domingo, 30 de outubro de 2016

Cruzeiro diz ter estranhado grama sintética na Arena da Baixada

Durante a semana, alguns jogadores do Cruzeiro comentaram sobre as possíveis desvantagens de jogar em um estádio com grama sintética, como é a da Arena da Baixada. Contudo, atletas como Ezequiel, Romero e Bryan alegaram que o campo artificial não faria diferença no primeiro duelo do time contra o Atlético-PR nessas condições. Mas fez. Pelo menos na visão do auxiliar técnico Sidnei Lobo, que entendeu que o clube mineiro demorou para entender como é jogar no estádio do Furacão.

"Até o time entender como é jogar aqui na Arena levou um tempo. Campo muito rápido, a gente estava com dificuldade no domínio. Eles têm uma estratégia nesse estádio que vem de bastante tempo que é deixar jogar no lado e fazer pressão na bola e eles estavam levando vantagem. A equipe evoluiu depois, na segunda parte fizemos uma correção e o time começou a envolver o Atlético, com boas chances de fazer o gol, mas infelizmente ele não saiu. Era o que buscávamos. Mas fiquei satisfeito, principalmente pela segunda parte", comentou.

Para o substituto de Mano, o segundo tempo apresentado pelo Cruzeiro não refletiu o placar da partida. Para Sidnei, pelo que seus jogadores produziram, o time mineiro deveria sair de campo pelo menos com a igualdade no marcador.

"Aqui é diferente. Antes do jogo eu entrei no gramado e era bem visível, bem molhado. A bola rola mais rápida e precisa de um tempinho de adaptação. Demorou um pouquinho. Na medida em que o time. Nunca jogamos num estádio desse. Demorou um pouco, mas à medida que o time começou a concentrar, jogar mais próximo da bola, envolveu o Atlético. Na segunda parte, merecíamos pelo menos um gol, sair com o empate daqui", completou.

Com o resultado, o Cruzeiro não chegou aos 44 pontos, considerados por muitos matemáticos a pontuação já suficiente para não cair para a segunda divisão. No entanto, apesar da derrota em Curitiba, o clube mineiro conseguiu encerrar a rodada com cinco pontos de diferença para o Vitória, primeiro clube do Z-4.

A partir de agora, o Cruzeiro volta suas atenções para a Copa do Brasil, sua última chance de terminar 2016 com um título. Como perdeu a primeira semifinal por 2 a 0 em casa, a equipe precisará vencer o Grêmio por pelo menos três gols de diferença para chegar à finalíssima e seguir vivo no sonho do pentacampeonato do torneio.

UOL Esporte