foi o que teve o maior prejuízo no fim em relação à posição original. Detalhe: andou muitas vezes entre os primeiros colocados, e até mesmo foi beneficiado por acidentes e relargadas.

Para entender tamanha confusão, é preciso esmiuçar a corrida de Kanaan. O baiano da KV Racing ganhou terreno nas oito primeiras voltas e subiu para 10º, mas caiu para 13º em meio às disputas até a volta 20. Porém, em seis voltas, ele já era o sexto colocado, graças a três fatores decisivos: a bandeira amarela na volta 20 (culpa da batida de Ryan Briscoe), as passagens de rivais pelos boxes e a rodada de Dario Franchitti no S do Samba pela volta 26.

O incidente do escocês da Ganassi promoveu nova bandeira amarela. No retorno, três voltas depois, Kanaan participou de um dos lances mais espetaculares da São Paulo Indy 300: atrás de Helio Castroneves, quarto com a Penske, e Rubens Barrichello, quinto com a KV Racing, ele retardou a freada na primeira perna do S do Samba, encontrou espaço e saltou para quarto. Seu companheiro de KV Racing aproveitou a brecha de Castroneves e manteve o quinto posto, "rebaixando" o rival da Penske para sexto.

Pelo menos, foi o que pareceu. Em entrevista coletiva, Kanaan deu a entender que a incrível ultrapassagem foi fruto da sorte ao escapar de um acidente. "Pareceu que foi uma relargada maravilhosa. Aconteceu um monte de coisa maravilhosa, mas aconteceu um monte de coisa lá na frente. Eu vim embalado, botei de lado e passei. O Rubens deu espaço para mim, eu também dei espaço", explicou o campeão da Fórmula Indy de 2004.

Tudo estava bem, e o carro vermelho de Tony se manteve na briga pelo pódio até a volta 41, quando o piloto foi chamado aos boxes. Resultado: despencou para a 17ª colocação.

"A gente entrou no box em quarto. Voltei (à pista) e perguntei em que posição eu estava: 17º. Eu falei: 'mandamos bem, hein?'. Mandamos uma estratégia ótima hoje", disse em sua coletiva, encarando a situação com bom humor e evitando reclamações para a KV Racing. "A gente ganha junto e perde junto. Isso não é uma crítica à minha equipe."

A partir daí, Tony Kanaan passou a patinar de novo entre as últimas colocações. Foi de 17º a 18º, de 18º a 15º. E foi em 15º que ele estava quando se envolveu em um grande acidente na volta 66, a nove do fim: Mike Conway se chocou contra o muro na segunda perna do S de Samba e enroscou com ele outros sete pilotos - entre eles, Bia Figueiredo (Andretti) e o próprio Kanaan. O piloto da KV Racing conseguiu frear e evitar o choque, mas Bia vinha atrás e acertou a traseira do compatriota. Por muito pouco, os dois não terminaram a corrida ali.

"Foi a Bia, né? Eu falei para ela, ele falou que não...", divertiu-se Tony. A rival da Andretti, envergonhada, tentou se justificar, mas Rubens Barrichello completou a brincadeira: "não vamos convidar ela para a corrida de kart". Mais sério, Tony prosseguiu.

"Tem certas vezes que, por ser cauteloso, acaba acontecendo. Quando vi acontecendo, diminui bem forte. O Rubens me passou pelo lado e eu tomei o toque por trás", completou.

Mesmo com pouco tempo para o fim da prova, Tony teve tempo para mais uma de suas boas histórias: parado em meio ao enrosco do S do Samba, conseguiu ganhar posições. Em meio aos trabalhos para voltar à pista, os torcedores começaram a pedir "tira, tira", para que os comissários tirassem seu carro da confusão. Formado por americanos e brasileiros, o grupo de comissários se dividiu entre os trabalhos. Mas depois que os brasileiros começaram a ajudar o carro de Tony, os americanos engrossaram o grupo.

"Eu bati em 15º, voltei e perguntei no rádio em que posição eu estava: 13º. Eu disse: 'então vamos bater de novo'", brincou Tony, que cruzou a linha de chegada uma posição atrás da colocação em que largou. Rubens Barrichello foi de 12º para 10º. Bia Figueiredo, de 19ª para 20ª. E Helio Castroneves, o destaque, foi de 18º para o quarto lugar.

Terra

Após conversa com Tite, Liedson deixa o time e não viaja ao Equador

Liedson foi vetado para a partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

Liedson foi vetado para a partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores

O goleiro Júlio César não foi o único que perdeu espaço no Corinthians depois da eliminação no Campeonato Paulista. Pior ainda ocorreu ao centroavante Liedson, que sequer viajou com a delegação de sua equipe para o Equador. O técnico Tite levou em consideração o mau momento do atleta para barrá-lo da partida contra o Emelec, quarta-feira, pelas oitavas de final da Copa Libertadores da América.

Após conversa com o comandante, Liedson ouviu que permaneceria em São Paulo para intensificar os treinos durante a semana - seus companheiros embarcaram com destino a Guaiaquil na manhã desta segunda-feira. Dessa forma, Willian foi confirmado como titular do ataque, ao lado de Emerson e Jorge Henrique.

"Foi uma opção do treinador. Todo mundo tem que respeitar. O Liedson sabe da importância que tem para a equipe", comentou Willian, que já havia se mostrado insatisfeito com a reserva (e recebeu reprimenda de Tite na ocasião) no início do ano. "O legal na nossa equipe é que todo mundo luta pelo seu espaço com respeito e humildade. A gente torce um pelo outro."

Willian afirmou que atuará mais centralizado para suprir a ausência de Liedson, autor de apenas três gols em jogos oficiais em 2012. O novo titular, contudo, não ganhou nenhum conselho do antigo: "não, não. Foi mais o Tite que falou comigo".

Aos 34 anos, Liedson tem contrato com o Corinthians até 31 de julho e ainda almeja a renovação por mais três ou quatro temporadas. O atacante reclamava constantemente do desgaste físico e das dores nos joelhos no ano passado, quando foi decisivo para a conquista do Campeonato Brasileiro.

Terra

domingo, 29 de abril de 2012

Kanaan tira satisfação com japonês após toque: "estupidez total"

Tony Kanaan se envolveu em acidente durante o warm up no Anhembi. Foto: Edson Lopes Jr./Terra

Tony Kanaan se envolveu em acidente durante o warm up no Anhembi

Um incidente com Takuma Sato no warm-up estragou o início de domingo de Tony Kanaan. Logo depois de perder muito tempo de treino no aquecimento da SP Indy 300 devido a um toque provocado pelo japonês, o brasileiro deixou o seu carro bastante irritado e procurou o adversário para tirar satisfações.

Kanaan, que ocupou a 22ª posição no warm-up, terminou a sessão de aquecimento e deixou os boxes da KV Racing com a cara fechada. Andando de forma apressada, ele se dirigiu rapidamente aos comissários da etapa de São Paulo da Fórmula Indy. Depois, montou em sua scooter e foi até os boxes da Rahal Letterman Lanigan Racing. Lá, falou com Sato.

Já bem mais calmo, Kanaan concedeu entrevista aos jornalistas e falou sobre o assunto. "Claro que ele não fez de propósito, mas é estupidez total. O warm-up é a hora que você mais precisa andar", disse. "Ele bateu tão forte, que o câmbio parou de trocar de marcha. Conseguimos arrumar e parece que está tudo perfeito. Os mecânicos vão ver de novo e se Deus quiser vai dar tudo certo", completou, em referência à corrida, marcada para as 12h30 (de Brasília).

O warm-up aconteceu das 8h30 às 9h e teve pouca participação do companheiro de Rubens Barrichello. Ele experimentava os pneus de chuva na pista molhada do Anhembi quando foi tocado por Sato, que buscou uma ultrapassagem para abrir caminho no fim da reta da Marginal Tietê.

"Vim conversar com o Rubinho para ver o que ele fez no carro dele, porque nem consegui andar", completou Kanaan. Barrichello também comentou sobre o incidente em entrevista, culpando o japonês: "sempre tem um apressado".

Apesar da irritação de Tony, Sato mostrou-se bastante tranquilo. Ainda nos boxes de sua equipe, o japonês atendeu a imprensa brasileira e minimizou qualquer tipo de polêmica. "Nós não conseguimos nos ver. Tinha toneladas de água na reta de trás. Tony estava pelo lado de dentro e o carro simplesmente não parou", disse ele, que ainda relatou a conversa que teve com o piloto da KV: "não falou nada, só queria conversar. Está ok, sem problemas".

Sato largará na 25ª posição da prova deste domingo, enquanto que Kanaan começará no 11º lugar. O brasileiro se beneficiou da punição ao britânico Justin Wilson, cujo carro do time Dale Coyne foi reprovado na inspeção técnica - ele passou, assim, da sétima para a 26ª e última colocação.

    Terra

    Real Madrid vence Sevilla e fica a um passo do título espanhol

    Cristiano Ronaldo abriu o placar para a vitória do Real Madrid dentro de casa. Foto: Reuters

    Cristiano Ronaldo abriu o placar para a vitória do Real Madrid dentro de casa

    A eliminação na semifinal da Liga dos Campeões na quarta-feira, pelo jeito, não surtiu efeitos profundos no Real Madrid. Na manhã deste domingo, a equipe recebeu o Sevilla e manteve o excelente aproveitamento no Campeonato Espanhol: venceu por 3 a 0, ficando a um passo do título. O time merengue confirma a conquista se o Barcelona mostrar que se abalou com a queda na competição continental e tropeçar contra o Rayo Vallecano, às 16h30 (de Brasília).

    O Real Madrid caiu na Liga dos Campeões nos pênaltis diante do Bayern de Munique, mas apesar do desgaste o técnico José Mourinho colocou em campo os titulares com apenas uma mudança: Granero no lugar de Khedira. Com bom futebol, o time venceu tranquilamente para abrir dez pontos de vantagem na liderança. O Barcelona, que foi eliminado pelo Chelsea e ainda recebeu a notícia da saída do técnico Pep Guardiola, não pode mais tropeçar.

    O Sevilla, por sua vez, permanece na nona colocação do Espanhol, com 46 pontos, cada vez mais longe da zona de classificação para as competições europeias, principal foco da equipe. O time chegou a incomodar o Real Madrid no início do jogo, mas a equipe de Mourinho não demorou a abrir o placar e se firmar como dono do comando das ações no Estádio Santiago Bernabéu, em Madri.

    Aos 18min do primeiro tempo, Benzema tabelou com Di Maria na intermediária e passou para Cristiano Ronaldo, dentro da área e pelo lado esquerdo. O jogador recebeu em condições de finalizar, mas deu um corte seco que fez o lateral Coke passar sozinho de carrinho antes de bater de perna direita no canto oposto do goleiro Varas. A partir deste ponto, o Sevilla foi obrigado a mudar a postura em campo.

    Além de desperdiçar muitas chances, o Real Madrid ainda acertou o travessão no primeiro tempo, aos 36min: Xabi Alonso rolou para forte chute de Cristiano Ronaldo. No segundo tempo, o anfitrião foi à frente para concretizar a vitória. Logo aos 3min, Coke falhou na frente de Benzema e deixou a bola fácil para o atacante francês completar para as redes. O terceiro gol surgiu pouco depois, aos 6min.

    Sérgio Ramos se adiantou ao ataque, recebeu bola na ponta direita e cruzou por cima da zaga. Sozinho, Benzema completou de "peixinho" no contrapé de Varas para marcar o terceiro e último gol do Real Madrid. O time merengue volta a campo no próximo domingo, às 13h (de Brasília), contra o Granada, fora de casa. No mesmo dia e horário, o Sevilla recebe o Rayo Vallecano.

    Terra

    Durant e Ibaka garantem vitória do Oklahoma City sobre os Mavericks

    Kevin Durant beija sua mãe, Wanda, após a vitória do Thunder sobre os Mavericks. Foto: AP

    Kevin Durant beija sua mãe, Wanda, após a vitória do Thunder sobre os Mavericks

    A dupla formada pelo ala Kevin Durant e pelo ala-pivô Serge Ibaka fez a diferença na vitória do Oklahoma City Thunder sobre o Dallas Mavericks por 99 a 98, na primeira partida dos playoffs da Conferência Oeste.

    Faltando apenas um segundo para o final da partida, Durant fez a cesta da vitória para o time da casa depois que o ala alemão Dirk Nowitzki tinha posto os Mavericks na frente do placar.

    Antes da cesta decisiva, Durant, que marcou 25 pontos e conseguiu seis rebotes, quatro assistências e quatro tocos, perdeu a oportunidade de definir a partida ao errar um arremesso fácil quando restavam 25 segundos de jogo.

    O elemento surpresa do Oklahoma City na partida ficou por conta de Ibaka, congolês de nascimento e espanhol de identidade, que conseguiu 22 pontos, seis rebotes e cinco tocos, além de uma assistência.

    O ala-pivô foi especialmente decisivo quando, faltando 53 segundos, protagonizou uma jogada de três pontos ao fazer a cesta e forçar uma falta pessoal de Nowitzki.

    O alemão, com 25 pontos, cinco rebotes e duas assistências, voltou a ser o líder dos Mavericks, atuais campeões da NBA, que nos playoffs da Conferência Oeste no ano passado eliminaram o Thunder.

    A segunda partida da série será disputada na próxima segunda-feira também em Oklahoma City.

    Terra

    Invicto no dérbi, Kleina colhe os frutos do "não" ao Fluminense

    Treinador Gilson Kleina segue colhendo os frutos do enfático não ao Fluminense. Foto: Bruno Santos/Terra

    Treinador Gilson Kleina segue colhendo os frutos do enfático "não" ao Fluminense

    Quando chegou à Ponte Preta, em janeiro de 2011, o técnico Gilson Kleina não imaginava que pudesse ser tão feliz como no atual momento. Treinador de 44 anos, mas bastante experiente, Kleina tem um currículo modesto, mas não menos importante. O treinador pontepretano está com o time na semifinal do Campeonato Paulista e, olhando para o passado, entende que fez a escolha certa. Kleina chegou a ser dado como certo no comando do Fluminense em abril de 2011, mas recusou o convite.

    "Quantas coisas aconteceram depois daquele 'não'. Fico feliz por ter vencido junto com a Ponte Preta dentro do cenário nacional", relembra Kleina, ao citar o descarte de comandar o Fluminense, já que ficaria à frente do time até o retorno de Abel Braga, que estava em final de contrato com o Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos. Aliás, Kleina foi auxiliar de Abel Braga em quatro times: Coritiba, Atlético-MG, Botafogo e Olympique de Marselha, da França.

    Em um ano e meio na Ponte Preta, Kleina disputou três dérbis e, a exemplo de Oswaldo Alvarez, o Vadão, técnico do Guarani, ainda não foi derrotado no confronto entre Guarani e Ponte Preta. Nestas três partidas, o treinador pontepretano venceu duas vezes (2 a 0 2 e 3 a 0 pela Série B de 2011) e empatou somente uma (na primeira fase deste Paulistão, por 1 a 1).

    Mais de Kleina
    O primeiro trabalho de Kleina como treinador foi no Vila Nova, em 2002. Depois passou por Paraná Clube, Paysandu, Criciúma, Gama, Caxias, Ipatinga e Coruripe. Aliás, no time alagoano o treinador conquistou seu único título na carreira. Em 2006, Kleina levou o Coruripe ao título do Campeonato Alagoano.

    O treinador despertou o interesse da Ponte Preta após a excelente campanha na Série B de 2010. Naquela ocasião, Kleina comandava o Duque de Caxias e o time carioca estava à beira do rebaixamento para a Série C. O treinador chegou ao clube e reorganizou o time, fazendo com que chegasse até mesmo a sonhar com o acesso à elite.

    Já na Ponte Preta, Kleina optou por um trabalho de renovação e montou um elenco que passava desconfiança aos torcedores, mas que dentro de campo tinha o aval do comandante e da diretoria. Já no Paulista de 2011, Kleina levou o time às quartas de final, mas acabou sendo eliminado pelo Santos, que seria o campeão. No Torneio do Interior, a Ponte Preta foi vice-campeã, perdendo a final para o Oeste de Itápolis.

    Mesmo assim, o melhor ainda estava por vir. Recusando a proposta de treinar o Fluminense, mesmo com salário três vezes maior do que ganhava na Ponte Preta, Kleina conseguiu conquistar o torcedor e, acima disso, a confiança de seu elenco. O grupo pontepretano se fechou em torno de um único objetivo: o acesso à elite.

    No dia 19 de novembro, o objetivo estava alcançado graças a goleada sobre o ABC-RN, por 4 a 1, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. A Ponte Preta estava de volta à elite do futebol nacional. Os torcedores invadiram o campo e Kleina foi bastante cumprimentado, abraçado e ovacionado pelos apaixonados torcedores pontepretanos. Agora, Kleina segue colhendo os frutos daquele enfático "não" ao Fluminense.

    Terra

    Na esgrima graças a amigo, Renzo Agresta foge de favoritos em Londres

    O esgrimista Renzo Agresta no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo. Foto: Fernando Borges/Terra

    O esgrimista Renzo Agresta no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo

    Atual 19º colocado no ranking mundial de esgrima, na categoria sabre, classificado para sua terceira participação em Jogos Olímpicos e considerado o melhor atleta na história da modalidade no País, o paulistano Renzo Agresta ainda busca melhorar no quadro mundial para tentar ir longe na Olimpíada de Londres.

    Em entrevista exclusiva ao Terra, o medalhista de bronze nos Pan-Americanos do Rio de Janeiro e Guadalajara, comentou que, depois de conquistar a vaga para os Jogos 2012, tentará subir o maior número de posições possível no ranking para conquistar um chaveamento favorável em Londres e "escapar" dos favoritos. Nas suas duas primeiras Olimpíadas (Atenas 2004 e Pequim 2008), Agresta caiu no segundo jogo ao enfrentar os esportistas nº 1 do mundo.

    O atleta de 26 anos disse também que não considera a esgrima um esporte elitista, mas acredita que precisa haver maior investimento em categorias de base e capacitação de novos técnicos no Brasil. Para ele, que foi introduzido à modalidade por um amigo aos 12 anos, a escola europeia está à frente da sul-americana e ainda é necessário cruzar o atlântico para se especializar.

    Apesar de ser contratado pelo clube Pinheiros, de São Paulo, Renzo Agresta mora em Roma, na Itália, e treina a maior parte da temporada com a seleção italiana de esgrima. O atleta possui dupla nacionalidade e compete principalmente em torneios europeus.

    Confira a entrevista com Renzo Agresta na íntegra:

    Terra: como você começou a praticar esgrima? E quando percebeu que poderia se profissionalizar?

    Renzo Agresta: comecei aos 12 anos, a convite de um amigo, aqui em São Paulo. Acho que com 16 anos eu percebi que poderia virar profissional. Eu comecei a ir bem nas categorias acima da minha, aí vi que tinha potencial para participar de jogos, como Pan-Americanos, Jogos olímpicos, e conseguir bons resultados.

    Você chegou à 19ª colocação no ranking mundial...

    É a melhor colocação da minha carreira. Consegui com bons resultados no circuito internacional. Foram quatro etapas da Copa do Mundo. Na esgrima, os oito primeiros colocados são considerados finalistas, então na Copa do Mundo tem mais ou menos 200 pessoas, aí teve uma que fiquei em oitavo, finalista, e em outra eu fiquei em 15º, que foi um bom resultado. Esses resultados que me levaram agora a chegar à 19ª posição.

    Com o desempenho neste ano, você chega confiante para os Jogos de Londres?

    Chego. Porque o meu primeiro objetivo era a classificação. Agora, depois da classificação, meu objetivo é tentar melhorar meu ranking para que eu possa pegar uma chave melhor nos Jogos. Nas últimas duas Olimpíadas eu ganhei a primeira e, logo depois, tanto em Pequim, quanto em Atenas, caí contra o primeiro do ranking. Então fica mais complicado. Eu quero ficar melhor ranqueado para, de repente, ser cabeça-de-chave.

    O primeiro resultado que te colocou em expressão no cenário internacional foi o bronze no Pan do Rio?

    Não, tiveram alguns antes. Eu havia sido campeão sul-americano, do campeonato pan-americano. Já fui campeão italiano até 23 anos, o que foi muito importante, pois, para mim, a Itália é o principal país do mundo na esgrima. É que esse resultado do Rio, sem dúvida, foi um dos mais importantes por serem Jogos (Pan-Americanos), por ser em casa, mas também teve outros tão bons quanto este.

    Você tem também a nacionalidade italiana e mora na Europa a maior parte do ano. Por que vale mais a pena treinar por lá?

    Acho que é uma questão de tradição. Em comparação com a Europa, o Brasil está muito novo no esporte. Eles têm muito mais gente, muito mais treinadores, e muito mais competição de alto nível. Mas o Brasil, pouco a pouco, está melhorando, tem alguns lugares que tem uma estrutura bem bacana. Por exemplo o Pinheiros, que tem uma estrutura legal, tem bons treinadores, tem gente de alto nível, tem investimento, então todas estas coisas fazem com que você possa aumentar a base e a, partir disso, conquistar resultados de alto nível.

    A esgrima precisa ganhar mais adeptos no Brasil?

    Sem dúvida. Algo que eu sempre falo é sobre a popularização da esgrima, como fazer para popularizar a esgrima no Brasil. Para mim, é preciso aumentar a base. Como você faz para aumentar a base? Você tem de ter gente apta a ensinar o esporte. Ou seja, você tem de oferecer mais cursos, e isso está começando a ser oferecido, para começar a criar mestres. A partir daí, tentar espalhar estes mestres em cidades e Estados e começar a fomentar a prática em lugares que antes não tinham e aumentar o número, aumentar a base. Na minha opinião, a qualidade vem da quantidade.

    A esgrima é comumente retratada como esporte elitista. A modalidade é mesmo exclusiva para pessoas ricas?

    Não, isso é um mito. Se você parar para ver, o material de esgrima é um material que você até faz um alto investimento inicial, mas você pode ir comprando aos poucos. Você pode buscar uma maneira de não precisar ter esse material para, depois, ter a possibilidade de poder comprar. Então não, não é elitista.

    Então o que falta para popularizar o esporte?

    Realmente falta mais gente para ensinar em locais que as pessoas possam ter interesse. Eu participei da virada esportiva no ano passado e teve muita gente interessada em fazer esgrima, mas não há muito lugares para a modalidade. A maioria é em clubes, então não tem muita possibilidade de prática. Este é o grande problema. Tem muita dificuldade para encontrar lugar para treinar.

    Você está indo para a terceira olimpíada seguida. A expectativa é a mesma?

    Acho que, com o tempo, a experiência ajuda você a chegar um pouco mais maduro, conhecendo o evento. Coisas que eram inéditas, hoje eu já estou acostumado. Mas no dia do jogo o frio na barriga faz parte. Você tem que saber usar esse frio na barriga para te motivar. Acho que tem pessoas que, com esse frio na barriga, podem ficar travados. Já outros usam para se motivar. Eu procuro ser a pessoa que usa todo esse evento, toda essa coisa diferente dos Jogos Olímpicos, para tentar fazer meu máximo. Sem dúvida, estas duas Olimpíadas que eu já participei vão me ajudar nessa parte de experiência, tranquilidade, na hora do jogo.

    E quando você chegou a uma Olimpíada pela primeira vez, o que mais chamou a sua atenção?

    Acho que o clima de Vila Olímpica é fantástico. Você está lá no meio e percebe que tantas outras pessoas sacrificaram a vida inteira para alcançar um objetivo. Você vê tantos atletas de alto nível. Vale a pena. Acho que todo o sacrifício de treinamento, qualquer coisa que você abriu mão, uma vez que você está na Vila Olímpica, você vê que vale a pena. É realmente uma atmosfera fantástica.

    É verdade que a delegação brasileira é a mais agitada na Vila Olímpica?

    Não, não é verdade. O Brasil chega com alguns dias de antecedência na competição. A maioria dos atletas que estão lá está para buscar resultado. Eles estão sabendo que é um dos eventos mais importantes da carreira deles, se não o mais importante. Então não tem porque fazer festa. Acho que não é o caso.

    Até os Jogos, qual é o seu calendário?

    Até Londres, ficarei na Itália, treinando com a seleção italiana, e vou competir nos torneios europeus, pretendendo melhorar meu chaveamento até a Olimpíada.

    E o seu amigo que te apresentou a esgrima, o que aconteceu?

    Meu amigo parou. É sempre assim né?

    Terra

    sábado, 28 de abril de 2012

    Puyol define saída de Guardiola como "um golpe" no Barcelona

    Puyol lamentou a saída de Guardiola, mas elogiou a ascensão de Tito Vilanova. Foto: Getty Images

    Puyol lamentou a saída de Guardiola, mas elogiou a ascensão de Tito Vilanova

    Capitão do Barcelona e homem de confiança do técnico Pep Guardiola, o zagueiro Puyol afirmou neste sábado que o anúncio da saída do treinador ao final da temporada foi sentido como "um golpe" pelo elenco. De acordo com o jornal espanhol Marca, Puyol disse que muitos nomes foram cogitados para suceder o comandante, mas que os atletas preferiam a permanência de Guardiola. No entanto, comemorou a nomeação do auxiliar técnico Tito Vilanova, o que representa uma "continuidade do projeto".

    O zagueiro afirmou que Tito conhece profundamente o Barcelona e lembrou que trabalha com Guardiola há cinco anos. Portanto, definiu o auxiliar como "a pessoal ideal" para dar sequência ao trabalho do clube catalão. Guardiola anunciou sua saída ao final da temporada depois da eliminação na semifinal da Liga dos Campeões, derrotado pelo Chelsea, culpando desgaste no cargo.

    Apesar do continuísmo na maneira de trabalhar do Barcelona, os espanhóis em geral estão descrentes com o futuro do clube. Em enquete criada pelo jornal El Mundo, os leitores afirmaram que o mais provável é que o time entre em crise pós-Guardiola: foi essa a escolha de 67% das pessoas que responderam, à frente de "o Barcelona irá melhor", com 5%, e de "não será afetado", com 28%.

    A comoção com a decisão de Guardiola não se faz presente apenas na Espanha. O meia inglês David Beckham, ídolo do Real Madrid, deu sua opinião sobre o assunto em sua página pessoal no Facebook: classificou o treinador como "não só um grande treinador, mas um cavalheiro" e lembrou que Guardiola foi um dos primeiros a demonstrar apoio e se interessar pelo atleta após grave lesão no Tendão de Aquiles, às vésperas da Copa do Mundo de 2010.

      guardiola

      Terra

      São Paulo protesta contra Oscar, mas avisa: contrato continua

      Oscar não foi liberado pela CBF para atuar no Gre-Nal de domingo. Foto: Wesley Santos/Futura Press

      Oscar não foi liberado pela CBF para atuar no Gre-Nal de domingo

      O São Paulo se manifestou a respeito da decisão judicial do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que liberava Oscar para defender o clube que bem entendesse. Em nota oficial publicada no site, o clube tricolor protestou contra a decisão, mas relembrou ao atleta e a todos os envolvidos: o contrato com a equipe do Morumbi continua em vigor.

      Com isso, segue indefinida a situação do jovem meio-campista, que não foi liberado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para atuar no clássico do fim de semana, contra o Grêmio, pela decisão do segundo turno do Campeonato Gaúcho. A polêmica, portanto, deve continuar nos próximos dias.

      Confira, na íntegra, nota oficial lançada pelo São Paulo sobre o caso Oscar:

      Diante da decisão liminar concedida pelo Exmo. Ministro Dr. Guilherme Augusto Caputo Bastos, em sede de habeas corpus que beneficiou o atleta Oscar, o SPFC faz os seguintes esclarecimentos.

      1 - A liminar concedida autoriza o Atleta a trabalhar para qualquer empregador, mas em momento algum anula ou torna sem efeito o contrato de trabalho firmado com o SPFC, nem tampouco interfere na decisão de mérito proferida pelo TRT de São Paulo.

      2 - Por esse motivo, com todo respeito à recente liminar conferida em proveito do Atleta, contra a qual tomaremos as medidas judiciais cabíveis, temos a mais absoluta confiança de que a Justiça Especializada irá continuar reconhecendo a regularidade de todos os atos praticados pela Instituição e a validade de obrigações contratuais livre e anteriormente assumidas.

      3 - Evidenciando que o contrato continua válido, nenhuma das inúmeras medidas judiciais buscadas pelo Atleta nos últimos meses surtiram o efeito desejado pois, mesmo promovendo ações em São Paulo, Porto Alegre e Brasília, nas quais tentou suspender os efeitos da decisão judicial, afastar a eficácia do contrato com o SPFC ou mudar de empregador sem arcar com o ônus da rescisão, tiveram qualquer êxito, pois prevalece incólume a decisão judicial de mérito que declarou a validade do vínculo com o SPFC.

      4 - A única preocupação que temos, portanto, refere-se à segurança jurídica e aos efeitos prejudiciais que a inédita decisão poderá trazer para todos os clubes brasileiros que, a prevalecer o entendimento apontado, poderão ver seus melhores atletas seguirem o mesmo diapasão de Oscar, para se transferirem livremente para outros clubes, inclusive do exterior, conforme o interesse de seus empresários, sem qualquer compensação financeira imediata, em total arrepio da lei.

      5 - Assim, com apoio incondicional daqueles que prezam pela segurança jurídica e pelo respeito aos contratos livremente assinados, o SPFC informa que seguirá firme na defesa dos direitos da Instituição, certos de que essa luta beneficiará todos os clubes brasileiros que investem e trabalham pelo desenvolvimento do futebol.

      Entenda o caso

      Oscar entrou na Justiça contra o São Paulo no final de 2009, alegando atraso de vencimentos e que também teria sido coagido a emancipar-se e assinar um contrato aos 16 anos, quando ainda era menor de idade. Assim, a renovação do vínculo foi desfeita por decisão da juíza Eumara Nogueira Borges Lyra Pimenta, da 40ª Vara do Trabalho de São Paulo, em 14 de junho de 2010, e Oscar pôde transferir-se à equipe colorada.

      A Justiça ainda negaria uma liminar do São Paulo no mês de setembro de 2010, mas o clube apelou. O clube paulista só conseguiu uma vitória contundente em 21 de março de 2012, quando decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), do juiz relator Nelson Bueno de Prado, determinou que o contrato do jogador com o clube paulista fosse restabelecido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e pela Federação Paulista de Futebol (FPF).

      No mesmo dia a Federação Gaúcha de Futebol (FGF) notificou o Internacional de que não poderia contar com Oscar tanto na disputa da Copa Libertadores quando no Campeonato Gaúcho. Ele segue sem atuar profissionalmente desde então. Apesar de a Justiça Trabalhista determinar que o meia voltasse ao São Paulo, Oscar seguiu treinando em Porto Alegre.

      Em meio ao impasse, o Internacional buscou resolver o caso diretamente com o São Paulo. O clube gaúcho se reuniu com dirigentes paulistas e fez uma proposta pelo meia com valores pouco superiores a R$ 7 milhões, mas o clube do Morumbi recusou a oferta, avisando que aceita somente R$ 17 milhões e que pretende contar com o atleta.

      Após dias de indefinição, o TST concedeu nesta quinta-feira (26) um habeas corpus em favor do meia para que ele possa trabalhar onde bem entender. Com isso, o jogador não deve mais voltar ao São Paulo e pode retomar normalmente suas atividades junto ao Internacional, clube pelo qual gostaria de seguir atuando.

      Oscar, que pelo Internacional conquistou o título da Copa Libertadores da América de 2010 e a Recopa em 2011, está entre os 52 jogadores convocados por Mano Menezes para a disputa da Olimpíada de Londres com a Seleção Brasileira.

      Terra

      Rogério Arruda: Vamos parar de tanta confusão São Paulo, em nenhum momento o jogador Oscar quis jogar no clube paulista, e vocês insistem em ter algo que não vão conseguir. Isso aplica a um rendimento ruim do jogador, que fica pressionado pelo fato de dois clubes brigarem para ter ele defendendo algum time. Cabe o jogador decidir onde quer jogar, e levar em conta essa decisão.

      Insatisfeito, Cuca pode mudar escalação do Atlético-MG em semifinal

      Após primeira derrota no ano, Cuca pode fazer mudanças no time do Atlético-MG. Foto: Heuler Andrey/Gazeta Press

      Após primeira derrota no ano, Cuca pode fazer mudanças no time do Atlético-MG

      Insatisfeito com o rendimento da equipe na derrota por 2 a 0 para o Goiás na última quarta-feira pela Copa do Brasil, o técnico Cuca mostrou a intenção de promover mudanças na equipe titular do Atlético-MG para o confronto diante do Tupi, neste sábado, às 18h30 (de Brasília), pela semifinal do Campeonato Mineiro.

      "Estou analisando bem a situação em que a gente se encontra em todos os aspectos, conversando bastante. Ainda não defini o substituto do Pierre (suspenso). O Luiz Eduardo esteve irregular, mas sete ou oito estiveram irregulares também. Temos que tomar cuidado com essa situação, trocando um ou outro. Você tem que ter confiança. O Luiz Eduardo tem a mesma confiança do Lima, do Rafael Marques", destacou Cuca.

      Na defesa, Rafael Marques ainda segue como dúvida. Se não jogar, o jovem Luis Eduardo deverá continuar na equipe titular ao lado de Réver. Lesionados, o meia Wesley e o atacante Guilherme seguem vetados pelos médicos.

      Embora decepcionado com a atuação do time diante do Goiás, Cuca entende que os atletas souberam assimiliar a derrota.

      "Confio nesse grupo e tenho certeza de que eles vão dar o máximo possível dentro de campo. Eles vão absorver o que aconteceu. Ninguém ficou feliz, pelo contrario. Mas temos que seguir adiante, porque a vida é assim. Às vezes, um tropeço desse te dá força para ser campeão", confiou.

      Terra

      Power supera Franchitti e lidera 1º treino; Castroneves é 6º

      Will Power manteve o predomínio no traçado paulistano em 2012. Foto: Reuters

      Will Power manteve o predomínio no traçado paulistano em 2012

      O australiano Will Power começou a mostrar neste sábado porque é o principal candidato à vitória na São Paulo Indy 300 de 2012. No primeiro treino livre para a etapa paulistana da Fórmula Indy, realizado na manhã deste sábado no Circuito do Anhembi, o piloto da Penske registrou o melhor tempo e superou alguns de seus principais rivais, em briga bastante disputada pela segunda posição.

      Com a marca de 1min22s387, registrada em sua última tentativa, Power assegurou a liderança na sessão de pouco mais de uma hora. Scott Dixon, Ryan Hunter-Reay, Josef Newgarden, Helio Castroneves e Simon Pagenaud disputaram a segunda posição nos minutos finais, mas Dario Franchitti (Chip Ganassi) levou a melhor e assegurou o posto com marca de 1min22s395. Helio Castroneves foi o melhor brasileiro, em sexto, marcando 1min23s039 em sua melhor volta.

      Logo atrás dos dois primeiros, vieram Scott Dixon (Chip Ganassi), Simon Pagenaud (Schmidt-Hamilton) e Newgarden (Sarah Fisher). Os brasileiros, por sua vez, tiveram um início discreto: Rubens Barrichello (KV Racing) foi 12º, com Tony Kanaan (KV Racing) em 13º e Bia Figueiredo (Andretti) em 21º lugar.

      A expectativa era de chuva em São Paulo, mas a manhã de sábado começou com pista seca e tempo frio. Após os primeiros 15 minutos de treino, a liderança era do britânico Justin Wilson, da Dale Coyne, com o tempo de 1min24s917. Rubens Barrichello era o melhor brasileiro, em quinto, seguindo de Bia Figueiredo, na sexta posição.

      Pouco tempo depois, com o carro de Oriol Servia (Dreyer & Reinbold) parado na pista, o treino sofreu uma breve interrupção - o espanhol era o 14º, à frente apenas de EJ Viso (KV Racing) e Katherine Legge (Lotus-Dragon).

      Com todos os pilotos na pista, o susto ficou por conta de Graham Rahal, da Chip Ganassi, que rodou na curva 6 e bateu, sem grandes prejuízos. O americano, porém, teve que abandonar o carro e a primeira sessão no Circuito do Anhembi.

      Com Ryan Hunter-Reay em primeiro, marcando 1min23s396, Helio Castroneves saltou para o segundo lugar, registrando 1min23s538 com sua Penske. Tony Kanaan era sétimo, com Rubinho em 18º e Bia Figueiredo em 23º lugar.

      Castroneves chegou a superar Hunter-Reay, mas caiu para o terceiro lugar - à frente da dupla, Will Power e Scott Dixon assumiram as duas primeiras posições. O americano da Andretti reagiu e saltou para o segundo lugar, deixando Dixon em terceiro e Castroneves em quarto. Mais tarde, James Jakes também surpreendeu com a Dale Coyne e saltou para terceiro, rebaixando o brasileiro para quinto.

      Scott Dixon chegou a tomar o primeiro lugar com o tempo de 1min22s395, mas Power reassumiu o topo ao marcar 1min22s387, para não mais perder. Agora, os carros voltam à pista paulistana às 11h05 (de Brasília) para o segundo treino livre. A definição do grid de largada acontece ainda neste sábado, às 14h05.

      1. Will Power (Team Penske) - 01min22s3875
      2. Dario Franchitti (Chip Ganassi Racing) - 01min22s3953
      3. Scott Dixon (Chip Ganassi Racing) - 01min22s7862
      4. Simon Pagenaud (Schmidt/Hamilton Motorsports) - 01min22s8190
      5. Josef Newgarden (Sarah Fisher Hartman Racing) - 01min22s8774
      6. Hélio Castroneves (Team Penske) - 01min23s0390
      7. Ryan Hunter-Reay (Andretti Autosport) - 01min23s0434
      8. Hildebrand Jr. (Panther Racing) - 01min23s0985
      9. Marco Andretti (Andretti Autosport) - 01min23s1406
      10. James Jakes (Dale Coyne Racing) - 01min23s1655
      11. James Hinchcliffe (Andretti Autosport) - 01min23s2038
      12. Rubens Barrichello (KV Racing Technology) - 01min23s2890
      13. Tony Kanaan (KV Racing Technology) - 01min23s3308
      14. Ryan Briscoe (Team Penske) - 01min23s3647
      15. Justin Wilson (Dale Coyne Racing) - 01min23s3666
      16. EJ Viso (KV Racing Technology) - 01min23s6634
      17. Mike Conway (A.J. Foyt Enterprises) - 01min23s6999
      18. Charlie Kimball (Chip Ganassi Racing) - 01min23s7520
      19. Sebastiaen Bourdais (Dragon Racing) - 01min24s0442
      20. Takuma Sato (Rahal Letterman Lanigan Racing) - 01min24s1547
      21. Bia Figueiredo (Andretti Autosport) - 01min24s1665
      22. Graham Rahal (Chip Ganassi Racing) - 01min24s5634
      23. Simona de Silvestro (HVM Racing) - 01min24s6815
      24. Oriol Servia (Lotus Dreyer & Reinbold Racing) - 01min24s8492
      25. Ed Carpenter (Ed Carpenter Racing) - 01min25s0994
      26. Katherine Legge (Dragon Racing) - 01min26s0529

      Terra

      sexta-feira, 27 de abril de 2012

      "Desgastado", Guardiola confirma saída do Barcelona

      Guardiola será substituído pelo auxiliar Tito Vilanova. Foto: AFP

      Guardiola será substituído pelo auxiliar Tito Vilanova

      Após quatro temporadas em que ajudou a transformar o Barcelona em um dos maiores times de todos os tempos, o técnico Pep Guardiola anunciou que não será mais o treinador do clube catalão nesta sexta-feira. Ele esteve acompanhado do presidente Sandro Rosell e dos jogadores do elenco, que assistiram o anuncio oficial sentados na primeira fila. O substituto será o auxiliar Tito Vilanova.

      "O tempo desgasta tudo e me desgastou. Esta é a principal razão. A próxima pessoa dará coisas que não posso dar, não porque não as tenho, e sim porque a exigência é muito alta e o treinador precisa estar forte, ter energia para contagiar todos os jogadores", afirmou Guardiola na sala de imprensa da equipe catalã.

      Guardiola explicou que comunicou a saída ao presidente Rosell e ao diretor esportivo Andoni Zubizarrete em dezembro, mas esperou para contar aos jogadores para não desmotivá-los. E para não mudar o estilo de jogo implantado pelo atual comandante, a ideia mais claro para a diretoria do clube foi a de promover Tito Vilanova de auxiliar para treinador da equipe.

      "Quando Pep nos disse que sairia, primeiro não quisemos acreditar, e depois começamos a fazer planos. E tínhamos claro que o importante era a ideia: o jogo, e com quem teríamos que aplicar esse jogo. Achamos que Pep foi generoso o suficiente para ir mostrando o caminho a ser seguido. Um dia disse a Pep: Tito. E desde então trabalhamos. Ele representa o jogo, a ideia, a preparação. É diferente de Pep, mas trabalharemos com essa ideia, esse perfil", explicou Zubizarreta.

      Guardiola teria chegado a receber um cheque em branco do presidente Sandro Rosell na última quinta, para convencê-lo a renovar seu contrato com o time catalão por mais uma temporada. Nesta sexta, porém, o treinador conversou com o mandatário na Ciutat Esportiva, CT do clube, e depois teve uma reunião de quase uma hora com os jogadores no vestiário para comunicar sua decisão de deixar o clube.

      "Obrigado Pep por tudo o que deu e fornecido ao Barça. Por um modelo futebolístico que não poderá ser questionado, pela defesa dos valores que nos definem como clube. Pelo teu apoio e tua estima. O agradecimento do barcelonismo será eterno para o melhor técnico da história do nosso clube", agradeceu Rosell ao treinador.

      "Fica claro que Guardiola é um dos nossos e que, como disse (ao amigo) aristo) Murtra, sempre toma a melhor decisão para o Barça. Tentaremos gestionar bem o que ele nos deixa e agradecer-lo a representação que tão orgulhosos não fez sentir. Além dos títulos, eu fico com o triunfo ao orgulho. Desde que sou culé (torcedor do clube), nunca havia visto a reação que teve o Camp Nou depois do jogo de terça-feira. Isto já está no espírito culé. Esperamos administrar sua herança o melhor que podemos", acrescentou.

      Ainda restam cinco jogos ao Barcelona sob o comando de Pep Guardiola, quatro pelo Campeonato Espanhol (Rayo Vallecano, Málaga, Espanyol e Bétis) e a decisão da Copa do Rei no dia 25 de maio contra o Athletic Bilbao, último jogo do treinador pelo clube. Sete pontos atrás do rival Real Madrid, a equipe catalã tem chances mínimas de conquistar o título, que seria o quarto seguido do comandante.

      Com Guardiola no comando, o Barcelona conquistou 13 títulos em quatro temporadas. Então técnico do time B, ele assumiu a equipe principal em 2008/09 e na mesma campanha venceu o Espanhol, a Copa do Rei e a Liga dos Campeões. Na temporada seguinte, vieram Supercopa da Espanha, Supercopa da Europa, Mundial de Clubes e Espanhol.

      O auge do supertime azul-grená aconteceu na temporada 2010/11, com um futebol exuberante e os títulos da Supercopa da Espanha, Espanhol e outra vez a Liga dos Campeões. Já na atual campanha, Guardiola conquistou Supercopa da Espanha, Supercopa da Europa e Mundial de Clubes - o 14º e último título pode ser a Copa do Rei, em que o Barcelona disputa a final contra o Athletic Bilbao.

      Ex-volante formado nas categorias de base do Barcelona, Guardiola implantou no time catalão um estilo muito mais coletivo do que o do time anterior, comandado por Frank Rijkaard no banco e Ronaldinho em campo. Voltado à posse de bola e à marcação sufocante no campo do adversário, o Barcelona liderado por Messi, Xavi e Iniesta encantou o mundo nos últimos anos, mas ficou sem títulos de primeira grandeza (Espanhol ou Liga dos Campeões) pela primeira vez nesta temporada.

      Terra

      Cielo vence 50 m borboleta e crava recorde sul-americano

      Cesar Cielo quebrou o recorde sul-americano dos 50 m borboleta no Troféu Maria Lenk. Foto: Satiro Sodré/Agif/Divulgação

      Cesar Cielo quebrou o recorde sul-americano dos 50 m borboleta no Troféu Maria Lenk

      Após vencer os 50 m nado livre na última quarta-feira, César Cielo voltou a subir ao lugar mais alto do pódio no Troféu Maria Lenk, no Rio de Janeiro. Nesta quinta, o nadador triunfou nos 50 m borboleta cravando 22s76, o melhor tempo após a proibição dos trajes tecnológicos, o quarto melhor da história e suficiente para novo recorde sul-americano.

      Cielo dominou a disputa, que teve como segundo colocado Nicholas dos Santos, também do Flamengo, apenas três centésimos atrás com 22s79. Em terceiro terminou o nadador francês Frederick Bousquet, que disputa o Maria Lenk contratado pelo EC Pinheiros, com 23s02.

      "Foi muito bom o tempo, fiquei muito contente também pelo Nicholas, que quase venceu no final. É sempre um desafio treinar com um cara com ele", apontou Cielo ao Sportv. "Já dá pra pensar no Mundial de Barcelona, no ano que vem, em fazer essa dobradinha também", disse. Os 50 m borboleta não faz parte do programa olímpico.

      O brasileiro ainda creditou o bom tempo ao clima adverso na capital fluminense. "O vento acabou ajudando, estava ventando bastante e fez o tempo baixar", apontou o brasileiro. Ele ainda vai disputar os 100 m livre nesta sexta-feira como franco favorito à medalha de ouro.

      Terra

      Amigos e colegas, Kanaan e Rubinho divergem sobre treinos em SP

      Os companheiros de equipe Barrichello e Kanaan brincaram durante entrevista e falam sobre treinos. Foto: Tom Dib/Agência Lance

      Os companheiros de equipe Barrichello e Kanaan brincaram durante entrevista e falam sobre treinos

      Os treinos para a São Paulo Indy 300 começam apenas neste sábado, com a corrida já no domingo. Mas se dependesse dos amigos Tony Kanaan e Rubens Barrichello, da KV Racing, a programação poderia começar já nesta sexta-feira. Ou até antes.

      "Eu gostaria de ver (treinos) sexta, sábado e domingo, mas não é o único evento (da Indy) que são dois dias. Fechar a Marginal (Tietê) em uma sexta-feira não vai funcionar", opinou Kanaan, citando uma das vias utilizadas para o Circuito do Anhembi - justamente uma das mais movimentadas da cidade de São Paulo.

      Barrichello, em fase de adaptação à nova categoria, completou a declaração do companheiro com bom humor. "Eu preferia quinta, sexta, sábado e domingo", brincou Rubinho.

      Até agora, o desempenho dos dois na temporada tem sido abaixo da concorrência. Enquanto Rubens Barrichello somou 59 pontos nas três primeiras corridas e teve como melhor resultado o oitavo lugar no Alabama, Tony Kanaan terminou as duas primeiras etapas fora das 20 primeiras colocações, e só se recuperou com o quarto lugar de Long Beach.

      "A gente teve um começo de campeonato muito difícil, com duas falhas mecânicas que custaram muito para a gente. Mas nosso amigão já garantiu a primeira (vitória) para o Brasil de cara", disse Tony, referindo-se à vitória de Helio Castroneves em St. Petersburg. "Nós já estávamos preparados para isso, mas nunca quer que aconteça. Em Long Beach, viemos de um resultado superpositivo, então estou confiante. A equipe só tem a crescer", completou

      Terra

      Salvador recebe visita da Fifa e mira Copa das Confederações

      Salvador recebeu a visita de representantes da Fifa e do Comitê Organizador Local (COL) nesta quinta-feira. Foto: Adenilson Nunes/Secom/Divulgação

      Salvador recebeu a visita de representantes da Fifa e do Comitê Organizador Local (COL) nesta quinta-feira

      Salvador recebeu, nesta quinta-feira, a visita de representantes da Fifa e do Comitê Organizador Local (COL). A comitiva vistoriou as obras da Arena Fonte Nova e agora aguarda o mês de junho, quando deve ser divulgada a decisão da inclusão da capital baiana na Copa das Confederações.

      A comitiva chegou à Arena Fonte Nova no final da manhã, quando seus membros vistoriaram o estádio, fizeram algumas anotações e avaliaram o cronograma das obras. Já no período da tarde, o grupo se reuniu com o governador Jacques Wagner e secretários estaduais.

      Representantes do governo do Estado, como o secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Nilton Vasconcelos, e o secretário da Copa, Ney Campelo, também participaram da reunião, que foi fechada para a imprensa.

      "Com essa visita técnica, demos mais um passo para a Copa das Confederações. Ainda não tem nada definido, mas estamos na expectativa. Mostramos para a Fifa o andamento da obra, que está avançada, e vamos aguardar a decisão deles", afirmou o governador Jacques Wagner.

      Um relatório final será feito e encaminhado à Fifa quando, então, será avaliada a possibilidade de Salvador sediar ou não o Torneio teste para o Mundial. Além da capital baiana, Recife também aguarda confirmação. Quatro cidades já estão garantidas na competição: Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza e Rio de Janeiro.

      Terra

      Montillo volta aos treinos e reforça Cruzeiro na semi do Mineiro

      Argentino está recuperado e tentará ajudar o time celeste a reverter desvantagem na semifinal contra o América-MG. Foto: Gaspar Nóbrega/VIPCOMM /Divulgação

      Argentino está recuperado e tentará ajudar o time celeste a reverter desvantagem na semifinal contra o América-MG

      O meio-campista Montillo será reforço do Cruzeiro para a segunda partida da semifinal do Campeonato Mineiro diante do América-MG. Ausente no último fim de semana, Montillo se mostrou recuperado de dores na panturrilha. O argentino deverá formar dupla de armadores com Roger. Outras novidades serão os retornos do lateral Diego Renan e do zagueiro Léo, ambos recuperados de lesões musculares.

      No ataque, Wellington Paulista, artilheiro do Estadual com 10 gols marcados, também tem retorno garantido após cumprir suspensão automática. O atacante Wallyson, que a exemplo de Montillo desfalcou o Cruzeiro na última semana, voltou a treinar com bola, mas esteve na equipe reserva. A tendência é que o atleta fique apenas como opção entre os reservas no próximo domingo.

      O técnico Vágner Mancini ainda deve comandar mais um treino coletivo nesta sexta-feira pela manhã, quando deve definir oficialmente a escalação do Cruzeiro para enfrentar o América-MG.

      O time titular do treinamento desta quinta-feira teve: Fábio; Diego Renan, Leo, Victorino, Evérton; Leandro Guerreiro, Marcelo Oliveira, Roger e Montillo; Wellington Paulista e Anselmo Ramon.

      Como perdeu a primeira partida por 3 a 2 para o América-MG, o Cruzeiro precisa vencer o segundo jogo para conquistar uma vaga na decisão do Campeonato Mineiro.

      Terra

      quinta-feira, 26 de abril de 2012

      Conmebol divulga ranking: Timão é o que mais sobe, e Vasco passa Lanús

      A Conmebol divulgou mais uma atualização de seu ranking. Com todos os jogos das oitavas de final da Taça Libertadores definidos, os destaques foram o Corinthians, que subiu da 32ª para a 27ª posição, e o Vasco, que deixou a 25ª colocação e aparece em 22º. O Boca Juniors também chamou atenção. Com a classificação, o time subiu três posições e está em 13º.

      O Lanús era o 22º e foi ultrapassado justamente pelo time da Colina, próximo adversário na fase, ficando em 23º. Rival do Fluminense nesta quarta-feira, às 21h50m (de Brasília), no Beira-Rio, o Internacional está em segundo e é o melhor brasileiro na lista. A equipe está atrás apenas da LDU. Em terceiro está a Universidad de Chile.

      Santos (sexto), Cruzeiro (nono), Fluminense (11º) e Flamengo (18º) mantiveram as posições. Disputando a Copa do Brasil, o São Paulo caiu duas posições, de 13º para 15º. Palmeiras perdeu apenas uma e aparece em 20º.
      Confira os 30 primeiros do ranking:

      Ranking conmebol (Foto: Reprodução site www.conmebol.com)

      Inter segue em segundo lugar no ranking e é o melhor brasileiro (Foto: Reprodução site www.conmebol.com)

      Como funciona o ranking da Conmebol:

      A pontuação considera os resultados dos clubes em cinco competições: Taça Libertadores, Copa Sul-Americana, Recopa Sul-Americana, Copa Suruga e Mundial de Clubes. A Conmebol atribui um peso diferente a cada torneio e há também bonificação por fase alcançada.
      A temporada atual tem 100% dos pontos computados e cada ano anterior, 20% a menos. Uma vitória na Libertadores 2012, por exemplo, vale 10 pontos, enquanto na edição de 2011 passa a contar 8 pontos. Já o triunfo no ano de 2010, tem o valor reduzido para 6 pontos.

      Globo Esporte

      Heynckes elogia 'classe' de Mourinho após eliminação em casa

      O técnico José Mourinho entrou no vestiário do Bayern nesta quarta-feira para dar os parabéns ao time alemão pela classificação para a decisão da Liga dos Campeões contra o Chelsea, no dia 19 de maio, em Munique. O treinador do Bayern, Jupp Heynckes, elogiou a atitude do  português.

      - Quero destacar uma atitude de Mourinho, que veio ao nosso vestiário e parabenizou os jogadores e a comissão técnica. Isto é ter classe. Gostaria de agradecê-lo - disse Heynckes.

      Heynckes afirmou que, analisando os 120 minutos da partida, pode-se dizer que sua equipe passou com justiça à decisão do torneio. O time bávaro bateu o Real nos pênaltis por 3 a 1, depois de perder no tempo normal por 2 a 1, mesmo placar do jogo de ida, em Munique. Na prorrogação, os times empataram sem gols.

      - Foi maravilhoso ver como a equipe reagiu. Imediatamente depois do 1 a 0 tivemos uma oportunidade de empatar e depois do 2 a 0 não afrouxamos. Conseguir o que alcançamos no Bernabéu é algo grandioso - exaltou.

      Campeão pelo Real em 1997/1998, Jupp Heynckes pode se tornar o quarto técnico a conquistar duas vezes a maior competição de clubes da Europa por duas equipes diferentes, se juntando a José Mourinho (Porto, 2003/04, e Internazionale, 2009/10), Ottmar Hitzfeld (Borussia Dortmund, 1996/97 e Bayern de Munique, 2001/02) e Ernst Happel (Feyenoord, 1969/70, e Hamburgo, 1982/83).

      Globo Esporte

      Organização: restam menos de mil ingressos para a Indy em SP

      Cerca de 98% dos ingressos já foi comercializado; movimentação é tranquila. Foto: Edson Lopes Jr./Terra

      Cerca de 98% dos ingressos já foi comercializado; movimentação é tranquila

      A etapa de São Paulo da temporada 2012 da Fórmula Indy, que será disputada neste final de semana no Circuito do Anhembi, já tem mais de 90% dos ingressos vendidos. A informação foi divulgada na tarde desta quarta-feira, com base em números levantados pela organização do evento paulistano pela manhã.

      Ao todo, de acordo com os responsáveis pela comunicação da prova, 40 mil ingressos foram disponibilizados para os torcedores interessados. Destes, menos de mil ainda estão à venda. "Ainda tem", resumiu uma fonte consultada pelo Terra, afirmando também que a venda está dentro da expectativa. Nesta conta, cerca de 98% dos ingressos já teriam sido negociados.

      Segundo a Live Pass, empresa responsável pela comercialização das entradas, boa parte das arquibancadas já tem lotação máxima. Os setores A, B, C, D, H, J, K, L e Vitória já estão esgotados, restando ingressos apenas para os setores E, F e G.

      Na temporada de 2011, a questão dos ingressos causou confusão no domingo da corrida. Com muita chuva sobre os circuitos, os torcedores tiveram suas entradas devolvidas para que retornassem na segunda-feira, quando a prova foi realizada. Além disso, com o mau tempo afastando fãs, os portões foram parcialmente abertos momentos antes da corrida.

      Os preços das entradas originalmente variavam entre R$ 75 e R$ 400, mas nos setores disponíveis atualmente os valores oscilam entre R$ 180 e R$ 250. Para a edição 2012, a promoção da prova lançou campanhas até mesmo com Rubens Barrichello, lembrando que os compradores de ingressos para a corrida podem comparecer também aos treinos do sábado.

      Nesta quarta-feira, a movimentação nos bastidores do Circuito do Anhembi foi tranquila. Os carros das equipes ainda estavam cobertos, sendo identificados apenas pelos bicos. Integrantes dos times passeavam pelos arredores do traçado, mas sem trabalharem diretamente.

      Terra

      Cavalieri pega pênalti, Fluminense segura Inter e leva decisão ao RJ

      Diego Cavalieri defendeu o pênalti que poderia ter dado a vitória ao Inter. Foto: Ricardo Rimoli/Agência Lance

      Diego Cavalieri defendeu o pênalti que poderia ter dado a vitória ao Inter

      Armado defensivamente e com uma postura cautelosa, o Fluminense conseguiu segurar o Internacional no primeiro confronto válido pelas oitavas de final da Copa Libertadores da América. Na noite desta quarta-feira, no Estádio do Beira-Rio, o time das Laranjeiras contou até com uma defesa de pênalti de Diego Cavalieri para empatar por 0 a 0 com o clube colorado e levar a decisão da vaga às quartas para o confronto do dia 10 de maio, no Engenhão.

      A igualdade sem gols no Beira-Rio não permite a nenhum time adquirir o favoritismo no duelo nacional por um lugar entre os oito melhores times da Libertadores. Uma igualdade com gols classificará o Inter à próxima etapa, enquanto um novo 0 a 0 levará a decisão aos pênaltis. Quem vencer no Rio de Janeiro seguirá vivo no torneio mais importante do continente.

      A grande expectativa pelo confronto da noite desta quarta não atingiu os jogadores de Internacional e Fluminense. Embora contasse com o apoio dos torcedores, o time comandado por Dorival Júnior não exerceu a pressão esperada pelo público. Pelo contrário. Com receio dos contra-ataques puxados pelo meio-campista Deco, o Inter não se expôs e dependeu muito das jogadas individuais do argentino Jesus Dátolo, responsável, principalmente, pelos arremates de fora da área contra a meta de Cavalieri.

      Os primeiros 45 minutos mornos provavelmente acabaram refletidos pelos times nos vestiários. Sem criatividade no meio-campo, muito por conta da falta de Oscar na partida desta quarta, o Inter insistiu nas jogadas pelo alto e conseguiu um pênalti logo aos 10min da etapa final, aproveitando uma falta cometida sobre Leandro Damião. Contudo, na cobrança, Dátolo parou no goleiro do Fluminense.

      A defesa de Cavalieri simbolizou a postura do Fluminense neste primeiro confronto de oitavas. Muito recuado, o time de Abel Braga se limitou a segurar o Internacional. Em virtude desta postura, na qual até Rafael Sóbis retornava à defesa para acompanhar o lateral Nei, Fred permaneceu isolado a maior parte do jogo, preso entre Rodrigo Moledo e o experiente Índio.

      A melhor chance do time das Laranjeiras ocorreu aos 13min, em uma das poucas investidas em velocidade do time de Abel Braga. Sóbis, um dos destaques da partida, avançou pela esquerda, passou pela marcação de Nei e arrematou firme, com precisão. Para azar do atacante, Muriel fez grande defesa e evitou o tento dos cariocas. No último lance do jogo, Jô, que entrou no segundo tempo, acertou a trave e quase deu a vantagem ao Inter.

      Satisfeito pelo resultado de igualdade em Porto Alegre, o Fluminense volta a campo no sábado, às 15h30 (de Brasília), para enfrentar o Volta Redonda, pela decisão da Taça Luiz Penido, em duelo no qual Abel Braga deverá enviar a campo um time reserva. Já o Inter encara no domingo, às 16h, o Grêmio, na decisão da Taça Farroupilha, o segundo turno do Campeonato Gaúcho.

      Terra

      A2: Audax volta a sonhar com acesso; São Bernardo se garante na A1

      O Audax voltou a sonhar com a promoção à Série A1 do Campeonato Paulista. Na noite desta quarta-feira, a equipe comandada pelo técnico Antônio Carlos derrotou a União Barbarense por 2 a 0, no Estádio Antônio Lins Ribeiro Guimarães, e manteve as chances de classificação à elite do futebol estadual para a última rodada da competição. Rafael Martins assinalou os dois gols do triunfo do time paulistano.

      O resultado positivo conquistado fora de casa deixou o Audax com sete pontos, três abaixo da União Barbarense. Para a última rodada do Grupo 2, o time de Zago precisará vencer e torcer por outra derrota do Atlético Sorocaba, que acabou superado pela Ferroviária pelo placar de 1 a 0, também na noite desta quarta-feira.

      Na última rodada, o Audax receberá no domingo, às 10h (de Brasília), no Nicolau Alayon, a já eliminada Ferroviária. Já a União Barbarense, agora com a vaga ameaçada à elite do futebol estadual, jogará a classificação contra o Atlético Sorocaba, na mesma data e horário, no Estádio Walter Ribeiro.

      Também na noite desta quarta-feira, o São Bernardo assumiu a liderança do Grupo 3 e se garantiu como o primeiro clube a obter o acesso à Série A1 do Campeonato Paulista. O time do ABC derrotou a Penapolense pelo placar de 1 a 0, fora de casa, e ultrapassou o rival dentro da chave ao chegar aos nove pontos, um a mais do que o clube de Penápolis.

      Somado ao resultado que conseguiu fora de casa, o São Bernardo acabou beneficiado diretamente pela derrota do Noroeste. Mesmo atuando em casa, a equipe de Bauru acabou derrotada pelo Red Bull pelo placar de 2 a 1, resultado que manteve o clube na terceira posição do Grupo 3 com cinco, quatro atrás do time do ABC, restando apenas uma rodada pela frente. Serginho e Aleílson anotaram para os visitantes, enquanto Boka marcou para o time da casa.

      quarta-feira, 25 de abril de 2012

      Como está os estádios para a Copa de 2014

      Belo Horizonte

      Projeto básico do escritório Gustavo Penna Arquiteto & Associados em colaboração com a alemã GMP e projeto executivo da BCMF Arquitetos, a modernização do Mineirão inclui construção de cobertura, vestiários, novas arquibancadas, estacionamentos e esplanada. O estádio terá 64,5 mil lugares.

      Status da Obra: Seguindo o cronograma 2
      Custo: R$ 695 milhões.
      Total da Obra Concluída: 38%

      Brasília

      O escritório Castro Mello Arquitetos assina o projeto de reforma da nova arena Mané Garrincha, que se transformará numa arena multiuso, com 71 mil lugares. Projeto inclui estacionamentos, apoio, vestiários, lojas e ampliação de arquibancadas.

      Status da Obra: Seguindo o Cronograma 2
      Custo: R$ 863,2 milhões.
      Total da Obra Concluída: 40%


      Cuiabá

      A Arena Pantanal é um projeto premiado da GCP Arquitetos. Terá capacidade para 43.600 espectadores, com arquibancadas e cobertura desmontáveis. Poderá ter redução de até 30% da capacidade após o Mundial. O projeto tem uma série de recursos para atender à certificação Leed, de sustentabilidade.

      Status da Obra: Seguindo o cronograma 2
      Custo: R$ 454,2 milhões.
      Total da Obra Concluída: 32%


      Fortaleza

      A reforma do Castelão, projeto do escritório Vigliecca & Associados, pretende também revitalizar o bairro do Passaré, em Fortaleza. Estádio terá 67 mil lugares, estacionamento, centro olímpico, piscina e ginásio multiuso, além de geração de energia eólica. Pretende receber uma das semifinais da Copa. Essa é a obra mais avançada em todos os estádios.

      Status da Obra: Seguindo o cronograma. 2
      Custo: R$ 518,6 milhões.
      Total da Obra Concluída: 45%


      Manaus

      Nova arena substituirá o estádio Vivaldo Lima (Vivaldão), no centro de Manaus. O projeto é de autoria do escritório alemão GMP e inspira-se em elementos da cultura, fauna e flora amazonenses. A capacidade é de 44.310 pessoas.

      Status da Obra: Suspensão do empréstimo da empresa responsável, alegando sobrepreço. 100px-Yellow_card.svg
      Custo: R$ 532,2 milhões.
      Total da Obra Concluída: 27%


      Natal

      Licitação foi concluída em 11 de março de 2011, com a escolha da construtora OAS para realizar as obras e gerenciar o estádio. Para isso a empresa contará com o apoio da Amsterdam Arenas. O projeto básico foi concebido pela empresa internacional Populous Architects. Licitação definirá o prosseguimento do projeto executivo. Arquibancadas flexíveis permitirão remover parte dos 45 mil assentos do estádio.

      Status da Obra: Está com atraso e monitorado constantemente pela Fifa. 100px-Yellow_card.svg
      Custo: R$ 417 milhões.
      Total da Obra Concluída: 10%


      Porto Alegre

      Projeto do escritório Hype Studio, a reforma do estádio portoalegrense compreende: cobertura metálica, suportada por 65 módulos de 23m em forma de asa, e capacidade que passará de 56 mil para 60,8 mil lugares. Integra um projeto de renovação urbana em toda a região ribeirinha.

      Status da Obra: Demora para definir a construtora. 100px-Yellow_card.svg
      Custo: R$ 330 milhões.
      Total da Obra Concluída: 28%


      Recife

      Localizada em São Lourenço da Mata, a 19 km do Recife, a nova arena foi projetada pelo escritório Fernandes Arquitetos Associados. Uma série de empreendimentos estão sendo concebidos para a região do entorno da obra. A arena terá 46 mil lugares e estacionamento para seis mil carros.

      Status da Obra: Seguindo o cronograma. 2
      Custo: R$ 500,2 milhões.
      Total da Obra Concluída: 20%


      Rio de Janeiro

      Projeto da empresa pública Emop (Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio de Janeiro), a reforma do Maracanã compreende a redução da capacidade a 76 mil lugares, reconstrução da arquibancada inferior, geometria oval (para melhorar curva de visibilidade), 108 camarotes e acesso por rampa monumental.

      Status da Obra: Seguindo o cronograma. 2
      Custo: R$ 883,5 milhões.
      Total da Obra Concluída: 30%


      Salvador

      A nova arena substituirá o estádio Fonte Nova (demolido), mantendo a geometria oval e abertura para o Dique de Tororó. Terá 50 mil lugares e três anéis de arquibancada, mas a capacidade poderá ser ampliada para até 65 mil, caso seja escolhido para a abertura da Copa. O projeto é do escritório Setepla Tecnometal e Schulitz+Partner.

      Status da Obra: Seguindo o cronograma. 2
      Custo: R$ 597 milhões.
      Total da Obra Concluída: 30%

       

      São Paulo

      Após o veto da Fifa ao estádio do Morumbi, a arena do Corinthians se tornou a opção de São Paulo para 2014. O projeto do escritório carioca CDCA prevê 65 mil lugares em área de 200 mil m² no bairro de Itaquera. O local terá estacionamento com 3,5 mil vagas.

      Status da Obra: Seguindo o cronograma. 2
      Custo: R$ 900 milhões.
      Total da Obra Concluída: 15%


      Curitiba

      A modernização da arena curitibana é de responsabilidade da Carlos Arcos Arquitetura. Para as obras (construção do quarto lance de arquibancadas e da cobertura), o município liberou créditos de potencial construtivo de R$ 90 milhões para o Atlético-PR.

      Status da Obra: Suspensão do repasse da obra. 100px-Yellow_card.svg
      Custo: R$ 183 milhões.
      Total da Obra Concluída: 60%

      Comissão diz que só 5% das obras estruturais da Copa foram feitas

      Além dos estádios, obras estruturais sofrem com atrasos. Foto: Wesley Santos/Gazeta Press

      Além dos estádios, obras estruturais sofrem com atrasos

      De acordo com a Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU) da Câmara dos Deputados, apenas 5% dos mais de R$ 12 bilhões destinados para as obras de infraestrutura e transporte da Copa do Mundo de 2014 foram efetivamente utilizados. Em cinco cidades os projetos nem foram iniciados e em outras três a execução não chega a 1%.

      Para o presidente da Comissão, deputado Domingos Neto (PSB-CE), o atraso é grande se comparado com as obras dos estádios, que estão com "22% do total proposto executado".

      Na quarta-feira, a comissão realizará uma audiência pública na Câmara dos Deputados com o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Valmir Campelo, para discutir os atrasos. "Isso é preocupante porque seria justamente na infraestrutura urbana que a Copa poderia deixar algum legado", afirmou o deputado.

      De acordo com o levantamento feito pela CDU, nas cidades de Brasília, Cuiabá, Fortaleza, Salvador e São Paulo os projetos de mobilidade urbana não foram nem iniciados. Em Natal, Manaus e Curitiba nem 1% dos trabalhos foram executados. A comissão pretende cruzar os dados do levantamento com os resultados das auditorias realizadas pelo TCU.

      Outro dado apontado pela CDU mostra que das 34 obras previstas na primeira matriz, firmada em 2010, 79% tiveram os cronogramas atrasados, e 83% tiveram aumento dos valores previstos.

      Terra

      Real e Bayern disputam prêmio de R$ 16 mi por vaga na final

      Real Madrid, comandado por Mourinho, recebe Bayern de Munique nesta quarta pela Liga dos Campeões. Foto: EFE

      Real Madrid, comandado por Mourinho, recebe Bayern de Munique nesta quarta pela Liga dos Campeões

      Além da vaga na final da Liga dos Campeões da Europa, a partida entre Real Madrid e Bayern de Munique nesta quarta-feira colocará em disputa um prêmio de 6,4 milhões de euros (R$ 15,9 milhões). É esse o valor que o clube vencedor poderá garantir com a chegada à decisão da competição para enfrentar o Chelsea, segundo publica o diário esportivo espanhol Marca. O Esporte Interativotransmite a partida a partir das 15h45 (de Brasília) e você pode acompanhar ao vivo no Terra.

      De acordo com o diário, a Uefa (União das Associações Europeias de Futebol) premia cada finalista da Liga dos Campeões com 5,6 milhões de euros (R$ 13,9 milhões). A esse total seriam somados ainda 800 mil euros (quase R$ 2 milhões) correspondentes à vitória no jogo desta terça, marcado para o Estádio Santiago Bernabéu, em Madri.

      O Bayern não precisa vencer o duelo para chegar à final, visto que ganhou a partida de ida da semi, realizada na semana passada na Allianz Arena de Munique, por 2 a 1. Um empate classifica o time alemão para enfrentar o Chelsea, que eliminou na terça-feira o Barcelona, enquanto que uma vitória por 1 a 0 daria a vaga ao Real devido ao gol marcado na casa do adversário.

      Ainda segundo o Marca, a Uefa assegura um pagamento fixo de 7,2 milhões de euros (R$ 17,8 milhões) a cada clube apenas pela participação na Liga dos Campeões. O ingresso nas oitavas de final vale 3 milhões de euros (R$ 7,4 milhões); os valores para quem chega às quartas de final e às semi são respectivamente de 3,3 e 4,2 milhões de euros (R$ 8,2 e R$ 10,4 milhões).

      De acordo com o jornal, o Real Madrid pode, contando a premiação ganha pela semifinal, encher seus cofres em mais 9 milhões de euros (R$ 22,3 milhões) se conquistar pela décima vez na história a Liga dos Campeões.

      Terra

      Palmeiras desembarca em Curitiba sob protestos da torcida

      A crise que assola o Palmeiras atrapalhou o time também em Curitiba. Os jogadores desembarcaram na capital paranaense, nesta terça-feira, e tiveram que enfrentar o protesto de torcedores. Antes do jogo contra o Paraná, membros da torcida organizada Mancha Alviverde pressionaram jogadores e o técnico Luiz Felipe Scolari no Aeroporto Afonso Pena.

      Cerca de vinte pessoas estavam no local para receber a delegação palmeirense. Quando os jogadores chegaram em Curitiba, gritos e reclamações contra todo o elenco foram disparados. Sobrou principalmente para Felipão, que tem tido sua demissão especulada nos bastidores do clube paulista.

      A polícia teve que intervir para assegurar a integridade dos jogadores. Dessa forma, o protesto foi pacífico e não houve nenhuma ocorrência mais grave. Porém, os atletas não pararam para dar entrevista no local e foram diretamente para o hotel.

      O Palmeiras vai enfrentar o Paraná pelo primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília). O time foi eliminado do Campeonato Paulista pelo Guarani, no último domingo, e por isso a cobrança pelo título nacional está ainda maior.

      Terra

      Messi erra pênalti e Barcelona é eliminado pelo Chelsea

      Tido como melhor time do mundo, o Barcelona está eliminado da Liga dos Campeões. Nesta terça-feira, o jogo de ataque contra defesa diante do Chelsea, no Camp Nou, acabou empatado em 2 a 2. Como o time espanhol havia perdido de 1 a 0 em Londres, o agregado dos resultados acabou tirando Messi e companhia da briga pelo bicampeonato europeu. Busquets e Iniesta fizeram os gols catalães e o brasileiro Ramires marcou o gol decisivo dos ingleses. No fim, Fernando Torres deixou tudo igual.

      A partida foi uma guerra de nervos. Cahill e Piqué logo saíram machucados e desestruturaram as formações táticas previstas pelos dois treinadores. Depois que Busquets fez 1 a 0, Terry perdeu a cabeça e foi expulso. Com um jogador a mais, o Barcelona cresceu e ampliou para 2 a 0, mas Ramires descontou no fim da primeira etapa. O brasileiro fez um golaço por cobertura e acabou sendo, por isso, o nome do jogo.

      Na segunda etapa, o Barcelona teve a chance de fazer o terceiro, mas Messi, tantas vezes decisivo, perdeu um pênalti. O argentino, que deu a assistência para o segundo gol, não foi bem no jogo. Desperdiçou duas chances na área ainda na primeira etapa e, sem espaço, criou pouco no segundo tempo.

      O Chelsea, que demitiu seu técnico André Villas-Boas no início de março, conseguiu dar a volta por cima nas mãos do interino Roberto Di Matteo. Sem Terry e Raul Meireles, suspensos, vai decidir a Liga contra Real Madrid ou Bayern de Munique, que fazem a outra semifinal nesta quarta-feira, em Madri.

      Já o Barcelona, em uma semana, praticamente deu adeus ao título do Campeonato Espanhol ao ser derrotado em casa pelo Real, sábado, e agora também não tem mais como buscar o bicampeonato europeu (e mundial). Só restou a final da Copa do Rei, contra o Athletic de Bilbao.

      O JOGO - Nem no primeiro minuto de jogo o Chelsea teve vergonha de mostrar que tudo que queria era se defender. Quando o Barcelona tinha a bola, raramente Drogba, o mais avançado do time inglês, ficava além da sua intermediária defensiva.

      Para piorar, o Chelsea perdeu seu primeiro defensor aos 5 minutos. Alexis fez jogada pela esquerda e Cahill, na tentativa de desarmá-lo, abriu demais as pernas. O zagueiro ficou no chão, tentou continuar em campo, mas acabou substituído por Bosingwa.

      O Barcelona, porém, logo perdeu um defensor também. Valdés foi fazer um corte pelo alto, trombou com Piqué e este caiu desmaiado no chão. O zagueiro também tentou voltar ao jogo, mas, grogue, não conseguiu (o jogador teve uma concussão cerebral e acabou no hospital). Aí Guardiola, que escalara o seu time com três zagueiros, teve que tirar Daniel Alves do banco e colocar o brasileiro em campo.

      Logo o lateral resolveu. Aos 35 ele apareceu na meia-lua e encontrou Cuenca na esquerda da área. O atacante rolou para o meio e Busquets, livre, abriu o placar. O gol desequilibrou o Chelsea, a ponto do seu capitão, Terry, perder a cabeça, dar uma joelhada por trás em Alexis Sánchez e ser expulso.

      O time da casa aproveitou o momento de fraqueza do rival e fez o segundo. Messi deu bela enfiada de bola para Iniesta, que repetiu o gol do título da Espanha na Copa do Mundo e fez 2 a 0.

      Quando o cenário parecia definitivo para o Barcelona, a escalação equivocada de Guardiola pesou. Ramires puxou contra-ataque pela direita do ataque (onde não havia um lateral do time catalão para marcá-lo), saiu na cara de Cech e, com categoria, bateu de cobertura. Um golaço para colocar o brasileiro na história do Chelsea.

      No intervalo, o técnico Di Matteo tentou corrigir a marcação do Chelsea e arriscou ao colocar Drogba como lateral-esquerdo. No primeiro lance por ali, o marfinense chegou atrasado e derrubou Fàbegras na área. Era a chance de Messi encerrar um jejum de dois jogos sem marcar. Foi para a cobrança do pênalti, deslocou Cech e carimbou o travessão.

      A partir daí, o cenário seria um só: o Barcelona rondando a grande área e o Chelsea com no mínimo oito jogadores dentro dela, tentando se fechar ali. Os ingleses só tiveram uma chance: num chute de Drogba, de antes do meio de campo. Valdés teve trabalho para pegar. O marfinense, aliás, foi praticamente perfeito no restante do jogo, ajudando demais na marcação.

      Sem opção pelas laterais (Daniel estava mal e não havia ninguém na esquerda), o Barcelona não conseguia furar o paredão inglês. Até Keita entrou para tentar cabecear na área. A melhor chance foi de Messi, que arriscou de longe e acertou a trave.

      Nos acréscimos, o que parecia impossível. Fernando Torres, que entrara no lugar de Drogba, recebeu mano a mano contra Valdés no campo de ataque, deixou o goleiro para trás e empurrou para o gol vazio, fazendo o sétimo gol dele na temporada. Era o empate do Chelsea.

      Jornal A Cidade

      segunda-feira, 23 de abril de 2012

      O “coitado” do Adriano

      Adriano disse que pretende processar o Corinthians. Foto: Mauro Horita/Terra

      Recentemente, para ser mais exato no último domingo, 22, Adriano deu uma entrevista ao “Fantástico”, dizendo que foi humilhado no Corinthians na questão de ter sido “aprisionado” no CT sem poder dar sua opinião.

      Vamos aos fatos: Adriano chegou ao Corinthians como promessa de gols, sabendo de todo seu histórico de goleador e tudo mais. Não foi logo de cara que ele se adaptou ao time, teve de fazer muitos treinos fortes e entrar em jogos importantes (alguns deles pela Libertadores), para pegar o ritmo do clube.

      Não se adaptou corretamente ao time, ficando fora de muitos jogos e não dando tanta importância assim. Foi considerado um jogador fraco pelo mau desempenho. Agora chegar à entrevista do “Fantástico” (onde a Globo adora uma polêmica e cutuca a ferida até ela virar um caso de cirurgia) e dizer que "Fiquei uma semana preso, não falei um 'ai' e aceitei. O Corinthians disse que eu aceitei, mas foi tipo um castigo para mostrar para todo mundo que no Corinthians não tem moleza. É ruim porque em certo ponto me senti humilhado", é meio que fora de cogitação.

      Um jogador que não entrou no ritmo do time, não emagreceu (não vimos ficar tão magro a ponto de ter bom rendimento), não fez gols, tem fama de “imperador” (essa fama caiu há muito tempo quando saiu da Europa e voltou aos braços da Gávea), e ainda querer sair de coitado onde que foi o mais prejudicado com isso foi o time paulista, é algo de se rever novamente.

      Não queremos dar discórdia em nenhum lugar, estamos dando um parecer do que realmente houve. Pode processar sim o clube, à vontade, mas fica com a consciência de que Adriano também errou e pode pagar caro por isso. Boa sorte Flamengo!

      Nadal se "vinga" de Djokovic e leva Monte Carlo pela oitava vez seguida

      Nadal conquistou o título de Monte Carlo pela oitava vez na carreira. Foto: EFE

      Nadal conquistou o título de Monte Carlo pela oitava vez na carreira

      Na final entre o número 1 e 2 do ranking da ATP, o espanhol Rafael Nadal venceu o sérvio Novak Djokovic por 2 sets a 0 e conquistou pela oitava vez consecutiva o título do Masters de Monte Carlo. Com as parciais de 6/3 e 6/1, o espanhol não encontrou dificuldades contra o líder do ranking e venceu em 1h18min.

      A última vez que Nadal perdeu em Monte Carlo foi em 2003. No ano seguinte ele não disputou o torneio, e desde 2005 não perde nenhum jogo. A vitória sobre Djokovic foi a 42ª no torneio. Além disso, foi o primeiro título do espanhol desde Roland Garros, em junho do ano passado.

      A conquista deste domingo é ainda mais comemorada já que os últimos sete confrontos entre os dois jogadores foram em finais, e o sérvio venceu todos. Assim, com a vitória em Monte Carlo, Nadal quebrou o tabu de não conseguir vencer Djokovic desde novembro de 2010.

      O jogo

      No primeiro set, logo em seu segundo serviço, Djokovic teve o saque quebrado e Nadal abriu 2/1. O espanhol confirmou o game seguinte e ampliou a vantagem em 3/1. No final do primeiro set, Nadal ainda quebrou o saque do sérvio mais uma vez e fechou em 6/3 em 43 minutos.

      No início do segundo set, Nadal confirmou seu serviço e, em seguida, quebrou o saque do sérvio. Após mais uma quebra o espanhol confirmou seu saque e abriu 4/0.

      Djokovic então "acordou" e conseguiu a quebra pela primeira vez na partida. Porém, em seguida, Nadal voltou a quebrar o saque e fez 5/1. Depois o espanhol confirmou seu serviço e fechou o jogo.

      Terra

      Competidora morre após desmaio durante a Maratona de Londres

      Maratona de Londres contou com uma nota negativa. Foto: Reuters

      Maratona de Londres contou com uma nota negativa

      A disputa da Maratona de Londres, que ocorreu neste domingo, contou com uma notícia triste. Uma competidora de 30 anos desmaiou durante o percurso na rua Birdcage Walk e não resistiu. A organização emitiu nota lamentando a fatalidade, e avisando que não divulgará mais detalhes ou a identificação da atleta até que a família seja contactada.

      Segundo o comunicado da organização da maratona, a competidora recebeu atendimento médico quando passou mal em meio à prova, mas não resistiu. A morte foi decretada na tarde londrina.

      O pódio da prova feminina foi dominado por atletas quenianas, sendo que Mary Keitany, com um tempo de 2h18min37s, conquistou a edição de 2012 da Maratona de Londres. Edna Kiplagat, Priscah Jeptoo, Florence Kiplagat e Lucy Kabuu completam as cinco mais bem colocadas.

      Terra

      Italianos dão trégua e elogiam Massa: "mostrou as garras"

      Massa chegou a se aproximar de Alonso durante a corrida, mas não conseguiu bater parceiro. Foto: EFE

      Massa chegou a se aproximar de Alonso durante a corrida, mas não conseguiu bater parceiro

      Muito criticado pela imprensa italiana durante o atual Mundial de Fórmula 1, Felipe Massa recebeu uma trégua neste domingo. Depois de largar na 14ª posição e terminar na nona o Grande Prêmio do Bahrein, o brasileiro foi elogiado pelas mais diversas publicações da Itália, o que diminui um pouco da pressão sobre o piloto cujo contrato com a Ferrari se encerra ao fim desta temporada.

      A revista Autosprint aprovou a apresentação de Massa, publicando neste domingo em seu site que o corredor foi "bastante agressivo" no decorrer da prova. A publicação, que chegou a chamar Massa de "inútil" após o GP da Austrália e cobrou a susbtituição imediata do piloto pelo italiano Jarno Trulli ou pelo mexicano Sergio Pérez, gostou especialmente da "bela luta" inicial com Kimi Raikkonen.

      "O brasileiro consegue passar por força, resistindo também na parte externa da curva sucessiva, mas duas voltas depois Raikkonen retoma a posição", apontou o periódico, lembrando que Massa chegou ao oitavo posto no começo da corrida antes de ser superado pelo finlandês. O piloto da Lotus subiria de rendimento até cruzar a linha de chegada só atrás do vencedor da etapa, o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull.

      "Massa mostrou as garras ultrapassando por força Raikkonen na terceira volta", escreveu o jornal La Gazzetta dello Sport, citando a mesma manobra. Já o outro diário esportivo italiano, o Corriere dello Sport, avaliou ainda que "as duas Ferrari de Fernando Alonso e Felipe Massa se viraram bem", entrando ambas na zona de pontuação.

      Alonso, que largou na nona posição, terminou na sétima, mas sua apresentação em termos gerais foi inferior à do parceiro na opinião do jornal La Stampa, um dos principais generalistas da Itália, que analisou Massa como "reencontrado" após não pontuar nas três primeiras etapas do ano.

      "O brasileiro parece em uma jornada de graça e consegue superar a Lotus do ex-parceiro de Maranello Raikkonen, mas é só uma ilusão para o piloto paulista, que pouco depois deve ceder passagem ao finlandês", relatou.

      Mas o principal elogio para Massa veio no blog do colunista Stefano Mancini, também do periódico La Stampa. "Alonso partiu bem, depois sofreu e desta vez não fez a diferença. Melhor Massa, que se recuperou da 14ª posição e finalmente leva para casa dois pontinhos", escreveu ele, apontando que o espanhol foi "mal" no Bahrein.

      O jornalista, que fez a cobertura diretamente do circuito do Sakhir, é o mesmo que na semana passada, na esteira da 13ª posição do brasileiro no GP da China, disse que o corredor estava apenas "desperdiçando gasolina" a bordo da Ferrari.

      Terra