domingo, 2 de outubro de 2016

Hamilton questiona Mercedes após quebra, mas depois recua: 'É força maior'

(Foto: Clive Mason/Getty Images)


Lewis Hamilton chegou a Sepang, na Malásia, decidido a virar a maré negativa das últimas provas, em que viu o companheiro Nico Rosberg ganhar por três vezes seguidas e recuperar a liderança do campeonato. O inglês fez tudo certo: dominou os treinos, fez a pole e liderava até 16 voltas para o final, quando teve um motor quebrado e abandonou a prova. 

Após o problema no motor, que está longe de ser o primeiro que tem na temporada, o inglês questionou o porquê da sequência de quebras. "Só tenho que seguir em frente. Não consigo acreditar que existam oito carros com motores Mercedes e só os meus motores estão indo embora desse jeito. Algo não está certo", declarou.

"Era um motor novo… mas acontece. Só é estranho, são tipo 43 motores Mercedes e só os meus quebram. Agora nem sei se meu carro vai aguentar. Eu sei que podemos conseguir mas ninguém sabem o que os próximos motores vão fazer."

Hamilton já sofreu uma punição por trocar de motor no GP da Bélgica. Na ocasião, o inglês fez um verdadeiro 'estoque' de unidades de potência para chegar até o final do ano sem ter de sofrer mais penas, uma vez que teve problemas nas primeiras etapas do campeonato. Como a quebra ocorreu em uma das novas unidades, o inglês não sabe como será o restante de temporada. Faltam cinco provas para o fim.

"Algo ou alguém não quer que eu vença esse campeonato, mas não vou desistir, vou continuar forçando",disse Hamilton.

Os questionamentos do piloto foram compreendidos pelo chefe da Mercedes, Toto Wolff, que disse entender que as declarações foram dadas no calor do momento.

"Toda resposta é compreensível em uma situação dessa: ele estava liderando a corrida e estava prestes a retomar a liderança do campeonato. É um momento emocionante. Todos nós pensamos 'como é possível?'. É uma situação que não tem explicação racional."

Wolff, contudo, acredita que a Mercedes vai se recuperar, como ocorreu ano passado após a pior performance do time nas últimas três temporadas.

"É um esporte mecânico e é uma coincidência infeliz. Foi muito ruim para ele e para a equipe. Essa equipe sempre voltou mais forte desse tipo de coisa, como aconteceu em Cingapura ano passado."

Na entrevista coletiva concedida cerca de uma hora após o fim da corrida, Hamilton abaixou o tom e reiterou sua confiança na equipe na qual tem pilotado desde 2013, vencendo os campeonatos de 2014 e 2015.

"Por um lado, temos tido um grande sucesso pelo qual os caras trabalharam muito duro e todos estão sentindo a dor nesse momento. Por outro, depois de estar liderando e o motor explodir, é difícil dizer coisas positivas", salientou o piloto, ouvido pelo UOL Esporte. "Como disse antes, a Mercedes fez 43 motores e eu tive várias quebras. Mas tenho 100% confiança nesses caras, adoro correr aqui e, sem eles, eu não teria conquistado os dois últimos campeonatos. Tenho tido dificuldades neste ano, mas sinto que é um teste para que eu volte mais forte e continue lutando."

Hamilton lembrou, entretanto, que agora só tem dois motores até o final da prova, sendo que um deles foi utilizado em três corridas.

"Não sei se vou conseguir fazer as últimas cinco corridas como os motores que tenho, mas só posso torcer que sim. Se minha performance for a mesma que neste final de semana, ainda tem muito o que acontecer."

Perguntado sobre o que quis dizer com a declaração de que "alguém não quer que eu ganhe", Hamilton esclareceu que falava de Deus.

"Um poder maior. A sensação no momento é que o cara lá de cima interviu um pouco, mas sinto-me abençoado por tanta coisa, por estar aqui, ter vencido esses dois campeonatos, ter vencido tanto, batido tantos recordes." 

Com 125 pontos em jogo, o inglês tem 23 de desvantagem para Rosberg.

Confira a classificação do GP da Malásia
1. Daniel Ricciardo AUS Red Bull-TAG Heuer 56 voltas / 1h 37m 12.776s
2. Max Verstappen HOL Red Bull-TAG Heuer +2.4s
3. Nico Rosberg ALE Mercedes-Mercedes +25.5s
4. Kimi Raikkonen FIN Ferrari-Ferrari +28.7s
5. Valtteri Bottas FIN Williams-Mercedes +61.5s
6. Sergio Perez MEX Force India-Mercedes +63.7s
7. Fernando Alonso ESP McLaren-Honda +65.2s
8. Nico Hulkenberg ALE Force India-Mercedes +74.0s
9. Jenson Button ING McLaren-Honda +81.8s
10. Jolyon Palmer ING Renault-Renault +95.4s
11. Carlos Sainz Jr ESP Toro Rosso-Ferrari +98.8s
12. Marcus Ericsson SUE Sauber-Ferrari +1 volta
13. Felipe Massa BRA Williams-Mercedes +1 volta
14. Daniil Kvyat RUS Toro Rosso-Ferrari +1 volta
15. Pascal Wehrlein ALE MRT-Mercedes +1 volta
16. Esteban Ocon FRA MRT-Mercedes +1 volta

Abandonaram
Felipe Nasr BRA Sauber-Ferrari
Lewis Hamilton ING Mercedes-Mercedes
Esteban Gutierrez MEX Haas-Ferrari
Kevin Magnussen DIN Renault-Renault
Romain Grosjean FRA Haas-Ferrari
Sebastian Vettel ALE Ferrari-Ferrari

UOL Esporte