quarta-feira, 30 de abril de 2014

Espanha: favorita, mas com problemas inéditos em todo o time

Time-base da Espanha: Busquets recua para liberar os laterais, enquanto as pontas costumam ter um velocista e um passador

A dinastia espanhola no futebol de seleções é impressionante. Os últimos três torneios de primeiro nível disputados foram conquistados (Euro 2008, Copa 2010 e Euro 2012), algo nunca feito antes na história do futebol. E as vitórias vieram com futebol envolvente, marcando para sempre a identidade desta geração de jogadores. Praticamente a mesma geração chegará para a Copa do Mundo de 2014, mas o que vimos na Copa das Confederações de 2013 e em temporadas recentes do futebol de clubes europeu indica que a supremacia internacional da Espanha tem mais chances de acabar do que de se estender em terras brasileiras.

Claro, a Espanha ainda é uma das melhores seleções do mundo e uma das favoritas a ganhar a Copa. Tem craques ou excelentes jogadores em quase todas as posições, um estilo de jogo definido, uma mentalidade vencedora e um grupo unido. Mas também convive com problemas preocupantes, em todos os setores do campo, que nunca afligiram tanto o técnico Vicente Del Bosque em outros torneios. Como as qualidades deste time são amplamente conhecidas, esta análise vai se focar mais nos pontos negativos.

Diego Costa é artilheiro em um time de contra-ataque, mas conseguirá se adaptar à Espanha?

O grande dilema chamado Diego Costa

Um dos grandes problemas da atual seleção espanhola é a falta de um goleador confiável. O time tem meias criativos em excesso, mas nenhum marca gols com frequência. Na frente, David Villa, o homem-gol da Copa, já não vive seu auge, apesar de ainda ser importante. Fernando Torres é uma sombra do que já foi, enquanto Negredo é inconstante. Na Euro 2012, Del Bosque venceu jogando com Fàbregas no comando de ataque – o que pode dar muito certo, mas novamente depende de um jogador que alterna altos e baixos. A solução foi naturalizar Diego Costa, que faz temporada espetacular no Atlético de Madrid e certamente será titular na Copa.

O problema é justamente esse: o Atlético joga de uma forma absolutamente oposta à Espanha. Em seu clube, Diego joga da forma que rende mais: sozinho na frente, com espaço e liberdade de movimentação para correr, abrir para os lados, receber lançamentos longos e enfurecer a defesa. Ele precisa de espaço para fazer seu jogo; na Espanha, constantemente vai ficar enfiado entre zagueiros contra uma defesa fechada. Diego também é perigoso no jogo aéreo e sabe fazer uma tabela curta, mas não são seus pontos fortes. No único amistoso que fez pela Espanha, contra a Itália, ficou evidente a limitação que o estilo espanhol impõe ao seu jogo. Talvez uma opção melhor fosse Llorente, em ótima fase na Juventus e um clássico pivô, para aproveitar as infiltrações de Pedro ou, como plano B, os cruzamentos certeiros do reserva Jesús Navas.

O declínio de Xavi: “tiki-taka” em crise?

A qualidade técnica da Espanha para mover a bola pelo campo ainda é impressionante. Com a base do Barcelona de Guardiola, o time dominou o mundo pela posse de bola, cansando os adversários e atacando nos momentos cruciais. Mas o que funcionava tão bem há dois ou três anos já dá sinais de desgaste: o estilo “tiki-taka” enfrenta uma queda na popularidade e na eficiência contra adversários de primeiro nível, sofrendo com marcação pressão e contra-ataques poderosos (casos óbvios: Brasil x Espanha, Bayern x Barcelona e Real Madrid x Bayern). Na Espanha, isso é agravado pelo declínio físico de Xavi, principal articulador e personificação da filosofia de jogo do time.

O melhor Xavi do Barcelona e da Espanha era um armador que centralizava e dominava as partidas: toda bola passava por seu pé, e sua movimentação constante para dar opção de passe aos companheiros garantia a fluidez dos ataques. Hoje, ele ainda é perfeito no passe e capaz de bolas decisivas, mas participa muito menos do jogo. O Barcelona e a Espanha são mais lentos para rodar a bola, permitindo que a defesa adversária se organize a tempo de evitar as brechas para os passes mais incisivos. O substituto natural para uma eventual saída de Xavi seria Thiago, mas talvez a melhor solução seja uma mudança de sistema: a volta à dupla de volantes Alonso/Busquets abriria espaço para David Silva, em seu melhor momento na carreira, ser titular como meia central e articular o time ao lado de Iniesta.

Possível alternativa de Del Bosque: um retorno ao 4-2-3-1 da Copa 2010, com Xavi fora e David Silva tendo a chance de ser o meia central

Marcação pressão preocupa no ataque e na defesa

Uma das grandes razões da queda do Barcelona após a saída de Guardiola foi a diminuição da marcação pressão; o time era cadenciado com a bola, mas frenético sem ela, buscando recuperá-la assim que ela fosse perdida no campo de ataque e não deixando o adversário respirar. O mesmo acontece com a seleção espanhola – na Copa das Confederações, chamou atenção como o time se postou mais recuado, sem apertar a saída do adversário, em quase todos os jogos. Talvez por cansaço, idade ou calor, mas o fato é que esta Espanha não pressiona como as outras, perdendo um dos conceitos básicos do sucesso do “tiki-taka”.

Do outro lado, a pressão também preocupa. A Espanha tem dificuldades contra times que apertam a marcação de forma agressiva, como fez o Brasil na final de 2013, com muitos desarmes e faltas quando necessário. Del Bosque sabe que o melhor meio de evitar essa pressão é colocar mais um passador para auxiliar na saída de bola – mais um motivo para promover a volta de Xabi Alonso ao time titular. Com dois volantes técnicos e calmos como Busquets e Alonso, mais zagueiros com ótima saída como Piqué e Sergio Ramos, é muito mais difícil para o time adversário ocupar todos os jogadores espanhóis na saída de bola.

Jogador-chave: Iniesta. Em uma geração espetacular de jogadores, o meia do Barcelona é o melhor deles e o mais propenso a lances de magia, que serão muito necessários para os espanhóis suprirem os problemas coletivos que afetam a seleção em anos recentes. Seja como parte de um trio de meio-campistas ou partindo de um dos lados do campo, Iniesta precisa substituir definitivamente Xavi como o principal armador do time e fazer a diferença – talvez a Espanha nunca tenha dependido tanto do brilho individual de uma estrela.

Terra

O que é destaque e nossa opinião

Por quase todo o mês de abril, o mundo do esporte passou por diversas situações, na maioria negativas, que mancham um pouco a imagem de que o esporte é algo para se realizar em harmonia e um lazer a mais para os fanáticos. Porém, será que tudo isso que está acontecendo é para um alarde tão grande?

Casos de racismo

Nunca se falou tanto em racismo quanto agora. Jogadores como Arouca, Neymar e Daniel Alves passaram por situações parecidas em relação a sua raça. Fora do mundo do futebol, o basquete dos Estados Unidos também foi alvo dessa confusão com o empresário dono do Los Angeles Clippers, Donald Sterling.

No entanto, a campanha que surgiu logo depois do caso Villareal e Barcelona, a hashtag #somostodosmacacos foi muito discutida, pelo fato de supostamente ter sido criada por uma agência de publicidade, e também pelo fato de Daniel Alves comer a banana atirada próxima a ele surgiu de uma ideia de Neymar. Explicações à parte, o racismo, mesmo que errado e tendo que ser punido, já virou espetáculo. Tudo virou preconceito, tudo é denunciado, mas nada é feito. É provável que, daqui a pouco outros jogadores, negros ou não, irão denunciar torcedores ou quem for porque ficou ofendido com algum xingamento ou declaração infeliz. Será um Deus nos acuda, não acham? É só olhar como a hashtag foi explorada até não poder mais por jogadores e personalidades. E a maioria dessas explorações foi criticada pela sociedade. Nada mais justo.

São Paulo x Palmeiras

Outro assunto muito comentado, e está dando o que falar até hoje, é a bagunça na contratação de Alan Kardec pelo São Paulo, acusado de “ação antética”, pelo presidente Paulo Nobre. O novo presidente do tricolor, Carlos Miguel Aidar, soltou os cachorros sobre o que Nobre disse. E sai farpas uma de cada lado. Mas tudo começa quando um jogador, como Kardec, é grande destaque e a imprensa cai em cima falando que é jogador de seleção, que é para ser convocado para 2014. Com isso o jogador quer ser muito bem valorizado, pedindo um salário um pouco alto para os cofres alviverdes. Temos então de um lado um presidente que não sabe o que quer fazer no time e do outro um novato que vem apagar certos “deslizes” de Juvenal Juvêncio. E esse assunto ainda vai ser muito falado, pode apostar.

Clippers superam crise, batem Warriors e ficam perto de vaga

Los Angeles Clippers está a uma vitória de avançar às semifinais da Conferência Oeste

O pivô DeAndre Jordan teve sua melhor atuação até o momento nos playoffs e liderou o ataque do Los Angeles Clippers à vitória sobre o Golden State Warriors por 113 a 103, nesta terça-feira, deixando a sua equipe na liderança da série (3 a 2) e mostrando que os jogadores estão empenhados em superar a crise envolvendo os comentários racistas do dono da franquia, Donald Sterling.

Com o triunfo, os Clippers têm, agora, a oportunidade de garantir a vaga nas semifinais da Conferência Oeste se venceram a próxima partida, diante da torcida adversária, na próxima quinta-feira, em Oakland.

Os Clippers disputaram a partida desta terça em casa, no Staples Center, horas depois que o comissário da NBA, Adam Silver, suspendeu de forma vitalícia o dono da equipe, flagrado em uma gravação fazendo comentários racistas contra os negros.

Apesar da decisão de Silver, que foi louvada antes do jogo pelo treinador dos Clippers, Doc Rivers, os jogadores de ambas as equipes utilizaram meias negras em protesto aos comentários de Sterling.

Olhando para os números, destaque para o pivô titular dos Clippers. DeAndre Jordan forneceu um double-double de 25 pontos e 18 rebotes, além de quatro tocos, que o deixaram como líder nesses três fundamentos do jogo. Além dele, o armador Chris Paul anotou 20 pontos, seis rebotes, sete assistências e cinco roubadas de bola, enquanto o ala-armador reserva Jamal Crawford foi o sexto homem do time de Los Angeles ao marcar 19 tentos.

O ala-pivô Blake Griffin chegou aos 18 pontos, e o armador reserva Darren Collison anotou 15, completando a lista dos cinco jogadores dos Clippers que tiveram pelo menos dois dígitos na pontuação.

O time de Los Angeles, que busca sua terceira classificação na série dos playoffs desde que Sterling o comprou, em 1981, foi ovacionado por sua torcida, que também apoiou a decisão do comissário da liga de suspender e multar o dono da franquia em US$ 2,5 milhões.

Torcida presente ao Staples Center protestou contra Donald Sterling

Pelos Warriors, o destaque foi o ala-armador Klay Thompson com 21 pontos, que liderou a lista dos cinco jogadores titulares dos Warriors com números de dois dígitos. O ala-pivô David Lee conseguiu um double-double de 18 pontos e dez rebotes, vencendo o duelo individual com Griffin, enquanto o ala-armador Andre Iguodala também chegou aos 18 pontos, além de oito rebotes e oito assistências, mas que não foram suficientes para evitar a derrota.

Principal jogador dos Warriors na temporada, o armador Stephen Curry não conseguiu ser o fator de desequilíbrio desta vez e anotou apenas 17 tentos. Já o ala Draymond Green conseguiu um double-double de dez pontos e 11 rebotes.

Terra

Briga entre Palmeiras e São Paulo adia criação de Liga de clubes

A briga entre os presidentes Paulo Nobre (Palmeiras) e Carlos Miguel Aidar (São Paulo), causada pela contratação do atacante Alan Kardec pelo clube do Morumbi, fez com que um projeto considerado importante por  Aidar seja adiado: a criação de uma entidade que reúna os clubes grandes para regular o mercado da bola.

Antes mesmo de vencer a eleição e se tornar sucessor de Juvenal Juvêncio, o novo mandatário tricolor anunciava a necessidade da construção de algum tipo de associação em que os clubes de futebol pudessem estabelecer políticas comuns. “Ou os clubes dão as mãos e estabelecem limites de salários, receitas, vendas de direitos de imagem para a televisão ou, em nome de querer o que há de melhor, vamos fazer loucuras”, disse Aidar em um programa de televisão, quando já sabia que Kardec seria atleta tricolor.

Mas, no meio do caminho, tinha o Alan Kardec. O atacante negociou a renovação de contrato com o Palmeiras por cerca de dois meses. O São Paulo, pegando a deixa de que o acordo entre atleta e palmeirenses não estava muito certo, entrou no negócio e acertou um acordo de cinco anos com Kardec.

Paulo Nobre não gostou, taxou a ação são-paulina de “sorrateira”, chamou Aidar de “este senhor” e a atitude do rival de “antiética”. O presidente tricolor respondeu nesta terça-feira, dizendo que Nobre era “juvenil” e que a reação do mandatário esmeraldino demonstrava  “o apequenamento do Palmeiras”.

A tréplica, poucas horas depois, veio em nota oficial dos palestrinos, com Nobre garantindo que as relações entre os clubes estavam cortadas enquanto Aidar continuar como presidente do São Paulo.

A reação de Aidar: “Sobre esta nota, não achei nada, nem vou achar. Não faço mais nenhum comentário”, disse ao Blog do Boleiro.

Ironicamente, o estremecimento entre dois clubes grandes de São Paulo colocou em lados antagônicos um dos idealizadores do Clube dos Treze (Aidar) e  um jovem dirigente (Nobre) que luta para “quebrar paradigmas” dos costumes quase centenários de relações trabalhistas entre agremiações e os jogadores. O Palmeiras rema contra a maré: propõe contrato com um salário base considerado razoável pelo clube e prevê bônus por produtividade. E barganha cada centavo.

Sozinho nesta política, o Palmeiras perdeu o primeiro jogador depois de quase 60 dias de negociações com o estafe de Alan Kardec. “Nós ainda tínhamos 30 dias para negociar. Eu vou lutar por cada real para o Palmeiras”, disse Nobre.

Esta postura e este discurso não vão contra o que Aidar pregou já na presidência do São Paulo: “O mundo do futebol é irreal, com salários muito grandes e receitas que não correspondem. Os clubes estão repatriando atletas que atuam na Europa e têm a cabeça formada em euros, ou seja, três vezes o real”.

Kardec ainda pertence ao Benfica, de Portugal. O São Paulo vai pagar 4,5 milhões de euros, a mesma quantia que o Corinthians ofereceu ao Sporting de Lisboa para ter Elias de volta. O Flamengo também queria o volante, mas parou quando o leilão ultrapassou 2,5 milhões de euros. “Era nosso limite. Não vamos fazer loucuras”, disse o executivo de futebol Paulo Pelaipe.

Entre o discurso e a prática, o São Paulo sai do episódio Alan Kardec como “esperto” na negociação, atingindo o Palmeiras que talvez tenha exagerado na conta da economia. Afinal, como o pai de Alan Kardec disse ao Blog do Boleiro, não foi apenas pelos R$ 5 mil reais que Nobre tentou economizar. “A questão é que a gente cedeu, cedeu e chegou um momento em que fiquei muito preocupado com a possibilidade do Alan ter voltar para a Europa”, falou.  “A gente aceitou o contrato de produtividade, mas ficou muito difícil com a atitude do Palmeiras”, reclamou.

O futuro dirá se as pontes entre Palmeiras e São Paulo foram queimadas ou se os dois clubes deixaram ainda um canal de comunicação para acordos futuros.

Mas até lá, vai ser difícil convencer os clubes a trabalharem numa política comum que caminhe para o “Fair Play Financeiro”, defendido pelo Bom Senso FC.

Quanto à ideia de Carlos Miguel Aidar em trabalhar por uma nova versão de Liga de Clubes, ela está adiada: “Agora não vou mexer nisso não.”

Terra

No adeus ao Santos, Léo recebe homenagem de Neymar

Dia 30 de abril de 2014, data que marcará o último dia de contrato do ídolo do Santos, Léo. Sabendo disto, a quarta-feira promete várias homenagens ao experiente jogador por parte de seus ex-companheiros. Uma das primeiras foi de Neymar, campeão da Libertadores de 2011 ao lado do ex-camisa 3.

Por meio de sua página no Instagram, o atacante do Barcelona e da Seleção Brasileira homenageou ao ex-atleta do clbe alvinegro. Em um trecho de sua postagem, Neymar afirmou que foi uma honra ter acompanhado o jogador, que foi o décimo que mais vestiu a camisa alvinegra.

Confira, na integra, o texto escrito por Neymar:

"Ole ole ole ole LÉOOO LÉOOO !!! Ídolo, e principalmente da nação Santista ... Um cara onde pude acompanhar das arquibancadas como torcedor e de perto como jogador e companheiro de equipe !! Foi uma honra ter jogador do seu lado ... Obrigado !!! Tamo junto !!!"

Terra

Sonho de Senna era encerrar a carreira na Ferrari, lembra Montezemolo

"Eu sempre apreciei o estilo de Ayrton das corridas ", escreveu Montezemolo no site da Ferrari. "Como acontece com todos os grandes campeões , ele tinha uma vontade incrível de vencer e nunca se cansou de buscar a perfeição, tentar melhorar o tempo todo. Ele foi extraordinário na qualificação, mas também uma grande batalhadora nas corridas , quando ele sempre lutou com unhas e dentes. "

Embora nunca tenha pilotado para a Ferrari e tenha, inclusive, disputado um título ponto a ponto contra um piloto do time (Alain Prost, em 1990), Ayrton Senna costuma ser bastante reverenciado entre os italianos. Luca di Montezemolo, presidente da Scuderia, é um dos que nunca esconderam sua admiração pelo tricampeão do mundo, cuja morte completa 20 anos nesta quinta-feira.
“Eu sempre apreciei o estilo de Ayrton nas corridas ", disse Montezemolo ao site da Ferrari. "Como acontece com todos os grandes campeões, ele tinha uma vontade incrível de vencer e nunca se cansou de buscar a perfeição, tentar melhorar o tempo todo. Ele foi extraordinário nas classificações, mas também um grande batalhador nas corridas. Sempre lutou com unhas e dentes”, elogiou o ferrarista.

De acordo com o dirigente, o brasileiro planejava guiar para a Ferrari e se possível encerrar a carreira no time de Maranello. "Ele queria vir para a Ferrari e eu queria ele na equipe. Quando ele estava na Itália para o Grande Prêmio de San Marino, nós nos encontramos na minha casa em Bologna na quarta-feira 27 de Abril. Ele me disse que realmente apreciara a posição que nós tínhamos tomado contra o uso excessivo da eletrônica nos carros, o que diminuía a habilidade dos pilotos. Nós conversamos por um longo tempo e ele deixou claro para mim que queria encerrar a carreira na Ferrari, depois de ter chegado perto de se juntar a nós poucos anos antes”.

No fim de semana seguinte, durante aquele GP, em Ímola, Senna sofreu um acidente fatal, acabando com o sonho das duas partes. Um dia antes, a F1 já havia perdido o austríaco Roland Ratzenberger, no mesmo circuito.

"Combinamos de nos encontrar novamente em breve, para vermos como poderíamos superar as obrigações contratuais na época. Nós dois estávamos de acordo que a Ferrari seria o lugar ideal para ele continuar a sua carreira, que até então havia sido brilhante. Infelizmente, o destino roubou Ayrton e Roland Ratzenberger de todos nós, em um dos fins de semana mais tristes da história da Fórmula 1. Sobre Senna, lembro-me de sua bondade e de sua natureza simples,  quase tímida, sempre em completo contraste com Senna piloto, um lutador”.

Terra

terça-feira, 29 de abril de 2014

Aidar critica atitude do Palmeiras: ano após ano se apequena

Aidar criticou duramente Paulo Nobre, mas ainda acredita que pode ter contato amigável com ele

O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, rebateu duramente as críticas feitas pelo palmeirense Paulo Nobre sobre uma suposta falta de ética do time tricolor na negociação para contratar o atacante Alan Kardec. Além de chamar o dirigente alviverde de juvenil e dizer que o "choro é livre", o são-paulino falou em tom de lamentação sobre o "atual tamanho" da equipe palestrina, que segundo ele vem se apequenando.

"Queria dizer que a manifestação do presidente Paulo Nobre chega a ser patética. Demonstra infelizmente o atual tamanho da Sociedade Esportiva Palmeiras, que ano após ano se apequena com manifestações desta natureza. O São Paulo há algumas temporadas perdeu vários atletas, como Dagoberto, Oscar, Cafu e Antônio Carlos, e não ficou chorando pelos cantos. Faz parte da regra do jogo, o São Paulo agiu absolutamente dentro da legislação esportiva", disse Aidar.

Apesar das declarações sobre o Palmeiras – Aidar chegou a lembrar que Antônio Carlos e Cafu foram tirados do São Paulo por José Carlos Brunoro, executivo alviverde, nos anos 90 –, o presidente tricolor afirmou que não acredita em um estremecimento da relação entre os clubes. Para o são-paulino, a atuação do clube no caso Alan Kardec foi natural, e o Palmeiras mostrará novamente "pequenez" se mantiver rancor com o clube do Morumbi.

"Sei que outros clubes tentaram contratar esse atleta (Kardec), já li isso. O fato é que o São Paulo foi mais hábil, só isso. Se perder um atleta para um concorrente estremece relação, mostra de novo a pequenez da atitude. Porque se amanhã o Palmeiras vier tirar um atleta nosso aqui, não vamos nos desfazer da relação. A relação nossa fica, os clubes são maiores, somos todos passageiros. O Palmeiras é muito maior que cada um dos seus dirigentes. Isso não deverá interferir, mas se interferir, paciência, não tem o que fazer".

O vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, também descartou um corte de relações com o Palmeiras por conta da negociação de Kardec. Se Aidar disse que mal conhece Nobre – apenas apertou a mão do palmeirense na festa de encerramento do Campeonato Paulista –, Guerreiro, por sua vez, lembrou de amizades pessoais com ex-dirigentes alviverdes, Gilberto Cipullo e Luiz Gonzaga Belluzzo, contrariando a afirmação de Nobre de que a relação entre os clubes é péssima "desde os anos 40".

"Nosso relacionamento sempre foi muito bom no Palmeiras, tenho dois amigos lá, o Cipullo e o Belluzzo, que são amigos pessoais. Existe relacionamento muito bom e pretendo que continue. Repetindo as palavras do presidente, tirar jogador do clube dentro dos seis meses (antes de acabar o contrato) é coisa comum, não podemos fazer disso um caos. É corriqueiro no futebol", disse o vice-presidente.

Terra

Vicente Del Bosque: "Não há racismo no futebol

Treinador espanhol acredita que estão se promovendo em cima de tema sério

 

Treinador da seleção da Espanha acredita que o racismo não existe no futebol: "Creio que são fatos isolados"

O treinador da seleção espanhola Vicente Del Bosque surpreendeu ao declarar que não acredita em racismo no futebol. A declaração do técnico veio logo após o jogo entre Villarreal e Barcelona, vencido por 3 a 2 pela equipe blaugrana, mas que ganhou o mundo pela resposta de Daniel Alves, que comeu uma banana arremessada ao gramado como forma de provocação étnica.

"Se aproveitam do futebol para fazer propaganda sobre um assunto tão grave. Quero pensar que estes são casos isolados. Acho que não há racismo no futebol", declarou o treinador campeão mundial ao jornal espanhol Marca.

Del Bosque esteve presente no lançamento do livro "Minha Copas. Do gol de Zarra ao triunfo da 'Roja'", de Inocencio Arias. Durante o mesmo evento, o treinador frisou que o incidente no jogo entre Barcelona e Villarreal não deve afetar a sua seleção durante a Copa do Mundo: "Não acho que o ocorrido irá nos afetar na Copa do Mundo no Brasil"

O treinador ainda exaltou o momeno que a 'Fúria' atravessa, visando o bicampeonato mundial: "Estamos em um momento único na história de nosso futebol. Estes anos tem sido especiais e temos vontade de retribuir tanto carinho recebido. Temos jogado muitos amistosos, e, de vez em quando, somos criticados. Queremos devolver o carinho recebido aos torcedores.", disse.

Goal.com

Bellucci sofre, mas vence Dodig na estreia em Munique

Thomaz Bellucci finalmente venceu um top 40 em 2014

Apesar de oscilar em alguns momentos, o brasileiro Thomaz Bellucci conseguiu eliminar o croata Ivan Dodig, parceiro de Marcelo Melo nas duplas, por 2 a 0. Foi a estreia do paulista na chave principal do ATP de Munique e a primeira vitória sobre um top 40 no ano.

Bellucci começou dominante, abrindo 4/2 com quebras sobre o adversário. No entanto, o croata cresceu na partida, virou e por pouco não virou o set quando alcançou 5/4 sobre o brasileiro.

A recuperação de Bellucci veio na hora certa, e o tenista conseguiu levar o primeiro set ao tie-break. No desempate, o paulista levou a melhor com tranquilidade, vencendo todos os mini-breaks e decretando um 7 a 0.

No segundo set, a partida voltou a ficar equilibrada. A quebra de Bellucci sobre Dodig só veio no último game do confronto, fechando a parcial em 6/4 e garantindo vaga na próxima fase. O próximo adversário do brasileiro no ATP de Munique será o argentino Federico Delbonis, seu algoz no Brasil Open deste ano.

Terra

MP sugere multa ao Inter por problemas em acessibilidade no Beira-Rio

O Ministério Público do Rio Grande do Sul entrou com uma ação na Justiça Federal contra o Internacional pelo descumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta assinado por conta da acessibilidade do Beira-Rio. A multa, retroativa desde o dia 6 de abril, chega a R$ 1,4 milhão. A decisão foi anunciada no final da manhã desta terça-feira.

O promotor do Torcedor, José Seabra Mendes Júnior, e o procurador regional dos direitos do cidadão, Júlio Carlos Schwonke de Castro Júnior, anunciaram a decisão do órgão público. São duas multas: a diária, a valer desde o dia 6 de abril, prazo estipulado no TAC, em R$ 64 mil diários, o que fica R$ 1,4 milhão até o momento. E outra de R$ 1,65 milhão por jogo da Copa do Mundo no estádio. O Beira-Rio irá sediar cinco partidas do Mundial. A Justiça irá definir se aplicará as sanções ou não.

Os espaços para as pessoas com deficiência são alvos de reclamação no Beira-Rio desde o jogo com o Caxias, ainda em fevereiro, no primeiro duelo em que o Beira-Rio foi utilizado, aberto para 10 mil pessoas. O documento foi assinado, e o Inter garante que está trabalhando para adequar as instalações principalmente do anel superior. No inicio do mês, nos eventos de reinauguração, ainda houve críticas.

O Colorado promete que irá resolver a situação e diz que as obras estão em andamento. Há cerca de duas semanas, Seabra visitou o Beira-Rio e disse que o que havia visto o agradava. Mas que faltavam detalhes do que havia sido combinado no TAC, que seriam tratados posteriormente. Serão 128 lugares reservados para pessoas com deficiência no novo Beira-Rio, separados pelos setores do estádio. 

Jornal do Brasil

NBA deve forçar dono do Clippers a vender franquia, afirma jornal

Donald Sterling, dono do Los Angeles Clippers (Foto: Reprodução SporTV)

Donald Sterling, dono do Los Angeles Clippers

Após ser flagrado em uma suposta conversa telefônica fazendo declarações preconceituosas contra negros, o magnata Donald Sterling, dono do Los Angeles Clippers, deve enfrentar resistência na NBA caso deseje continuar sendo proprietário da equipe californiana. Segundo noticiou o jornal "Los Angeles Times", o comando da liga de basquete deve por em prática a estratégia de multar e suspender indefinidamente o empresário para forçá-lo a vender a franquia.

De acordo com o jornal, o Clippers pode valer até US$ 700 milhões, o que encorajaria Sterling a se desfazer do time, comprado por ele em 1981 por apenas US$ 12 milhões, quando sua sede ainda era em San Diego.

O poder da NBA em expulsar um dos donos de equipe fica restrito a determinadas circunstâncias, como a incapacidade de operar financeiramente o time ou quando o mesmo aposta em partidas da liga. Especialistas consultados pelo "LA Times" afirmam, porém, que as declarações de Sterling, caso comprovadas, podem ser consideradas prejudiciais à organização e, dessa forma, impactariam negativamente seus negócios, abrindo uma brecha para sua saída.

A NBA abriu investigação para verificar se o áudio divulgado pelo site americano "TMZ Sports" realmente contém a voz de Sterling. Em uma conversa por telefone com a namorada V. Stiviano, o magnata teria pedido à modelo que não levasse negros a partidas de sua equipe e que não tirasse fotos com eles. A liga considerou o teor perturbador e ofensivo.

Cerca de 15 patrocinadores já romperam contratos com o Clippers após a divulgação da conversa, no último sábado, entre eles a seguradora State Farm e a fabricante de carros Kia. Um dia depois da divulgação do áudio, o Los Angeles Clippers perdeu para o Golden State Warriors, em duelo pelas quartas de final da Conferência Oeste, que está empatado em 2 a 2. Jogadores da equipe fizeram um protesto silencioso contra o dono do time, fazendo o aquecimento para a partida com as camisas vestidas do avesso e usando meias pretas. O jogo cinco será realizado nesta terça-feira, em Los Angeles.

SporTV

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Jornal: Laís Souza comemora dor e projeta mexer o corpo todo

Laís Souza pensa no futuro em trabalhar na recuperação de pessoas que sofreram o mesmo acidente que ela

Em depoimento ao jornal Folha de S. Paulo, a ginasta Laís Souza, que se acidentou gravemente enquanto treinava para competir no esqui na Olimpíada de Inverno de 2014, afirmou que tem esperanças grandes de conseguir movimentar todo seu corpo. Com uma lesão cervical que a paralisou do pescoço para baixo, a atleta de 25 anos já teve progressos na recuperação - por exemplo, sente partes das duas mãos e da planta do pé, e já conseguiu mexer o antebraço sozinha na cama. Para ela a dor ganhou um "outro significado": ela é comemorada, já é rara e indica que a sensibilidade está voltando a pontos de seu corpo.

Laís explicou que ainda sente dores no pescoço e na coluna, e um edema persiste no local da lesão, o que dificulta prognósticos precisos da equipe médica. Para ela, o fato de ser atleta tem ajudado muito na reabilitação, já que ela está acostumada a "se esforçar demais e tentar ultrapassar o limite". Fazendo duas sessões de fisioterapia pela manhã e outras duas à tarde, Laís tira apenas o domingo para passear ou descansar. Ela encerra afirmando que está "tendo muita sorte" pelo acompanhamento que vem recebendo desde a lesão, e projeta, no futuro, ajudar na recuperação de pessoas que sofreram o mesmo acidente.

Terra

Villarreal repudia racismo contra Daniel Alves: “não cabe”

O racismo praticado por um torcedor do Villarreal contra o lateral brasileiro Daniel Alves, neste domingo, em partida do Barcelona pelo Campeonato Espanhol, segue repercutindo. E, desta vez, foi o clube do agressor que se manifestou. Através de sua conta no Twitter, o clube de El Madrigal lamentou o fato e disse que esse tipo de atitude “não cabe no mundo do esporte”.

“Como esportistas, um dos valores que mais nos preocupamos em cuidar e promover é o respeito. À equipe adversária, ao árbitro e à torcida rival. É uma pena ver que um ignorante é capaz de fazer algo tão lamentável. Não cabe no mundo do esporte e ainda menos dentro de nossa casa #NoAlRacismo”, escreveu o Villarreal.

A mensagem teve quase 500 republicações e surge para mostrar que o clube reprova a atitude tomada por um de seus torcedores no jogo deste domingo. Aos 30min do segundo tempo, quando foi cobrar um escanteio da ponta direita, o brasileiro Dani Alves teve uma banana atirada contra si. Como resposta, apanhou-a do chão, descascou-a e a comeu. No fim do jogo, ainda agradeceu por terem evitado que tivesse cãibras.

Nas redes sociais, o caso ganhou muita repercussão, e Daniel Alves recebeu apoio. Neymar, companheiro do lateral no Barcelona, postou uma foto ao lado de seu filho comendo uma banana e lançou a campanha “somos todos macacos”. Ela foi logo aderida por famosos como Luciano Huck, Angélica, Claudia Leitte, Dinho Ouro Preto e Michel Teló, por exemplo, que repetiram a foto do camisa 11.

Dentro de campo, Daniel Alves teve atuação destacada e participou de dois dos três gols do Barcelona na vitória por 3 a 2, de virada, em Villarreal. O resultado, porém, não foi suficiente para fazer o time catalão alcançar a liderança do Campeonato Espanhol. Os comandados de Gerardo Martino estão na segunda colocação, a quatro pontos do melhor posicionado, Atlético de Madrid. Logo atrás, com dois tentos a menos que o Barça, encontra-se o Real Madrid. A equipe merengue, entretanto, possui uma partida a menos que os seus rivais.

Terra

Lançado livro em inglês que detalha todas corridas de Senna

No Brasil, é possível encomendar o livro pela internet, por £40 (cerca de R$ 150)

Não é só no Brasil que ele deixa saudades. Mundo afora as homenagens vão aparecendo na medida em que nos aproximamos do dolorido 1º de maio. Prova disso é o lançamento do livro ‘Ayrton Senna – All His Races’ (‘Ayrton Senna – Todas as Suas Corridas’, em tradução livre). Escrito pelo jornalista inglês Tony Dodgins (que já trabalhou na BBC e Autosport, entre outros veículos). Do kart ao fatídico final de semana de Ímola, está tudo lá.

Com 304 páginas e 275 fotografias, a maioria em cores, a obra detalha todas as corridas do brasileiro, de forma cativante e crítica quando necessário. No entanto, o livro não se limita à superficial análise esportiva de Senna, também tenta entender qual a verdadeira dimensão do mito por trás do atleta, através de entrevistas exclusivas com pessoas que o ajudaram a trilhar o seu caminho nas pistas.

Entre essas personalidades, é possível destacar o prefácio de Martin Brundle. O eterno rival de Senna na Fórmula 3 inglesa, que mais tarde viria a ser um grande amigo do brasileiro dentro da F1, lembra com emoção do que sentiu naquele 1º de maio de 1994:

“Assim como ele era tremendamente habilidoso, ele era também muito corajoso em um carro de corrida, até aquela de Ímola que custou a sua vida. Mas ele era guiado pela raiva naquele dia. Ele pensava que era correndo contra um carro ilegal (a Benetton, de Schumacher). Ele era um homem inteligente, mas quando a situação ficava crítica, ele era guiado pelas emoções. Seu coração dominava a sua mente”, escreve o ex-piloto.

Lançado pela EVRO Publishing Ltd, a obra chega ao custo de £40, somente em inglês. Questionada sobre a possibilidade de lançar uma versão em português no futuro, a editora disse que se encontrar alguma parceria para traduzir o livro, certamente o fará. Enquanto isso, quem se adiantar e encomendar a edição que acaba de ser lançada, eu garanto que não vai se arrepender.

Ficha:

AYRTON SENNA: ALL HIS RACES By Tony Dodgins, Foreword by Martin Brundle

Published by EVRO Publishing Ltd, Hardback RRP: £40.00, www.evropublishing.com

Portland vence Houston e fica a uma vitória de avançar

Em mais um jogo a ir para o tempo-extra, os Trail Blazers abriram 3 a 1 na série diante dos Rockets

Depois de uma atuação tímida, o ala-pivô LaMarcus Aldridge voltou a comandar o ataque do Portland Trail Blazers. E, assim, a equipe da casa venceu o Houston Rockets na prorrogação por 123 a 120, no Rose Garden, pela quarta partida dos playoffs da Conferência Oeste da NBA.

A vitória permitiu aos Trail Blazers abrir vantagem de 3 a 1 na série melhor de sete, ficando a uma vitória de avanças às semifinais.

Aldridge desta vez conseguiu um duplo-duplo de 29 pontos e dez rebotes que o deixou à frente de uma lista de quatro jogadores da equipe de Portland com dez pontos ou mais.

Entre eles esteve o ala francês Nicolas Batum, que voltou a jogar seu melhor basquete individual na série e marcou 25 pontos.

Do outro lado, o ala-armador James Harden comandou o ataque dos Rockets com 28 pontos marcados, mas continuou sem conseguir os pontos decisivos e errou oito de 11 cestas de três.

A quinta partida será jogada na quarta-feira, no Toyota Center, em Houston, e os Trail Blazers estão a apenas uma vitória de chegar às semifinais da Conferência Oeste pela primeira vez desde 2000.

Terra

Blatter apoia Daniel Alves e promete tolerância zero na Copa

Um dia após o episódio de racismo contra Daniel Alves, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, expressou toda sua indignação com o ocorrido e também mandou um recado. Segundo ele, haverá tolerância zero com relação ao tema durante a Copa do Mundo.

"O que Daniel Alves teve de tolerar no último domingo foi revoltante. Nós precisamos nos unir e brigar contra a discriminação de todas as formas. Haverá uma política de tolerância zero na Copa do Mundo", comentou Blatter por meio de seu Twitter oficial.

Uma banana foi jogada em direção a Daniel Alves no jogo entre Barcelona e Villarreal. O brasileiro pegou a fruta e comeu um pedaço, uma reação que foi bastante elogiada, chamando atenção para o fato e iniciando uma campanha por meio de redes sociais.

Terra

domingo, 27 de abril de 2014

Flu domina Palmeiras sem Kardec e vence 2ª no Brasileiro

Fred comemora com companheiros gol do Flu

Depois de estrear com vitória no Campeonato Brasileiro, o Fluminense voltou a vencer neste sábado, no Pacaembu. Enfrentando o Palmeiras em partida válida pela segunda rodada do torneio nacional, os comandados de Cristóvão Borges venceram por 1 a 0 graças a um gol de Rafael Sobis no primeiro tempo. Apesar do placar magro, o clube visitante foi superior durante todo o confronto e só não fez mais gols por causa da boa atuação de Fernando Prass.

O resultado leva o Fluminense aos seis pontos na tabela da competição, suficientes para a manutenção da liderança, posição que dividiu na primeira rodada com o São Paulo. O Palmeiras cai para a sexta posição, continuando com os três pontos conquistados contra o Criciúma.

No jogo deste sábado, o time carioca mostrou superioridade desde o início da primeira etapa e se aproveitou da ausência de Alan Kardec para controlar com facilidade o ataque palmeirense, escalado apenas com Leandro entre os zagueiros. Articulando boas jogadas, Conca foi o destaque do clube tricolor ao acionar a dupla Rafael Sobis e Fred, que deu trabalho aos defensores da equipe mandante.

Fernando Prass realizou uma grande defesa aos 42min em finalização de Sobis, que recebeu passe do meia argentino e tirou do goleiro, que se recuperou no lance e evitou o gol no reflexo. O Fluminense finalmente saiu na frente aos 44min, quando Conca deu mais um belo lançamento para Fred, que rolou para Rafael Sobis bater de primeira e tocar entre as pernas de Fernando Prass e balançar as redes.

Ambas as equipes mantiveram o mesmo comportamento do primeiro tempo ao retornarem dos vestiários para o segundo. Mais criativo no meio-campo, o Fluminense foi perigoso no ataque, porém quem chegou mais perto de um gol foi o Palmeiras, aos 17min, quando o reserva Serginho arriscou da entrada da área e quase surpreendeu Diego Cavalieri, que conseguiu se recuperar e fazer a defesa.

Esta foi a oportunidade mais evidente de gol criada pelos donos da casa, que não encontraram uma solução para a boa movimentação dos meias Wagner e Conca, que agiram com liberdade articulando o Fluminense no ataque. Aos 33min, Wagner conseguiu uma boa arrancada pela esquerda, se livrou de dois marcadores e bateu firme para nova defesa de Prass. cinco minutos depois, a dupla de meias construiu nova jogada, concluída de cabeça por Fred sobre o gol palmeirense.

Pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras viaja ao Rio de Janeiro para enfrentar o Flamengo no Maracanã no próximo domingo, dia 4 de maio, às 16h. Já o Fluminense recebe às 21h no mesmo Maracanã, só que no sábado, dia 3, o Vitória.

Terra

Giggs estreia como técnico, e Manchester goleia Norwich

"Fim de um erro, começo de uma era": torcida do United mostrou confiança no ídolo Giggs

Ryan Giggs estreou bem no comando da equipe do Manchester United. O galês, que ocupa interinamente a vaga deixada por David Moyes, assistiu do banco de reservas à sua equipe golear o Norwich por 4 a 0 em Old Trafford.

Não é exagero dizer que o Manchester United foi uma equipe diferente neste sábado. A letargia e a falta de opções deram lugar a um time vibrante e que mais lembrava a época de Sir Alex Ferguson. Os gols do triunfo vermelho foram marcados por Rooney e Mata, duas vezes cada.

Apesar de jogar melhor, demorou para o United abrir a porteira do Norwich. Isso só ocorreu aos 41min do primeiro tempo, quando Rooney converteu pênalti. Alívio para a volta ao vestiário.

No segundo tempo, o Manchester United mandou no jogo. Logo aos 3min, Rooney marcou o segundo gol em um belo chute de fora da área. No lance, o atacante chegou a escorregar, mas a bola entrou no canto esquerdo do goleiro Ruddy.

O show do United continuou com Mata. O espanhol fez o terceiro, desviando cruzamento de Phil Jones aos 18min. Dez minutos depois, Mata fechou a goleada completando de cabeça o belo voleio de Valencia.

Mesmo com a grande vitória, o Manchester United não saiu da sétima colocação. No entanto, deu um alento à sua torcida e fez surgir a esperança de que Ryan Giggs tem condições de assumir o comando efetivo da equipe.

Terra

Ameaçada, Lusa "estreia" na Série B e empata com Santa Cruz

Portuguesa empate em primeiro jogo completo na Série B, mas chances de rebaixamento pelo STJD assustam

No que era o jogo mais aguardado da rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, principalmente após o abandono de campo ocorrido em Joinville na semana passada, a Portuguesa conseguiu, enfim, "estrear" na segunda divisão nacional. A equipe rubro-verde, ameaçada de ser excluída do torneio pelo STJD, empatou com o Santa Cruz por 1 a 1 neste sábado, no Estádio do Canindé, pela segunda rodada. Rudnei e Flávio Caça-Rato marcaram os gols.

A expectativa em torno do duelo vinha principalmente depois de polêmica ocorrida na sexta-feira, dia 18 de abril,quando o time paulista se retirou do gramado aos 17min do primeiro tempo do confronto com o Joinville. Uma liminar obtida por um torcedor na Justiça exigia a recolocação do clube na Série A, e o temor de voz de prisão ao presidente Idílio Lico por descumprir decisão judicial motivou a saída de campo.

E, ao longo da semana, o assunto não saiu de pauta. O vice jurídico e advogado do clube rubro-verde, José Luiz Ferreira, por exemplo, afirmou que a equipe não deveria desistir da briga nos tribunais. O presidente Ilídio Lico, por outro lado, preferiu admitir a "derrota". Enquanto isso, o STJD entrou nesta sexta com pedido de exclusão da Portuguesa da Série B, em julgamento que deve ocorrer nesta próxima semana.

Em campo, neste sábado, o time paulista demonstrou abatimento. O primeiro tempo foi sonolento até os 30 minutos, com apenas uma boa chance para cada equipe. A Portuguesa, então, cresceu e exigiu três importantes intervenções do goleiro Tiago Cardoso, que livrou o Santa Cruz de derrota parcial, levando o empate sem gols até o apito final da etapa.

Mas o segundo tempo melhorou bastante. Logo aos 18min, Gabriel Xavier cruzou da direita para a marca de pênalti. Romão não alcançou, mas Rudnei dominou e finalizou firme para as redes, abrindo o placar.

O Santa Cruz respondeu na sequência, aos 23min, deixando tudo igual. Oziel alçou bola na área, Léo Gamalho tocou de cabeça, Renatinho ajeitou e Flávio Caça-Rato arrematou para empatar, dando também números finais ao confronto no Estádio do Canindé.

O Santa Cruz volta a campo na próxima sexta-feira, quando irá enfrentar o Paraná, dentro de casa. A Portuguesa, por sua vez, encara o Bragantino na terça, em Bragança Paulista, mas também ficará atenta aos desdobramentos que devem ocorrer nos tribunais ao longo dos próximos dias.

Terra

Jones bate mais um brasileiro e defende cinturão pela 7ª vez

Super campeão do UFC, Jon Jones manteve seu império com um grande desempenho, na madrugada deste domingo. Ele dominou Glover Teixeira e bateu um brasileiro pela sexta vez na carreira - antes tinha superado Carlos Eduardo Cachorrão, André Gusmão, Mauricio Shogun, Lyoto Machida e Vitor Belfort

O super campeão Jon Jones detonou, pela sexta vez na carreira, um lutador brasileiro no octógono do UFC. Na madrugada deste domingo, a vítima foi o mineiro Glover Teixeira, que saiu completamente dominado pelo americano e derrotado por pontos no UFC 172, em Baltimore (EUA). O campeão dos meio pesados voltou a mostrar grande variedade de técnicas, além das tradicionais cotoveladas, para defender seu cinturão pela sétima vez seguida e acabar com a sequência invicta de 20 lutas do brasileiro.

O primeiro round da luta foi tenso e equilibrado. Glover foi corajoso, tentou andar para frente e atacar sempre. Mas Jones não ficou acuado, contra-atacou e quase entortou o braço do brasileiro, mesmo em pé. Depois do combate, Glover admitiu que esse golpe pode ter machucado seu ombro.

Logo no começo do segundo round, Jones tentou levar a luta para o chão, mas não conseguiu. Em pé, o americano tentou usar uma estratégia controversa: colocou uma mão no rosto de Glover para tentar dar cotoveladas com o outro braço, mas foi advertido pelo juiz por isso. Depois, o brasileiro acertou uma forte sequência de golpes e parecia reequilibrar o combate.

Mas na prática Jones estava mandando na luta e conseguiu mudar sua estratégia facilmente no terceiro round: passou a levar Glover para a grade, fazer o clinch e acertar socos e cotoveladas, que abriram um corte no brasileiro.

Jon Jones afastou Glover com a mão no olho do brasileiro, mas só recebeu uma advertência por isso

Esta mesma tática se repetiu no quarto round, o que irritou Glover. Quando conseguiu sair da grade, ele passou a partir de forma mais desesperada para buscar o nocaute, o que deu espaço para contra-ataques perigosos ao adversário. Mais uma série de cotoveladas de Jones agravou o ferimento do brasileiro.

Quando começou o último assalto, os dois se abraçaram e animaram a torcida. Mas Jones queria administrar a vitória e logo partiu para a agarração com Glover. Houve um pequeno período de tempo em que Jones aceitou a trocação aberta de golpes, mas mesmo nisso levou a melhor e guardou os últimos minutos para dar show, baixando a esquiva, se movimentando e arriscando novas técnicas. Foi então anunciado como vencedor e provou que tem todas armas para manter seu império na categoria por muito tempo.

Veja como foram as outras lutas do card principal do UFC 172

Phil Davis x Anthony Johnson

De volta ao UFC, Johnson não deu chances para Davis levar a luta para chão, que é seu ponto forte. O ex-WSOF conseguiu ficar em pé e distribuiu golpes que fizeram Davis sangrar rapidamente. Os chutes também fizeram efeito no segundo round, em que Johnson continuou a dominar o combate. Cansado e sem poder de nocaute, Davis continuou a apanhar no último assalto, mas só perdeu por pontos, após decisão unânime dos juízes.

Luke Rockhold finaliza Tim Boetsch rapidamente

Rockhold deu show e desafiou Vitor Belfort

Demorou muito pouco para Rockhold encontrar uma posição perfeita para finalização. Ele encaixou um triângulo invertido e praticamente imobilizou Boetsch. Em menos de dois minutos Rockhold obrigou o adversário a se entregar e conquistou sua segunda vitória consecutiva. Ex-campeão do Strikeforce, ele está entre os destaques dos pesos médios e pediu revanche contra o brasileiro Vitor Belfort.

Jim Miller domina e "apaga" Yanci Medeiros

Os pesos leves começaram a luta de forma cauteloso, mas rapidamente Miller percebeu que poderia levar a melhor na trocação de golpes. Quando ele foi para cima, acertou socos que derrubaram Yanci. Foi o momento certo para encaixar uma guilhotina no adversário e sufocá-lo até conseguir vencer por finalização. Foi a segunda vitória seguida de Miller no UFC, que está entre os melhores da categoria.

Max Holloway castiga e finaliza Andre Fili

A luta entre os pesos penas começou bastante equilibrada, com os dois corajosos na trocação de golpes, mas pouco eficientes. Porém, Holloway começou a se destacar a partir do segundo assalto, com socos e chutes certeiros, por isso Fili tentou levar a luta para o chão. Não deu certo e, no terceiro round, Holloway usou seu boxe potente para deixar Fili debilitado e partir para a finalização com uma guilhotina. Foi a segunda vitória consecutiva de Holloway, que acabou com a sequência de nove vitórias na carreira de Fili.

Terra

Rebaixado antes de jogar, Betis perde para Real Sociedad

Jogadores do Betis lamentam a derrota diante da sua torcida

No último jogo deste sábado no Campeonato Espanhol, o lanterna Betis aumentou seu calvário. O clube entrou em campo já sabendo que estava matematicamente rebaixado para a segunda divisão e ainda perdeu em casa por 1 a 0 para o Real Sociedad.

O Betis iniciou a rodada com chances mínimas de escapar da degola, mas a vitória do Getafe sobre o Málaga, neste sábado, acabou com as esperanças. O resultado colocou o Getafe com uma pontuação que não poderia mais ser alcançada pelo time de Andaluzia.

Assim, o Betis foi a campo pouco depois de saber o placar que o derrubou e não teve forças para vencer o Real Sociedad, que balançou a rede em pênalti convertido por Carlos Vela, aos 3min do segundo tempo.

Restando ainda três jogos para disputar no campeonato, o Betis aparece como último colocado com 22 pontos. O Getafe, primeiro time fora da área da degola, tem 35. Já o Real Sociedad fica com 57, no sexto lugar.

Terra

sábado, 26 de abril de 2014

Em boa fase, Fabiana aumenta expectativa do Sesi por título

Fabiana é um dos destaques do Sesi na Superliga

Bicampeã olímpica com a Seleção Brasileira, Fabiana venceu a Superliga quatro vezes, todas jogando pelo Unilever. Levantou o troféu da principal competição do vôlei nacional em 2006, 2007, 2008 e 2009, mas agora tem a missão de se portar como carrasco do time carioca. Neste domingo, às 10h, o Sesi entrará em quadra no Maracanãzinho para a final da edição 2013/2014 com altas expectativas muito por conta dela.

“A expectativa está alta. Estou super feliz pela nossa classificação para a final. Essa foi uma temporada de superação. Saímos de um momento difícil com muita união e espírito de grupo”, afirmou a jogadora, que no playoff liderou o time contra Praia Clube e, principalmente, nos dois triunfos que encerraram a invencibilidade do Molico Osasco e eliminaram o time após nove finais consecutivas.

Isso não se deve apenas a Fabiana: ela divide o mérito com a levantadora Dani Lins, a líbero Suelen e a ponteira-revelação da competição Ivna. “Estou numa boa fase, e isso se deve a minha família, meus amigos e também ao nosso grupo. A soma disso tudo acaba refletindo a minha atuação dentro de quadra”, disse Fabiana, ex-destaque do Unilever.

“Sempre vou ter um carinho especial pela equipe da Unilever. Foi na equipe carioca que conquistei os meus títulos da Superliga. O Rio tem uma equipe muito forte e bem montada taticamente pelo Bernardo. Sabemos que será uma partida difícil, mas o nosso grupo está muito motivado. Espero que seja um grande jogo”, relembrou a jogadora.

As companheiras de Sesi se aproveitam da experiência da jogadora. "Nosso convívio é muito bom. Não preciso nem dizer o orgulho que é estar ao lado da capitã da Seleção Brasileira e ela sempre me ajuda muito. Procuro ver da forma como ela ataca uma bola, como vai para o bloqueio. A Fabiana ajuda muito o time", contou a central Bia.

O Sesi já conseguiu um feito notável na Superliga feminina: eliminar o Molico Osasco com duas vitórias, encerrando série de 28 partidas sem derrota do rival. Por que não derrubar também a outra equipe hegemônica? “A nossa equipe passou a acreditar no potencial que tem e os resultados apareceram”, afirmou Fabiana.

Terra

STJD fala em farsa e encenação e sinaliza encrenca para Lusa

Abandono de campo em Joinville pode levar a Portuguesa à Série C

O abandono de campo na partida diante do Joinville, na última sexta-feira, pela primeira rodada da Série B, tem tudo para, de fato, “encrencar” a situação da Portuguesa no futebol brasileiro. Em entrevista ao Sportv na tarde desta sexta-feira, o procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt, admitiu que denunciou a equipe paulista, falou em” farsa” e “encenação” do clube do Canindé no caso e confirmou que pode haver a exclusão do time da competição nacional.

“Todos os fatos deste caso foram avaliados por sete dias. Após as análises, foi constatada que não havia nenhuma justificativa plausível, técnica ou jurídica que desse qualquer tipo de suporte à Portuguesa para deixar o campo de jogo e simplesmente acarretar os prejuízos de uma partida sem saldo de gols, gols pró, gols contra, que são critérios decisivos em um campeonato deste tipo”, declarou Schmitt. “Além disso, houve toda a logística de segurança, e sete mil pessoas com o espetáculo frustrado. Tudo isto pelo abandono de jogo”, acrescentou.

A Portuguesa deixou o gramado da Arena Joinville aos 17 minutos da partida da última sexta-feira “amparada” por uma liminar movida, em São Paulo, por um torcedor, que impedia o time de disputar a Série B. Entretanto, de acordo com Paulo Schmitt, esta ação não possuía nenhuma força jurídica, e o clube paulista sabia disto. “Essa liminar não procedia, uma vez que a Portuguesa já havia sido intimada de outras decisões e sabia, por meio do STJ, que todas as ações deveriam correr somente na Vara Cível Barra da Tijuca”, explicou, antes de disparar contra a equipe paulista.

“Depois de uma semana de análises, essa atitude da Portuguesa se revela para nós como uma fraude, uma farsa, uma tentativa de dar ares de legalidade a algo que não existiu e que acarretou neste absurdo que a gente viu, que foi o abandono de campo”, atacou, deixando claro que o time do Canindé será penalizado pelo ocorrido. “Quem descumpriu alguma decisão judicial foi a Portuguesa ao abandonar o campo, porque ela tinha por obrigação disputar a Série B, gostando dela ou não”, decretou.

A denúncia movida pela Procuradoria nesta sexta-feira diz que a equipe rubro-verde, ao deixar o campo, infringiu os artigos 205, parágrafo segundo, e 231 do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva) e o artigo 69-2 do Código Disciplinar da FIFA. As penas contidas nestes artigos variam da perda de pontos em favor do adversário até a exclusão do campeonato em disputa, o que acarretaria no rebaixamento compulsório para a Série C.

Terra

Diretor garante Ney Franco, mas avisa: "cobrança será maior"

Ney Franco não teve um bom início de 2014 no Vitória

O início de 2014 não está bom para o Vitória. No momento, a equipe passa por uma fase complicada, e não vence há cinco jogos: derrota e empate contra o Bahia na final do Campeonato Baiano, derrota para o Internacional na estreia do Campeonato Brasileiro e dois empates e a eliminação nos pênaltis diante do J. Malucelli, na primeira fase da Copa do Brasil. Apesar da perda do título estadual, da eliminação na copa e o início ruim na Série A, o diretor executivo do Vitória, Felipe Ximenes, diz que fica feliz por o técnico Ney Franco continuar no cargo.

"Existe uma cultura no futebol brasileiro de que o técnico com duas, três derrotas consecutivas, acaba demitido. Tenho uma alegria grande de ver que o Ney Franco pode continuar o seu trabalho mesmo após esse semestre de revés. Acho que o Vitória, através do presidente Carlos Falcão, está dando um exemplo para o futebol brasileiro por permitir que o Ney desenvolva seu trabalho", declarou.

Nesta quinta, após a eliminação, Ney Franco, em entrevista coletiva, deixou sua permanência no clube à disposição da diretoria do clube. O presidente Carlos Falcão, no entanto, optou por dar continuidade ao trabalho do treinador. Questionado sobre a possibilidade de o técnico cair em caso de uma derrota em casa frente ao Atlético-PR, no próximo domingo, Ximenes foi taxativo: a princípio, Ney Franco não corre perigo.

"Pelo grande profissional que ele é era óbvio que ele iria deixar a diretoria absolutamente tranquila para tomar uma decisão que achasse por bem depois de uma eliminação tão sentida e tão inesperada como foi a de ontem. Mas não senti nenhuma dúvida do presidente sobre isso, o que mostra uma grande maturidade dele sobre essa questão. Se a gente começar, em um momento de dificuldade, a condicionar a permanência de um treinador a um resultado, isso acaba deixando o ambiente de trabalho muito ruim. Todo mundo pede mudanças no futebol, mas a gente tem de fazer essas mudanças com ação e não com discurso", analisou.

No entanto, apesar de garantir que Ney Franco fica, independentemente de qualquer resultado no domingo, Ximenes não aliviou o tom ao falar sobre a eliminação na Copa do Brasil. Assim como Ney Franco, o diretor do clube considera a queda diante do J. Malucelli "injustificável". Por isso, a cobrança ao técnico e aos jogadores deve aumentar.

"A eliminação na Copa do Brasil tem que ser sentida, porque foi inesperada e é injustificável. Foi um empate, mas considero uma derrota. É a terceira vez consecutiva que o Vitória cai na primeira fase da Copa do Brasil e não podemos varrer para baixo do tapete. É um momento de aprendizagem, mas também um momento para que a gente tenha mais atenção, mais cobrança e siga o trabalho de uma maneira mais firme", finalizou.

Terra

Dirigentes argentinos propõem aos clubes campeonato com 30 times

O diário argentino "Olé" divulgou nesta sexta-feira um documento emitido pela Associação do Futebol Argentino (AFA), e entregue aos clubes do país, contendo a proposta para um novo modelo de campeonato no país. A ideia é que o Campeonato Argentino passe a contar com 30 clubes a partir de fevereiro de 2015.

O torneio seria disputado em turno único, no formato de todos contra todos, porém com repetição de um clássico correspondente a cada equipe. Por exemplo: Boca Juniors x River Plate seria disputado duas vezes, assim como Rosario Central x Newell's Old Boys, Gimnasia x Estudiantes, ou Racing x Independiente. Haveria, portanto, um total de 30 rodadas.

Outra novidade é que a partir do ano que vem a Argentina voltaria a ter um campeão por ano, tentativa que chegou a ser feita em 2012/13, mas que foi abandonada nesta temporada com o retorno do sistema que consagra dois campeões nacionais.

A explicação da AFA para a adoção do novo formato é "federalizar o futebol argentino". A entidade usa como exemplo o fato de que apenas quatro, das 23 províncias do país, estão representadas na competição. Com a queda quase certa do Godoy Cruz, de Mendoza, o número de províncias com times na Primeira Divisão cairia para três.

Um torneio de transição seria disputado no segundo semestre deste ano nas duas principais divisões, com objetivo de formar a nova elite do futebol argentino. O que não muda, porém, é o rebaixamento por média de pontos. No fim do ano, dois clubes cairão com base neste critério.

Terra

Fifa vistoria Botafogo-SP, que garante "vestiário da França" 80% pronto

Vestiário do estádio Santa Cruz precisa receber chuveiros, banheira e portas de vidro (Foto: Luis Augusto/Ag. Botafogo)

Vestiário do estádio Santa Cruz precisa receber chuveiros, banheira e portas de vidro

Diretores do Departamento de Competições da Fifa e integrantes do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo estiveram no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, na manhã desta sexta-feira, para avaliar o andamento das obras que atenderão a seleção francesa durante a preparação para o Mundial.

Além do gramado, que deve ser reformado, os vestiários foram observados pelos integrantes da Fifa. Segundo o vice-presidente de marketing do Pantera, Jason Albuquerque, tudo deve ficar pronto antes do dia 6 de maio, data escolhida pela Federação Francesa de Futebol para última vistoria.

- Só falta uma área de revestimento, que será colocado neste fim de semana. As partes de piso, contrapiso, estão prontas. Como o chão é uma borracha reciclável, ele será colocado depois da limpeza. Faltam as instalações do chuveiros, portas de vidros. Na terça ou quarta-feira instalam o motor da banheira. Tudo foi comprado. Só falta instalar - afirmou Jason, que ouviu cobranças sobre a reforma do gramado.

- Eles fizeram uma cobrança de uma empresa especializada que já foi contratada pela Fifa sobre o porquê deles ainda não estarem trabalhando aqui. Há um escopo do que vai ser feito nessa reforma do gramado e até agora recebemos sementes e foram colocados herbicidas em todo o gramado - disse.

Segundo o cronograma, a administração do estádio passará provisoriamente para as mãos da FFF a partir do dia 16 de maio, enquanto que os jogadores da França chegam para realizarem o primeiro treinamento no Santão no dia 9 de junho. No dia seguinte, 10 de junho, será realizado o primeiro treino dos franceses com portões abertos.

Globo Esporte

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Bernardinho se frustra com País, mas vê mudanças no vôlei

Bernardinho adotou tom crítico com o Brasil

Uma das vozes mais indignadas com o escândalo no vôlei nacional que culminou com a saída de Ary Graça da presidência da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), o técnico Bernardinho mudou o foco de suas críticas à situação do Brasil em entrevista publicada nesta sexta-feira pela Folha de S. Paulo. O treinador da Unilever e da Seleção masculina criticou a preparação do País para a Copa do Mundo e para a Olimpíada de 2016 e relacionou o atraso nas entregas a uma crise de valores.

“Primeiramente, a maior crise que a gente vive é de valores morais e éticos. Segundo, é preciso estabelecer prioridades e trabalhar por elas”, disse à Folha de S. Paulo. Bernardinho, que recusou convite do PSDB para se candidatar a governador do Rio de Janeiro e na mesma entrevista declarou apoio a Aécio Neves para presidente.

“A crítica é muito mais ampla do que à cidade olímpica ou o país da Olimpíada. É um país sem prioridades, sem planejamento, onde nada é respeitado. Orçamentos e os prazos não são respeitados. Meu dissabor e minha frustração são com o país. Temos coisas sérias e importantes a criticar e tentar mudar”, completou.

O técnico ampliou sua indignação com os atrasos nas obras para os eventos esportivos no Brasil. “Aqui, tudo é possível. A permissividade é absoluta. A Copa está a 50 dias e temos o que temos, a Olimpíada a dois anos e é aquela história de dar um jeito depois”, disse, antes de pedir mudanças. “É um país que precisa dar uma guinada no que diz respeito ao seu futuro”, disse.

Especificamente sobre a crise no vôlei, desencadeada após uma série de reportagens da ESPN Brasil pagamentos de comissões em contratos de patrocínio, Bernardinho aponta um caminho menos turvo. Ele chegou a dizer que se sentia traído por tudo o que aconteceu. “As mudanças estão acontecendo, claramente. Talvez não na velocidade que nós gostaríamos. Práticas do passado não acontecem mais”, disse.

Terra

Benfica bate Juventus e se aproxima de 2ª final consecutiva

Brasileiro Lima definiu vitória do Benfica em Portugal

Atual vice-campeão da Liga Europa, o Benfica deu passo importante nesta quinta-feira no intuito de tentar vingar a derrota na decisão da última edição. Jogando no Estádio da Luz, em Portugal, o time venceu a Juventus por 2 a 1 para abrir vantagem e manter vivo o sonho de ser campeão da competição continental.

Com o zagueiro Luisão comandando o setor defensivo, o Benfica agora jogará por empate no confronto de volta, marcado para o Juventus Stadium, em Turim, na Itália. O confronto será disputado na quinta-feira, às 16h05 (de Brasília). Para os italianos, vitória simples basta, já que balançaram as redes do adversário fora de casa.

O Benfica foi derrotado pelo Chelsea na última final da Liga Europa, por 2 a 1. Nem mesmo quando a competição era chamada Copa da Uefa o clube chegou a ser campeão. A Juventus, por sua vez, tem três títulos, em 1977, 1990 e 1993. De quebra, se reverter a desvantagem, decidirá o tetra dentro de casa, já que a final será realizada em sua arena, em Turim, em 2 de julho.

O Benfica condicionou a partida no Estádio da Luz com apenas dois minutos de partida na tarde desta quinta-feira. Sulejmani cobrou escanteio da esquerda para Garay, que subiu mais que Bonucci para cabecear e abrir o placar para o anfitrião. Isso fez com que o Benfica se postasse com mais cautela em campo, enquanto que colocou pressão na visitante Juventus.

O time italiano teve problemas para furar a defesa adversária. A melhor chance veio aos 9min do segundo tempo, quando Marchisio cruzou da esquerda do ataque para finalização de Pogba, bem defendida pelo goleiro Artur. Aos 27min, o time finalmente conseguiu empatar. Carlitos Tevez recebeu dentro da área, fintou dois zagueiros de uma vez e tocou rasteiro para empatar.

O Benfica então se arriscou mais, já que a vantagem havia acabado de se inverter – com o gol fora de casa, a Juventus estaria mais perto da vaga e jogaria por empate sem gols. Aos 38min, Lima concluiu boa troca de passes no ataque do Benfica e anotou o segundo gol, determinando a vitória portuguesa na primeira partida da semifinal.

Terra

Com São Paulo na briga, Palmeiras oferece mais por Kardec

Alan Kardec está na mira do São Paulo

A disputa por Alan Kardec, que envolve muitas especulações e interessados, fez o Palmeiras aumentar a proposta ao Benfica para manter o centroavante a partir de julho deste ano, quando encerra o empréstimo. Segundo o jornal Lance, a diretoria alviverde subiu para 4,5 milhões de euros (cerca R$ 13,7 milhões) o valor oferecido ao clube português para selar a contratação em definitivo do atacante.

A nova oferta tem como pano de fundo uma proposta do mesmo valor feita por um outro clube brasileiro. O Benfica avisou o Palmeiras sem identificar o interessado e disse que esperava pelo menos uma equiparação para manter a prioridade aos palmeirenses. Antes o valor acertado por este direito era de 4 milhões de euros (cerca de R$ 12,5 milhões).

Segundo o jornal Estado de S.Paulo, o São Paulo é o clube por trás desta proposta e pode insistir na negociação. O novo presidente Carlos Miguel Aidar teria dado carta branca ao vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, para selar um acordo. Paralelamente o Palmeiras tenta acertar as novas bases salariais de Alan Kardec, o que tem provocado atritos entre o pai do jogador e o clube e pode virar outro fator de peso no imbróglio.

Terra

Phelps fica com prata nos 100 m borboleta; Lochte é ouro

Phelps e Lochte se enfrentaram na final dos 100 m borboleta

De volta às competições oficiais nesta quinta-feira após 20 meses longe das piscinas, o americano Michael Phelps marcou seu retorno com uma medalha de prata nos 100 m borboleta no Grand Prix de Mesa, no Arizona, nos Estados Unidos.

Após passar em primeiro lugar nas eliminatórias com o tempo de 52s84, Phelps foi superado na final por outro astro da natação americana, o também campeão olímpico e mundial Ryan Lochte. Ele ficou com a medalha de ouro com a marca de 51s93, a segunda melhor da temporada.

Phelps fez o tempo de 52s13, o que mostrou que o maior medalhista da história das Olimpíadas não voltou para fazer feio. O tempo o coloca como o quinto melhor do ano, ao lado do alemão Steffen Deibler.

"Animado por estar competindo de novo... Feliz com o tempo desta noite, bem onde queria estar!", comemorou o nadador no Twitter.

Phelps poderá fazer sua segunda prova nesta sexta-feira em Mesa. Ele está balizado para os 50 m livre, mas ainda não havia confirmado presença. Se optar por competir, ele deverá nadar no estilo borboleta, o que é permitido pelas regras da natação.

Terra

Giggs comanda treino e admite ansiedade à frente do United

Com Paul Scholes em sua comissão técnica. Ryan Giggs comandou treinamento nesta sexta-feira

Escolhido como treinador interino após a demissão de David Moyes do comando do Manchester United, Ryan Giggs comandou o treinamento desta sexta-feira e se mostrou muito orgulhoso com a oportunidade em suas primeiras palavras como técnico. O galês acumulará o cargo com a função de jogador do clube até o final desta temporada. O ex-volante Paul Scholes será seu auxiliar.

"Só queria dizer o quanto estou orgulhoso de treinar por quatro jogos o clube pelo qual sempre torci e no qual estive associado a ele ao longo de 26 anos. É o momento de maior orgulho da minha vida. Este clube é grande parte de mim desde quando eu tinha 14 anos", disse o emocionado Giggs.

O treinador-jogador ainda revelou muita ansiedade para sua estreia no comando do Manchester, que será diante do Norwich no sábado, às 13h30 (de Brasília), em pleno Old Trafford.

"Mal posso esperar até lá, quanto finalmente estaremos indo para o Old Trafford. Sei que o estádio estará vibrante. Disse aos jogadores que confiassem neles mesmo e que sabiam do que eram capazes. Estou orgulhoso, feliz e um pouco nervoso, da mesma forma que era quando eu só era jogador", afirmou o galês.

Atleta com mais jogos na história do clube, dentre outros inúmeros recordes, Giggs, de 40 anos, ressaltou que não pretende parar de jogar, apesar do envolvimento como treinador ser maior nas próximas semanas. "Recentemente, eu dei um contrato cinco anos a mim mesmo, então pretendo usar minhas forças enquanto puder. Não fiz muita coisa essa semana, mas ainda estou envolvido como jogador e treinei regularmente", garantiu.

Terra

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Valor de mercado de clubes da Série A cai 28%, aponta estudo

Cruzeiro comemora título de 2013; clubes brasileiros perdem valor em um ano

O êxodo de importantes jogadores para o futebol internacional provocou queda de 28% no valor de mercado dos times que disputam o Campeonato Brasileiro, que agora é apenas o 10º mais valioso do mundo, segundo estudo divulgado nesta quarta-feira pela Pluri Consultoria.

"O valor de mercado do Brasileirão atingiu 672 milhões de euros (R$ 2,1 bilhões), retornando ao nível de 2008. Em 2014 fomos ultrapassados por Ucrânia e Portugal", aponta o relatório.

De acordo com a Pluri, é possível medir a qualidade do futebol praticado em cada região do mundo comparando o valor de mercado das competições. O Brasil, que chegou a ter o sexto campeonato mais valorizado em 2012, apresenta o terceiro ano seguido de queda.

"O Brasileirão perdeu 28% em relação à edição de 2013, a maior queda entre todos os campeonatos analisados, reflexo do grande número de jogadores valiosos que deixaram o país, em especial na janela do meio do ano passado", cita o relatório, apontando especialmente os nomes de Neymar, Bernard e Paulinho.

Os valores dos atletas são definidos por software próprio, considerando 77 critérios divididos em 18 itens: idade, fundamentos, qualidade técnica, capacidade de decisão, aspectos táticos, força e condição física, disciplina e espírito de equipe, condição clínica, titularidade, posição, campeonato que atua, experiência internacional, convocações para seleção, títulos, capacidade de retorno de marketing, potencial de valorização, capacidade de adaptação e demanda atual de mercado.

O "líder" do ranking dos campeonatos é a primeira divisão do Campeonato Inglês, avaliada em 3,61 bilhões de euros (R$ 11,1 bilhões), seguido por Campeonato Espanhol, Alemão, Italiano, Francês, Russo, Turco, Português, Ucraniano e depois o Brasileiro.

"Se considerarmos o valor médio por time participante, o Brasileirão cai ainda mais, para a 11ª posição, atrás também do Campeonato Holandês", revela o estudo.

Terra

Fifa libera Barcelona para contratar atletas no meio do ano

Presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, entrou com recurso diante da punição da Fifa

A Comissão de Apelação da Fifa concedeu um efeito suspensivo nesta quarta-feira diante do recurso do Barcelona contra a punição de ficar duas janelas de transferências sem realizar contratações. Desta forma, o time catalão está liberado para contratar jogadores no próximo período de negociações, em julho e agosto deste ano.

Segundo comunicado da Fifa, o motivo da liberação foi que não haveria tempo hábil para que um eventual recurso do clube no Tribunal Arbitral do Esporte fosse julgado antes do início da janela de transferências. Por isso, a Comissão de Apelação concedeu um efeito suspensivo para que o Barcelona possa contratar pelo menos neste meio de ano, e prometeu julgar o recurso por completo posteriormente.

O Barça havia sido impedido de contratar novos jogadores por duas janelas de transferências por "violar regras sobre a transferência internacional de jogadores abaixo de 18 anos", segundo a Fifa. Além da proibição, o clube foi multado em 450 mil francos suíços (R$ 1,15 milhão) e recebeu um aviso para regularizar a situação dos jogadores em 90 dias.

A notícia de que a contratação de jogadores está liberada no fim da atual temporada europeia é um grande alívio para o Barcelona, que sofre com buracos no elenco. A maior urgência é a chegada de um zagueiro.

Terra

Palavra de Ferguson será decisiva na escolha de novo técnico

A palavra de Sir Alex Ferguson será decisiva para a escolha do novo técnico do Manchester United, após a demissão de David Moyes nesta terça-feira. Segundo informações do diário The Guardian, a decisão ficará entre o holandês Louis Van Gaal e o italiano Carlo Ancelotti.

Ferguson, que dirigiu o time entre 1986 e meados de 2013, ainda é uma voz influente nos bastidores do Manchester United. Foi o próprio escocês quem indicou David Moyes para substituí-lo, e ainda defendia que o treinador deveria ter mais tempo no cargo apesar dos resultados decepcionantes em sua primeira temporada no clube.

O ex-treinador do time inglês possui boas relações com Ancelotti, mas a chegada do italiano dependerá de como o Real Madrid terminará a temporada. A equipe merengue está em terceiro no Campeonato Espanhol e joga, a partir desta quarta-feira, as semifinais da Liga dos Campeões da Europa, contra o Bayern de Munique.

Van Gaal já revelou que não ficará no comando da seleção holandesa após a Copa do Mundo, e admitiu querer o emprego no United. Todavia, outros nomes são analisados. Um deles é o do argentino Diego Simeone, do Atlético de Madrid.

Há ainda a possibilidade do interino Ryan Giggs ser efetivado. Isso dependerá de como se sairá nos quatro jogos em que estiver no comando.

Outros nomes já foram descartados como Laurent Blanc, por decisão dos donos do United, Antonio Conte, este pelo fato de não saber falar inglês, e Jürgen Klopp, que disse não querer deixar o Borussia Dortmund.

Terra

Cruzeiro trava em negociação, e Willian pode parar em SP

Willian interessa a um clube paulista ainda não revelado

A situação envolvendo a permanência de Willian no Cruzeiro segue estagnada. Ambas as partes já demonstraram interesse na manutenção do atleta. É necessário, no entanto, que os dirigentes mineiros entrem em acordo com a cúpula do Metalist Kharkiv (UCR), detentor dos diretos econômicos do atacante, até 30 de maio. Caso a negociação não tenha um desfecho antes do prazo estipulado, é possível que ele retorne a São Paulo, onde defendeu o Corinthians entre 2011 e 2012.

O representante do clube europeu, Jader Brazeiro, explicou a situação.– "O Cruzeiro ainda não entrou em contato conosco. Eles têm até o dia 30 de maio para fazê-lo. O clube tem preferência na aquisição dos direitos do Willian. Estamos aguardando. Há o interesse de um clube de São Paulo, mas não posso revelar qual por respeito ao Cruzeiro",– disse.

Para contar com Willian no segundo semestre, o Cruzeiro precisa desembolsar €4 milhões de euros (cerca de R$ 12,5 milhões), conforme previsto em contrato. O Metalist, no entanto, aceitaria liberá-lo perante outra forma de compensação.

–"A única possibilidade descartada é um novo empréstimo. A diretoria do Metalist não gosta desse tipo de negociação. O Willian assinou com o Cruzeiro desta forma porque estava envolvido na ida do Diego Souza. Podemos discutir uma outra forma de compensação, envolvendo jogadores", concluiu.

A diretoria do clube ainda não se manifesta sobre o caso. Embora o presidente Gilvan de Pinho Tavares tenha expressado o desejo de seguir com o jogador em seu elenco, a cúpula evita dar detalhes das tratativas.

Terra

Bodini retorna ao São Caetano e detona o Comercial: "Desestruturado"

Cassiano Bodini (Foto: Divulgação/EPTV)

Cassiano Bodini denota o Comercial em seu retorno ao São Caetano

O atacante Cassiano Bodini, emprestado ao Comercial para a disputa do Campeonato Paulista deste ano, retornou ao São Caetano e detonou o Leão do Norte. Rebaixado com o clube para a Série A2, o jogador acredita que sua passagem pelo time de Ribeirão Preto foi válida, porém, poderia ter sido diferente.

- Toda experiência é válida, seja boa ou ruim. A gente sempre aprende alguma coisa. Encontrei um clube desestruturado, com problemas financeiros, desorganizado e isso refletiu em campo - disse o atacante, em entrevista ao jornal Diário do Grande ABC.

Questionado sobre a postura do presidente Nelson Lacerda, que admitiu não pagar o salário dos atletas porque o time não estava ganhando, Bodini soltou o verbo.

- Somos trabalhadores como quaisquer outros. Mas existem pessoas que deveriam ser banidas do futebol. Fazem contratos e acabam não cumprindo. Esta é uma triste realidade que ainda vemos no nosso futebol - declarou ao Diário.

Bodini foi titular em alguns jogos sob o comando do técnico Toninho Cecílio, mas perdeu espaço com a chegada de Vágner Benazi.

Globo Esporte

terça-feira, 22 de abril de 2014

Bellucci perde e amarga mais uma eliminação em estreia

Brasileiro está eliminado do ATP de Bucareste

Thomaz Bellucci contou com a desistência de alguns tenistas para chegar à chave principal do ATP 250 de Bucareste, na Romênia, porém acabou eliminado logo na estreia ao perder para o uzbeque Denis Istomin, em dois sets, com duplo 7/6 (8-6).

Classificado para a próxima fase, Istomin terá pela frente quem passar pelo confronto entre o canadense Vasek Pospisil, cabeça de chave número 5, e o quali romeno Adrian Ungur.

Com a atualização do ranking desta segunda-feira, Bellucci perdeu seis posições e chegou ao 109º posto. Na próxima atualização, o paulista deve sofrer uma queda ainda maior por não conseguir defender os pontos conquistados em 2013, quando chegou às quartas de final do ATP 500 de Barcelona.

A eliminação de Bellucci é a terceira consecutiva que ele sofre na estreia. Após perder na semifinal do ATP 250 de São Paulo, no final de fevereiro, o número 1 do Brasil caiu nas primeiras rodadas dos qualis dos Masters 1000 de Miami e Monte Carlo.

Melhor no início da partida, Istomin abriu 3/0 e mostrou que não iria ter dificuldades para bater o oponente, porém o brasileiro se recuperou e conseguiu equilibrar o jogo para levá-lo ao tie-break, que também foi muito equilibrado até o final.

Bellucci começou a segunda parcial com melhor aproveitamento nas devoluções, mas teve dificuldades para criar boas oportunidades. No final, ele aumentou o ritmo e teve três break-points no 11º ponto - todos desperdiçados. O set foi novamente definido no tie-break. Diferente do primeiro, o paulista abriu 3 a0, mas sofreu a virada em 5 a 4 e depois não conseguiu reverter a situação.

Terra

Conformado sem Seleção, Ganso se julga único no Brasil

Ganso se conformou com ausência na Copa do Mundo

O meia Paulo Henrique Ganso não queria nem conceder entrevistas quando deixou o time titular do São Paulo, durante o Campeonato Paulista. Novamente em alta com o técnico Muricy Ramalho, mas não com Luiz Felipe Scolari, o jogador já tem suficiente autoestima para não ficar melindrado com as remotas possibilidades de defender a Seleção Brasileira na Copa do Mundo.

"Como armador, não vejo ninguém no Brasil acima da média, como eu", disse Ganso, sem titubear, estendendo o elogio ao centroavante são-paulino Luis Fabiano - outro que Felipão não deverá convocar para o Mundial. "Sempre fui acima da média e procuro demonstrar isso em campo", insistiu o meia.

A opinião de Paulo Henrique Ganso não é compartilhada pelo comandante da Seleção Brasileira. O que não parece incomodá-lo. "O grupo do Felipão já está fechado. Por tudo o que aconteceu, as minhas chances praticamente sumiram. Vou assistir à convocação só para saber quem serão as pessoas que representarão muito bem o País", resignou-se.Ganso só se exaltou um pouco mais para defender o seu status de "acima da média" na hora em que o São Paulo estava em pauta.

"Não perdi a posição. Havia sido poupado", corrigiu, quando escutou que tinha parado no banco de reservas da equipe. "Naquele momento, queria focar nos treinamentos e voltar a falar quando estivesse melhor."

O meia já está um pouco melhor - não o bastante para participar da Copa do Mundo -, admitindo até algumas críticas. "Sempre vão cobrar de quem pode render mais, de quem tem um talento apurado. As pessoas me cobram porque tenho essa condição. Isso não é pressão. É a responsabilidade de jogar com a camisa 10 de um grande clube", sorriu o antes selecionável Paulo Henrique Ganso.

Terra

Luciano do Valle receberá homenagem em camisa da Ponte Preta

Luciano do Valle será homenageado nesta terça-feira pela Ponte Preta, seu clube de coração

Time do coração de Luciano do Valle, que morreu no fim da tarde do último sábado, após sofrer infarto durante viagem para Uberlândia, a Ponte Preta não deixará de homenagear o locutor esportivo em seu primeiro compromisso depois do ocorrido. Nesta terça-feira, os jogadores da equipe campineira entrarão em campo para enfrentar o Paraná Clube, às 19h30 (de Brasília), no Moisés Lucarelli, pela Copa do Brasil, vestindo um uniforme com lembranças ao jornalista.

A tradicional camisa pontepretana terá estampada nas costas a frase #LutoLucianoDoValle. Além de provocar recordações a Luciano, a hashtag terá o objetivo de mobilizar o maior número de pessoas no twitter, rede social que já repercutiu com muita força o falecimento do narrador durante todo o fim de semana.

“Será uma homenagem simples por alguém que fez tanto pelo esporte no Brasil”, ressaltou o presidente alvinegro, Márcio Della Volpe. “Ele sempre torceu pela Ponte Preta, e achamos importante mostrar que ele sempre estará em nossos corações”, acrescentou o mandatário.

Durante toda a sua carreira, que durou exatos 50 anos, Luciano do Valle nunca escondeu ser torcedor da Ponte Preta. Nascido em Campinas, cidade do time alvinegro, o narrador, inclusive, transmitiu a grande final do Campeonato Paulista de 1977, quando a equipe alvinegra acabou derrotada pelo Corinthians.

Considerado um dos maiores locutores esportivos de todos os tempos, Luciano do Valle faleceu no fim da tarde do último sábado, enquanto viajava a Uberlândia para cobrir o duelo entre Atlético-MG e Corinthians, pela 1ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ele sofreu um infarto agudo no miocárdio e deixou a sua mulher, quatro filhos e dez netos.

O corpo do narrador foi velado no último domingo, na Câmara Municipal de Campinas. Na ocasião, o caixão foi retirado do local embalado pelo hino da Ponte Preta, clube do coração de Luciano e que não deixará de homenagear o locutor nesta terça-feira.

Terra

Valcke visita Arena Corinthians: "não há um minuto a perder"

Secretário-geral da Fifa mostrou preocupação, mas passou confiança de que o estádio estará pronto para a abertura da Copa

Em mais uma rodada de visitas aos estádios que receberão a Copa do Mundo de 2014, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, inspecionou nesta terça-feira a Arena Corinthians, em São Paulo. O francês voltou a demonstrar preocupação com os atrasos da obra, mas passou confiança de que o local estará pronto para a abertura, em 12 de junho, quando o Brasil enfrentará a Croácia.

"Após a reunião que tivemos sobre as últimas atualizações do andamento das obras, sei que São Paulo estará pronta para o jogo de abertura. Talvez não esteja dentro do cronograma, já que era para ser entregue dia 15 de janeiro, mas estará pronta para a abertura", disse Valcke.

O dirigente ainda "corrigiu" a vice-prefeita Nádia Campeão quando ela afirmou que "não podemos perder nem mais um dia". "Não é que não haja um dia a perder, mas não podemos perder nem mais um minuto", disse Valcke. "Ainda há muito o que fazer. É uma corrida contra o tempo, mas posso afirmar que o jogo de abertura terá lugar aqui no estádio do Corinthians".

A principal dor de cabeça para a Fifa e a prefeitura não é o estádio em si, mas os arredores. Em 17 ou 18 de maio, o Corinthians receberá o Figueirense pelo Campeonato Brasileiro na estreia oficial do estádio, quando deverá haver lotação máxima. "No entorno da arena, o nosso compromisso é realizar entregas de todas as obras viárias até o fim do mês", disse Nádia Campeão. "Assim, teremos capacidade para usar toda a área de mobilidade. Faremos vários eventos-teste, que começam com 5 mil espectadores e vão até 50 mil, o que está previsto para o dia 17 de maio".

Perguntado sobre comparações com a Copa de 2010, na África do Sul, em que as obras estavam mais adiantadas em relação ao Brasil, Valcke disse que a questão não é importante. "Não gosto de sonhar. E gosto menos ainda de voltar meus olhos para o passado. Que diferença faz se a África do Sul estava pronta ou não? O que importa é o Brasil. Não vale a pena comentar sobre o que houve há quatro anos a essa altura", disse o dirigente.

Membro do Comitê Organizador Local (COL) da Copa, o ex-jogador Ronaldo também falou sobre as obras. "Acho que o estádio está fantástico. Participei bem no início, quando motivei o Andrés (Sanchez, ex-presidente do Corinthians) a construir. Estou muito feliz com esse estádio. Demorei uns 10 minutos para dar a volta nos arredores, mas estou feliz de estar aqui dentro e ver que fiz parte de realizar esse sonho de ter uma arena do Corinthians", afirmou.

Eventos-teste previstos para a Arena Corinthians:
26 de abril: jogo de futebol entre crianças (4 mil pessoas)
1º de maio: evento para operários do estádio (10 mil pessoas)
10 de maio: jogo entre Corinthians atual x Corinthians da história (20 mil pessoas)
17 ou 18 de maio: Corinthians x Figueirense pelo Brasileiro (50 mil pessoas)

Terra

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Análise do início do Campeonato Brasileiro

O campeonato brasileiro teve início nesse fim de semana e nós já temos alguns parâmetros de como cada time irá sobreviver na competição mais disputada dos últimos tempos no mundo. Você leitor, pode expressar sua opinião em nossos comentários ou em nossa página do facebook.

No lado carioca, poucas esperanças. Botafogo levou um chocolate do São Paulo por 3 a 0, com um time que ainda não engoliu a eliminação precoce na Libertadores. Fluminense foi forte em cima do Figueirense, mas tem a sombra do rolo judicial do ano passado. E o Flamengo desperdiçou diversas oportunidades e não ganhou do Goiás no Mané Garrincha.

No lado paulista, preocupação. Santos e Corinthians atuaram em um jogo medíocre e levado em banho-maria e empataram com Sport e Atlético Mineiro, respectivamente. Palmeiras venceu o Criciúma fora, mas ainda não convence com sua volta a elite do campeonato. Já o São Paulo fez por merecer e bateu um fraco Botafogo.

Destaques para Atlético Paranaense, que venceu um Grêmio misto por 1 a 0, a Chapecoense, que mesmo estreando contra um duvidoso Coritiba, empatou em 0 a 0 e também ao Cruzeiro, que mesmo misto e fora de casa, bateu o Bahia por 2 a 1. Aliás, os times baianos não foram bem e perderam no início do campeonato. Alerta de preocupação.

Vamos aguardar as próximas rodadas até a parada para a Copa do Mundo para vermos até onde cada time irá chegar nessa competição.

Torcida do Middlesbrough homenageia Ituano na Inglaterra

Torcedores não se esqueceram dos jogadores que participaram da maior conquista da história do Middlesbrough

O título do Ituano no Campeonato Paulista repercutiu longe. Neste final de semana, uma semana após a conquista, o Middlesbrough homenageou a conquista do time do interior, com três faixas estendidas em seu estádio. Não deu sorte, pois o Millwall venceu o jogo por 2 a 1, mas o passado foi resgatado de forma bonita.

A homenagem foi feita por causa de dois ex-jogadores que viveram grandes momentos na melhor fase da história do Middlesbrough e agora estão no comando do Ituano. Juninho Paulista teve duas passagens pelo clube inglês - entre 1995 e 1997 e depois entre 2002 e 2004. Durante essa segunda estadia no clube, Doriva também o acompanhou e ajudou na conquista da Copa da Liga Inglesa.

Atualmente Juninho é presidente do Ituano, enquanto Doriva é o técnico. Eles lideraram o time do interior na vitória sobre o Santos, nos pênaltis, no domingo passado. Já o Middlesbrough não vive uma boa fase atualmente: está em 13º lugar na segunda divisão inglesa, sem chances de conquistar o acesso nesta temporada.

Terra

Blatter exime Fifa de culpa por mortes de operários no Catar

Blatter defendeu a Fifa de críticas

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, voltou a falar sobre as mortes de operários nas obras que estão sendo feitas para a Copa de 2022 no Catar. Em entrevista ao canal BeIn Sport, mais uma vez Blatter eximiu a Fifa de qualquer responsabilidade, e buscou culpar a os responsáveis pelas obras.

"Os operários morreram por culpa do futebol? Os operários morreram porque a organização do trabalho está mal feita. Mesmo assim só construíram um estádio até o momento, que nem sequer está acabado. Não é por causa do futebol. A responsabilidade deve ser exigida das grande empresas europeias que trabalham lá, porque são responsáveis por seus operários", disse o dirigente.

Blatter também admitiu que o inverno será a melhor época do ano para se disputar a Copa de 2022. Isso quer dizer que o Mundial não se disputaria no meio do ano, entre junho e julho, mas sim no fim do ano, entre novembro e dezembro.

"A melhor data seria no fim do ano. Temos que ser um pouco realistas. Na minha opinião, se mudar, e mudará porque não se pode jogar no verão ainda que o Qatar insista. Tem de se jogar no inverno, no fim do ano", afirmou Blatter.

Na mesma entrevista, o presidente da Fifa se disse contra a sugestão de se usar imagens para auxiliar os árbitros em lances duvidosos.

"Sou muito conservador no que se refere ao vídeo. O uso de imagens durante o jogo vai mudar o seu ritmo. A grandeza do futebol é jogar 90 minutos sem paradas. Temos que conviver com os erros humanos, o jogo é humano", completou Blatter.

Terra

Oswaldo sai novamente em defesa do criticado Damião

Autor de um gol anulado e protagonista de uma chance clara de gol desperdiçada pelo Santos no empate em 1 a 1 contra o Sport pela rodada de abertura do Brasileiro, Leandro Damião se tornou alvo de parte da torcida na Vila Belmiro, recebendo vaias e críticas. Depois da partida, Oswaldo de Oliveira, mais uma vez, pediu tempo para que o atacante possa recuperar plenamente sua confiança.

"A nossa vida no futebol é essa. Quando o resultado não vem, isso acontece. Leandro continua aplicadíssimo, mas ele ainda não reeditou seus grandes momentos. Essa cobrança em cima do valor atrapalha, mas é de se entender. Precisamos ter calma para trabalhar. Ele precisa de tempo para se adaptar. De minha parte, terei toda a calma e tranquilidade para que ele possa fazer o que sabe de melhor", declarou Oswaldo.

Leandro Damião voltou a perder gols com a camisa santista

O último gol de Damião com a camisa do Santos foi no dia 30 de março, diante do Penapolense, pela semifinal do Campeonato Paulista. Na temporada, o atacante esteve presente em 14 jogos, marcando cinco gols.

Contratado por R$ 42 milhões, o jogador foi muito criticado após a decisão do Paulista, vencida pelo Ituano. Além de passar em branco, Leandro Damião desperdiçou diversas chances de gol durante a final. Para Oswaldo, a sequência de derrotas contribui para que a pressão sobre o atacante seja maior.

"Não posso entrar na cabeça do torcedor. À medida que você não vence, é claro que a desconfiança aumenta. Mas temos que ter tranquilidade para ver as coisas fluindo. Todos nos aqui no clube temos procurado tranquiliza-lo e dar as melhores condições. Vamos esperar um tempo para dar confiança", pediu o comandante.

Terra

Semifinalista em Monte Carlo, Ferrer volta ao top 5

David Ferrer foi novidade em atualização do ranking da ATP

Fora do Masters 1000 de Monte Carlo de 2013, David Ferrer somou pontos importantes na edição deste ano do torneio ao chegar à semifinal. A campanha da última semana fez com que o espanhol voltasse à quinta colocação do ranking na atualização desta segunda-feira.

Quem perdeu o posto e saiu do top 5 foi Tomas Berdych, eliminado nas oitavas de final para o também espanhol Guillermo Garcia-Lopez, que ganhou 15 posições e chegou à 38ª colocação da lista da ATP.

Finalista em 2013, Nadal perdeu pontos por ser eliminado nas quartas de final este ano, porém também aproveitou que Novak Djokovic não conseguiu chegar à final para defender o título. Com os resultados, Nadal conseguiu ampliar sua vantagem na liderança do ranking mundial de 2.050 para 2.270 pontos.

Com ótimo desempenho em Monte Carlo, Stanislas Wawrinka conquistou seu primeiro título de nível Masters 1000 e conseguiu manter a terceira colocação do ranking mundial, que poderia ser alcançada por Roger Federer caso o compatriota levasse a melhor e vencesse a competição.

A outra alteração que aconteceu no top 10 foi a de John Isner, que perdeu duas posições e caiu para o 11º lugar. Os tenistas que se aproveitaram da queda do norte-americano foram o francês Richard Gasquet e o canadense Milos Raonic. Enquanto Gasquet ganhou um posto e chegou à nona posição, Raonic foi de 11º para 10º.

Terra