domingo, 5 de junho de 2016

Com emoção e espera, Canadá está na Rio 2016

(Foto: FIVB)


Previa-se, no começo do ano, que o Canadá iria para a Rio 2016 porque, com os EUA já classificados pela via da Copa do Mundo, a vaga da Norceca (América do Norte, Central e Caribe) seria sua. E, de fato, os canadenses irão às Olimpíadas. Mas foram pelo caminho mais longo (e emocionante).

Na madrugada deste domingo, pela última rodada do Pré-Olímpico Mundial masculino, o Canadá reservou lugar na Vila Olímpica depois de vencer a China, concorrente direta, por 3 sets a 2 (25-16, 20-25, 24-26, 25-20, 15-9) e aguardar, pacientemente, por uma vitória do time misto da Polônia sobre a Austrália.

Assim, a equipe canadense, que não ia às Olimpíadas desde Barcelona 1992, se torna a quinta seleção da América a marcar presença nos Jogos – junto com Brasil, EUA, Cuba e Argentina. Isso, por si só, já é um recorde do continente, e tem tudo para ser ampliado na noite deste domingo, quando o Pré-Olímpico do México chegar ao fim.

Destaque do time na competição, o ponteiro Gord Perrin assinalou 27 pontos, sendo 25 de ataque (62% de aproveitamento) e foi o principal pontuador do confronto. O oposto Gavin Schmitt, com 23, foi o segundo.

Na temporada de clubes, Schmitt, contundido, mal conseguiu entrar em quadra, teve uma passagem esquecível pela Funvic/Taubaté. Em janeiro, no Pré-Olímpico da Norceca, em Edmonton (Canadá), apenas assistiu à derrota para Cuba, resultado que obrigou sua seleção a disputar o qualificatório mais duro. Mas, em Tóquio, foi o atacante mais efetivo da equipe, com 55,9% de aproveitamento, foi o segundo pontuador do Canadá, com três pontos a menos que Perrin, e vai, com 30 anos de idade, disputar sua primeira Olimpíada.

Batida a China, o Canadá precisava, ainda, da colaboração da Polônia: se os australianos superassem os poloneses por qualquer placar, a vaga era dos Volleyroos. Para acabar com a apreensão canadense, os campeões mundiais não decepcionaram – dá, até, para dizer que se vingaram.

Em jogo quente e equilibrado, Brasil volta a derrotar Argentina

Quatro anos atrás, nos Jogos de Londres, uma derrota na última rodada na primeira fase para Austrália complicou a vida da seleção polonesa: em vez de passar em primeiro no grupo e pegar a Alemanha, passou em segundo para cair contra a Rússia, nas quartas. Frio ou não, o prato da vingança foi servido neste Pré-Olímpico.

Com apenas dois dos titulares em quadra – o levantador Lomacz e o central Bieniek – a Polônia acabou com o sonho australiano, impondo uma derrota por 3 sets a 0 (25-21, 25-15, 27-25). O oposto Konarski assinalou 18 pontos e, mesmo na condição de reserva de Bartosz Kurek, acabou o torneio como o maior pontuador polonês.

Do lado australiano, Thomas Edgar, que começou a competição com um estiramento no abdômen, fez sete pontos no duelo e, no segundo set, deu lugar a Paul Carroll, que terminou com seis.

Vale lembrar também que o Canadá colhe uma classificação que, de certa forma, foi plantada na terceira rodada do torneio, quando ganhou da Austrália no tie break, depois de estar perdendo por 2-1 e vencer o quarto set por 29-27.

Outros jogos
A rodada final do Pré-Olímpico teve, ainda, duas partidas sem interesse à classificação. O Irã venceu a Venezuela por 3 sets a 2 (25-23, 27-29, 21-25, 25-18, 15-8) e, dessa forma, os sul-americanos terminam o torneio como os únicos sem nenhuma vitória na conta.

Já na manhã do domingo, o Japão, prematuramente eliminado, afagou sua torcida com uma vitória por 3 sets a 0 sobre os reservas da França (25-18, 25-23, 25-23). O time da casa encerra a competição com duas vitórias, mas sem ter feito um ponto, sequer, contra os adversários do continente.

REPESCAGEM NA CIDADE DO MÉXICO
O time da casa está bem perto da Rio 2016, na liderança do polêmico quadrangular que distribui uma vaga para as Olimpíadas. Diante de 5,2 mil torcedores que lotaram o ginásio Juan de la Barrera, o México derrotou o Chile de virada por 3-1 (22-25, 25-21, 25-22, 25-22). As duas equipes haviam ganhado seus jogos na primeira rodada. Na preliminar, duas seleções africanas ainda sem nenhum ponto se enfrentaram e a Tunísia levou a melhor sobre a Argélia, também por 3-1 (25-14, 22-25, 26-24, 25-21).

O torneio acaba na noite deste domingo (5). Primeiro haverá o jogo Chile vs. Argélia (20h, horário de Brasília), seguido de México vs. Tunísia (22h30). Ambos serão transmitidos pelo canal da FIVB no YouTube. O anfitrião soma seis pontos, enquanto Chile e Tunísia têm três. A Argélia, eliminada, ainda não marcou nenhum ponto.

Os mexicanos, como já dissemos, estão com a mão no bilhete para o Rio de Janeiro. Basta a eles vencer dois sets contra a Tunísia, que na segunda rodada jogou bem melhor do que na primeira. Porém, chilenos e tunisianos ainda têm chances, mas envolvendo uma combinação de resultados que passa por uma derrota mexicana em três ou no máximo quatro sets – vários cenários que vão do saldo de sets ao de pontos, a partir de uma gama de resultados. O México está assim bem próximo da sua segunda participação olímpica – a primeira foi em 1968, como país-sede.