segunda-feira, 23 de maio de 2016

Condutor da tocha, Guega Fofanoff prevê medalhas olímpicas ao Brasil

(Foto: Luis Ruas)


Um dos convidados para conduzir a tocha olímpica na passagem por Ribeirão Preto, no dia 18 de julho, o cavalheiro Guega Fofanoff, que nasceu na cidade do interior paulista, se sentiu orgulhoso pela lembrança e confessou que ficou surpreso com o convite.

- Eu fiquei muito orgulhoso pelo reconhecimento porque é uma coisa que eu não estava esperando e de repente surgiu o convite. Então, para mim, é um grande orgulho representar Ribeirão carregando a tocha – disse.

O cavaleiro, que disputou os Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, Atlanta, em 1996, Sydney, em 2000, e Londres, 2012, não disputará a competição em 2016 por conta de lesões com os cavalos, mas disse que já está se preparando para Tóquio, em 2020.

- Num treino intenso os cavalos tiveram alguns problemas de lesão, nada sério, mas leva tempo para a recuperação. Por conta disso não deu tempo de fazer parte da seletiva. Mas agora vamos pensar em Tóquio, na próxima, porque não pode parar – afirmou.
Em relação aos atletas que podem defender o Brasil na edição do Rio de Janeiro, Guega se mostrou muito confiante.

- Nós estamos com um técnico muito bom (Mark Todd, Neozelandês), e o pessoal está se preparando na Europa porque lá existem mais competições, então eu acho que as chances de medalhas são reais. Inclusive o mundo inteiro está na Inglaterra, não estamos nos comparamos com os vizinhos, estamos juntos aos melhores do mundo – analisou.

Mesmo sem competir, o atleta diz que pode ajudar a equipe brasileira, já que o Mark Todd, treinador neozelandês da seleção de hipismo do Brasil, também irá comandar a Nova Zelândia nas Olimpíadas, simultaneamente.

- Eu me coloquei à disposição para ajudar. Até porque o nosso técnico vai participar das Olimpíadas pela equipe da Nova Zelândia, então praticamente não teremos um técnico em tempo integral durante os jogos. Assim, ele deve passar as informações para os cavalheiros e eu me candidatei para ser esse intermediário – completou.

A tocha olímpica tem previsão de chegada a Ribeirão Preto no dia 18 de julho, no mesmo dia de São Carlos, Araraquara e Jaú.

Globo Esporte