sábado, 13 de agosto de 2016

No sufoco, Brasil se vinga da Austrália e vai à semi no futebol feminino

(Foto: Eugenio Savio/AP)


Após uma primeira fase tranquila, que contou com duas goleadas sobre China e Suécia, a seleção feminina de futebol fez seu jogo mais difícil na Olimpíada nesta sexta-feira (12). Mas com muito sofrimento, o time arrancou uma vitória nos pênaltis por 7 a 6 sobre a Austrália no Mineirão, após empate sem gols no tempo normal e avançou à semifinal.

De quebra, o triunfo serviu como revanche, já que as australianas eliminaram o Brasil nas oitavas de final da Copa do Mundo de 2015.

Empurrada pela torcida, a seleção pressionou e dominou as ações ofensivas, mas pecou na pontaria: foram várias chances claras de gol desperdiçadas. O Brasil só conseguiu balançar a rede nos pênaltis. A craque Marta perdeu sua cobrança, mas defesas da goleira Bárbara em chutes de Gorry e Kennedy garantiram a classificação.

O Brasil enfrenta na semifinal a Suécia, adversário que já foi atropelado por 5 a 1 na primeira fase. O jogo acontece às 13h (de Brasília) da próxima terça-feira (16), no Maracanã.

(Foto: Eugenio Savio/AP)

Marcação australiana complica, mas Brasil perde muitas chances
O Brasil enfrentou um adversário totalmente diferente dos três da primeira fase. Em vez de se retrancar, a Austrália adiantou a marcação e complicou bastante o jogo da seleção, que sofreu diante de um time muito forte fisicamente. Apesar disso, as oportunidades no tempo normal apareceram e as brasileiras não souberam aproveitar: Thaísa bateu fraco após boa bola ajeitada por Formiga, Debinha atirou por cima depois de uma enfiada de bola magistral de Andressa Alves, e a própria Andressa bateu torto ao sair na cara do gol no segundo tempo. No final, Williams ainda fez milagre ao salvar desvio de Andressa Alves à queima-roupa.

Mesmo cansada, seleção não para de atacar
Tanto Brasil como Austrália mostraram sinais claros de cansaço no tempo extra. A equipe da Oceania recuou a marcação e passou a apostar em contra-ataques que levaram perigo ao Brasil – duas vezes, as australianas tiveram chance de finalizar e erraram o alvo. Já as brasileiras seguiram atacando sem parar e voltaram a ter chances, mas não tão claras quanto as do tempo regulamentar. Vadão só mexeu no time faltando cinco minutos para o fim, colocando Andressinha no lugar de Thaísa, e o placar não saiu do zero.

Vigiada de perto pelo meio, Marta aparece pouco e perde pênalti
A principal estrela da seleção sofreu com um posicionamento diferente e uma marcação cerrada. Sem a lesionada Cristiane, Marta foi deslocada da ponta direita para a faixa central do campo, e teve dificuldade para escapar das atenções da volante Van Egmond. Sem liberdade para arrancar com seus dribles característicos, Marta foi mais importante para abrir espaço para as companheiras e na cobrança das bolas paradas. Já a partir do segundo tempo, ela voltou a atuar mais aberta e subiu de produção, mas não conseguiu ser decisiva com a bola rolando. Nos pênaltis, foi a única brasileira a errar sua cobrança, mas acabou "salva" por Bárbara.

Austrália repete time que eliminou Brasil em 2015 e mostra força
Com a saída por lesão de Catley e a entrada de Logarzo ainda no primeiro tempo, a Austrália ficou em campo com as exatas 11 jogadoras que eliminaram o Brasil nas oitavas de final da Copa do Mundo do ano passado. E mostrou novamente ter um ótimo time: o meio-campo marcou e rodou bem a bola, as pontas Kerr e De Vanna atacaram com velocidade e a centroavante Simon brigou com muita força física. Foi sem dúvida o adversário mais complicado para a seleção até aqui.

FICHA TÉCNICA
Brasil 0 (7) x (6) 0 Austrália

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 12/08/2016
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitra: Carol Anne Chenard (Canadá)

Cartões amarelos: Tamires, Marta e Andressa Alves (Brasil); Alleway, Foord e Kennedy (Austrália)

Brasil: Bárbara; Fabiana (Poliana), Mônica, Rafaelle e Tamires; Formiga e Thaísa (Andressinha); Andressa Alves, Marta e Debinha; Beatriz. Técnico: Vadão

Austrália: Williams; Foord, Alleway, Kennedy e Kellond-Knight; Van Egmond; Kerr, Gorry, Catley (Logarzo) e De Vanna (Polkinghorne); Simon (Heyman). Técnico: Alen Stajcic

(Foto: Eugenio Savio/AP)

UOL Esporte