sábado, 20 de agosto de 2016

Algoz de brasileiro avança e Maicon segue com chance de bronze no taekwondo

(Foto: Issei Kato/Reuters)


Algoz do brasileiro Maicon Siqueira, o nigerino Abdoulrazak Issoufou chegou à final olímpica do taekwondo (categoria superior a 80 kg), ao bater o uzbeque Dmitriy Shokin, neste sábado (20). O atleta de Níger, portanto, recoloca Maicon na disputa - ele volta na repescagem e brigará por medalha de bronze. 

O brasileiro subirá no tatame às 20h15, contra o francês Bar N'Diaye. Caso vença, lutará pela terceira colocação. Issoufou, na decisão pelo ouro, pegará o Radik Isaev, do Azerbaijão. 

Siqueira havia estreado com vitória nas oitavas de final, mas sua segunda apresentação foi inferior à primeira e Issoufou avançou. Depois do duelo, avaliou que tem o que melhorar. 

"Dei meu melhor e foi o que vocês viram, qualquer descuido pode tomar uma falta e são coisas da luta. São detalhes para se trabalhar e melhorar. Foi ótimo apoio da torcida. É uma energia a mais ouvir gritos e ver bandeira do seu país. Vamos torcer para ele passar agora para eu ir para repescagem. Se ele ganhar a semi e for para a final, vou para repescagem, então vamos torcer", declarou Siqueira após o confronto. 

A luta de Maicon contra Issoufou
Abdoulrazak, 14º atleta do ranking elaborado pela Federação Internacional de Taekwondo, começou a luta apostando em sua maior envergadura para controlar o brasileiro em uma distância segura. No entanto, Siqueira conseguiu entrar rápido no raio de ação do rival e conectou bom soco no tronco, abrindo 1 a 0 no round inicial. 

Já no segundo round, Siqueira adotou postura mais evasiva, enquanto Issoufou buscou a iniciativa do combate. O brasileiro conectou bom golpe no rosto do rival que não foi computado pela arbitragem, mesmo após pedido de revisão da comissão técnica brasileira. Com um rápido contragolpe, Issoufou conectou rápido soco no tronco do brasileiro, empatando a luta em 1 a 1. No golpe seguinte, o nigerino voltou a pontuar e terminou o round em vantagem. 

No assalto decisivo, Siqueira começou tomando a iniciativa do combate. No entanto, foi a vez de Issoufou apostar em uma postura mais defensiva e encaminhar a vitória por 6 a 1 após conectar um belo chute rodado no fim do round. No fim, o atleta lamentou o resultado, mas preferiu não reclamar da arbitragem.

"Não contesto nada, isso acontece mesmo de pedir replay. Arbitragem está excelente", concluiu o atleta. 

UOL Esporte