sexta-feira, 13 de maio de 2016

Defesa Civil interdita primeira fileira do anel inferior do Morumbi

(Foto: Reprodução)


Depois de uma perícia na tarde desta quinta-feira, a Defesa Civil municipal interditou a primeira fileira do anel inferior do Morumbi. A medida foi uma sugestão dos técnicos e acatada pelo clube que tem 20 dias para fazer reformas no local e apresentar um atestado de segurança. 

A decisão ocorre no dia seguinte em que 16 pessoas caíram de um camarote depois que a grade não suportou o peso de torcedores que se aglomeraram para comemorar o gol na partida da Libertadores contra o Atlético Mineiro. Na mesma noite uma perícia da Polícia Civil atestou que o equipamento de proteção apresentava corrosão.

"O trabalho que fizeram não foi um trabalho bem feito. É evidente que há corrosão. Falo dessa grade que rompeu e ela é igual em toda extensão", afirmou Edwar Folli, perito criminal da Policia Civil.

"A gente não sabe qual é o tipo de corrosão, iremos mandar para o laboratório, mas é evidente que é corrosão", completou.

Já o São Paulo pôs em xeque a tese da corrosão. Nesta quinta, o vice-presidente de comunicação José Manssur disse que o guarda-corpos que cedeu é feito de aço inoxidável. O cartola afirmou também que é preciso esperar a produção dos laudos oficiais para ter certeza das causas do acidente. 

A queda do guarda-corpos assustou os jogadores do São Paulo, que foram os primeiros a socorrer os feridos ainda no fosso do estádio. No total, 16 pessoas foram levadas para ao ambulatório e sete encaminhadas aos hospitais São Luiz, Bandeirantes e Campo Limpo. O clube informou que dois receberam alta, dois permanecem internados e três precisam passar por cirurgias. O São Paulo prometeu arcar com os custos.

Os ferimentos foram na maioria cortes e fraturas. O acidente ocorreu aos 34 minutos do segundo tempo e a partida ficou interrompida por seis minutos. O jogo terminou 1 a 0 para o São Paulo e o confronto de volta ocorre na próxima semana em Belo Horizonte.

Ponto de Opinião: Algo nesse patamar deveria interditar o estádio inteiro para ser melhor vistoriado em todos os setores. Um estádio que acabou de passar por uma reforma não deveria ter problemas como esse. Vamos fazer o trabalho direito e evitar acidentes como esse.

UOL Esporte