sábado, 30 de abril de 2016

Com Messi 'garçom', Barça vence e segue dependendo de si para ser campeão

(Foto: Cristina Quicler/AFP)


Depois de ver Real Madrid e Atlético de Madri vencerem seus jogos, o Barcelona entrou em campo neste sábado sabendo que precisaria superar o Betis, em Sevilha, para seguir dependendo apenas de si mesmo para ser campeão espanhol. E foi o que ele fez. Facilitado pela expulsão de um zagueiro do Betis no primeiro tempo, o time catalão venceu por 2 a 0 e ficou mais perto da taça nacional. Os gols foram marcados por Rakitic e Suarez, ambos com assistências do 'garçom' Lionel Messi.

Com o resultado, o Barcelona chega aos 85 pontos e reassume a liderança da tabela, já que leva a melhor nos confrontos diretos contra o Atlético de Madri, segundo colocado que também chegou aos 85 ao vencer o Rayo Vallecano. Em terceiro aparece o Real Madrid, com 84.

Pela frente, o Barcelona ainda tem confrontos contra Espanyol, no Camp Nou, e Granada, fora de casa. Vencendo as duas partidas, garante seu 24º título espanhol, o segundo seguido.

BARÇA SOFRE, MAS AO MENOS GANHA EXPULSÃO DO BETIS

Faltou criatividade ao Barcelona na etapa inicial. Neymar tentou, até construiu algumas jogadas pela esquerda, no 'mano a mano', mas nada que assustasse o Betis. Com Messi e Suarez apagados, o time catalão tentava, mas parava na forte defesa dos anfitriões. O Barça só teve o que comemorar aos 35min, quando o zagueiro Westermann recebeu o segundo amarelo (após pisão em Messi e falta em Rakitic) e foi expulso. A pressão do Barcelona aumentou, mas com ela também aumentou a retranca do Betis, que passou só a se defender. E bem. Desta forma, o primeiro tempo terminou com 0 a 0 e apenas um chute no alvo - de Neymar - entre as duas equipes.

BARÇA VOLTA MELHOR E ABRE O PLACAR EM 5 MINUTOS

O Barcelona voltou melhor na etapa final. Tanto é que, em menos de dois minutos, construiu a melhor chance da partida, esta bem clara. Neymar deu passe perfeito entre os zagueiros e deixou Suarez livre dentro da área; mas o uruguaio pegou mal na bola e mandou para fora. Mas o time catalão continuou mostrando que a história seria outra no segundo tempo, e praticamente no ataque seguinte abriu o placar. Messi lançou dentro da área, Adán e Pezzella se atrapalharam e a bola sobrou limpa para Rakitic apenas ter o trabalho de empurrar para o gol. 1 a 0.

SUAREZ SE REDIME APÓS GOLS PERDIDOS E DEFINE VITÓRIA

Com o trio MSN bem mais produtivo que no primeiro tempo, o Barcelona continuou construindo oportunidades depois do gol. Mas não parecia ser o dia de Suarez. Ele perdeu duas grandes chances, a maior delas aos 28min. Ele recebeu de Messi dentro da área e, sozinho, sem nenhuma marcação, finalizou em cima do goleiro Adán. Mas aos 35min, Suarez se redimiu. Depois de um lançamento perfeito de Messi pelo meio, o uruguaio finalizou na saída do goleiro, marcou o seu 35º gol no Espanhol e garantiu a vitória do Barcelona. 2 a 0, placar final.

UOL Esporte

Fora de casa, Desportiva bate Espírito Santo e fica próxima de título

Mesmo sem apresentar um bom futebol, a Desportiva Ferroviária foi melhor e venceu o Espírito Santo na tarde deste sábado, no Engenheiro Araripe, por 1 a 0 com gol de Ramires e ficou bem perto de garantir seu 18º título do Campeonato Capixaba. Caso o título se confirme, equipe irá garantir também vagas na Série D do Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil do ano que vem.

O Espírito Santo até teve boas oportunidades e foi superior nas duas etapas, mas viu o adversário segurar bem na defesa e abrir o placar aos 28 minutos da etapa final, com gol do Lateral Ramires, após rebote de Alan Faria depois de chute do atacante Madison.

A vitória por 1 a 0 na tarde deste domingo, deu a Desportiva Ferroviária a vantagem de jogar por um empate no jogo de volta, que será no próximo sábado, no Araripe, às 16h30. Para o adversário, só a vitória por dois gols de diferença da o título. Em caso de 1 a 0 para o Espírito Santo, decisão será nos pênaltis.

UOL Esporte

Problemas voltam a assombrar Hamilton e Rosberg faz a pole no GP da Rússia

(Foto: Mark Thompson/Getty Images)


A classificação do GP da Rússia se desenhava para ter um desfecho emocionante, com Nico Rosberg e Lewis Hamilton andando muito próximos um do outro desde os treinos livres. Porém, um problema no carro do inglês deixou o caminho livre para o líder do campeonato marcar a pole pela segunda vez no ano.

Sem marcar tempo no Q3, Hamilton largará apenas em décimo. O inglês ainda não teve um final de semana limpo até aqui, tendo tido primeiras curvas ruins na Austrália e no Bahrein, e sofrido problemas no motor na China, quando largou em último. Rosberg, por sua vez, venceu as três provas.

Com isso, Valtteri Bottas vai largar em segundo e Kimi Raikkonen, em terceiro. Punido em cinco posições no grid pela troca do câmbio, Sebastian Vettel foi o segundo mais rápido, mas larga apenas em sétimo.

Entre os brasileiros, Felipe Massa sairá na quarta colocação e Felipe Nasr larga em 19º. Mesmo com a posição ruim, o treino foi positivo para o brasileiro, que superou com folga o companheiro Marcus Ericsson na primeira classificação em que usou um novo chassi, o que melhorou o comportamento de sua Sauber em relação às provas anteriores.

Q1
A primeira parte do treino deveria servir apenas para os pilotos da Mercedes se garantirem na fase seguinte, mas acabou tendo um intenso duelo entre Nico Rosberg e Lewis Hamilton, com vantagem de apenas um décimo para o segundo. A dupla foi seguida pelas Ferrari e pelas Williams, separadas por apenas três décimos. Outro destaque foi Fernando Alonso, sétimo com a McLaren.

Na luta para escapar da degola, Felipe Nasr vinha bem até errar em sua penúltima tentativa. O brasileiro não conseguiu melhorar na volta final e se classificou em 19º. Ainda assim, o piloto foi meio segundo mais rápido que o companheiro Marcus Ericsson, na primeira corrida em que utiliza o novo chassi na Sauber. O sueco vai largar em último. Também foram eliminados no Q1 os dois pilotos da Renault, Kevin Magnussen e Jolyon Palmer, com vantagem para o dinamarquês, e da Manor, com Wehrlein mais rápido que Haryanto.

Q2
Como os pilotos são obrigados a largar com o pneu utilizado no Q2, o duelo interno da Mercedes não se repetiu, com Rosberg e Hamilton apenas fazendo uma volta para se garantir no Q3. Rosberg se deu melhor, com boa vantagem. As Ferrari novamente se colocaram tranquilamente em terceiro e quarto, enquanto as Williams esperavam até os últimos minutos para irem à pista, mas se garantiram em quinto e sexto.

Quem teve mais dificuldade em se colocar no top 10 foi o dono da casa Daniil Kvyat, que se garantiu apenas no décimo posto, deixando de fora do treino Carlos Sainz, Jenson Button, Nico Hulkenberg, Fernando Alonso e a dupla da Haas, Romain Grosjean e Esteban Gutierrez.

Q3
A prometida luta pela pole terminou antes mesmo do Q3 começar, com Hamilton ficando de fora pelos mesmos problemas de motor que teve na China, apesar da Mercedes ter trocado sua unidade de potência. Tranquilo para fazer a pole, Rosberg foi oito décimos mais rápido que Vettel em sua primeira tentativa, com Bottas em terceiro, Raikkonen em quarto e Massa em quinto, seguido pelos dois pilotos da Red Bull.

Mesmo tendo errado sua segunda tentativa, Rosberg obteve a pole com folga, com Vettel em segundo. O alemão, contudo, perderá cinco posições pela troca de câmbio. Isso alçou Valtteri Bottas, que fez grande volta para superar a Ferrari do compatriota Kimi Raikkonen, ao segundo lugar no grid. Felipe Massa não fez um grande Q3 e larga em quarto, à frente de Daniel Ricciardo e Sergio Perez. A punição fará Vettel largar em sétimo, com Kvyat, Verstappen e Hamilton fechando o top 10.

A largada está marcada para as 9h, pelo horário de Brasília. 

Confira os tempos da classificação do GP da Rússia
1. Nico Rosberg ALEMercedes-Mercedes 1m 35.417s
2. Valtteri Bottas FIN Williams-Mercedes 1m 36.536s
3. Kimi Raikkonen FIN Ferrari-Ferrari 1m 36.663s
4. Felipe Massa BRA Williams-Mercedes 1m 37.016s
5. Daniel Ricciardo AUS Red Bull-Renault 1m 37.125s
6. Sergio Perez MEX Force India-Mercedes 1m 37.212s
7. Sebastian Vettel ALE Ferrari-Ferrari 1m 36.123s *punido
8. Daniil Kvyat RUS Red Bull-Renault 1m 37.459s
9. Max Verstappen HOL Toro Rosso-Ferrari 1m 37.583s
10. Lewis Hamilton ING Mercedes-Mercedes sem tempo

11. Carlos Sainz Jr ESP Toro Rosso-Ferrari 1m 37.652s
12. Jenson Button ING McLaren-Honda 1m 37.701s
13. Nico Hulkenberg ALE Force India-Mercedes 1m 37.771s
14. Fernando Alonso ESP McLaren-Honda 1m 37.807s
15. Romain Grosjean FRA Haas-Ferrari 1m 38.055s
16. Esteban Gutierrez MEX Haas-Ferrari 1m 38.115s

17. Kevin Magnussen DIN Renault-Renault 1m 38.914s
18. Jolyon Palmer ING Renault-Renault 1m 39.009s
19. Felipe Nasr BRA Sauber-Ferrari 1m 39.018s
20. Pascal Wehrlein ALE Manor-Mercedes 1m 39.399s
21. Rio Haryanto INA Manor-Mercedes 1m 39.463s
22. Marcus Ericsson SUE Sauber-Ferrari 1m 39.519s 

UOL Esporte

ACBF perde para o Joinville em Santa Catarina pela Liga Futsal

(Foto: Juliano Schmidt / JEC Krona)


A Associação Carlos Barbosa de Futsal (ACBF) segue sem vencer fora de casa pela Liga Nacional de Futsal (LNF). Na noite desta sexta-feira, 29, o time laranja perdeu para o Joinville por 2x1, em Santa Cataria, pela terceira rodada da competição.

O placar foi decidido ainda na primeira etapa. Aos 10 minutos, Eka abriu o placar. No entanto, a ACBF esboçou a reação na sequência com o gol de Rafa. Porém, os catarinenses passaram a dominar a partida novamente e o gol de desempate saiu no último minuto dos pés de Fellipe Mello.

A segunda etapa começou com ritmo lento. O time laranja ameaçava mais, marcando forte a saída de bola do adversário. Nos últimos minutos, o técnico Marquinhos Xavier colocou Léo na função de goleiro-linha. O jovem concluiu várias vezes em gol, mas as redes não balançaram. Depois, foi a vez de Marlon assumir como goleiro-linha, mas os barbosenses não conseguiram passar pela defesa do Joinville.

Após a derrota em Santa Catarina, a ACBF terá um tempo a mais para treinar e organizar a casa. O próximo será no dia 11 de maio contra o Marreco Futsal, na Serra Gaúcha.

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Ponto de Opinião: CBF busca unir o futebol mesmo com escândalos na entidade

(Foto: Rafael Ribeiro/CBF)


Mesmo em volta de polêmicas e problemas administrativos, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) promoveu durante essa semana o seminário “Semana de Evolução do Futebol”, no intuito de discutir várias questões sobre o futuro do esporte. 

A abertura do encontro teve a participação do técnico Levir Culpi, do técnico da seleção brasileira Dunga e do técnico da Itália, Antonio Conte. Nesse primeiro momento, os profissionais abordaram as dificuldades de cada país no futebol e quais soluções poderiam ser aplicadas, além da valorização do trabalho do técnico de futebol. Culpi atribuiu a organização brasileira pelos fracassos recentes e Dunga cobrou uma maior valorização do trabalho do treinador. 

Essa instabilidade é grande nos clubes brasileiros atualmente, que procuram por soluções imediatas e não apenas pelo trabalho como um todo. Essas trocas vão se agravando em divisões inferiores e a tradição de cada equipe. Enquanto jogadores se mantêm no elenco e não são culpados pelo mau desempenho, o técnico é sempre questionado e acaba por vezes saindo do cargo.

Saiba mais
Levir Culpi participa de evento da CBF e avalia futebol brasileiro: "É uma questão de cultura. Não somos organizados"

No segundo dia o tema central foi à arbitragem, uma das partes mais criticadas por parte das torcidas recentemente. Segundo o instrutor Fifa e membro da Comissão de Arbitragem da Conmebol, Wilson Seneme, a arbitragem é considerada uma “terceira equipe”, o trabalho de aperfeiçoamento desses profissionais “deve considerar os elementos necessário para a preparação dos atletas, como manutenção da forma física, apoio psicológico e condições adequadas de treinamento”.

O instrutor também apontou que o árbitro necessita de um conhecimento antecipado das situações, como a história das equipes, as características dos jogadores e o contexto da partida para que os erros sejam mínimos. Muitos clubes culpam a arbitragem por erros ou até mesmo “favorecimento” para o resultado final de cada partida. A discussão da utilização da televisão como um apoio à arbitragem ainda divide dirigentes dos clubes e diretores da CBF.

Profissionalização

Todavia, a profissão de árbitro ou mesmo do famoso “bandeirinha” não é uma profissão regulamentada no Brasil. Os profissionais que se dedicam a essa parte muitas vezes tem outros empregos ou colocam a arbitragem como um “complemento” a renda familiar. Não há uma lei específica ou implantada que dispõe os devidos direitos trabalhistas aos profissionais da arbitragem.

Esse argumento é reforçado pelo ex-arbitro e hoje comentarista de arbitragem Leonardo Gaciba, que participou do encontro. Ele comentou que mesmo sendo um reconhecimento difícil, a CBF deveria pensar em profissionalizar essa atividade. O presidente da Comissão de Arbitragem, Sérgio Corrêa, informou que o investimento para a profissionalização chegaria a R$ 60 milhões por ano.

Categorias de base

Outra discussão abordada na Semana foi à categoria de base, parte importante para a chegada de novos atletas aos times profissionais. O coordenador das categorias de base da CBF, Erasmo Damiani, destacou o trabalho dos atuais técnicos das seleções de base Rogério Micale (sub-20), Carlos Amadeu (sub-17) e Guilherme Dalla Déa (sub-15).

Outro palestrante importante dessa quinta-feira (28) foi Joaquim Milheiro, coordenador do projeto “Identidade Portugal”, que relatou sobre como os portugueses organizaram suas categorias de base junto aos clubes. “Nossa filosofia foi procurar os clubes, os profissionais que lá estavam para montar nossa equipe com profissionais que conhecem. Criamos um banco de dados com informações de jogadores brasileiros observados. Queremos deixar um legado. Tudo que estamos fazendo no sentido de organização, observação e estatísticas ficará na CBF”, diz.

Futuro

Apesar de todos esses temas levantados, uma solução rápida está muito longe de acontecer. A CBF passa por problemas administrativos e ainda não solucionou o vínculo com Del Nero, que é acusado de corrupção na Fifa. Em uma realidade mais próxima, clubes no patamar de Corinthians, Flamengo e Palmeiras acumulam inúmeras dívidas que anteriormente seriam cobradas pela Confederação com a ameaçada de rebaixamento, mas a impressão que dá é que o tema foi arquivado e colocado como “isso nunca aconteceu”. 

Nem entrarei muito no mérito da questão dos times modestos, desvalorizados pelos interesses dos grandes, como pudemos ver na mudança realizada para 2017, onde os estaduais devem ser enxugados. Essas medidas apontam que a CBF se preocupa apenas com o “alto escalão”. A Semana, mesmo com os pontos positivos que ela traz, “maqueia” os principais problemas do futebol brasileiro.

Definidas as datas para a final da Copa Verde 2016

(Foto: Rafael Ribeiro / CBF)


Depois de definidos os finalistas da Copa Verde 2016, que será decidida entre Gama e Paysandu, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiu essa semana as datas das finais da competição.

Em boa campanha na copa, o clube do Distrito Federal terá a chance de decidir o título em casa no dia 11 de maio. Antes, no dia 4 de maio, as duas equipes se enfrentam no Pará, no primeiro jogo da decisão. As duas equipes buscam o título inédito da competição, sendo que o Paysandu já alcançou o vice-campeonato da copa. O Gama chega pela primeira vez a decisão.

Finais da Copa Verde (os horários são correspondentes ao de Brasília)

04/05 - 20h30 - Estádio Mangueirão - Paysandu x Gama

11/05 - 20h - Estádio Valmir Bezerra - Gama x Paysandu

Apostas em soluções caseiras já rendem segundo fracasso recente no Cruzeiro

(Foto: Divulgação/Cruzeiro)

Nos dois últimos anos, o Cruzeiro optou por buscar soluções "dentro de casa" nos assuntos relacionados ao futebol. No entanto, o desenrolar dessa preferência não mostrou tanto êxito nas escolhas. No final de semana passado, Deivid foi a mais nova vítima da política que privilegiou nomes que já estavam no clube, mas que não obtiveram desempenhos satisfatórios. Antes disso, o clube ainda passou por meses turbulentos ao descartar a contratação de um diretor de futebol fixo para apostar nos cartolas já presentes na agremiação. Nas duas situações, foi preciso sair ao mercado para tentar resolver o problema.

Nos quase quatro meses que esteve à frente do time, Deivid nunca se firmou de forma definitiva. A principal desconfiança que rodeava o treinador durante sua passagem era sua pouca experiência na carreira ainda curta. Mesmo assim, a diretoria preferiu apostar em seu passado recente como auxiliar e no bom convívio com os jogadores. No final do ano passado, após a saída de Mano Menezes, outros nomes foram até procurados, mas a opção pelo auxiliar técnico, na época, foi vista como melhor solução para continuar o bom trabalho do antecessor. Apesar da boa campanha nos números, o comandante pecou na falta de padrão tático, que somada à ausência de jogadores de qualidade, culminaram em sua demissão após a queda no Mineiro.

Em 2015, outra preferência caseira acabou prejudicando bastante o ano celeste. Sem reencontrar o bom futebol do bicampeonato brasileiro, o clube sofreu com o desmanche e não conseguiu repor à altura. Um dos motivos para isso foi o cargo de diretor de futebol, que após a saída de Alexandre Mattos ficou por meses nas mãos de vários cartolas que desempenhavam tarefas diferentes no clube.

Depois que Mattos foi para o Palmeiras, o presidente Gilvan optou por utilizar aqueles que já estavam no clube. Antes disso, o próprio mandatário dividiu suas funções entre a cadeira principal do clube e a diretoria de futebol. Depois, Valdir Barbosa (hoje no Coritiba e na época gerente de futebol) e Benecy Queiroz (supervisor de futebol e atualmente supervisor administrativo) se revezavam na função. Mas o que se viu desde então foi uma série de incoerências e desencontros de informações dos profissionais que bateram cabeça e apenas escancararam a desorganização do setor. Além de contratações pouco convincentes, como Joel, Riascos, Felipe Seymour, Henrique Dourado e Pará, outras negociações frustradas geraram questionamentos da torcida e do técnico Marcelo Oliveira, que acabou demitido após a eliminação na Libertadores.

No meio do ano, Isaías Tinoco foi indicado por Vanderlei Luxemburgo e assumiu o cargo, mas a passagem relâmpago durou pouco mais de um mês. Somente após uma reformulação no final da temporada, Thiago Scuro assumiu o posto e ainda permanece como diretor de futebol, sendo auxiliado pelo vice-presidente de futebol, Bruno Vicintin. Atualmente, a dupla se movimenta para trazer um novo treinador. A primeira opção do clube é Jorginho, hoje no Vasco. Nesta semana, os diretores foram ao Rio de Janeiro para tentar convencer o técnico a se mudar para Belo Horizonte. Aproveitando a viagem, os cartolas ainda buscam contato com Ricardo Gomes, técnico do Botafogo, e que também está na mira da Raposa.

UOL Esporte

Hamilton dá o troco em Rosberg e fecha treinos livres na frente na Rússia

(Foto: Clive Mason/Getty Images)


Depois de ter sido superado na primeira sessão de treinos livres para o GP da Rússia, Lewis Hamilton deu o troco no companheiro Nico Rosberg e foi absoluto no treino disputado no período da tarde, o mais significativo do dia. O alemão, líder do campeonato, não conseguiu tirar o melhor rendimento dos pneus supermacios e foi apenas o terceiro. Mesmo perdendo grande parte da atividade devido a problemas em sua Ferrari, Sebastian Vettel foi o segundo.

Nas simulações iniciais com pneus macios, Hamilton ficou pela primeira vez no final de semana à frente de Rosberg, mas a diferença foi pequena: 139 milésimos. As Ferrari vinham logo atrás, mas seis décimos mais lentas, com Red Bull e Williams se dividindo entre o quinto e oitavo lugares.

Com meia hora de sessão, começaram as simulações de classificação com o pneu supermacio e a mesma tendência da primeira sessão de treinos livres, disputada no período da manhã em Sochi, foi observada, com a dificuldade em tirar o melhor do composto supermacio logo na primeira volta lançada.

Com os pneus mais velozes, Vettel assumiu a ponta. Logo depois, contudo, o alemão parou no meio da pista, com o carro travado na terceira marcha, e teve de ser empurado de volta aos boxes.

A liderança do tetracampeão durou até as Mercedes retornarem à pista, com os pneus supermacios. Hamilton bateu o tempo de Vettel novamente por mais de seis décimos, enquanto Rosberg demorou mais voltas para extrair o melhor do pneu e acabou sendo atrapalhado por uma rodada de Romain Grosjean, que provocou uma bandeira amarela. Com isso, o líder do campeonato acabou ficando com o terceiro lugar.

Kimi Raikkonen foi outro que teve dificuldade em melhorar consideravelmente sua marca com o pneu supermacio e ficou em quarto, a seis décimos do próprio companheiro Vettel. Daniel Ricciardo, que testou a proteção de cockpit proposta pela Red Bull, chamada aerotela, na primeira sessão, foi o quinto, superando a Williams de Valtteri Bottas.

O companheiro de Ricciardo, Kvyat, foi o sétimo e as McLaren surpreenderam, com Jenson Button em oitavo e Fernando Alonso em décimo, com Felipe Massa, que perdeu bastante tempo no primeiro treino devido a um problema de embreagem, em nono.

Felipe Nasr, que estreou nesta sexta-feira seu novo chassi, substituído após o piloto se queixar do comportamento do antigo, manteve a tendência do primeiro treino e ficou bem à frente do companheiro Marcus Ericsson: o brasileiro foi o 19º e o sueco, nove décimos mais lento, o último.

Os carros voltam à pista para a terceira sessão de treinos livres horas antes da definição do grid de largada, às 6h do sábado, pelo horário de Brasília.  A classificação será disputada a partir das 9h do sábado e a largada será no mesmo horário, no domingo.

Confira os tempos da segunda sessão de treinos livres do GP da Rússia
1. Lewis Hamilton ING Mercedes-Mercedes 1m 37.583s
2. Sebastian Vettel ALE Ferrari-Ferrari 1m 38.235s
3. Nico Rosberg ALE Mercedes-Mercedes 1m 38.450s
4. Kimi Raikkonen FIN Ferrari-Ferrari 1m 38.793s
5. Daniel Ricciardo AUS Red Bull-Renault 1m 38.084s
6. Valtteri Bottas FIN Williams-Mercedes 1m 39.185s
7. Daniil Kvyat RUS Red Bull-Renault 1m 39.193s
8. Jenson Button ING McLaren-Honda 1m 39.196s
9. Felipe Massa BRA Williams-Mercedes 1m 39.289s
10. Fernando Alonso ESP McLaren-Honda 1m 39.400s
11. Carlos Sainz Jr ESP Toro Rosso-Ferrari 1m 39.465s
12. Max Verstappen HOL Toro Rosso-Ferrari 1m 39.501s
13. Nico Hulkenberg ALE Force India-Mercedes 1m 39.795s
14. Sergio Perez MEX Force India-Mercedes 1m 39.867s
15. Kevin Magnussen DIN Renault-Renault 1m 40.193s
16. Romain Grosjean FRA Haas-Ferrari 1m 40.260s
17. Esteban Gutierrez MEX Haas-Ferrari 1m 40.508s
18. Jolyon Palmer ING Renault-Renault 1m 40.688s
19. Felipe Nasr BRA Sauber-Ferrari 1m 40.740s
20. Rio Haryanto INA Manor-Mercedes 1m 41.080s
21. Pascal Wehrlein ALE Manor-Mercedes 1m 41.148s
22. Marcus Ericsson SUE Sauber-Ferrari 1m 41.652s

UOL Esporte

Wenger culpa clima ruim no Emirates por temporada decepcionante do Arsenal

(Foto: Carl Recine/Reuters)


O ambiente ruim no Emirates Stadium foi um dos fatores que prejudicaram a campanha do Arsenal na atual edição do Campeonato Inglês, ao menos na opinião do criticado técnico Arsene Wenger. Em entrevista concedida nesta sexta-feira (29), o treinador pediu o apoio das arquibancadas, que fazem campanha por sua saída.

"Perdemos o campeonato em casa contra os times mais fracos, mas jogamos em um ambiente difícil. Temos que perceber que, fora de casa, nós somos campeões. Em casa, contra times menores, perdemos a liga. Esse clube tem valores especiais e um que eu tive experiência ao longo dos anos é que ficamos unidos e apoiamos o time. Não há sucesso sem isso", afirmou o técnico, via Daily Mail.

O argumento dele, no entanto, é falho. Considerados apenas os jogos fora de casa de todos os participantes do Campeonato Inglês, o Arsenal estaria em terceiro lugar, com 30 pontos, uma colocação melhor que a atual, porém a sete pontos do líder Leicester.

Em janeiro, o Arsenal liderava a competição, mas caiu três posições nos meses seguintes e atualmente ocupa a quarta colocação com 64 pontos, 12 atrás do primeiro colocado.

A queda de rendimento não agradou ao técnico, que explicou que o clube voltou a ficar em uma posição competitiva após anos complicados por causa da construção do Emirates Stadium.

"Nossa expectativa é a mais alta e assim é também nossa frustração. Quando construímos o estádio tivemos anos difíceis financeiramente. Tivemos que vender nossos melhores jogadores e sobreviver. Estamos fora daquela posição e em uma boa posição", disse Wenger.

UOL Esporte

Ciclofaixa de Ribeirão prepara evento especial de Dia das Mães

(Foto: Divulgação)


O dia 8 de maio deste ano é a data perfeita para unir duas paixões: mãe e bike. Para comemorar, a Ciclofaixa de Lazer de Ribeirão Preto está preparando um evento especial para todos: o “Pedala Mãe”. A atração ocorrerá no Parque Luís Carlos Raya, localizado no Jardim Botânico, zona sul da cidade. A participação será gratuita.

As mamães, em especial, receberão dicas de saúde e cuidados para a mulher e gestantes, aulas de alongamento, Zumba e Mat Pilates, massagem, distribuição de kits para cuidado com o cabelo, degustação de energéticos, atividades recreativas, gincanas, além de ter mesa de frutas, água e uma escola de ciclismo especial para unir a família. Também serão distribuídos brindes de apoiadores que terão tendas espalhadas pelo parque.

Para aquelas famílias que gostam de pedalar, a Ciclofaixa dará 50% de desconto no aluguel das bicicletas para as mães acompanhadas de seus filhos. E não tem desculpa para as mães e/ou filhos maiores de 18 anos que não sabem andar de bicicleta. Uma escola especializada em aulas de ciclismo para adultos ensinará aquelas pessoas que têm dificuldades em pedalar.

Para as crianças, será reservado um espaço com atividades esportivas, recreação com monitores e pedala kids.

“Andar de bicicleta é maravilhoso. Poder fazer isso ao lado de pessoas que amamos, como nossa mãe, é muito mais prazeroso. Com esse objetivo, tivemos a ideia de realizar o Pedala Mãe junto de nossos parceiros e patrocinadores. A ideia é também proporcionar um super domingo de lazer para todos os gostos e unir a família no Raya”, afirma Danilo Terra, coordenador da Ciclofaixa de Lazer.

O projeto é uma iniciativa da Ciclofaixa e conta com o patrocínio do Banco do Brasil Seguros. O apoio é da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto, Kataventus Recreação Infantil, Decathlon, Ativme, Brasil Nativa, Healtha Center, Juliana Estética, Vichy, Bike Center, São Francisco Saúde e Pacer Academia.

Serviço
Pedala Mãe
Dia: 08/05/2016
Horário: 8h – 13h
Local: Parque Luís Carlos Raya
Rua Severino Amaro dos Santos, s/nº, Jardim Botânico

(Foto: Divulgação)

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Calleri retorna no segundo jogo contra Toluca após punição na Libertadores

(Foto: Martin Alipaz / EFE)


Depois da expulsão no jogo contra o The Strongest, o atacante Jonathan Calleri foi julgado pelo Tribunal Disciplinar da Conmebol e recebeu apenas a punição de um jogo na Taça Libertadores. Neste caso, o jogador não entra em campo daqui a pouco contra o Toluca, no Estádio do Morumbi, pelas oitavas de final da competição.

A defesa do atacante alegou que a expulsão de Calleri foi injusta. Imagens de televisão e fotos foram usadas na defesa do atleta, que mostra o jogador são-paulino sendo agredido pelos jogadores adversários ao final do jogo. Na súmula, o árbitro chileno Roberto Tobar relatou que a expulsão foi por xingamentos a torcida do The Strongest. A defesa negou o fato e apresentou uma carta, escrita de próprio punho pelo jogador, relatando o que ocorreu naquela confusão.

Com isso, Calleri cumprirá pena apenas no jogo desta quinta-feira (28) em São Paulo, podendo retornar ao time na Libertadores no México, no jogo de volta contra o Toluca. O Tribunal é presidido por Caio Rocha, que não participou do caso por ser brasileiro, mesma situação do boliviano Alberto Lozada. Completaram o julgamento Adrián Leiza Zunino (uruguaio), Carlos Tapia Aravena (chileno) e Orlando Morales Leal (colombiano).

Ponto de Opinião: O jogo foi quente para os dois lados e o São Paulo foi heroico em conseguir o empate. Infelizmente, casos como esse não são isolados na Libertadores, e principalmente contra os brasileiros. Foram alegados vários fatos para o início da confusão, como a "certeza" de Calleri que o tricolor iria se classificar e reunião dos clubes com a Conmebol sobre uma liga presidida e "vantajosa" para os clubes do Brasil. Essa situação está longe de acabar, pois os bolivianos sim precisam de uma punição, que não deve acontecer tão cedo.

SP oferece Lucão, mas Porto quer outros dois jovens para vender Maicon

(Foto: Robson Ventura/Folhapress)


O São Paulo negocia com o Porto a permanência do zagueiro Maicon, emprestado pelos portugueses até 30 de junho, e nesse momento enfrenta um entrave para evoluir nas conversas: nesse momento o Porto quer o lateral-esquerdo Inácio, 20, e o zagueiro Lyanco, 19. O São Paulo já aceitou ceder o primeiro, mas se recusa a incluir o segundo na transação. E tenta outra solução.

O que a diretoria são-paulina propõe ao Porto é a cessão de Lucão, 20, também zagueiro, além de Inácio, para fechar a negociação. A oferta já foi feita, mas ainda não respondida pelo clube português. 

"Estamos colocando toda nossa inteligência e nosso esforço nisso. Eles agora perceberam um pouco isso, o Maicon está em evidência, então já estão dificultando um pouco nossa vida. O Porto quer o Inácio, e a gente quer que o Porto queira o Inácio e o Lucão. E agora eles querem o Lyanco, que não queremos dar. É uma trama complicada, delicada, você corre o risco de colocar tudo a perder em uma palavra mal colocada. Mas, fundamentalmente, o Maicon quer ficar", disse o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, em entrevista ao UOL Esporte. 

O São Paulo trata Maicon como prioridade absoluta, mas também aproveita para conversar com o Porto sobre a permanência de Kelvin - o atacante, diferentemente do zagueiro, tem contrato de empréstimo até o fim do ano. A diretoria são-paulina pretende incluir Kelvin na mesma negociação caso o Porto dificulte e peça compensação financeira além de Lucão e Inácio para liberar Maicon.

Lyanco foi considerado inegociável nessas condições porque o São Paulo o vê como um dos jogadores com o maior potencial de mercado. Descendente de iugoslavos, ele tem defendido a seleção sub-19 da Sérvia e agora foi convocado à categoria sub-21 - a geração sub-20 da Sérvia foi campeã do mundo em 2015. Além disso, Lyanco também foi chamado na última lista da seleção brasileira sub-20.

Apesar de não estar sendo utilizado pelo técnico Edgardo Bauza, Lyanco foi apontado pelo ex-treinador colombiano Juan Carlos Osorio como o atleta de maior potencial do elenco e é tratado como jóia pela diretoria são-paulina.

Lucão, apesar de também ser considerado jogador de grande potencial e de defender a seleção brasileira sub-20, sofre com críticas da torcida. Na reta final do Brasileirão de 2015 o jovem zagueiro cometeu falhas que renderam reclamações, e acabou exposto principalmente depois do histórico 6 a 1 para o Corinthians, no qual ele cometeu erros em três gols marcados pelo rival. No início de 2016, ele voltou a falhar em Itaquera e, desde então, recebe poucas chances na equipe.

Maicon, ex-capitão do Porto, chegou por empréstimo ao São Paulo após a lesão de Breno, que era esperado para ser o titular ao lado de Rodrigo Caio em 2016. Com a irregularidade de Diego Lugano, Maicon se tornou protagonista na equipe e flerta com a condição de atual preferido da torcida depois de ter terminado a decisão contra o The Strongest, na Bolívia, como goleiro, depois da expulsão de Denis.

UOL Esporte

Red Bull vai testar proteção tipo avião de caça pela 1ª vez na Rússia

(Foto: Twitter/Reprodução)


A Red Bull vai testar seu sistema de proteção de cockpit durante os treinos livres para o GP da Rússia, que acontecem em duas sessões nesta sexta-feira. A expectativa é que o dispositivo seja utilizado somente em uma volta de instalação, mas a equipe ainda não definiu qual dos pilotos fará o experimento.

A proteção é considerada mais atraente visualmente do que o halo, testado pela Ferrari na pré-temporada. Porém, a Red Bull precisa comprovar para a FIA que o sistema é eficiente. A federação quer introduzir a proteção já na próxima temporada e está inclinada a optar pela polêmica solução usada pela Scuderia e desenvolvida pela Mercedes.

Proteção testada pela Ferrari
A Red Bull já testou seu modelo, que se assemelha à proteção de um avião de caça, em simulações estáticas e seus pilotos já a utilizaram no simulador do time. A ideia de fazer o teste na pista é tentar conquistar os fãs, que não aprovaram, em sua maioria, a solução experimentada pela Ferrari.

Mas a estética não será um fator primordial na escolha, como já avisou o diretor de provas da FIA, Charlie Whiting, em coletiva de imprensa.

"Pessoalmente, eu diria que é esteticamente mais agradável a solução (da Red Bull). Mas é apenas uma questão de gosto. No entanto, se ambas as soluções funcionarem igualmente bem em testes, eu ficaria surpreso se houver um enorme desejo de manter o halo."

UOL Esporte

Nasr se livra de carro 'imprevisível' e terá novo chassi no GP da Rússia

(Foto: Mark Thompson/Getty Images)


Os pedidos de Felipe Nasr foram atendidos e o brasileiro terá um novo chassi a partir do GP da Rússia. O piloto vinha reclamando desde o início do ano do comportamento 'imprevisível' de seu carro e vinha sendo consistentemente mais lento que o companheiro Marcus Ericsson, que não sentia os mesmos problemas.

"Posso confirmar que terei um novo chassi aqui, ainda que tenhamos de lembrar que um carro de F-1 é feito de vários componentes, e isso é apenas uma parte. É uma passo importante por parte da equipe, pois estamos tentando identificar os problemas de condução que eu tenho tido", afirmou o brasileiro durante entrevista coletiva em Sochi.

Nasr estava feliz com o carro durante a pré-temporada. Porém, na ocasião, ele e o companheiro Marcus Ericsson dividiam o mesmo chassi, como ocorre normalmente durante os testes. Assim que o brasileiro pilotou seu próprio carro, na primeira etapa, na Austrália, sentiu uma grande diferença.

"Desde que colocamos o carro na pista na Austrália, tivemos esse comportamento estranho, muito imprevisível, então temos um chassi novo aqui e veremos o que acontece."

Mesmo com a troca tendo sido feita, a Sauber não identificou qual seria o problema do chassi anterior. "Não conseguimos identificá-lo. Mas são várias possibilidades, e para verificar tudo precisamos de recursos e tempo. Os carros não voltaram para a fábrica. Seria bom ver todos os detalhes se for possível. Tenho certeza de que eles estão fazendo tudo o que podem com o que temos no momento."

Os problemas surgem em um péssimo momento para a Sauber, que sofre com a falta de recursos e chegou a atrasar o pagamento de seus funcionários recentemente. A própria chefe da equipe, Monisha Kaltenborn, reconhece que o time pode ter de parar o desenvolvimento do carro atual bastante precocemente na temporada devido à falta de recursos e às extensas mudanças de regulamento que estão programadas para 2017.

UOL Esporte

Grêmio sofre com 'problema conhecido', perde para o Rosario e se complica

(Foto: Nabor Goulart/AP)


Um problema conhecido atrapalhou o Grêmio. Nesta quarta-feira (27), o time brasileiro levou mais um gol de lançamento para área, o terceiro desde a saída de Pedro Geromel da equipe, e perdeu por 1 a 0 para o Rosario Central, em casa. A partida abriu as oitavas de final da Libertadores e complicou a classificação. 

Agora, no duelo de volta marcado para a próxima quinta-feira, em Rosario, o Tricolor precisa vencer por dois ou mais de diferença. Ou um, desde que marque dois ou mais como visitante. Em caso de 1 a 0, a decisão da vaga nas quartas vai para os pênaltis. 

O gol do Rosario Central saiu em uma cobrança de fata curta. Na segunda bola, os argentinos ergueram para área, Bressan cabeceou para trás e a bola sobrou com o centroavante Marco Ruben, que bateu forte para fazer o gol do jogo. Desde a saída de Geromel do time, por causa de um quadro de caxumba, foi o terceiro gol em bola aérea no terceiro jogo. Ao todo, mais da metade dos sofridos na temporada foram desta forma. 

A torcida, impaciente, vaiou a equipe ao fim do primeiro tempo. Também reflexo da queda para o Juventude nas semifinais do Gauchão no último fim de semana. 

GRÊMIO 0 X 1 ROSARIO CENTRAL

Data: 27/04/2016 (quarta-feira)
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Victor Carrillo (PER)
Auxiliares: Johnny Bossio e Braulio Cornejo (PER)
Público 34. 621 (total)
Renda: R$ 1.271,921,00
Cartões amarelos:  Walace (GRE), Bressan (GRE), Maicon (GRE), Bolaños (GRE); Pinola (RC), Burgos (RC), Cervi (RC), Musto (RC), Lo Celso (RC); 
Gols: Marco Ruben, do Rosario Central, aos 14 minutos do primeiro tempo; 

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Ramiro, Fred, Bressan e Marcelo Oliveira; Maicon (Everton), Walace, Giuliano e Douglas (Lincoln); Luan e Miller Bolaños (Bobô).
Técnico: Roger Machado

ROSARIO CENTRAL
Sosa; Salazar, Burgos, Donatti e Pinola; Montoya, Musto, Fernández e Cervi (Gil Romero); Herrera e Marco Ruben (Lo Celso).
Técnico: Eduardo Coudet

UOL Esporte

Volante comenta expectativa de estreia do Botafogo-SP no Campeonato Brasileiro

(Foto: Luis Augusto/Agência Botafogo)


A partir do dia 22 de maio, 20 equipes começam a disputa da série C do Campeonato Brasileiro. Divididas em dois grupos de 10 times, as partidas acontecem em turno e returno e quatro clubes se classificam para a próxima fase, além de duas equipes de cada chave que caem para a série D de 2017.

Na expectativa da sua volta a terceira divisão, o Botafogo de Ribeirão preto vive um dilema para este ano. Após um Campeonato Paulista irregular, onde o tricolor foi ameaçado de rebaixamento até a última rodada, o Brasileiro pode se tornar um divisor de águas para a próxima temporada. E uma peça importante para o sucesso para esse campeonato é o volante Rodrigo Thiesen. 

Titular do Pantera desde o ano passado, o atleta não esconde a ansiedade de participar da competição, que para ele é bem mais difícil e decidida nos detalhes do que o estadual e até mesmo do que a série D nacional, onde o tricolor foi campeão em 2015.

“Começamos o trabalho sabendo que fizemos nossa parte no primeiro semestre, que era deixar o time na elite do Paulista. Agora vem a Série C. São vários times que têm história e tradição. É uma competição muito equilibrada e vamos fazer uma grande preparação para conquistar o objetivo do Botafogo, que é o acesso”, diz.

A primeira partida do Botafogo será contra o Mogi Mirim, no Estádio Santa Cruz, o que pesa ainda mais em uma boa estreia do Brasileirão. Para Thiesen, o trabalho da diretoria e o empenho da comissão técnica e jogadores podem fazer a diferença. “A diretoria está contratando, o que é bom. Aumenta a disputa do elenco. E vai contratar ainda mais peças de qualidade para nos deixar mais fortes. Estamos já começando os trabalhos e vamos fazer uma grande preparação. O objetivo está traçado que é o acesso”, finaliza.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Irritado com rótulo de salvador, Varlei quer "trabalho com início" no Bafo

O técnico Varlei de Carvalho não quer mais o rótulo de “salvador” no Comercial. Depois de salvar o Leão do Norte pela quarta vez de um rebaixamento em sua carreira, o comandante afirmou que gostaria de iniciar um trabalho no clube, e não chegar com uma competição em andamento - geralmente com o time lutando para deixar as últimas posições.

- No Comercial toda vez é assim. Eu vou para salvar, livrar, tirar do rebaixamento. Isso aí é um negócio que irrita. Quando você chega e monta o elenco é diferente, você conhece o grupo - desabafou Varlei à rádio CBN Ribeirão.

Segundo o presidente do Leão do Norte, Brenno Spinelli, Varlei é o primeiro nome da diretoria para dirigir o Comercial na Copa Paulista, e seu acerto pode acontecer até o fim desta semana. Em 2016, Varlei chegou ao clube na metade da Série A3 do Paulista. Em oito jogos, ele conseguiu três vitórias, quatro empates e sofreu apenas uma derrota. O time, que frequentou a zona de rebaixamento, terminou a competição em 11º lugar, com 27 pontos.

Globo Esporte

Itália escolhe Federica Pellegrini como porta-bandeira na abertura dos Jogos

O Comitê Olímpico Italiano (CONI) anunciou nesta quarta-feira que a nadadora Federica Pellegrini, medalhista de ouro nos 200 metros livres em 2008, e prata na mesma prova em 2004, será a porta-bandeira do país na Cerimônia de Abertura dos Jogos do Rio de Janeiro.

A opção pela experiente nadadora foi feita após reunião entre dirigentes das diversas federações esportivas do país, realizada no Foro Itálico, e anunciada pelo presidente do (CONI), Giovanni Malagó, por meio de comunicado.

Pellegrini, de 27 anos, será a quinta mulher porta-bandeira da Itália em Abertura de Jogos Olímpicos, e a primeira atleta da natação a ter essa função.

"É a coroação de anos e anos de carreira, feitos de grandes derrotas e grandíssimas vitórias", escreveu a italiana, em seu perfil no Twitter.

A Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos acontecerá em 5 de agosto, no estádio do Maracanã, na capital fluminense.

UOL Esporte

"Estou pronto para o melhor da minha vida", diz Fratus sobre a Rio-2016

(Foto: Satiro Sodré/SS Press)


Chamado pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil) para dar uma palestra na última sexta-feira (22), o ex-jogador de vôlei Giba, 39, levou à sede da entidade as três medalhas olímpicas que obteve durante a carreira. Exibiu as láureas na frente da plateia e fez com que elas circulassem entre o público, composto majoritariamente por atletas que haviam se classificado para a Rio-2016. Quando chegaram ao nadador Bruno Fratus, 27, ele se deteve no ouro de Atenas-2004. Esfregou o objeto em silêncio por alguns instantes como se quisesse retirar bons fluídos dali. A menos de quatro meses dos Jogos Olímpicos deste ano, a maior esperança de pódio individual das piscinas brasileiras tem motivos de sobra para ver diante de si a grande chance da carreira.

“Eu nunca estive tão bem fisicamente, emocionalmente ou mentalmente. O Bruno de hoje dá um pau desgraçado no Bruno de quatro anos atrás. Estou bem confiante que estou na melhor forma de todo o ciclo”, disse Fratus em entrevista ao UOL Esporte. “Estou pronto para fazer destes Jogos a melhor e maior competição da minha vida. É esse o empenho que eu estou colocando na preparação”, completou.

Fratus foi o quarto colocado dos 50 m livre em Londres-2012. Nadou a prova em 21s61 e ficou a dois centésimos do compatriota Cesar Cielo, 29, que obteve o bronze – o francês Florent Manaudou completou o percurso em 21s37 para faturar o ouro olímpico.

“Eu sou atleta há dez anos. Vou estar com 27 anos na Olimpíada, e na próxima eu vou ter 31. Não teria problema nenhum se eu fosse campeão olímpico nestes Jogos, nadasse a prova mais rápida da minha carreira e porventura não conseguisse manter os resultados. Se o resultado desta Olimpíada for o que eu venho buscando em dez anos de natação profissional e depois disso eu venha a cair, não vou ficar lutando contra”, disse Fratus.

Até hoje, o único ouro olímpico da natação brasileira saiu justamente dos 50 m livre. O feito foi obtido por Cesar Cielo, 29, em Pequim-2008. Depois disso, o paulista dominou a prova em âmbito nacional até o ano passado, quando foi destronado por Fratus no Troféu Maria Lenk.

Aquele resultado corroborou um processo de evolução de Fratus, mas foi uma espécie de virada no jogo. Depois do Maria Lenk de 2015, o nadador engatou bons tempos. Conquistou a medalha de bronze nos 50 m livre do Mundial de esportes aquáticos de Kazan (Rússia) com 21s55 e nadou a prova em 21s37 na primeira seletiva brasileira, em Palhoça (SC).

A evolução de desempenho entre as duas provas tem a ver com um processo de reconstrução do nado de Fratus. O velocista treina em Auburn (Estados Unidos) com Brett Hawke, mentor de Cielo no ouro olímpico de 2008. O técnico tem trabalhado para mudar totalmente a biomecânica de largada do brasileiro.

“Em Palhoça eu consegui executar bem a largada. Fez uma baita diferença na minha prova. A gente continua trabalhando e evoluindo, buscando uma constância nessa saída. O plano não é chegar ao Rio fazendo dez saídas perfeitas a cada dez, mas melhorar. Se eu fazia 50%, cada saída pode ser 80% ou 90%. Buscamos a eficiência nessa saída para chegar ao Rio a ponto de não ficar dependendo de um acerto. É chegar lá e fazer”, explicou Fratus.

Nadador sofre com dor nas costas e lamenta resultado deste ano

Fratus nadou os 50 m livre em 21s74 e conquistou o Troféu Maria Lenk de 2016. Além disso, ratificou uma das vagas brasileiras para a prova nos Jogos Olímpicos – cada país pode inscrever até dois atletas por disputa individual, e Ítalo Duarte será o outro representante nacional.

A reação de Fratus depois da prova, contudo, diz muito sobre o nadador. Ainda na área da piscina do Estádio Aquático Olímpico, questionado acerca da prova que havia acabado de vencer, ele foi enfático: “Foi horrível”.

“Tenho lidado há duas ou três semanas com um desconforto na lombar, apesar de estar trabalhando com todo suporte médico da CBDA [Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos] e do COB. Eu andei dando uma travadinha antes da competição”, relatou Fratus. “Quando você usa, acaba gastando um pouco. Fiz um movimento esquisito no treino, pegou de mal jeito, e eu ainda dormi errado por cima. Ficou meio chato para tirar. É uma série de contraturas, mas a gente está trabalhando para que isso não volte e que não aconteça mais”, adicionou.

O tempo de Fratus no Maria Lenk foi o sexto melhor da temporada. Entretanto, ficou aquém dos 21s37 que ele havia registrado em Palhoça (segunda melhor marca do planeta em 2015).

O futuro: Fratus voltará a treinar nos EUA e descarta nadar revezamento

Além de tratar a contratura nas costas, Fratus voltará a treinar em Auburn durante a fase final de preparação para os Jogos Olímpicos. A ideia do brasileiro é disputar apenas algumas competições nos Estados Unidos até a Rio-2016, mas esse cronograma ainda não foi fechado. Não haverá ações especiais – treino em altitude ou viagens para países com condições específicas de clima, por exemplo.

A preparação de Fratus para os Jogos Olímpicos será exclusivamente voltada aos 50 m livre. O nadador não pretende nem treinar os 100 m livre – ele fez parte do revezamento que conquistou o quarto lugar do 4x100 m livre em Kazan-2015.

“Acho que há muito tempo o 4x100 m livre do Brasil não faz tanto sentido. Você tem quatro nadadores de 100 metros. Você não tem dois de 100 metros, um de 200 metros e um de 50 metros. Não consigo lembrar a última vez em que o revezamento fez tanto sentido. Com isso sendo dito, minha prova é a de 50 m livre. Foi a prova em que eu me classifiquei. Vou focar nisso. É natural que seja isso”, avisou Fratus.

“Eu estou para fazer isso há muito tempo. Não treino para os 100 m livre, não gosto de nadar os 100 m livre. Não é algo que me dá prazer de competir. Lógico, eu adoro estar no revezamento e quero ajudar minha equipe. Quero estar com os moleques no fervor do momento, competir e ajudar. Mas eu acho que eu tenho, se não nada, muito pouco a acrescentar a esse time. Eles estão muito bem do jeito que estão”, completou o nadador.

O fato de ter descartado o revezamento, porém, não encerra a ideia de “equipe” para Fratus. O nadador ainda espera ter uma contribuição para o todo da natação brasileira na Rio-2016.

“Eu não chego lá, nado meus 50 m livre e vou embora. Eu sou parte do time e quero que todo mundo se dê bem. Quero que todo mundo esteja no auge da motivação em todos os dias, bem, em forma. Encho o saco dos caras quando vejo alguém comendo errado no refeitório ou fazendo bagunça no hotel até tarde da noite. Eu boto todo mundo para dormir. Quero ajudar o time. Não quero nadar minha prova, tirar foto e ir embora”, avisou.

UOL Esporte

F1 correrá em 1º de maio pela 1ª vez desde morte de Senna



Neste final de semana, o GP da Rússia irá marcar uma curiosidade na Fórmula 1. Pela primeira vez em 22 anos uma prova será realizada em um 1º de maio. O fim de semana do Dia do Trabalho, feriado mundial, marcou no ano de 1994 o que é para muitos o evento mais trágico da Fórmula 1 em sua história.

Foi naquele final de semana que o tricampeão Ayrton Senna morreu em decorrência de um acidente na curva Tamburello na sexta volta do GP de San Marino, disputado em Imola, Itália.

A fatalidade envolvendo o brasileiro, vencedor de 41 corridas e recordista de pole positions na época com 65, foi a página mais sofrida de um final de semana negro.

Leia mais




Na sexta-feira, Rubens Barrichello bateu forte na Variante Bassa e acabou ficando desacordado dentro de seu carro. O brasileiro foi vetado pelos médicos após ter engolido sua língua e ter sofrido cortes no rosto.

No sábado, o austríaco Roland Ratzenberger sofreu um grande acidente na curva Villeneuve depois de perder sua asa dianteira na parte mais rápida do circuito. O impacto e o chassi de baixa qualidade da Simtek fizeram o piloto ter morte instantânea após ter fraturas no pescoço e contusões cerebrais.

No domingo, Ayrton Senna perdeu o controle de sua Williams na volta seis por razões até hoje divergentes e bateu no muro da curva Tamburello. Ele foi golpeado na viseira do capacete fortemente com uma das barras de suspensão da roda dianteira direita. Senna acabou tendo contusões sérias na cabeça que o levaram à morte cerebral mais tarde naquele dia.

2016 voltará a ver uma corrida no dia 1º de maio. Desta vez, após as lições de segurança aprendidas em 1994, será no moderníssimo e seguro circuito de Sochi.

Prova da segurança da pista foi o acidente sofrido pelo espanhol Carlos Sainz Jr no treino livre 3 do último ano. Mesmo batendo em alta velocidade em um muro após perder o controle de sua Toro Rosso, o piloto pôde correr no domingo após ter a participação na classificação vetada.

Motorsport

Atacada, Conmebol rebate e exige de times melhores estádios na Libertadores



Pressionada por pedidos de cotas maiores, a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) vai rebater os clubes e pedir em troca uma melhoria nas condições de segurança dos estádios. A entidade admite deficiência em diversos locais de jogos da competição. Há previsão de uma reunião em maio entre a Conmebol e a Liga Sul-Americana de clubes.

Os times do continente se reuniram em uma liga para fazer reivindicações à confederação. Exigem maiores cotas pela sua participação na Libertadores e a transparência de todos os contratos de televisão e marketing para saber qual a fatia que lhes é destinada.

Após o início do movimento, a Conmebol já aumentou a cota de US$ 300 mil para US$ 600 mil por jogo. E promete também um incremento considerável nos pagamentos pela Copa Sul-Americana que eram de US$ 150 mil por partida. Mas faz um contra-ataque.

“Como contrapartida pelo aumento de cotas, queremos discutir uma melhoria nas condições de segurança dos estádios. Entendemos que o dinheiro deve ir não só para os clubes e jogadores como também para a melhoria das condições do torcedor'', afirmou o diretor de competições da Conmebol, Hugo Figueredo. “Há grandes clubes na América do Sul que têm nome, mas não tem um estádio nas condições do seu tamanho.''

A entidade elabora um manual para estádios similar ao que tem sido feito pela CBF. Haverá regras para itens desde padronização de gramados a medidas de segurança para torcedores. Não há data para implementação.

O alvo não é o Brasil. Figueredo apontou que o país, após a Copa-2014, tem os melhores equipamentos do continente.

A conversa com entre a Conmebol e os clubes deve acontecer em maio.''Estamos abertos a conversar. Temos que ver se todos os clubes têm a mesma proposta. Agora, vimos que o grupo cresceu bastante para 38″, analisou Figueredo sobre a última reunião da Liga Sul-Americana em São Paulo.

Neste encontro, houve divergências entre times brasileiros e de outros países que quase levaram ao racha da entidade. A diretoria da Conmebol percebeu as diferenças entre os clubes. Resta saber se eles estarão unidos na próxima reunião.

UOL Esporte

Giovanni Augusto reforça desejo de fazer história no Corinthians

(Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians)


O dia 16 de abril de 2016 tinha tudo para ser um dos mais especiais de Giovanni Augusto na carreira. Ele entrou como titular do Corinthians para enfrentar o Red Bull Brasil no jogo válido pelas quartas-de-final do Campeonato Paulista. A partida, disputada na Arena Itaquera, foi a de número 200 de Giovanni Augusto como profissional.

Para coroar a marca significativa, Giovanni Augusto abriu o placar do duelo logo aos 17 minutos após um belo voleio. Porém, aos 30 minutos da etapa inicial, ele sofreu uma lesão e teve que deixar a partida. O jogador teve diagnosticada, através de um exame de ressonância magnética, lesões no pé e tornozelo esquerdo. Os profissionais do departamento médico do Timão deram prazo de um mês para o retorno aos gramados.

No entanto, Giovanni Augusto vem tratando intensamente para retornar o mais breve possível visando a reta final da Libertadores e o início do Campeonato Brasileiro. Demonstrando profissionalismo, o meia chega a realizar diariamente três períodos de tratamento e ele faz questão de tranquilizar a nação corintiana de que o seu retorno está próximo. “Fiquei muito chateado pela lesão, pois estava num bom momento, confiante e no meu auge físico. Infelizmente tive essa lesão, mas o que eu posso passar ao torcedor que estou mais motivado para retornar ainda melhor. O Corinthians tem excelentes profissionais que estão me dando todo o suporte para logo estar de volta”, declarou o meia que tem 16 partidas com a camisa alvinegra e vinha sendo titular absoluto.

Vivendo o seu melhor momento na carreira, Giovanni Augusto faz uma análise da trajetória profissional após chegar aos 200 jogos. “É uma marca significativa para mim. Não é fácil subir aos profissionais e atingir esse número de jogos. Vivo um momento especial, realizando um sonho de jogar num dos maiores clubes do Brasil, são poucos que tem esse privilégio. Tive momentos conturbados como em 2013, quando fui afastado do Náutico, após não garantirmos vagas nas finais do estadual e fiquei três meses treinando em separado. Porém, dei a volta por cima tendo ótima passagem pelo ABC e ajudando o time a se manter na Série B. Depois fui campeão estadual pelo Figueirense e ganhei projeção nacional pelo 1º gol marcado na Arena Itaquera. Ano passado fui o terceiro melhor meia do Brasileirão com cinco gols e 10 assistências pelo Atlético Mineiro”, resumiu o atleta de 26 anos.

Consolidado como um dos grandes meias no momento do futebol brasileiro, Giovanni Augusto quer mais e projeta a sequência da carreira. “Quero fazer história no Corinthians. Estou totalmente adaptado ao clube e trabalhar com o Tite está sendo algo sensacional. Desejo conquistar títulos e fazer mais gols, principalmente em nosso estádio. Foi gratificante comemorar aquele gol diante do Red Bull, pois os gols que havia marcado tinha sido como visitante”, destacou o meia que tem três gols e duas assistências pelo Timão.

Números de Giovanni Augusto na carreira:

Atlético Mineiro: 59 jogos – 29 vitórias, 12 empates, 18 derrotas e 6 gols

Náutico: 40 jogos – 17 vitórias, 5 empates, 18 derrotas e 6 gols

Barueri: 10 jogos – 3 vitórias, 2 empates e 5 derrotas

Criciúma: 26 jogos – 13 vitórias, 4 empates, 9 derrotas e 3 gols

ABC: 13 jogos – 8 vitórias, 1 empate, 4 derrotas e 2 gols

Figueirense: 36 jogos – 15 vitórias, 8 empates, 13 derrotas e 6 gols

Corinthians: 16 jogos – 11 vitórias, 3 empates,  2 derrotas e 3 gols

Total: 200 jogos – 96 vitórias – 35 empates, 69 derrotas e 26 gols

AV Assessoria

terça-feira, 26 de abril de 2016

CBF vai exigir campeão e vice de estaduais na Primeira Liga

(Foto: Buda Mendes / Getty Images)


A queda de braços entre grandes clubes do futebol brasileiro e a CBF, por causa da Primeira Liga, promete novos capitulos até 2017. A confederação condiciona o apoio formal à nova entidade se campeões e vices dos Estaduais do Rio, Minas, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina estiverem na próxima edição do torneio organizado pela Liga.

Na prática, isso poderia excluir da competição alguns de seus fundadores, como Grêmio, Cruzeiro e Flamengo. Esses clubes estão fora da final de seus respectivos Estaduais. O Fluminense,  por ter conquistado o título deste ano da Liga, teria vaga assegurada. Na hipótese dessas ausências, a competição estaria descracterizada e inviabilizada.

A CBF ja sinalizou de que lado vai ficar em razão das polêmicas que começam a surgir. Internamente, conforme apurou o Terra , dá apoio à manifestação da federação carioca de credenciar Vasco e Botafogo à edição do torneio em 2017. Os dois vão disputar a final do campeonato do Rio em duas partidas.

A Primeira Liga, porém, atesta que é independente da CBF e das federações e que, por isso, não dependeria de critérios dessas entidades para definir o formato de seu torneio. A entidade sofreu no ano passado e no início de 2017 uma forte campanha da CBF, que agia nos bastidores, para que não prosperasse. Apesar da oposição da confederação, conseguiu organizar seu torneio, vencido pelo Fluminense na semana passada e que teve ótima aceitação do público.

Para a CBF, a Liga representa uma ameaça, uma vez que a confederação não admite perder o controle das grandes competições nacionais para os clubes.

Terra

Comercial-SP confirma participação na edição de 2016 da Copa Paulista

(Foto: Rafael Alves/Divulgação)


O Comercial-SP estará na Copa Paulista 2016. Sem calendário para o decorrer do ano, o alvinegro de Ribeirão Preto (SP) confirmou sua presença na competição após solicitar a participação junto a Federação Paulista de Futebol (FPF).

Segundo a assessoria do clube, o Comercial encaminhou uma carta para a FPF solicitando a participação do Leão, já que sua posição final na série A3 do Campeonato Paulista (11º lugar), não dá o direito a participação na Copa Paulista. A carta foi respondida pela Federação questionando se o Comercial teria ou não o interesse em jogar a competição. De forma positiva, segundo a assessoria, o Leão do Norte confirmou sua disposição.

A tabela da Copa Paulista ainda não foi divulgada, bem como os seus participantes. A competição deve ocorrer no segundo semestre deste ano. O vencedor terá o direito de participar da Copa do Brasil de 2017 e brigar por uma das vagas para a série D do Campeonato Brasileiro devido ao aumento de participantes a partir de 2016.

Expulsão do amigo Ataíde indica eleição apertada para Leco em 2017

(Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)


A cassação do mandato de conselheiro que expulsou o ex-vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro da vida política do São Paulo indica o teor da corrida presidencial para abril de 2017, segundo analisaram antes e depois aliados dele e do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. Para parte significante dos situacionistas, a expulsão de Ataíde, amigo de Leco, representou uma derrota política preocupante - a decisão das expulsões de Guerreiro e do ex-presidente Carlos Miguel Aidar foi tomada na noite de segunda.

O parecer que sugeriu a expulsão de Gil Guerreiro obteve 120 votos favoráveis e apenas 56 contrários. O ex-vice-presidente de futebol atualmente ocupava a diretoria institucional da gestão Leco - pediu demissão imediatamente após a cassação de seu mandato - e teve os votos favoráveis vindos predominantemente daquela que hoje consiste a base aliada situacionista (ouça também a avaliação de PVC e Mauro Beting sobre a expulsão de Ataíde. Clique aqui).

Votaram pela expulsão de Ataíde Gil Guerreiro os aliados de Carlos Miguel Aidar - também expulso - e também conselheiros de diferentes partidos que hoje se colocam como oposição à atual gestão. Tal cenário mostra, na análise de aliados de Leco, que o atual presidente terá que no mínimo fazer novas alianças com partidos que hoje estão na oposição para ter chance de se reeleger em abril de 2017.

Como Leco foi eleito após a renúncia de Aidar, em outubro de 2015, assumiu um mandato já corrente e terá de concorrer à reeleição daqui a um ano. A cassação de Ataíde Gil Guerreiro dará início, agora, ao cenário político para a próxima eleição.

Há outros aliados de Leco, porém, que não analisam dessa forma. Afirmam que a votação expressiva pela expulsão de Ataíde não reflete o cenário político do clube porque Leco não se posicionou formalmente pela absolvição de Gil Guerreiro. Na reunião de segunda-feira Leco se mostrou muito abatido pela cassação do mandato de conselheiro do amigo.

Ataíde Gil Guerreiro recebeu a mesma punição de Aidar, mas por motivos diferentes. O comitê de ética presidido por José Roberto Ópice Blum classificou como "tentativa de homicídio" a agressão do ex-vice de futebol a Aidar no dia 5 de outubro, no Hotel Radisson - na ocasião, Gil Guerreiro relata ter segurado o então presidente pelo pescoço e ameaçado desferir-lhe um soco no rosto, não concretizado. O órgão também repudiou a decisão de Gil Guerreiro de ter divulgado à imprensa a gravação que fez dias antes da briga, na qual Aidar parece propor desviar e repartir a comissão na contratação de um jogador da Portuguesa.

Foi usado contra Ataíde, também, o contrato firmado com o advogado José Roberto Cortez, no qual, segundo Aidar, o ex-vice teria autorizado um comissionamento de 20%. Gil Guerreiro afirma que a contratação do advogado teria comissionamento direcionado a Cinira Maturana, namorada do ex-presidente.

Aidar, denunciado por suspeitas de desvios durante a gestão, teve o parecer pela expulsão aprovado por 142 conselheiros e contrariado por 36.

UOL Esporte

Tocha Olímpica continua seu trajeto pela Grécia antes de chegar ao Brasil

(Foto: Roberto Castro/ Ministério do Esporte)


Após ser acesa na cidade de Olímpia, na Grécia, a tocha olímpica continua seu trajeto pelo país antes de chegar ao Brasil e realizar sua caminhada até o Rio de Janeiro. Nessa segunda-feira (25), o fogo passou por Alexandroupolis, Larissa, Komotini, Xanthi e Katerini, totalizando 463 quilômetros rodados. Nesta terça, a tocha deve passar por Atenas.

Todas as cidades realizaram festa, apresentações culturais e participações especiais em comemoração a mais um ano de Olimpíadas. Os revezamentos foram realizados pelas cidades gregas até a chegada em Atenas. O farol de Alexandroupolis, município de 70 mil habitantes próximo às fronteiras da Bulgária e Turquia, foi um dos cenários por onde a chama olímpica passou nesta segunda-feira.

No Brasil, a rota terá início no dia 3 de maio e será finalizada no dia 5 de agosto. Ao todo, a tocha será carregada por 12 mil condutores, além de voar 10 mil milhas pelo país. O símbolo olímpico passará por 83 municípios escolhidos como “cidade celebração”. Em cada local haverá um grande evento, que inclui shows musicais e várias celebrações.

O revezamento também será feito por um comboio de veículos, que deve passar por 500 localidades, sendo que 300 cidades receberão o revezamento propriamente dito e outras 200 assistirão a passagem do comboio com a chama exposta.

De acordo com a organização, o circuito foi definido levando em conta critérios logísticos, turísticos e culturais de cada região. O revezamento começa na próxima terça-feira (3) em Brasília (DF).

Orlândia goleia Marreco em estreia na Liga Futsal

(Foto: Luan Amaral/Orlândia)


Em partida em São Sebastião do Paraíso (MG), o Orlândia estreou em grande estilo na Liga Nacional de Futsal. Contra o Marreco Futsal, a equipe do pivô Elisandro não tomou conhecimento dos visitantes e goleou por 7 a 0. Mantendo a base vice-campeã de 2015, a Intelli mostrou força e tranqüilidade para sair com a vitória.

Além do pivô, o goleiro Gian Wolverina também fez sua estreia com a camisa grená e não decepcionou no gol. Mesmo longe de sua casa, pois o Orlândia foi punido pela confusão das torcidas nas semifinais do ano passado contra o Corinthians, a Intelli mostrou entrosamento principalmente com Dieguinho e Renan, velhos conhecidos da torcida, e também de Elisandro, bastante acionado no ataque.

A diretoria orlandina também aproveitou o jogo para anunciar a chegada do pivô Lukaian, que tem passagens pela equipe alvi-grená e seleção brasileira. No entanto, o jogador só deve se apresentar oficialmente depois do dia 6 de maio, o que impede o atleta de participar do segundo jogo da equipe no nacional, contra o Atlântico Erechim na segunda-feira (2), as 20h15, fora de casa.

Já o Marreco, que na rodada inaugural ficou no empate em 0 a 0, recebe no ginásio Arrudão também na segunda-feira, o Umuarama, em busca na primeira vitória na competição.