segunda-feira, 4 de abril de 2016

Dixon conta com problemas da Penske e boas paradas para vencer no retorno de Phoenix

 (Foto: Getty Images)


O retorno da Indy ao oval de Phoenix não teve uma prova brilhante. Arrastada em alguns momentos e cheia de bandeiras amarelas, a prova que terminou neste domingo (3) viu Scott Dixon vencer mais uma corrida ao seu estilo: correto e taticamente perfeito.

O neozelandês praticamente não fez ultrapassagens, bem como ficou longe de se envolver em disputas mais ríspidas. Com ótimas paradas da Ganassi e boas relargadas, Dixon surgiu na frente e não deu sopa para o azar, controlando boa vantagem para Simon Pagenaud.

Pagenaud, aliás, foi uma figura extremamente apagada na corrida do deserto. O francês pouquíssimo fez e contou com problemas de seus companheiros de equipe e uma parada sensacional da Penske para chegar em segundo e virar líder do campeonato. Will Power teve história parecida, terminando em terceiro.

Tony Kanaan teve excelente exibição e fez muitas ultrapassagens, sendo prejudicado por uma das bandeiras amarelas justamente quando tinha feito sua parada. O baiano, mesmo assim, cruzou a linha final em quarto, comprovando seu talento e bom rendimento na pista do Arizona.

Graham Rahal teve atuação segura e também contou com ótimo trabalho da RLL nos boxes para ficar com uma boa quinta colocação, sendo o melhor da Honda, algo que fez muito em 2015.

A sexta colocação ficou com outro dos destaques da corrida. Josef Newgarden deu um verdadeiro show de ultrapassagens junto a Kanaan e, mesmo se complicando com uma parada péssima da Carpenter e uma bandeira amarela na hora errada, somou bons pontos para seguir acordado neste início de ano.

Max Chilton teve estreia bastante convincente em ovais e abocanhou o sétimo lugar, 2s9 atrás do companheiro Dixon. Sébastien Bourdais também fez bom trabalho e ficou em oitavo mesmo com uma leve batida no muro.

Em nono veio Juan Pablo Montoya. O então líder do campeonato teve um pneu dianteiro murcho quando liderava a prova e passou boa parte da corrida uma volta atrás dos ponteiros. No fim, resultado até regular para o colombiano. Exatamente o mesmo aconteceu com Helio Castroneves, que fechou em 11º, atrás de Ryan Hunter-Reay.

Brilhante em todas as relargadas, Hunter-Reay merecia aquele prêmio de "Homem do Jogo" até as voltas finais, quando perdeu o controle do carro e bateu, entregando algumas posições e caindo para décimo. Ainda assim, segunda grande exibição do americano no ano e a comprovação de que, se o equipamento não atrapalhar muito, pode brigar pelo título.

(Foto: IndyCar)
UOL Esporte - Grande Prêmio