segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Atletas paralímpicos “ouvem” as medalhas após iniciativa da Rio 2016

Nadador Matheus Souza sorri ao "ouvir" a medalha de bronze (Foto: Buda Mendes / Getty Images)

Por Nicholas Araujo
Rio de Janeiro, RJ


Uma imagem recorrente nos Jogos Paralímpicos chamou a atenção do público: por que alguns atletas balançam as medalhas conquistadas perto do ouvido, como se “as escutassem”? De acordo com a organização da Rio-2016, pela primeira vez na história dos Jogos as medalhas contém pequenas esferas de aços em seu interior, chamados guizos, para que os atletas com deficiência visual possam distinguir as medalhas entre ouro, prata e bronze.

O mesmo sistema é utilizado nas modalidades goalball, futebol de 5 e futebol de 7, todas elas praticadas por deficiente visuais dos mais variados graus de severidade. Os guizos são colocados no interior das bolas para que eles identifiquem onde está localizada a redonda e qual a distância que o atleta deverá percorrer para brigar por ela.

Para que os atletas possam identificá-las, cada medalha recebe uma quantidade diferente de guizos, o que aumenta ou diminui o som produzido. As medalhas de ouro recebem 28 esferas de aço, as de prata recebem 20 e as de bronze contém 18.

Nadadora australiana Ellie Cole ouve o som da medalha de prata (Foto: Friedemann Vogel / Getty Images)

A organização da Rio-2016 divulgou um vídeo em seu canal no Youtube mostrando como as medalhas, tanto Olímpicas quanto Paralímpicas, foram confeccionadas. Confira: