sexta-feira, 31 de agosto de 2012

São Paulo ignora aliciamento e suspeita de "jogo" em caso Ganso

Torcida do Santos protestou contra o meia após a derrota por 3 a 1 para o Bahia em plena Vila Belmiro. Foto: Ricardo Saibun/Gazeta Press

Torcida do Santos protestou contra o meia após a derrota por 3 a 1 para o Bahia em plena Vila Belmiro

O São Paulo não teme uma possível denúncia do Santos à Fifa devido a suposto aliciamento a Paulo Henrique Ganso. O clube da capital garante ter "farto material" provando que o rival admitiu a possibilidade de vender o jogador e vê a posição santista como uma espécie de "jogo", reflexo de pressão na condução do caso.

"Tudo até aqui tratado ocorreu de forma totalmente aberta, lisa e sem nenhuma irregularidade ou comportamento escuso. Temos um farto material mostrando que o próprio Santos admitiu vender o jogador", afirmou Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, vice-presidente do São Paulo.

"Eles provavelmente foram pressionados por algumas reações, alguns comportamentos ou por uma revisão, mas a conversa inicialmente, isso todos sabem, foi largamente divulgada e não no sentido de ofendê-los por nova oferta. O São Paulo adotou um procedimento legítimo", completou Leco.

O Santos rejeitou de imediato a segunda investida do rival por seu camisa 10, desta vez no valor de R$ 28 milhões por 100% de seus direitos econômicos. A irritação do clube foi alimentada pelo fato de que o São Paulo já teria desistido de formalizar nova proposta após conversa telefônica um dia antes, relatada em nota oficial. O clube tricolor rebateu e negou a desistência. A ideia agora é encaminhar o protesto para a entidade internacional e ao presidente são-paulino Juvenal Juvêncio.

Ganso viveu um calvário e mandou recados à diretoria após a derrota por 3 a 1 para o Bahia, na última quarta-feira. O meia foi alvo de protestos direcionados e deixou a Vila sob chuva de moedas e gritos de mercenário. Na saída do CT Rei Pelé, acompanhou o protesto se estender com pichações e se queixou com pessoas próximas que se sentia desprotegido pela diretoria, a quem julga querer jogá-lo contra a torcida.

A diretoria, por sua vez, tenta agradar a conselheiros e torcedores insistindo na liberação do jogador somente mediante ao pagamento da multa e reiterando apoio ao camisa 10 por meio de sua nota oficial. A reação contra o rival seria uma forma de ganhar mais aceitação na condução do caso.

Essa é a segunda investida do São Paulo rejeitada. A primeira, de cerca de R$ 11 milhões pelos 45% dos direitos econômicos que possui sobre o meia, também foi rapidamente descartada e citada como "longe de atender os interesses do Santos".

De camisa 10 ideal a meia contestado

Ganso, revelado nas categorias de base do Santos, começou no clube em 2008, junto a Neymar, a maior estrela do time na atualidade. Desde que chegou ao time profissional, a carreira de Ganso se revezou em sobes e desces. Nos primeiros anos, o jogador conquistou críticos e torcedores não apenas por ser uma das maiores promessas do futebol do Brasil, mas por ter surgido como protótipo do camisa 10 criativo e pensador, em falta nos últimos anos.

A trajetória de Ganso - que parecia traçar uma ascensão meteórica rumo ao estrelato nos principais gramados do mundo - teve, porém, um baque grande em 2010. No meio daquela temporada, o jogador sofreu grave lesão no ligamento cruzado de seu joelho.

A lesão deixou Ganso fora dos gramados por seis meses e comprometeu a sequência da carreira no Santos do jogador, que não conseguiu manter o nível de seu futebol e perdeu prestígio com a torcida.

A volta ao clube veio durante a Copa Libertadores de 2011, mas nem a conquista do título continental fez com que o meia retornasse a seus melhores dias no Santos. À sombra de Neymar, que se consolidava como grande ídolo e craque do Brasil, Ganso perdeu espaço na mídia e também na Seleção Brasileira. De camisa 10 incontestável, o jogador passou a opção para o meio-campo.

No time olímpico de Mano Menezes, que ficou com a prata na Olimpíada de Londres, o meia Oscar, do Internacional, vestiu a camisa 10 da equipe, a qual, há poucos anos, era reservada para o jogador santista.

Logo após a Olimpíada, intensificaram-se os boatos sobre uma possível saída do Santos. E o destino mais provável para Ganso se tornou o São Paulo, que estaria disposto em buscar na Vila Belmiro um substituto à altura para Lucas, negociado com o Paris Saint-Germain, e teria até feito uma proposta por parte dos direitos de Paulo Henrique. O meia tem contrato com a equipe praiana até fevereiro de 2015.

Terra

Com recorde paralímpico, André Brasil avança em 1º à final dos 50 m

André Brasil cravou o melhor tempo das eliminatórias dos 50 m livre S10. Foto: Buda Mendes / CPB/Divulgação

André Brasil cravou o melhor tempo das eliminatórias dos 50 m livre S10

Após conquistar a medalha de prata nos 200 m medley SM10, para nadadores com limitações físico-motoras, o brasileiro André Brasil voltou à piscina do Centro Aquático dos Jogos Olímpicos de Londres, nesta sexta-feira, para cravar o melhor tempo das eliminatórias dos 50 m livre S10: 23s50.

De quebra, o nadador, que diminuiu o ritmo nos metros finais, quebrou o recorde paralímpico da prova e avançou à final com o melhor tempo entre os oito finalistas. Outro brasileiro na disputa, Phelipe Andrews Rodrigues liderou a segunda bateria com 24s12 e garantiu a terceira marca do dia. O canadense Nathan Stein, vencedor primeira bateria, terminou a prova em 23s89, segundo melhor tempo.

Brasileiros nas finais

Disputando uma vaga nos 400 m livre S8, para nadadores com limitações físico-motoras, Caio Oliveira marcou 4min41s20 para conquistar o novo recorde continental da prova e carimbar seu passaporte à final, com o 5º melhor tempo.

Pelos 50 m borboleta S7, para nadadores com limitações físico-motoras, Verônica Almeida terminou a prova em 39s93, 4º tempo da segunda bateria eliminatória, e se classificou à final na 8ª e última colocação.

Nos 200 m medley SM5, para nadadores com limitações físico-motoras, Joana Maria Silva não começou bem, mas se recuperou e terminou em 3º na sua bateria, com 4min02s26, novo recorde sul-americano da prova. A atleta avançou à final com a sexta melhor marca.

Brasileiros eliminados

Nos 100 m livre S11, para nadadores com deficiência visual, Matheus Souza terminou apenas em 4º na segunda bateria, com o tempo de 1m02s99, e terminou na 9ª colocação, ficando fora da disputa por medalhas.

Nos 50 m livre S4, para nadadores com limitações físico-motoras, Ronystony Cordeiro da Silva terminou na 6ª colocação da segunda bateria, com 44s22, e não briga por medalhas.

As finais desta sexta-feira serão disputadas a partir das 14h (de Brasília).

Terra

Kobayashi domina treino "esvaziado" pela chuva na Bélgica

Kabayashi, da Sauber, é o grande destaque do primeiro treino livre da F1 em Spa. Foto: Reuters

Kabayashi, da Sauber, é o grande destaque do primeiro treino livre da F1 em Spa

A primeira atividade da Fórmula 1 após o recesso de verão deixou os apaixonados pela categoria frustrados. Com chuva forte durante quase toda a manhã, o treino livre inicial do Grande Prêmio da Bélgica teve pista vazia e pouca ação. Alguns dos pilotos só tiraram o carro dos boxes nos cinco minutos finais da sessão, que teve liderança do japonês Kamui Kobayashi, com 2min11s389.

O piloto da Sauber colocou boa vantagem sobre o venezuelano Pastor Maldonado, segundo colocado do treino com 2min11s941, e seus demais concorrentes. Daniel Ricciardo, Jean-Eric Vergne e Mark Webber completam a lista dos cinco primeiros colocados da manhã belga.

A chuva atrapalhou o início do primeiro treino em Spa-Francorchamps e a pista ficou vazia durante grande parte da atividade. O japonês Kamui Kobayashi se arriscou no começo da sessão e marcou tempo, mas o restante dos pilotos da F1 optou por permanecer nos boxes durante longos minutos.

O cenário só foi alterado a 40 minutos do fim do treino, quando o australiano Daniel Ricciardo resolveu ir à pista e mostrou a seus adversários de que, apesar da grande quantidade de água no asfalto, havia condições para tirar o carro da garagem. Mas nem todos concordaram com o piloto da Toro Rosso e apenas 20 veículos rodaram no treino.

O brasileiro Felipe Massa saiu com sua Ferrari apenas nos segundo finais de atividade, para tentar marcar uma volta rápida, mas ficou pelo caminho por conta de problemas no motor de seu carro.

A liderança da tabela de tempos do primeiro treino livre em Spa-Francorchamps ficou nas mãos de Kobayashi. O piloto da Sauber, que deu 20 voltas na atividade, soube aproveitar o momento em que a pista estava um pouco mais seca e rodou a 2min11s389.

Veja o resultado do primeiro treino livre para o Grande Prêmio da Bélgica de Fórmula 1

1. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber) - 2min11s389
2. Pastor Maldonado (VEN/Williams) - 2min11s941
3. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso) - 2min12s004
4. Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso) - 2min12s824
5. Mark Webber (AUS/Red Bull) - 2min13s191
6. Sergio Pérez (MEX/Sauber) - 2min13s861
7. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - 2min14s210
8. Valtteri Bottas (FIN/Williams) - 2min14s660
9. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - 2min14s860
10. Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - 2min15s402
11. Paul Di Resta (ESC/Force India) - 2min15s812
12. Timo Glock (ALE/Marussia) ¿ 2min16s409
13. Nico Hulkenberg (ALE/Force India) - 2min16s786
14. Vitaly Petrov (RUS/Caterham) - 2min16s788
15. Lewis Hamilton (ING/McLaren) - 2min16s827
16. Jenson Button (ING/McLaren) - 2min16s861
17. Charles Pic (FRA/Marussia) - 2min17s519
18. Heikki Kovalainen (FIN/Caterham) - 2min18s199
19. Pedro de la Rosa (ESP/HRT) - 2min19s546
20. Dani Clos (ESP/HRT) - 2min19s689
21. Romain Grosjean (FRA/Lotus) - 2min38s701
22. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - 2min40s749
23. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus) - 2min46s580
Felipe Massa (BRA/Ferrari) - sem tempo

Terra

Em busca do tri, Brasil estreia com empate contra França no futebol de 5

Apesar do esforço de Ricardinho, Seleção Brasileira empatou sem gols com a França . Foto: Fernando Maia / CPB/Divulgação

Apesar do esforço de Ricardinho, Seleção Brasileira empatou sem gols com a França

Atual bicampeã paralímpica, a Seleção Brasileira de futebol de cinco (para atletas com deficiência visual) começou, nesta sexta-feira sua caminhada nos Jogos Paralímpicos de Londres sem vencer. Jogando contra a França, atual campeã europeia, o Brasil não conseguiu fazer nenhum um gol e apenas empatou em 0 a 0, na Riverbank Arena.

Com o resultado, as duas equipes somaram seus primeiros pontos e aguardam a próxima partida do grupo, entre Turquia e China, para que a primeira rodada seja concluída.

No primeiro tempo, jogando contra uma França muito recuada, o Brasil teve dificuldades para criar jogadas e até sofreu um susto, quando David Labarre chutou e o goleiro Fábio fez uma grande defesa à "queima-roupa".

Já na segunda etapa, com a partida mais aberta, o Brasil chegou a levar algum perigo à meta de Grangier principalmente com Ricardinho, mas não conseguiu tirar o zero do placar.

Na próxima rodada, a Seleção Brasileira de futebol de cinco enfrenta a Turquia no próximo domingo, às 5h (de Brasília), enquanto a França encara a China, atual vice-campeã paralímpica, também no domingo, às 7h (de Brasília).

No programa paralímpico desde Atenas 2004, o futebol de cinco é disputado por atletas com deficiência visual (total ou parcialmente cegos), que usam vendas para que haja uma igualdade de condições. A bola com um guizo e o goleiro, único atleta que não é deficiente visual e não usa vendas, são os únicos "guias" dos cinco jogadores de linha dentro de campo.

A partida é dividida em dois tempos de 25 minutos e o campo, que com exceção da linha de fundo é cercado por placas, tem o tamanho semelhante ao de uma quadra de futsal.

Nos Jogos Paralímpicos, oito seleções foram divididas em dois grupos de quatro, sendo que, dentro da chave, todas jogam contra todas em turno único. Assim como no futebol, a vitória vale três pontos e o empate, um. As duas melhores colocadas de cada grupo avançam às semifinais, com o 1º da chave A enfrentando o 2º da B, e vice-versa. No mata-mata, se houver empate, a partida é decidida na disputa por pênaltis.

Terra

Vágner Love reclama de primeiro tempo flamenguista e lamenta tropeço

Equipe rubro-negra realizou um jogo franco contra o Sport e podia ter saído derrotada. Foto: Gabriel Borges/ Diário do Vale/Futura Press

Equipe rubro-negra realizou um jogo franco contra o Sport e podia ter saído derrotada

O atacante Vágner Love mostrou insatisfação com o empate do Flamengo por 1 a 1 com o Sport em casa. O artilheiro do clube carioca achou que a equipe poderia ter se esforçado mais no primeiro tempo.

"Não podemos deixar cair. Se tivéssemos corrido e lutado no primeiro tempo como fizemos no segundo, acho que teríamos saído daqui com o resultado positivo", analisou.

O camisa 99 lamentou os pontos perdidos em casa. "Era um jogo em casa em que não podíamos desperdiçar pontos. Uma vitória nos deixava em boas condições na tabela, mas infelizmente não conseguimos ganhar e agora é buscar fora de casa", declarou.

O Flamengo ocupa a décima posição do Campeonato Brasileiro com 27 pontos conquistados. No domingo, às 16 horas (de Brasília), o time rubro-negro recebe o Internacional pela 21ª rodada da competição.

Terra

Falcao "dá sorte" e A. de Madrid tem chave tranquila; veja grupos

Atacante colombiano dá sorte ao seu time, que vai enfrentar H. Tel-Aviv, Viktoria Plzen e Acadêmica. Foto: AP

Atacante colombiano dá sorte ao seu time, que vai enfrentar H. Tel-Aviv, Viktoria Plzen e Acadêmica

A Uefa preparou uma cerimônia de gala nesta sexta-feira para realizar o sorteio da próxima fase da Liga Europa. No Fórum Grimaldi, em Mônaco, a entidade definiu os 12 grupos da etapa seguinte da competição, que terá início no dia 20 de setembro deste ano. O Atlético de Madrid, atual campeão, caiu em uma chave tranquila, com Tel Aviv, Plzen e Academica.

Para retirarem os nomes dos clubes dos recipientes, a Uefa convidou o artilheiro das duas últimas edições da Liga Europa, o colombiano Falcao García - que acabou dando sorte ao seu clube, o Atlético de Madrid -, e também o ex-atacante holandês Patrick Kluivert.

Durante o sorteio, nenhuma surpresa. Os grupos mais fortes ficaram o A, com Liverpool e Udinese, o C, com Olympique, Fenerbahce e Borussia Monchengladbach, o F, com PSV e Napoli, e o J, com Tottenham, Panathinaikos e Lazio.

A próxima etapa do torneio vai do dia 20 de setembro até o dia 6 de dezembro, quando a última rodada de cada chave ocorre. Depois, os dois primeiros colocados de cada grupo se classificam e encontram os oito eliminados da Liga dos Campeões, em fase que obrigará os 32 clubes a disputarem 16 vagas em duelos de ida e volta.

O mata-mata segue até a decisão, que nesta temporada irá acontecer na Arena Amsterdã, no dia 15 de maio. Neste ano, o Atlético de Madrid derrotou o Athletic Bilbao na final por 3 a 0, em duelo realizado em Bucareste, Romênia.

Confira como ficaram os grupos da próxima fase da Liga dos Campeões da Europa:

Grupo A
1 - Liverpool (ING)
2 - Udinese (ITA)
3 - Young Boys (SUI)
4 - Anzhi Makhachkala (RUS)

Grupo B
1 - Atlético de Madrid (ESP)
2 - Hapoel Tel-Aviv (ISR)
3 - Viktoria Plzen (RCH)
4 - Academica (POR)

Grupo C
1 - Olympique de Marselha (FRA)
2 - Fenerbahce (TUR)
3 - Borussia Monchengladbach (ALE)
4 - Limassol (CHP)

Grupo D
1 - Bordeaux (FRA)
2 - Clube Brugge (BEL)
3 - Newcastle (ING)
4 - Marítimo (POR)

Grupo E
1 - Sttutgart (ALE)
2 - FC Copenhagen (DIN)
3 - Steaua Bucareste (ROM)
4 - Molde (NOR)

Grupo F
1 - PSV (HOL)
2 - Napoli (ITA)
3 - Dnipro (UCR)
4 - AIK (SUE)

Grupo G
1 - Sporting (POR)
2 - Basel (SUI)
3 - Genk (BEL)
4 - Videoton (HUN)

Grupo H
1 - Inter de Milão (ITA)
2 - Rubin Kazan (RUS)
3 - Partizan (SER)
4 - Neftcy (CHP)

Grupo I
1 - Lyon (FRA)
2 - Athletic Bilbao (ESP)
3 - Sparta Praga (RCH)
4 - Hapoel Shmona (ISR)

Grupo J
1 - Tottenham (ING)
2 - Panathinaikos (GRE)
3 - Lazio (ITA)
4 - Maribor (ESL)

Grupo K
1 - Bayer Leverkusen (ALE)
2 - Metalist (UCR)
3 - Rosenborg (NOR)
4 - Rapid Viena (AUS)

Grupo L
1 - Twente (HOL)
2 - Hannover (ALE)
3 - Levante (ESP)
4 - Helsingborg (SUE)

Terra

Com risco de queda, Marcos aponta festa exagerada na Copa do Brasil

Marcos durante lançamento do livro do Palmeiras sobre a conquista da Copa do Brasil. Foto: Léo Pinheiro/Terra

Marcos durante lançamento do livro do Palmeiras sobre a conquista da Copa do Brasil

Na delegação que voltava de Curitiba com a taça da Copa do Brasil, Marcos era quem mais chamava atenção. Embriagado, entoou músicas provocando rivais e deu declarações polêmicas. Mas o ídolo já estava aposentado. Menos de dois meses depois, o ex-goleiro percebe que não foi o único a exagerar na comemoração. E aponta na festa além do necessário um dos motivos para o Palmeiras, hoje, lutar contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

"Talvez o time tenha comemorado um pouco a mais. É normal dar uma relaxada depois de ser campeão, mas, se você dá uma relaxada de duas semanas, já são quatro jogos. Aí, você já fica muito atrás", opinou Marcos enquanto tinha em mãos o livro "O Brasil É Alviverde Inteiro", com fotos da conquista nacional no mês passado.

No evento de lançamento da obra, o ex-jogador se recusou, gargalhando, a mostrar imagens suas no trio elétrico na tarde seguinte à decisão no Paraná. Mas o desempenho de quem ainda é atleta que deveria gerar vergonha: desde o título da Copa do Brasil, o Palmeiras só somou 8 dos 36 pontos disputados no Brasileiro (22,2 % de aproveitamento, com duas vitórias, dois empates e oito derrotas).

"A equipe perdeu muitos pontos importantes no começo, escalando times mistos, reservas. Largou o campeonato um pouco no início e correr atrás é sempre muito complicado", apontou Marcos, lembrando da prioridade à Copa do Brasil e, atualmente, apreensivo por ver o time em 17º lugar, a quatro pontos do Bahia, primeiro clube fora da zona de rebaixamento - ou seja, o Palmeiras ficará, ao menos, mais duas rodadas na faixa da degola. O ex-goleiro não aceita o argumento de que a maratona de jogos é responsável pela péssima campanha. "Todos têm a mesma tabela. A verdade é que, quando o time está bem, ninguém fala do calendário. Só fala quando está mal", opinou. "E pelo que vi, no ano que vem vai ser pior. O calendário do futebol brasileiro é pesado, tanto que muitos jogadores saem daqui por isso, mas isso não pode ser desculpa", continuou.

Sempre bem-humorado, o ídolo volta a falar em festa para alertar: pensar antecipadamente em celebração nunca fez bem ao clube. "No Palmeiras, se tem algum evento, pode se preparar. Já deve fazer uns 500 anos que não ganhamos em Corpus Christi...", sorriu, apontando o feriado que muitos rivais passaram a chamar de "Porcos Tristes" - piada que o próprio Marcos recordou.

"Quando eu jogava, nós conversávamos às vezes: pô, o jogo é sábado e no domingo tem um show legal no Villa Country, Jorge & Mateus. E no domingo ficávamos todos quietinhos em casa porque tínhamos perdido", prosseguiu.

Terra

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Grêmio vence Vasco no Olímpico e se aproxima da ponta

Jogadores do Grêmio comemoram segundo gol do jogo, marcado por Kleber. Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA/Divulgação

Jogadores do Grêmio comemoram segundo gol do jogo, marcado por Kleber

O Grêmio venceu o Vasco por 2 a 0, nesta quarta-feira, no Estádio Olímpico, conquistou o terceiro triunfo consecutivo no Campeonato Brasileiro e ainda diminuiu a diferença em relação ao líder Atlético-MG.

Marcelo Moreno, aos 40min do primeiro, e Kleber, aos 12min do segundo, marcaram os gols da vitória que levou o time tricolor a 40 pontos, com quatro a menos que o time alvinegro de Minas Gerais, na terceira posição.

Já o Vasco perdeu a chance de ultrapassar o adversário desta quarta, mas se mantém em quarto lugar, com 35 pontos, quatro à frente do São Paulo, primeiro time fora do G-4.

O primeiro gol do Grêmio saiu após cobrança de falta de Marquinhos. Pelo lado esquerdo, o meia cruzou em direção ao gol, ninguém conseguiu interceptar e o goleiro vascaíno Fernando Prass rebateu fraco para a pequena área. No rebote, Marcelo Moreno estufou a rede adversária.

Já na segunda etapa, Kleber recebeu no lado esquerdo, limpou a marcação e chutou fraco de esquerda. O goleiro do Vasco teria chances de defender, mas a bola desviou no zagueiro Dedé e morreu no canto direito do gol.

Pela próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Grêmio enfrenta o Palmeiras no sábado, às 18h30 (de Brasília), no Estádio do Pacaembu, enquanto o Vasco recebe a Portuguesa no mesmo dia, às 21h, em São Januário.

Terra

Real atropela no início, supera Barcelona e conquista Supercopa

Jogadores do Real Madrid comemoram conquista da Supercopa da Espanha. Foto: AP

Jogadores do Real Madrid comemoram conquista da Supercopa da Espanha

O Real Madrid tem seu primeiro título da temporada. Nesta quarta-feira, no Santiago Bernabéu, a equipe da casa derrotou o arquirrival Barcelona por 2 a 1 e conquistou a Supercopa da Espanha. O resultado se agrega ao 3 a 2 favorável aos catalães no Camp Nou, mas o troféu fica com os madrilenos devido ao gol fora de casa. Para obter o título, os comandados de José Mourinho tiveram um excelente primeiro tempo, em que uma goleada ficou perto de ocorrer.

Gonzalo Higuaín e Cristiano Ronaldo fizeram os gols do Real nos primeiros vinte minutos, e Lionel Messi descontou em bela cobrança de falta. O brasileiro Kaká, que havia sido relacionado para a partida, foi cortado do banco. Já o croata Luka Modric fez sua estreia ao substituir Mesut Ozil.

A partida começou com domínio pelo do Real Madrid sobre o Barcelona, que parecia não se encontrar em campo. A defesa da equipe catalã se mostrava perdia e permitiu que o time da casa abrisse o placar logo aos 10min: Pepe lançou bola em profundidade para Higuaín, que correu mais que a marcação e tocou na saída de Valdés.

Oito minutos depois, foi a vez de Cristiano Ronaldo marcar. O português recebeu bola na intermediária, deu lindo drible em Piqué e arrematou para o gol do Barcelona contando ainda com desvio no goleiro catalão. A pane do time visitante prosseguiu, e dez minutos depois Adriano foi expulso após falta em Cristiano Ronaldo.

O domínio do Real era pleno, mas parou de se converter em gols. Higuaín desperdiçou duas grandes chances de deixar o time da casa com ampla vantagem no marcador. Enquanto isso, o Barcelona conseguiu seu gol no talento de Messi. O argentino cobrou falta aos 44min e não deu chances para Casillas defender.

Depois do intervalo, o Barcelona ignorou a inferioridade numérica e passou a ser melhor em campo. O Real dava sinais de cansaço e permitia que o rival chegasse à sua área com grande perigo. Aos 16min, Pedro foi lançado na cara do gol e só não empatou porque Casillas fez excelente defesa.

A partida prosseguiu com os catalães atacando mais, só que o Real teve a melhor oportunidade: Higuaín recebeu bola em condição legal, saiu na cara de Valdés e chutou na trave. Ao fim, o Barcelona seguiu atacando em busca do gol do título, mas não conseguiu o empate.

Terra

Neymar reprova protestos e pede fim de novela Ganso: "espero que fique"

Atacante santista foi principal articulador da equipe no Brasileiro. Foto: Leandro Martins/Futura Press

Atacante santista foi principal articulador da equipe no Brasileiro

Neymar reprovou os protestos de parte da torcida após a derrota do Santos por 3 a 1 contra o Bahia, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, e saiu em defesa do companheiro Paulo Henrique Ganso. O atacante citou a situação como "bem chata", relembrou o fato do meia ter dado títulos ao Santos e pede pelo desfecho da novela envolvendo o camisa 10.

"Não tem porque esse protesto todo, na minha opinião. Nós víamos vencendo, precisamos do apoio da torcida. Não pode ser desta forma", desabafou o craque santista para, em seguida, defender Ganso.

"É uma coisa chata, demos muitos títulos ao Santos, é o caso de sentar com a diretoria. Ficaria bem triste se ele saísse e espero que essa novela termine logo e ele fique", completou.

Ganso foi o principal alvo dos torcedores, passou a ser vaiado e foi, na saída de campo, alvo novo protesto direcionado com direito a "chuva de moedas": "Ganso, mercenário, não quer jogar no Santos vai para a casa do c...". O meia rebateu relembrando ser um dos salários mais baixos do time titular.

Neymar citou como alicerce para que o time não fosse criticado o fato de que já não perdia há seis jogos: quatro empates e duas derrotas, sendo quatro partidas desde a sua volta dos Jogos Olímpicos. O time volta nesta quinta-feira aos treinos e joga contra o Sport neste domingo, na Ilha do Retiro, em Recife.

Terra

Com campeãs olímpicas, Sollys/Osasco apresenta elenco em SP

Após bicampeonato olímpico, Sheilla chega ao Sollys/Osasco para brigar por títulos. Foto: Bruno Santos/Terra

Após bicampeonato olímpico, Sheilla chega ao Sollys/Osasco para brigar por títulos

Atual campeão da Superliga Feminina de Vôlei, o Sollys/Osasco apresentou, nesta quarta-feira, em São Paulo, o elenco que brigará pelo Campeonato Paulista, pelo Sul-Americano de Clubes e pela temporada 2012/2013 da competição nacional.

A principal novidade foi a contratação da oposta e atual bicampeã olímpica com a Seleção Brasileira, Sheilla, que chega para substituir a americana Destinee Hooker, destaque da última edição do campeonato.

Vice-campeã da Superliga 2011/2012 com o Unilever/Rio de Janeiro, que perdeu por 3 sets a 0 justamente para o time de Osasco, Sheilla ressaltou que está preparada para ser a jogadora de segurança do time do técnico Luizomar de Moura.

"Defender a equipe do Sollys/Osasco vai ser um grande desafio. Pela nossa equipe, nós sempre vamos ser pressionadas, mas eu vou dar o meu melhor para manter esse título da Superliga", disse ela.

A outra novidade é a ponteira Fê Garay, parceira de Sheilla na equipe titular do Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres. Semifinalista com o Vôlei Futuro na temporada 2011/2012, ela teve a melhor recepção da Olimpíada.

"Eu estou muito feliz de fazer parte desse grupo. Dentro das minhas expectativas, a maior delas é vencer. A gente falou em motivação e esquecer a medalha de ouro em Londres para já focar nas competições. Eu quero fazer todas as finais e ganhar todas. Temos capacidade para isso", comentou.

Especialista quando o assunto é recepção, a líbero Camila Brait elogiou a chegada de mais uma jogadora que fará a linha de passe - Jaqueline é a outra ponteira e sempre se destacou no fundamento. "A Fê (Garay) só vem contribuir para um time que sempre teve destaques na recepção. Com certeza isso só aumenta as chances de fazermos um bom trabalho", comentou.

Com as contratações de Sheilla e Garay, o time terá no elenco cinco campeãs olímpicas: Jaqueline, Adenízia e Thaísa renovaram contratos. Para o técnico Luizomar de Moura, a equipe só tem a ganhar com um elenco tão forte.

"Eu acho que a Superliga a cada ano vem mostrando toda a capacidade. A cada ano fica mais difícil de se manter no topo e nas finais. Mas temos um grande elenco, ainda mais com as chegadas dessas jogadoras", falou o treinador.

O próximo desafio da equipe no Paulista está marcado para sábado, às 11h (de Brasília), contra o Pinheiros, no Ginásio Municipal José Liberatti, em Osasco, e poderá ter pela primeira vez as jogadoras da Seleção escaladas.

Após o jogo deste sábado, o time faz uma pausa na competição, inicia a disputa do Campeonato Sul-Americano de Clubes e busca o tetra da competição, que será realizada em Osasco, de 4 a 8 de setembro.

Além das medalhistas olímpicas, a equipe do Sollys/Osasco terá as ponteiras Samara e Gabi; as levantadoras Fabíola e Karine; as centrais Larissa, Dani Suco e Ednéia; e a oposta Ivna.

Terra

Marussia usará motores Cosworth e Kers da Williams em 2013

Marussia anuncia acordo para usar Kers da Williams na próxima temporada da F1. Foto: Marussia/Divulgação

Marussia anuncia acordo para usar Kers da Williams na próxima temporada da F1

A Marussia anunciou que irá usar o Kers da Williams em seu carro pela primeira vez na temporada 2013 da Fórmula 1. Além de anunciar que usará a técnologia desenvolvida pelo time de Grove, o consultor da Marussia, Pat Symonds, confirmou a utilização de motores Cosworth pela quarta temporada seguida.

"Sim, nós usaremos o Kers no ano que vem. Planejamos adotar o sistema desenvolvido pela Williams, que foi usado por eles na temporada passada com os motores Cosworth e atualmente com o Renault. A nossa unidade de 2013 será um desenvolvimento da atual. Ficamos impressionados com a engenharia, a eficiência e o peso. É também um prazer trabalhar com a Williams do ponto de vista técnico e comercial", disse Symonds.

Juntamente com a HRT, a Marussia é uma das únicas equipes da categoria que não utilizam o Kers na temporada 2012 da Fórmula 1. O mesmo acontece com o motor Cosworth, usado por essas duas equipes apenas nesta temporada. A Williams o usava, mas trocou recentemente para motores Renault.

"Estamos felizes com o trabalho que estamos fazendo com eles. Trabalhando juntos para testar e melhorar as áreas que podemos de acordo com o regulamento, concentrados em melhorar a dirigibilidade do motor e evoluindo o desempenho com uma unidade com o carro", analisou Symonds sobre o motor Cosworth.

Na temporada 2012, a Marussia ainda não pontuou e ocupa a 10ª posição junto com Caterham e HRT, em mesma situação.

Terra

Stephen Hawking, atletas no ar e voo de tocha abrem a Paralimpíada

Cerimônia de Abertura também contou com show de fogos e luzes no Estádio Olímpico. Foto: Fernando Borges/Terra

Cerimônia de Abertura também contou com show de fogos e luzes no Estádio Olímpico

A Cerimônia de Abertura dos Jogos Paralímpicos de Londres, ocorrida nesta quarta-feira, emocionou e surpreendeu o público presente no Estádio Olímpico. Sob os olhares de 62 mil torcedores e de toda a realeza britânica, a abertura da Paralimpíada teve como grande destaque a presença do cientista inglês Stephen Hawking, que funcionou como narrador no centro do gramado durante todo o evento, além do levantamento de atletas no ar e da chegada da tocha pelo céu.

No discurso que abriu os festejos, após a tradicional contagem regressiva e de um avião sobrevoar o Estádio Olímpico soltando faísca pelas asas, Hawking, um dos mais renomados cientistas do mundo atual e incapacitado de movimentos por uma esclerose lateral amiotrófica, pediu ao mundo para olhar "mais para as estrelas e menos para os pés".

"Tente fazer sentido do que você vê e se pergunte sobre o que faz o universo existir. Seja curioso", afirmou Hawking. Logo na sequência, foi simulado o "Big Bang", teoria que muitos cientistas dizem ter dado surgimento ao universo, com o som de Umbrella, da cantora Rihanna.

Imenso olho é feito no Estádio

Logo no início da cerimônia, diversos participantes entraram no centro do estádio para simular um grande olho no centro do gramado. Os cílios foram representados por guarda-chuvas, carregados pelos dançarinos. No momento seguinte foi a vez da entrada do ator Ian McKellen, famoso pelo papel de Gandalf em "O Senhor dos Anéis", que falou sobre os valores da competição que tem início nesta quinta-feira.

Rainha marca presença

Na sequência do evento, um coral de 442 integrantes, incluindo cadeirantes, emocionou o Estádio Olímpico. A Cerimônia de Abertura prosseguiu com a anunciação da entrada da Rainha Elizabeth II ao lado de seu marido. Além da grande comandante do País, o príncipe William e a duquesa Kate Middleton também compareceram ao evento, assim como o príncipe Harry. A entrada da realeza coincidiu com a da bandeira do Reino Unido, que foi levada por membros das Forças Armadas para a execução do hino nacional britânico.

Logo após a entoação de God Save the Queen, um vídeo foi apresentado com imagens da evolução da Paralimpíada a partir dos primórdios, em 1948. Na época, o neurologista alemão de origem judia Ludwig Guttmann realizou a primeira competição incluindo apenas atletas com deficiências, dando origem aos Jogos Paralímpicos atuais.

Brasil se apresenta com festa e muitos sorrisos

Com o nadador Daniel Dias de porta-bandeira, a delegação brasileira adentrou o Estádio Olímpico, esbanjando sorrisos e animação. Com a mesma roupa da cerimônia olímpica - calças verdes ou amarelas, terno e cachecol com as cores nacionais -, a delegação brasileira ficou marcada pela grande quantidade de pessoas no desfile. Entre os atletas nacionais, alguns iam além da grande animação e se destacavam com rostos pintados com as cores brasileiras.

Britânicos são ovacionados no encerramento do desfile

Os mesmos sorrisos e prazer em estar participando do evento foram vistos em outras delegações além da brasileira. Em alguns casos, cadeirantes até arriscavam se locomover de ré, atraindo olhares dos torcedores e das câmeras. A cada presença de uma cinegrafista, os esportistas logo se animavam e mandavam recados para a família. Todo o desfile foi comandado por uma DJ, que colocava grandes hits diretamente do centro do estádio.

A delegação mais ovacionada pelo público, claro, não poderia ser outra: a Grã-Bretanha, última a entrar no Estádio Olímpico com a canção Heroes, de David Bowie. Com uma chuva de papéis picados e novamente rostos de atletas pintados, os esportistas se emocionaram com a reação do público na entrada. Outro país que foi bastante aclamado pelos presentes foi a África do Sul, que contou com o atleta Oscar Pistorius, maior astro desta edição dos Jogos Paralímpicos, como porta-bandeira.

Rainha declara Jogos Paralímpicos abertos

Após discursos entusiasmados dos presidentes do Comitê Olímpico Britânico, Sir Seb Coe, e do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês), a Rainha Elizabeth II foi anunciada e declarou oficialmente que os Jogos Paralímpicos de Londres 2012 estavam abertos. A declaração da autoridade máxima britânica foi seguida por muitos aplausos e queima de fogos.

No discurso precedente ao da rainha, o britânico Seb Coe deu as boas vindas aos atletas e autoridades, dando enfoque ao pioneirismo do Reino Unido, que iniciou o movimento paralímpico, em 1948. O sentimento do dirigente para o sucesso do evento foi de confiança: "nós estamos prontos, os estádios estão prontos, as pessoas da Grã-Bretanha estão prontas e os atletas estão prontos. Preparem-se para se sentir inspirados e sensibilizados".

Já Philip Craven, presidente do IPC, também destacou a preparação do Reino Unido. "Este país tem um apetite por esportes, Londres 2012 fez um trabalho incrível em fazer todos sentirem que estes são seus Jogos. Hoje é o inicio de algo extremamente especial, se trata de dar boas vindas ao mundo aos Jogos globais. Um momento em que sentiremos emoções que nunca imaginamos ser possível", declarou.

Atletas paralímpicos "voam" sobre o estádio

Logo depois da entrada da bandeira paralímpica e da entoação do hino dos Jogos, o espetáculo teatral voltou a emocionar os torcedores. A figura de Miranda, cadeirante guiada por Ian McKellen e que era personagem central da história, reapareceu em uma biblioteca, descobrindo a importância dos livros. No momento seguinte, atletas paralímpicos foram içados no Estádio Olímpico, e Miranda, maravilhada, começou a observar tudo a bordo de um barco em forma de guarda-chuva. Entre as cenas, apresentações musicais davam um toque especial para a abertura.

Isaac Newton, milhares de maçãs e reaparição de Stephen Hawking

Na continuação da abertura, Isaac Mewton foi lembrado, quando Miranda passou a entender as leis criadas pelo cientista britânico. Com muitos símbolos de Newton no palco, em especial maçãs, incluindo uma gigante de ouro, o locutor anunciou: "preparem suas maçãs". Após uma contagem regressiva, o público, que recebeu 62 mil maçãs, passou a morder a fruta, assim como Miranda no palco. Dançarinos mostravam um mundo gravitacional, grande descobrimento de Newton.

A sequência teve Ian McKellen guiando Miranda pela "maior aventura de sua vida". Em um fim que emocionou os espectadores, ambos partiram para o último passo. Stephen Hawking reapareceu para falar sobre a máquina que simula o Big Bang e que promete "mudar os pensamentos do mundo". A música eletrônica britânica passou, então, a reger o público, atletas e dançarinos.

Tocha é acesa após "quase atraso"

Para fechar, Miranda foi levantada no estádio por duas cordas. A cena foi cortada para um filme mostrando a jornada da Tocha Paralímpica. Na volta ao estádio, Stephen Hawking, que não saiu do palco central durante todo o evento, atuando como narrador da abertura, deu um discurso inspirador, exaltando a superação de dificuldades.

A Tocha Paralímpica finalmente chegou ao estádio no fim do evento, depois de sofrer um quase atraso e ficar perto de não entrar em Londres a tempo. O símbolo maior dos Jogos chegou pelos ares nas mãos do soldado ferido no Iraque e aspirante a atleta Joe Townsend.

Towsend, que deve estar no Rio 2016, passou o objeto para David Clarke, cego que competirá na edição deste ano dos Jogos, que por sua vez o entregou para a ex-esportista Margaret Maughan, primeira medalhista de ouro da Grã-Bretanha em uma edição de Jogos Paralímpicos, responsável por acender a Pira Paralímpica sob uma chuva de aplausos.

Acompanhada de uma grande queima de fogos que iluminou a noite londrina, a música tema dos Jogos Paralímpicos, I Am What I Am (Eu sou o que sou, em tradição livre), foi cantada pelas cantoras Beverley Knight, Lizzie Emeh e Caroline Parker para encerrar a cerimônia após três horas e 40 minutos, abrindo a Paralimpíada de 2012.

Terra

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Especial - Uniformes dos Clubes Brasileiros 2012

Para começar o ano bem, ou mesmo espantar aquela zica do primeiro semestre, muitos times brasileiros lançaram novas camisas, para melhorar o visual dos jogadores, e trazer ao torcedor opções mais inovadoras para festejar as vitórias super na moda

Internacional

O time gaúcho começou esse ano com um estilo diferente na camisa. As mangas, com a faixa branca, lembra um pouco do modelo usado pela seleção da França. O uniforme ainda traz o símbolo do time, seguido da bandeira do Rio Grande do Sul dentro da camisa.

Santos

O time do litoral foi um dos poucos que não mudaram muito o seu uniforme. Mantendo os tradicionais patrocinadores, o time do Santos acrescentou somente a seguinte frase na gola por dentro da camisa: "Menino da Vila desde 1912".

Coritiba

O Coritiba também não mudou muito seu uniforme. Mais "limpo", o time paranaense passou a ter o seus uniformes confeccionados pela Nike, a mesma de Santos e Internacional.

Bahia

O time baiano também manteve a linha de confecção pela Nike, mantendo as cores tradicionais do clube e seus patrocinadores.

Palmeiras

Recheada de expectativa e alvoroço, o time paulista apresentou sua terceira camisa de 2012 semana passada. Em detalhes dourados, já foi utilizada no jogo seguinte, que não trouxe muita sorte a equipe. Será que o novo uniforme veio para dar azar?

Corinthians

Lembrando um pouco os prédios e as famosas calçadas da capital paulista, a terceira camisa corinthiana é sustentável, feita de garrafas plásticas. Sua estreia está prevista para a rodada de hoje, quando o Corinthians joga no Engenhão contra o Fluminense.

Djokovic arrasa italiano em pouco mais de uma hora e pega brasileiro

Tenista sérvio passou para a segunda rodada com tranquilos 3 sets a 0. Foto: Getty Images

Tenista sérvio passou para a segunda rodada com tranquilos 3 sets a 0

O tenista sérvio Novak Djokovic, número dois do mundo, avançou à segunda rodada do US Open, nesta terça-feira, com uma vitória arrasadora sobre o italiano Paolo Lorenzi por 3 sets a 0, parciais de 6/1, 6/0 e 6/1. Sem dar chances para o adversário, que conseguiu quebra apenas no primeiro game da partida, Djokovic conseguiu uma rápida vitória em uma hora e 13 minutos.

No confronto desta terça, o número dois do mundo começou tomando um susto logo no primeiro game, quando foi quebrado pelo italiano. O game vencido por Lorenzi causou surpresa inicial, mas logo depois o sérvio voltou à normalidade: venceu nada menos que 12 games seguidos, completando a chamada "bicicleta moral", abrindo 6/1 e 6/0.

O set final foi no mesmo ritmo dos outros dois, com Nole impondo sua superioridade técnica e fornecendo poucas chances ao adversário, mesmo sem se esforçar muito. O adversário italiano confirmou apenas uma vez, tendo que ver o sérvio vencer o set em 6/1 e a partida em 3 sets a 0.

A partida válida pela primeira rodada do US Open foi a terceira na história entre os dois tenistas. Novak Djokovic está invicto na série, com três vitórias contra nenhuma de Paolo Lorenzi. No início do ano, no Australian Open, o sérvio venceu com parciais parecidas com a desta terça: 6/2, 6/0 e 6/0.

Brasileiro Rogério Dutra Silva vence e encara Nole

O brasileiro Rogério Dutra Silva, o Rogerinho, passou pela primeira rodada do US Open, nesta terça-feira, e encarará o sérvio Novak Djokovic. Rogerinho venceu o russo Teymuraz Gabashvili em dramáticos 3 sets a 2, parciais de 4/6, 6/4, 6/7 (5-7), 6/3 e 7/5, e agora terá uma grande pedreira na próxima fase.

Número 112 do mundo, o brasileiro de 28 anos foi contemplado no sorteio com a chance de encarar um tenista abaixo do seu ranking - Gabashvili é 174 - e não decepcionou. No primeiro confronto entre ambos na história, o paulista teve muito trabalho, mas conseguiu levar a partida de virada.

Com a vitória nesta terça-feira, Rogerinho iguala o melhor resultado obtido em Grand Slams, já que em 2011 também atingiu a segunda fase do US Open, sendo derrotado na época pelo russo Alex Bogomolov Jr. por 3 sets a 0.

O fim da partida contra Teymuraz Gabashvili teve requintes de drama para os torcedores do brasileiro. Rogério Dutra chegou a sacar para o jogo em 5/4, mas foi quebrado pelo adversário. Contudo, o tenista nacional voltou a quebrar o adversário no game seguinte, para fechar em 7/5 no seu serviço.

Terra

Com lambança de arbitragem, Atlético-PR e Joinville empatam

Resultado não alterou as posições de ambas as equipes na Série B. Foto: Daniel Castellano/Gazeta Press

Resultado não alterou as posições de ambas as equipes na Série B

No confronto direto por uma vaga no G-4 da Série B, Atlético-PR e Joinville se enfrentaram nesta terça-feira no Estádio Fernando Charbub Farah, em Paranaguá, pela 20ª rodada da competição, a primeira do returno. A equipe catarinense saiu na frente no marcador com um golaço de Willian, mas sofreu a igualdade e segurou a pressão do time mandante, no duelo que acabou empatado por 1 a 1 e teve como protagonista o árbitro Francisco Carlos Nascimento.

O juiz - que no primeiro tempo expulsou Bruno Tiago e marcou um pênalti para o Atlético-PR - chamou a atenção na etapa complementar ao assinalar uma falta sobre o artilheiro Lima, dos catarinenses, que puxou um contra-ataque aos 27min e foi derrubado na meia-lua. Longe do lance, o árbitro assinalou mais uma penalidade, claramente equivocada.

No entanto, antes da infração ser batida, quando a bola já estava na marca do pênalti, a auxiliar Lilian da Silva Fernandes alertou sobre o equívoco depois de ter acompanhado Francisco Carlos Nascimento na marcação. O juiz voltou atrás na decisão e os catarinenses reclamaram de uma possível interferência do quarto árbitro Adriano Milczvski após consulta de replay. O centroavante do Joinville, então, bateu a falta e acertou a trave direita de Weverson, na jogada mais perigosa da sua equipe no segundo tempo.

O Atlético-PR começou e foi melhor na partida, dominando o embate ao reter a posse de bola e pressionar o adversário. Com dificuldades no último passe, os paranaenses acabaram sofrendo o primeiro gol da partida aos 24min. O meia Willian dominou na intermediária, puxou para dentro e soltou uma bomba de canhota, no ângulo superior direito de Weverton.

Os donos da casa reagiram rápido, já que em dois minutos o árbitro marcou pênalti duvidoso sobre Deivid, que desabou dentro da área após contato com Maurício. Na cobrança, Ivan por pouco não conseguiu a defesa, deixando Elias empatar. O primeiro tempo ainda contou com a expulsão de Bruno Tiago, que levou dois amarelos em um invervalo de três minutos e foi embora mais cedo da partida.

O resultado leva o Joinville aos 37 pontos e garante sua permanência na terceira posição da Série B, já que o São Caetano, com duas vitórias a menos e um jogo por fazer, não terá como ultrapassá-lo. O Atlético-PR foi aos 33 e também manteve a quinta colocação, empatado em pontos com o Avaí.

Na próxima rodada, o Atlético-PR vai a Minas Gerais jogar contra o Ipatinga no Estádio Ipatingão. O Joinville, por sua vez, recebe na Arena Joinville o ABC, visando a continuação do bom desempenho na Série B.

Terra

Diretoria quer assinar pré-contrato com Felipão nas próximas semanas

A diretoria palmeirense espera segurar Felipão para a Copa Libertadores do ano que vem. Foto: Fernando Borges/Terra

A diretoria palmeirense espera segurar Felipão para a Copa Libertadores do ano que vem

A conversa de Arnaldo Tirone com Luiz Felipe Scolari na semana passada em passeio pela praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, foi só um dos atos para convencer o técnico a ficar no clube. O presidente do Palmeiras e seu vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo, têm se esforçado para garantir o quanto antes a permanência do comandante. A ideia é já garanti-lo com a assinatura de um pré-contrato em setembro.

O vínculo de dois anos e meio estabelecido com Scolari com a equipe acaba em dezembro. Desde janeiro de 2011, ele convive diretamente com Tirone, que sempre se colocou contrário até a pedidos de demissão do próprio treinador. A consequência foi o título da Copa do Brasil, no mês passado, e o pentacampeão mundial virou arma poderosa para a manutenção do grupo que está no poder nas eleições marcadas para janeiro.

A conversa tem visado tanto uma reeleição que o gerente de futebol César Sampaio, que assumiu o cargo no fim da temporada passada avisando a Scolari da possibilidade de demissão, nem participa das negociações. Tirone tem cuidado pessoalmente das conversas, frequentemente contando com a ajuda de Frizzo, antes desafeto do técnico. Quanto mais rápido se chegar a um acerto, maior será a força de Tirone nas eleições. Mas o treinador já deixou claro que não é com papo que será convencido a renovar. O sonho de participar da Copa do Mundo de 2014 já diminuiu à medida que as sondagens de seleções - incluindo a Brasileira - foram se tornando cada vez mais raras. Felipão, contudo, exige o cumprimento da promessa de "camarões" - e os prováveis adversários de Tirone na disputa pela presidência em 2013 também se movimentam pensando em jogadores renomados.

De volta à Libertadores, o técnico exige um elenco com reforços de peso. Por isso, o diretor financeiro Antonio Henrique Silva participou da conversa na orla carioca na última quarta-feira. Foi demonstrada a intenção de se investir por volta de R$ 20 milhões em cerca de quatro nomes que agradaram a Scolari. Contudo, ainda falta provar a ideia na prática, já que, após a Copa do Brasil, a diretoria só gastou para trazer Obina da China e o meia Tiago Real do Joinville. O volante Correa, então sem clube, veio de graça e com contrato até dezembro.

Além de serem uma forma de segurar Felipão, os reforços serão atraídos pelo nome do técnico. Por isso, sua permanência está ligada às contratações. "Temos que esperar. Torcemos para que, o mais rápido possível, a comissão técnica esteja definida para trabalharmos dentro de um raciocínio lógico no planejamento", disse Sampaio.

No clube, existe certa apreensão porque ainda nem se pensa em uma alternativa para o caso de Scolari não ficar. "Seria uma perda grande a mudança de comando. O Felipe já conhece muito bem o grupo e seu histórico de conquistas, traçando um projeto de médio a longo prazo, é muito bom", continuou Sampaio, que, como volante, foi campeão da Copa Libertadores de 1999 e do Torneio Rio-São Paulo de 2000 sob o comando de Felipão.

Terra

Kleber quer "ajuda" paulista para Grêmio chegar ao título

Kléber é muito ligado ao futebol paulista, pois foi revelado no São Paulo e jogou em 2008 e entre 2010 e 2011 no Palmeiras. Foto: Sérgio Barzaghi/Gazeta Press

Kléber é muito ligado ao futebol paulista, pois foi revelado no São Paulo e jogou em 2008 e entre 2010 e 2011 no Palmeiras

O título brasileiro está na cabeça de todos do Grêmio. Mesmo com a disparada do Atlético-MG e Fluminense, os tricolores ainda acreditam em uma queda no segundo turno. E para tal, o atacante Kleber conta com a ajuda dos times paulistana no Campeonato Brasileiro, que não tiveram foco total durante o primeiro turno.

Mesmo que times como São Paulo e Palmeiras ainda tenham focos divididos, devido à Copa Sul-Americana, o camisa 30 do Grêmio analisa que estes clubes, que tiveram início ruim de campeonato, vão tirar pontos dos times da ponta no turno que se inicia na quarta-feira.

"Os líderes odem cair. Esse ano os times de São Paulo estiveram envolvidos em competições importantes. Corinthians na Libertadores, Palmeiras na Copa do Brasil, Santos na Libertadores. Essas equipes vão melhorar, e vão tirar pontos que não tiraram no primeiro turno. Vai ser mais difícil", avaliou Kleber.

Times como Santos e Corinthians já começaram a subir na tabela. Com o retorno de Neymar da Olimpíada, o Peixe venceu três partidas consecutivas, sendo duas delas clássicos. Ao olhar para trás, Kleber tem motivação de buscar a liderança. No entanto, lamenta o bom aproveitamento principalmente do Atlético-MG.

"A motivação de saber que fizemos um bom primeiro turno. Não só pelo resultado do Gre-Nal, mas como um todo. Fomos bem, se fosse ano passado seríamos líderes. Mas esse ano o pessoal da frente tem ganho os jogos e está difícil de encostar. A meta é tentar aumentar a somatória de pontos, para tentar encostar e conquistar o título", disse Kleber.

Os tricolores enfrentam o Vasco, na quarta-feira, às 22h, no Olímpico. O jogo é confronto direto, já que os gaúchos ultrapassaram o time da Colina no domingo e assumiram a terceira colocação.

Terra

Contra o Grêmio, Vasco volta a ter esquema que fez sucesso em 2011

Felipe deverá ser o substituto de Juninho para a partida contra o Grêmio nesta quarta-feira. Foto: Marcelo Sadio/Vasco/Divulgação

Felipe deverá ser o substituto de Juninho para a partida contra o Grêmio nesta quarta-feira

Para voltar a vencer após quatro rodadas, frente ao Grêmio, nesta quarta-feira, às 21h50, em Porto Alegre, o técnico Cristovão Borges poderá escalar o Vasco de uma forma que já mostrou ser efetiva na temporada passada.

Com o desfalque de Juninho, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Felipe surge como substituto natural para a função de terceiro homem no meio de campo. Com isso, Carlos Alberto segue mantido como homem mais avançado no meio e William Barbio repetirá papel de Eder Luis no ataque cruz-maltino.

A semelhança está no time que conquistou a Copa do Brasil em 2011. Com Ricardo Gomes, o Vasco atuava com dois volantes que eram Rômulo e Eduardo Costa, somados a Felipe e Diego Souza. Vitórias marcantes ficaram na memória, como o segundo jogo da semifinal frente ao Avaí, em Florianópolis, que terminou com vitoria carioca por 2 a 0.

Ciente do caráter decisivo, Cristovão sabe que, para sair com um resultado positivo do Olímpico, o Vasco terá que jogar no limite, para superar as adversidades.

"Nós iremos jogar no limite. Sabemos que, para conseguir brigar com os adversários, temos de jogar dessa forma. Mesmo não sendo uma final. As partidas são sempre em caráter decisivo. Vamos fazer da mesma forma contra o Grêmio", avaliou o treinador.

CAMPANHA FORA TAMBÉM ANIMA

Outro ponto positivo para a partida de logo mais está na campanha vascaína fora de casa. São quatro vitórias, três empates e duas derrota, campanha que está entre as melhores neste Brasileiro.

Contando os integrantes do G-4, o Vasco tem a terceira melhor campanha, com 55,5% de aproveitamento fora de São Januário, contra 53,3% do rival Grêmio. O visitante mais indesejável do Nacional é o Fluminense, com 70% dos pontos conquistados. O Atlético-MG aparece em seguida com 66,6%.

Porém, a campanha dos cariocas será posta a prova. O time de Vanderlei Luxemburgo conquista grande parte dos pontos jogando no Olímpico. Para o goleiro Fernando Prass, a pressão da torcida e do time dentro de campo são fatores que o Vasco terá de superar para sair com a vitória.

"O Grêmio é um time que irá pressionar muito. Faz isso jogando dentro de casa. Tem um elenco forte e ainda vai jogador com estádio cheio. É diferente jogar lá. Dentro de casa, eles tentam pressionar o adversário ao máximo e ainda estão com moral. Temos que ter inteligência para ter um bom resultado", analisou o goleiro Fernando Prass.

Terra

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Com Novidades, CBF Revela Calendário do Futebol Brasileiro para 2013

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou na manhã desta terça-feira o calendário oficial para os torneios de 2013. Em ano de Copa das Confederações, a ser realizada no País, e da mudança na forma de disputa da Copa do Brasil, as datas sofreram alterações, em relação à recente forma de usada nas competições aqui.

Por seu um ano 'atípico', como está no ofício divulgado pela CBF, os Campeonatos Brasileiros, de todas as divisões, a Copa Libertadores e Copa do Brasil irão sofrer uma pausa. Isto por conta do campeonato de seleções, prévia do Mundial-2014, que acontece entre os dias 15 e 30 de junho.

Com isso, a Libertadores irá até o dia 24 de julho, 20 dias mais que a edição 2011, vencida pelo Corinthians. A Copa do Brasil, também, terá um aumento: agora, o torneio ocorrerá durante todo o ano, por conta do maior número de equipes. São 86, contra os 64 que entraram em campo em 2012, quando o Palmeiras levou a taça.

Neste novo formato, os times que estiverem no principal torneio de clubes da América do Sul poderão jogar a copa doméstica - eles, porém, entrarão em fase mais avançada da competição. Ao término da atual temporada, os jogadores terão 30 dias de férias e se reapresentarão no dia 2 de janeiro de 2013, para o início da pré-temporada.

Veja as datas do calendário 2013 divulgada pela CBF:

Início da pré-temporada - 2 de janeiro

Fim da pré-temporada - 18 de janeiro

Campeonatos Estaduais
- De 20 de janeiro a 19 de maio

Copa do Nordeste
- De 20 de janeiro a 17 de março

Copa Libertadores da América
- De 23 de janeiro a 22 de maio
- De 3 de julho a 24 de julho

Copa do Brasil de Futebol Feminino
- De 26 de janeiro a 6 de abril

Copa do Brasil
- De 3 de abril a 22 de maio
- De 3 de julho a 27 de novembro

Copa das Confederações
- De 15 de junho a 30 de junho

Amistosos da Seleção Brasileira
- De 6 de fevereiro a 19 de novembro

Campeonato Brasileiro Série A
- De 26 de maio a 9 de junho
- De 7 de julho a 8 de dezembro

Campeonato Brasileiro Série B
- De 25 de maio a 11 de junho
- De 7 de julho a 30 de novembro

Campeonato Brasileiro Série C
- De 2 de junho a 9 de junho
- De 7 de julho a 24 de novembro

Campeonato Brasileiro Série D
- De 2 de junho a 9 de junho
- De 7 de julho a 20 de outubro

Copa Sul-Americana
- De 14 de agosto a 28 de agosto
- De 23 de outubro a 11 de dezembro

Mundial de Clubes
- De 11 de dezembro a 21 de dezembro

Gazeta Esportiva

Pistorius elogia brasileiro "azarão" e vê briga difícil nos 100 m

O sul-africano concedeu entrevista no Main Press Centre do Parque Olímpico de Londres. Foto: Fernando Borges/Terra

O sul-africano concedeu entrevista no Main Press Centre do Parque Olímpico de Londres

O brasileiro Alan Fonteles ganhou muitos elogios do corredor sul-africano Oscar Pistorius nesta terça-feira, em entrevista realizada no Main Press Centre do Parque Olímpico de Londres. O Blader Runner, como é conhecido o biamputado, elogiou a evolução do brasileiro e o definiu como "azarão" perigoso, mais uma complicação para os 100 m rasos T43, prova na qual, admite, deve encontrar dificuldades para chegar ao pódio.

"Alan é um competidor muito forte. Quando ele apareceu, há quatro ou cinco anos, ninguém sabia nada sobre ele, e realmente conseguiu melhorar no esporte de uma forma muito rápida. Ele sempre foi um competidor do tipo azarão - no Mundial do ano passado chegou em terceiro. Ele aparece e faz uns tempos incríveis", elogiou Pistorius, atual campeão paralímpico dos 100 m.

Na competição citada, realizada em Christchurch, na Nova Zelândia, em janeiro de 2011, Pistorius ficou com a prata, sendo derrotado pelo americano Jerome Singleton. Para os Jogos de Londres, o corredor já está de olho no brasileiro. Ele chegou a citar um encontro ocasional na Vila Paralímpica antes de mostrar que Alan pode complicar para os adversários mais uma vez nos 100 m.

"Eu vi ele pela primeira vez ontem (segunda-feira), no refeitório, e pude ver que ele ganhou muito músculo, e isso é ótimo. É bom ver que os caras dos 100 m estão ficando bem maiores do que eram, assim o esporte evolui e se torna mais profissional do que antes. Isso é fenomenal", apontou Pistorius. Assim, ele afirmou que ficará satisfeito de conseguir pódio, já que o foco é os 400 m, prova na qual competiu na Olimpíada de Londres.

"Se eu puder dizer, os 100 m estão abertos. Não há um cara pelo qual eu me sinta mais ameaçado do que o outro. São seis caras com chance, e talvez uma outra pessoa apareça e vença. Não há um favorito nesse evento. Isso é ótimo e deixa tudo muito emocionante", complementou Oscar Pistorius, uma das grandes estrelas dos Jogos Paralímpicos de Londres.

be brussels

Terra

Economista português vê salvação do futebol com teto salarial

Na Europa ou no Brasil, a preocupação por altos salários no futebol é unânime. O medo do fracasso e das derrotas para os principais rivais fazem clubes pagar salários astronômicos às principais estrelas. O resultado aparece no balanço financeiro de grande parte das instituições: dívidas cada vez maiores em uma fase de crise global.

Por isso, o economista português Paulo Mourão, da Universidade do Minho (em Braga), apresentou ideias através de um artigo no Journal of Sports Sciences, entidade responsável por pesquisas esportivas na Europa, sobre a causa dos endividamentos no Velho Continente. Em entrevista, ele colocou que o ponto de partida para combater os desmandos no esporte seria a regulamentação através do tabelamento universal dos salários.

"Jogadores como Cristiano Ronaldo e Messi não vão migrar para o basquete se ganharem 1 ou 2 milhões a menos. Mesmo com o tabelamento, esses atletas continuariam sendo bem pagos", avisa Mourão, que analisou uma inflação excessiva do futebol nas últimas duas décadas, superior do que a maioria das profissões e comparável somente ao ramo da tecnologia, em constante expansão.

O endividamento europeu vem sendo constatado pela própria Uefa. Em janeiro, a entidade controladora do futebol europeu divulgou um balanço das finanças e constatou que o prejuízo das agremiações do Velho Continente aumentou em 36% (cerca de R$ 1 bilhão) em relação ao levantamento do ano anterior.

Os gastos seguem exagerados mesmo com a elevação das receitas em 6,6%. As dívidas totais das equipes alcançaram o patamar de R$ 21,1 bilhões. "Quanto mais os principais jogares ganham, mais o mercado é inflacionado", completa Paulo Mourão.

As regras salariais são registradas no basquete, na competitiva NBA, a liga americana. Os times devem ficar dentro de patamares mínimos e máximos do teto estabelecidos pelos dirigentes. Aqueles que superam o valor definido são obrigados a pagar uma multa por cada dólar excedente.

No futebol brasileiro, a discussão é antiga sobre a diferença salarial. Diversos levantamentos mostram que a esmagadora maioria dos jogadores recebe apenas entre um e dois salários mínimos, ou seja, a riqueza está concentrada na mão de poucos. As regras salarias de Paulo Mourão também incluiriam os menos favorecidos.

Entretanto, a ideia de tabelamento só poderia vingar se todos os campeonatos europeus - e até mundiais - seguissem à risca. "Se somente alguns implantarem, aquele país que fizer o tabelamento sairá prejudicado na concorrência. A regra teria de ser controlada pela Uefa ou até pela Fifa", diz Paulo Mourão.

Mesmo com a regulamentação, o economista reconhece que as diferenças vão continuar. Portanto, Paulo Mourão crê que os clubes mais fortes deveriam disputar somente ligas intercontinentais, situação que acabaria com disputas previsíveis, registradas, por exemplo, no Campeonato Espanhol em que Barcelona e Real Madrid normalmente disparam na classificação sem dificuldades. Enquanto isso, as agremiações de regiões menos favorecidas teriam espaço para disputar competições maiores.

No Brasil, há uma discussão semelhante em relação à falta de empolgação dos torcedores com competições regionais. Nas últimas edições, o Campeonato Paulista apresentou uma longa fase de classificação - com 19 rodadas - até alcançar a etapa decisiva. O resultado: os times como Corinthians e Santos pouparam seus principais atletas para a Libertadores da América e, ainda assim, estiveram na semifinal do Estadual.

"As equipes poderiam atuar em conferências. Uma delas poderia ser a Conferência Ibérica, com os melhores times da Espanha e Portugal. Os jogos seriam mais atrativos e chamariam uma quantidade maior de público, que querem ver partidas competitivas", pondera Paulo Mourão.

Outra preocupação do português estaria na regulamentação da formação dos atletas, com regras para evitar que os melhores jogadores das categorias de bases fiquem apenas nos clubes grandes. No Brasil, a lei permite a assinatura de contrato a partir dos 16 anos, portanto alguns adolescentes já ganham respeitáveis salários para ficarem presos às equipes tradicionais.

Terra

Liedson rechaça lesão e busca uma vaga no time titular

Liedson ainda não conseguiu fazer o seu primeiro gol após voltar ao clube carioca. Foto: Daniel Ramalho/Terra

Liedson ainda não conseguiu fazer o seu primeiro gol após voltar ao clube carioca

Em apenas dez minutos, Liedson conseguiu criar uma das principais chances do Flamengo no empate em 0 a 0 com o Botafogo, no último domingo. O atacante entrou na vaga de Negueba e acertou a trave ao disparar uma cabeçada na meta do goleiro Jefferson.

"Estou louco para fazer um gol, independente de como vai ser. O jeito é o menos importante. O importante é que a bola possa entrar", explicou o atacante rubro-negro.

Liedson chegou há 20 dias, chegou a ficar de fora do banco de reservas em alguns jogos, mas mostrou que pode ser útil ao técnico Dorival Júnior. O camisa 31 rechaça qualquer tipo de problema médico ou físico e garante que está na melhor forma para ajudar o Flamengo no restante do Campeonato Brasileiro.

"Estou me sentindo bem e estou trabalhando normalmente. Como eu disse, estou pronto, à espera de uma oportunidade. Eu quero muito ajudar, mas penso primeiro no grupo. Se o time estiver vencendo, eu fico feliz", disse o jogador, com um misto de vontade e humildade, revelando em seguida que ainda não imaginou a forma com que fará o primeiro gol neste retorno ao clube.

Terra

Inter vai pedir liberação para L. Damião jogar contra São Paulo

Time gaúcho pedirá liberação junto à CBF após ficar 43 dias sem o jogador na disputa da Olimpíada. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

Time gaúcho pedirá liberação junto à CBF após ficar 43 dias sem o jogador na disputa da Olimpíada

O Internacional vai tentar, de novo, liberação de jogadores convocados junto a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Os gaúchos querem contar com Leandro Damião no dia 5 de setembro, contra o São Paulo, no Morumbi. O presidente Giovanni Luigi terá uma conversa com o comandante da entidade, José Maria Marin, a fim de definir a questão.

O pedido não altera muito a programação do camisa 9 com a Seleção. Ele deixaria a concentração verde e amarela na véspera do jogo com o time tricolor para se juntar a equipe colorada. Depois, voltaria e ficaria à disposição de Mano Menezes. O Brasil joga com a África do Sul, dia 7, no Morumbi, mesmo local do duelo dos clubes.

"O Internacional já enviou a carta para a CBF e o presidente Giovanni Luigi irá conversar com o José Mária Marin. Não conversei com o Giovanni hoje, mas acredito que a reunião será nesta semana", comentou o vice de futebol Luciano Davi.

A medida serve para amenizar as perdas, muito reclamadas no primeiro turno. Além de Damião, o Inter terá ainda Guiñazú e Diego Forlán como baixas contra São Paulo e Fluminense. A dupla sul-americana ainda pode ser desfalque diante do Botafogo, já que ambos jogam dia 11 e a partida acontece no dia 13.

O Inter já enviou uma carta à CBF. Luigi também tentará convencer Marin com uma reunião. Leandro Damião ficou exatos 43 dias fora do clube na disputa da Olimpíada, além de outras partidas em que foi ausência para jogar amistosos com a Seleção.

Terra

Drogba e Anelka podem deixar clube chinês por desacordo de acionistas

Anelka e Drogba tem um dos salários mais altos salários do futebol mundial. Foto: Reuters

Anelka e Drogba tem um dos salários mais altos salários do futebol mundial

Um dos clubes protagonistas do futebol asiático ao contratar os atacantes Nicolas Anelka e Didier Drogba, o Shanghai Shenhua pode negociar a saída dos dois principais jogadores do elenco. Nesta terça-feira, o jornal inglêsDaily Mail divulgou que divergências entre os acionistas da equipe chinesa podem resultar na rescisão de contrato do francês e do marfinense.

Conforme afirma a publicação inglesa, o acionista Zhu Jun, detentor de 28,5% das ações do Shangai Shenhua, está insatisfeito com a situação no clube e só continuará realizando investimentos se tiver maior controle diretivo.

Acionista desde 2007, ele teria investido mais de 15 milhões de libras (cerca de R$ 48,1 milhões) no clube nos últimos anos, enquanto os outros não fizeram nenhum investimento. Com isto, Jun ameaça diminuir a participação financeira na equipe, o que resultaria na saída de Drogba e Anelka, que recebem salários de aproximadamente 250 mil libras (R$ 803 mil) por semana.

A situação do Shangai Shenhua vem sendo acompanhada de perto por clubes do futebol inglês, já que a janela de transferências do mercado europeu segue aberta até esta sexta. Drogba atuou na Inglaterra entre 2004 e 2012, quando defendeu o Chelsea, enquanto Anelka acumula passagens por Arsenal, Liverpool, Manchester City, Bolton Wanderers e Chelsea no país em território britânico.

Terra

PAOK e Rapid Viena são suspensos pela Uefa após incidentes com torcida

Os torcedores dos clubes brigaram e invadiram o campo na partida da última quinta-feira. Foto: EFE

Os torcedores dos clubes brigaram e invadiram o campo na partida da última quinta-feira

Após torcedores protagonizarem cenas lamentáveis, com brigas e invasões de campo na partida de ida da fase preliminar da Liga Europa, PAOK Salonica, da Grécia, e Rapid Viena, da Áutria, foram suspensos pela Uefa da primeira competição europeia para qual se classificarem nos próximos cinco anos.

A decisão foi tomada pela entidade nesta terça-feira, após a análise das imagens dos incidentes ocorridos na partida da última quinta, na cidade de Salónica, na Grécia. O jogo, que terminou 2 a 1 para os mandantes, foi marcado pelos confrontos entre torcedores gregos e austríacos, que se atingiram com sinalizadores e invadiram o campo para brigar.

O clube grego não só foi banido da primeira competição europeia que disputar nos próximos cinco anos, como também multado em 150 mil euros (R$ 380,8 mil). Mesma suspensão sofreu o Rapid Viena, que, por sua vez, terá que pagar 75 mil euros (R$ 190,4 mil) à Uefa, além de ter que disputar a próxima partida europeia com portões fechados. O PAOK não terá torcedores no estádio pelos próximos três jogos internacionais.

Apesar da pena, as equipes não foram eliminadas da atual edição da Liga Europa e, portanto, disputarão a partida de volta do mata-mata na próxima quinta, no Estádio Gerhard Hanappi, em Viena. Em caso de novos confrontos, os clubes estarão automaticamente suspensos da competição.

Terra

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Resumo da Semana


Campeonato Inglês
Swansea City 3x0 West Ham
Tottenham 1x1 West Bromwich
Norwich City 1x1 Queens Park Rangers
Aston Vila 1x3 Everton
Southampton 0x2 Wigan
Manchester United 3x2 Fulham
Chelsea 2x0 Newcastle
Stoke City 0x0 Arsenal
Liverpool 2x2 Machester City

Classificação

TIMES
P
1
Chelsea
9
2

Swansea
6
3

Everton
6
4

West Brom
4
5

Manchester City
4
6

Fulham
3
7

Manchester United
3
8

Wigan Athletic FC
3
9

Newcastle United
3
10

West Ham United
3
11

Stoke City
2
12

Arsenal
2
13

Sunderland
1
14

Tottenham Hotspur
1
15

Reading
1
16

Liverpool
1
17

Norwich City
1
18

Queens Park R
1
19

Southampton
0
20

Aston Villa
0

Campeonato Argentino

All Boys 2x2 Tigre
Unión 1x2 Boca Juniors
Argentino Juniors 2x1 Godoy Cruz
Independiente 0x2 Arsenal Sarandí
Lanús 1x1 Racing Club
Atlético Rafaela 1x1 Quilmes
Belgrano 0x0 Newell’s Old Boys
San Martín 0x3 Velez
River Plate 0x0 San Lorenzo

27/08 – 18h10

Estudiantes x Colón

Campeonato Italiano

Fiorentina 2x1 Udinese
Juventus 2x0 Parma
Milan 0x1 Sampdoria
Atalanta 0x1 Lazio
Chievo 0x2 Bologna
Genoa 2x0 Cagliari
Palermo 0x3 Napoli
Pescara 0x3 Internazionale
Roma 2x2 Catania
Siena 0x0 Torino

Campeonato Alemão

Borussia Dortmund
2 x 1
Werder Bremen

Borussia Mgladbach
2 x 1
Hoffenheim
Freiburg
1 x 1
Mainz 05
Augsburg
0 x 2
Fortuna Düsseldorf
Hamburgo
0 x 1
Nuremberg
Greuther Fürth
0 x 3
Bayern de Munique
Eintracht Frankfurt
2 x 1
Bayer Leverkusen
Stuttgart
0 x 1
Wolfsburg

Hannover 96
2 x 2
Schalke 04