quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Gabriel Jesus se reinventa, tira peso das costas e vira trunfo nas quartas

(Foto: Fernando Donasci/Reuters)


O gol de Gabriel Jesus foi o mais comemorado na goleada do Brasil sobre a Dinamarca por 4 a 0. Quando balançou as redes aos 40 minutos do primeiro tempo, o atacante manifestou no semblante o alívio por tirar das costas o peso das más atuações contra África do Sul e Iraque. O jejum de gols foi quebrado e a comissão técnica respirou tranquila.

O camisa 11 comemorou com os torcedores e foi abraçado por todos os atletas, principalmente pelo capitão Neymar e por Renato Augusto. No banco de reservas, o técnico Rogério Micale não escondeu a emoção, manifestada pelo jogador após a partida que garantiu ao Brasil a vaga nas quartas de final do torneio olímpico de futebol da Rio-2016.

“Foi muito complicado. A minha família me deu muita força. São pessoas que me ajudam. É sempre bom receber apoio e incentivo. Estava difícil para dormir. Pensava nisso o tempo inteiro. Ainda bem que passou. Vai ser impossível não ver esse lance de novo, mas agora é bola para frente. O peso foi embora”, desabafou.

Gabriel Jesus precisou se reinventar para voltar a marcar. Ele atuou como centroavante nos dois primeiros jogos do torneio olímpico. Perdeu um gol sem goleiro contra os sul-africanos e foi substituído aos 8 minutos do segundo tempo diante do Iraque. Contra a Dinamarca, o ex-palmeirense atuou pelo lado esquerdo do ataque e subiu de produção ao se movimentar com frequência.

Antes de balançar as redes, porém, Gabriel Jesus desperdiçou duas oportunidades e mostrou-se ansioso para quebrar o jejum que durava pouco mais de um mês - ele havia marcado pela última vez em 4 de julho, na vitória do Palmeiras sobre o Sport por 3 a 1, pelo Campeonato Brasileiro.

A torcida ameaçou perder a paciência, mas vibrou muito quando o atacante do Palmeiras, que se apresentará ao Manchester City em janeiro de 2017, esbanjou categoria para colocar a bola no gol. Mais leve e sem o peso da cobrança, ele virou um trunfo importante para a partida contra a Colômbia, sábado (13), às 22h, na Arena Corinthians.

“Sempre fui ponta. O Cuca [técnico do Palmeiras] adotou essa nova posição e consegui fazer gols assim. Não estava dando certo aqui. Fico satisfeito em cumprir a função solicitada pelos treinadores. As coisas começaram a se acertar”, encerrou.

UOL Esporte