terça-feira, 31 de maio de 2016

Danos causados por chuva fazem passagem da tocha ser cancelada em Olinda

(Foto: Reprodução)


A passagem da tocha olímpica será encurtada por conta de problemas meteorológicos. A Prefeitura de Olinda informou, na manhã desta terça-feira (31), que o objeto, que é símbolo dos Jogos Olímpicos, não passará pela cidade por conta dos transtornos causados pela chuva que afeta a cidade.

Nesta segunda-feira (30), quatro pessoas morreram vítimas do temporal que caiu no Grande Recife, sendo três delas vítimas de um deslizamento em Olinda. A informação foi confirmada pela coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco.

Na capital pernambucana, de acordo com a Secretaria Executiva de Defesa Civil do Recife, em um intervalo de seis horas (entre a meia-noite e as 6 horas desta segunda-feira, 30), já havia chovido o equivalente a 36% do previsto para todo o mês de maio.

No início da manhã de segunda (30), a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) emitiu um alerta de chuva forte até a manhã de terça-feira (31) em toda a Zona da Mata e na região metropolitana.

Ainda de acordo com dados da Defesa Civil da capital, o acumulado de chuva na cidade chegou a 118 milímetros. O número representa 35,97% da média histórica de precipitações no mês, que corresponde a 328 mm.

UOL Esporte

Orlândia vence com placar mínimo e lidera grupo na Liga Paulista

(Foto: Luan Amaral/ADC Intelli)


Em partida no Ginásio Maurício Leite de Morais nessa segunda-feira (30), o Orlândia fez o mínimo e venceu o Grêmio Mogiano por 1 a 0, em partida válida pela Liga Paulista de Futsal. Destaque do jogo, Gadeia foi responsável pelo gol orlandino no segundo tempo.

Melhor em campo, o Orlândia acertou três bolas na trave no primeiro tempo, além de parar nas boas defesas do goleiro defensor Sinhá. Na defesa, o goleiro Gian impediu os visitantes de saírem do interior paulista com a vitória. 

No segundo tempo, logo aos cinco minutos, Gadeia apareceu livre na frente chutou cruzado e para abrir o placar para a Intelli. Mais ofensivo, o Orlândia não conseguiu ampliar o placar e saiu de quadra apenas com a vitória por 1 a 0, mas que mantém a equipe em boa campanha no estadual.

O Orlândia encerra a primeira fase da Liga Paulista no dia 24 de junho, contra o Taubaté. Já o Grêmio Mogi define sua classificação no estadual no dia 15 de junho, também contra o Taubaté, fora de casa.

Liga Futsal

Antes da decisão, o time do técnico Cidão terá um compromisso nesta quinta-feira (2) pela Liga Nacional de Futsal contra o São José, as 18h30, em Orlândia. A partida será a última do clube grená no Ginásio Maurício Leite de Moraes nesta temporada, pois o local passará por reformas.

Sem time, Adriano só pensa em retorno ao Fla. Dirigentes rechaçam 'cavada'

Incomodado com os diversos problemas enfrentados durante sua passagem pelo Miami United, Adriano deixou o clube na última semana e retornou definitivamente dos Estados Unidos. De volta ao Rio de Janeiro, o pensamento é só um: jogar no Flamengo. A tarefa, no entanto, não é das mais simples. Dirigentes do Rubro-negro rechaçam a contratação do Imperador no momento.

Mas Adriano não desiste. Seja nas redes sociais ou em conversas com amigos, ele só fala no desejo de voltar ao clube do coração. No último fim de semana, o primeiro no Brasil desde o retorno definitivo, comentava com as pessoas mais próximas sobre a vontade. E afirmou que não negociará com nenhum clube antes de esgotar as possibilidades junto ao Flamengo.

Procurados pela reportagem para comentar o caso, dois dirigentes da cúpula do futebol trataram o assunto como "cavada". Igualmente questionado pela reportagem, o presidente do clube, Eduardo Bandeira de Mello, foi breve. "Não tem nada".

Nos Estados Unidos, o Imperador já devolveu a casa e o carro que estavam alugados. Alguns amigos que ele levou para o país, no entanto, ainda seguem por lá.

Pelo Miami United, Adriano ficou apenas três meses, disputou um jogo e um amistoso e fez apenas um gol.

RUBRO-NEGROS PEDEM SEU RETORNO

Se ainda não está prestigiado junto a diretoria, o atacante continua em alta com a torcida do Flamengo. Na internet, são várias as manifestações de apoio e desejo para que o jogador retorne ao seu clube do coração, onde foi campeão brasileiro em 2009 sendo um dos protagonistas.

UOL Esporte

Vice-artilheiro do Fla-SP na A3, Ingro defenderá Comercial na Copa Paulista

 (Foto: Divulgação/AA Flamengo)


O Comercial acertou nesta segunda-feira a contratação do atacante Ingro, ex-Flamengo-SP. O jogador já está em Ribeirão Preto e foi integrado ao elenco do técnico Marcelo Dias. Ele é o quarto contratado pelo Leão para a disputa da Copa Paulista.

No time de Guarulhos, Ingro disputou a última Série A3 do Paulista e foi o vice-artilheiro do Corvo, com seis gols. Aos 23 anos, o atacante tem passagens também por Uberaba, Operário-MT, Dom Bosco, Audax Rio e Grêmio Osasco Audax.

- É um jogador que apesar da idade tem uma boa experiência. Não foi indicação e sim fruto de pesquisa nossa - comentou o presidente do Leão, Brenno Spinelli.

Além de Ingro, o Comercial já contratou o volante Acleisson, o meia-atacante Léo Souza e o centroavante Flávio. A estreia do Leão na Copa Paulista será no dia 2 de julho, às 19h, contra o Independente, em Limeira.

Globo Esporte

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Equipe feminina de Carlos Barbosa goleia na estreia do Estadual

(Foto: Ulisses Castro / ACBF)


O time feminino da Associação Carlos Barbosa de Futsal (ACBF) começou a sua participação no Campeonato Estadual com o pé direito. Na noite de sábado (28) as meninas receberam o Palestra, de Erechim, e golearam por 5 a 0.

As donas da casa tiveram o controle da partida desde o início. Com volume de jogo maior, o primeiro gol foi questão de tempo. Pâmela marcou o primeiro. Depois, foi a vez de Patrícia ampliar o marcador para 2 a 0. Mesmo com vantagem no placar, a ACBF mantinha a marcação forte. O empenho foi tanto que excedeu o número de faltas e cedeu dois tiro-livres. No primeiro, a goleira Francine defendeu; a segunda cobrança foi para fora.

A segunda etapa começou com um ritmo mais lento. Mesmo assim, o domínio era laranja. Após diversas oportunidades de gol, Pâmela e Patrícia balançaram as redes novamente e, nos minutos finais, Bibi fechou a conta.

Depois da goleada na estreia, as meninas de Carlos Barbosa terão uma pedreira pela frente. No sábado (4) elas encaram o Celemaster, em Uruguaina, às 20h. 

Brasil mostra três times para a Copa América: como será cada um deles?

O amistoso da seleção brasileira contra o Panamá em Denver, nos Estados Unidos, no domingo (29), terminou com vitória magra por 2 a 0, mas mostrou muito daquilo que o técnico Dunga apresentará na Copa América. Ao longo de 90 minutos, o Brasil mostrou três esquemas táticos - um deles totalmente novo - e indicou as possibilidades defensivas e ofensivas que terá para a Copa América, que começa na sexta-feira.

Time que defende e ataca com influência corintiana

A seleção brasileira que começou o amistoso contra o Panamá é aquela que deverá iniciar a Copa América: time montado no 4-1-4-1, com Luiz Gustavo à frente da linha de zaga, uma linha de quatro meio-campistas com Willian e Philippe Coutinho nas pontas, e Elias e Renato Augusto no centro.

A dupla central emula aquilo que fez no título brasileiro do Corinthians, em 2015, sob o comando de Tite. Enquanto Luiz Gustavo protege o setor, atrás, Elias e Renato Augusto se revezam entre aquele que acompanha os movimentos ofensivos e aquele que guarda a posição, com postura mais defensiva. Não é possível definir quem é o segundo volante entre os dois, pois a troca de função é constante neste esquema.

O time que começou o jogo teve: Alisson; Daniel Alves, Gil, Miranda e Douglas; Luiz Gustavo; Willian, Elias, Renato Augusto e Philippe Coutinho; Jonas.

Teste no 4-4-2: o time mais ofensivo de Dunga

Desde que voltou à seleção brasileira, Dunga jamais havia mostrado uma alternativa tão ofensiva quanto à que mostrou na volta do intervalo do amistoso contra o Panamá. O placar marcava 1 a 0, o Brasil jogava bem, mas mesmo assim o treinador decidiu tirar Luiz Gustavo, que protegia a zaga, para fazer entrar Hulk.

Desmontou o 4-1-4-1, transformou Elias e Renato nos homens mais defensivos do meio, deixou Willian e Coutinho nas pontas, e colocou Hulk como segundo atacante, atrás de Jonas. Depois da partida, explicou: "Equipe do Panamá estava muito atrás, então um homem do meio [Luiz Gustavo] ficou um pouco sem função. Colocamos dois atacantes, mas até o momento nunca tínhamos jogado com dois mais enfiados. Propusemos essa alternativa porque era o único jogo onde poderíamos tentar isso", falou, em entrevista após a partida.

A alternativa obviamente expõe mais a defesa do Brasil, mas deu boa chegada ao Brasil. Hulk, jogando pelo centro e não na ponta, teve grande chance de marcar de cabeça no início do segundo tempo e perdeu o gol.

4-2-3-1 ofensivo, mas com menos velocidade

Passados alguns minutos do segundo tempo, Dunga decidiu desmontar novamente a formação tática e passou do 4-4-2 para o 4-2-3-1. Em mudança dupla, tirou Jonas e Willian e colocou a dupla santista, Lucas Lima e Gabigol. Com isso, manteve Elias e Renato Augusto como homens mais defensivos do meio de campo, mas puxou Hulk à ponta direita depois da saída de Willian, centralizou Lucas Lima como armador e deixou Gabigol na frente, como falso 9, quando Coutinho, na ponta esquerda, ainda estava em campo.

"Depois colocamos um jogador atrás do atacante, que era o Lucas Lima, que sabe quebrar linhas", falou Dunga, que por fim mexeu pela última vez no setor ofensivo ao trocar Coutinho por Kaká. A diferença completa de características entre o meia do Liverpool e o veterano que hoje atua no Orlando City, dos Estados Unidos, muda também, a forma como o time joga.

Para Dunga, há benefícios em perder a velocidade de Coutinho para ter um time que tenha mais controle do jogo a partir de Kaká."Tivemos o Kaká, jogador que tem um passo diferente, a equipe fica mais encorpada", falou o treinador.

Conclusão: "Nosso leque aumentou"

Dunga descreveu cada proposta tática depois da partida e afirmou que as escolhas do comando da seleção brasileira se mostram acertadas quando se pode ver um leque maior de opções para montar o time.

"Acho que o leque abriu mais e as convicções se confirmaram. Se nós trouxemos mais jogadores para abrir esse leque e os jogadores corresponderam, quer dizer que nosso leque aumentou. Dependendo do adversário temos outras opções para colocar em campo", falou. "Algumas coisas saíram como treinamos, outras temos que melhorar", completou.

Do que mostrou contra o Panamá, Dunga dá indícios que apostará no 4-4-2 com Hulk e Jonas, ou até Gabigol e Jonas, caso tenha que enfrentar um adversário com postura extremamente defensiva - mostrou que está disposto a tirar Luiz Gustavo, um de seus homens de confiança, para isso. Outra demonstração é que pode voltar ao 4-2-3-1, mas já está disposto a trabalhar o velho esquema tático com Renato Augusto e Elias como volantes. 

UOL Esporte

No centenário, Plaza Colonia vai da Série B ao título uruguaio

(Foto: Miguel Rojo/AFP)


Em 1.º de novembro de 2014, o Plaza Colonia levou 7 a 1 do Liverpool e se afundou na última posição da Série B do Campeonato Uruguaio. Após sete rodadas, o time tinha só quatro pontos e se aproximava da terceira divisão nacional. Passado um ano e meio, o clube fez a festa da cidade de Colônia na noite de domingo, ao faturar pela primeira vez o título uruguaio, abrindo muito bem seu 100.º ano de existência.

Isso é muito louco. Há 16 meses, estávamos lutando para não cair para a Série C. Sabíamos que se caíssemos, nenhum de nós poderia seguir com a carreira de jogador, mas hoje estamos aqui festejando um título", comentou o goleiro Dawson, uma das crias do clube de Colônia.

Na temporada passada, o Plaza se recuperou na Série B e conseguiu o acesso ficando em segundo lugar, só atrás do próprio Liverpool. Em sua sexta temporada na primeira divisão, a equipe chegou como favoritíssima à degola e confirmou esse status com três derrotas nas quatro primeiras rodadas e o 13.º lugar no Apertura, disputado no segundo semestre de 2015.

No Clausura, a sorte mudou. Após 14 rodadas, a equipe tem apenas uma derrota. A nona vitória veio sobre o Peñarol, por 2 a 1, no novíssimo estádio Campeón del Siglo. Graças ao resultado, o Plaza abriu cinco pontos sobre o "campeão do século", faltando uma rodada para o fim do torneio, e garantiu o título.

A equipe, entretanto, ainda não tem vaga garantida na Copa Libertadores. Quem somar mais pontos na soma do Clausura e do Apertura joga uma "final do campeonato" contra o vencedor de uma semifinal entre os campeões do Apertura (o Peñarol) e do Clausura (o Plaza). O Peñarol, porém, deve ficar em primeiro no somatório e classificar o Plaza de forma direta.

México
Também no domingo foi definido o campeão do Clausura no Campeonato Mexicano. Segunda equipe que mais somou pontos na fase de classificação, o Pachuca eliminou Santos e León nos mata-matas e, no domingo, conquistou o título com um empate em 1 a 1 com o Monterrey. A taça veio porque, na ida, havia ganhado por 1 a 0.

Reforço do Inter, o atacante argentino Ariel foi reserva nas duas partidas da final e só entrou nos acréscimos em ambos os jogos. Agora que o Mexicano acabou, o jogador é aguardado no Beira-Rio para ser apresentado.

Estadão

Especial – Muito além do futebol

(Foto: Reprodução/Botafogo)


Sem dúvida, o futebol é uma das grandes paixões não só no Brasil, mas em outros países como Inglaterra, Espanha e Alemanha, que levam milhares de torcedores aos estádios em dias de jogos, mesmo aqueles “menos importantes”. O futebol encanta por suas surpresas e momentos imprevisíveis.

No entanto, os clubes de futebol, mais evidentes nos dias atuais, estão investindo em um campo além do futebol. Modalidades como futsal, ginástica artística, natação e vôlei se tornaram campos a serem explorados por esses “times-empresas” e muitos garantem o sucesso em pouco tempo. Vamos conferir neste especial alguns desses clubes e suas modalidades:

Corinthians

(Foto: Divulgação/Agência Corinthians)

O alvinegro paulista é um dos clubes com mais equipes em diferentes modalidades como o futsal, futebol americano, futebol de areia, ciclismo, basquete feminino e masculino, natação, handebol (a equipe ficou ativa até 2010), judô, MMA (o clube chegou a realizar parceria com Anderson Silva), futebol feminino, futebol máster e taekwondo. 

Dentre as modalidades, o Timão se destaca no futsal (foi campeão paulista e nacional por diversas vezes), futebol de areia, natação, MMA, basquete feminino (chegou à final do nacional em 2016) e futebol americano. Atualmente, disputa a Liga Paulista e Liga Nacional de Futsal. 

Palmeiras

(Foto: Divulgação/Palmeiras)

Outra equipe que se destaca com suas diversidades, o alviverde mantém equipes no basquete, judô, taekwondo, futebol americano, boxe, atletismo, vôlei, futsal e arco e fecha. Atualmente, o Palmeiras se destaca no vôlei, basquete e futsal. No futebol feminino, o Verdão foi campeão paulista em 2001.

Flamengo

(Foto: Gaspar da Nóbrega/Inovafoto)

O rubro-negro é bem conhecido no basquete masculino, sendo um dos grandes campeões do Novo Basquete Brasil (NBB). Além disso, o Flamengo tem atletas na ginástica artística, judô, nado sincronizado, remo, vôlei e pólo aquático. Em 2016, a equipe de basquete masculino decide mais uma vez a atual edição do NBB contra o Bauru.

São Paulo

(Foto: ESPN)

O tricolor paulista também se aventura em modalidades como atletismo, natação, basquete, futsal, judô, patinação artística, tênis e pugilismo. No entanto, recentemente a equipe suspendeu as atividades da equipe de futsal para as disputas estaduais e nacionais devido à falta de investidores. No tênis, o clube patrocina atletas profissionais e também firma parcerias para a formação de novos tenistas.

Fluminense

(Foto: Divulgação/Fluminense)

Ainda no Rio de Janeiro, o Fluminense se destaca pelos atletas nos esportes olímpicos como basquete, ginástica artística, judô, nado sincronizado, natação, pólo aquático, saltos ornamentais, tênis de mesa, vôlei, futebol de mesa e tiro esportivo.

Internacional

(Foto: Reprodução)

A equipe gaúcha possui uma boa trajetória no futsal a partir de 1976 e foi campeão mundial e sul-americano em uma oportunidade cada. Hoje, o time também possui uma equipe de futebol americano que disputa atualmente o estadual.

Confira outros clubes com equipes além do futebol:



Atual equipe de saltos ornamentais do Botafogo (Foto: Reprodução)





Novato surpreende e conquista edição de número 100 das 500 Milhas de Indianápolis

(Foto: Getty Images)


Para quem apostava na vitória de um grande piloto nas 500 Milhas de Indianápolis, disputa nesse domingo (29), se surpreendeu com o resultado. Após várias mudanças na liderança, principalmente nas últimas voltas, o americano Alexander Rossi, da equipe Andretti, venceu a edição de número 100 de uma das maiores provas da Fórmula Indy e do automobilismo.

O novato corredor disputou cinco etapas do Mundial de Fórmula 1 em 2015 pela Marussia e está pela primeira vez na Indy. Em sua primeira corrida no tradicional evento da categoria, Rossi cruzou a linha de chegada no limite, com pouco combustível. 

Para completar o pódio, o colombiano Carlos Muñoz cruzou em segundo (4s4 atrás), seguido por Josef Newgarden (4s9 atrás), dos Estados Unidos. Melhor brasileiro, Tony Kanaan, da Chip Ganssi, chegou a liderar a prova, mas terminou a corrida em quarto. Hélio Castroneves sofreu com problemas na carenagem após uma leve batida e cruzou a linha de chegada em 11º. Líder do campeonato, o francês Simon Pagenaud ficou em 19º.

Com muita festa, a centésima edição das 500 milhas foi marcada por arquibancadas cheias e uma cerimônia antes da largada, com direito a música e caças da força aérea dos EUA. A cantora Lady Gaga também foi uma das atrações do evento, que foi à pista como passageira na volta de apresentação em um carro especial dirigido pelo ex-piloto Mario Andretti.

Boa parte da prova foi liderada pelos pilotos Ryan Hunter-Reay e James Hinchcliffe, que saíram nas primeiras posições após a qualificação no final de semana passado. Em busca de recuperar as posições, Tony Kanaan e Castroneves vieram embalados e na 16º volta já brigavam pelo top 10. 

A primeira bandeira amarela aconteceu na volta 62, após acidade de Juan Pablo Montoya. Alguns pilotos aproveitaram a interrupção para o abastecimento e troca de pneus, mas houve poucas mudanças de posições. Na volta 85, Hélio assumiu a liderança após ultrapassar Hinchcliffe, mas Kanaan se aproximou e a liderança foi sendo revezada pelos três pilotos. 

No entanto, Castroneves sofreu dois toques na corrida, um após sair dos boxes e outro na volta 162, após ser tocado por JR Hildebrand, o que danificou a carenagem de sua Penske. Melhor brasileiro da prova, Kanaan apenas assistiu da quarta posição a briga de Muñoz, Rossi e Newgarden. Abrindo vantagem, Alexander Rossi guiou sua Andretti no limite até a linha de chegada. Na comemoração, o carro do vencedor parou de vez após ficar sem combustível, mas nada que pudesse estragar aquela tarde memorável.

Kanaan foi o melhor brasileiro na pista (Foto Getty Images)

Lanús atropela San Lorenzo em final e conquista Argentino pela segunda vez

(Foto: AP)


O Lanús é um campeão sem contestação. O título da Primeira Divisão do Argentino veio com uma goleada sobre o San Lorenzo, por 4 a 0, neste domingo, em decisão disputada em jogo único no Monumental de Núñez. As duas equipes se enfrentaram depois de terminarem em primeiro os seus dois grupos após 16 rodadas.

Este é o segundo título argentino do Lanús, que tem em sua galeria o Apertura de 2007, além da extinta Copa Conmebol de 1996 e a Copa Sul-Americana de 2013. O San Lorenzo, por outro lado, tem de se contentar com o segundo vice-campeonato seguido – perdeu para o Boca Juniors em 2015. O maior campeão é o River Plate, com 35 canecos.

Artilheiro do torneio, José Sand deixou o seu na goleada e chegou aos 15 gols. Também marcaram para o Granate Óscar Benítez, Lautaro Acosta e o paraguaio Miguel Ángel Almirón.

Tanto Lanús, quanto San Lorenzo estão classificados para a próxima edição da Copa Libertadores da Américas. A eles se juntaram o Estudiantes e o Godoy Cruz.

Globo Esporte

domingo, 29 de maio de 2016

Ponto de Opinião: Brasileirão mostra que ano vai ser difícil e cansativo para os clubes

Grêmio lidera o início do campeonato (Foto: Globo Esporte)


Com o final da quarta rodada da série A do Campeonato Brasileiro, uma coisa é certa: teremos mais uma vez um campeonato difícil, equilibrado e disputado ponto a ponto até a última rodada, em dezembro. Muitos clubes mostram boa qualidade técnica e tática, mas por outro lado há equipes que irão sofrer com a temida zona de rebaixamento. 

Gaúchos saem na frente

Grêmio e Internacional dominam esse início de competição. Com 10 pontos, os dois times venceram seus confrontos contra Coritiba e Santos, respectivamente, sendo que o Colorado derrotou o Peixe fora de casa. Entretanto, as duas equipes tiveram esses mesmos começos nos últimos anos, mas acabaram derrapando em momentos importantes. Devem ser observados de perto.

Paulistas desequilibrados

Desacreditado, o Corinthians engatou nas duas últimas rodadas e já aparece no G4 do Brasileiro. Por outro lado, mesmo com elenco inchado e bom tecnicamente, o Palmeiras já demonstrou que o campeonato será difícil. Mesmo caso para Santos, São Paulo e Ponte Preta. 

Rio de Janeiro tenta se reabilitar

De volta elite do nacional, o Botafogo ainda não mostrou ao que veio. Em meio à crise, Flamengo ameniza os pesares, depois da saída de Muricy Ramalho, com vitória sobre a Ponte. Fluminense vive de altos e baixos, mas pode surpreender, seja pelo lado bom ou pelo lado ruim.

Vitória e Atlético Mineiro ficam no 1 a 1 (Foto: Globo Esporte)

Mineiros em baixa

Sem brilho, Cruzeiro, América e Atlético sofrem nessas primeiras rodadas. O caso mais grave é o Cruzeiro, que ainda não venceu e não parece mostrar sinais de melhora. Mesmo com a chegada de Marcelo Oliveira, o Galo ainda não encontrou sua melhor forma. O Coelho é candidato a volta a segundona se continuar com o futebol que está apresentando em campo.

Santa Cruz surpreende

Antes candidato ao rebaixamento, o Santa pode surpreender na competição. Irá incomodar os "grandes" e pode terminar a competição com uma vaga na Libertadores. Se forçar um pouco, pode levar o título, mas ainda "inspira cuidados".

São Paulo vence clássico contra Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)

Catarinenses não engatam

Chapecoense e Figueirense vivem momentos distintos. Enquanto do lado de Chapecó o momento é de pensar no G4, o Figueira sofre em não pontuar e deve lutar contra o rebaixamento.

Nordestinos procuram melhor formação

Sport e Vitória, ao contrário do Santa, somaram 1 e 5 pontos, respectivamente, nessas quatro rodadas. Nem jogos em casa são suficientes para “melhorar” o clima dos times. Devem também ser observados.

Paraná decepciona

Outros times que decepcionaram nesse começo foram Coritiba e Atlético Paranaense. São candidatos a brigar contra as últimas posições como no ano passado.

E você, em qual time você acredita que irá levantar a taça no final do ano?

De virada e com um a menos, Flamengo vence Ponte e ameniza crise na estreia de interino

Na estreia de Zé Ricardo como treinador profissional, o Flamengo conseguiu com muitas dificuldades uma importante vitória diante da Ponte Preta por 2 a 1 no Estádio Moisés Lucarelli, neste domingo. A partida válida pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro teve decisões polêmicas de arbitragem e superação do time rubro-negro, que ficou boa parte do segundo tempo com um jogador a menos depois da expulsão do atacante Fernandinho.

Na semana que Muricy Ramalho foi desligado do cargo de treinador depois de um novo problema de saúde, o comandante do título da Copa São Paulo de Futebol Júnior deste ano ficou com a missão de orientar o elenco de forma interina.

O resultado deu uma amenizada na crise provocada pelos maus resultados em campo. Depois do empate por 2 a 2  com a Chapecoense na quarta-feira, alguns torcedores protestaram jogando pedras no ônibus da equipe. Além disso, chegaram até mesmo a intimidar o zagueiro César Martins, que havia sido afastado e depois reintegrado, em um supermercado.

A vitória deixou o clube da Gávea com sete pontos ganhos na quinta posição de forma provisória, enquanto os paulistas permaneceram com quatro pontos na 15ª colocação, próximos da zona de rebaixamento. Além da derrota, a Ponte perdeu uma invencibilidade de quase 11 anos contra os cariocas, com quatro vitórias e cinco empates em nove partidas no período.

Atuando diante de seu torcedor, a equipe de Campinas começou melhor no primeiro tempo e dominava as ações ofensivas. O atacante Roger acertou o travessão do time rubro-negro depois de belo chute dentro da área, aos 10 minutos.

Um minuto depois, a Ponte Preta abriu o placar com Wellington Paulista. Reinaldo cruzou da esquerda e o centroavante cabeceou para o fundo das redes. O assistente em um primeiro momento marcou impedimento, mas admitiu que se confundiu com Fábio Ferreira. O árbitro Anderson Daronco chegou a anular o tento, mas acabou reconsiderando e validou o lance. Os jogadores do Flamengo ficaram nervosos e cercaram o bandeirinha.

Apesar de estar inferior no confronto, o clube carioca chegou ao empate aos 20 minutos com um gol contra. Após cobrança de Alan Patrick, Felipe Azevedo desviou a bola de cabeça, que enganou o goleiro João Carlos.

A virada aconteceu aos 41 minutos, com Jorge. Depois de cobrança de escanteio, o goleiro João Carlos tentou afastar o perigo com um soco, mas a bola sobrou para o lateral esquerdo, que emendou um chute de primeira para estufar as redes adversárias.

Com a desvantagem no marcador, Eduardo Baptista voltou do intervalo com duas alterações com o objetivo de dar mais experiência ao meio de campo e velocidade ao ataque. Saíram Wellington Paulista e Ravanelli para as entradas de Cristian e William Pottker.
  
O Flamengo trabalhava a bola no campo de ataque com muitos passes, mas não levava perigo ao gol da Ponte Preta. O treinador Zé Ricardo tirou o jovem Felipe Vizeu e colocou o meia-atacante Gabriel, deixando Marcelo Cirino como centroavante. Logo em seguida, aos 16 minutos, Fernandinho foi expulso após cometer falta e recebeu o segundo cartão amarelo e deixou a equipe ficou com um jogador a menos. Para reforçar o meio e segurar a vitória, Alan Patrick foi sacado para a entrada de Cuéllar. 

Com a vantagem numérica, o clube alvinegro pressionou e quase conseguiu empatar aos 48 minutos. Felipe Azevedo acertou um belo voleio para grande defesa de Alex Muralha. 

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, a Ponte Preta visitará o América-MG no Estádio Independência, em Belo Horizonte, nesta quinta-feira, às 19h30. No mesmo dia, o Flamengo receberá o Vitória no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, às 21h.

FICHA TÉCNICA:
PONTE PRETA 1 X 2 FLAMENGO
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data: 29 de maio de 2016, domingo
Horário: 11 horas (de Brasília)

Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Helton Nunes (SC)
Renda: R$ 196.580,00
Público: 7.106 pagantes

Cartões amarelos: João Vítor e Pottker (Ponte Preta); César Martins (Flamengo)
Cartões vermelhos: Fernandinho (Flamengo)

GOLS
PONTE PRETA: Wellington Paulista, aos 11min do primeiro tempo
FLAMENGO: Felipe Azevedo (contra), aos 20min do primeiro tempo; Jorge, aos 42min do primeiro tempo

PONTE PRETA: João Carlos, Jeferson, Kadu, Fábio Ferreira e Reinaldo; João Vitor, Matheus Jesus (Thiago Galhardo) e Ravanelli (Cristian); Felipe Azevedo, Roger e Wellington Paulista (Pottker)
Técnico: Eduardo Baptista

FLAMENGO: Alex Muralha, Rodinei, Léo Duarte, César Martins e Jorge; William Arão, Márcio Araújo e Alan Patrick (Cuéllar); Fernandinho, Marcelo Cirino (Ederson) e Felipe Vizeu (Gabriel)
Técnico: Zé Ricardo (interino)

ESPN

Soares e Murray caem nas oitavas de final das duplas de Roland Garros

(Foto: CLIVE BRUNSKILL/GETTY)


O mineiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray deram adeus neste domingo ao torneio de Roland Garros, segundo Grand Slam da temporada. A dupla caiu nas oitavas de final diante do indiano Leander Paes e do polonês Marcin Matkowski por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7-5) e 7/6 (7-4).

Soares e Murray buscavam o segundo título consecutivo em um dos quatro maiores torneios do mundo, já que foram campeões do Aberto da Austrália, primeiro Grand Slam do ano.

Leander Paes e Marcin Matkowski, que jogam como cabeças de chave 16 em Paris, agora têm pela frente os temidos gêmeos norte-americanos Mike e Bob Bryan. Na fase anterior, a parceria mais vitoriosa da história do tênis passou pelo canadense Daniel Nestor e o sérvio Nenad Zimonjic por 2 a 1.

Com a eliminação deste domingo, o Brasil conta com duas duplas masculinas com representantes nacionais. E elas se enfrentam nas oitavas de final. Campeões de Roland Garros na temporada passada, Marcelo Melo e o croata Ivan Dodig enfrentam o também mineiro André Sá e o australiano Chris Gucione.

ESPN

Hamilton aproveita trapalhada da Red Bull e vence a primeira no ano

(Foto: REUTERS/Eric Gaillard)


Em uma prova marcada por chuva, erros e batidas, Lewis Hamilton repetiu o feito de 2008 e venceu o GP de Mônaco após largar na terceira posição. O inglês acertou na estratégia de parada nos boxes e contou com um erro da Red Bull para bater o pole position Daniel Ricciardo e vencer pela primeira vez na temporada.

Ricciardo comandou a primeira parte da prova, mas a equipe não estava com seus pneus preparados em sua segunda parada. Com isso, o australiano perdeu a primeira colocação para Hamilton, que aproveitou para vencer. "Nada que vocês possam dizer vai melhorar as coisas", disse o pole position, revoltado com seu time. 

Ricciardo ficou com a segunda colocação. Sergio Perez foi outro que acertou a estratégia de parar nos boxes no momento certo e surpreendeu ao conquistar o terceiro lugar, em um dia em que o líder do campeonato Nico Rosberg decepcionou e foi apenas o sétimo colocado. Vettel foi o quarto, com Alonso em quinto. Hulkenberg foi o sexto, passando Rosberg próximo da linha de chegada na última volta.

Felipe Massa terminou em décimo em uma corrida difícil para a Williams. Felipe Nasr protagonizou uma polêmica na prova ao não aceitar uma ordem de equipe e acabar batendo com o companheiro Marcus Ericsson. O sueco depois se desculpou pelo acidente.

Início com chuva e acidentes

Devido à chuva, a corrida começou com o Safety Car. E o primeiro piloto ficou pelo caminho logo na reta: Jolyon Palmer perdeu o carro sozinho e bateu forte, causando o Safety Car virtual, enquanto alguns pilotos, como Felipe Nasr e Jenson Button, arriscaram colocar os pneus intermediários. A escolha se mostrou acertada: o brasileiro chegou a ser o mais rápido da pista naquele momento.

A segunda 'vítima' foi Kimi Raikkonen, que bateu sozinho no hairpin e quase levou Felipe Massa junto. O brasileiro conseguiu evitar a Ferrari, que também bloqueou Grosjean. Enquanto isso, na frente, Ricciardo escapava e Rosberg segurava o pelotão. Com isso, Vettel tomou a decisão de colocar os intermediários, voltando à pista no décimo lugar com 14 voltas disputadas. Hulkenberg, que estava em quarto, seguiu a tática da Ferrari.

Na 16ª volta, Hamilton finalmente se livrou do lento Rosberg, em uma ordem de equipe. Logo na primeira volta, o inglês foi 5s mais rápido que o companheiro. Também bem mais lento e ainda com os pneus de chuva, Massa passou a segurar os pilotos mais bem colocados com pneus intermediários, liderados por Vettel.

Esse tempo perdido permitiu que Rosberg parasse e voltasse à frente do compatriota, assim como Perrez. Na 23ª volta, Ricciardo também fez sua parada, deixando a liderança com Hamilton.

A pista seca

A tática do inglês era esperar a pista secar para colocar os pneus de pista seca e, assim, fazer uma parada a menos que os rivais. Na 31ª volta, Marcus Ericsson foi o primeiro a arriscar colocar os pneus slick. No giro seguinte, foi a vez de Hamilton colocar os ultramacios, sendo seguido por quase todos os pilotos.

Ricciardo demorou uma volta a mais para parar e sofreu com um erro da equipe Red Bull, que não tinha seus pneus preparados. Com isso, o australiano voltou logo colado no inglês, mas em segundo. Após as paradas, Perez pulou para terceiro, à frente de Vettel, Alonso, Rosberg, Hulkenberg, Sainz, Verstappen e Button.

Na 35ª volta, Verstappen, que largara nos boxes e fazia uma prova agressiva de recuperação, acabou no muro e causou mais um Safety Car Virtual. Na relargada, Ricciardo seguiu pressionando, mas não conseguia passar Hamilton, que chegou a dar uma fechada forte, investigada pelos comissários, mas não foi punido.

Nas voltas finais, Ricciardo não conseguiu mais pressionar Hamilton, que venceu apenas pela segunda vez em Mônaco. Sergio Perez chegou a ser perseguido por Sebastian Vettel, mas o alemão errou no mesmo ponto em que Verstappen bateu e perdeu contato com o mexicano. Fernando Alonso se segurou após ser pressionado por várias voltas por Nico Rosberg e levou a McLaren ao quinto lugar, com o líder do campeonato apenas em sétimo, após ser também superado por Nico Hulkenberg praticamente na linha de chegada. Carlos Sainz, Jenson Button e Felipe Massa completaram o top 10.

Confira o resultado final do GP de Mônaco
1. Lewis Hamilton (GBR/Mercedes) - 78 voltas, em 1h59min29s133
2. Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull) - a 7s252
3. Sergio Perez (MEX/Force India) - a 13s825
4. Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) -  a 15s846
5. Fernando Alonso (ESP/McLaren) - a 1min25s076
6. Nico Hulkenberg (ALE/Force India) - a 1m32min999s
7. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 1min33s290
8. Carlos Sainz (ESP/Toro Rosso) - a 1 volta
9. Jenson Button (GBR/McLaren) - a 1 volta
10. Felipe Massa (BRA/Williams)-  a 1 volta
11. Valtteri Bottas (FIN/Williams) - a 1 volta
12. Esteban Gutiérrez (MEX/Haas) -  a 1 volta
13. Romain Grosjean (FRA/Haas)- a 2 voltas
14. Pascal Wehrlein (ALE/Manor) - a 2 voltas
15.  Rio Haryanto (INA/Manor) -  a 2 voltas

Não completaram
Marcus Ericsson (SUE/Sauber)
Felipe Nasr (BRA/Sauber)
Max Verstappen (HOL/Red Bull)
Kevin Magnussen (DIN/Renault)
Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso) 
Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari)
Joylon Palmer (GBR/Renault) 

UOL Esporte

Irã mostra força e lidera Pré Olímpico de vôlei

É verdade que estamos apenas no início do torneio que classifica quatro seleções masculinas de vôlei para os Jogos Olímpicos do Rio, mas o Irã já começou mostrando as garras nas primeiras rodadas e lidera a competição com um ponto à frente de Polônia e França.

Os iranianos estrearam ganhando fácil da Austrália em três sets sem que os australianos passassem dos 20 pontos em nenhuma parcial. E na segunda rodada venceram o Canadá em cinco sets. É uma seleção voluntariosa, defende muito e irrita o adversário.

É um time que joga com bastante velocidade e variação de golpes no ataque e tem um bom volume de jogo. Já vi de perto os iranianos atuarem. É daquelas equipes "chatas" para jogar contra. É preciso muita paciência.

É um dos motivos do Irã já ter surpreendeu várias seleções do primeiro escalão do vôlei mundial como Rússia, Itália, Polônia, Estados Unidos e Brasil. Em cinco confrontos contra os brasileiros no ano passado, os iranianos venceram três.

O crescimento do vôlei no Irã já foi reconhecido por Bernardinho que recebeu convite para dirigir a seleção. O crescimento do vôlei passa por uma história curiosa no país. A prática do esporte é antiga por lá.

Como brincadeira de rua entre crianças, nas escolas e com gente de todas as idades jogando nas redes improvisadas nos parques espalhados por todo o país. O campeonato nacional de clubes é bem disputado. Os ginásios ficam lotados. As torcidas são fanáticas. O vôlei é tradição no país.

O Irã começou a crescer no cenário internacional depois que o argentino Júlio Velasco assumiu o comando da equipe. Ele revolucionou o vôlei por lá. Hoje dirige a Argentina. Curiosamente, quem comanda o Irã é outro argentino: Raul Lozano.

Já apontei aqui Irã, França e Polônia como as seleções favoritas para três das quatro vagas nesse Pré-Olímpico. A outra deve ficar com o Canadá. Os iranianos pegam os franceses nessa madrugada. É um dos desafios do time de Lozano. A Polônia será o outro dentro desse torneio. 

Nos Jogos Olímpicos do Rio, se confirmar a classificação, a seleção do Irã tem tudo para fazer bonito. Será a sua primeira olimpíada. E merece alcançar uma boa colocação pelos resultados que vem obtendo nos últimos anos no cenário internacional. As outras seleções que se cuidem. O Irã vai "correr por fora" e quem bobear pode ser surpreendido.

ESPN

Força vence Estrela e deixa classificação em aberta na Copa Ipanema

(Foto: Nicholas Araujo/Divulgação)


Com uma postura mais ofensiva e apostando nos cruzamentos, o Força Esporte Clube (Interouro Alimentos/BBCOP/GVT) derrotou o Estrela por 3 a 0 na tarde desse sábado (28/05) e deixou a decisão por vaga na próxima fase para a última rodada da Copa Ipanema Super Masters Areia. Os gols foram feitos pelo meia Zim (duas vezes) e pelo atacante Veia.

Na próxima rodada o Coruja enfrenta o Marcenaria Cavalcante, lanterna da competição, e só depende de si para avançar a próxima fase. Por outro lado, o Estrela se despede da competição com 5 pontos e a vice lanterna da competição.

O jogo

O Força começou arrasador nos primeiros minutos. Sem dar espaço para o adversário, o Coruja abriu o placar logo aos 3 minutos com Zim, após receber a bola em cruzamento pela esquerda. Pressionado, o Estrela não encaixava as jogadas ofensivas e abria espaço para os contra-ataques do Força, principalmente com os atletas Dê, Veia, Zim, Zagatto e Stefanelli. Aos 15 minutos, Veia encaixou belo chute e mandou no canto direito para fazer 2 a 0.

Recuado, o Estrela esbarrava na boa marcação dos zagueiros e nas roubadas de bola do meia Nilson. O atacante Dê ainda teve a chance de ampliar o placar no final do primeiro tempo em cabeçada após cruzamento novamente da esquerda, mas a bola passou por cima da meta.

No segundo tempo, o cenário não mudou e o Força manteve a pressão. Aos 10 minutos, Stefanelli cobrou falta pela direita e mandou na cabeça de Zim, que apenas empurrou para as redes. Mesmo com a vantagem, a equipe do técnico Mário Sérgio aproveitou o bom momento, mas desperdiçou várias chances de aplicar a goleada. Compacta, o sistema defensivo funcionou e não deixou os adversários alcançarem a meta do goleiro Luciano. Final de jogo 3 a 0 para o Força.

Na próxima rodada, o Coruja enfrenta o Marcenaria Cavalcante, no dia 4 de junho, as 13h45. Para fechar a primeira fase, o Vila Carvalho enfrenta o Restão e o Lado a Lado joga contra o Cascavel. Confira outros resultados da rodada desse sábado:

Real Madri 0x0 Super Estrela
Cascavel 1x0 JR Motos

Sobre o Força: Equipe de futebol amador fundada no ano de 2009 em Ribeirão Preto (SP) por Osmar “Mineiro”, que de início nomeou a equipe como Força da Madrugada. Disputou as divisões Super Masters e Cinquentão (Grama e Areia) da Copa Ipanema. Em suas campanhas, há o vice-campeonato de 2011 no Super Masters Grama e o título de 2012 na mesma categoria, recebendo também os prêmios de melhor dirigente, artilheiro e disciplina. Atualmente, o Força é patrocinado pela Interouro Alimentos, o Mercado BBCOP e a GVT.

Atendimento a Imprensa
Nicholas Araujo – Jornalista Responsável
Email: forcaclube@gmail.com  

(Foto: Nicholas Araujo/Divulgação)

sábado, 28 de maio de 2016

Real bate Atlético de Madri nos pênaltis e conquista a 11ª Champions

(Foto: REUTERS/Tony Gentile)


A mesma final, o mesmo campeão. Duas temporadas depois de se enfrentarem em Portugal, Real Madrid e Atlético de Madri voltaram a se encontrar em uma decisão da Liga dos Campeões. E o resultado foi o mesmo: título para os merengues. Dessa vez, no entanto, os comandados de Zidane precisaram da disputa de pênaltis para levar a taça, após empate em 1 a 1.

As cobranças de pênaltis terminaram em 5 a 3, com Juanfran sendo o único jogador a desperdiçar uma cobrança. Com a bola rolando, o empate em 1 a 1 foi construído com gols de Sergio Ramos, para o Real Madrid, e Ferreira Carrasco, para o Atlético de Madri.

Essa é a 11ª taça da Liga dos Campeões conquistada pelo Real Madrid, a primeira sob o comando de Zinedine Zidane. O francês assumiu a equipe em janeiro, depois de Rafa Benítez ser demitido após maus resultados.

JUANFRAN VIRA VILÃO E CRISTIANO RONALDO NÃO PERDOA

Antes de a disputa de pênaltis começar, Diego Simeone caminho em direção à torcida do Atlético de Madri para pedir apoio dos torcedores, que corresponderam com muitos gritos. Pelo lado do Real Madrid, a preocupação seguia com a condição física dos jogadores. Modric foi um dos que receberam massagem antes das penalidades.

Na hora das cobranças, o desgaste não fez diferença. Apenas Juanfran desperdiçou sua cobrança, o suficiente para tirar o título das mãos do Atlético de Madri. Coube a Cristiano Ronaldo, o craque do time, deslocar Oblak e marcou o quinto pênalti do Real, o da vitória, o do título.

CÃIBRAS MARCAM A PRORROGAÇÃO

Sem poder fazer substituição desde o fim do tempo regulamentar, o time do Real Madrid demonstrou muito desgaste na prorrogação. As cãibras, no entanto, não foram exclusivas da equipe madrilenha. Filipe Luís precisou ser substituído por causa disso. Além dele, Koke e Modric também caíram no chão com cãibras, mas continuaram no jogo. Com o cansaço evidente, nenhuma das equipes chegou a levar grande perigo para desempatar a partida. E o caminho dos pênaltis passou a ser o mais óbvio.

ELE DE NOVO

Herói na final de 2014, Sergio Ramos apareceu mais uma vez para explodir a torcida do Real Madrid. E o jeito foi o mesmo: de cabeça, firme, sem chance para o goleiro. O gol marcado logo aos 14 minutos do primeiro tempo, no entanto, vai dar muito o que falar. O zagueiro estava em posição de impedimento quando Bale desviou a cobrança de falta de Kross.

E se o segundo gol coloca Sergio Ramos ainda mais na história do Real Madrid, também o põe na história da Liga dos Campeões. Com o tento, o zagueiro se iguala a Messi e Di Stéfano, que também marcaram em duas finais contra o mesmo rival: Manchester United e Stade de Reims, respectivamente.

O EMPATE E O BEIJO

Os rumos da partida mudaram em apenas dois minutos. Aos 32, Bale fez boa jogada, invadiu a área e a bola sobrou para Cristiano Ronaldo bater de perna trocada e Oblak defender. Na sequência, a bola voltou para o galês, que cortou o goleiro e chutou para a defesa do Atlético de Madri tirar em cima da linha.

Pouco mais de um minuto depois, o Atlético de Madri fez uso da máxima "quem não faz, toma". Juanfran cruzou da direita e Ferreira Carrasco apareceu para empurrar para o fundo das redes de Keylor Navas. Na comemoração, o jogador que havia entrado no lugar Augusto Fernández, foi até a arquibancada beijar a namorada.

A PRIMEIRA GRANDE CHANCE

Melhor jogador do Atlético de Madri no primeiro tempo, Griezmann teve uma chance de ouro no primeiro minuto do segundo tempo. Pepe tentou antecipar Fernando Torres dentro da área e cometeu pênalti. Na cobrança, o francês soltou a bomba no meio do gol de Navas, mas ela explodiu no travessão para desespero dos torcedores do Atlético de Madri. Logo após o lance, o técnico Diego Simeone foi consolar o atacante.

REAL SOME NO SEGUNDO TEMPO E AUMENTA PRESSÃO DO ATLÉTICO

Precisando buscar o resultado, o Atlético de Madri voltou muito melhor para o segundo tempo. Mesmo após o pênalti perdido por Griezmann, a equipe criou chances para conseguir o empate. Aos 8 minutos, a bola sobrou para Savic após escanteio cobrado e zagueiro chutou na rede pelo lado de fora, fazendo com que a torcida chegasse a comemorar gol.

Aos 14, após boa jogada pela direita, Saúl pegou de primeira e quase empatou o jogo. A bola, no entanto, passou ao lado do gol de Keylor Navas.

MACHUCADO, CRISTIANO RONALDO POUCO APARECE

Dúvida para a partida, Cristiano Ronaldo esteve em campo durante os 180 minutos de partida. O desempenho do português, no entanto, foi muito abaixo do esperado para um jogador do calibre dele. Nas poucas chances que teve, ambas no segundo tempo, parou em defesas do goleiro Oblak.

O fraco desempenho do português fez com que Gareth Bale corresse por dois. As principais jogadas de velocidade do time madrilenho vieram dos pés do galês. Até mesmo as cobranças de falta estavam sendo feitas por Bale.

O CHORO DA FINAL

As lágrimas que caíram do rosto de Carvajal preocuparam não só o Real Madrid como a seleção da Espanha para a Eurocopa. Aos 5 minutos do segundo tempo, o lateral sentiu uma lesão, desabou em campo e começou a chorar compulsivamente. Ele acabou substituído pelo brasileiro Danilo.

UOL Esporte

Ricciardo consegue em Mônaco a 1ª pole na carreira; Massa largará em 14º

(Foto: Eric Gaillard/Reuters)


Daniel Ricciardo será o pole position para o GP de Mônaco. O australiano da Red Bull superou as Mercedes e as Ferraris, que haviam realizado boas performances nos treinos livres. Rosberg registrou o 2º tempo. Hamilton fez o 3º tempo. É a primeira vez na carreira que Ricciardo consegue a pole. Felipe Massa largará na 14ª posição.

"Aqui [Monte Carlo] definitivamente é um lugar especial. Eu sabia que viria aqui e que haveria uma chance", disse Ricciardo.

Principal concorrente de Nico Rosberg, Lewis Hamilton teve problemas no carro no Q3 e acabou prejudicando sua performance. Vettel sairá em quarto, com Hulkenberg em quinto. Raikkonen se classificou em sexto, mas perderá cinco posições no grid pela troca do câmbio.

Massa alegou que o traçado fechado de Monte Carlo não favorece a Williams.

"Estávamos lutando entre a 11ª e a 15ª colocações por um décimo. Mas a gente sabia que seria um final de semana difícil e está sendo e na corrida será a mesma coisa. É claro que largar atrás é um problema grande em uma pista como essa".

Ganhador da última etapa, na Espanha, Max Verstappen se acidentou no treino oficial e largará em penúltimo. A última posição ficará com Felipe Nasr, que não registrou tempo devido à explosão do motor durante a volta.

Q1

A classificação terminou cedo para Felipe Nasr, que teve o motor estourado logo em sua primeira volta rápida e vai largar em último. Com isso, o brasileiro terá de usar sua terceira unidade de potência no ano. O limite para a temporada é de cinco. "Quando eu saí do box, eu senti uma vibração e quando eu estava com aceleração máxima no túnel, perdi potência. Temos que ver o que aconteceu", disse à Band News FM.

"É uma pena porque eu vinha com uma boa sensação para a classificação, achava que tínhamos feito as mudanças certas no acerto. Temos de contar com a sorte, o clima, mas pelo menos do lado do carro estava me sentindo bem."

Nasr terá uma companhia inusitada na última fila. Max Verstappen bater com pouco mais de seis minutos para o final. O holandês estourou sua suspensão na primeira perna do segundo S da piscina e foi reto para o muro, quando vinha fazendo sua primeira volta rápida.

A dupla foi acompanhada pela dupla da Manor, Jolyon Palmer, da Renault, e Marcus Ericsson, da Sauber, entre os eliminados na primeira parte do treino.

Na luta dos primeiros, Vettel superou Hamilton e Rosberg, a exemplo do que acontecera na terceira sessão de treinos livres.

Q2

A eliminação das duas Williams foi o grande destaque da segunda parte da classificação, com Valtteri Bottas se classificando em 11º e Felipe Massa, apenas em 14º. Uma das McLaren, de Jenson Button, também ficou pelo caminho, assim como Kevin Magnussen e as duas Haas.

Na ponta, a Mercedes começou a mostrar serviço, com Rosberg superando Hamilton pela primeira vez no final de semana. Vettel ficou em terceiro, à frente de Ricciardo. As Toro Rosso e as Force India também conseguiram se colocar na disputa do top 10, algo que não vinha acontecendo nas últimas provas.

Q3

Na saída para o Q3, o carro de Lewis Hamilton parou. Os mecânicos se apressaram em retirar a Mercedes do inglês dos boxes para analisar o motivo da pane. Hamilton se atrasou para entrar no Q3 e teve apenas duas voltas boa para registrar tempo. Nos segundos finais, Hamilton conseguiu a terceira posição. 

Ricciardo e Rosberg foram para a pista restando 4 min para o fim, mas ambos não precisaram melhorar seus tempos. Quem também andou bem foram as Toro Rosso, com Carlos Sainz se classificando em sexto e Daniil Kvyat, em oitavo.

Confira o grid de largada do GP de Mônaco
1. Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull) - 1min13s622
2. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - 1min13s791
3. Lewis Hamilton (GBR/Mercedes) - 1min13s942
4. Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) - 1min14s552
5. Nico Hulkenberg (ALE/Force India) - 1min14s726
6. Carlos Sainz (ESP/Toro Rosso) - 1min14s749
7. Sergio Perez (MEX/Force India) - 1min14s902
8. Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso) - 1min15s273
9. Fernando Alonso (ESP/McLaren) - 1min15s363
10. Valtteri Bottas (FIN/Williams) - 1min15s273
11. Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) - 1min14s732*
12. Esteban Gutiérrez (MEX/Haas) - 1min15s293
13. Jenson Button (GBR/McLaren) - 1min15s352
14. Felipe Massa (BRA/Williams)- 1min15s385
15. Romain Grosjean (FRA/Haas)- 1min15s571
16. Kevin Magnussen (DIN/Renault) - 1min16s058
17. Marcus Ericsson (SUE/Sauber)- 1min16s299
18. Joylon Palmer (GBR/Renault) - 1min16s586
19. Rio Haryanto (INA/Manor) - 1min17s295
20. Pascal Wehrlein (ALE/Manor) - 1min17s452
21. Max Verstappen (HOL/Red Bull) - 1min22s467
22. Felipe Nasr (BRA/Sauber) - sem tempo

*punido pela troca do câmbio

UOL Esporte

OMS nega risco de epidemia de Zika em turistas e aprova Olimpíada no Rio

(Foto: Divulgação)


A Organização Mundial de Saúde (OMS) negou, neste sábado, que há risco de uma epidemia de zika com a realização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro. O comunicado ocorre um dia depois de especialistas de saúde de diversos países publicaram uma carta na internet sexta-feira pedindo para que a Olimpíada fosse adiada ou retirada do Rio.

Em comunicado, a OMS informa que, apesar de o Brasil estar entre os países com risco de disseminação do vírus, os milhares de turistas previstos terão grande proteção caso adotem práticas já alertadas por entidades de saúde.

“O cancelamento, adiamento, ou retirada do local dos Jogos Olímpicos de 2016 não vão alterar significativamente a propagação internacional do vírus Zika. O Brasil é um dos quase 60 países ou territórios de contágio do Zika por mosquitos. As pessoas continuam a viajar entre estes países e territórios por variadas razões. A melhor maneira de reduzir o risco de doença é seguir conselhos de saúde pública”.

Embora considere viável a realização da Olimpíada no Rio, a Organização Mundial de Saúde faz algumas ressalvas aos turistas:

- Evitar relação sexual durante o período no Rio de Janeiro. Caso apresente algum sintoma da doença, evitar relação sexual pelas próximas 4 semanas.

- Mulheres grávidas devem evitar presença nos Jogos Olímpicos. Estudos mostram que a microcefalia tem relação direta com transformações nas primeiras semanas de gestação ocasionadas pelo vírus Zika.

- Procure moradias com ar-condicionado (evitando janelas e portas abertas)

- Use repelentes.

- Não ingerir água que não seja tratada.

Oposição aos Jogos no Rio 

Antes do comunicado da OMS, o grupo contrário aos Jogos no Rio afirmou ter levantado dados científicos que apontariam para o risco da realização da competição no Rio de Janeiro.

O grupo declara que se trata de uma "emergência de saúde pública de interesse internacional" e aponta que outros grandes eventos internacionais já foram transferidos de países. Eles citam como exemplo o fato de Major League Baseball ter tirado partidas de Porto Rico por causa do zika e a Copa Africana de Nações de 2015 ter sido transferida do Marrocos para Guiné Equatorial por causa do Ebola.

"Nossa maior preocupação é com a saúde global e com o risco que estarão expostos os cerca de 500 mil turistas que deverão ir aos Jogos. É anti-ético correr este risco apenas para levar a competição adiante", diz trecho da carta.

UOL Esporte

Fora de casa, Orlândia consegue empate contra Marechal pela Liga Nacional

(Foto: Divulgação/ADC Intelli)


Jogando no ginásio Ney Braga na última sexta-feira (27), o Orlândia, do técnico Cidão, encarou os paranaenses do Marechal Rondon em partida válida pela sétima rodada da Liga Nacional. Fora de casa, o time orlandino empatou com o mandante pelo placar de 1 a 1.

Em chute cruzado, a equipe do Paraná tirou o zero do marcador com o jogador Eduardo Jabá. Fixo da Intelli, Renan empatou a menos de dois minutos do final do confronto, garantindo o ponto para os interioranos.

Com o resultado, o Orlândia agora está na quinta colocação, com 12 pontos ganhos: três vitória e três empates em seis partidas. O time orlandino foi o que mais marcou gols até a sétima rodada, são 32 contra 13 sofridos.

Na próxima quinta-feira (02), a Intelli medirá forças com o São José Futsal, em duelo válido pela oitava rodada da Liga Nacional. O jogo entre paulistas está marcado para acontecer a partir das 18h30, no ginásio Maurício Leite de Moraes.

FPFS

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Medalhista do judô perde em estreia e pode ficar fora da Olimpíada do Rio

(Foto: Divulgação/Rio 2016)


Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, o judoca Felipe Kitadai está com sua participação na Olimpíada do Rio de Janeiro em agosto muito ameaçada. Nesta sexta-feira, o atleta que compete na categoria até 60 kg foi eliminado na estreia do Masters de Guadalajara (MEX) e não conseguirá superar o compatriota Eric Takabatake no ranking olímpico.

Takabatake que entrou na disputa com 21 pontos de vantagem (1.252 a 1.231) também caiu na primeira luta e desta forma manterá a vantagem.

O ranking mundial servirá como base para a convocação dos judocas para a Olimpíada, mas não será o único critério. A relação dos convocados será divulgada na próxima quarta-feira pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ).

"Claro que existem alguns outros fatores que podem ser levado em conta. Por exemplo, se o atleta está em um momento de ascensão ou queda e qual tem sido o seu desempenho nas competições mais recentes. Mas a tendência maior é que seja o ranking mundial. Dá mais transparência a todo o processo", explicou ao UOL Esporte Ney Wilson, gestor de alto rendimento da CBJ.

O algoz de Kitadai no Masters de Guadalajara foi o sul-coreano Won Jin Kim, que venceu por 2 yukos a 1. Já Takbatake caiu ante o francês Walide Khyar por ippon.

UOL Esporte

Yane Marques cai de rendimento e fica só em 13º no Mundial de Pentatlo

(Foto: Reprodução)


A brasileira Yane Marques mostrou mais uma vez que precisará melhorar bastante o seu desempenho na prova combinada (corrida + tiro) se quiser brigar por uma medalha nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto.

Nesta sexta-feira, a pernambucana participou da final do Campeonato Mundial de Moscou (RUS) e acabou somente na 13ª colocação, bem distante do pódio. O resultado é decepcionante pois Yane entrou para a disputa da prova combinada ocupando a terceira posição na classificação geral depois de bom rendimento na esgrima, natação e hipismo.

Na etapa decisiva, a brasileira foi somente a 26ª e fechou a competição 44 segundos atrás da campeã, a húngara Sarolta Kovacs. O segundo posto foi da francesa Elodie Clouvel e o terceiro com a alemã Lena Schoneborn.

No início do mês, Yane já havia sofrido na prova combinada, durante a Superfinal da Copa do Mundo, nos Estados Unidos. Ela largou no terceiro lugar, mas foi somente a 24ª a cruzar a linha de chegada e ficar em 14º no geral.

UOL Esporte

Nadal abandona Roland Garros por causa de problema no punho

(Foto: AFP PHOTO / MIGUEL MEDINA)


Dono de nove títulos em Roland Garros, Rafael Nadal anunciou nesta sexta-feira a sua desistência de Roland Garros por causa de um problema no punho esquerdo. O tenista espanhol informou a imprensa em uma entrevista coletiva.

"Tenho de me retirar do torneio porque tenho um problema no meu punho e venho sentindo isso há semanas. Esta talvez seja uma das coletivas de imprensa mais tristes de minha carreira", afirmou.

"Ontem, eu tive de tomar uma injeção no punho para poder jogar anestesiado. Ontem à noite, comecei a sentir mais e mais dores", disse o jogador, que na quinta-feira passou por 3 sets a 0 pelo argentino Facundo Bagnis para avançar à terceira rodada, na qual enfrentaria o compatriota Marcel Granollers neste sábado. 

"Fiz exames e sei que havia a possibilidade haver um rompimento e tendão e aí teria de parar por muito mais tempo. Fizemos tudo bem feito, mas cheguei ao limite. É aceitar esta situação e seguir trabalhando", afirmou Nadal.

"Eu sei que não tenho condições de terminar o torneio. Se não tenho condições de jogar mais cinco partidas, não tem porque seguir. É parte da vida e espero voltar por mais e mais anos a Roland Garros", prosseguiu.

Além da vitória por 3 a 0 sobre Bagnis na quinta-feira, Nadal havia passado em sua estreia pelo australiano Sam Goth na estreia, perdendo apenas três games.

Com a desistência do espanhol, o caminho até a decisão fica aberto para Novak Djokovic. O embate entre o sérvio espanhol estava previsto para a semifinal, caso ambos chegassem até lá.

Esta não é a primeira vez que Nadal sofre com problemas no punho. Em 2014, ele perdeu diversos torneios da gira americana de quadra dura e o Aberto dos Estados Unidos por causa de dores no local.

Em sua entrevista, o espanhol não deu mais detalhes sobre como será a sua recuperação e quanto tempo precisará ficar afastado das quadras.

"Não é algo grave porque confiamos que em uma semana, em um mês ou o tempo que se necessite o problema estará solucionado, Estarei um tempo parado, não sei a data exata em que poderei voltar, mas não é grave", completou.

UOL Esporte