quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Insatisfeito com má fase, Kvyat vê exagero em cobrança pessoal e admite: “Realmente preciso de férias”

 (Foto: Peter Fox/Getty Images)


Daniil Kvyat não teve uma boa primeira parte de temporada em 2016. Rebaixado pela Red Bull, o russo não se encontrou na Toro Rosso e somou apenas dois pontos desde a mudança em Barcelona, contra os 26 conquistados por Carlos Sainz Jr., seu companheiro de equipe, no mesmo período.

Durante a passagem da F1 pela Alemanha, Kvyat somou mais um ponto negativo no histórico, se classificando apenas em 19º. Apesar do 15º lugar na corrida em Hockenheim, Daniil se sentiu mais feliz com a própria atuação, mas sabe que ainda precisa melhorar.

Falando à imprensa na pista alemã, Kvyat reconheceu que precisa de um descanso para tentar se reencontrar e avaliou que vem exigindo muito de si mesmo e do carro desde o rebaixamento.

“Acho que eu realmente preciso disso, acho que mais do que qualquer outro”, reconheceu Kvyat. “Tenho me esforçado, exigido demais de mim mesmo, pedindo coisas que não eram possíveis nesse carro e nessas circunstâncias, especialmente quando acabei de vir para o time... Mônaco e Baku funcionaram bem, acho que superei a performance do carro e tudo mais, aí senti que era possível fazer isso nas próximas corridas”, contou.

Kvyat reconhece que está “forçando as coisas” desde que foi rebaixado para a Toro Rosso e, por isso, pretende usar o período de férias para tentar recuperar sua performance.

“Sinto que muitas pessoas que me conhecem viram que eu não era eu mesmo nas últimas semanas, também o Christian [Horner, chefe da Red Bull]”, disse. “Mas não preciso que ninguém tenha pena de mim ou algo assim, mas acho que todos têm esses momentos na vida. Com certeza, [a classificação] foi um ponto baixo. Mas já na corrida eu senti que dei não um, mas dois passos adiante”, continuou.

“Acho que depois de todas as coisas que aconteceram, eu estava tentando melhorar um pouco demais, pedindo demais de mim mesmo quando não era possível. Não é bom quando você faz isso, porque você não pode ultrapassar sua própria capacidade. Claro, eu estava irritado com muitas circunstâncias e tentei forçar as coisas, mas não posso forçar e apenas tenho de recuperar meu instinto como sempre fiz e como foi na corrida”, observou.

“É fácil se preparar e é isso que sinto que fiz. Agora eu sei onde errei e tenho as férias de verão, o que é bom”, concluiu.

UOL Esporte