segunda-feira, 18 de julho de 2016

Tocha Olímpica percorre Ribeirão Preto, SP, e faz história no interior paulista

O gari Amaro Silva foi responsável em acender a pira olímpica (Foto: Cleber Akamine)


O dia 18 de julho de 2016 vai ficar marcado na história de moradores, visitantes e admiradores do esporte olímpico em Ribeirão Preto (SP). A Tocha Olímpica, símbolo mais importante dos Jogos Olímpicos, percorreu ruas e avenidas importantes da cidade na continuação do revezamento da chama olímpica pelo território brasileiro.

A tocha chegou por volta das 16 horas pela zona norte da cidade. O comboio iniciou o trajeto na Avenida Luiz Galvão César, ao lado de uma empresa de bebidas. O cineasta Fernando Meirelles, que possui família no município, foi o primeiro condutor da tocha. Meirelles será um dos responsáveis pela abertura das Olimpíadas no Rio de Janeiro.

Em seguida, a chama percorreu toda a extensão da Avenida Dom Pedro I até alcançar a Avenida Capitão Salomão, em direção ao Centro da cidade. O jornalista Heraldo Pereira, natural de Ribeirão, conduziu a tocha durante o percurso no bairro Ipiranga. A tenista Silvana Campos também foi escolhida para carregar o objeto.

José Meirelles, de 99 anos, foi o mais velho condutor da tocha em Ribeirão (Foto: Felipe Vidoto)

De acordo com a Força Nacional, todo o trajeto foi tranquilo e foram poucas as paralisações provocadas pelo público. Dois adolescentes tentaram apagar a tocha, mas foram contidos pela Polícia. O trajeto seguiu pela Avenida Francisco Junqueira e Rua Álvares Cabral até fazer uma pausa de 15 minutos em frente a esplanada do Theatro Pedro II.

A Tocha ainda percorreu a Avenida Independência, João Fiúsa, Presidente Vargas, passou em frente a dois shoppings centers da cidade e percorreu os bairros Jardim Irajá, Jardim Canadá, Alto da Boa Vista, Nova Aliança e Jardim João Rossi. Em seguida, a chama entrou novamente na João Fiúsa, Presidente Vargas, Avenida Antônio Diederichsen até chegar à Avenida Maurílio Biagi, completando mais de 90% do percurso.

Após uma breve parada, sempre com a troca dos condutores da tocha, o revezamento seguiu até a Avenida Carlos Eduardo de Gasperi Consoni, Avenida Wladimir Meirelles até chegar no Parque Luís Carlos Raya, ponto de chegada da tocha em Ribeirão. No local, um show com DJ’s e um público de 5 mil pessoas aguardava o chama que iria acender a pira olímpica. No final, o gari Amaro Silva, um dos escolhidos para conduzir a tocha, foi o responsável por acender a pira e fazer do dia 18 de julho um dia histórico para Ribeirão Preto. 

Nas redes sociais, moradores se dividiram entre criticar e elogiar a passagem da tocha pela cidade. Do lado da reclamação, os protestos são contra a atual administração municipal, que foi acusada de “maquiar” e gastar o dinheiro público para a passagem da tocha. Quem elogiou, sentiu orgulho de a cidade fazer parte do revezamento e esteve bem perto para acompanhar o fogo olímpico.

Gabriel, atleta paralímpico do atletismo, conduziu a tocha pelo Centro da cidade (Foto: Felipe Vidoto)