quinta-feira, 7 de julho de 2016

Polícia prende suspeitos de participar de manipulação de campeonatos estaduais

(Foto: Almeida Rocha/DiárioSP)


A Polícia Civil de São Paulo realizou nessa quarta-feira (6) a prisão de oito suspeitos de participarem de uma quadrilha internacional que combinava e manipulava resultados de divisões inferiores do Campeonato Paulista. De acordo com a delegada do caso Kelly Cristina de Andrade, o grupo combinava até o jogador que faria o gol e também se o tento seria no primeiro ou segundo tempo.

A equipe do Grêmio Barueri é uma das equipes envolvidas no esquema e que recebeu propina para entregar o jogo contra o Rio Preto, realizado em fevereiro, e vencido pela equipe alviverde por 4 a 0. As manipulações também atingem campeonatos do Norte e Nordeste.

Um dos presos é o ex-goleiro do América de São José do Rio Preto Carlos Luna, que aparece em gravações telefônicas com a quadrilha que manipulava os jogos. No entanto, o ex-jogador negou o envolvimento. “Eu não tenho nada a ver com isso aí, nunca ganhei um real. Sou honesto”, afirmou.

As investigações, denominadas de Operação Game Over, tiveram início há um ano com a instalação de escutas telefônicas com autorização da Justiça e foi constatado que os placares eram manipulados para beneficiar apostadores asiáticos, que faziam apostas pela internet. O dinheiro vinha de bolsas de apostas da Indonésia, Malásia e China e pagava jogadores e técnicos em troca dos resultados combinados.

No Brasil, a quadrilha presa fazia intermédio entre jogadores, técnicos e dirigentes com os apostadores asiáticos. Agora, as investigações irão apurar se houve também manipulação na série A do Paulista e em outros estados. A operação também prendeu suspeitos nos Rio de Janeiro e Ceará e fez buscas no Rio Grande do Norte.

Em nota, o Rio Preto Esporte Clube esclarece que não está sendo investigado pelas supostas fraudes, lamenta que as manipulações envolvam o nome da equipe e se vê como vítima dessas apostas. A Federação Paulista de Futebol (FPF) afirma está aberta a qualquer esclarecimento que as investigações possam necessitar. Não conseguimos contato com a equipe do Grêmio Barueri.