domingo, 4 de setembro de 2016

Lateral defende Levir e diz que Carlos Alberto queria desestabilizar Flu

(Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)


O lateral-direito Wellington Silva deu a sua versão da polêmica envolvendo Carlos Alberto e Levir Culpi na vitória do Fluminense por 3 a 2 sobre o Figueirense. Envolvido diretamente na jogada que gerou toda a confusão, o jogador saiu em defesa do treinador do Flu. Ele explicou a história e revelou que a intenção de Carlos Alberto era desestabilizar o time tricolor, como não estava conseguindo, tentou tirar do sério Levir.

"O jogo estava 2 a 0 e ele (Carlos Alberto) falou: "Pô Wellington, vou ter que desestabilizar o seu time de alguma forma. Eu falei: "Para, para de fazer estas coisas". Ele viu que com os jogadores não ia acontecer nada e falou: "Vou desestabilizar então o Levir Culpi". Em uma bola que saiu, ele queria a bola para ele. Eu fui falar com o Levir que a bola era nossa, e o Levir queria que eu desse a bola para eles. Eu falei que não iria dar. O Levir falou para jogar (para o Figueirense). Então eu devolvi. Negócio de (falar para) bater, o Levir nunca faria isso. Ao contrário, ele mandou eu devolver a bola. O Carlos Alberto queria desestabilizar o nosso time. Ele fez o queria fazer, mas não conseguiu (irritar), a gente conseguiu a vitória, o que é mais importante", disse o lateral ao SporTV.

Carlos Alberto deixou o campo do Estádio Giulite Coutinho soltando o verbo contra Levir Culpi. Segundo o camisa 19 do Figueirense, o técnico mandou lateral-direito Wellington Silva 'dar porrada' nele.

"Foi uma covardia. Sou pai de dois filhos e tenho caráter. Guerra é só no o jogo, acabou, todos são amigos. Levir mandou o Wellington me dar porrada e me machucar. O garoto é meu amigo, ficou sem graça. Um educador não pode incitar a violência. Ele disse: 'Na primeira bola que vier, dá uma porrada nas pernas dele'", falou Carlos Alberto.

Em entrevista coletiva após a partida, Levir Culpi contou uma versão parecida com a de Wellington Silva. De acordo com o treinador, ele ainda quase se desentendeu com o seu lateral para que ele devolvesse o fair play que Carlos Alberto estava pedindo. Como de costume, o treinador usou de bom humor para responder o meia do Figueirense.

"Se o Carlos Alberto contratar o Eduardo Cardozo e a Janaína Paschoal ele não vai ganhar essa. Isso é mentira. Eu gritei com Carlos Alberto, me desentendi com Wellington para devolver o suposto fair play. Insisti com Wellington para jogar a bola para fora. Temos que dar exemplo, não ganhar vantagem. Só me preocupei com isso. Se o Carlos Alberto viu outra coisa, acho que só Freud para explicar isso", comentou o técnico.

UOL Esporte