quarta-feira, 15 de junho de 2016

Tite aceita convite da CBF e assume a seleção no lugar de Dunga

(Foto: Reprodução/Twitter)


Um dia depois da demissão de Dunga na tarde da ultima terça-feira (14), a seleção já tem um novo técnico: Tite. O treinador deixou o Corinthians, que ocupa a quarta colocação no Brasileiro, e passará a comandar o Brasil.

A informação foi divulgada em primeira mão pelo presidente do clube paulista, Roberto de Andrade, na tarde desta quarta-feira (15). Internamente, a CBF confirmou a informação a aliados de que está tudo certo com Tite. Posteriormente, Walter Feldman, secretário-geral da CBF, disse que a questão salarial e contratual ainda será formalizada nesta quinta-feira.

"Não fizemos nenhum movimento com Tite desde o encontro de ontem", afirmou o cartola, que se disse surpreso com entrevista ríspida do mandatário corintiano. "A partir de agora iniciaremos os movimentos profissionais com o técnico", prosseguiu.

"A formalização do convite e os entendimentos necessários para a formulação do contrato se iniciarão amanhã pela manhã. Com o diálogo que tivemos ontem, acredito que tudo está bastante encaminhado. Mas, evidentemente, têm outras questões contratuais e salarias que estão ainda para ser discutidas".

O agora ex-treinador corintiano, porém, não comandará o Brasil na Olimpíada do Rio, em agosto. O cargo será de Rogério Micale.

"Tite não comanda mais o Corinthians. Ele aceitou o convite da seleção brasileira", afirmou o dirigente corintiano em entrevista coletiva.

"No jogo de quinta [contra o Fluminense] não dirige mais o time. Fui a primeira pessoa que ele comunicou, faz duas horas. Achava que ele não iria, fui surpreendido. Não pensei em nomes. Vou pensar nisso agora", explicou Roberto de Andrade.

De acordo com Roberto de Andrade, o treinador será acompanhado dos auxiliares técnicos Cleber Xavier e Matheus Bacchi e do gerente de futebol Edu Gaspar. A tendência grande é de que o preparador físico Fábio Mahseredjian, o analista de desempenho Fernando Lázaro e o preparador de goleiros Mauri Lima sejam compartilhados ente Corinthians e seleção.

Segundo a CBF, Gaspar foi sugestão da própria CBF referendada por Tite. Mas a informação é de que foi o técnico que pediu. "O que tivemos foi uma primeira discussão programática. Eles tiveram uma conversa de 2h40. Foi extraordinário. Ambas as partes ficaram de pensar. Combinamos que voltaríamos a conversar. Foi uma conversa muito republicana. Vocês ficariam surpresos", completou Feldman.

Questionado se guardaria algum ressentimento de Tite, o presidente do Corinthians rasgou elogios ao técnico e agradeceu o trabalho dele à frente do clube do Parque São Jorge.

"De forma nenhuma [fiquei chateado], tenho que agradecer a ele e a todos os que estão acompanhando o Tite na CBF", falou Roberto de Andrade, que disse estar "puto" com a CBF.

O acerto de Tite com a CBF confirma o que já era indicado pelas movimentações da entidade nos últimos dias. Além de Dunga, foi dissolvida toda a comissão técnica da seleção, que teve também a saída do dirigente Gilmar Rinaldi.

Tite se reuniu por três horas com Marco Polo Del Nero, presidente da CBF, na noite de terça, mas só deu a resposta na quarta, após ouvir a família e conversar com dirigentes corintianos.

Tite na seleção já havia se tornado quase unanimidade entre torcedores nos últimos anos. Após uma breve passagem pelo Al-Wahda, venceu seu primeiro Campeonato Brasileiro pelo Corinthians em 2011. No ano seguinte, se consagrou ao levar o alvinegro à inédita conquista de Libertadores e, na sequência, do Mundial de Clubes.

No fim de 2013 deixou o Parque São Jorge, e esperava o convite da seleção brasileira após a Copa de 2014. A CBF, entretanto, escolheu Dunga, em uma decisão que magoou o ex-corintiano. No ano passado, Tite voltou ao alvinegro, e mais uma vez teve sucesso, conquistando o Brasileiro.

Roberto de Andrade ataca a CBF

Na mesma entrevista em que anunciou o acerto de Tite com a seleção brasileira, o presidente corintiano, Roberto de Andrade, atacou a CBF por não tê-lo consultado durante o processo. Além de o secretário-geral da entidade, Walter Feldman, ter ido à público para esclarecer o ocorrido, a confederação também se posicionou em seu site oficial. Leia a nota na íntegra:

Tendo em vista as declarações do Presidente do Sport Club Corinthians Paulista, Sr. Roberto de Andrade, a CBF esclarece que cumpriu rigorosamente os trâmites éticos e institucionais por ocasião da transição do comando da Seleção Brasileira de Futebol e informa:

1 – Que não manteve contato com nenhum treinador visando à substituição de Dunga até seu formal desligamento da Seleção;

2 – Que a CBF teve um único contato com Tite, na noite de ontem, para saber de sua eventual disposição em dialogar com a entidade sobre a possibilidade de assumir o cargo;

3 – A conversa limitou-se à troca das expectativas das partes, sem tocar em qualquer questão de cunho contratual ou salarial, no aguardo do contato, nesta manhã, entre os presidentes da CBF e do Clube;

4 – Na primeira hora da manhã desta quarta-feira, o presidente Marco Polo Del Nero tentou, por diversas vezes, o contato telefônico com o Sr. Roberto de Andrade;

5 – Diante do insucesso das tentativas, sucederam, a partir das 9 horas e 42 minutos, mensagens por Whatsapp, e-mail e um diálogo com a secretária do presidente. Todos infrutíferos, a despeito das confirmações de recebimento;

6 – A CBF informa que a partir desta quinta-feira, diante do desenrolar dos fatos, dará início aos entendimentos para a contratação do treinador.

A CBF ratifica seu permanente respeito aos clubes brasileiros e aos seus mais elevados interesses.

Maus resultados e pressão

A queda de Dunga ocorreu após campanha decepcionante na Copa América Centenário: em um grupo com Haiti, Equador e Peru, o Brasil venceu apenas o primeiro adversário, e acabou ficando pelo caminho ainda na primeira fase da competição.

A derrota contra o Peru por 1 a 0, decisiva para a eliminação, foi marcada por um gol de mão do atacante Ruidiaz. Ao justificar o revés, Dunga chegou a fazer críticas à arbitragem, mas o erro em nada reduziu a pressão.

Nos últimos dias, torcedores, dirigentes da própria CBF e presidentes de federações estaduais passaram a apostar na demissão do tetracampeão mundial. Em entrevista coletiva nesta segunda, Gilmar Rinaldi chegou a afirmar que não haveria mudança, e que via a seleção "no caminho certo". Nesta terça, entretanto, o coordenador técnico da seleção acabou demitido junto ao técnico. "A CBF agradece a dedicação, a seriedade e o empenho da equipe durante a realização do trabalho", disse a entidade, em nota oficial.

Nas Eliminatórias, a situação da seleção também não é confortável: com nove pontos em seis jogos, ocupa a sexta colocação, com apenas 50% de aproveitamento. 

Transição

Com a mudança na comissão técnica, Rinaldi ficará até o final desta semana para comandar a transição. "Apesar de eu ser mais administrativo, sou o chefe da comissão, tenho essa responsabilidade e coloquei umas situações agora, na véspera da lista da Olimpíada. Seria egoísmo simplesmente sair. Fico até quinta ou sexta-feira trabalhando para fazer a transição", explica o dirigente.

O dirigente informou que tem uma lista de 93 atletas para a Olimpíada que terá de ser cortada nesta quarta-feira para 35. Segundo ele, será o treinador que fará a opção, mas não deixou claro qual o técnico que trabalhará na relação. Não há definição se fica Rogerio Micale, treinador do Brasil Sub-23, ou se o novo técnico assumiria.

No mesmo anúncio, Rinaldi também avisou que mais um atleta acima de 23 anos foi liberado para disputar a Olimpíada: Douglas Costa, do Bayern de Munique (ALE). O atacante deve se juntar a Neymar e Miranda ou Willian.

UOL Esporte