sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Force India surpreende de novo em manhã de teste; Massa é 6º




















Pérez já havia sido o mais rápido de quinta-feira

Mais rápido no primeiro dia de testes da terceira semana de pré-temporada em Sakhir, no Bahrein, Sergio Pérez continuou com bons resultados e manteve a Force India como a mais rápida da manhã do segundo dia de atividades. Em 33 voltas, o mexicano registrou o tempo de 1min35s570, 0s280 mais lento do que na quinta-feira

Assumindo o cockpit da Williams no lugar de Valtteri Bottas, Felipe Massa completou 44 voltas e fechou a primeira parte da sessão em sexto lugar ao cravar 1min39s323.

Superando o desempenho de Kimi Raikkonen, Fernando Alonso foi o responsável por guiar o F14 T e mostrou que a Ferrari está se acertando ao completar 45 voltas e ficar em segundo, apenas 0s064 atrás do líder.

Também com uma mudança de pilotos de um dia para o outro, Jenson Button garantiu a McLaren na terceira colocação, com o giro mais rápido em 1min36s901. Mostrando bons resultados da Marussia, Jules Bianchi fechou em quarto, seguido pelo britânico Lewis Hamilton, que completou 61 voltas e foi quem mais andou, mas teve o desempenho prejudicado por ter escapado da pista durante o treino.

Jean-Éric Vergne e Esteban Gutiérrez ficaram na sétima e na oitava colocação, respectivamente, logo à frente de Daniel Ricciardo, que continuou sem grandes demonstrações e completou apenas 15 voltas, sendo a melhor delas em 1min40s867.

Na Lotus, Pastor Maldonado fechou em décimo, com 1min42s762, e foi seguido por Marcus Ericsson, da Caterham, que atrasou para entrar na pista devido a problemas com peças do carro.

Confira os tempos

1. Sergio Perez Force India-Mercedes 1m35.570s
2. Fernando Alonso Ferrari 1m35.634s
3. Jenson Button McLaren-Mercedes 1m36.901s
4. Jules Bianchi Marussia-Ferrari 1m38.198s
5. Lewis Hamilton Mercedes 1m39.041s
6. Felipe Massa Williams-Mercedes 1m39.323s
7. Jean-Eric Vergne Toro Rosso-Renault 1m39.756s
8. Esteban Gutierrez Sauber-Ferrari 1m40.428s
9. Daniel Ricciardo Red Bull-Renault 1m40.867s
10. Pastor Maldonado Lotus-Renault 1m41.762s
11. Marcus Ericsson Caterham-Renault 1m42.516s

Terra

Dupla Come-Fogo entra na reta final do Paulistão















Antes de entrarem na semana do clássico Come-Fogo, os rivais de Ribeirão Preto começam a fazer as contas para alcançar seus objetivos dentro do Paulistão. As campanhas, no entanto, deixam os dois em lados completamente opostos: o Botafogo, na zona de classificação, quer somar pontos para se garantir entre os dois melhores do Grupo B e ainda beliscar uma vaga na Série D do Brasileiro; o Comercial, por sua vez, está entre os quatro piores e precisa desesperadamente de vitórias para escapar da Série A2. Tudo isso será decidido nos 23 primeiros dias de março, com jogos da 11ª a 15ª rodada que definirão o futuro dos 20 participantes.

Nas análises do doutor em estatística pela USP (Universidade de São Paulo), Marcelo Leme de Arruda, produtor do site Chance de Gol, o Tricolor tem 73,3% de chances de se classificar às quartas de final. A probabilidade do Alvinegro cair de divisão é de 66,2%.

“Em casa, com minha esposa, faço umas continhas para entender melhor como precisamos trabalhar. Acho que, para classificarmos direto, sem precisar de qualquer resultado, temos de chegar aos 30 pontos. Seriam três vitórias e dois empates nas últimas cinco rodadas”, comentou o capitão do Bota, César Gaúcho.

Se nas contas do botafoguense ainda faltam 11 pontos, dos 15 que estarão em disputa, nas do comercialino Vágner Benazzi restam nove de 12, ou seja, três vitórias em quatro jogos.
“Precisamos somar 17 pontos e alcançar a nossa sobrevivência no campeonato. Sei que os torcedores do Comercial estão chateados, mas sofremos dois gols faltando dois minutos. Essas falhas precisam ser corrigidas”, afirmou o técnico, citando a goleada de 3 a 0 sofrida nesta quarta-feira (26) para o Corinthians, no Pacaembu.

O objetivo da comissão técnica comercialina é vencer os dois jogos que restam no estádio Palma Travassos (Ituano e Audax) e ao menos um fora de casa (Botafogo e XV de Piracicaba) para afastar de vez o fantasma da degola e assegurar a permanência do Leão na elite de 2015. O Tricolor ainda terá três jogos em casa, sendo o último contra o São Paulo.

Clássico à vista

Agendado para a 13ª rodada, o clássico Come-Fogo deverá começar a decidir o futuro dos dois rivais. O duelo será no estádio Santa Cruz, onde o mandante Botafogo venceu todos os seus jogos no Paulistão. A partida será disputada num sábado, às 18h30.

Gols no Santão é o trunfo

O Penapolense tem motivos de sobra para temer o Botafogo no estádio Santa Cruz. Além de invicto pelo Paulistão jogando em suas dependências, o Pantera ainda conta com os pés calibrados de seus atletas quando o assunto é fazer gols em casa. Dos 19 tentos marcados até agora, 14 foram no Santão, que resultam aproximadamente 73,7% do total.

“O Wagner [Lopes, técnico] tem dado liberdade para todos tentarem e criarem jogadas de gol. E fazer os gols dá cada vez mais confiança. Espero que a postura se mantenha e consigamos repetir isso contra o Penapolense”, comentou o volante Hudson.

No quesito, o Pantera é o segundo melhor, atrás do Santos. O Peixe fez 75% de seus gols atuando na Vila: 15 de 20.

Winícius revela discussão

Considerado um dos principais lideres do elenco comercialino, o volante Marcus Winícius, que vinha sendo titular absoluto do Comercial e capitão da equipe nos últimos jogos, foi sacado do time e sequer relacionado para o jogo diante do Corinthians na última quarta-feira.

Insatisfeito com o problema de salários atrasados, o volante bateu boca com Nilton Lacerda, irmão do presidente Nelson Lacerda, na concentração do time em São Paulo, mas negou que o desentendimento com o cartola tenha sido o motivo de sua saída do time.

“O Vágner Benazzi me chamou para conversar no treino da manhã, a discussão foi à tarde, estou tranquilo quanto ao meu rendimento”, explicou o volante comercialino.

Jornal A Cidade

Guerrero tem apenas entorse no joelho e fica uma semana fora



















Lesão de Guerrero é menos grave do que o esperado

Os exames de imagem pelos quais passou Paolo Guerrero apresentaram um resultado melhor do que o esperado inicialmente. Não se confirmou a expectativa de lesão de menisco, sendo diagnosticada apenas uma entorse no joelho direito do centroavante do Corinthians.

De acordo com o departamento médico alvinegro, o peruano ficará uma semana em tratamento. Assim, ficará fora da partida da próxima quarta-feira, contra o Linense, no interior. E é difícil que esteja à disposição para o clássico de domingo, contra o São Paulo, no Pacaembu.

Guerrero se machucou na vitória do Corinthians sobre o Comercial, na última quarta-feira. Ele deixou o Pacaembu com dor e uma previsão pessimista dos médicos, mas o inchaço diminuiu bastante na quinta. Os exames acabaram não detectando nenhuma ruptura.O tempo de recuperação previsto torna possível imaginar um retorno contra o São Paulo, especialmente se for levada em conta a disposição do centroavante de atuar no sacrifício. Foi com infiltrações no mesmo joelho que ele se tornou o herói da conquista do Mundial, em 2012.

Mano Menezes, no entanto, disse ter adotado como princípio o retorno sem pressa dos atletas que perderem treinos. Segundo ele, Emerson já tinha condição de enfrentar o Comercial, mas não foi relacionado porque havia perdido muitos treinos por causa de uma pequena cirurgia para tirar um abscesso do braço.

"Quem ficar afastado, quando voltar, vai fazer a preparação total para o retorno, para estar no mesmo nível dos demais. Quero que os jogadores saibam que, estando fora dos treinamentos, obrigatoriamente, terão de passar por uma etapa para ser relacionados novamente. É uma regra de convivência interna muito boa", afirmou o treinador, antes mesmo do diagnóstico de Guerrero.

Terra

Sem patrocínio, Maurren lança site para arrecadar fundos



















Medalhista de ouro na prova de salto em distância dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, e um dos principais nomes do atletismo brasileiro, Maurren Maggi lançou, nesta semana, uma campanha para arrecadar fundos pela internet (veja o site aqui). Depois de cogitar a aposentadoria, a atleta de 37 anos adotou a medida para não parar seus treinamentos.

"Muitos perguntam: se a Maurren Maggi não consegue patrocínio, que chance tem os outros atletas no Brasil? Eu me pergunto o mesmo todos os dias. E espero por meio dessa campanha criar um movimento no Brasil onde nós, atletas, nos unimos e apoiamos uns aos outros, de maneira democrática, aberta, e com o canal diretamente ligado com a multidão", afirmou Maurren no site em que foi colocada sua campanha.

Tendo como foco principal os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, a saltadora espera receber apoio pelos próximos 43 dias, e oferece diversas opções aos interessados em ajudá-la, com contribuições a partir de R$ 10. Contando com diversas formas de pagamento, também é possível receber recompensas pelo valor doado, como camisetas autografadas e a chance de assistir às competições ao lado da atleta.

Sem patrocínio desde janeiro de 2013, Maurren tem como meta arrecadar R$ 100 mil, que servirão "para cobrir os custos e profissionais envolvidos" em seu treinamento - até a manhã desta sexta, pouco mais de R$ 1,1 mil haviam sido levantados. Além do ouro olímpico, a brasileira é recordista e tricampeã pan-americana em Winnipeg 1999, Rio 2007 e Guadalajara 2011, e recordista sul-americana da prova dos 100 m com barreiras e do salto triplo.

Confira algumas declarações de Maurren no site da campanha

Atualmente estou sem patrocínio, diferente dos outros anos que corri atrás de patrocinadores e obtive sucesso. Nesse ano de Copa do Mundo os olhos dos patrocinadores estão voltados para o futebol e os outros esportes ficam de lado. Sou uma atleta que nunca se deixou vencer e nunca medi esforços para representar o nosso Brasil e presentear meus compatriotas com novas medalhas. Quero mais uma vez participar de uma Olímpiada, e desta vez dentro de casa, em 2016, na minha terra natal.

Preciso da contribuição de vocês para me preparar para o próximo desafio da história do atletismo: a Olímpiada de 2016. A participação de todos aqueles que conhecem meu trabalho, que dão valor aos atletas brasileiros será fundamental para o meu retorno aos treinos e para o sucesso dessa campanha.

Terra

Espanha convoca Thiago e Diego Costa e fica "abrasileirada"




















Diego Costa (à esq.) deve estrear com a camisa da Espanha

O treinador Vicente del Bosque fez nesta sexta-feira a convocação para o último amistoso da Espanha antes da lista final para a Copa do Mundo. O experiente técnico chamou o atacante brasileiro Diego Costa e o meia Thiago Alcântara, filho do ex-jogador Mazinho, para enfrentar a Itália na próxima quarta-feira - "abrasileirando" a seleção, nas palavras do diário AS.

Segundo a publicação, a presença da dupla dá um "toque brasileiro" ao time, ainda que Thiago tenha nascido na Itália e defendido as categorias de base da Espanha. Ambos têm dupla nacionalidade (espanhola e brasileira). O jornal cita também a presença do volante Marcos Senna na Eurocopa de 2008, quando ele foi um dos principais jogadores na conquista espanhola do título continental.

Entre as principais ausências, estão o zagueiro Gerard Piqué, do Barcelona, lesionado; e os atacantes David Villa (Atlético de Madrid) e Fernando Torres (Chelsea), titulares na última Copa, que ficaram fora por opção de Del Bosque.

A próxima convocação de Del Bosque será em 13 de maio, quando chamará 30 jogadores. O técnico trabalhará com o grupo até 25 de maio, quando descartará sete nomes para fechar os 23 atletas que defenderão a atual campeã Espanha na Copa do Mundo de 2014.

Confira os convocados para o amistoso com a Itália, na quarta-feira:

Goleiros: Iker Casillas (Real Madrid), Víctor Valdés (Barcelona), Pepe Reina (Napoli)
Defensores: Juanfran (Atlético de Madrid), Sergio Ramos (Real Madrid), Jordi Alba (Barcelona), César Azpilicueta (Chelsea), Raúl Albiol (Napoli), Javi Martínez (Bayern de Munique)
Meio-campistas: Xabi Alonso (Real Madrid), Sergio Busquets (Barcelona), Xavi (Barcelona), Andrés Iniesta (Barcelona), Cesc Fabregas (Barcelona), Koke (Atlético de Madrid), Thiago Alcântara (Bayern de Munique), Jesús Navas (Manchester City), David Silva (Manchester City), Santi Cazorla (Arsenal)
Atacantes: Diego Costa (Atlético de Madrid), Álvaro Negredo (Manchester City), Pedro (Barcelona)

Terra

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Renato culpa azar e gols perdidos por empate do Fluminense




















Renato Gaúcho não ficou satisfeito com o empate

O técnico Renato Gaúcho culpou o azar pelo empate do Fluminense com a Cabofriense por 1 a 1, na noite de quarta-feira, em Macaé, pela 11ª rodada do Campeonato Carioca. Para ele, o time esteve tenso em campo e, por isso, acabou desperdiçando muitas oportunidades de gol, o que provocou o tropeço.

"Depois da derrota para o Botafogo, conversei bastante com o grupo, pois deixamos a desejar. No confronto contra a Cabofriense ficamos inquietos pela quantidade de gols que perdemos. Nossa equipe criou, jogou bem e, no contra-ataque, eles fizeram o gol", disse.

Assim, Renato até festejou o gol marcado por Fred aos 47 minutos do segundo tempo, que evitou a derrota do Fluminense. "Nós cansamos de errar gols. Quando não faz, acaba tomando. Gostei, mas infelizmente a bola não entrou. Fomos premiados, entre aspas, com um golaço do Fred no fim", afirmou.

O empate de quarta-feira levou o Fluminense aos 23 pontos, na vice-liderança do Campeonato Carioca. O time volta a entrar em campo na próxima quarta-feira, às 19h30, diante do Friburguense, no Maracanã, pela 12ª rodada.

Estadão

Seleção espanhola se une para Copa em 26 de maio e pega Bolívia




















Atual campeã mundial, a Espanha confirmou oficialmente nesta quinta-feira que começará a sua concentração para a Copa do Mundo de 2014 em 26 de maio, assim como revelou que fará um amistoso com a Bolívia, quatro dias depois, no Estádio Sánchez-Pizjuán, em Sevilha.

Por meio de nota publicada em seu site oficial, a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) destacou que os jogadores irão se apresentar ao técnico Vicente del Bosque 19 dias antes da estreia do país no Mundial, contra a Holanda, em 13 de junho, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

A escolha do local para o amistoso diante da Bolívia não foi por acaso. Será a 24ª vez que a Espanha disputará um jogo no estádio do Sevilla, onde o país ainda está invicto. A própria cidade que abrigará o duelo diante dos bolivianos já elaborou um cartaz de promoção para a partida, contendo a seguinte frase: "Sevilha, um grande começo para voltar a fazer história".

Na próxima quarta-feira, a Espanha fará um amistoso contra a Itália, em Madri, também já visando a Copa de 2014. Nesta sexta, Vicente del Bosque anuncia a lista de convocados para este duelo diante dos italianos.

Integrante do Grupo B do Mundial, a seleção espanhola também terá como rivais na primeira fase da competição o Chile, em 18 de junho, no Maracanã, e a Austrália, cinco dias depois, na Arena da Baixada, em Curitiba. Antes disso, em sua estreia na competição, os campeões do mundo reencontrarão o rival da final da Copa de 2010, na África do Sul, onde derrotaram os holandeses por 1 a 0, com gol de Iniesta, no Estádio Soccer City.

Estadão

Companheiro de Massa vê Williams no top 10 no início da temporada


















Valtteri Bottas espera que a equipe se aproveite de estar com o melhor motor, mas crê em pelotão apertado em 2014

O companheiro de Felipe Massa, Valtteri Bottas, está otimista quanto ao início de temporada da Williams. A equipe não tem liderado as sessões de testes, mas foi a equipe que mais voltas deu na última bateria, no Bahrein, semana passada. Além disso, o time é equipado com o motor Mercedes, que tem se mostrado mais forte até aqui.

“Se tivermos mais dias como aqueles e se algumas das outras equipes continuarem com dificuldades, então teremos uma vantagem e acho que ela será grande graças ao motor Mercedes”, salientou Bottas. “O trabalho tem sido muito bom até aqui, a parte do motor está funcionando bem.”

O finlandês prepare-se para sua segunda temporada como titular na Williams, após viver um ano difícil com o time em 2013, quando a equipe foi apenas a nona colocada no Mundial de Construtores, à frente apenas das nanicas. Mas Bottas crê que 2014 será bem diferente.

“Neste ponto, comparando com ano passado, está melhor para nós e essa é definitivamente nossa meta porque ano passado não estávamos onde deveríamos. Mas não estamos nos empolgando demais ainda. Não temos ideia do que os outros estão fazendo. Vendo os tempos ainda é difícil saber, então vamos esperar para ver.”

Mesmo com as dúvidas sobre a relação de forças na temporada, Bottas avaliou que o motor Ferrari não está tão atrás do Mercedes. “Eles também parecem fortes. A confiabilidade não é muito ruim, e veremos o quanto a Renault consegue melhorar. Não acho que devemos subestimar ninguém, mas estamos esperando estar no grupo do top 10 e minha sensação, pelo menos para o início da temporada, é que os carros com motores Mercedes estarão na frente. Acho que o pelotão pode estar bem apertado – especialmente o top 15.”

Terra

Após irritação, italianos criticam Adriano: "ex-imperador"



















Adriano entrou no final do segundo tempo e só ficou dez minutos em campo contra o Vélez

O jornal italiano La Gazzetta dello Sport criticou o atacante Adriano pela irritação com o técnico do Atlético-PR, Miguel Ángel Portugal, que resolveu colocá-lo em campo só nos 10 minutos finais da derrota por 2 a 0 para o Vélez Sarsfield, pela Copa Libertadores. A publicação chamou o centroavante de "ex-Imperador" e disse que "durou pouco a lua de mel" do jogador com o clube.

A Gazzetta também criticou o fato de Adriano não ter comparecido à entrevista coletiva após a partida, e cita que o jogador "ainda não está em condições físicas ótimas". Segundo o jornal, o centroavante "protestou de modo excessivo" contra o treinador e não o cumprimentou na saída de campo.

Miguel Ángel Portugal já amenizou as críticas de Adriano, dizendo que se deve proceder com calma com o centroavante e dar a ele minutos em campo de forma gradual. O zagueiro Manoel também defendeu seu companheiro de equipe, dizendo que Adriano só quer o melhor para o Atlético-PR.

Terra

Mano toma cuidado com Luciano e prevê jogos "não tão bons"




















Luciano brilhou em vitória do Corinthians

O técnico Mano Menezes elogiou o trabalho realizado por Luciano em sua primeira participação significativa pelo Corinthians - no jogo anterior, havia atuado pouco mais de um minuto - antes de adotar alguma cautela com o atleta de 20 anos. Ele previu dificuldade maior na sequência do meia-atacante, autor de dois gols na vitória por 3 a 0 sobre o Comercial, na última quarta.

"O futebol é exatamente assim. Às vezes, você sonha com alguma coisa. O Luciano provavelmente sonhou, e a realidade foi maravilhosa, mas a gente sabe que outros jogos virão e não serão tão bons assim. Ele é um menino, vai oscilar, como é natural nessa fase da carreira", afirmou o treinador, que prometeu bater um papo com o novo artilheiro.

"Ele tem uma cabeça boa. Sabemos que o futebol vive de heróis e vilões. Ele é o herói da vez, com o nome estampado nas manchetes. Isso logicamente vai ter que ser bem entendido por ele. No próximo jogo, a cobrança será maior também. Quando não existe expectativa, tudo o que se faz está bom. Quando há a expectativa, é preciso estar preparado para ela", acrescentou.

Depois de responder algumas perguntas sobre o possível deslumbramento de Luciano, Mano procurou apontar "o aspecto bom". Segundo o técnico, o sucesso do meia-atacante contra o Comercial pode motivar outros garotos, como o atacante Paulinho, que estão à espera de uma oportunidade. E vai certamente motivar o próprio Luciano.

"A gente está aqui para ajudá-lo. Não queremos criar fantasmas. É bom o que ele fez. A penas a gente vai conversar com ele para que fique estabelecido que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. Os próximos 90 minutos vão ser muito mais duros", concluiu Mano Menezes.

Terra

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Com “padrão ATP”, Brasil Open tenta apagar vexame de 2013



















Nova quadra auxiliar climatizada é a grande novidade de 2014

A impressão deixada em 2013, quando teve a pompa de receber o tenista espanhol Rafael Nadal - à época no início do retorno às quadras após grave lesão -, não foi boa. Muito criticado por tenistas, jornalistas e público, o Brasil Open, então disputado pelo segundo ano seguido em São Paulo, se viu em uma saia-justa, apesar do enorme sucesso de bilheteria. Para este ano, mudanças foram feitas e algumas já renderam elogios ao torneio que tenta buscar o “padrão ATP”.

Na última edição, em 2013, as ocorrências foram desastrosas para a imagem do torneio. Quase todos os tenistas que passaram pelo complexo de quadras do Ginásio do Ibirapuera, incluindo Rafael Nadal, tiveram algo a reclamar. As críticas, pesadas, foram das quadras até à estrutura das arquibancadas - as bolas também foram alvo de grande polêmica.

Organizadora do torneio, a Koch Tavares despediu-se de 2013 com a promessa de fazer um torneio melhor. E tem feito, apesar de não poder mensurar o quanto é, já que a esvaziada edição de 2014 dificilmente terá os olhares e a presença do público do ano anterior, com a presença de Nadal.

- Quadras

Em 2013, linhas das quadras se descolaram e as reclamações dos atletas para a qualidade do terreno montado eram constantes. Tenista chegaram a chamar a quadra de “m…” durante um dos jogos e sofreram até torções pela má preparação do saibro. A rapidez da quadra também irritou vários jogadores, que viram seu jogo ser prejudicado. Em 2014, até agora, foram só elogios.

“Eu tinha dificuldade nos outros anos aqui por ser uma quadra bem rápida. Estava bem complicado, mas agora com as modificações gostei bastante. Acho que todos os tenistas gostaram. A quadra está melhor, a bola está melhor. Pelo menos para mim, ajudou no meu jogo”, disse o brasileiro Rogerinho, após a vitória que o colocou nas oitavas do torneio pela primeira vez - as “condições muito boas” da quadra foram confirmadas por Guilherme Clezar, mesmo derrotado.

- Fim do Ginásio Mauro Pinheiro

Até a edição de 2013, o Brasil Open utilizava o Ginásio Mauro Pinheiro, bem próximo ao do Ibirapuera, para as partidas secundárias. As condições do local eram precárias - foi lá que houve o grito de quadra de “m…”  - e bastante criticadas por tenistas. No último ano, a organização realizou até manutenções com o torneio em andamento, interrompendo as disputas.

Para 2014, o panorama mudou. Logo ao lado Ginásio do Ibirapuera, perto do portão principal para a entrada de carros, foi construído um ginásio climatizado para servir de quadra secundária. O local ganhou elogios de torcedores ouvidos pelo Terra por ser praticamente colado à quadra central e por, curiosamente, ter uma temperatura mais agradável do que o ginásio em si por causa da climatização.

Outro fator interessante da quadra auxiliar é que as arquibancadas são bem próximas ao saibro onde ocorre a disputa. A distância de basicamente cinco metros dos profissionais é um atrativo a mais e agradou ao público - durante o jogo entre  o italiano Paolo Lorenzi e o espanhol Pere Riba a presença de torcedores era boa no ginásio secundário.

- Mudanças para os torcedores

Muito criticada em 2013, a estrutura do ginásio principal do Ibirapuera também passou por melhorias. O local, de acordo com a Koch Tavares, recebeu mais climatizadores para amenizar a sensação de calor - com a quadra lotada para ver Rafael Nadal, a alta sensação térmica dentro do abafado ginásio incomodou bastante o público na última edição. Mesmo com os novos climatizares e o ginásio longe de estar lotado, o local ainda assim tinha uma sensação de abafamento.

Outra novidade é a numeração dos assentos nos ingressos. As acusações de superlotação e de ingressos falsos da edição de 2013. quando torcedores tiveram que sentar em escadas e invadir a área de imprensa para acompanhar partidas, motivaram a iniciativa. A reportagem do Terra pode perceber que nas cadeiras, onde o público se concentrava durante o jogo de Thomaz Bellucci, a nova norma era respeitada pela maioria dos torcedores que chegavam.

Há, também, mais opções de bares para torcedores - os preços. inclusive, são menores do que os utilizados no Rio Open da última semana. Há ainda concorrência entre os dois estabelecimentos e os preços não são padronizados: um deles, que só aceitava dinheiro, cobrava R$ 6 em uma cerveja long neck, enquanto o outro, com máquina de cartão, pedia R$ 0,50 a mais pelo mesmo item.

Presidente da ATP elogia torneio

No início da semana, as mudanças para a edição de 2014 foram muito elogiadas por Chris Kermode, presidente da ATP que passou pelo local para avaliar como estava o torneio. Em passagem pelo Brasil, o represente da entidade que comanda o tênis citou que ficou impressionado.

"Desde que cheguei o Gayle Bradshaw (vice-presidente executivo de regras e competição da ATP) me contou que todos os problemas tinham sido resolvidos, que haviam feito um trabalho incrível e me falou de uma maneira muito positiva. E eu fiquei impressionado pela disposição que todos têm mostrado, muito proativos. Os jogadores estão incrivelmente felizes˜, afirmou.

Terra

Jornal: entorno do Beira-Rio só ficará pronto em meio à Copa



















Beira-Rio tem problemas para finalizar obras no entorno do estádio a tempo

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o edital da licitação da obra para pavimentação e urbanização no entorno do Beira-Rio prevê a conclusão em apenas quatro meses - quando a Copa do Mundo já estará em andamento. Ainda não se sabe nem qual empreiteira será responsável pelo projeto. Na semana passada, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, criticou a demora na reforma do Beira-Rio e disse que há "muito a fazer" no entorno do estádio.

Apesar de a reforma do estádio ter sido bancada pela empreiteira Andrade Gutierrez, as obras ao redor serão pagas pelo Internacional e pelo poder público. Um novo edital de licitação deve ser publicado nesta semana, segundo a prefeitura. O Beira-Rio vai receber cinco jogos da Copa do Mundo: França x Honduras, Austrália x Holanda, Coreia do Sul x Argélia, Nigéria x Argentina e uma partida das oitavas de final.

Terra

Em paz com torcida, Bellucci vira “tenista da virada e do amor"




















Torcedores paulistas fizeram as pazes com Bellucci

O clima antes da entrada de Thomaz Bellucci na quadra do Brasil Open na última terça-feira, quando o tenista fez sua estreia em 2014 no Ginásio do Ibirapuera, era de incerteza. A última vez em que esteve em São Paulo o brasileiro não teve boas recordações: em 2013, saiu de quadra vaiado e teve até que conviver com a torcida local torcendo para o adversário na derrota na segunda rodada para o italiano Filippo Volandri. Desta vez foi diferente, em mais uma virada sobre o colombiano Santiago Giraldo com o “amor” da torcida, assim como na estreia no Rio Open.

A torcida nacional inicialmente se mostrou tímida e soltou apenas recatados aplausos, o que aumentou o ar de dúvida sobre a postura a favor ou contra o paulista de Tietê. Não demorou, contudo, para mostrar que seria a favor do brasileiro:  na primeira quebra do tenista no confronto, logo no segundo game, o Ibirapuera viu o barulho crescer com o winner que deu a vantagem a Thomaz Bellucci.

No entanto, o set inicial foi marcado por altos e baixos do tenista, o que irritou um pouco a torcida local. Gritos de “ahhhhhhh”, mãos levadas à cabeça e murmúrios de insatisfações após erros fáceis do atleta nacional devolveram o clima de desconfiança ao ginásio. Parte da torcida continuou com o brasileiro e gritou “Vamos, Bellucci” e “Vai, Thomaz” - apesar de alguns serem nitidamente em tom ameaçador - após o tenista começar a se enrolar com a parcial. Não deu certo e o colombiano Santiago Giraldo abriu um set de vantagem na partida.

Se Bellucci precisava de uma prova de que a torcida estaria ao seu lado, ela veio no início do segundo set. Quando os tenistas se encaminharam para iniciar a parcial, os paulistas apoiaram o tenista brasileiro com força. Os altos “ahhhh” dos torcedores em erros ainda eram notórios e deixavam Thomaz desconfortável, mas os gritos de apoio, mais fortes ainda a cada ponto ganho, empurravam o tenista.  Era a prova de que os paulistas entenderam como o tenista de Tietê funciona e de que haviam feito as pazes com ele.

Daí para frente, Bellucci se soltou. No quinto game do segundo set, quando o paulista confirmou o serviço com um lindo drop shot, o Ibirapuera veio abaixo. A torcida não lotou o ginásio, mas o fato dele ser fechado impulsionou o barulho. No intervalo para a troca de lados, o público cantou, em alto e bom som, o nome do tenista e pediu: “vamos quebrar! Vamos quebrar!”. Não foi logo na sequência, mas o apoio dos torcedores a cada ameaça de queda de Bellucci deram ao tenista o empate em sets - o som quando o tenista ganhou a parcial, após desperdiçar três set points por erros bobos, superou qualquer lembrança de vaia de 2013. ​

Com o apoio dos torcedores cada vez maior, o tênis do brasileiro também cresceu. Assim, o terceiro set foi, de longe, o mais fácil entre todos: Thomaz passou a render muito mais do que nos dois iniciais e Giraldo, com problemas físicos, sofreu brusca queda. A vitória veio e, logo depois, na coletiva após a partida, Bellucci negou que tenha entrado nervoso ou duvidado do apoio dos paulistas - muito por causa da semana que teve no Rio de Janeiro, com bom desempenho e força dos fãs.

"Não entrei nervoso, semana passada (Rio Open) foi muito legal o apoio da torcida. Quando você faz mais jogos no país, acho que você vai se acostumando, o nervosismo diminui. Quando você faz um jogo só, você fica muito nervoso, quando você faz uma seqüência de jogos, te dá mais conforto. Não passou pela cabeça (que teria vaias), hoje a torcida me apoiou igual no Rio de Janeiro, esteve o jogo todo ao meu lado”, comentou.

Bellucci é o tenista da virada

Além de sair com a vitória, o brasileiro Thomaz Bellucci também confirmou uma nova tendência: virou o tenista das viradas em casa. Nos dois triunfos do Rio de Janeiro, o paulista saiu atrás no placar, mas conseguiu reverter a situação. Curiosamente, no único jogo em que começou com vantagem, perdeu para o espanhol David Ferrer, nas quartas de final. Após o jogo em São Paulo, Bellucci brincou com a seqüência de viradas.

“Se isso for me fazer ganhar, acho que sim (vai começar perdendo as partidas)", riu, antes de apontar a melhora na partida e a mudança na troca de bolas como fatores primordiais para sair vitorioso. Com o apoio da torcida e com a nova superstição, Bellucci jé pode fazer jus aos gritos de estádios de futebol: é o tenista “da virada e do amor”.

Terra

Grêmio vende 50% do passe e pode perder 3 jovens promessas




















Principal nome da vitória do Grêmio sobre o Atlético Nacional, volante Ramiro tem parte do seu vínculo negociado

Destaques do Grêmio na vitória sobre o Atlético Nacional, por 3 a 0, pela Copa Libertadores, o lateral esquerdo Wendell e o volante Ramiro podem não ter vida longa no Rio Grande do Sul. O time tricolor está negociando a venda de 50% dos vínculos econômicos dos dois e do zagueiro Bressan, o que abre espaço para especulações de uma possível saída em breve do trio.

Os percentuais dos vínculos econômicos de Bressan e Ramiro estão sendo vendidos ao empresário Giuliano Bertolucci. O clube gaúcho ficará apenas com 20% dos atletas, já que os outros 10% pertencem à família dos jogadores. De acordo com o diretor executivo de futebol do Grêmio, Rui Costa, apesar do temor trazido pela notícia, a intenção do time tricolor é permanecer com a dupla até o fim do ano.

"O Grêmio está fazendo uma operação nesse sentido, vamos ficar com percentual dos jogadores em uma possivel venda. A ideia é que permaneçam no Grêmio até o final do ano. Mas também depende das janelas do meio do ano", disse.

Apesar da declaração do dirigente gremista, o empresário de Bressan, Marcelo Lipatin, deixou transparecer de que o zagueiro pode ir para a Europa no meio deste ano. "Realmente estou sabendo desta negociação (da venda da porcentagem). Como o Bressan não vem jogando no Grêmio é possível que ele saia no meio do ano: ou para Portugal ou para Inglaterra".

Já o lateral esquerdo Wendell, que vem suprindo bem a saída de Alex Telles, terá 50% dos seus direitos econômicos negociados com o Bayer Leverkusen. O clube alemão deve pagar cerca de 5 milhões de euros (aproximadamente R$ 16 milhões) pela porcentagem do jogador. O Grêmio terá de dividir este valor com um grupo de investidores, que ajudou a contratá-lo junto ao Londrina. O time paranaense detém os outros 50% do lateral.

As negociações feitas pela diretoria tricolor visam sanar algumas pendências de direito de imagem que o clube tinha com jogadores que já deixaram o elenco e com atletas que ainda vestem a camisa do Grêmio.

Terra

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Felipão convoca Jô e Fred e fecha porta para surpresas

Fred perdeu pênalti no clássico de domingo contra o Botafogo, mas recebeu voto de confiança de Scolari Foto: Getty Images

Fred perdeu pênalti no clássico de domingo contra o Botafogo, mas recebeu voto de confiança de Scolari

Luiz Felipe Scolari anunciou nesta segunda-feira os últimos três convocados para o amistoso contra a África do Sul, em Johannesburgo, no dia 5 de março. O treinador descartou surpresas e chamou o goleiro Jefferson e os atacantes Fred e Jô, fechando portas para surpresas antes da Copa do Mundo. 

Alan Kardec, do Palmeiras, Leandro Damião, do Santos, e Hernane, do Flamengo, eram cogitados nesta convocação em decorrência da incerteza sobre Fred. O centroavante do Fluminense perdeu o segundo semestre de 2013 por conta de lesão e ainda não fez boas apresentações nesta temporada. Ainda assim, teve o voto de confiança do treinador. 

A aposta em Fred, inclusive, reduz de maneira considerável a possibilidade de surpresas para a convocação final para a Copa do Mundo - Jô e o atacante do Fluminense devem, de fato, ser os centroavantes da Seleção. Imprevistos, porém, podem acontecer. 

Com as últimas três incluões, Scolari fechou a lista de 19 jogadores para o duelo com a África do Sul. Inicialmente, Felipão havia convocado 16 nomes - todos de jogadores que atuam na Europa. Em decorrência do tempo curto para trabalhar, o treinador da Seleção optou por levar um grupo mais compacto em vez de um grupo de 22 ou 23 jogadores. 

"É mais uma oportunidade para reunir o grupo, a última antes da convocação final da Copa do Mundo. Será um teste importante, com uma seleção africana, que recentemente venceu a Espanha, e um bom momento para conversar com os jogadores e a comissão técnica sobre o planejamento para a competição", destacou Felipão, em declaração reproduzida pela CBF. 

O amistoso contra os sul-africanos será a última oportunidade do técnico Luiz Felipe Scolari para testar jogadores antes da lista final dos convocados para a Copa do Mundo de 2014. A partida será disputada no estádio Soccer City, em Johannesburgo, palco da final do Mundial em 2010. O amistoso terá início às 14h (de Brasília).

Terra

Em súmula, árbitro relata ofensas e palavrões de Bruno César

Bruno César pode se complicar no tribunal Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Bruno César pode se complicar no tribunal

Expulso no duelo do último domingo contra o Botafogo-SP, o meio-campista Bruno César, recém-chegado ao Palmeiras, pode se complicar no tribunal. O árbitro da partida Robério Pereira Pires relatou, na súmula do jogo, que o ex-corintiano o ofendeu com palavrões logo após a marcação de uma falta e a aplicação do cartão amarelo ao jogador. 

"Expulso diretamente com o uso do cartão vermelho por depois de cometer uma infração e ser advertido com cartão amarelo, dirigir-se a mim em elevado tom de voz, proferindo as seguintes palavras: ‘vai tomar no c..., filho da p...’, apontou o árbitro na súmula do confronto, que terminou com vitória de 3 a 1 do time de Ribeirão Preto sobre a equipe alviverde. 

Bruno César foi expulso aos 29min da etapa final. O jogador havia acabado de cometer uma falta e tomar o cartão amarelo, quando se dirigiu com reclamações para o árbitro. Robério não perdoou a atitude e tirou o cartão vermelho do bolso para expulsar o jogador. 

Com a ofensa relatada, o meio-campista pode se complicar no julgamento do TJD (Tribunal de Justiça Desportiva). Gilson Kleina, técnico do Palmeiras, já prometeu que irá ter uma conversa com o jogador sobre a atitude no jogo do último domingo.

Terra

Brasil fecha Sochi com resultados discretos e "esperanças"

Equipe brasileira ficou com o 29º lugar entre 30 times no masculino Foto: Reuters

Equipe brasileira ficou com o 29º lugar entre 30 times no masculino

A Olimpíada de Inverno de 2014, em Sochi, contou com a maior delegação da história do Brasil em edições do evento: 13 atletas. Ainda é utopia pensar em briga por medalhas, mas há quem deixe a cidade russa com motivos para comemorar.

Os responsáveis pela delegação, no geral, se mostraram satisfeitos. “Estamos muito contentes. Tivemos a melhor participação olímpica de todos os tempos”, destacou Stefano Arnhold, presidente da Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN) e chefe de missão do Brasil em Sochi.

Patinadora Isadora Williams é esperança para 2018 Foto: Reuters

Patinadora Isadora Williams é esperança para 2018

O Brasil estreou em três modalidades que jamais havia disputado: esqui aerials (com Josi dos Santos), bobsled feminino e patinação artística (com Isadora Williams).

Satisfeito em especial, o presidente da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo (CBDG), Emilio Strapasson, também fez uma avaliação positiva.

“Estou muito feliz por trazer dois times de bobsled. Um mês atrás, a gente nem sabia se estava classificado”, disse, lembrando a confirmação da vaga em janeiro e a simples presença entre os classificados para a modalidade. “A gente está entre os melhores o mundo. Você precisa respeitar quem treina há quatro, oito anos. A gente furou a fila. A gente podia estar vendo em casa, podia estar assistindo, mas está aprendendo”, completou o cartola. Em Vancouver 2010, o Brasil não teve nenhum atleta em competições no gelo.

Josi Santos se emocionou com exibição e foi muito aplaudida pelo público em Sochi Foto: AFP

Josi Santos se emocionou com exibição e foi muito aplaudida pelo público em Sochi

Emílio também aprovou a estreia de Isadora, que mora e treina nos Estados Unidos, mas que compete pelo Brasil desde 2009. Filha de um americano com uma brasileira, ela procurou a CBDG para buscar apoio na tentativa de competir pelo País – conseguiu, foi aplaudida em Sochi, começou a aprender português e recebeu a chance de ser porta-bandeira na Cerimônia de Encerramento, neste domingo.

“Tem quem manter o investimento nela”, disse Emílio. “Ela é muito boa. Infelizmente, ela não conseguiu mostrar a qualidade que ela tem. É excepcional, determinada, competitiva, dedicada”, listou o dirigente.

Mesmo com tantos elogios aos estreantes, o time brasileiro ainda deixa a Olimpíada de Inverno sob algumas desconfianças. Atletas mais experientes, que não raro já passaram dos 35 anos, podem ter feito sua última participação olímpica. Pior: sem conseguirem deixar claro se há uma reposição em suas modalidades.

Confira o balanço final do Brasil em Sochi:

Bobsled feminino: em alta
Pela primeira vez, o Brasil classificou uma dupla feminina para disputar o bobsled na Olimpíada de Inverno. Fabiana Santos e Sally Mayara ficaram na 19ª posição dentre 19 times, brigando apenas para tentar superar o trenó da Coreia do Sul (18º) nas baterias.

Bobsled masculino: em alta
Com pouco mais de um ano de treino, justamente após quatro anos de bloqueio da CBDG, a equipe conquistou uma vaga para disputar os quartetos. Com o 29º lugar entre 30 times, à frente do Canadá III (que se acidentou na segunda bateria), o time ficou fora da bateria decisiva. Mesmo assim, o time ficou satisfeito com a performance.

Isabel Clark (snowboard): em baixa
Dona do melhor resultado do Brasil em uma Olimpíada de Inverno (foi a nona colocada no snowboard cross em 2006), Isabel chegou a animar na primeira eliminatória da prova em 2014, conseguindo o 12º lugar. No entanto, caiu em sua bateria nas quartas de final e se despediu prematuramente. Pode ter dado adeus.

Isadora Williams (patinação artística): em alta
Dentre as 30 atletas que fariam o programa curto feminino, Isadora foi última colocada, com nota baixa: 40.37 pontos. Problema? Nenhum. Aos 18 anos, a patinadora nascida nos Estados Unidos se tornou uma sensação na delegação, sendo escolhida como porta-bandeira do Brasil na Cerimônia de Encerramento. Em 2018, terá 22 anos, e pode surpreender.

Jaqueline Mourão (biatlo e cross country): em alta
Com pouco tempo de treino no tiro, prática iniciada em 2010, Jaqueline surpreendeu no sprint de 7,5 km d biatlo (um erro em dez tiros, 77º lugar), embora não tenha repetido o aproveitamento no individual de 15 km (sete erros em 20 tiros, 76º lugar). No cross country, categoria sprint, foi a 65ª colocada. Disputou uma Olimpíada pela quinta vez, sendo a terceira edição em esportes de inverno.

Jhonatan Longhi (esqui alpino): em baixa
Aparentemente fora de forma, foi o 58º no slalom gigante e ainda acabou desclassificado no slalom. Já admitiu que pode mudar de prova para tentar disputar a Olimpíada de Inverno de 2018, em Pyeongchang (Coreia do Sul), quando terá 30 anos.

Josi Santos (esqui aerials): em alta
A ex-ginasta chegou à Rússia no centro das atenções após o acidente de sua companheira Laís Souza em treinos nos EUA – hospitalizada, Laís perdeu a vaga na Olimpíada. Josi admitiu que sua meta era se classificar para a Olimpíada de 2018, em Pyeongchang (Coreia do Sul), mas lidou bem com a pressão. Não chegou à final, mas foi aplaudida ao terminar na 22ª posição da classificação geral.

Leandro Ribela (cross country): em baixa
Em sua segunda participação olímpica, aos 33 anos, ainda não sabe se terá pique – inclusive financeiro – para mais um ciclo de quatro anos. No sprint masculino, foi o 80º colocado dentre os 86 inscritos na prova.

Maya Harrisson (esqui alpino): em baixa
É mais uma que pode ter se despedido das Olimpíadas de Inverno, já que declarou que pretende retomar os estudos. Com 21 anos, conseguiu o 39º lugar no slalom e o 54º no slalom gigante.

Terra

Jason Collins se torna primeiro gay assumido a jogar na NBA

Jason Collins fez história nas ligas profissionais americanas nesse domingo Foto: AP

Jason Collins fez história nas ligas profissionais americanas nesse domingo

Horas depois de assinar um contrato de apenas 10 dias com o Brooklyn Nets, o veterano pivô Jason Collins, 35 anos, entrou em quadra na noite desse domingo para enfrentar o Los Angeles Lakers e conseguiu dois feitos: ajudou sua equipe a conseguir a vitória e ainda se tornou o primeiro atleta assumidamente gay a jogar na NBA.

Mesmo fora de casa, os Nets venceram por 108 a 102. Collins esteve em quadra por 10 minutos, e conseguiu dois rebotes. Sua presença na partida, no entanto, foi o maior destaque da noite: o jogador quebrou um tabu entre as quatro maiores ligas profissionais esportivas dos Estados Unidos. Nunca na história da NBA (basquete), NFL (futebol americano), MLB (beisebol) e NHL (hóquei) um atleta havia assumido a homossexualidade enquanto em atividade.

O general manager da franquia, Billy King, afirma que o acordo foi feito apenas por motivos esportivos: "a decisão de assinar com Jason foi uma decisão puramente por causa do basquete. Com sua experiência, nós sentimos que a escolha certa era o contrato de dez dias". O pivô revelou ser homossexual no mês de abril de 2013, após atuar em sua última partida na NBA, defendendo a camisa do Washington Wizards.

Durante o tempo em que ficou sem time, Collins treinou por conta própria em sua residência em Los Angeles. Em 713 partidas disputadas em 14 anos na NBA (sete deles nos Nets quando a franquia tinha sede em Nova Jersey), o jogador teve médias de 1,1 ponto e 1,6 rebote.

Terra

Salvador para são-paulinos, Ceni irrita santistas por postura

São Paulo e Santos fizeram clássico movimentado que terminou com empate sem gols

Nada mais natural do que um goleiro ser o protagonista de um clássico que terminou 0 a 0. Mas Rogério Ceni deixou o Morumbi no domingo como nome mais falado do jogo São Paulo x Santos por outros motivos além da defesa salvadora aos 26min em cabeçada de Leandro Damião. "Estou velho, mas ainda pego uma ou outra", brincou o jogador, que ao todo fez quatro intervenções em chutes santistas.

Por sua atuação, Ceni teve de dividir a atenção com uma falha logo no começo da partida. O goleiro errou uma saída de bola, chutando em cima de Geuvânio, e ofereceu ao Santos a primeira oportunidade de gol, evitada por Rodrigo Caio. No lance em que salvou o Sâo Paulo, Ceni deu um chutão estranho na origem da jogada, mas fica difícil defini-lo como falha.

Para os santistas, no entanto, Rogério Ceni ficou mais marcado por sua constante presença ao lado do árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza. Jogadores e o técnico Oswaldo de Oliveira reclamaram do comportamento do goleiro, principalmente por dois lances.

Ainda no primeiro tempo, Ceni pressionou o árbitro por um carrinho de Geuvânio. O santista foi amarelado. “O Geuvânio se atirou em cima da bola. O Rogério saiu do gol para reclamar e ele deu cartão. Osvaldo tinha feito pior e ele não deu nada" desabafou Oswaldo.

Já na segunda etapa, o são-paulino reclamou com veemência da marcação de pênalti e, na visão dos santistas, exagerou ao alertar o árbitro da marcação de impedimento de Rildo. "O Rogério manda no jogo... Foi pênalti, mas como o Rogério manda, o juiz não deu", afirmou o atacante Gabriel.

Idolatrado por são-paulinos, Rogério Ceni é hoje o jogador que mais desperta raiva de rivais. No outro clássico disputado pelo São Paulo na temporada, palmeirenses criticaram o goleiro por suspostamente ter tentado passar a perna em Valdivia na comemoração de um gol. Já os corintianos têm na lembrança o pênalti defendido por Cássio como um dos melhores momentos do clube em 2013.

Aranha também faz bonito

Do outro lado, Aranha também teve seus bons momentos no clássico. O São Paulo errou muito mais do que acertou o alvo, mas quando exigido o goleiro santista mostrou segurança. Se não teve uma defesa de destaque como Rogério Ceni, o goleiro apareceu bem principalmente em um chute de Pabon e recebeu elogio do adversário. “O Aranha também pegou boas bolas”, disse.

Terra

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Canadá goleia Suécia e confirma domínio no hóquei sobre gelo

Canadá levou medalha de ouro no hóquei sobre o gelo Foto: AFP

Canadá levou medalha de ouro no hóquei sobre o gelo

O Canadá confirmou, na manhã deste domingo, a supremacia no hóquei no gelo. Na final do esporte nos Jogos de Inverno de Sochi (Rússia), a seleção da América do Norte fez 3 a 0 na Suécia e se sagrou com a medalha de ouro, para delírio da fanática torcida do hóquei canadense. 

Melhor jogador de hóquei sobre o gelo do mundo, Sidney Crosby confirmou a fama de aparecer nos momentos decisivos. Assim como em Vancouver 2010, o canadense vinha fazendo um campeonato irregular até se mostrar decisivo na final. O atleta do Pittsburgh Penguins (EUA) marcou um dos três gols do Canadá na vitória - Jonathan Toews e Chris Kunitz completaram o placar sobre os escandinavos.

Com o resultado, a equipe da América do Norte ultrapassou a extinta União Soviética e se firmou como a maior vencedora do hóquei sobre o gelo masculino, com nove títulos. Em 23 edições dos Jogos Olímpicos de Inverno, o Canadá ficou de fora do pódio apenas oito vezes.

No hóquei sobre o gelo feminino, o domínio é ainda maior. Em cinco edições, as canadenses foram campeãs em quatro, incluindo a de Sochi 2014.

Terra

Brasil vai mal no bobsled em adeus a Sochi; Rússia é ouro

Brasileiros ficaram fora da final do bobsled Foto: Getty Images

Brasileiros ficaram fora da final do bobsled

A última participação brasileira nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, disputados na cidade russa de Sochi, terminou com um modesto penúltimo lugar na disputa do bobsled masculino.

Após terminar o sábado em antepenúltimo após as duas primeiras corridas, o time nacional caiu uma posição na terceira bateria, neste domingo, e ficou com a 29ª colocação entre 30 participantes, à frente apenas do terceiro time canadense, que sofreu um acidente na segunda corrida. 

Os brasileiros se complicaram com a largada neste domingo, durante a terceira entrada dos quatro atletas. O piloto Edson Bindilatt se enrolou com uma das pernas ao tentar entrar no trenó e atrasou a entrada de todos os componentes. Com a penúltima posição, o País não conseguiu a classificação para a quarta e decisiva corrida, na qual apenas os 20 primeiros se classificavam. 

O tempo total brasileiro no bobsled após as três descidas foi de 2min50s71. Mesmo com o acidente na segunda corrida, os canadenses, últimos na prova, ficaram somente nove centésimos atrás do Brasil. 

Na quarta corrida, a Rússia assegurou mais uma medalha de ouro para o país sede dos Jogos. Com o tempo total de 3min40s60, o time local ficou à frente da Letônia (3min40s69) e Estados Unidos (3min40s99).

Terra

Chelsea, Arsenal e City vencem e seguem sobrando no Campeonato Inglês

Campeonato_Inglês

Trio de ponteiros do Campeonato Inglês, Chelsea, Arsenal e Manchester City venceram neste sábado seus compromissos contra Everton, Sunderland e Stoke City, mantendo quente a briga pelo título da competição, antes mesmo do encerramento da 27ª rodada.

Os 'Blues' abriram a série de jogos do fim de semana vencendo de maneira dramática o Everton, no estádio Stamford Bridge, por 1 a 0. O resultado que garantiu o time londrino na liderança da competição com 60 pontos.

O gol da vitória 'blue' foi creditado ao zagueiro John Terry, que retornava ao time depois de uma lesão, aos 48 minutos do segundo tempo. Em lance confuso, o defensor apareceu na área, se jogando em direção ao goleiro Tim Howard, após cobrança de Frank Lampard. Houve um desvio e a bola entrou.

O camisa 24 do time de Liverpool, aliás, acabou sendo o grande nome da partida, ao segurar o ataque do Chelsea por mais de 90 minutos até a abertura do placar.

Pelo time de Londres, os brasileiros Willian e Oscar começaram jogando. Ramires entrou no decorrer da partida. O zagueiro David Luiz ficou fora por ter apresentado dores musculares em treinos durante a semana.

Assim como o Chelsea, o Arsenal também jogou em Londres e "exorcizou" a derrota sofrida no meio de semana para o Bayern de Munique, batendo o Sunderland por 4 a 1. Com o resultado, o time chegou aos 59 pontos, seguindo colocado na liderança na tabela.

Giroud, duas vezes, Rosicky e Koscielny marcaram a favor dos 'Gunners', que chegaram a abrir quatro gols de vantagem, até que o meia italiano Giaccherini balançou as redes para o 18º colocado na tabela.

O alemão Mesut Özil, que perdeu pênalti na partida contra o Bayern, quando o jogo ainda estava 0 a 0, acabou ficando de fora da convocação do técnico Arsène Wenger por opção técnica.

Terceiro colocado, agora com 57 pontos, o Manchester City também jogou em casa, e venceu o Stoke City por 1 a 0. O gol isolado do duelo foi marcado pelo meia marfinense Yaya Touré, aos 25 minutos do segundo tempo.

O meia brasileiro Fernandinho, ex-Atlético Paranaense e Shakhtar Donetsk, foi titular nos 'Citizens', deixando o campo pouco antes da abertura do placar, quando deu lugar para o espanhol Jesús Navas.

Ainda neste sábado, o West Ham subiu para a 10ª posição da competição ao derrotar o Southampton, em casa, por 3 a 1. Matthew Jarvis, Carlton Cole e Kevin Nolan marcaram os gols da vitória da equipe londrina.

Outra equipe que ganhou posições foi o Hull City, que venceu como visitante o Cardiff City, por 4 a 0, e agora aparece em 11º na tabela. Nikica Jelavic, duas vezes, Tom Huddlestone e Jake Livermore foram os autores dos gols.

No único empate do sábado, West Bromwich, agora 16º colocado, e o lanterna Fulham empataram em 1 a 1. Ashkan Dejagah abriu o placar para o time de Londres, e Matej Vydra igualou para os donos da casa.

Terra

Botafogo e Palmeiras em Ribeirão Preto

Milena Aurea / A Cidade

Demétrios: ex-atacante tem gratidão pelo Botafogo e guarda a camisa da época até hoje

O duelo desta noite entre Botafogo e Palmeiras, a partir das 18h30, no estádio Santa Cruz, esconde histórias fascinantes do Campeonato Paulista. Grandes atletas já desfilaram no gramado do Santão tanto pelo Verdão quanto pelo Tricolor. Alguns, até pelos dois times, como é o caso do atacante Mauricinho. Outros, como o também atacante Demétrios, ficaram marcados em jogos contra o Palmeiras vestindo a camisa do Botafogo. Os dois ex-jogadores, que moram em Ribeirão Preto, fazem parte dessa história entre interior e capital que chega hoje ao 104º confronto.

Revelação do Pantera, Demétrios guarda na memória, com carinho, um jogo contra o Porco. “O meu primeiro gol como jogador profissional foi contra o Palmeiras. Era uma partida no Santa Cruz e o José Roberto Wright estava no apito. Fui para a área em uma cobrança de escanteio e, mesmo marcado pelo César Sampaio, fiz de cabeça. O Ivan era o goleiro. Um amigo meu, Miguel Jabor, palmeirense e comercialino, foi me ver e, quando fiz o gol, invadiu o gramado para me abraçar. O jogo foi paralisado. Só o futebol é capaz de proporcionar algo assim”, relembrou Demétrios, hoje com 42 anos. Ele se refere ao jogo de 1991 que terminou empatado por 1 a 1.

Matheus Urenha / A Cidade

No Palmeiras, em 1989, teve rápida passagem, mas é um dos poucos ribeirão-pretanos que atuaram no Bota e no Verdão

Apesar de não ter atuado em um jogo entre Botafogo e Palmeiras, o ex-ponta-direita Mauricinho é um dos poucos filhos da cidade que vestiu as duas camisas. Apesar de pouco tempo nos clubes, tem boas lembranças da época de Verdão, em 1989. Revelado pelo Comercial, fez parte do grupo que contava com Velloso, Toninho Cecílio, Gerson Caçapa, Edu Manga e Dario Pereyra. Na época, formou ataque ao lado de Gaúcho e Neto.

“O Émerson Leão, que era o treinador e me conhecia do Vasco, me levou. Mas fiquei apenas três meses e tive que ir para o Espanyol por causa de uma cláusula contratual que me liberava automaticamente para times espanhóis. Não queria sair”, diz Mauricinho, de 49 anos.

Demétrios ainda tem lembrança pelas categorias de base. “Fui eliminado pelo Palmeiras de algum torneio sub-20, no Santa Cruz. E tinha um zagueiro que toda hora me batia e cuspia. Ao final do jogo, parti para cima dele”. 

Jornal A Cidade

Zanetti descarta boatos sobre ida ao Chelsea: “Inter é minha vida”

Vinculado a Internazionale até o final desta temporada, o experiente Javier Zanetti, de 40 anos, foi apontado pela imprensa britânica durante esta semana como alvo do Chelsea na próxima janela de transferências do futebol europeu. Entretanto, pouco tempo após o rumor surgir, o atleta argentino descartou a possibilidade e declarou mais uma vez seu amor pela equipe italiana.

“Acredito que os torcedores da Inter saibam o que sinto por esse time. Eu sempre afirmo que este clube é minha vida e minha casa. Meu desejo é permanecer aqui e não preciso acrescentar mais nada”, afirmou o jogador sul-americano.

Atual treinador do Chelsea, José Mourinho trabalhou com Zanetti na Internazionale entre 2008 e 2010. Juntos, o técnico e o atleta conquistaram o Campeonato Italiano (duas vezes), Liga dos Campeões da Europa, Copa da Itália e Supercopa da Itália. Agora, o comandante português deseja contar com o argentino posteriormente na próxima temporada e, posteriormente, tê-lo em sua comissão técnica.

“Honestamente, eu tenho um ótimo relacionamento com Mourinho. Constantemente ouvimos coisas sobre um do outro, mas jamais discutimos essa possibilidade”, encerrou o jogador, que pode atuar na lateral direita ou no meio-campo.

Revelado pelo Talleres em 1992, Zanetti chegou ao time italiano em 1995, após passagem pelo Banfield. Desde então, já são mais de 800 partidas pela Internazionale, clube com o qual foi pentacampeão nacional, tetracampeão da Copa da Itália, tetracampeão da Supercopa Italiana e uma vez vencedor da Copa da Uefa, da Liga dos Campeões e do Mundial de Clubes.

Além disso, atuando pela Internazionale, Zanetti se fixou como um dos principais nomes no cenário do futebol argentino. O atleta disputou duas edições da Copa do Mundo (1998 e 2002) pela seleção de seus país e ainda participou dos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996, onde ficou com a medalha de prata.

Gazeta Esportiva

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Chelsea vence com gol no final e mantém liderança do Inglês

Chelsea manteve liderança do Inglês com vitória neste sábado Foto: Getty Images

Chelsea manteve liderança do Inglês com vitória neste sábado

Após quase perder a liderança do Inglês na última rodada com um empate com o West Brom, o Chelsea  passou muito perto de dar nova chance aos adversários, mas garantiu vitória por 1 a 0 sobre o Everton, no Stamford Bridge, com gol do zagueiro John Terry aos 48min da etapa complementar. O triunfo deste sábado é suficiente para deixar a equipe na ponta. 

No embate deste final de semana, o treinador José Mourinho optou por escalar os brasileiros Oscar e Willian como titulares no meio-campo. O volante Ramires, por sua vez, iniciou o duelo no banco de reservas e deu lugar ao sérvio Nemanja Matic, que formou dupla com Frank Lampard.

Apesar da formação ofensiva e de ter controle das ações do jogo durante boa parte do tempo, a equipe londrina encontrou dificuldade para superar o goleiro Tim Howard na etapa inicial. O desempenho deixou José Mourinho insatisfeito e, na volta dos vestiários, o Chelsea teve algumas mudanças em sua formação.

Antes mesmo de o árbitro Lee Probert apitar o reinicio da partida, o técnico colocou o volante Ramires na vaga de Oscar. A alteração deu bom ritmo ao meio-campo, mas não foi suficiente para os donos da casa abrirem o placar. Aos 17min, foi a vez de Willian deixar o gramado, dando lugar ao centroavante Fernando Torres. Sete minutos mais tarde, Samuel Eto’o foi substituído por Schurrle. No entanto, foi o zagueiro John Terry, aos 48min do segundo tempo, quem marcou o gol da vitória em cabeçada após cobrança de falta

Com este resultado, o Chelsea segue na primeira colocação na tabela de classificação, agora com 60 pontos. O vice-líder, Arsenal (56 pontos), enfrenta o Sunderland ainda neste sábado, no Emirates Stadium, e, mesmo se vencer, não ultrapassa o rival local. O Everton, por sua vez, aparece na sexta posição, com 45 pontos.

O Chelsea volta a campo pelo Campeonato Inglês no próximo sábado, quando mede forças com o Fulham, às 11h (de Brasília), no Estádio Craven Cottage. Antes disso, porém, o clube londrino enfrenta o Galatasaray, nesta quarta-feira, às 16h45 (de Brasília), no Estádio Ali Sami Yen, em partida válida pela ida das oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa.

Também no próximo sábado, às 11h (de Brasília), o Everton retorna ao Goodison Park para receber o Aston Villa, que ocupa a 12ª colocação na competição nacional, com 28 pontos. Atuando dentro de casa, o time de Liverpool soma oito vitórias, três empates e uma derrota nesta edição do Campeonato Inglês.

Terra

Após sete derrotas seguidas, Hamburgo vence Dortmund em casa

Hamburgo deu fim à sequência ruim no Alemão Foto: AP

Hamburgo deu fim à sequência ruim no Alemão

Em péssima fase no Campeonato Alemão desta temporada, o Hamburgo entrou em campo neste sábado, na Imtech Arena, para enfrentar o embalado Borussia Dortmund, que havia vencido seus últimos três jogos na competição nacional. Ao contrário do que o retrospecto recente das equipes apontava, quem levou a melhor no confronto deste final de semana foi o time da casa, que superou o adversário aurinegro por 3 a 0.

No embate deste sábado, o principal destaque foi Pierre Lasogga. O centroavante alemão deu assistência para Petr Jiracek abrir o placar, aos 42min do primeiro tempo, e, na etapa complementar, aumentou a vantagem aos 13min. Ainda houve tempo para Hakan Calhanoglu, aos 45min, dar números finais ao jogo.

Apesar da derrota, o time comandado pelo treniador Jurgen Klopp segue na terceira colocação na tabela de classificação, com 42 pontos, e estaria garantido na próxima edição da Liga dos Campeões. Bayern de Munique (59 pontos) e Bayer Leverkusen (43 pontos) ocupam as primeiras posições do torneio.

Em situação completamente oposta, o Hamburgo tem como principal objetivo garantir permanência na elite do futebol alemão. A vitória conquistado neste sábado fez com que o clube subisse uma posição na tabela de classificação, ocupando a 16ª colocação, com 19 pontos. No entanto, segue na zona de rebaixamento.

O Borussia volta a entrar em campo pelo Campeonato Alemão no próximo sábado, às 10h30 (de Brasília), quando mede forças com Nuremberg, no Westfalenstadion. Antes disso, porém, enfrenta o Zenit, nesta terça-feira, às 13h (de Brasília), Estádio Petrovskij, em partida válida pela ida das oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa.

O Hamburgo, por sua vez, duela com Werder Bremen, no próximo sábado, às 10h30 (de Brasília), no Weserstadion, em confronto válido pela 23ª rodada do Campeonato Alemão. Atuando fora de casa, a equipe comandada pelo treinador Mirko Slomka acumula retrospecto de duas vitórias, três empates e seis derrotas.

Confira os resultados jogos deste sábado do Campeonato Alemão:

Hamburgo 3x0 Borussia Dortmund
Borussia Moenchengladbach 2x2 Hoffenheim
Freiburg 2x4 Augsburg
Nuremberg 2x1 Eintracht Braunschweig
Stuttgart 2x1 Hertha Berlin

Terra

Ainda sem Cristiano Ronaldo, Real vence e pressiona rivais

Bale deixou sua marca em vitória do Real Madrid neste sábado Foto: EFE

Bale deixou sua marca em vitória do Real Madrid neste sábado

Ainda sem contar com o meia-atacante Cristiano Ronaldo, o Real Madrid segue embalado no Campeonato Espanhol e colocando pressão nos principais adversários, Barcelona e Atlético de Madrid. Neste sábado, o time comandado pelo treinador Carlo Ancelotti dominou o Elche, no Estádio Santiago Bernabéu, e conquistou importante vitória por 3 a 0, em partida válida pela 25ª rodada da competição.

Com o volante brasileiro Casemiro no banco de reservas, o Real entrou em campo com Gareth Bale, Ángel Di Maria, Jesé Rodríguez e Karim Benzema formando quarteto ofensivo. E, com muita movimentação dos quatro atletas, a equipe branca construiu o triunfo com gols de Illarramendi (34min do primeiro tempo), Bale (27min do segundo tempo) e Isco (36min do segundo tempo).

Com este resultado, o Real Madrid chegou aos 60 pontos e se isolou na primeira colocação na tabela de classificação. Entretanto, ainda neste sábado, o Barcelona enfrenta a Real Sociedad, no Estádio Anoeta, e igualará a pontuação em caso de vitória. Já neste domingo, o Atlético de Madrid duela com o Osasuna, no Reyno de Navarra, e também pode alcançar 60 pontos. O Elche, por sua vez, realiza campanha irregular e está na 12ª posição, com 26 pontos.

No próximo domingo, às 13h (de Brasília), o Real Madrid faz importante clássico local com Atlético de Madrid, no Estádio Vicente Calderón. Antes disso, porém, o time de Carlo Ancelotti mede forças com o Schalke 04, nesta quarta-feira, às 16h45 (de Brasília), na Veltins-Arena, em partida de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões.

O Elche, por sua vez, encara o Celta de Vigo, no próximo sábado, às 15h (de Brasília), no Estádio Manuel Martínez Valero. Dentro de seus domínios, a equipe acumula retrospecto de quatro vitórias, quatro empates e cinco derrotas nesta edição do Espanhol.

Terra

Após semana cheia, Rafael Lima alerta sobre os perigos do jogo decisivo contra o Avaí

Nada como uma semana inteira de treinos para aprimorar os fundamentos. Desde a estreia no Campeonato Catarinense, a Chapecoense não sabia o que era esse tempo para treinar de uma partida para outra. Após altos e baixos nas sete partidas disputadas, o time do Oeste que está com sete pontos na sétima posição terá no próximo domingo uma tarefa difícil. O Verdão vai enfrentar o Avaí no estádio da Ressacada, às 18h30, e precisa de qualquer maneira da vitória para manter vivo o sonho de se classificar para o quadrangular final.

O xerife da Chapecoense, o zagueiro Rafael Lima, comemorou a semana cheia para treinos, que não tinha desde o início do estadual. “Foram dias muito proveitosos para melhorarmos em todos os aspectos e acertar todos os pontos que não estávamos fazendo com êxito. O grupo se fechou ainda mais e vamos com tudo em busca da vitória”, afirmou o zagueiro que jogos todos os sete jogos do estadual.

Natural de Florianópolis e revelado na base do Figueirense, Rafael Lima sabe como é difícil enfrentar o Avaí na Ressacada e considera o “jogo do ano” para as pretensões da Chapecoense no Campeonato Catarinense. “Será um duelo de vida ou morte. Precisamos de qualquer maneira da vitória. Uma derrota desclassifica nosso time do estadual e de conquistar mais um título pelo Verdão do Oeste. Ano passado na Série B  conseguimos o triunfo na Ressacada e acreditamos que podemos repetir o feito, claro, que com muito respeito ao Avaí, que ainda está na briga por classificação”, disse Rafael Lima, que demonstrou preocupação ao longo da semana com a bola parada avaiana.

AV Assessoria

Jogo das Estrelas: NBB Brasil bate NBB Mundo com show de Alex

Alex, do Brasília, foi eleito o MVP da partida Foto: Luiz Pires/LNB / Divulgação

Alex, do Brasília, foi eleito o MVP da partida

No principal evento do Jogo das Estrelas do NBB, o duelo entre NBB Brasil e NBB Mundo foi equilibrado, mas os brasileiros se mantiveram à frente no placar durante todo o confronto e garantiram a vitória com o resultado final de 126 a 116,  neste sábado, no Ginásio Paulo Sarasate, em Fortaleza.

Os representantes do Brasil que começaram em quadra foram Nezinho (Brasília), Alex (Brasília), Marcelinho (Flamengo), Guilherme Giovannoni (Brasília) e Murilo (Bauru), enquanto o NBB Mundo teve Laprovittola (Flamengo), Shamell (Pinheiros), Robert Day (Uberlândia), Jerome Meyinsse (Flamengo) e DeVon Hardin (Basquete Cearense).

Principal responsável por levar os brasileiros à vitória, Alex ficou em quadra por 25 minutos, terminou como o cestinha e ainda anotou um duplo-duplo ao marcar 33 pontos e apanhar dez rebotes. Após o ótimo desempenho, o atleta também foi eleito o MVP (Jogador Mais Valioso) da partida pela segunda vez consecutiva. Ainda pelo time verde e amarelo, quem também jogou bem foi Olivinha, que marcou 13 pontos e apanhou 11 rebotes.

Do lado dos adversários, o maior destaque foi Shamell. O jogador do Pinheiros foi o cestinha de sua equipe com 23 pontos marcados, seguido por DeVon, que fez 20.

Dia de homenagens em Fortaleza
Para completar o dia festivo, o evento também foi marcado por algumas homenagens realizadas nos intervalos do confronto. Aposentado desde a última temporada, Rogério Klafke recebeu uma placa das mãos de Demétrius Ferraciú, assistente técnico do time brasileiro e ex-companheiro do ala.

No intervalo, Hortência, Janeth, Alessandra, Roseli e Helen, campeãs mundial em 1994, receberam uma placa comemorativa dos 20 anos do principal título da história da Seleção Brasileira feminina.

Terra

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Ouro russo na patinação provoca discussões e críticas a júri




















Yuna, campeã olímpica em Vancouver, era apontada como ouro certo, mas o júri entendeu diferente e optou pela jovem russa de 17 anos

A patinação artística é o esporte mais acompanhado por todas as idades e gêneros, mas é também a que promove as maiores polêmicas. Favorita ao ouro na patinação livre feminina, a sul-coreana Kim Yuna foi derrotada pela russa Adelina Sotnikova para delírio dos torcedores locais no Iceberg Stating Palace, em Sochi.

Yuna, campeã olímpica em Vancouver, era apontada como ouro certo, mas o júri entendeu diferente e optou pela jovem russa de 17 anos, que somou 224,59 pontos contra 219,11 da sul-coreana.

Parte da imprensa mundial e do público nas redes sociais publicou que o júri foi caseiro ao dar notas mais generosas para Sotnikova. "O placar e o júri que deram a Sotnikova a medalha de ouro contra Yuna mostra porque a patinação artística é popular entre os fãs apenas de quatro em quatro anos", criticou o New York Times.

Por sua vez, o Washington Post defendeu em parte a decisão dos juízes ao apontar que a russa conseguiu ter uma performance ligeiramente superior e que a questão das notas faz parte da natureza do esporte.

A imprensa sul-coreana também "chorou" a derrota de Yuna, que decidiu anunciar a aposentadoria aos 23 anos após a prata. "Adeus, 'Rainha da Patinação'... somos muito contentes por você ter estado conosco", comentou um jornal do país.

Por sua vez, o COI (Comitê Olímpico Internacional) foi questionado nesta sexta-feira sobre a controvérsia e informou que o resultado deverá ser mantido e respeitado, já que não houve até agora nenhuma reclamação feita junto à Federação Internacional de Patinação.

"Não tenho muito conhecimento sobre patinação, mas acho que a performance de Sotnikova foi vista por muitos como absolutamente fantástica. No meu ponto de vista pessoal, tenho de dar os parabéns a ela pela fantástica performance, e acho que Kim Yuna fez o mesmo", disse Mark Adams, diretor de comunicação do COI.

"É a Federação (Internacional de Patinação) que monta o júri e acho que não é nenhum segredo quem estava presente. O primeiro passo seria alguém fazer algum tipo de reclamação, o que não aconteceu", completou.

Terra

Com fila de 1h30, loja em Sochi cria "Black Friday" olímpica



















Visitantes precisam de paciência para alcançar loja olímpica

O visitante que vai à Olimpíada de Inverno de 2014, em Sochi (Rússia), quase sempre quer voltar de uma competição com uma lembrança – um chaveiro, uma camiseta, um boné. No Parque Olímpico localizado na região litorânea da cidade, a opção é a Loja Olímpica, uma espécie de megastore oficial do evento.

A loja, no entanto, conta com um problema: a fila de entrada, que dura cerca de 1h30. Além de demorada, a fila em questão é um tanto quanto desorganizada, a ponto de voluntários tentarem organizar uma espécie de “fila para quem vai pegar a fila”. Somem-se a isso os visitantes que “encontram” amigos em posições favoráveis e entram no meio.

Ainda assim, é incomum ver russos reclamando da longa espera – o Terra encarou a maratona e viu apenas duas manifestações em tom de cobrança com os voluntários. Enquanto isso, turistas canadenses e americanos conversavam amigavelmente sobre a final feminina do hóquei no gelo, Canadá 3 x 2 Estados Unidos.

Na dianteira da fila, um segurança com cara de poucos amigos controla a entrada do público em pequenos “lotes”. Entre um lote e outro, é comum que se espere até 40 minutos, enquanto as portas ficam trancadas. Só depois que um grupo deixa a loja é que outro pode entrar para fazer suas compras.

Enfim dentro, o visitante se depara com produtos que encontra em diversas outras lojas oficiais pela cidade, mas com a vantagem de haver uma disponibilidade maior de itens. Ao invés de ter que procurar por agasalhos em uma loja, camisetas em outra, ursinhos em uma terceira e canecas em uma quarta, é possível comprar tudo ali de uma vez só. Há inclusive carrinhos e cestinhas para quem “perde a linha” na hora da compra.

Os preços... Bem, não são exatamente vantajosos. Um fino casaco impermeável com o tema dos Jogos Olímpicos de 2014 saía por 3,2 mil rublos (cerca de R$ 210), enquanto uma camisa polo era vendida por 2 mil rublos (mais de R$ 130). Uma caneca infantil custava 460 rublos (R$ 30), ao passo que uma xícara de vidro valia 190 rublos (R$ 12,50). Para um turista brasileiro, a sensação será de “Black Friday olímpica”.

No caixa, atendentes que falam russo e inglês aceitam dinheiro e cartão de crédito – mas apenas de uma bandeira, parceira do Comitê Olímpico Internacional. A reportagem acompanhou uma canadense que se empolgou com os pins e escolheu diversas bandeiras, sem nem saber a quais países pertenciam. “De que país é este?”, perguntou. “Ucrânia”, respondeu a atendente. “Este aqui é da Rússia, certo?”, continuou. “Sim”, completou a balconista.

Entre entrar, escolher presentes, pagar e sair, o turista com poucas compras leva em média 20 minutos. Já do lado de fora, dá de cara de novo com a fila, que praticamente contorna a loja perto do Iceberg Skating Palace, cheia de visitantes prontos para encarar 90 minutos de espera. Definitivamente, as unidades da Loja Olímpica não são para principiantes.

Terra

Ceni vê queda de produção no ABC e "bastante coisa" em falta



















Rogério Ceni ficou insatisfeito com desempenho do São Paulo

Cinco dias depois de ter analisado o empate em casa com a Portuguesa como o jogo em que o São Paulo teve sua melhor atuação tática no ano, Rogério Ceni não gostou do desempenho do time nesta quinta-feira, no 1 a 1 com o São Bernardo. "Tivemos uma queda de produção em relação ao último jogo", reconheceu o goleiro, na saída do gramado do Estádio 1º de Maio, no ABC paulista.

O São Paulo saiu em vantagem e poderia ter vencido pela primeira vez como visitante, mas sofreu o empate ainda no primeiro tempo, após falha defensiva que deixou Marino com liberdade absoluta. O lateral do São Bernardo chegou de trás e só teve o trabalho de empurrar para a rede.

"Vi rapidamente o lance. Acho que a jogada demorou um pouquinho para sair daqui (da defesa). Nós bobeamos na marcação na saída de bola pelo lado. Tem que ter sempre alguém na cobertura na entrada da área, e o jogador entrou sozinho. Erros acontecem, só que você paga com o resultado", continuou, claramente insatisfeito.

A caminho do vestiário, o capitão são-paulino respondeu a apenas mais uma pergunta. Questionado como resumiria a atuação da sua equipe na noite desta quinta-feira, Rogério Ceni sorriu e reconheceu: "está faltando bastante coisa".

O empate distanciou o time treinado por Muricy Ramalho quatro pontos do primeiro colocado, o Penapolense, mas abriu essa mesma distância para o Linense, que ocupa a quarta posição. Uma vantagem razoável às vésperas do clássico contra o Santos, marcado para domingo, no Morumbi.

Terra

Mercedes e Renault cogitam protesto na abertura da temporada




















Novo carro da Ferrari é o motivo da discórdia antes mesmo de a Fórmula 1 começar

A temporada oficial da Fórmula 1 ainda nem começou e pode ter a estreia manchada por um protesto. Insatisfeitas com partes técnicas do carro da Ferrari, Mercedes e Renault cogitam fazer um protesto no Grande Prêmio da Austrália - etapa de abertura da competição.

Segundo as montadoras, a equipe rival utiliza uma cobertura para o motor turbo três quilos mais leve do que as outras, o que a deixaria em vantagem na pista, como informa o jornal alemão Auto Motor und Sport.

Ainda de acordo com as fornecedoras de motores, o atual equipamento da adversário também leva mais riscos a todos na pista a aos fãs da categoria que forem aos autódromos acompanhar as corridas, já que, em caso de quebra, as peças seriam projetadas em uma velocidade maior.

De acordo com a publicação germânica, os boatos que surgem no paddock dos testes de pré-temporada é de que a Ferrari está trabalhando para achar uma alternativa, mas o problema é a data estipulada para a homologação dos motores, que tem como limite o dia 28 de fevereiro.

Terra

Em nota, Fla nega envolvimento em ação de Elias na Fifa




















A diretoria do Flamengo anunciou por meio de um comunicado no site oficial que não negocia mais o retorno de Elias e que nada tem a ver com as atitudes do meio-campista e de seu empresário contra o Sporting.

A nota oficial surgiu após a troca de acusações entre Bruno de Carvalho, presidente do clube português, e Eliseu Trindade, pai e agente do volante. O empresário confirmou no início da semana que o jogador retomará a ação na Fifa movida contra a equipe lusitana - Elias está encostado e treinando no time B.

No comunicado, o clube afirma que quitou o valor de R$ 500 mil euros - pelo empréstimo de um ano - e encerrou as conversas pelo retorno do volante após divergências contratuais impostas pelo Sporting.

No fim, o clube agradece pelo empenho de Elias na última temporada em que vestiu a camisa do Flamengo.

Confira a nota oficial na íntegra:

Tendo em vista as notícias publicadas nos últimos dias a respeito do jogador Elias, o Clube de Regatas do Flamengo esclarece:

1.Desde 23 de outubro de 2013, o Sr. Eliseu Trindade, pai e representante do atleta, está formalmente autorizado pelo Sporting a negociar os 50% dos direitos do jogador com clubes brasileiros. Esta autorização tem validade até abril de 2014. Vale ainda observar que o Flamengo foi autorizado pelo próprio Sporting a negociar com o pai do atleta;

2. Desde esta data, o Sporting se dispôs a negociar, inclusive com o Flamengo, as condições de uma possível transferência definitiva do atleta, abrindo mão de exigir os valores convencionados no contrato de empréstimo assinado com o Flamengo em 11 de janeiro de 2013;

3. O Flamengo sempre demonstrou seu interesse em contar com o atleta em seu plantel, buscando para isto adquirir os direitos econômicos pertencentes ao Sporting. Uma proposta foi feita para o clube português, dentro de valores que o Flamengo imaginava atraentes para o Sporting;

4. Após analisar a proposta do Flamengo, e dentro de seu total direito comercial e desportivo, o Sporting condicionou a negociação do atleta a um valor bastante superior ao proposto, incluindo outras condições de difícil aceitação pelo Flamengo;

5. Durante o período de negociação o Flamengo efetuou o pagamento dos 500 mil euros devidos pelo empréstimo do atleta, atendendo completamente ao disposto em contrato.

6. Após o insucesso nas diversas tentativas feitas com o clube português para se conseguir uma negociação consensual, o Flamengo informou, tanto ao Sporting quanto ao representante do atleta, que não teria mais como prosseguir as negociações devido à grande diferença entre o proposto pelo Flamengo e o desejado pelo Sporting. Como é sabido, o clube tem hoje uma política clara de responsabilidade financeira e não faria nenhuma ação que contrariasse este princípio.

7. A partir deste ponto, toda e qualquer ação envolvendo o jogador e seu clube passou a ser de exclusiva responsabilidade dos dois, não tendo mais o Flamengo nenhuma participação, direta ou indireta, no processo. Com o encerramento das negociações, fica nosso maior agradecimento ao Elias pela sua dedicação, amizade e profissionalismo durante todo o período em que defendeu as cores rubro-negras.

Terra

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Com Ronaldo, Dilma bate bola com atletas e inaugura Beira-Rio




















Dilma chegou a mostrar habilidade durante o lançamento do estádio, dando um passe para o meia argentino D'Alessandro

Cinco dias após receber seu primeiro jogo oficial, o novo estádio Beira-Rio foi inaugurado oficialmente nesta quinta-feira, em Porto Alegre (RS). A cerimônia, comandada por Dilma Rousseff, contou com a presença do craque Ronaldo e de operários que trabalharam na reforma do estádio, e proporcionou um "bate bola" entre a presidente da República e os jogadores do Internacional.

Dilma chegou de helicóptero ao Beira-Rio por volta das 9h10. Ela foi recepcionada pelo governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, e pelo prefeito de Porto Alegre, José Fortunati. Na comitiva, também estavam presentes o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, o presidente do Internacional, Giovanni Luigi, e os ministros Aldo Rebelo, (Esporte) e Maria do Rosário (Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República).

O evento contou com forte esquema de segurança. Antes de ter acesso ao estádio, público e imprensa tiveram de passar por detectores de metais e tiveram seus pertences revistados. No lado de dentro do Beira-Rio, autoridades locais e operários que trabalharam nas obras diviram o espaço das cadeiras inferiores.

Ao aparecer em um dos acessos à arquibancada, Dilma foi aplaudida pelo público. A presidente levou um susto quando descia a escadaria que levava ao gramado, ao tropeçar e ser amparada por pessoas que a acompanhavam e evitaram sua queda.

No gramado, Dilma posou para fotos com operários, jogadores e dirigentes do Internacional, de quem receberam uma camiseta personalizada do clube, com seu nome e o número 10 às costas. No meio de campo, Dilma chutou a bola em direção ao argentino D'Alessandro, ídolo da torcida colorada.

​​Apesar da promessa de que falaria com a imprensa, a presidente Dilma deixou o estádio cerca de 40 minutos após o início da cerimônia, sem conceder entrevistas. Apenas fotógrafos e cinegrafistas foram liberados a entrar no gramado, com a promessa de que não fariam questionamentos à presidente. Os demais repórteres, entretanto, tiveram de permanecer na arquibancada da arena colorada e foram pegos de surpresa com a saída de Dilma.

A presidente embarcou em um helicóptero em direção a Caxias do Sul, na serra gaúcha, onde fará a entrega de máquinas agrícolas a municípios gaúchos e, em seguida, participa da inauguração da tradicional Festa da Uva.

Terra

Turistas dos EUA animam público de Sochi com banda de jazz



















Quinteto de jazz viajou a Sochi para se apresentar nas ruas durante Olimpíada de Inverno

Uma caminhada na tarde deste sábado por Sochi (Rússia) foi retribuída como uma agradável surpresa aos moradores: na região central da cidade-sede da Olimpíada de Inverno de 2014, um grupo de turistas americanos resolveu animar o dia com música.

Em uma alameda próxima à Rua Gorkogo, uma dos principais do centro da cidade, cinco turistas dos Estados Unidos se reuniram para tocar animadas canções. Após as apresentações, o público local aplaudia e tirava fotos com a banda.

Segundo Kenn Hughes, trombonista que lidera o grupo oriundo do Alabama, a iniciativa surgiu na Universidade de Mobile, instituição de ensino ligada à Igreja Batista local. Na cidade americana de Pichard, Hughes e outros músicos começaram a ensaiar, formando um pequeno grupo de jazz.

Ao todo, são nove os músicos em Sochi, embora apenas cinco – incluindo Hughes – tenham se apresentado. “São estudantes da universidade. Nós tocamos juntos umas quatro ou cinco vezes antes de nos apresentarmos aqui, no máximo”, disse o líder do grupo.

Hughes disse já ter visitado o Brasil em diversas ocasiões, passando por cidade como Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba e Maceió, sempre para apresentações em festivais musicais. Fã da comida do Brasil, ele disse que o grupo decidiu viajar a Sochi para aproveitar o momento olímpico em suas apresentações.

”É um pouco de tudo. Viemos para tocar, mas também para experimentar o clima”, explicou. “Queremos fazer parte disso. Nesta pequena fração de tempo, há gente de todo o mundo na cidade”, completou.

Embora o grupo fosse do Alabama, todos os músicos vestiam jaquetas do St. Louis Rams, equipe de futebol americano do estado do Missouri. O grupo ainda distribuía pins do movimento Engage Sochi, ligado à igreja à qual pertencem. Segundo Hughes, o site do movimento funciona como uma rede social, “mais ou menos como o Facebook”.

”É um grupo de cristão. Há fóruns de discussões, inclusive sobre a Olimpíada. É a nossa rede”, explicou ele, animado. “Somos muitos lá”, disse.

Terra