sexta-feira, 22 de abril de 2016

São Paulo busca solução positiva após confusão em jogo com The Strongest

(Foto: AP Photo/Juan Karita)


No final da partida na Bolívia entre São Paulo e The Strongest, que terminou empatada em 1 a 1 e deu a classificação ao time brasileiro, uma confusão entre os jogadores dos dois clubes tomou conta do gramado. A principal confusão foi com o atacante Calleri, que havia sido substituído no decorrer da partida e foi expulso no meio da confusão.

Segundo o diretor de futebol do São Paulo Luiz Cunha, em entrevista à Rádio Bandeirantes, Calleri estava apenas em campo para comemorar a classificação para as oitavas de final. “Havia um clima de euforia. O Calleri entrou para comemorar, e nessas comemorações às vezes dizemos palavrões que não são provocação. São desabafo para comemorar um feito que foi muito difícil. O Calleri acabou sendo vítima de um mal entendimento do árbitro".

O interessante foi que um jogador do time boliviano acertou um chute nas costas do argentino e recebeu apenas um cartão amarelo, o que foi considerado pelo tricolor uma “leviandade” por parte do árbitro da partida. O vídeo da confusão mostra claramente que o árbitro “esquece” da briga nas suas costas e foca apenas em advertir o atacante com cartão vermelho.

Após a partida, Ganso, que não foi titular na partida, reclamou da atitude do The Strongest para a Fox Sports. “O Calleri tinha dado uma declaração de que não queria pegar o Boca e eles se sentiram ofendidos. Eles fizeram graça com a nossa equipe e nós ficamos calados”, diz. No entanto, com a formação das oitavas, um suposto São Paulo x Boca Juniors só poderá acontecer na final da competição.

O tricolor pretende recorrer a Conmebol sobre a expulsão de Calleri e quer o jogador nas oitavas contra o Toluca. 

Ponto de Opinião: Não é de hoje que há confusões na Libertadores e principalmente com os times brasileiros. Em poucas oportunidades a Conmebol fez alguma coisa para intervir nesses vexames. Mais uma vez, por pura infantilidade, o São Paulo sai manchado da heroica classificação na Bolívia. Ao The Strongest resta focar na nova temporada e ser punido como se deve. Ao São Paulo, só o futuro dirá.