sexta-feira, 1 de julho de 2016

Sevilla mantém interesse em Ganso após recusa do São Paulo

Apesar de o São Paulo ter recusado sua oferta de 8 milhões de euros, o Sevilla não desistiu de Paulo Henrique Ganso. Representante do clube que levou a proposta ao Morumbi irá agora discutir o próximo passo com a diretoria espanhola.

O problema é que os espanhóis avaliam ser difícil pagar mais do que já foi oferecido por um jogador que ficará sem contrato em setembro de 2017. Seis meses antes ele pode assinar pré-contrato com outro clube e deixar o São Paulo de graça, após o final do acordo.

Uma possibilidade, a menos viável, é esperar até o começo do ano que vem para buscar o acerto com o jogador, se sua contratação ainda for interessante.

Outra é retomar as conversas com o São Paulo, que ao recusar a oferta alegou como um dos motivos o fato de querer manter todos jogadores 100% concentrados na semifinal da Libertadores. Isso foi antes de Ganso se machucar, virando desfalque para a primeira partida contra o Atlético Nacional (Colômbia) e dúvida para a segunda.

Mas há outro motivo que faz os tricolores torcerem o nariz para a oferta espanhola: os 38% que o clube tem dos direitos econômicos de Ganso diante dos 62% pertencentes a DIS (braço esportivo do Grupo Sonda). A avaliação é de que com essa fatia a venda por 8 milhões de euros não compensa.

O ideal para facilitar o negócio do ponto de vista são-paulino seria colocar um preço alto só em sua parte, o que geraria conflito com a parceira.

Só que o clube enxerga nesse momento como melhor opção renovar com o jogador. Não está fácil. As negociações pararam enquanto a direção definia a situação de Maicon e só devem ser retomadas após a semifinal do torneio continental. Por enquanto, o estafe de Ganso não se animou com o aceno do São Paulo de pagar R$ 400 mil mensais ao jogador, que recebe hoje cerca de R$ 300 mil. O entendimento é de que livre o atleta poderá negociar um salário melhor, além de receber uma bolada como luvas, já que seu novo time não teria que pagar pela compra.

UOL Esporte