terça-feira, 2 de agosto de 2016

Pilotos reclamam de adiamento do halo e pedem pressa na adoção de proteção

(Foto: Charles Coates/Getty Images)


A falta de testes e a pesquisa de novas soluções que gerem menos problemas de visibilidade e sejam mais atrativas para o público em geral fizeram a Fórmula 1 adiar a introdução do halo ou de qualquer outro tipo de proteção para o cockpit. Porém, a decisão não agradou os pilotos, convencidos de que a dispositivo deveria ser usado a partir do ano que vem.

Perguntado pelo UOL Esporte se os pilotos ficaram convencidos com as explicações dadas pela FIA para o adiamento da introdução da proteção, Felipe Massa disse que, por um lado, entende a decisão. Por outro, quer, como seus colegas, que a segurança na região da cabeça seja aumentada o mais rápido possível.

"A maioria dos pilotos é a favor da segurança. Sempre tem aquele que quer aparecer, que diz que não liga, que o carro é seguro. Mas a maioria é a favor de continuar melhorando a segurança. Ao mesmo tempo, é difícil ter certeza porque eu, por exemplo, nunca testei o halo. O mais importante agora é fazer os pilotos andarem para termos a resposta. Mas não uma volta, e sim fazer um treino. Aí vamos ter a certeza se é ruim para a visibilidade ou se é tão feio assim."

De acordo com Sebastian Vettel, existe um plano para que todos os pilotos utilizem a proteção nos treinos das duas próximas etapas, na Bélgica e na Itália.

Felipe Nasr também se diz a favor do halo, mas é outro que quer mais testes ."Acho que ainda tem muito para ser validado. Eu sou a favor da introdução desta proteção, mas acho que eles precisam de um tempo para testar todas as possibilidades. A maioria está a favor da introdução o quanto antes."

Para Nico Rosberg, contudo, a justificativa da falta de testes não é suficiente. "Não entendo a decisão porque poderíamos ter testado isso na Alemanha, ou podemos fazer em Spa. A grande maioria dos pilotos concorda que precisamos colocar isso no carro o quanto antes. Faz sentido e é um grande passo em termos de segurança, então é desapontador ouvir que não vai estar no carro ano que vem."

São poucos os pilotos quem ainda se opõem ao halo, entre eles Daniil Kvyat. "A F-1 é um esporte público e não é a melhor coisa para ter no carro. A aparência não é boa e, na minha opinião, já temos níveis muito altos de segurança."

Até mesmo Lewis Hamilton, que inicialmente criticou muito a medida, espera a introdução do halo o quanto antes. "Se tivermos o azar de ter um incidente no próximo um ano e meio, sabendo que teríamos uma solução que poderia ajudar, seria muito ruim. Considerando que sabemos o que fazer e que as equipes poderiam colocar isso no carro ano que vem, espero que ninguém se machuque nesse período de tempo, incluindo eu mesmo", declarou o tricampeão.

UOL Esporte