terça-feira, 30 de outubro de 2012

STJD aceita requerimento, e Inter x Palmeiras tem resultado "suspenso"

Os três pontos do Internacional não serão computados até 8 de novembro, data da audiência. Foto: Roberto Vinícius/Futura Press

Os três pontos do Internacional não serão computados até 8 de novembro, data da audiência

O Palmeiras conseguiu dar o primeiro passo para a anulação da partida do último sábado, contra o Internacional, pelo Campeonato Brasileiro - derrota por 2 a 1, no Beira-Rio. Nesta terça-feira, o vice-jurídico do clube paulista, Piraci de Oliveira, anunciou que o Superior Tribunal de Justiça Desportiva(STJD) acatou o requerimento de anulação do duelo. Isso significa que os três pontos conquistados pelo time colorado não serão computados até 8 de novembro, dia que a entidade avaliará se o confronto será remarcado.

Piraci publicou no início da noite desta terça, por meio do Twitter, a informação. "O STJD requereu que a partida ficasse suspensa enquanto inicia-se o processo. Os três pontos do Inter, por ora, não estão computados. Ainda é muito cedo para análise mais profunda, mas inegavelmente foi um movimento a nosso favor. Como disse antes, lutaremos à exaustão para buscarmos nossos direitos. Acredito, mais do que nunca, que temos boas chances", escreveu o palmeirense.

O Internacional rebateu de imediato. Cuca Lima, diretor de futebol da equipe gaúcha, afirmou que já esperava a situação. "O Inter esperava por isso e isso faz parte do espetáculo. O Inter vai entrar com uma impugnação e o departamento jurídico já está encaminhando. Antes de tudo, precisamos esperar o Inter ser notificado oficialmente", disse ele ao Terra.

Sobre a remarcação do duelo, Cuca Lima vê o calendário brasileiro apertado. "Por falta de data, daqui a pouco vamos ter que jogar só no ano que vem".

A razão do impasse se dá pelo gol de mão do atacante palmeirense Barcos na partida de sábado, no Beira-Rio. O juiz Francisco Carlos do Nascimento não viu o lance e validou o tento.

Na sequência, depois de receber informações do quarto árbitro e do delegado do jogo, ele voltou atrás. No entanto, o Palmeiras alega que o delegado em questão recebeu a informação de que o gol foi feito com a mão somente após as imagens de televisão terem confirmado. A "consulta" foi confirmada por uma repórter da TV Bandeirantes que estava à beira do campo.

Na segunda, o apitador colocou na súmula que "nada houve de anormal" no embate. O incidente, além de revoltar ambos os times, provocou uma paralisação de seis minutos.

Terra

Após sofrer 4 a 0, Arsenal faz 7 e vence Reading na prorrogação

Chamakh (à esq.) e Walcott foram os principais destaques do jogo. Foto: AP

Chamakh (à esq.) e Walcott foram os principais destaques do jogo

O que parecia um vexame do Arsenal virou um jogo histórico, nesta terça-feira, no Madejski Stadium. Pela Copa da Liga Inglesa, o time londrino visitou o Reading e perdeu o primeiro tempo por 4 a 0. Porém, reagiu na segunda etapa, conseguiu empatar aos 49min e levou à prorrogação. Nos 30 minutos aconteceram quatro gols, e o placar terminou 7 a 5 para o Arsenal, com direito a dois gols nos acréscimos, de Walcott e Chamakh.

Aos 20min, o Reading já tinha feito 3 a 0 no time de Londres, com Roberts, Koscielny (contra) e Leigertwood. Ainda na etapa inicial, Hunt ampliou e parecia que o Arsenal não ia ter forças para reagir. Porém, ainda no último minuto do primeiro tempo, Walcott, que está sendo cada vez mais pressionado por causa da renovação de contrato, diminuiu a vantagem dos adversários.

Na volta para o segundo tempo, demorou para sair o segundo, mas ele veio aos 19min. O francês Giroud, depois de tentar várias vezes, conseguiu fazer o dele. O Reading levava o jogo, mesmo com a empolgação dos rivais. Mas já no fim, aos 44min, Koscielny marcou, desta vez para o lado certo. E na base da empolgação, Walcott empatou aos 49min. Festa no Madejski Stadium.

Na prorrogação houve total desânimo no Reading, e o Arsenal aproveitou-se disso: Arshavin deu bom passe para Chamakh, que fez o quinto. Nos últimos minutos do tempo extra, Pogrebnyak voltou a deixar tudo igual: 5 a 5.

Mas o dia era mesmo para ser do Arsenal: nos acréscimos da prorrogação, Walcott e Chamakh foram os iluminados. O primeiro fez o terceiro no dia, enquanto o outro fez o gol derradeiro, e com estilo, de cobertura. Um dia para entrar na história do Arsenal.

Emoção também não faltou na partida entre Swindow e Aston Villa. O time de Birmingham parecia que ia levar com facilidade, abriu 2 a 0, conduzia com tranquilidade, mas já no fim Storey fez duas vezes e empatou. No último minuto, Benteke fez o seu segundo e garantiu a vitória do Villa.

Confira os resultados desta terça-feira na Copa da Liga Inglesa:

Reading 4 x 5 Arsenal
Leeds United 3 x 0 Southampton
Sunderland 0 x 1 Middlesbrough
Swindon 2 x 3 Aston Villa
Wigan 0 x 0 Bradford (Bradford venceu nos pênaltis por 4 a 2)

Fábio critica planejamento do Cruzeiro e espera 2013 melhor

Fábio defende que má campanha do Cruzeiro no Brasileiro é reflexo do planejamento ruim para a temporada. Foto: Getty Images

Fábio defende que má campanha do Cruzeiro no Brasileiro é reflexo do planejamento ruim para a temporada

O torcedor cruzeirense que ficou acostumado a disputar títulos importantes nas últimas temporadas terá um fim de 2012 melancólico. A equipe celeste não almeja vaga a Libertadores da América e está praticamente livre do rebaixamento. O que resta então é planejar a temporada de 2013.

A falta de planejamento, inclusive, é apontada pelo goleiro Fábio, capitão da equipe, como uma das causas do fracasso nesse ano. O grande número de lesões também contribuiu, segundo o camisa 1, para uma campanha irregular no Brasileiro.

"Tivemos vários fatores que prejudicaram para formar uma equipe consistente. Saída de jogadores, chegada de jogadores dentro do campeonato. Mesmo com toda a qualidade do jogador, é difícil ter entrosamento. Não conseguimos repetir a equipe: era lesão, jogador tentando se recuperar, tentando entrar em forma. O Celso teve que trabalhar com toda essa dificuldade. Em um Brasileiro que as equipe que estão na frente já estão formadas há algum tempo, isso cria dificuldade", explica Fábio.

Titular absoluto desde 2005, Fábio tem contrato com o Cruzeiro até 2016. Como a torcida, o goleiro também estava acostumado a ver um time competitivo em todas as competições, porém, as duas últimas temporadas foram recheadas de decepções.

"Temos que voltar a ser aquele Cruzeiro fora e dentro de campo, com uma equipe consistente e forte. Nos últimos dois anos, o Cruzeiro viveu muita dúvida e temor, principalmente no ano passado. Temos que, em 2013, começar tudo novo, como em outros anos, com uma equipe que vai dar alegria ao torcedor cruzeirense", acrescenta.

O Cruzeiro ainda terá pela frente cinco rodadas no Campeonato Brasileiro. O próximo adversário será o Santos, neste sábado, às 19h30 (Brasília), no retorno ao estádio Independência após a perda de quatro mandos de campo.

Terra

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Giovani dos Santos vence etapa do Circuito Caixa em Ribeirão Preto

Na tradicional disputa entre Brasil e África, deu empate na 70ª corrida do Circuito Caixa, disputada na manhã deste domingo, em Ribeirão Preto. Giovani dos Santos garantiu o título nacional batendo dois quenianos e um etíope, mas no feminino as estrangeiras deram o troco. A etíope Meseret Legese Biratu ganhou fácil, seguida por duas quenianas. A melhor brasileira, Marily dos Santos, só chegou em quarto lugar. A 11ª e última etapa do Circuito desta temporada será realizada em Brasília, no próximo dia 11.

A elite feminina percorreu duas vezes o circuito para completar os 10 quilômetros.

Até a metade da prova as africanas ainda encontraram alguma resistência, principalmente de Marily e de Conceição Carvalho Oliveira. Aos poucos a etíope Meseret foi abrindo vantagem na ponta e na parte final dominou com tranquilidade para cruzar em 36m18s. As quenianas Edna Mukwana e Jane Jelagat Seurey só chegaram quase um minuto e meio depois.

- Achei o percurso bem difícil, com duas subidas fortes, e senti também o calor, além de ter enfrentado momentos complicados em que tive de ultrapassar muitos amadores. Mesmo assim, estou feliz pela vitória - resumiu a campeã de apenas 21 anos, que está terminando sua primeira temporada no Brasil.

As brasileiras conseguiram ocupar os dois últimos lugares do pódio - Divulgação/Luiz Doro/Adorofoto


Quem também estava satisfeita era a melhor brasileira, Marily dos Santos, que garantiu 30 pontos importantes para assegurar sua liderança no Ranking Nacional. Agora ela tem 33 de vantagem para a segunda colocada Roselaine de Souza Silva, do Cruzeiro, que foi apenas a nona no geral e sexta melhor brasileira.

Na elite masculina, Giovani deu show. O atleta da equipe Pé de Vento e José Márcio Leão, do Cruzeiro, puxaram o ritmo da prova desde o início. O queniano Barnabas Kosgei e o etíope Fikre Assefa Robi deixaram para forçar no final, mas não conseguiram buscar os brasileiros. Giovani cruzou com o tempo de 31m09s.

Leão teve que dar um sprint nos últimos metros para não ser alcançado pelo queniano e terminou em 31min40. Barnabas completou dois segundos depois e o etíope, nove segundos depois de Leão.

- Saí forte e fui acompanhado pelo Leão até o quilômetro cinco. Depois comecei a abrir e fui embora para a vitória. O calor desgastou um pouco e o percurso é bem difícil, mas estava bem treinado – disse Giovani, que se dedicou nesta temporada aos treinos para o Mundial de Meia Maratona, disputado no último dia 6, em Kavarna, na Bulgária.

- Fui o 14º colocado e o primeiro atleta do continente americano – enfatizou o mineiro de Natércia, bastante orgulhoso com o feito.

Ahe Brasil

Palmeiras entra com pedido à CBF de anulação do jogo contra o Inter

Palmeiras alega que houve interferência externa na anulação do gol, o que é proibido. Foto: Roberto Vinícius/Futura Press

Palmeiras alega que houve interferência externa na anulação do gol, o que é proibido

Minutos depois de a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgar a súmula da partida entre Internacional e Palmeiras, no último sábado, a diretoria alviverde já entrou com o pedido de impugnação da partida, alegando "ingerência externa".

O time paulista questiona a anulação do gol de mão de Barcos, que teria acontecido depois da ajuda do delegado Gerson Baluta, o que não é permitido pela Fifa. O árbitro Francisco Carlos Nascimento (Fifa-AL) validou o lance, mas recuou minutos depois e disse que "trabalhou em equipe" com seus assistentes.

"O Palmeiras acaba de entrar com o pedido. Nós entendemos que houve ingerência externa. O quatro árbitro foi avisado pelo delegado, que por sua vez foi avisado por repórteres. O quatro árbitro estava no meio-de-campo, vendo uma substituição do Internacional. Está tudo muito complicado", disse o diretor jurídico Piraci Oliveira.

Em reunião com diretores nesta segunda-feira, o presidente Arnaldo Tirone optou por enviar o documento à entidade máxima do futebol brasileiro.

De acordo com uma pessoa próxima ao mandatário, a principal prova a ser utilizada pelo time alviverde será o depoimento de uma repórter da TV Bandeirantes durante a transmissão da partida. A jornalista contou que Baluta a consultou sobre a jogada e, então, repassou a informação para a arbitragem.

A CBF divulgou a súmula da partida do Beira-Rio na tarde desta segunda-feira, e nela o árbitro omitiu a polêmica ao escrever que "nada houve de anormal".

"Isso nos causou estranheza. Na posição incorreta que ele está, ele preferiu se omitir para não se complicar ainda mais. Ele não tinha ângulo para afirmar nada", completou o dirigente.

Diretores palmeirenses prometem pressionar Tirone a acompanhar de perto o desenrolar da história. Na semana passada, o Palmeiras foi o único clube a não enviar nenhum representante ao Conselho Arbitral do Campeonato Paulista de 2013, o que irritou a torcida.

Terra

Árbitro de clássico é acusado de racismo por jogadores do Chelsea

O árbitro Mark Clattenburg recebeu críticas e agora também acusações de racismo do Chelsea. Foto: Getty Images

O árbitro Mark Clattenburg recebeu críticas e agora também acusações de racismo do Chelsea

O árbitro Mark Clattenburg foi acusado de racismo por ter insultado o meio-campo do Chelsea, Obi Mikel, durante a derrota do time de Londres para o Manchester United por 3 a 2, neste domingo em Stamford Bridge.

O Chelsea apresentou a Premier League uma acusação contra o comportamento de Clattenburg, após Mikel ter se dirigido ao vestiário dos árbitros para exigir um pedido de desculpas, o que não foi feito. "Apresentamos uma queixa ao delegado da partida da Premier League por uso de linguagem inapropriada pelo árbitro com dois de nossos jogadores jogadores em dois incidentes diferentes na partida", afirmou um porta-voz do clube londrino.

Segundo a versão do clube, Mikel foi xingado com insultos racistas aos 31 minutos do segundo tempo, quando recebeu um cartão amarelo. Outro jogador, o atacante espanhol Fernando Torres, também afirma que foi ofendido por Clattenburg.

A Federação Inglesa e a Premier League irão pedir as imagens das 20 câmeras de TV que a emissora Skyutilizou para mostrar a partida. Escutas das conversas entre o árbitro e seus auxiliares, Michael McDonough e Simon Long, e com o quarto árbitro, Michael Jones, também serão cruciais para elucidar o caso.

Clattenburg virou o protagonista do jogo mais importante da rodada do Campeonato Inglês ao expulsar o sérvio Branislav Ivanovic e o espanhol Fernando Torres (com um segundo cartão amarelo muito rigoroso por uma suposta simulação de falta) e ao validar o gol da vitória do United, marcado pelo mexicano Javier Hernández em impedimento.

Terra

"Stock Car foi como uma pelada para mim", diz Barrichello

Piloto comparou a sua situação a dos jogadores de futebol em férias. Foto: Miguel Costa Jr./MF2/Divulgação

Piloto comparou a sua situação a dos jogadores de futebol em férias

Rubens Barrichello comparou a sua situação a de jogadores de futebol em férias, que procuram peladas e jogos beneficentes quando estão em férias. Em entrevista ao SporTV , o piloto diz que fez o mesmo e encontrou na Stock Car um bom passatempo.

"Na Fórmula 1, o campeonato acabava no final do ano, então não tinha muito tempo ocioso. Já na Indy, termina bem antes e com isso, já estava há algum tempo em casa. A Stock Car foi como uma pelada para mim", brincou Barrichello, que estreou na Stock Car há uma semana, em Curitiba, quando chegou no 22º lugar. Ele ainda correrá mais duas provas nesta temporada. Em 2013, a previsão é que ele retorne para a Fórmula Indy.

Terra

Atlético-GO demite o técnico Artur Neto

Treinador teve apenas 25% de aproveitamento no clube goiano. Foto: Atlético Goianiense/Divulgação

Treinador teve apenas 25% de aproveitamento no clube goiano

O planejamento para a próxima temporada do Atlético-GO começou nesta segunda-feira. No meio da tarde a diretoria do clube comunicou a demissão de Artur Neto, após um acordo entre as duas partes. O clube goiano será comandado de forma interina por Jairo Araújo até o fim da temporada.

Essa foi a quarta passagem do treinador pelo clube, Artur comandou o time goiano em 12 jogos, conquistou três vitórias e nove derrotas. Sob seu comando, o Atlético marcou 11 gols e sofreu 21 e teve o aproveitamento de 25%.

O diretor de futebol Adson Batista concederá uma entrevista coletiva no fim da tarde para esclarecer os motivos da demissão.

Terra

domingo, 28 de outubro de 2012

Vettel domina GP da Índia e aumenta vantagem para Alonso; Massa é 6º

Hegemônico na Índia, Vettel aumentou para 13 pontos a diferença em relação a Fernando Alonso. Foto: Reuters

Hegemônico na Índia, Vettel aumentou para 13 pontos a diferença em relação a Fernando Alonso

Com domínio incontestável durante todo o final de semana, Sebastian Vettel venceu neste domingo o GP da Índia de Fórmula 1. Pole position, ele largou em primeiro e, sem ser ameaçado, conquistou pontos importantes, aumentando a vantagem em relação a Fernando Alonso na liderança do mundial de pilotos. Felipe Massa foi o melhor brasileiro, terminando na sexta colocação, mesma posição em que largou.

Com o resultado, Sebastian Vettel chega aos 240 pontos no campeonato, abrindo 13 para Fernando Alonso, que fez grande prova, largando no quinto lugar para assumir a segunda posição. O espanhol, no entanto, chegou à Índia apenas seis pontos atrás, com perspectivas de tomar a ponta da briga pelo título. A terceira colocação do GP ficou com a Mark Webber, quarto lugar no campeonato.

Felipe Massa fez uma boa prova na Índia, segurando a sexta colocação na largada e se mantendo à frente de Kimi Raikkonen, que o ameaçou constantemente. Bruno Senna também deixa a Índia satisfeito: ficou à frente de Pastor Maldonado e galgou posições com estilo agressivo para chegar à zona de pontuação, terminando na 10ª colocação.

Restam três etapas para o final da temporada, a próxima delas no próximo domingo, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. Não há possibilidades matemáticas de definição de título nessa etapa. Na sequência, em 11 de novembro, será disputado o GP dos Estados Unidos, em Austin. A temporada será encerrada no GP do Brasil, em São Paulo, em 23 de novembro.

A prova

Com a primeira curva a apenas 240 metros após a largada, o início do GP da Índia foi recheado de emoção. O pole position Sebastian Vettel saiu bem e manteve a liderança, assim como o companheiro de Red Bull, Mark Webber. Logo atrás, Lewis Hamilton foi ultrapassado pelo parceiro de McLaren, Jason Button, e teve disputa emocionante com Fernando Alonso, enquanto Felipe Massa dava segurança ao manter a sexta posição.

Alonso passou as duas McLaren de uma só vez, mas levou o troco na curva seguinte. Na sequência, conseguiu ficar à frente de Hamilton, passando a atacar Button. O espanhol conseguiu o terceiro lugar ainda na quarta volta, passando a incomodar as Red Bulls. O único incidente do início de disputa foi registrado no carro de Michael Schumacher, que furou o pneu traseiro direito e precisou ir aos boxes.

Com o desempenho decrescente de Mark Webber no decorrer da corrida, Fernando Alonso passou a pressionar pela segunda colocação a partir da 33ª volta, já com possibilidades de usar a asa móvel. Enquanto isso, Felipe Massa foi aos boxes e perdeu posições, sofrendo para se manter à frente de Kimi Raikkonen ¿ os dois tiveram duelo logo no início da primeira curva, com o brasileiro sendo ultrapassado e recuperando o 7º lugar logo depois.

A disputa esquentou, mas Raikkonen começou a sofrer com lentidão, perdendo poder de ataque ao brasileiro. Bruno Senna, enquanto isso, mostrou agressividade para ir galgando posições, saindo do 13º lugar para entrar na zona de pontuação. A melhor briga, no entanto, foi resolvida na 48ª volta: Fernando Alonso conseguiu a ultrapassagem sobre Webber, se firmando no segundo lugar.

Com 12 voltas para o fim da corrida, Alonso fez a volta mais rápida, mas não conseguiu ameaçar o predomínio Vettel, que chegou a ter 11s de vantagem. De forma tranquila, o alemão fechou o GP da Índia na primeira colocação para aumentar a vantagem na liderança do mundial de pilotos.

1. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull Renault): 1h31min10s744 ¿ 60 voltas
2. Fernando Alonso (ESP/Ferrari): + 9s437
3. Mark Webber (AUS/Red Bull Renault): + 13s217
4. Lewis Hamilton (GBR/McLaren Mercedes): +13s909
5. Jenson Button (GBR/McLaren Mercedes): + 26s266
6. Felipe Massa (BRA/Ferrari): + 44s600
7. Kimi Räikkönen (FIN/Lotus Renault): + 45s200
8. Nico Hulkenberg (ALE/Force India Mercedes): + 54s900
9. Romain Grosjean (FRA/Lotus Renault): +56s100
10. Bruno Senna (BRA/Williams Renault): + 1min14s900
11. Nico Rosberg (ALE/Mercedes): + 1min21s600
12. Paul di Resta (GBR/Force India Mercedes): + 1min22s800
13. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso Ferrari): + 1min26s000
14. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber Ferrari): + 1min26s400
15. Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso Ferrari): +1 volta
16. Pastor Maldonado (VEN/Williams Renault): +1 volta
17. Vitaly Petrov (RUS/Caterham Renault): +1 volta
18. Heikki Kovalainen (FIN/Caterham Renault): +1 volta
19. Charles Pic (FRA/Marussia Cosworth): +1 volta
20. Timo Glock (ALE/Marussia Cosworth): +2 voltas
21. Narain Karthikeyan (IND/HRT Cosworth): +2 voltas
22. Michael Schumacher (ALE/Mercedes): +5 voltas

Não completaram
Sergio Perez (MEX/Sauber Ferrari)
Pedro de la Rosa (ESP/HRT Cosworth)

Terra

Refém das barrabravas, futebol argentino padece e expõe semelhanças com o Brasil

Futebol argentino tem sido marcado por violência entre torcedores rivais

Futebol argentino tem sido marcado por violência entre torcedores rivais

Durante uma partida de futebol, cem torcedores entram no estádio com um caixão com um morto dentro. Disparam para o alto, perto de um dos gols, e se retiram. A cena foi registrada no início do mês no estádio do Quilmes, província de Buenos Aires, durante um amistoso entre reservas da equipe e um time do interior. O estranho fato faria parte de uma espécie de ritual de uma torcida organizada local para homenagear o filho de um ex-membro do grupo, morto em uma perseguição policial.

O episódio ilustra o poder e a impunidade das barrabravas, torcidas organizadas da Argentina que tumultuam e desestabilizam o futebol local. Os casos de violência são quase que semanais e incluem agressões e ameaças a jogadores, dirigentes dos clubes e juízes, tráfico e consumo de drogas nas imediações e dentro do estádio, quebra-quebras, brigas nas ruas, invasões de campo e, obviamente, muitas vítimas entre torcedores comuns.

Às vésperas da volta do chamado “superclássico” entre River Plate e Boca Juniors (a partida não foi disputada na última edição do Torneio Clausura porque o River estava na série B), hoje (28) às 15h30 no Estádio Monumental de Nuñez, as atenções no mundo da bola também estão voltadas para as arquibancadas e as ruas, territórios de confrontos muito mais agressivos que o campo de jogo. O esquema de segurança contará com 1.200 policiais, fora agentes privados contratados pelos clubes.

A ONG argentina Salvemos al Fútbol contabiliza 270 mortes no futebol nacional desde 1922, em decorrência de episódios violentos. O superclássico soma 12 deles, além das 71 pessoas que morreram asfixiadas ou esmagadas em 1968 no episódio conhecido como Puerta 12, quando, ao se depararem com uma das portas do estádio do River fechadas na saída, dezenas de torcedores não tiveram como voltar nem avisar aos demais que desciam as escadas.

Até hoje não há um culpado formal e, embora diferente dos casos de violência das barras, o fato ilustra as deficiências dos clubes e do Estado para manejar o esporte mais popular do país. A lógica de funcionamento dessas torcidas tem muitas semelhanças com o contexto brasileiro, mas conserva diferenças importantes, que atestam que no país vizinho o espectro de influência das barras se estende à Justiça, à polícia e até ao governo nacional.

Rafael Di Zeo, ex-chefe da La 12, barra do Boca Juniors, é um homem de negócios. Trabalha como lobista para um escritório de advocacia cujo nome não revela por ser de um conhecido profissional argentino. Seu objetivo é vencer as eleições para a presidência do clube em 2015, perspectiva que não parece nada impossível dada sua popularidade. Em uma entrevista de cerca de uma hora em um café em plena Avenida 9 de Julho, no Centro de Buenos Aires, ele é cumprimentado por vários amigos/torcedores.

“Me envolvi com a barra porque não gostava de algumas coisas que aconteciam com as pessoas comuns nos estádios. Elas eram maltratadas, roubadas...”, justifica. Ano passado Di Zeo saiu da cadeia após cumprir pena de quatro anos por agressão a torcedores do Chacarita em um amistoso com o Boca, no Estádio La Bombonera (sede do clube), em 1999. Quatorze pessoas ficaram feridas.

Política na arquibancada

Os tentáculos das barras estão infiltrados em vários segmentos do país. Na Copa de 2010, simpatizantes do governo nacional ajudaram a criar a ONG Hinchadas Unidas Argentina e houve suspeitas de financiamento oficial ao grupo de mais de 100 membros de barras que foi à África do Sul (alguns deles no mesmo voo que a seleção nacional).

“O governo os quer por perto, pois comparecem às marchas e levam faixas de apoio”, afirma Raúl Gámez, ex-presidente do Vélez Sarsfield e ex-barra. Ele conseguiu manter o clube relativamente seguro e afastado do tráfico de drogas (manejado por estes torcedores) durante sua administração, mas para isso teve de fazer concessões, como distribuir ingressos e financiar transporte para jogos.

Sete anos após o fim de sua administração, ele faz uma mea-culpa: “Hoje não faria mais isso. Se distribuo 100 entradas a um membro da barra, ele adquire um poder muito grande para manejar este grupo. Eu me aproximava para não sofrer males maiores. Havia pressão, mas eu suportava e claudicava”.

Opositor de Cristina Kirchner, o chefe de governo da cidade de Buenos Aires (equivalente ao prefeito), Mauricio Macri, com quem Di Zeo diz ter uma boa relação, foi presidente do Boca Juniors entre 1995 e 2007. Mónica Nizzardo, fundadora da ONG Salvemos al Fútbol, afirma que o nome de Macri está em vários processos na Justiça por suspeitas de corrupção em seu relacionamento com a barra, mas que, desde que assumiu a Chefia de Governo, tudo está parado.

Ela lembra ainda que Aníbal Fernandez, presidente do Quilmes, também era chefe de Gabinete dos Ministros do governo nacional em 2009, quando a TV Pública comprou os direitos de transmissão das partidas (projeto denominado Fútbol Para Todos), antes transmitidas por canais a cabo e pay-per-view.

“O Aníbal Fernandez estava dos dois lados, pois também era da direção da Associação do Futebol Argentino (AFA). Mais ilegal que isso... Com o Fútbol Para Todos o governo dá dinheiro de todos os cidadãos à AFA. E não é dinheiro para reparar os estragos de um tsunami, mas para pagar dívidas de más administrações”, analisa Mónica.

Di Zeo afirma que há relações entre as barras e o governo nacional desde a volta da democracia, em 1983, após a última ditadura militar: “Eu gosto da presidenta porque ela tem o que falta a alguns homens. E tem caráter também. Quem não fez isso? O que ocorre é que antes não estava tão claro”.

Na presidência da AFA há 33 anos, Julio Grondona é uma versão argentina de Ricardo Teixeira. Envolvido em várias denúncias de corrupção, ele foi reeleito oito vezes praticamente sem opositores. Sob sua presidência, o país conquistou seus dois títulos mundiais. “Os dirigentes têm medo de Grondona, porque ele controla o dinheiro e mantém os clubes pobres. Há uma máfia instalada na AFA. É um sujeito sem escrúpulos, que causa muitos danos ao futebol argentino”, opina o ex-presidente do Vélez.

No início do mês, o Independiente, considerado um dos cinco grandes do futebol argentino, declarou ter uma dívida de 330 milhões de pesos (cerca de R$ 139 milhões). Desde o início do ano, o clube está sob a chancela de Javier Cantero, cuja principal bandeira é fechar as portas da instituição para as barras.

Em junho, câmeras de televisão registraram uma discussão entre ele e o chefe da principal torcida do time, Pablo “Bebote” Alvarez, que o chamou de mentiroso, enquanto Cantero o acusava de roubar dinheiro do clube. Dois meses depois, uma bomba estourou na sede do Independiente e feriu um policial.

Omissão e violência da polícia agravam conflitos

Outra parte importante do problema é a polícia. Neste ponto há semelhanças e diferenças com o caso brasileiro. Além dos agentes públicos, a segurança nos jogos fica a cargo de empresas privadas contratadas pelos clubes, de acordo com o que acham ser necessário. E com o que querem gastar.

Antes dos jogos, como ocorre em alguns clássicos interestaduais, patrulhas escoltam ônibus das barras para evitar o encontro de rivais. Mas a proteção tem limites. “Fazem custódia de ônibus que estão cheios de drogas e armas, sem revistar ninguém. A polícia não é parte da solução, mas do problema”, afirma Mónica.

O consultor de sistemas Lucas Hoch conta que em um dos clássicos entre River e Boca, no Monumental, uma das entradas principais foi fechada para a chegada dos ônibus das barras, o que causou confusão e quase um quebra-quebra entre os demais torcedores. “A porta principal fica para eles e o resto que se dane. Há três ou quatro barreiras policiais para torcedores comuns, mas para os ônibus nada. Neste dia acumulou tanta gente, que as pessoas pularam as roletas”, relata.

A combinação entre a ineficiência da polícia e popularidade de membros das barras, sobretudo em bairros mais pobres, assemelha os capos das torcidas às figuras dos traficantes em várias favelas de metrópoles brasileiras. “Muitos torcedores comuns dizem que se sentem mais protegidos pelos barras que pela polícia”, afirma Mónica.

Imagens de violência policial ou mesmo da ausência de agentes durante os confrontos nos estádios (o que também permite invasões de campo com frequência) também ajudam a explicar a falta de confiança na instituição e estabelecem outras semelhanças com nosso país.

Tal como acontece no entorno de grandes estádios do Brasil em dias de jogos, flanelinhas (conhecidos como trapitos) cobram valores exorbitantes de motoristas pelo estacionamento e, assim como muitos agentes brasileiros, policiais argentinos assistem a tudo de braços cruzados.

“O dinheiro vai diretamente para as barras. Isso não poderia funcionar se a delegacia da área não soubesse. Além disso, eles conhecem os pontos de vendas de drogas, que também são controlados por membros de barras”, diz Mónica.

Celeiro de alguns dos melhores jogadores do mundo – e terra do maior craque dos últimos anos, Lionel Messi – a Argentina padece diante de uma questão que abrange muitos setores e que não sinaliza qualquer horizonte alentador.

“Estou convencida que não vamos salvar ninguém com o Salvemos al Fútbol. É uma luta muito frustrante. Todos os processos param na Justiça, as pessoas têm medo de falar... Não posso dizer que estou contente com o que faço. Quero ao menos denunciar, pressionar e comprometer cada setor com sua responsabilidade”, afirma Mônica Nizzardo, quase jogando a toalha.

A rede de relações e consequências da violência das barras mostra como as semelhanças entre Brasil e Argentina são muito mais fortes que a folclórica rivalidade. “Sou conhecido no Brasil? Um dia estava no Maracanã e um torcedor veio falar comigo, com uma revista com minha foto”, conta Rafael Di Zeo. Amigo de membros de torcidas organizadas do Flamengo, Corinthians e Vasco, e com primos em Brasília, ele estará na Copa de 2014.

UOL Esporte

PEDROSA CAI E LORENZO CONQUISTA SEU SEGUNDO TÍTULO NA MOTOGP

Lorenzo celebra o título da MotoGP no pódio de Phillip Island, na Austrália (Foto: William West/AFP)

Lorenzo celebra o título da MotoGP no pódio de Phillip Island, na Austrália

Um erro logo na segunda volta de Dani Pedrosa, quando ele liderava a prova, praticamente garantiu o segundo título mundial de Jorge Lorenzo na MotoGP. O espanhol da Yamaha precisou a partir daquele momento apenas administrar a sua segunda posição, já que precisava apenas de um 13º lugar, na etapa da Austrália para poder celebrar o campeonato ao receber a bandeira quadriculada.

A vitória da prova em Phillip Island ficou com Casey Stoner, na sua despedida de sua corrida em casa, já que ele vai se aposentar ao final da temporada. Mas todas as atenções ficaram mesmo com Lorenzo, que depois da queda de Pedrosa, seguiu em um bom ritmo, sem incomodar o líder australiano, mas também sem dar chances para a aproximação dos rivais que vinham atrás.

O lance que praticamente encerrou o campeonato aconteceu na metade da segunda volta. Pedrosa estava na ponta seguido de perto por Stoner e Lorenzo e caiu sozinho. A partir deste momento, a corrida teve poucas emoções, com o australiano e o espanhol apenas rumando para suas conquistas pessoais: a sexta vitória consecutiva em casa, no ano da aposentadoria, e o bicampeonato mundial.

Lorenzo se junta agora a Umberto Masetti, Phil Read, Barry Sheene, Freddie Spencer e ao próprio Stoner com dois títulos mundiais. Dos pilotos do atual grid, apenas Valentino Rossi, que será companheiro do espanhol na Yamaha em 2013, tem mais conquistas, com sete (apenas na categoria principal).

Ao final da prova, a pista foi invadida pela torcida para celebrar a despedida do bicampeão Stoner, com muita vibração quando ele recebeu o seu troféu, nesta sua penúltima corrida em sua carreira na MotoGP. Enquanto isso, Lorenzo preferiu descer do pódio para celebrar o título com a equipe Yamaha.

Carl Crutchlow completou o pódio em Phillip Island com sua Yamaha da equipe provada Tech 3, logo à frente de seu companheiro de equipe, Andrea Dovizioso. Valentino Rossi foi o sétimo, seguido por seu parceiro de Ducati, Nicky Hayden, oitavo.

A temporada da MotoGP temina no dia 11 de novembro com a etapa no circuito espanhol de Valência.

Resultado Final – Phillip Island:

1º.
Casey Stoner (AUS/Honda),
27 voltas em 41min01s324

2º.
Jorge Lorenzo (ESP/Yamaha),
a 9s233

3º.
Cal Crutchlow (ING/Tech 3 Yamaha),
a 14s570

4º.
Andrea Dovizioso (ITA/Tech 3 Yamaha),
a 23s303

5º.
Álvaro Bautista (ESP/Gresini Honda),
a 23s432

6º.
Stefan Bradl (ALE/LCR Honda),
a 23s467

7º.
Valentino Rossi (ITA/Ducati),
a 37s113

8º.
Nicky Hayden (EUA/Ducati),
a 38s387

9º.
Karel Abraham (TCH/Cardion AB Ducati),
a 52s513

10º.
Aleix Espargaró (ESP/Aspar ART-Aprilia),
a 1min00s299

11º.
Randy de Puniet (FRA/Aspar ART-Aprilia),
a 1min00s342

12º.
Héctor Barberá (ESP/Pramac Ducati),
a 1min21s951

13º.
Danilo Petrucci (ITA/Ioda-Aprilia),
a 1min27s857

14º.
Michele Pirro (ITA/Gresini FTR-Honda),
a 1 volta

15º.
Iván Silva (ESP/Avintia FTR-Kawasaki),
a 1 volta

Abandonaram:

Roberto Rolfo (ITA/Speed Master ART-Aprilia),
na 18ª volta

Colin Edwards (EUA/Forward Suter-BMW),
na 7ª volta

James Ellison (ING/Paul Bird ART-Aprilia),
na 6ª volta

Dani Pedrosa (ESP/Honda),
na 2ª volta

Clubes da Série A devem pelo menos R$ 253 milhões a banco, diz jornal

Seis clubes da primeira divisão do futebol brasileiro exibem o logo do BMG em suas camisas. Foto: Eduardo Viana/Agência Lance

Seis clubes da primeira divisão do futebol brasileiro exibem o logo do BMG em suas camisas

Patrocinador de seis dos 20 clubes da primeira divisão do futebol brasileiro, o banco BMG tem que receber no mínimo R$ 253 milhões relativos a empréstimos de times da Série A. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, seis clubes divulgaram empréstimos junto ao banco nos balanços patrimoniais relativos a 2011. São Paulo, com R$ 65,5 milhões, e Palmeiras, com R$ 45,5 milhões, lideram a lista que ainda conta com Flamengo (R$ 40,7 mi), Vasco (R$ 38,9 mi), Corinthians (R$ 24,8 mi), Fluminense (R$ 22 mi) e Santos (15,3 mi). Destes, somente Palmeiras, Santos e Flamengo estampam as três letras do banco em suas camisas.

No entanto, acredita-se que outros clubes também devem à instituição. Atlético-MG, Cruzeiro, Botafogo, Coritiba, Bahia, Atlético-GO e Náutico divulgaram em seus balanços que fizeram empréstimos junto a "instituições financeiras", sem detalhar quais eram. Para abater as dívidas, muitos clubes têm usado jogadores como moeda. O Soccer BR1, fundo de investimentos do BMG, possui o direito de alguns atletas, entre eles Paulinho, Oscar, Dedé, Rever, Ralf e Montillo. Como a lei impede que pessoas físicas ou jurídicas sejam donas dos direitos de jogadores, o fundo comprou, em 2009, o Coimbra Esporte Clube, de Nova Lima (MG), hoje na terceira divisão do Campeonato Mineiro.

Terra

Feijão e Demoliner ganham título de duplas em Porto Alegre

O paulista João "Feijão" Souza e seu companheiro gaúcho Marcelo Demoliner conquistaram o título de duplas do Challenger de Porto Alegre, neste sábado, ao derrotarem o alemão Simon Greul e seu parceiro italiano Alessandro Motti, aplicando parciais de 6/3, 3/6 e 10-7.

É o terceiro título da parceria brasileira, já que Feijão e Demoliner já haviam levantado os troféus dos Challengers de Campinas e do Rio de Janeiro. Os dois também ficaram com o vice-campeonato em Cali, na Colômbia, e em Quito, no Equador.

"Estamos muito felizes com este resultado. Somos grandes amigos e tomara que tenhamos a possibilidade de novamente jogarmos juntos muitas vezes", disse Demoliner.

João Souza já ocupa a 83ª colocação no ranking de duplas da ATP e agora já foca no challenger de Medellín, na Colômbia. Feijão e Marcelo Demoliner se enfrentam na primeira rodada.

Terra

sábado, 27 de outubro de 2012

Campeonato Paulista 2013 é divulgado

A Federação Paulista de Futebol divulgou essa semana a tabela do Campeonato Paulista de 2013. O formato continuará o mesmo, na primeira fase em turno único de pontos corridos, sendo que os oito primeiros colocados irão se classificar para o mata-mata, até o final nos dias 12 e 19 de maio.

Dentre os vinte times, Atlético Sorocaba, Penapolense, União Barbarense e São Bernardo foram os classificados para disputar a série A1 desse ano. A expectativa, claro, é sempre um bom confronto entre os quatro times grandes do estado.

A primeira rodada começa dia 19 de janeiro com os seguintes jogos:

São Bernardo x Santos
Paulista x Corinthians
Palmeiras x Bragantino
São Paulo x Mirassol
Linense x Guarani
Ponte Preta x Mogi Mirim
Botafogo x Oeste
Sorocaba x São Caetano
Penapolense x Ituano
União Barbarense x XV de Piracicaba

Massa admite erro no Q3, mas aprova sexto lugar no grid

Massa ficou satisfeito com sexto lugar no grid e admitiu superioridade da Red Bull. Foto: Reuters

Massa ficou satisfeito com sexto lugar no grid e admitiu superioridade da Red Bull

O piloto brasileiro Felipe Massa ficou com a sexta colocação do grid de largada do Grande Prêmio da Índia de Fórmula 1, mas admitiu que poderia começar a prova mais à frente se não tivesse cometido um erro em sua melhor volta no treino classificatório. Mesmo assim, o ferrarista aprovou o desempenho neste sábado.

Massa andou em Greater Noida a 1min25s857, apenas 0s084 mais lento do que o espanhol Fernando Alonso, seu companheiro de equipe e quinto colocado. A pole foi do alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, com a marca de 1min25s283.

"Estou razoavelmente satisfeito com o sexto lugar, mesmo que talvez, sem um erro na curva 6 em minha volta no Q3, poderia começar um pouco mais na frente. No treino, a Red Bull é mais rápida, a McLaren está um pouco na frente e aí somos nós", disse Massa. "Nas corridas a história é um pouco diferente", completou, lembrando o bom ritmo da Ferrari com o carro com tanque cheio.

O GP da Índia é o segundo consecutivo em que Massa começa na sexta posição. Na etapa anterior do Mundial, na Coreia do Sul, ele fez boa prova e acabou como quarto colocado. O brasileiro era um dos mais rápidos da pista, mas respeitou ordens da Ferrari para não ultrapassar Fernando Alonso, que ainda briga pelo título do Mundial com Sebastian Vettel.

"Há muitos pontos importantes para amanhã: a largada, a estratégia, os pneus e não cometer erros. Precisaremos estar muito focados porque será uma corrida muito longa", concluiu.

Terra

Corinthians inicia ajustes para Mundial contra instável Vasco

Após hérnia, Chicão está recuperado e enfrenta o time carioca, neste sábado. Foto: Fernando Borges/Terra

Após hérnia, Chicão está recuperado e enfrenta o time carioca, neste sábado

A partir deste sábado, às 16h20 (de Brasília), contra o Vasco da Gama, o Corinthians dá início à preparação para a disputa do Mundial de Clubes da Fifa, que será realizado em dezembro. O técnico Tite admitiu que começa a fazer nesta partida, no Estádio do Pacaembu, os ajustes que julgar necessários para embalar antes do torneio no Japão.

"O que temos é a preparação para o Mundial. E o Vasco vai brigar por vaga na Libertadores. É um clássico com contornos importantes, porque fizemos jogos com grau de intensidade muito grande nos últimos dois anos", avaliou o treinador corintiano.

Os dois clubes brigaram diretamente pelo Campeonato Brasileiro do ano passado. Nesta temporada, enfrentaram-se no mata-mata da Copa Libertadores da América. Nas duas ocasiões, os paulistas levaram a melhor. Agora, a situação da equipe de Tite também é mais confortável.

Com 44 pontos no Nacional, o Corinthians cumpre tabela na competição. Já o Vasco tem 50, mas atravessa um período de turbulência, já que perdeu os últimos quatro jogos, deixou o G-4 e vê cada vez mais distante o sonho de participar da próxima edição do torneio continental.

O reencontro, inclusive, será especial para o goleiro corintiano Cássio, que se consagrou ao salvar o time após defesa em chute de Diego Souza, no Pacaembu, pela Libertadores.

"Foi uma defesa marcante e sempre será lembrada na minha carreira. Até pela forma que aconteceu, foi o jogo mais difícil e complicado da Libertadores. Espero conseguir ganhar novamente, mas com menos sofrimento", afirmou.

Da mesma forma, a rivalidade entre as equipes é tratada com seriedade no Vasco. Na condição de líder do elenco, Juninho elegeu o jogo no Pacaembu como ponto de partida para a recuperação do time cruzmaltino.

"Nosso time está sem confiança por conta dos maus resultados contra grandes adversários, como São Paulo, Botafogo, Santos e Internacional. Portanto, precisamos rapidamente mudar esse quadro e acredito muito que uma vitória contra o Corinthians vai afastar esse momento negativo e recolocar tudo no caminho certo. Estamos pensando nisso", declarou.

Além de ter deixado a zona de classificação para a Copa Libertadores, o Vasco também permitiu que o São Paulo abrisse distância de cinco pontos. Por isso, o goleiro Fernando Prass reforça o discurso do ídolo vascaíno.

"Nós precisamos muito deste resultado, independentemente de momento negativo, de crise ou de qualquer outra coisa. Não conseguimos vencer o Internacional no meio de semana, quando estávamos projetando a reação. Agora, vamos precisar recuperar esses pontos contra o Corinthians, mesmo sendo muito complicado", comentou.

Mas o Vasco não terá vida fácil neste sábado, já que Tite encerrou o período de folgas do elenco na rodada passada do Brasileiro. Com isso, seis titulares retornam ao time alvinegro.

O lateral direito Alessandro, o zagueiro Paulo André, o lateral esquerdo Fábio Santos e os volantes Ralf e Paulinho descansaram na rodada passada e estão de volta. Já o zagueiro Chicão se recuperou de cirurgia de hérnia inguinal e também tem o retorno confirmado.

Da equipe considerada ideal por Tite, apenas dois jogadores não poderão estar em campo. O atacante Emerson se recupera de lesão no ligamento colateral medial do joelho direito. Já Danilo precisa de mais alguns dias para cicatrizar um ferimento no calcanhar direito.

Pelo lado do Vasco, Marcelo Oliveira decidiu barrar o meio-campista Felipe, dando uma oportunidade ao jovem Marlone. Outra modificação em relação à formação que enfrentou o Inter será na zaga: Douglas terá a companhia de Renato Silva, uma vez que Dedé sofreu uma fratura na fíbula da perna esquerda e não vai mais jogar nesta temporada.

Terra

Esquecido, ex-parceiro de Neymar lembra "ilusão inglesa" e quer volta

Considerado como uma promessa pelo Santos, Geovane passou pelo Arsenal e até no América-Teófilo Otoni em busca de um lugar no futebol. Foto: Klaus Richmond/K.R.C. DE MELO & CIA. LTDA - ME

Considerado como uma promessa pelo Santos, Geovane passou pelo Arsenal e até no América-Teófilo Otoni em busca de um lugar no futebol

O garoto que dividia atenções com Neymar nas categorias de base do Santos hoje vive esquecido dentro do próprio clube. Aos 20 anos, sem nunca ter subido aos profissionais, Geovane, ex-parceiro do principal astro santista, admite que "perdeu muito tempo". O meia ainda remói a ilusão alimentada pelo então agente que acabou em uma curta decepção na Inglaterra e mesmo sem a força do nome que lhe garantiu o maior salário da base - cerca de R$ 25 mil mensais até novembro de 2014 - promete voltar.

"Perdi muito tempo e, a partir do próximo ano, independente de ser no Santos, ou não, preciso jogar. Quero ajudar o clube, mas se não tiver chances vou sair", afirma. "Tenho convicção que ainda vou virar (jogador profissional)", completa.

A transformação na carreira passou por um "sim". Dois anos antes de o parceiro Neymar negar o gigante Real Madrid, Geovane aceitou o desafio de jogar no Arsenal, com apenas 16 anos. A projeção nunca mais foi a mesma.

"Não posso dizer que fui enganado, mas me iludiram. Não estava preparado para uma ação judicial, não desejava, partiu do meu empresário. Não queria brigar com o Santos", conta.

A ação referida foi o fator-chave para o desvirtuamento. O jovem começou a batalha na Justiça e rumou para Londres. Conheceu o técnico francês Arsène Wenger, de quem diz ter ouvido ter "potencial para ser um dos melhores do mundo", mas precisou ser escondido.

Geovane foi para o Colorado Rapids, clube americano que disputa a Major League Soccer, pelo temor inglês de acusação de aliciamento - na época o Chelsea havia sido punido pela Fifa de transacionar por conduta similar com Gael Kakuta, do Lens. Cansado e isolado, resolveu voltar.

Com o intermédio da DIS, braço esportivo do Grupo Sonda, o pupilo retornou para casa no fim de 2009. Desde então, são três anos na base. "Me perguntam: não é possível que você ainda esteja no Sub-20. Não estou desanimado, mas cansei", confessa, que ainda lamenta uma série de "contusões em horas erradas" e rechaça que influências políticas o atrapalharam no Santos.

Sem o convívio, Geovane confessa já não ter mais a mesma intimidade com Neymar. "Trocamos mensagens, nos falamos, mas não vivemos mais no mesmo mundo". Ele diz ter ouvido do próprio craque que o quer no elenco profissional. Para jogar, entretanto, o antigo parceiro precisará superar o estigma promessa esquecida.

Terra

Ágatha e Bárbara perdem e vão disputar o bronze na Tailândia

Ágatha e Bárbara perdem para russas e ficam fora da final na Tailândia. Foto: FIVB/Divulgação

Ágatha e Bárbara perdem para russas e ficam fora da final na Tailândia

As brasileiras Ágatha e Bárbara Seixas foram derrotadas na semifinal da etapa da Tailândia do Circuito Mundial de vôlei de praia. Na manhã deste sábado, a parceria nacional fez bom jogo, mas caiu diante das russas Ukolova e Khomyakova, que venceram por 2 sets a 1, parciais de 21/13, 20/22 e 15/13, em uma hora de partida.

Ágatha e Bárbara Seixas foram as únicas brasileiras na competição que encerra a temporada internacional. Juliana e Larissa participariam do torneio, mas com a ausência das chinesas Chen Xue e Zhang Xi elas garantiram por antecipação o heptacampeonato do Circuito Mundial e abdicaram de jogar.

Apesar da derrota deste sábado, a dupla brasileira na Tailândia ainda volta à quadra neste domingo, para disputar a medalha de bronze contra as americanas Fendrick e Branagh, que foram derrotadas na outra semifinal por suas compatriotas Kessy e Ross, vice-campeãs das Olimpíadas de Londres 2012.

Terra

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Fora de casa, Hamburgo bate Augsburg e assume quarta posição

O Hamburgo voltou a vencer no Alemão e assumiu o quarto posto. Foto: EFE

O Hamburgo voltou a vencer no Alemão e assumiu o quarto posto

O Hamburgo derrotou nesta sexta-feira, na abertura da nona rodada do Campeonato Alemão, o Augsburg por 2 a 0. Os gols foram marcados por Son e Rudnevs.

Sem sofrer com as investidas adversárias, o Hamburgo, mesmo visitante, tomou conta do meio-campo e chegou ao primeiro gol com Son, logo aos 13min. A vantagem no marcador só foi ampliada na segunda etapa. Aos 18min, Rudnevs aproveitou os espaços e concluiu para as redes.

Com o resultado, a equipe somou 13 pontos, ficando a quatro do terceiro colocado Schalke. A rodada será complementada neste final de semana. O líder Bayern de Munique receberá, no domingo, o Bayer Leverkusen. No mesmo dia, o segundo colocado Eintracht Frankfurt visitará o Stuttgart.

A chance de o Augsburg voltar a somar pontos e encerrar a sua sequência ruim no Alemão virá no sábado da outra semana, contra o Hannover, fora de casa. Já o Hamburgo tentará se garantir na luta por novas colocações contra o líder Bayern de Munique, dentro de casa.

Terra

Recém-promovidos esperam por boas campanhas na competição

Realizado há 110 anos, o Campeonato Paulista da Série A1 terá algumas novidades no quesito participantes. Com o acesso de São Bernardo, Penapolense, União Barbarense e Atlético Sorocaba, o torneio terá uma equipe estreante, além da volta de clubes tradicionais.

Prestes a completar 68 anos, o Clube Atlético Penapolense disputará, pela primeira vez, a elite do futebol de São Paulo. Animado, o presidente Nilso Moreira falou sobre a oportunidade de medir forças com os principais clubes do estado. “A expectativa é muito grande. Não sabemos como é a divisão. A gente conhece mais através da TV e alguns jogos in loco. É uma competição completamente diferente da Série A2, com agremiações muito mais fortes que a nossa. Por ser debutante, a gente tem que montar uma equipe pra tentar ficar entre o 14º e o15º lugar e não correr risco de cair.”

Campeão da Copa Paulista de Futebol de 2008, o Clube Atlético Sorocaba volta à elite estadual após seis anos fora. Em 2005, o time amarelo foi rebaixado à Série A2. Representado pelo vice-presidente de futebol Waldir Cipriani, o clube sorocabano espera anunciar um novo comandante para, aí sim, planejar a campanha no torneio. “Estamos trabalhando na equipe de 2013, ainda não fizemos cortes no elenco e nem corremos atrás de grandes atletas. Precisamos contratar um técnico que atenda as necessidades da nossa equipe e apenas depois correremos atrás de formular o nosso elenco”, contou.

O São Bernardo Futebol Clube é o primeiro e único time da cidade a disputar a elite do Campeonato Paulista. O feito foi conquistado em 2011 quando, para infelicidade dos torcedores, o clube voltou à Série A2. Passada apenas uma temporada fora da primeira divisão, o presidente Luiz Fernando Teixeira espera uma melhor campanha desta vez. "As expectativas são as melhores do mundo. Agora precisamos fazer delas realidade. A jornada será muito dura e difícil. Se Deus quiser vamos sobreviver a essa jornada", disse.

Dentre estes quatro clubes que subiram para a Série A1, o mais tradicional é o União Barbarense. Com 98 anos de história, o clube de Santa bárbara d’Oeste já venceu o Campeonato Brasileiro da Série C, em 2004 e o Paulistão da Série A2, em 1998. Ciente da importância da agremiação dentro do estado, o mandatário Dario Furlan não escondeu a satisfação em ver o time da cidade de volta ao primeiro escalão do futebol de São Paulo. “Participar da Série A1 é uma emoção diferente para todos nós. A cidade está eufórica por fazer parte da elite do futebol paulista, que é o melhor campeonato estadual do país, é muito gratificante. É um sonho que vínhamos buscando há vários anos e que se tornou realidade”, afirmou.

Com a benção do presidente da Confederação Brasileira de Futebol, José Maria Marin, o Paulistão vem com tudo em mais uma edição. “O Campeonato Paulista é um dos mais importantes, se não for o mais importante de todo o Brasil pela organização, seriedade e credibilidade. Cada vez mais o futebol paulista vem melhorando, com algumas medidas sendo tomadas, principalmente preservando a traquilidade e segurança do torcedor”, analisou.

A abertura oficial da edição 2013 do Campeonato Paulista de Futebol será realizada no dia 20 de janeiro, domingo, na partida entre São Bernardo e Santos, no estádio 1º de Maio.

FPF

Em dia difícil, Massa lamenta problemas no segundo treino livre

Massa afirma que problemas no 2º treino livre prejudicaram planejamento da Ferrari. Foto: AP

Massa afirma que problemas no 2º treino livre prejudicaram planejamento da Ferrari

As primeiras atividades para o Grande Prêmio da Índia, em Greater Noida, não foi das melhores para o brasileiro Felipe Massa. O piloto ficou na sétima posição durante o primeiro treino livre, mas caiu para 15º na segunda sessão, em que rodou na pista e comprometeu o resto do cronograma preparado pela escuderia italiana.

"Foi um dia bastante difícil, especialmente no período da tarde. A primeira sessão correu bem e nós fomos capazes de fazer tudo o que tinha planejado. Mas, na segunda, quando nós mudamos o pneu duro para o macio, o equilíbrio do carro não era mais o mesmo e foi se tornando muito difícil de conduzir, a tal ponto que eu acabei girando", contou Massa.

A rodada de Felipe Massa obrigou o piloto a abandonar o planejamento da equipe. "Infelizmente, isso danificou um pneu e por isso eu fui incapaz de fazer um trabalho mais longo, que tinha sido uma das nossas prioridades", comentou o ferrarista.

Impedido de fazer a simulação de corrida para verificar o desgaste dos pneus, Massa optou por um treinamento de boxes. "Na meia hora final, portanto, me concentrei na prática de pit stop, a única coisa possível com os pneus naquelas condições", encerrou.

Terra

Marcio Braga critica Patricia Amorim e confirma apoio a Wallim

Wallim Vasconcellos (à. dir) lançou candidatura independente e depois passou a receber diversos apoios. Foto: Cirilo Junior/Terra

Wallim Vasconcellos (à. dir) lançou candidatura independente e depois passou a receber diversos apoios

Ex-presidente do Flamengo, Marcio Braga divulgou carta nesta sexta-feira em apoio à candidatura de Wallim Vasconcellos nas eleições do clube marcadas para o mês de dezembro.

Vasconcellos disputará a presidência reunindo uma chapa de executivos bem sucedidos no mundo dos negócios e que nunca participaram da vida política do Flamengo. Ele se lançou de forma independente, mas agora já conta com o apoio de diversas alas do clube, como outros ex-presidentes - Kleber Leite e Delair Dumbrosck.

Na carta, Braga não poupa críticas à atual administração de Amorim, comparando o estágio em que o clube se encontra ao cenário no final de 2002, quando o então presidente Edmundo Santos Silva sofreu impeachment, acusado de má administração e desvio de recursos. Para Braga, desde que Patricia Amorim assumiu a presidência, o Flamengo só "andou para trás".

"O futuro presidente do Flamengo terá, portanto, de vencer o imenso desafio de recuperar estes três anos perdidos, em que o clube andou para trás. Perdeu em credibilidade e em valor da marca. E vê o prestígio esportivo desmoronar", afirmou Braga.

Para o ex-dirigente, que comandou o clube em cinco dos seis títulos brasileiros, a próxima eleição é uma "oportunidade histórica para acabar com ciclos de altos e baixos e de assegurar uma perspectiva sustentável" para o Flamengo.

"Essa oportunidade é a eleição de Wallim Vasconcellos. Além de uma história de competência e sucesso, Wallim é liderança que já foi capaz de reunir em torno da candidatura uma seleção dos maiores craques dos negócios, finanças, administração e marketing do país", observou.

Além dos ex-dirigentes do clube, Wallim tem o apoio de Zico, o maior ídolo da história do Flamengo. Estão inscritos na eleição a atual presidente, Patricia Amorim, além de Ronaldo Gomlevsky, Lysias Itapicurú, Jorge Rodrigues e Maurício Rodrigues de Souza Neto.

Terra

Internacional e Atlético-MG serão julgados por atraso no Beira-Rio

Em partida disputada em Porto Alegre, o Inter venceu facilmente o Atlético-MG por 3x0. Foto: Wesley Santos/Futura Press

Em partida disputada em Porto Alegre, o Inter venceu facilmente o Atlético-MG por 3x0

Na partida entre Internacional e Atlético-MG, válida pela 29ª rodada, os dois clubes se atrasaram dois minutos para retornar para o segundo tempo e serão julgadas no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pelo atraso e podem receber multa de até R$ 1.000 por cada minuto de atraso.

Como o atraso foi relatado na súmula da partida pelo árbitro André Luiz de Freitas, os dois clubes foram denunciados no artigo 206 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), acusados de "dar causa ao atraso do início da realização de partida, ou deixar de apresentar a sua equipe em campo até a hora marcada para o reinício da partida". A pena prevista é de multa de R$ 100 a R$ 1.000 por cada minuto atrasado.

Terra

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Atlético-GO faz 3 e sufoca, mas é eliminado pela Universidad Católica

Márcio marcou, de pênalti, o terceiro gol do Atlético-GO, mas não foi o suficiente. Foto: AFP

Márcio marcou, de pênalti, o terceiro gol do Atlético-GO, mas não foi o suficiente

Lanterna da Série A do Campeonato Brasileiro, o Atlético-GO sufocou e bateu nesta quarta-feira a Universidad Católica, do Chile, por 3 a 1. A vitória, no entanto, não foi suficiente. Como foi derrotado no embate de ida por 2 a 0, os goianos foram eliminados nas oitavas de final da Copa Sul-Americana por terem sofrido um gol dentro de casa.

Nas quartas, os chilenos enfrentarão o vencedor do duelo entre Independiente, da Argentina, e Liverpool, do Uruguai. No primeiro encontro, os argentinos levaram a melhor por 2 a 1. O confronto decisivo será na quinta, em Montevidéu.

Por ter perdido a partida de ida por 2 a 0, o Atlético-GO começou o jogo com um objetivo em mente: marcar um gol cedo. E foi o que ocorreu. Após encurralar o time rival, a equipe goiana abriu o placar aos 13min. Eron cruzou pela esquerda para Ricardo Bueno, que ajeitou para Joilson arrematar e balançar a rede.

A superioridade do clube brasileiro continuou notória. E, depois de algumas oportunidades que passaram perto, o segundo tento saiu antes do intervalo. Aos 36min, Joilson levantou na área e, após falha do goleiro Toselli, Reniê não desperdiçou: 2 a 0.

O primeiro tempo impecável do Atlético-GO caiu por terra aos 43min. Sepúlveda encontrou um espaço na zaga goiana e acionou Pizarro. Sozinho, o atacante ergueu para Ríos descontar para a Universidad Católica. O gol obrigou os comandados do técnico Artur Neto a vencerem por 4 a 1 para avançar às quartas de final.

A esperança, contudo, foi renovada logo aos 5min da etapa complementar. Joilson foi lançado e, após choque dentro da área, caiu. Pênalti. O goleiro Márcio cobrou com eficiência e recolocou o time na partida.

Aos 17min, os anfitriões fizeram o gol de que precisavam. Felipe exigiu boa intervenção do goleiro adversário e Ricardo Bueno empurrou para as redes. O atacante, porém, estava em posição irregular. Gol anulado. Na sequência, os donos da casa seguiram atacando, mas não conseguiram o quarto tento. Apesar de eliminados, os jogadores do Atlético-GO saíram de cabeça erguida.

Terra

Ranking Corredores: Corrida da Caixa em Ribeirão pode ameaçar líderes

Depois de vantagem confortável na primeira fase, o baiano Giomar Pereira da Silva e a alagoana Marily dos Santos mantêm a liderança no Ranking CAIXA/CBAt de Corredores de Rua 2012. Mas agora veem o mineiro Valdir Sergio de Oliveira e a paulista Roselaine de Sousa Silva, os atuais vice-líderes, bem mais perto. A Corrida da Caixa, domingo, dia 28, em Ribeirão Preto, pode fazer a diferença.


A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) divulgou nesta terça-feira 23 a classificação parcial do Ranking, após a realização de 22 das 30 etapas previstas para este ano.

Giomar, tetracampeão do Ranking, tinha 21 pontos de vantagem e, agora, a diferença para Valdir Sergio caiu para 13. Já Marily somava 30 pontos a mais do que Roselaine e agora está com 18, à frente.

A tendência é a briga pelo primeiro lugar esquentar ainda mais. A próxima etapa do Ranking será disputada no próximo domingo 28, com a prova de 10 km do Circuito de Corridas Caixa, em Ribeirão Preto (SP). A corrida terá largada às 08 horas, na Praça Nadyr Freitas M. da Silva.

Após 22 etapas, a classificação geral soma 322 atletas pontuados, sendo 203 homens e 119 mulheres.

Os dez primeiros colocados, no masculino e no feminino, na classificação final, após a Corrida de São Silvestre, no último dia do ano, em São Paulo, receberão em 2013 uma ajuda de custo mensal por meio do Programa Nacional Caixa de Apoio a Corredores de Elite, administrado pela CBAt.

Classificação parcial do Ranking após 22 etapas

Masculina
1-Giomar Pereira da Silva - 333 pontos
2-Valdir Sergio de Oliveira - 320
3-Antonio Wilson Souza Lima - 253
3-José Márcio Leão - 253
5-Willian Salgado Gomes - 199
6-Damião Ancelmo de Souza - 166
7-Giovani dos Santos - 154
7-Eliezer de Jesus Santos - 154
9-Sivaldo Santos Viana - 126
10-João Ferreira de Lima – 122

Feminina
1-Marily dos Santos - 360 pontos
2-Roselaine de Sousa Silva - 342
3-Conceição de Maria Oliveira - 310
4-Maria Zeferina Baldaia - 304
5-Edielza Alves Guimarães - 249
6-Gisele Barros de Jesus - 206
7-Marluce Queiroz Borges - 173
8-Elizabeth Esteves de Souza - 150
9-Sueli Pereira Silva - 141
10-Larisse do Nascimento de Sousa - 137

QEsporte

Por 2 votos, mudança de estatuto do Sport é aprovada

As principais novidades são a diminuição do número de conselheiros, a eleição direta do presidente, uma nova categoria de sócios e a ficha limpa. Foto: Carlos Costa/Futura Press

As principais novidades são a diminuição do número de conselheiros, a eleição direta do presidente, uma nova categoria de sócios e a "ficha limpa"

Em uma assembleia marcada principalmente pelo clima de tensão entre situação e oposição, foi votada a mudança do estatuto do Sport. Após discursos inflamados e muitas críticas dos dois lados, os 241 sócios votaram pelas alterações.

O resultado foi apertado. 121 votos a favor das mudanças e 119 votos contra, além de uma anulação. Mas a tensão não ficou apenas nos números parelhos. O mal-estar teve início antes da abertura, quando o ex-presidente do Sport, Fernando Pessoa, acusou os dirigentes da cerimônia de estarem desrespeitando o protocolo estabelecido no estatuto do clube.

O som dividido entre vaias e aplausos a cada novo discurso inflamado deixou claro como seria a votação. As opiniões não eram convergentes quanto às mudanças. Os discursos do atual presidente do clube, Gustavo Dubeux, e de Elpídio Diniz, um dos fundadores do movimento Resistência Sport causaram protestos na plateia, mas depois que os ânimos foram contidos, a votação correu normalmente.

As principais novidades do estatuto do Sport Club do Recife foram a diminuição do número de conselheiros de 300 para 150, a eleição direta do presidente, a criação de uma nova categoria de sócios denominada Sócio Especial, sem direito a voto e a "ficha limpa", que consiste na apresentação de certidões negativas de antecedentes criminais e protestos no cartório.

Terra

Dortmund surpreende Real Madrid e vira líder; Ajax complica M. City

Schmelzer definiu a vitória do Borussia Dortmund dentro de casa. Foto: AP

Schmelzer definiu a vitória do Borussia Dortmund dentro de casa

O Borussia Dortmund, da Alemanha, é o novo líder do Grupo D da Liga dos Campeões da Europa. Nesta quarta-feira, o time recebeu o Real Madrid e surpreendeu o visitante ao jogar melhor, anular as estrelas rivais e confirmar vitória por 2 a 1, resultado que o leva a sete pontos ganhos, deixando os espanhóis na segunda colocação, com seis.

Lewandowski abriu o placar para o Borussia Dortmund, aproveitando falha na saída de bola de Pepe aos 35min do primeiro tempo. Kehl fez o passe, e o atacante do time alemão tocou no canto esquerdo de Casillas. Mas a vantagem durou pouco: dois minutos mais tarde, Cristiano Ronaldo recebeu passe de Di Maria e, com estilo, encobriu o goleiro Weidenfeller.

No segundo tempo, a marcação do Borussia Dortmund se mostrou muito eficiente, e a equipe assumiu o comando da partida. A pressão crescente levou ao gol da vitória: aos 19min, Casillas afastou mal um cruzamento, e Schmelzer aproveitou para completar para as redes, definindo o triunfo do anfitrião na Liga dos Campeões da Europa.

Apesar do tropeço, o Real Madrid continua em situação confortável no Grupo D, já que Ajax e Manchester City seguem sem oferecer perigo. Nesta quarta-feira, ambos entraram em campo em busca da primeira vitória na competição, e os holandeses levaram a melhor: venceram por 3 a 1, afundando o City na lanterna e complicando as chances de brigar em competições europeias.

Fora de casa, os ingleses saíram na frente com gol de Nasri, aos 22min do primeiro tempo, mas aos 45min De Jong empatou. O Ajax virou com Moisander, aos 12min da etapa final, e definiu o placar final com Ericksen, aos 23min. Com isso, o time chega aos três pontos ganhos, deixando o Manchester City na última colocação, com apenas um. Cada time ainda vai fazer três partidas, com nove pontos em disputa.

Terra

Castelão começará a ganhar cadeiras e gramado em novembro

Estádio tem previsão de entrega para dezembro deste ano. Foto: Secopa Ceará/Divulgação

Estádio tem previsão de entrega para dezembro deste ano

Um dos mais avançados para a Copa do Mundo de 2014, o Estádio do Castelão, em Fortaleza, começará a ganhar a partir do mês de novembro o gramado e os primeiros assentos das arquibancadas. O anúncio foi feito nesta quarta-feira pelor organizadores do evento no Ceará.

O plantio do gramado faz parte de uma fase que sucede a construção da drenagem, que já está em fase final. A grama escolhida para o estádio é a mesma que será utilizada no Mineirão, do tipo "Bermuda Celebration". De acordo com os responsáveis pela obra, tal grama é a mais propícia à regiões tropicais.

Em relação aos assentos, os operários do Castelão já deram início à instalação metálica que sustentará as cadeiras. Fabricados pela empresa paulista Nöra, os assentos, que terão um leve tom esverdeado, próximo do branco, começarão a ser colocados a partir do próximo mês.

O Castelão tem 91,06% das obras concluídas e tem previsão de entrega para o mês de dezembro. O estádio vai receber três partidas da Copa das Confederações de 2013 e seis jogos do Mundial de 2014.

Terra

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Com gol no último minuto, Barcelona vira sobre Celtic e lidera

Mascherano falhou em lance que causou gol do Celtic no Camp Nou. Foto: Getty Images

Mascherano falhou em lance que causou gol do Celtic no Camp Nou

O Barcelona enfrentou, nesta terça-feira, uma equipe que sabe jogar na defesa. O Celtic, da Escócia, foi ao Camp Nou, na Espanha, e contou com gol em falha do volante argentino Javier Mascherano para complicar o jogo. Com gol no último minuto de acréscimo, no entanto, o time conseguiu a virada e a vitória por 2 a 1, aumentando a liderança no Grupo G da Liga dos Campeões da Europa.

O resultado aumenta a vantagem do Barcelona na chave, com sete pontos conquistados, enquanto o Celtic é o segundo colocado, com quatro. A terceira posição é do Sparta Moscou, que mais cedo venceu o Benfica por 2 a 1 em partida com 100% dos gols feitos por brasileiros (Lima fez pelos portugueses, enquanto Rafael Carioca e Jardel, contra, definiram a vitória dos russos).

No Camp Nou, o Celtic se comportou quase com perfeição na questão defensiva, sem deixar de assustar principalmente nos contra-ataques. O time contou com a sorte para abrir o placar aos 17min do primeiro tempo: Mulgrew cobrou falta em direção à área, Samaras desviou levemente e Mascherano, de cabeça, mandou contra a própria meta, tirando o goleiro Valdez do lance. A arbitragem deu o gol para o atacante do time escocês.

Perdendo diversas chances, o Barcelona teve dificuldades para empatar. O gol saiu aos 44min, pouco antes do intervalo, em um belo lance. Messi recebeu na entrada da área e passou para Iniesta, que tabelou com Xavi e, desequilibrado, tocou no canto esquerdo do goleiro Foster. O final do primeiro tempo freou a reação do time anfitrião e acabou ajudando o Celtic a se segurar.

O segundo tempo foi quase que inteiro com pressão do Barcelona, barrado por grandes defesas de Foster - o goleiro pegou cabeçada de Messi a queima-roupa e finalização de Alexis Sanchéz, por exemplo. Os 10 minutos finais foram de retranca total para os visitantes - Villa chegou a acertar a trave -. Aos 49, Jordi Alba completou cruzamento na área para vencer o ferrolho escocês e garantir a vitória.

Terra

Brasileiros se destacam com 8 gols em 8 jogos da Liga dos Campeões

Alan (à esq.) marcou dois gols, mas saiu triste do jogo contra o Manchester United. Foto: EFE

Alan (à esq.) marcou dois gols, mas saiu triste do jogo contra o Manchester United

Em uma terça-feira de surpresas na Liga dos Campeões, um acontecimento não foi novidade: a grande quantidade de gols de brasileiros na competição europeia. Afinal, em oito jogos disputados, oito gols foram marcados por jogadores do País - o que corresponde a 36% dos tentos anotados no dia. A marca só não foi maior porque Felipe Melo desperdiçou um pênalti no empate do seu time, o Galatasaray, com o Cluj, em uma das principais zebras da rodada.

O principal artilheiro brasileiro foi Alan, do Braga, mas no final ele saiu triste com a derrota de virada para o Manchester United. E apesar de ter marcado aos 2min, também não foi o brasileiro mais rápido a balançar as redes: com apenas 1min de jogo, o meio-campista Rafael Carioca, ex-Grêmio, já abriu o placar para o Spartak Moscou contra o Benfica. Outro brasileiro "apressado" foi Alex Teixeira, que marcou para o Shakhtar também aos 2min.

Veja abaixo, jogo por jogo, como foram os gols dos brasileiros:

Spartak Moscou 2 x 1 Benfica
Todos gols deste jogo foram de brasileiros. O já citado Rafael Carioca mostrou oportunismo para marcar o primeiro gol brasileiro do dia. Ele aproveitou uma boa jogada do Spartak e, após passe de Jurado, só tocou no canto esquerdo para superar seu compatriota Artur, do Benfica.

Mas o Benfica também tem o brasileiro Lima e foi ele que empatou tudo, aos 31min: após cruzamento de Salvio, ele se antencipou ao goleiro e marcou de cabeça. Mas seu companheiro de clube, Jardel, estragou tudo ainda no primeiro tempo: aos 43min, ele deu um carrinho para afastar o perigo na área, mas marcou contra e decretou o placar final.

Shakhtar Donetsk 2 x 1 Chelsea
Este foi outro jogo que só teve gols de brasileiros. No final o Shakhtar, que tem um elenco repleto de jogadores do País, levou a melhor: Alex Teixeira marcou aos 2min após aproveitar sobra na área; e Fernandinho ampliou em contra-ataque puxado por ele mesmo, aos 7min do segundo tempo.

O Chelsea buscou reação na sequência e a pressão até deu resultado, mas foi tarde demais. Oscar, que teve atuação irregular, balançou as redes 43min. Ele aproveitou cruzamento de Ivanovic e tocou para o fundo do gol, mas foi apenas um gol de honra.

Manchester United 3 x 2 Braga
Tradicionalmente repleto de brasileiros, o Braga contou com um inspirado Alan para assustar o Manchester United logo no começo do jogo: aos 2min, ele pulou mais alto que Evans e marcou de cabeça. Depois, aos 20min, aproveitou boa jogada de Éder e mais uma vez balançou a rede do Old Trafford.

O único problema de Alan foi um mexicano que resolveu apagar sua boa atuação. Javier Hernández, o Chicharito, também marcou duas vezes e, junto com o gol de Evans, estragouo que seria a festa do Braga na Inglaterra.

Terra

Diretoria do Bahia reduz preço do ingresso para jogo contra o Grêmio

Na reta final do Brasileiro, a diretoria do clube baiano espera que a torcida ajude o Bahia a fugir da zona de rebaixamento. Foto: Edson Lopes Jr/Terra

Na reta final do Brasileiro, a diretoria do clube baiano espera que a torcida ajude o Bahia a fugir da zona de rebaixamento

Faltam apenas seis jogos para o fim da Série A do Campeonato Brasileiro. Com 36 pontos e em 16º lugar, o Bahia precisa de pelo menos mais nove pontos para se garantir na elite do futebol nacional, segundo matemáticos. Serão três jogos disputados longe de Salvador e três em casa.

Logo, a equipe baiana quer fazer valer o mando de campo para conquistar os três triunfos que precisa e respirar aliviado no campeonato. Por isso, a diretoria do clube baiano resolveu baixar o preço dos ingressos na partida contra o Grêmio no próximo sábado, a fim de lotar o estádio de Pituaçu.

O valor dos ingressos da arquibancada passou de R$ 30 para R$ 20. Já o preço do bilhete para cadeira continua a R$ 60. Crianças com até 10 anos, acompanhadas de pais ou responsáveis, não pagam. É preciso apresentar a carteira de identidade.

Bahia e Grêmio se enfrentam às 18h30min (de Brasília), em Salvador. O jogo é válido pela 33ª rodada da Série A do Brasileiro. O Esquadrão de Aço precisa da vitória para se distanciar do Sport, 17º colocado com 33 pontos, três a menos que o time baiano.

Terra

Estádio do Mineirão tem mais da metade das cadeiras instalada

Sede da Copa do Mundo em Belo Horizonte tem previsão de entrega para 21 de dezembro de 2012. Foto: Sylvio Coutinho/Divulgação

Sede da Copa do Mundo em Belo Horizonte tem previsão de entrega para 21 de dezembro de 2012

O Estádio do Mineirão já tem 60% da instalação das cadeiras do local. De acordo com informações desta terça-feira da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo de Minas Gerais (Secopa-MG), os assentos do anel superior deverão ser entregues até o fim deste mês. Já as cadeiras da arquibancada inferior e camarotes começarão a ser colocados no final de outubro.

"O torcedor estará muito bem acomodado em cadeiras confortáveis e resistentes para testemunhar essa nova fase da história do futebol em nosso estado", disse Tiago Lacerda, secretário da Secopa do Estado. As cadeiras compradas pelo governo são feitas de de aço A36, com copolímero de polipropileno e pintura eletrostática.

Os 30 operários da reforma do Mineirão responsáveis pela instalação de assentos têm instalado, em média, 2.100 cadeiras por dia. Os assentos da arquibancada inferior e camarotes serão parecidos com os do anel superior, porém com braços e assentos acolchoados. Já no setor Very Vip será uma poltrona acolchoada e moderna, parecida com as usadas nos cinemas.

Seguindo à risca o cronograma, a sede da Copa do Mundo e da Copa das Confederações em Minas Gerais tem data de entrega para 21 de dezembro de 2012. As adequações do estádio começaram no dia 25 de janeiro de 2010.

Terra

Brasil Open diz que não há negociações para ter Nadal em 2013

Heptacampeão de Roland Garros já atuou no Brasil em 2005 e confirmou presença em Acapulco em 2013. Foto: Getty Images

Heptacampeão de Roland Garros já atuou no Brasil em 2005 e confirmou presença em Acapulco em 2013

A possibilidade de Rafael Nadal disputar o Brasil Open de 2013, pelo menos por enquanto, está longe de se tornar realidade. Segundo informou ao Terraa assessoria da Koch Tavares, promotora do evento, não há nenhum contato em andamento para que o tenista espanhol dispute o torneio a ser realizado em São Paulo de 11 a 17 de fevereiro do ano que vem.

Na última quarta-feira, a organização do ATP 500 de Acapulco confirmou a presença de Nadal no torneio mexicano em 2013. O campeonato será realizado entre 25 de fevereiro e 3 de março e é um dos quatro que formam a gira latino-americana de saibro, que inclui ainda o ATP 250 de Viña del Mar, o ATP 250 de São Paulo e o ATP 250 de Buenos Aires, em semanas subsequentes a partir de 4 de fevereiro.

No último dia 5, o técnico e tio de Rafael, Toni Nadal, esteve na capital paulista para promover uma clínica a treinadores. Na ocasião, ele afirmou que havia a possibilidade de o sobrinho atuar em Acapulco devido à intenção de aumentar o número de competições no saibro, piso menos prejudicial ao físico do atleta na comparação com as quadras duras.

Toni ainda disse que o sobrinho estudava a hipótese de prolongar a estada na América Latina em 2013, competindo no Brasil Open, cuja organização nega que qualquer tipo de negociação nesse sentido tenha sido iniciada.

Único evento de nível ATP realizado no País atualmente, o Brasil Open foi organizado de 2001 a 2011 na Costa do Sauípe, mudando-se então para São Paulo. Disputado pela última vez em fevereiro deste ano, o torneio teve como principal cabeça de chave o espanhol Nicolás Almagro, então 11º colocado do ranking mundial, e anunciou a meta de contar com pelo menos um integrante do top 10 para 2013.

Ex-número 1 do mundo e atualmente o 4, Nadal atuou na Bahia uma única vez, em fevereiro de 2005, vencendo a competição com uma vitória sobre o compatriota Alberto Martín na final. Uma semana depois, ele conquistaria também o evento de Acapulco, em decisão diante do espanhol Albert Montañés; duas semanas antes, havia sido eliminado pelo argentino Gastón Gaudio nas quartas de final em Buenos Aires.

Nadal, 26 anos, está afastado das quadras desde 28 de junho, quando perdeu para o checo Lukas Rosol na segunda rodada de Wimbledon. Ele sofre com uma inflamação no tendão patelar do joelho esquerdo (síndrome de Hoffa) e disse neste mês que é improvável voltar a jogar neste ano, podendo retornar somente em 2013.

O espanhol ainda não divulgou o calendário completo para a próxima temporada, mas já confirmou a intenção de atuar mais no saibro, piso no qual foi heptacampeão em Roland Garros, com a presença em Acapulco. Será a primeira vez que ele atuará como profissional na América Latina desde aquela viagem de 2005.

Terra

domingo, 21 de outubro de 2012

De virada, Força bate Super Estrela e encerra primeira fase na liderança

DSC00528
Força mostrou por que é líder e derrotou o Super Estrela (de branco) por 2 a 1

Em um jogo complicado, o time do Força entrou em campo para manter a boa campanha na Copa Ipanema categoria Masters e derrotar o time mais experiente do campeonato. Em um jogo apático no primeiro tempo, o Força/Interouro Alimentos voltou na etapa final e mostrou porque é líder da Copa.

O primeiro tempo foi totalmente do Super Estrela, que dominou boa parte das jogadas e chegou com mais perigo ao gol adversário. Tantas tentativas resultaram em gol já no final do primeiro tempo, ainda mais com a ajuda do goleiro do Força, que se complicou e deixou a bola entrar.

Na volta para a etapa final, as modificações do time amarelinho foram de grande influência no jogo. Em uma bela jogada da direita, a bola sobrou dentro da área e o meia Márcio mandou forte no fundo das redes. A virada veio logo depois, numa jogada de escanteio, a bola espirrou novamente ao batedor, que já estava fora do impedimento, cruzou e novamente Márcio mandou o chute ao gol. Final: 2 a 1.

Com o resultado, o Força mantém a liderança com 21 pontos, e deixa o Super Estrela em quarto com 12. O Força termina seus compromissos na primeira fase e espera definição dos outros times para a próxima fase. O Super Estrela volta a campo no sábado contra o Estrela F.C. e luta pelas próximas vagas na segunda fase.

Bellucci perde chances de fechar, toma virada e fica com vice em Moscou

Com um set de vantagem, o brasileiro sacou em 5/4 e 6/5, mas não conseguiu fechar o jogo. Foto: Reuters

Com um set de vantagem, o brasileiro sacou em 5/4 e 6/5, mas não conseguiu fechar o jogo

O brasileiro Thomaz Bellucci não tem motivos para reclamar. Após ter feito um grande primeiro set e sacado para vencer o jogo duas vezes na segunda parcial, o paulista foi superado pelo italiano Andreas Seppi na final do ATP 250 de Moscou e terá que se contentar com o vice-campeonato. Seppi venceu a partida por 2 sets a 1, com parciais de 3/6, 7/6 (7-3) e 6/3, e conquistou o terceiro título de sua carreira, mesmo número do brasileiro.

A segunda posição na capital russa garante um salto de sete posições para o Bellucci no ranking da ATP. Antes na 41ª posição, o canhoto ocupará, a partir de segunda-feira, o 34ª posto - sua melhor colocação desde 20 de fevereiro deste ano. Já Seppi, antes em 25º, pula para a 22ª colocação, melhor marca de sua carreira.

A decisão em Moscou, a primeira do brasileiro em quadra dura, ainda significou para Bellucci igualar sua melhor temporada no circuito. Com as duas finais deste ano (Gstaad e Moscou), alcançou a mesma marca de 2009, quando foi à decisão também em Gstaad e na Costa do Sauípe.

Em seu currículo, Bellucci soma o bicampeonato do ATP 250 de Gstaad e o título ATP 250 de Santiago. Este foi o terceiro confronto entre o brasileiro e o italiano. No primeiro, em Hamburgo 2010, Seppi levou a melhor. Um ano depois, o paulista devolveu a derrota, em Roland Garros.

O jogo

Agressivo, Thomaz Bellucci foi dominante no primeiro set. Sacando muito bem - foram oito aces só na primeira parcial -, o canhoto conseguiu a primeira e única quebra do set no quarto game: 3/1.

Em seguida, precisou salvar um break point para confirmar a vantagem, abriu 4 a 1 e se distanciou no placar. Daí em diante, só administrou o jogo e sem correr riscos fechou o primeiro set por 6/3, em 30 minutos.

Após ambos os tenistas confirmarem seus primeiros saques no segundo set, Bellucci encontrou dificuldades para não ser quebrado no 3º game. O paulista ficou com uma desvantagem de 40 a 0, mas com três excelentes serviços salvou todas as chances do italiano e fechou o game, empatando a parcial em 2/2.

O set seguiu equilibrado até o 7º game, quando Bellucci abriu 40 a 15 no saque de Seppi, quebrou o serviço do italiano e passou a liderar por 4/3. No entanto, quando sacava em 5/4 para vencer a partida, o brasileiro se desconcentrou, deixou Seppi abrir 40 a 0 e permitiu ao italiano devolver a quebra para empatar a parcial em 5/5.

Porém, ao invés de sentir o baque, Belluci mostrou mais garra e quebrou o serviço de Seppi logo em seguida, abrindo 6/5. No entanto, mais um vez sacando para vencer o jogo, sentiu a pressão e foi superado pelo italiano, que levou a segunda parcial ao tie-break. No desempate, Seppi foi mais regular, venceu por 7-3 e fechou o segundo set por 7/6.

O fim da segunda parcial parece ter contaminado o brasileiro, que encontrou ainda mais dificuldade no terceiro set. Logo no primeiro game, Bellucci precisou salvar um break point para manter seu serviço. No quinto, foram três chances de quebra recuperadas. Enquanto o paulista suava para manter seus serviços, o italiano confirmava seus saques com facilidade.

Após tantas oportunidades salvas, Bellucci não resistiu e permitiu a quebra no 7º game. O italiano assumiu a liderança do placar, abriu 5/3 e ainda quebrou novamente o saque do brasileiro antes de fechar a parcial em 6/3, faturando o título do ATP 250 de Moscou.

Terra

Carpegiani não é mais o técnico do Vitória; Ricardo Silva assume

Carpegiani deixou o comando do Vitória na Série B. Foto: Aristides Baptista/A Tarde/Gazeta Press

Carpegiani deixou o comando do Vitória na Série B

Paulo César Carpegiani não comanda mais o Vitória. De acordo com nota oficial divulgada pelo clube na manhã deste domingo, o treinador se reuniu com a diretoria do time baiano e decidiu em comum acordo que se retiraria do cargo.

Ainda segundo o site do clube, o assistente técnico Ricardo Silva vai assumir o time até o final do Campeonato Brasileiro da Série B. O ex-auxiliar já havia treinado o Vitória nas decisões do Campeonato Baiano deste ano, além de outras três vezes.

Carpegiani comandou o Vitória em 31 jogos na Série B, venceu 19, empatou seis e perdeu outras seis. Sua estreia foi contra o Barueri, na Arena Barueri, vencido pelo clube de Salvador por 1 a 0. O aproveitamento do técnico no comando do time foi de 66,6%.

Após ótimo primeiro turno, o time rubro-negro caiu muito de rendimento, mas sempre se manteve entre os quatro primeiros da competição. Com a derrota sofrida para o Atlético-PR no último sábado, o Vitória caiu para a terceira colocação da Série B e viu sua diferença para o quinto colocado cair para apenas seis pontos.

Neste domingo, Carpegiani se despediu de todos jogadores no vestiário do Barradão e o presidente Alexi Portela Júnior já comunicou a todo o elenco a decisão de efetivar Ricardo Silva.

Terra

Átila Abreu vence de ponta a ponta na Stock em Curitiba; Rubinho é o 22º

Com Barrichello em 22º, Átila Abreu (centro) domina etapa de Curitiba da Stock Car. Foto: Miguel Costa Jr./MF2/Divulgação

Com Barrichello em 22º, Átila Abreu (centro) domina etapa de Curitiba da Stock Car

Em uma prova dominada por Átila Abreu de ponta a ponta, a etapa de Curitiba da Stock Car, disputada na manhã deste domingo, teve suas atenções voltadas para o pelotão de trás. Rubens Barrichello, ex-piloto da Ferrari, fez a primeira das três provas que participará na categoria, mas decepcionou, ficando na 22ª colocação.

Barrichello, pilotando como convidado pela Medley, ficou no pelotão de trás durante toda a prova, após largar na 15ª colocação. O ex-piloto da Fórmula 1 ainda sofreu com um furo em seu pneu esquerdo traseiro, arruinando sua corrida, ficando uma volta atrás dos líderes e cruzando a linha de chegada em 22º.

Átila, da Mobil Super Pioneer, pole em Curitiba, largou bem e dominou a prova de ponta a ponta, conquistando sua quarta vitória na categoria, apesar da pressão de Allam Khodair, segundo colocado.

Cacá Bueno, da Red Bull, cruzou a linha de chegada na quinta colocação, mas mesmo assim abriu vantagem na briga pelo título da Stock Car, já que o vice-líder do campeonato, Ricardo Maurício, abandonou a prova devido a um problema de suspensão após se envolver em um acidente. Com isso, o piloto da Eurofarma cai duas posições na competição, sendo ultrapassado por Daniel Serra e Átila Abreu.

Com o resultado, Cacá lidera o campeonato com 147 pontos, seguido por Serra, com 135 e Abreu, com 134. Com a 22ª posição, Rubinho ficou fora da zona de pontuação. A próxima etapa da Stock Car acontece no dia 11 de novembro, em Brasília.

Confira os dez primeiros colocados da etapa de Curitiba da Stock Car

1º) Atila Abreu, Mobil - Super Pioneer Racing
2º) Allam Khodair - Vogel Motorsport
3º) Daniel Serra - Red Bull Racing
4º) Valdeno Brito - Shell Racing
5º) Cacá Bueno - Red Bull Racing
6º) Nono Figueiredo - Mobil Super Pioneer Racing
7º) Antonio Pizzonia - Comprafacil Nascar JF
8º) Julio Campos - Carlos Alves Comp.
9º) Vitor Meira, Officer ProGP
10º) Galid Osman - BMC Racing

Terra