terça-feira, 3 de maio de 2016

Divergências com técnico provocam mudanças na diretoria do Botafogo-SP

(Foto: Luís Augusto / Agência Botafogo)


Durou 13 dias o comando do trio Virgílio Pires Martins, Osvaldo Festucci e Luiz Pereira no departamento do futebol do Botafogo-SP. Na manhã deste sábado, o clube anunciou que Festucci e Pereira não fazem mais parte da diretoria do clube, que, a partir de agora, será tocada por Pires Martins e Octávio Valini, vice-presidente que acumulará a função como diretor.

Em nota oficial, o clube informa que a saída da dupla ocorreu em comum acordo e por motivos pessoais. Pereira não foi encontrado pela reportagem. Porém, Festucci declarou que sua saída aconteceu por conta de divergências profissionais entre ele e o técnico Márcio Fernandes, o que foi confirmado pelo presidente do Botafogo, Gerson Engracia Garcia.

- São formas diferentes de ver o futebol. Respeito a posição do Osvaldo [Festucci], mas algumas decisões precisam ser tomadas. Não houve uma escolha entre os diretores e o técnico. Seria injusto fazer isso. São funções diferentes. O técnico é um funcionário do clube, o diretor é um abnegado. Foram questões de planejamento, capacidade de investimento e chega um momento que tudo fica muito grande, com muita gente opinando. Eu lamento. Tenho buscado ser plural, ouço todos, mas as decisões são sempre pelo melhor do clube - comentou Engracia Garcia.

Nos 13 dias no departamento de futebol, Festucci contratou o volante Derli, que estava no Juventus. Ainda segundo o agora ex-diretor, jogadores como o meia Branquinho, do Santo André, e o lateral-meia Raphael Toledo e o atacante David, ambos do Batatais, estariam próximos do Pantera, porém, Márcio Fernandes não teria aprovado alguns nomes.

- Existe muita especulação no mercado. Mas não vamos entrar em leilão por atletas. Vamos analisar, mas temos outras opções também para montar nosso elenco. Quero dizer que tanto o Osvaldo quanto o Luiz Pereira, apesar de terem ficado pouco tempo, contribuíram com o Botafogo. Os dois têm grandes serviços prestados ao clube e merecem todo o respeito.

Com a saída de Festucci e Pereira, o Botafogo sofre a segunda mudança em sua direção de futebol em menos de 20 dias. Com o fim do Paulistão, o então diretor Eduardo Esteves anunciou seu desligamento do clube, assim como Sérgio Brandani e Rodrigo Rocha.

- Vejo apenas como coincidência. Houve a mudança na diretoria ao final do campeonato da A1. O Esteves, o Rodrigo Rocha e Brandani nos ajudaram, realizaram um grande trabalho, contribuíram para nossa permanência na A1 e optaram por não continuar. Convidamos o Virgilio, que montou o departamento com o Osvaldo e o Luiz. Não há problema interno no Botafogo. Espero que tenhamos mais nenhuma troca - concluiu Gerson Engracia Garcia.

Globo Esporte