domingo, 10 de abril de 2016

"Brasileiro de Cuba" brilha, e Cruzeiro é tetracampeão da Superliga

(Foto: Divulgação/Vôlei Brasil Kirin)


O Sada Cruzeiro deu susto na sua torcida, mas conseguiu confirmar o favoritismo e conquistou a quarta Superliga da sua história, a terceira consecutiva. O mais novo troféu veio com uma vitória por 3 a 1, parciais de 23-25, 25-23, 25-15 e 30-28 sobre o Brasil Kirin.

O grande destaque da partida foi o cubano, naturalizado brasileiro, Leal. Ele saiu de quadra como o maior pontuador da partida, mesmo jogando o set decisivo sofrendo com câimbra.

A partida teve quase todos os sets disputados ponto a ponto, exceto a terceira parcial vencida com muita tranquilidade pelo Cruzeiro com dez pontos de vantagem. Nas demais, a decisão ficou sempre para a últimas bolas.

Neste equilíbrio, o Cruzeiro acabou perdendo o primeiro set da partida, por 23-25. O mesmo placar foi o da segunda parcial, decidida é um ace de Eder a favor dos mineiros.

O set que decidiu ao jogo teve de ir até o 30º ponto e só acabou quando Lucas Loh mandou a bola para fora.

Em determinado momento do duelo, o clima esquentou entre os jogadores dos dois times. O motivo foi uma provocação feita por Leal.

Leal conseguiu a naturalização brasileira durante o ano de 2016, mas não poderá ser convocado pela seleção brasileira devido ao regulamento da Federação Internacional de Vôlei (Fivb) que só libera jogadores naturalizados nos times dois anos após conseguir a cidadania.

UOL Esporte