quarta-feira, 6 de abril de 2016

Alunos do Forças no Esporte participam do revezamento da Tocha Olímpica

(Foto: Gilberto Alves/MD)


A pouco menos de um mês para o início do revezamento da Tocha Olímpica no Brasil, a ansiedade toma conta dos dois alunos do Programa Forças no Esporte (Profesp) selecionados para carregar o símbolo do esporte mundial. O programa, que atende atualmente a 21 mil crianças e jovens, é desenvolvido em parceria pelos ministérios do Esporte, da Defesa e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Joseias Ferreira das Chagas irá representar o Profesp no revezamento da Tocha Olímpica. Foto: Gilberto Alves/MDJoseias Ferreira das Chagas irá representar o Profesp no revezamento da Tocha Olímpica. Foto: Gilberto Alves/MD

A Tocha Olímpica percorrerá, pelas mãos de 12 mil brasileiros, mais de 300 cidades de todos os estados e do Distrito Federal. Além disso, a chama olímpica passará por outros 200 municípios, que assistirão ao comboio com o símbolo. Todas as capitais do país participarão do revezamento durante os 100 dias de percurso.

A jornada da Tocha Olímpica começará no dia 21 de abril, quando a chama será acesa na cidade de Olímpia, na Grécia. Após um rápido trajeto pelo país europeu, ela desembarcará no Brasil no dia 27 de abril. Em 3 de maio, em Brasília, terá início o revezamento.

Reconhecimento
Será na cidade de Morrinhos, no estado de Goiás, no dia 6 de maio, que o jovem atleta de 17 anos, Joseias Chagas terá a honra de carregar a chama olímpica. “Ter sido selecionado me deixou muito feliz. É uma sensação única e a realização de um sonho”, diz. Morador do Varjão, região administrativa do Distrito Federal, o jovem fundista vem de uma família carente, mas as dificuldades não o impediram de realizar seus objetivos.

Com 14 troféus no currículo, o atleta faz planos para o futuro. “Quero poder representar o Brasil nas Olimpíadas em 2020 e, quem sabe, trazer uma medalha para o país”. Além do atletismo, Joseías também tem participado de competições de orientação, como a 2ª Copa Sprint de Orientação de Inclusão Social, em que foi um dos vencedores do circuito longo de 13 a 17 anos.

Já em Manaus, com 15 anos, Liliane Paulino, integrante do Profesp, participa ativamente de todas as atividades esportivas praticadas em sua escola: natação, vôlei de praia, vôlei de quadra, handebol, frescobol e queimada. E é por essa referência que ela também foi selecionada para carregar a Tocha Olímpica no dia 10 de junho, na cidade de Piracuruca, no Piauí.

Profesp
Criado há 12 anos, o Programa Força no Esporte tem por objetivo democratizar o acesso à prática e à cultura do esporte de forma a promover o desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens como fator de formação da cidadania e melhoria da qualidade de vida, prioritariamente em áreas de vulnerabilidade social.

Atualmente, o programa atende a 21 mil crianças e está presente em 89 cidades de 26 unidades da federação, inclusive no arquipélago de Fernando de Noronha. O Forças no Esporte é desenvolvido nas organizações militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.

Cada núcleo onde é desenvolvido o programa é composto de um grupo de 100 crianças, sob a orientação de um coordenador e de um monitor, que desenvolvem atividades esportivas e complementares no contraturno escolar. Nesses locais são oferecidas modalidades coletivas e individuais. Além disso, há reforço escolar, orientações sobre saúde e palestras relativas à cultura, artes e ações ambientais.

Embora a principal finalidade do programa seja a inclusão social de jovens em situação de vulnerabilidade social por meio do esporte, o Profesp também tem conseguido garimpar vários talentos. Um dos exemplos foi o atleta Carlos Alexandre Gomes, na modalidade de levantamento de peso. Em poucos meses de treinamento, se tornou recordista brasileiro e eleito melhor atleta de 2010, na categoria infantil, e passou a fazer parte do Projeto Olímpico Marinha do Brasil.

Ministério do Esporte