quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Brasileiro faz 2º pódio seguido e promete: "uma hora, a SS será minha"

Quarto colocado da São Silvestre em 2013, Giovani dos Santos voltou a ser o melhor brasileiro da Corrida na prova deste ano, disputada nesta quarta-feira em São Paulo. Apesar de cair uma posição em relação à temporada passada, o brasileiro comemorou o resultado e prometeu que ainda vencerá a prova nos próximos anos.

Campeão da Volta da Pampulha em 2014, Giovani era, de fato, o favorito entre os brasileiros concorrentes, e fez bonito durante a São Silvestre desta manhã. O brasileiro se manteve a certa distância do pelotão da frente durante grande parte da corrida, permanecendo entre a sétima e a oitava posição, mas deu um sprint nos trechos finais. Para azar dele, porém, quatro africanos conseguiram apertar o passo no final da subida da Avenida Brigadeiro Luis Antônio. Ainda assim, Giovani saiu satisfeito.

"Graças a Deus, estou contente que consegui mais um pódio. A gente tem que vir trabalhando, que uma hora a gente chega", afirmou Giovani à TV Globo após a prova. "Se eu fizesse uma corrida tão boa como fiz as corridas desse ano, eu teria ganhado. Mas tenho certeza que uma hora a São Silvestre vai ser minha".

Apesar de elogiar os concorrentes, Giovani fez questão de valorizar o quinto lugar.

"Eles [os africanos] vêm fortes, mas eu também estou trabalhando. Falei 'vou encostar', quase encostei, mas senti o cansaço no final. Mas consegui chegar e pegar o pódio mais uma vez", concluiu o quinto colocado.

Se na prova masculina o Brasil fez pódio, na São Silvestre feminina a atleta mais bem colocada do país ficou apenas na oitava posição. Foi Joziane Cardoso.

UOL Esporte

Etiópia bate Quênia e vence provas masculina e feminina da São Silvestre



















Nada de Quênia. Dawit Admasu, da Etiópia, venceu a prova masculina da Corrida de São Silvestre com o tempo de 45min04s nesta quarta-feira. Na feminina, após cinco vitórias consecutivas do Quênia, foi a Etiópia quem triunfou na prova feminina, com Ymer Ayalew, com 50min43, três segundos mais rápida que a segunda colocada, Netsanet Kebede, também etíope. O Quênia subiu ao pódio na terceira posição, com Priscah Jeptoo (campeã em 2011).

Ayalew havia sido, justamente, a última campeã etíope da São Silvestre. Ela venceu em 2008 com o tempo de 51min37s. Ayalew e Kebede se distanciaram do restante do pelotão de elite da prova quando a corrida já chegava ao centro de São Paulo (a largada foi na Avenida Paulista, em frente ao Masp). As compatriotas vinham com passadas semelhantes pelo Largo São Francisco e Viaduto do Chá, mas foi na subida da Avenida Brigadeiro Luis Antônio, considerada o trecho mais difícil da prova, que Ayalew se distanciou. Ao entrar de volta na Paulista, a grande campeã conseguiu abrir vantagem ainda maior e, sem demonstrar cansaço, venceu a corrida.
Nenhuma brasileira conseguiu terminar a prova desta quarta entre as cinco primeiras. Joziane Cardoso teve o melhor desempenho entre as atletas do país, terminando na oitava posição.

Na prova masculina, a última vitória da Etiópia havia sido Tariku Bekele, em 2011. Dawit Admasu, campeão nesta quarta-feira, terminou a prova um segundo à frente de Stanley Koch, do Quênia. Completaram o pódio Fabiano Naasi, da Tanzânia, com 45m10; Mark Korir, do Quênia, com 45m19; e Giovani dos Santos, do Brasil, com 45m22 - ele conseguiu ficar entre os primeiros após um sprint no fim da prova. Em 2013, ele terminou a São Silvestre no 4º lugar, uma posição à frente. 

UOL Esporte

Paris Saint-Germain fecha 2014 com vitória sobre Inter de Milão em amistoso



O Paris Saint-Germain demonstrou boa movimentação e derrotou a Inter de Milão nesta terça-feira por 1 a 0. A partida amistosa foi disputada no Marrocos, palco da disputa do Mundial de Clubes da Fifa, e encerrou a programação de 2014 das duas equipes.

O único gol do jogo foi marcado por Cabaye, aos 12 min do segundo tempo. Em campo, vários jogadores brasileiros estiveram em ação: Juan Jesus, Jonathan, Dodô e Hernanes pela Inter, Marquinhos, Maxwell e Lucas pelo PSG.

Fases do jogo: A partida teve um início morno, mas logo mostrou quem teria mais oportunidades. Coube a PSG criar a primeira boa chance, aos 28 min do primeiro tempo, em jogada de Van der Wiel que Ibrahimovic concluiu – o goleiro Handanovic saiu bem e fez boa defesa. A Inter tentou responder de maneira quase imediata, mas a tentativa de Icardi foi defendida pelo goleiro Douchez.

Mais criativo, o PSG chegava com perigo, mas parava sempre na atuação de Handanovic. Aos 37 min, Rabiot e Matuidi tiveram suas chances, mas o goleiro da Inter apareceu bem em ambas. Mais tarde, aos 43 min, a Inter teve sua melhor chance até então, em lançamento de Kovacic que Icardi recebeu e tocou por cima de Douchez, mas mandando para fora.

A pressão parisiense continuou após o intervalo, sempre sobre Handanovic. Aos 2 min, Chatôme cruzou e Ibrahimovic mandou para o gol, e só não marcou porque o goleiro agiu bem mais uma vez. Com 0 a 0 no placar, os dois times passaram a promover várias substituições, de forma a dar experiência a jogadores menos utilizados.

De tanto apertar, o time francês abriu o placar: aos 12 min, Van der Wiel cruzou para a área, a zaga afastou mal, e Cabaye aproveitou a sobre para marcar. Em desvantagem, a Inter passou a pressionar no fim, mas sem sucesso. Com 36 min, Palazzi recebeu a bola no rebote da defesa francesa, mas chutou para fora, com perigo. Aos 44 min, Jonathan tentou no cruzamento, mas desperdiçou.

O melhor: Handanovic - Não foram poucos os milagres operados pelo goleiro da Inter de Milão na partida. O PSG só marcou quando Handanovic já havia sido substituído.

O pior: Icardi - Com poucas oportunidades para a Inter, o atacante argentino deixou a desejar.

Para lembrar: Terceiro colocado do Campeonato Francês, o PSG volta a jogar em 5 de janeiro contra o Montpellier, fora de casa, pela Copa da França. A Inter, por sua vez, tem missão mais complicada: encara a Juventus em Turim no dia 6, pelo Campeonato Italiano.

UOL Esporte

Com proposta para sair, Luciano prefere ficar no Corinthians e se valorizar














O atacante Luciano, autor de gols importantes em 2014, pensou em deixar o Corinthians e seus empresários começaram a buscar propostas para vendê-lo em lugares como a Rússia e o Oriente Médio. Mas Luciano resolveu ficar.

O motivo que o convenceu a permanecer no Parque São Jorge foram conversas entre a atual comissão técnica a diretoria corintiana e o seu estafe de que, com Tite no comando, o atacante terá mais espaço no elenco, o que não teve sob a batuta de Mano Menezes.

Durante o ano, Luciano se acostumou a entrar com 15, 20 minutos para o fim do jogo e, mesmo assim, chegou a marcar 15 gols em apenas cinco meses no clube, rivalizando até com o ídolo Paolo Guerreiro.

Marcos Santos, um dos empresários que cuidam da carreira de Luciano, afirma que logo depois da confirmação da saída de Mano, eles começaram a intensificar a busca por um novo clube para o jovem de 21 anos porque imaginavam que ele teria ainda menos oportunidades com um técnico diferente.

Chegaram propostas da Rússia, dos Emirados Árabes e do Mônaco, uma delas de quase R$ 15 milhões. Mas com a confiança de que, com Tite, Luciano vai jogar mais, os empresários e o atleta decidiram ficar, se valorizar mais e tentar uma transferência melhor no futuro.

"Ele pode ir pro Mônaco hoje, mas se arrebentar, em um ano vai pro Chelsea", disse Marcos Santos.

"A gente ficou um pouco decepcionado ao longo do ano porque ele é um jogador com um grande potencial e não vinha tendo muitas chances para mostrar serviço", afirmou o agente. "Entrava no final do jogo, com toda a responsabilidade de resolver e às vezes resolvia. Acreditamos que, com um cuidado melhor, ele vai render tudo que pode."

Edu Gaspar, o gerente de futebol do Corinthians, nega interesse em se desfazer de Luciano, embora também afirme que não chegou nenhuma proposta oficial para negociar o jogador, que tem mais dois anos e meio de contrato. "Especulação tem um monte, mas nada oficial chegou na minha mão", disse o cartola.

Segundo quem convive com o atleta, ele está feliz no Corinthians e empolgado com a possibilidade de estar mais presente em campo, com Tite. A tendência é que ele continue na equipe em 2015.

UOL Esporte

Muito palavrão, bronca e Jesus: o que os pilotos falaram nos rádios em 2014

O site ESPN F1 Live costuma listar, a cada Grande Prêmio de Fórmula 1, as melhores mensagens de rádio trocadas entre pilotos e funcionários de equipes. A cada etapa, são relacionados piadas, desabafos, xingamentos e diálogos dos mais curiosos.

Ao fim da temporada, o site selecionou as melhores e divulgou aos leitores. Com base na lista, o UOL Esporte fez sua própria relação e relembra os diálogos de 2014.

Confira:

O melhor dos rádios da F1 em 2014

"Façam alguma coisa! Não tenho potência (...)! Isso é ridículo, caras!?"
Sebastian Vettel, acostumado à competitividade da Red Bull nas últimas temporadas, enfrentando problemas com seu carro no GP da Austrália, o primeiro do ano. Mal sabia ele como seria 2014

"Tirem essa p...rra de Williams do meu caminho!"
Daniel Ricciardo, incomodado com a presença de Valtteri Bottas na pista durante o treino de classificação para o Grande Prêmio da Malásia. O australiano largou em quinto, enquanto o finlandês ficou dez posições atrás no grid

"Sutil foi idiota pra c...ralho. Ele foi perigoso."
Romain Grosjean, da Lotus, criticando o alemão Adrian Sutil, da Sauber, durante o treino de classificação para o GP do Bahrein. A crítica foi para a saída de pista de Sutil

"Um cara da Lotus, não sei quem era, estava doido. Ele tentou me matar!"
Jean-Eric Vergne, da Toro Rosso, batendo boca após manobra de Romain Grosjean no GP do Bahrein. O fim de semana foi complicado para o francês da Lotus

"Caramba, o que foi aquilo?"
Pastor Maldonado, da Lotus, após atingir Esteban Gutierrez, da Sauber, no GP do Bahrein. O mexicano capotou e abandonou a prova, em um dos principais acidentes de 2014

"Não consigo ver nada com meu olho esquerdo. Tem sujeira ou algo parecido em meu olho."
Lewis Hamilton, com problemas para enxergar durante o Grande Prêmio de Mônaco. Ele foi o segundo na prova, atrás de Nico Rosberg

"OK, Lewis. It's Hammer time."
A frase, dita no GP da Áustria, era um incentivo de Peter Bonnington, engenheiro de corrida de Lewis Hamilton, ao britânico da Mercedes. Trata-se de um trocadilho envolvendo a música "U can't touch this", de MC Hammer, a palavra "hammer" (martelo, em inglês) e a sigla HAM, que identifica Hamilton nas transmissões televisivas de F1.

"Verdade? Jesus..."
Nico Hulkenberg, surpreso pelo quarto lugar no grid de largada para o GP da Inglaterra, após o fim do Q3. O alemão admitiu que quase abandonou sua última volta lançada na classificação

"Inglateeeerra..."
Lewis Hamilton, cantando de forma emblemática e bem humorada após vencer o GP da Inglaterra, em Silverstone

"Inacreditável. O que aconteceu agora?"
Romain Grosjean, durante o GP da Alemanha, abandonando sua terceira corrida no ano até então. Desta vez, a Lotus do francês sofria com problemas de resfriamento

"Por que ele não me deixa passar?"
Nico Rosberg, durante o GP da Hungria, reclamada com a Mercedes a respeito de Lewis Hamilton. A equipe havia pedido ao britânico para aliviar nas disputas de posições em Hungaroring

"É assim que se faz, senhoras"
Daniel Ricciardo comemorando a vitória no GP da Hungria, após ultrapassar Fernando Alonso e Lewis Hamilton nas últimas voltas da corrida

"Nico acabou de me acertar! Nico me acertou!"
Trata-se de um divisor de águas da temporada. No início do GP da Bélgica, Rosberg tentou passar Hamilton e acertou Hamilton, atrapalhando a corrida de ambos. Mais tarde, o alemão admitiu que forçou a ultrapassagem de propósito. Ele foi o segundo na prova, na qual o companheiro de equipe teve que abandonar.

"Você tem razão. Eu esqueci."
Sebastian Vettel, que testaria o botão de ultrapassagem durante o segundo treino livre para o GP da Itália. A equipe não registrou o uso do artefato e suspeitou de problemas técnicos.

"Preciso parar. Preciso de uma bebida. Estou morrendo aqui."
Daniil Kvyat sofreu com o calor no GP de Cingapura. Com problemas em seu sistema de hidratação no carro, o russo sofreu ao longo da prova.

"Esse p...rra do Perez me tirou da pista."
Adrian Sutil, da Sauber, abandonando o GP dos Estados Unidos após um toque com o mexicano Sergio Perez, da Force India. Aparentemente, Sutil não gostou da colisão.

"O que foi aquilo?"
Romain Grosjean, impressionado ao ser ultrapassado por Jean-Eric Vergne durante o GP dos EUA

"Ai, ai, ai... Como é que eu começo um treino sem bateria? Como isso é possível? Como?"
Fernando Alonso, ao abandonar o treino de classificação para o GP do Brasil ainda no Q1 com problemas em sua Ferrari. O espanhol desceu do carro e apagou sozinho um princípio de incêndio.

"Quem é essa p...rra desse cara?"
Fernando Alonso discutindo com a Ferrari enquanto brigava por posições com Will Stevens, britânico que pilotou pela Caterham no GP de Abu Dhabi

"Eu gostaria de ir até o fim, por favor."
Nico Rosberg, pedindo para que os mecânicos da Mercedes não forçassem seu abandono no GP da Abu Dhabi. Com problemas, o alemão, que brigava pelo título, completou a corrida em 14º.

"Esse foi um movimento do c...ralho!"
Jean-Eric Vergne supera Daniel Ricciardo, da Red Bull, e comemora a ultrapassagem pelo rádio com os mecânicos da Toro Rosso

"O que quer que aconteça nas próximas semanas, foi uma honra, caras"
Jenson Button, ensaiando uma despedida da McLaren ao fim do GP de Abu Dhabi. Em dezembro, a equipe anunciou sua permanência, ao lado de Fernando Alonso - que, em tese, chegaria à equipe para substituir o britânico

UOL Esporte

Cristiano Ronaldo brilhou no clube em 2014. Messi, só na seleção














Para um, o clube salvou a temporada 2014. Para outro, o ano foi de seleção. Cristiano Ronaldo e Lionel Messi tiveram desempenhos bem diferentes no ano que se encerra nesta quarta-feira (31). E a última disputa entre eles será realizada apenas no dia 6 de janeiro do próximo ano, quando a Fifa elegerá o melhor jogador do planeta – o português e o argentino são finalistas, assim como o goleiro alemão Manuel Neuer.

Cristiano Ronaldo fechou 2014 com mais gols (61 a 58) em menos jogos (60 a 66). No entanto, o português deve esse desempenho às partidas do clube – ele balançou as redes 56 vezes com a camisa do Real Madrid.

Messi perdeu em todas as estatísticas gerais, mas tem como grande trunfo o desempenho na seleção. O camisa 10 conseguiu oito gols e duas assistências em 14 partidas da Argentina, enquanto Ronaldo teve apenas cinco gols e uma assistência em nove jogos.

Na última semana, Ronaldo recebeu da revista "Globe Soccer" o prêmio de melhor jogador de 2014. E para você, quem teve um ano melhor?


























































































UOL Esporte

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

El Shaarawy supera C. Ronaldo e ajuda Milan a vencer Real em amistoso




















Um dia depois de receber o troféu de melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo era a principal estrela do amistoso contra o Milan em Dubai nesta terça-feira. Mas quem brilhou mesmo foi o italiano Stephen El Shaarawy, que fez dois gols, ajudou seu time a vencer o Real Madrid por 4 a 2 e saiu de campo aplaudido.

Menez e Pazzini marcaram os outros dois do Milan. Cristiano Ronaldo e Karim Benzema diminuíram para os merengues.

Por força do contrato de patrocínio, os dois times escalaram todas as suas estrelas possíveis, mas algumas delas, como o próprio Ronaldo, jogaram apenas uma etapa. Apesar de estar com os titulares em campo, o time espanhol mostrou algum desinteresse em vários momentos do jogo e não resistiu aos ataques mais incisivos do lado italiano.

O Real voltará a campo no próximo domingo pelo Campeonato Espanhol contra o Sevilha. Já o Milan enfrentará o Sassuolo na terça.

Fases do jogo. O Milan começou melhor e mostrou um bom entrosamento de seus homens da frente para sair em vantagem.

Em um jogo com certa "preguiça" de ambas as partes, coube aos homens da frente do Milan tomar a iniciativa. Antes dos dois gols de El Shaarawy, Menez já havia aberto o placar ao aproveitar falha na defesa merengue. Cristiano Ronaldo diminuiu ainda no primeiro tempo para os espanhóis.

No segundo tempo, Pazzini aumentou e marcou o quarto, depois de se desmarcar de Pepe e ficar sozinho na grande área.

Nesse momento, mesmo com a maioria de seus titulares em campo, o Real já mostrava sinais de desinteresse e pouco ameaçava a meta italiana. James Rodriguez, que teve bons momentos na partida, acabou caindo de produção, como toda a equipe. No final, Karim Benzema diminuiu de pênalti.

O melhor. El Shaarawy. O italiano roubou a cena durante o primeiro tempo da partida e marcou os dois gols que abriram vantagem sobre o Real. Ao ser substituído no segundo tempo, saiu aplaudida pela torcida árabe.

O pior. Nacho. Em um jogo em que quase todos os jogadores merengues ficaram a baixo da média, o zagueiro foi destaque negativo ao tentar recuar uma bola e entrega-la nos pés de um adversário. O lance resultou no primeiro gol do jogo. No segundo tempo, Nacho sofreu um pênalti e compensou sua falha.

Para lembrar:

Fim da invencibilidade? O Real estava há 22 jogos sem perder, um recorde histórico no futebol espanhol. A discussão agora é se a derrota para o Milan conta como "quebra de invencibilidade", já que não foi um jogo oficial, mas um amistoso.

Djoko lá. Muito simpático, o tenista sérvio Novak Djokovic deu o pontapé inicial na partida festiva em Dubai.

UOL Esporte

Mesmo inconsciente e internado, Bianchi inicia trabalho de fisioterapia

O piloto francês Jules Bianchi, internado desde o grave acidente que sofreu no último GP do Japão de Fórmula 1, iniciou um trabalho de fisioterapia, segundo seus familiares. Bianchi continua inconsciente, respirando sem a ajuda de aparelhos. O piloto está hospitalizado na França.

A família não detalhou por qual tipo de fisioterapia o francês passará.

O acidente de Jules Bianchi aconteceu no dia 5 de outubro. O piloto francês ficou em coma por quase dois meses, e depois foi levado do Japão para o Centro Hospitalar Universitário de Nice, na França, onde recebe cuidados.

Leia abaixo o comunicado emitido pelos pais do piloto:

"Como estamos chegando ao final de um ano muito difícil para nossa família, gostaríamos de aproveitar a oportunidade para fornecer novidades a respeito da situação médica de Jules, seguindo nosso objetivo de repassar informações, sempre que apropriado, aos seus vários fãs.

Foi um passo significativo e muito reconfortante poder levar Jules de volta para a França no mês passado, para continuar sua reabilitação cercado por seus familiares e amigos. Isso é muito importante para Jules e para nós.

Desde então, Jules tem recebido o melhor tratamento da UTI do Centro Hospitalar Universitário de Nice e agora do centro de reabilitação do CHU para o seu tipo de trauma.

A situação neurológica de Jules permanece inalterada; ele está inconsciente, mas respira sem ajuda de aparelhos. Embora isso não seja uma novidade, nós ficamos aliviados com o fato de Jules continuar lutando, o que já sabíamos que aconteceria, e isso tem permitido aos médicos começar, conforme o planejado, mas de maneira extremamente cuidadosa, um programa de reabilitação terápica [fisioterapia].

Observando os acontecimentos dos últimos meses, nós gostaríamos de reconhecer novamente todo o carinho e afeição que tem sido mostrado pelo nosso filho. Continuam sendo momentos de desafio para a nossa família, mas saber que ele tocou as vidas de tantas pessoas ao redor do mundo nos ajuda a seguir adiante.

Nós também gostaríamos de reconhecer o respeito e o apoio mostrados pela imprensa com a nossa família durante esse período, pelos quais demonstramos extrema gratidão.

Nós continuaremos disponibilizando informações assim que possível e nosso sincero apreço por todos que continuarem rezando por Jules."

UOL Esporte

De olho na Austrália, Nadal voa para Abu-Dhabi















Com exibições marcadas para o próximo fim de semana, Rafael Nadal embarcou nesta terça-feira para Abu-Dhabi, nos Emirados Árabes onde realiza a parte final de sua pré-temporada.

O canhoto espanhol disputará duas partidas na válidas pelo milionário torneio-exibição de Abu-Dhabi. Nadal estreia na sexta-feira contra Andy Murray ou Feliciano Lopez, e disputa o título ou o terceiro lugar no sábado.

Depois disso, viaja para Doha, onde defende o título do primeiro ATP da temporada 2015. O torneio no Catar será o último de Nadal antes de sua estreia no Aberto Austrália, que começa em três semanas.

"O Aberto da Austrália é um torneio muito importante. Sei que será difícil por que estou há mais de dois meses sem competir, mas tenho que seguir trabalhando para alcançar o objetivo final", disse Nadal às redes de tv presentes em seu embarque no aeroporto.

Terceiro colocado no ranking, Nadal teve um segundo semestre amplamente prejudicado por uma lesão no punho direito e uma apendicite que abreviou o final de temporada.

UOL Esporte

Corintiano Malcom ganha perfil no New York Times e é comparado a Neymar



Malcom mal despontou no Corinthians e já está na mira de grandes clubes europeus. Chelsea, Barcelona, Arsenal e Manchester United foram apontados como interessados no jogador. Mas não é só na Europa que o nome do corintiano é assunto do noticiário. O New York Times, jornal mais famoso dos EUA, publicou um perfil sobre o jogador nesta terça-feira e já o comparou a Neymar.

O jornal norte-americano dá detalhes sobre Malcom, como peso e altura, e diz que a sua alegria em jogar futebol lembra Neymar. Por isso, o artigo garante a venda de Malcom  para o exterior, ressaltando também o fato de o atacante ter passado parte de suas férias viajando pela Europa com seu agente. 

"Com a chegada do fim do ano, um garoto de nome Malcom, estigmatizado como o próximo Pelé, Zico ou Neymar, já está encaminhado para fora", introduz o artigo ao falar sobre o corintiano, que também é apontado como o "mais novo astro do futebol brasileiro".

No texto, que começa com aspas de Zico falando sobre a decadência do futebol brasileiro exposta com a derrota da seleção para a Alemanha por 7 a 1 na Copa do Mundo, Malcom é citado como exemplo. "O maior problema do Brasil é que viramos exportadores de talentos do futebol. Clubes da Europa tiram os talentos daqui. Garotos brasileiros de 14 ou 15 anos vivem hoje na Europa. Eles passam o auge da carreira lá e depois voltam para onde começaram a jogar", disse Zico em uma entrevista à colunista indiana  Shobhan Saxena, replicada pelo jornal americano.

A partir desta fala de Zico, o artigo expõe, através de Malcom e de muitas estrelas já consolidadas do futebol brasileiro como Thiago Silva e David Luiz, o quanto o futebol brasileiro deixa escapar seus grandes jogadores.

Por enquanto, Malcom não confirmou passagem para a Europa, mas  a saída parece ser inevitável. Pelo menos é o que garante o artigo, apontando que não há movimento contrário . "O grande talento está se esvaindo, sendo intencionalmente atraído (para fora). A terra natal deveria, ao menos, tentar reverter isso", argumenta o texto.

UOL Esporte

Agente diz que Gareca foi traído no Palmeiras e culpa goleiro por fracasso














O empresário José Luiz Galante foi um dos grandes responsáveis por trazer ao Palmeiras o técnico Ricardo Gareca e sua legião de jogadores argentinos (Tóbio, Mouche, Allione e Cristaldo).

Agora, depois que Gareca foi demitido por deixar o time ameaçado de rebaixamento, Galante apareceu com uma explicação para o insucesso do treinador no Brasil: Gareca teria sido traído no Palmeiras.

"O Gareca foi traído, não pelo presidente, mas foi traído", afirmou Galante em entrevista à rádio Jovem Pan nesta terça-feira. A tese do empresário é que o técnico confiou na indicação da gerência do clube sobre o goleiro Fabio, que acabou falhando em momentos decisivos no campeonato.

"Foram sete derrotas com sete frangos do goleiro. Você tem que analisar diferentemente, o time fazia 1 a 0 e o goleiro falhava", disse Galante. "Não quero imputar culpa num garoto de 24 anos, mas 24 anos não é tão garoto. O goleiro foi bancado pelo gerente de futebol e pelo preparador de goleiros."

De acordo com o empresário, quando soube que não poderia contar com o titular Fernando Prass, Gareca pediu a contratação de outro arqueiro, mas teria ouvido do preparador que Fabio jogaria na seleção brasileira um dia.

"O Gareca [sofreu com] três falhas individuais e tomou gols nos últimos minutos do jogo e teve sete falhas individuais do goleiro. Isso é só você ver os jogos."

Sobre os jogadores argentinos que permanecem no clube, o empresário disse que eles estão mais confortáveis com a indicação de que Oswaldo de Oliveria pretende trabalhar com eles normalmente.

"Os jogadores argentinos foram sacrificados a jogar, mesmo estando fora de forma por não terem participado da pré-temporada, esse não o caso do Mouche [que fez pré-temporada]", disse Galante.

UOL Esporte

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Liverpool aproveita falha de goleiro e faz 4 a 1 sobre o Swansea no Inglês















Liverpool e Swansea se enfrentaram nesta segunda-feira, em confronto direto para ascender da zona intermediária do Campeonato Inglês. Diante de sua torcida, o Liverpool levou a melhor e venceu por 4 a 1, com dois gols de Lallana no segundo tempo – o primeiro deles, em uma bobeada do goleiro Fabianski.

O resultado, que encerrou a 19ª rodada do Inglês, fez o time de Brendan Rodgers saltar da décima para a oitava colocação, com 28 pontos. Pior para o próprio Swansea, que tem os mesmos 28 pontos, mas que caiu da oitava para a nona posição.

Fases do jogo: O Liverpool começou a partida criando boas oportunidades, mas parando na boa atuação de Fabianski. Primeiro, aos 6 min, Skrtel cabeceou firme, e só não marcou porque o goleiro encaixou. Depois, aos 12 min, Sterling recebeu na área e chutou, mas em cima de Fabianski. Philippe Coutinho também tentou aos 15 min, mas sem sucesso.

O Swansea se fechava e tentava encontrar espaço para contra-atacar. Porém, em um dos poucos momentos de defesa aberta, a equipe acabou cedendo aos donos da casa: com 33 min, em rápida troca de bolas, Henderson recebeu na direita da área e cruzou para Moreno escorar para as redes. Os visitantes ainda tentavam sair da defesa, mais tinham dificuldades diante da marcação da equipe comandada por Brendan Rodgers.

O Liverpool não precisou de muito tempo após o intervalo para ampliar o placar, e em um lance bizarro: aos 6 min, o goleiro Fabianski recebeu a bola e tentou um chutão para frente, mas a bola acertou em Lallana – que subiu à área para sufocar – e foi para o gol vazio. A situação só não foi pior para o clube galês porque Sigurdsson diminuiu um minuto depois, aproveitando a bola na área.

Coube ao próprio Lallana, entretanto, ampliar o placar aos 16 min, após belo passe de calcanhar de Philippe Coutinho – o meia-atacante avançou para a área, livrou-se da marcação e tocou cruzado para vencer Fabianski. Batido, o Swansea ainda levou o quarto gol em um escanteio cobrando por Henderson aos 24 min, que Shelvey desviou contra as próprias redes.

O melhor: Lallana - Apagado no primeiro tempo, o ex-jogador do Southampton foi decisivo no segundo tempo. Além dos bons passes em profundidade, o meia-atacante marcou duas vezes e assegurou o resultado.

O pior: Sterling - Considerado um dos jovens jogadores mais talentosos da Europa, o atacante não justificou sua presença em campo. Nas melhores chances que teve, mandou uma em cima do goleiro e outra na trave. Poderia ter resolvido o jogo prematuramente.

Para lembrar: O Liverpool volta a entrar em campo no dia 1º de janeiro, quando enfrenta o Leicester em Anfield Road. No mesmo dia, novamente fora de casa, o Swansea mede forças com o Queens Park Rangers no Loftus Road. Os dois jogos são válidos pela 20ª rodada do Campeonato Inglês.

UOL Esporte

No sufoco, Osasco vence time suíço e é campeão do Torneio da Basileia














Atropeladas pelo Volero Zurique no primeiro jogo do Torneio da Basileia de vôlei, o Molico/Osasco entrou em quadra justamente contra o algoz pela final da competição. No entanto, os times pareciam ser outros nesta segunda-feira (29) e as brasileiras conseguiram equilibrar o jogo com muito sufoco e vencer a equipe suíça no tie-break, por 3 sets a 2, parciais de 25-22, 19-25, 26-24; 18-25 e 15-11. 

A lembrança do Molico era da estreia, quando perdeu por 3 sets a 0. Porém, mais focado e com uma postura diferente do primeiro jogo contra o time suíço, o Osasco mostrou sua superioridade e conseguiu se manter à frente no placar durante todo o primeiro set, quase sempre com vantagem de mais de um ponto no marcador. Assim, o clube brasileiro conseguiu fechar por 25 a 22.

O equilíbrio entre as equipes determinou a primeira parte do segundo set . Na segunda etapa, o Volero Zurique voltou a assustar as brasileiras ,que começaram na frente, mas sofreram para colocar a bola no chão e acabaram levando a virada no placar. Com o apoio da torcida, o time suíço se impôs e venceu o set por 25 a 19.

O Volero Zurique continuou melhor no terceiro set. Com melhor ritmo em quadra, logo o time suíço abriu 11 a 7 no placar. A vantagem suíça parecia certa, mas o time brasileiro acordou e conseguiu a virada se aproveitando principalmente dos erros do adversário e conquistou a vitória por 26 a 24.

O poder do Molico diminuiu de forma drástica no quarto set de jogo e o Volero conseguiu logo abrir 10 a 5 e 14 a 8. O Osasco acordou, de repente, no set e conseguiu encostar no placar, mas já era tarde e o adversário venceu por 25 a 18, levando a decisão para o tie-break, vencido pelas brasileiras por 15 a 11. 

O Torneio da Basileia é disputado anualmente desde 1989. O Osasco foi campeão da competição pela primeira vez em 2004. 

UOL Esporte

Agente revela 'fim de novela' e acerto do Cruzeiro com Damião por um ano

O Cruzeiro acertou a contratação de Leandro Damião por empréstimo de uma temporada.

O empresário do centroavante, Vinícius Prates, confirmou, na tarde desta segunda-feira, em rápido contato telefônico com o UOL Esporte, que a diretoria do Santos aceitou a proposta apresentada pelo campeão brasileiro, que ainda tem opção de adquirir os direitos do atleta ao término do vínculo.

"Está fechado com o Cruzeiro. Tenho que agradecer à diretoria do Santos pela compreensão. Foi muito importante para que ele tenha seguido o caminho dele. Nos minutos finais, três grandes clubes do futebol brasileiro entraram na parada e quase ele não foi para o Cruzeiro, mas tenho que agradecer o esforço do Alexandre (Mattos, diretor de futebol) para buscá-lo", disse (leia mais notícias do Mercado da Bola).

Apesar de o representante do jogador adotar uma postura de certeza quanto à liberação do clube do litoral paulista, o presidente Gilvan de Pinho Tavares tem um discurso diferente e opta por manter a cautela.

"Ainda não recebi uma mensagem da diretoria do Santos, mas faltam poucos detalhes. Estou aguardando para anunciá-lo. Tenho que esperar a assinatura de todos os documentos para dar como certa a contratação de um jogador", afirmou à reportagem.

Leandro Damião, entretanto, chegou a se pronunciar já como jogador do Cruzeiro, por meio da assessoria de imprensa do seu empresário, Vinícius Prates. O atacante se diz focado no clube com o qual acertou nesta segunda-feira: "Vamos trabalhar forte e muito focado para ajudar o Cruzeiro nos seus objetivos, sempre com fé em Deus e muita determinação", comentou.

Na negociação que acarretou na liberação de Leandro Damião para ir à Toca da Raposa II, a diretoria do Santos não exigiu a ida de atletas em troca. O apoiador Pedro Ken e o atacante Dagoberto foram oferecidos pelo mandatário cruzeirense, mas os nomes não foram aprovados pelo técnico Enderson Moreira.

O empréstimo do centroavante, segundo o empresário do jogador,  foi definido em reunião nesta tarde no CT Rei Pelé entre o presidente Modesto Roma Júnior, o diretor de futebol Dagoberto Santos, o gerente de futebol André Zanotta e o treinador da equipe para a temporada que se aproxima.

No acordo entre Cruzeiro e Santos, o atual campeão brasileiro bancará 65% dos vencimentos de Leandro Damião, o que corresponde a R$ 400 mil mensais. O clube mineiro ainda terá direito a 10% correspondente a 'taxa de vitrine' caso o atleta seja negociado com uma agremiação europeia.

UOL Esporte

ONG de atletas dispara contra George Hilton no Ministério do Esporte















A organização não governamental Atletas Pelo Brasil divulgou nesta segunda-feira comunicado no qual condena a nomeação do deputado federal George Hilton como Ministro do Esporte do governo da presidente Dilma Rousseff para o próximo mandato, sucedendo Aldo Rebelo. Na carta da ONG, os atletas se dizem "envergonhados" e apontam falta de critério para a escolha do cargo.

"Exigimos muito mais respeito e cuidado com tudo que envolve o tema Esporte no Brasil. O que está muito longe de acontecer quando constatamos os critérios, ou a falta deles, que foram usados para a escolha do novo ministro", escrevem. "A nomeação com critério unicamente político, na maior parte das vezes, traz consigo o aumento da ineficiência de gestão, descontinuidade da política, reinício de convencimentos e processos e tudo isso com custo aos cofres públicos", complementam.

George Hilton se descreve como teólogo, radialista, apresentador de TV e animador, e é pastor da igreja Universal do Reinao de Deus, evangélica. Ele não tem ligação estreita com o esporte. Para os integrantes do Atletas Pelo Brasil, a escolha mostra que o Ministério do Esporte é usado como barganha política.

"Infelizmente, há anos, o Ministério do Esporte é usado na barganha política. Não se trata de decidir quem seria a melhor pessoa para ocupar o cargo, mas qual partido o terá de acordo com as alianças e que decidirá a seu bel-prazer quem o representará. Nem mesmo uma familiaridade com o tema é observada, o que traz enormes prejuízos ao esporte e ao País em um setor que está à frente de um enorme investimento com os megaeventos esportivos", cita o comunicado.

"Às vésperas das Olimpíadas, a Presidente Dilma abriu mão de uma oportunidade de melhorar a gestão do esporte. Decepcionou todo um setor de atletas, jornalistas, empresários, organizações, trabalhadores e amantes do esporte em geral", escrevem.

Fazem parte do Atletas Pelo Brasil personalidades do esporte como Dunga, Kaká, Paulo André, Raí, Rogério Ceni, Rubens Barrichello, Bernardinho, Ana Moser, Oscar Schmidt, Hortência, Paula, Gustavo Borges, Fernando Scherer, Fernando Meligeni,  Lars Grael e Torben Grael.

UOL Esporte

Novatos chegam à Fórmula 1 sem medo. De companheiros e da própria Fórmula 1















Os novatos da temporada 2015 da Fórmula 1 não têm medo. Pelo menos, é o que garante Max Verstappen, que correrá pela Toro Rosso.

O holandês estreará na categoria aos 17 anos, tornando-se o piloto mais jovem de todos os tempos a disputar a categoria. No entanto, segundo ele, o salto da Fórmula 3 (sua categoria em 2014) para a F1 não deverá ser tão grande.

"Basicamente, o estilo de pilotagem de um kart para um monoposto é completamente diferente. No fim das contas, no salto de um carro de Fórmula 3 para um carro de Fórmula 1, as principais coisas são iguais. Só que acontecem mais rapidamente", disse Verstappen, que pilotava karts até 2013, ao site da revista Autosport.

"Do kart para um carro de Fórmula, eu demorei um pouco para me acostumas. Então, acho que o salto foi maior do que da F3 para a F1. Um carro de F3 é bem parecido com um de F1, só que sem tanta potência. Mas o downforce é bem parecido. Em geral, o estilo de pilotagem não é tão diferente", completou, otimista.

O otimismo é semelhante com outro jovem revelado pela Toro Rosso, embora o desafio vá ser diferente. O russo Daniil Kvyat, que correu pela equipe em 2014 e que foi promovido para a Red Bull, onde seu desafio será acompanhar o ritmo de Daniel Ricciardo, terceiro colocado do Mundial de pilotos de 2014.

"Ele (Ricciardo) provou ser um piloto de alto nível neste ano. Estarei na Red Bull não para assisti-lo ir bem, mas para fazer meu melhor e para estar na frente dele e de todo mundo. É assim que será. Eu não iria para lá se fosse para ficar assustado", disse Kvyat, empolgado com suas possibilidades na nova equipe.

"Sei o que ele pode fazer, mas também farei meu melhor. E meu melhor não é tão ruim", completou o russo, o 15º colocado do Mundial de pilotos em 2014.

UOL Esporte

domingo, 28 de dezembro de 2014

Os Desafios do Esporte em 2015

Com os fatos ocorridos no esporte em 2014, o próximo ano pode ser de grandes desafios para diversas modalidades, principalmente para os atletas brasileiras. A chegada das Olimpíadas, em 2016, aperta mais o cinto e faz a pressão aumentar na possível conquista de medalhas. Nosso Ponto de Opinião de hoje, último do ano, lista algumas dessas mudanças que precisam ocorrer. Confira. 

O ressurgimento do futebol canarinho
A quem diga que o efeito do 7 a 1 já passou na seleção brasileira de futebol masculino, mas a nó na garganta continua entalado. A chegada de 2015 será para uma remodelação no elenco, agora comandado por Dunga, onde precisa fazer bonito na Copa América, mesmo sendo colocado que não é o foco principal do técnico. 

Orgulho dos times brasileiros
O que mais vimos em 2014 foi a reclamação da torcida perante ao péssimo futebol no Brasileiro. Ressalvas para times como Cruzeiro e Atlético Mineiro, que tentaram “amenizar o caos”. 2015 será o ano do novo, do começo de um novo (e esperado) futebol nacional. 

A busca do bicampeonato
Gabriel Medina mostrou garra e determinação ao conquistar o mundial de surfe esse ano, mas seu foco já é em 2015, quando tentará um novo título. 

Reestruturação da ginástica
Tanto a artística quanto a rítmica são pouco exploradas no País, o que é uma vergonha, quando temos atletas de alto nível como Diego Hipólito e Sérgio Sasaki. 2016 está chegando. 

Um rumo para o basquete
A NBA colocou “as mãos” na liga do Brasil, o que impediu grandes emissoras de impor sua vontade na organização. O basquete não está com um caminho definido e está cheio de incertezas. 

E você, o que acha que precisa ser melhorado em 2015? Conte pra gente! 

Força mantém tradição de colecionar troféus na Copa Ipanema

Equipe disputou o terceiro lugar no dia 20 de dezembro
(Foto: Ipanema Clube)


















Com o término da temporada de 2014, o Força/Interouro Alimentos/BBCOP/LCAR conquistou o terceiro lugar na Copa Ipanema categoria Super Masters Grama, depois de vencer o Madrugada por 4 a 2. Esse resultado mantém um ciclo de grandes vitórias para a equipe, que desde 2012 é administrado por Mário Sérgio Ciampaglia.

“Mantemos o foco de chegar com um time completo, contanto com os melhores jogadores e nunca deixamos nossa torcida desanimada”, conta. “Esse ano passamos por muitos imprevistos e perdemos jogos importantes, mas sempre mantivemos o foco e chegamos com tudo na semifinal. O terceiro lugar consagrou nosso ano”. 

Para os jogadores, 2014 foi um ano de muito equilíbrio físico e emocional, devido ao grande calor e aos jogos intensos. “Soubemos administrar os jogos e pressionar o adversário na defesa, mas o cansaço abalou nossa equipe”, conta o zagueiro Araujo. O time chegou na semifinal com desfalques no ataque, o que prejudicou o jogo e sucumbiu perante ao Bicho da Grama. Na decisão, o Real Madri que levantou a taça. 

Zagueiro Araujo ergue o troféu de terceiro colocado do Força





















Acompanhe o desempenho do Força na Super Masters Grama

2009: 4º colocado
2010: 3º colocado
2011: vice-campeão
2012: campeão
2013: 3º colocado
2014: 3º colocado


Atendimento a Imprensa
Nicholas Araujo – Responsável pela Comunicação Força
Email: redação.blogdoesporte@gmail.com
Facebook: http://www.facebook.com/forcaipanemaclube
Mais informações: http://blogesports.blogspot.com

Chelsea perde chances e só empata contra o Southampton no Inglês















O Chelsea tropeçou na 19ª rodada do Campeonato Inglês e apenas empatou contra o Southampton, neste domingo, por 1 a 1. O empate mantém o bom momento da equipe que vem surpreendendo no torneio mesmo depois de vender os jogadores mais importantes depois da temporada 2013-14. O Southampton, com 33 pontos, se mantém entre os quatro primeiros da tabela. O Chelsea chega a 46 pontos, e mantém a liderança.

Fases do jogo

O Southampton, jogando em casa, surpreendeu logo nos primeiros minutos de partida. Em lançamento longo, Sadio Mané foi achado no ataque. O senegalês dominou na frente do goleiro Thibaut Courtois e finalizou para abrir o placar.

Com a desvantagem, o Chelsea do técnico português José Mourinho foi ao ataque. Com jogadas mais arriscadas e passes mais diretos, Fàbregas chegou minutos depois à área adversária em linda jogada, driblando dois oponentes pela ponta esquerda, mas sem conseguir dar a assistência.

Enquanto isso, Mané manteve o protagonismo no setor ofensivo do Southampton ao lado de Graziano Pellè. Ele deu trabalho aos volantes do Chelsea ao sair da área e buscar jogo próximo aos meio-campistas. Matic, um deles, se perdeu em alguns momentos da partida.

No fim da primeira etapa, uma jogada individual do belga Eden Hazard, no entanto, venceu o bloqueio dos donos da casa. Hazard assumiu a posse de bola pela ponta esquerda e invadiu a área adversária cortando dois oponentes, virou-se para o gol e concluiu: 1 a 1, e o Chelsea de volta ao jogo.

Na segunda etapa, José Mourinho tirou o alemão Andre Schurlle de campo e inseriu o brasileiro Willian. Ele, então, passou a ser um dos principais articuladores do time.

Uma cena que já vai virando comum na Inglaterra aconteceu mais uma vez: Fàbregas se jogou na área após contato com a defesa do Southampton e pediu pênalti, que não ocorreu. A arbitragem não caiu na dele e ainda deu cartão amarelo ao espanhol.

Apesar do momento negativo, Fàbregas foi ao lado de Hazard o ponto de partida das jogadas do Chelsea. O meia espanhol continua em grande fase desde que deixou o Barcelona.

O melhor: Sadio Mané

O senegalês de 22 anos quebrou uma defesa que dificilmente vaza e destruiu o meio de campo do Chelsea com seu posicionamento. Fez o primeiro gol da partida e deu ao Southampton as hipóteses de vencer um adversário que parece ser quase invencível.

O pior: Andre Schurrle

O meia-atacante alemão não entrou em campo na mesma frequência dos companheiros e acabou sendo substituído no intervalo. 

UOL Esporte

Falcão calcula em 30% as chances de ir para o Vasco em 2015















Considerado o maior jogador de futsal do mundo, o astro Falcão voltou a admitir a possibilidade de se transferir para o Vasco em 2015 juntamente com os seus demais companheiros do Sorocaba, equipe campeã da Liga deste ano.

De acordo com o jogador, que também é gestor do time do interior paulista, já há um prazo para uma definição, que pode resultar numa parceria entre os dois clubes.

"Com relação ao Vasco, realmente evoluiu muito uma conversa, mas sabemos que o Sorocaba está buscando situações para que possamos jogar na cidade (não há um ginásio disponível). Só que tem até o dia 15 de janeiro para isso acontecer.  Nossa intenção é continuar em Sorocaba, até porque toda nossa estrutura está lá. Hoje é 70% Sorocaba e 30% Vasco, mas que existe essa conversa, existe", avaliou antes de participar do evento 'Jogo das Estrelas', neste sábado, no Maracanã.

Quem conduz a negociação em nome do Vasco é Carlos Gandola, assessor da presidência cruzmaltina, e seus filhos. O trio foi responsável por trazer Falcão para disputar algumas partidas da equipe de Fut 7 do Madureira em 2014. Ambos administravam o time do Tricolor Suburbano antes do ingresso à nova diretoria vascaína.

Assim como o Sorocaba, o clube de São Januário também enfrenta problemas em relação a ginásio. O atual passa por reformas e uma das possibilidades seria utilizar o Maracanãzinho.

Em 2000, o Vasco foi campeão brasileiro de futsal com o ex-craque Manoel Tobias.

UOL Esporte

Ricciardo vê Vettel "impiedoso" e aposta que alemão se adaptará na Ferrari















Agora ex-companheiro de equipe de Sebastian Vettel, o australiano Daniel Ricciardo fez uma análise sobre o tetracampeão da Fórmula 1, que em 2015 deixa a Red Bull após seis temporadas para estrear na Ferrari.

Segundo Ricciardo, que superou Vettel na disputa interna da Red Bull no último Mundial, a capacidade do ex-companheiro de trabalhar com a equipe renderá frutos à escuderia italiana, que não venceu nenhuma corrida em 2014.

"A maneira com que ele torna próximas as pessoas que trabalham com ele é impressionante. É o jeito com que ele exige e consegue o que quer. Nós [pilotos] nunca estamos felizes com nossos carros e sempre queremos algo mais deles. Ele [Vettel] é bem impiedoso, mas ao mesmo tempo justo, nesse procedimento", explicou Ricciardo à revista "Autosport".

"Ele consegue ser sério e olhar o time nos olhos, dizendo 'eu preciso disso', e ganha o respeito agindo dessa forma. Ele não descansa e não estará feliz ficando para trás, e acho que é uma boa maneira de agir. A mensagem é que caras bonzinhos nem sempre vencerão. Vencem às vezes, mas não sempre, e sempre há momentos que você precisa ser um pouco impiedoso."

Ricciardo diz ter aprendido sobre isso com o companheiro de equipe na temporada que correram juntos. "Descobri um pouco disso nesse ano: me manter respeitoso com as pessoas que trabalho, mas assumindo a responsabilidade sobre coisas que eu quero ou acredito. Você precisa disso, senão será encostado. E isso vale para qualquer esporte e para a vida", analisou.

Sobre o futuro da Ferrari com Vettel, Ricciardo prevê uma adaptação natural do tetracampeão na escuderia. "Não acho que ele chegará para 'abalar as estruturas', mas, com certeza, para mudar as coisas. E é como qualquer mudança: ele se adaptará e conseguirá isso. Acho que em seu primeiro teste deve ter sido estranho, mas em Melbourne [no primeiro GP de 2015] ele já se sentirá bem."

UOL Esporte

Após 28 anos, Argentina dá lavada no Brasil em times e seleção em 2014

Em 2014, o futebol argentino foi superior ao brasileiro em praticamente tudo: seus times ganharam a Libertadores e a Sul-Americana. E a seleção de Messi acabou na frente da nacional com o vice-campeonato no Rio de Janeiro. Uma vantagem nas duas esferas como essa foi vista pela última vez em 1986.

Naquele ano, o time de Maradonna levantou a taça do Mundo e o River Plate conquistou a sua última Libertadores. Desde então, os times argentinos podem vencer o torneio sul-americano, mas sua seleção tinha desempenho igual ou inferior à brasileira.

Tanto que o último título de Copa América da Argentina foi em 1993, enquanto a derradeira vez que esteve à frente do Brasil em Copas foi em 1990. Desde 1986, a seleção brasileira acumulou duas taças do mundo, quatro Copa das Confederações e cinco Copas Américas.

Recentemente, os times nacionais também exibiam favoritismo com quatro triunfos seguidos na Libertadores. A série foi interrompida pela conquista do San Lorenzo neste ano, em uma edição em que a melhor equipe nacional foi o Cruzeiro, derrotado nas quartas-de-final.

Na Sul-Americana, o título argentino veio em final do River Plate contra o Atlético Nacional, colombiano que foi algoz de brasileiros como São Paulo e Atlético-MG no ano. O Galo, por sinal, foi o único a levantar uma taça sul-americana, a Recopa, que só é disputada em dois jogos, diante do Lanús.

Na Copa-2014, o Brasil ficou na semifinal enquanto a equipe de Messi só foi derrotada na decisão para Alemanha. Lembre-se: os argentinos só perderam na prorrogação por apenas um gol, enquanto a seleção brasileira tomou de sete.

Será preciso esperar a próxima temporada para saber se o domínio argentino foi pontual ou vai se consolidar. Certo é que a preocupação dos brasileiros deve ser não só com a diferença para os europeus, mas também com o fortalecimento do futebol do vizinho.

UOL Esporte

São Paulo contrata mais e fecha portas para próprias revelações

Meia Daniel, ex-Botafogo, assinou neste sábado com o São Paulo. Antes dele, Thiago Mendes, Bruno e Carlinhos também foram contratados















O vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, afirmou em reportagem publicada no último dia 11 que não contrataria o meia Thiago Mendes, 22, do Goiás, pelo seguinte motivo: "Estamos cheios de gente nesse setor. Temos muitos jogadores de meio de campo". Agora, 17 dias depois, o clube não só anunciou Thiago Mendes como também o companheiro de posição Daniel, ex-Botafogo. Dois reforços que chegam para o setor que perdeu Kaká, mas que tinha no jovem Gabriel Boschilia, 18, a grande esperança das categorias de base.

A diretoria também falava, há 17 dias, em dar mais espaço a Boschilia em 2015. Principal produto de Cotia atualmente no profissional e presença constante nas seleções brasileiras de base, o meio-campista teve fim de ano razoavelmente bom com Muricy Ramalho e aparecia como possível opção para a equipe titular. Agora, apesar de perder Kaká como concorrente por vaga na equipe, ganha Thiago Mendes, Daniel e Michel Bastos – fixado como meia após a contratação de Carlinhos, ex-Fluminense, agora concorrente do uruguaio Alvaro Pereira.

Thiago Mendes é volante de origem, mas jogou o Brasileirão como meia ofensivo no Goiás. Já Daniel, é meia ofensivo e também pode jogar como segundo atacante, fora da área. Na formação tática que deu a Muricy Ramalho o vice-campeonato do torneio nacional em 2014, eles são opções para as posições de Paulo Henrique Ganso e Michel Bastos (Kaká, antes), como meio-campistas abertos pelas laterais. Exatamente a mesma função de Boschilia em campo.

E há outro são-paulino revelado em Cotia que se prejudica pelas chegadas dos reforços: Ademilson, de 20 anos, vinha sendo utilizado por Muricy em diversos momentos como meia direita. Este, no entanto, não era visto como potencial para 2015. Na concorrência, ainda há Osvaldo, que solicitou uma reunião com a diretoria e deve deixar o clube – interessa ao rival Palmeiras.

Há outra contratação que também atrapalha mais duas revelações são-paulinas. O lateral direito Bruno, ex-Fluminense, disputará vaga na equipe com Auro, 18, que apareceu bem como alternativa em 2014 após a venda de Douglas ao Barcelona. Agora, as opções na lateral são o novo reforço e o volante Hudson, que terminou bem a temporada improvisado. Isso ainda faz com que Paulo Miranda seja visto como zagueiro – o jovem Lucão, então, de 18 anos, ganha outro competidor pela vaga de titular. Rafael Toloi, Edson Silva, Antonio Carlos e Rodrigo Caio – outra joia do clube –  também estão na disputa.

Naturalmente, além das sobreposições a Boschilia, Ademilson, Auro, Lucão e Rodrigo Caio, que volta de lesão, o elenco inflado para a disputa da Copa Libertadores quase não dará espaço para que uma nova geração de revelações seja promovida.

Além dos supracitados, o São Paulo ainda conta com o atacante Ewandro, 18, como revelado no clube atualmente no elenco principal. Nas categorias inferiores, os volantes Gustavo Hebling e Matheus Reis e o atacante Joanderson são alguns dos que poderiam ser promovidos. 

UOL Esporte

sábado, 27 de dezembro de 2014

Brasileiras são atropeladas por time suíço no Torneio da Basileia de vôlei















O Molico/Osasco não estreou bem no Torneio da Basileia, disputado anualmente na Suíça. O time brasileiro, único representante do país na competição, acabou derrotado pelo Volero Zurique, neste sábado (27) por 3 sets a 0, parciais de 25-17; 25-16 e 25-15 em jogo válido pelo grupo A.

As brasileiras do Osasco mostraram  muita dificuldade desde o início da partida e o primeiro set terminou em pouco menos de 30 minutos com grande diferença técnica das suíças. O Molico não conseguia se organizar em quadra e facilitou o ataque para o Volero Zurique.

O segundo set não foi diferente. Pelo contrário. O time brasileiro piorou em quadra ainda mais. A diferença no placar chegou a 23 a 11, quando o Osasco "acordou" e conseguiu fazer quatro pontos seguidos, mas já não adiantava mais. O Volero conseguiu fechar o set.

O terceiro set começou um pouco mais equilibrado. No entanto, o placar apertado durou pouco e logo o time da Suíça abriu 15 a 8, ficando à frente no placar com tranquilidade. O Osasco também ajudou o Volero em algumas defesas entregando a bola de graça para o adversário. Assim como nos dois primeiros sets, as suíças fecharam a parcial com sobra. 

O Torneio da Basileia é disputado anualmente desde 1989, o Osasco tem um título da competição (2004). Participam seis times: Volero Zurique (Suíça), Molico/Osasco (Brasil), Partizan Belgrado (Sérvia), Zarechie-Odintsovo (Rússia), Galatasaray (Turquia) e RC Cannes (França).

O próximo jogo do Molico/Osasco acontece neste domingo (28), às 10h30 de Brasília. A equipe brasileira enfrenta o Partizan Belgrado, da Sérvia.

UOL Esporte

Corinthians descarta Paulinho e confirma contratação de Cristian

O Corinthians descartou a hipótese de repatriar o volante Paulinho, mas já confirma um reforço para a mesma posição: Cristian, outro ex-jogador do clube e há cinco temporadas no turco Fenerbahçe, será anunciado dia 5 de janeiro, quando o elenco se reapresenta para a pré-temporada. Quem confirma é o diretor de futebol Ronaldo Ximenes.

"Sobre o Paulinho não tem nada. O Corinthians tem vontade, mas o Tottenham se manifestou e disse que só venderia ele, e comprar o Paulinho nós não temos condições. O Corinthians queria empréstimo de um ano, o único cenário possível para o Corinthians seria o empréstimo, mas o Tottenham não quer, então é impossível neste momento, porque o único interesse do clube inglês é vender. Só se eles mudarem de ideia, mas hoje é difícil, então o Paulinho não virá", disse Ximenes, em entrevista ao UOL Esporte (clique aqui para ler mais sobre o Mercado da Bola, que inclui até negociação de Jadson ao Flamengo)

Paulinho foi vendido ao Tottenham há um ano e meio, em agosto de 2013. Em baixa na Inglaterra, o jogador não tem participado das partidas da equipe. O clube, porém, não aceita emprestá-lo e tenta recuperar o investimento.

Sobre Cristian, que teve grande identificação com a torcida corintiana até 2009, a diretoria corintiana já fala sobre o anúncio e coloca o jogador por detalhes.

"Está indo bem. Em breve anunciaremos, a partir do dia 5. O Cristian está muito próximo, ele está livre e está bem próximo... 80%. Faltam pequenos detalhes que nos separam do Cristian, são pequenos detalhes da negociação. Salários acertados e o tempo de contrato de um ano e a partir do dia 5 iremos anunciar o Cristian", falou Ximenes. 

UOL Esporte

Pesquisão 2014: Que beleza! Jogadores elegem Milton Leite melhor narrador














Qual é o melhor narrador do futebol brasileiro? Para os jogadores da Série A do Brasileirão, o vencedor é Milton Leite, da Globo e do SporTV. Autor dos bordões "que beleza!" e "Segue o jogo", o profissional disparou na frente dos colegas.

Na votação para o considerado pior narrador esportivo da televisão brasileira, uma surpresa: Galvão Bueno, da Globo, ficou com o "prêmio". A situação, porém, é curiosa: Galvão, eleito o pior, é também considerado o terceiro melhor; Milton Leite está em terceiro entre os piores.

É isso o que aponta um levantamento do UOL Esporte, que ouviu 108 jogadores, de 13 equipes que disputaram a Série A do Campeonato Brasileiro. A série "Pesquisão 2014" vem divulgando nos últimos dias as preferências dos boleiros sobre seus colegas, treinadores, árbitros, estádios, profissionais de TV, entre outros quesitos.

Neste trabalho, a reportagem ouviu jogadores de Botafogo, Atlético-MG, Atlético-PR, Chapecoense, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Grêmio, Palmeiras, Santos, São Paulo e Vasco.

Na eleição do melhor narrador, Milton Leite, venceu com impressionantes 33,33% dos votos. Cléber Machado, segundo colocado, teve 20,37%; Galvão Bueno ficou com a terceira colocação (18,52%). Já na escolha do pior do Brasil, o título ficou com Galvão, que teve 22,64% dos votos; Alex Escobar vem em seguida, com 10,38%. Milton Leite, o campeão,  foi escolhido pelos jogadores o terceiro pior narrador do país. Confira a lista completa.

Jogadores de futebol elegem o melhor narrador do país

33,33% Milton Leite (Globo/SporTV)
20,37% Cléber Machado (Globo)
18,52% Galvão Bueno (Globo)
14,81% Luís Roberto (Globo)
5,56% Luiz Carlos Júnior (SporTV)
3,7% Paulo Andrade (ESPN)
1,85% Rogério Corrêa (Globo/SporTV)
0,93% Jota Júnior (SporTV)

UOL Esporte

Flamengo negocia com Jadson para assumir camisa 10 em 2015














Disposto a contratar um jogador que chegue para assumir a camisa 10 na próxima temporada, o Flamengo abriu negociações com o meia Jadson, que pertence ao Corinthians até o fim de 2015.

As conversas estão em estágio inicial e outros nomes são estudados. As características de Jadson, porém, agradam ao técnico Vanderlei Luxemburgo e a ideia da diretoria é trazer um um atleta com este perfil.

Além de um camisa 10, o Rubro-Negro busca no mercado um típico 9, com estilo finalizador. Burocracias, no entanto, devem impedir que o clube anuncie um reforço de peso antes de janeiro.

Até o momento, o Flamengo fechou as contratações do zagueiro Bressan e do lateral direito Pará, ambos do Grêmio, e dos meias Arthur Maia, do América-RN, e Thallyson, do ASA-AL.

Jadson foi de titular absoluto a quarta opção no Corinthians com o técnico Mano Menezes. Com 31 anos, ele foi revelado pelo Atlético-PR e possui passagens por Shaktar Donetsk (UCR), São Paulo e Seleção Brasileira, onde disputou a Copa América de 2011.

No fim da tarde deste sábado, o meio-campista postou uma foto em sua conta no Instagram, na qual veste uma camisa vermelha da Adidas, sua patrocinadora pessoal, e também do Flamengo. Com um terreno de areia ao fundo (aparentemente uma praia), o jogador escreveu: "Bora treinar!!! 2015 será um ano de bênçãos para minha vida e para minha família!!! #10km #vamoqvamo".

UOL Esporte

R$ 500 mil e Wesley fora da Libertadores: vingança do Palmeiras contra o SP



O Palmeiras não se importará em pagar os R$ 500 mil correspondentes a dois meses de salário de Wesley. Pelo contrário. Há quem comemore a opção de poder arcar com os custos dos últimos dois meses do volante no Palestra Itália. Tudo para que ele não possa disputar a Libertadores pelo São Paulo.

A péssima relação entre os dois lados terá mais um capítulo nos primeiros dois meses de 2015. Acertado verbalmente com o São Paulo desde agosto e assinado desde o fim de novembro, o meio-campista pode não chegar ao Morumbi a tempo de ser inscrito na fase de grupos da competição sul-americana: o prazo é de 48 horas antes da estreia tricolor no torneio, que deve acontecer por volta do dia 18 de fevereiro.

O contrato de Wesley com o Palmeiras é até o dia 27 de fevereiro. Ele já pode começar a pré-temporada no dia 7 de janeiro treinando separadamente do grupo, porque não será aproveitado de modo algum. Na visão da cúpula alviverde, ele deixa o clube pelas portas dos fundos.

A diretoria chegou a estudar dispensá-lo, mas mudou de ideia. Hoje, o cenário só muda se clube ou jogador tentarem um acordo financeiro. Curiosamente, tanto jogador quanto a equipe tricolor ainda não admitem o acerto. 

"O São Paulo só vai tentar acordo com a gente se tiver muita cara de pau ou com boa quantia de dinheiro", afirmou um dirigente palmeirense ao UOL Esporte sob a condição de anonimato.

A péssima relação entre as partes começou em abril, quando o São Paulo atropelou todos os protocolos e se acertou com Alan Kardec antes mesmo de o Palmeiras finalizar as negociações. Na ocasião, Paulo Nobre e Carlos Miguel Aidar trocaram farpas públicas. 

De lá para cá, a equipe do Morumbi contratou Wesley e tentou atravessar a contratação de Fernando Tobio, que acabou no Palestra Itália.

Recentemente, a diretoria são-paulina ainda quebrou os protocolos para acertar com Thiago Mendes. Enquanto o Palmeiras se acertava com o Goiás, o São Paulo foi direto no jogador, para, então, se acertar com a equipe do centro-oeste. 

Outro capítulo teve final feliz para o Palmeiras. O São Paulo assediou Gabriel Fernando, joia das categorias de base palmeirense. O atacante, no entanto, preferiu ficar na equipe em que foi revelado. 

UOL Esporte