terça-feira, 14 de junho de 2016

Neymar não admite ‘irresponsabilidade’ e joga culpa para cima dos ‘babacas’

(Foto: Reprodução)


A eliminação precoce da seleção brasileira de futebol na Copa América Centenário só não foi menos questionada na imprensa brasileira, principalmente, e na imprensa internacional, pelo fato do atacante Neymar dar o seu veredicto sobre a atual situação do esporte no Brasil. Com um linguajar baixo, o atleta chama de “babaca” os críticos da seleção que falam "merda" dos convocados e da comissão técnica formada para essa competição.

Felizmente Neymar, vou ficar nessa sua lista de “babaca”. 

A seleção perdeu o seu brilho há muitos anos. Não é de hoje que o futebol brasileiro não dá mais aquela alegria ao torcedor. Casos de corrupção, roubo, erros de arbitragem, dívidas exorbitantes dos clubes, jogadores que não correspondem a altura, são inúmeros os motivos para o torcedor desistir da seleção.

Você é um deles Neymar, que saiu do Santos pelos fundos, realizou uma verdadeira “mutreta” para ir ao Barcelona, jogou o mundial de clubes pelo clube santista já com o contrato assinado com o Barça e ainda paga de bom moço no futebol internacional. Tomara que você resolva seu problema com a sonegação de impostos e fraude.

Quando Dunga assumiu pela primeira vez a seleção, tive sérias dúvidas quanto ao profissionalismo do mesmo. Não acompanhei sua carreira de jogador, mas pelo que vejo o ex-atleta só é conhecido por levantar a taça de campeão do mundo pelo Brasil. Após sua saída do comando da amarelinha, tive a certeza de que ele não tinha atitude suficiente para comandar algo tão grande quanto à camisa verde e amarela. Mas a CBF insistiu no erro, e ainda trouxe Gilmar Rinaldi para completar a bagunça.

(Foto: Sergio Moraes/Reuters)

Não é de hoje que o futebol brasileiro virou uma vitrine de negócios. O jogador roda por alguns times, se destaca e a imprensa já fala em sondagem da Europa, Estados Unidos e Ásia. Cadê o incentivo para o jogador ficar no Brasil? Cadê a motivação para o jogador disputar campeonatos por São Paulo, Palmeiras, Internacional, Fluminense? Isso ficou no passado. Hoje, o futebol brasileiro está sem representatividade e poder. 

Uma camisa que carrega cinco títulos mundiais, conquistados de forma magistral, não deveria ter sido goleada por 7 a 1 da Alemanha, ser eliminada de duas Copa América de forma precoce e estar ameaçada de ficar fora da copa de 2018. Passamos de uma potência futebolística para meros coadjuvantes e até mesmo “saco de pancada”.

O que me enche de orgulho é poder ver, seja pela televisão, pelo rádio ou no estádio, a emoção de vibrar por um time, de gritar o gol e de comemorar uma vitória, e não chorar porque meu clube do coração pensa apenas no dinheiro e que “se dane” o amor a camisa. 

Caro Neymar, não estamos aqui falando “merda”, estamos apenas mostrando uma realidade que você deixou de enxergar quando saiu do Brasil rumo a Espanha. Enquanto alguns jogadores lutam pela camisa verde e amarela, você está nas baladas, festas e piscinas curtindo essa sua vida de ricaço. Você deixou de ser protagonista quando não jogou contra a Alemanha e foi omisso perante a proibição do clube catalão a sua participação na Copa América. Você deixou de ser craque, porque desde que você assumiu pela primeira vez a camisa canarinho eu espero uma partida magistral sua, que até hoje não consegui assistir. 

A quem lute por essa camisa tão amada nas décadas de 70 e no início dos anos 2000, mas hoje ela virou sinônimo de negócio, comandada por pessoas que só pensam no lucro, que só pensam no balcão de negócios e desacreditaram a torcida. Hoje estamos tão destruídos quanto após o 7 a 1.