domingo, 30 de outubro de 2016

Hamilton vence segunda seguida, mas Rosberg pode ser campeão no Brasil

(Foto: Henry Romero/Reuters)


Lewis Hamilton fez sua parte e liderou praticamente de ponta a ponta o GP do México, diminuindo a desvantagem no campeonato em relação ao companheiro Nico Rosberg para 19 pontos. Porém, com uma vitória simples, independentemente do resultado do companheiro de Mercedes, o alemão se sagraria campeão no GP do Brasil, próxima etapa do campeonato.

No México, a exemplo do que havia acontecido na corrida anterior, nos Estados Unidos, Hamilton foi superior a Rosberg por todo o final de semana e não foi ameaçado pelo companheiro, segundo colocado na prova.

A terceira colocação ficou com Sebastian Vettel, da Ferrari, depois de uma punição de 5 segundos para Max Verstappen, por cortar caminho pela grama em uma disputa de posição com o alemão. O jovem holandês já estava se preparando para subir ao pódio quando foi avisado da punição - ele acabou em quinto, atrás ainda do colega de equipe Daniel Ricciardo.

Felipe Massa passou praticamente toda a corrida sendo pressionado por algum carro: primeiro foi Vettel que não conseguia passar o brasileiro e, por boa parte da prova, foi Perez quem sofreu. No final, Massa conseguiu ficar à frente do mexicano e foi o nono. Felipe Nasr, por sua vez, tentou uma estratégia diferente e fez 50 voltas com o pneu macio na primeira parte da corrida,  mas a tática não foi suficiente para que o piloto marcasse seus primeiros pontos do ano: o brasileiro foi o 15º.

Hamilton não largou bem, mas conseguiu se manter na ponta mesmo errando a freada da primeira curva e saiu da pista. Largando em segundo, Rosberg não conseguiu se aproveitar do erro pois estava mais preocupado em se defender de Max Verstappen, com quem chegou a se tocar. Mais atrás, muita confusão, com Vettel tendo um furo de pneu, Bottas saindo da pista e toques entre Ericsson, Wehrlein e Gutierrez. Com muitos detritos na pista, o Safety Car entrou na pista.

Daniel Ricciardo, que saiu do quarto lugar com os pneus supermacios, aproveitou para mudar a estratégia e colocar os pneus médios. Após toda confusão da primeira volta, Hamilton manteve a ponta, seguido por Rosberg, Verstappen, Hulkenberg, Raikkonen, Massa, Vettel, Bottas, Perez e Sainz.

A expectativa de que os pneus supermacios de Verstappen se desgastarem rapidamente não se confirmou e o holandês conseguiu manter próximo dos Mercedes, enquanto seu companheiro Ricciardo ia ganhando posições à medida que os pilotos iam fazendo seus pit stops.

Depois de sofrer atrás de Massa, sem conseguir superar o brasileiro, e aguentar 32 voltas na pista com os pneus macios, chegando a ser líder com as paradas dos demais, Vettel fez seu pitstop, indicando que faria a estratégia de uma troca de pneus. Nesse ponto da corrida, a grande maioria dos pilotos estava com os pneus médios, tentando ir até o final, mas vários tinham dificuldade em fazer o composto funcionar bem.

Esse não foi o caso da Sauber, que conseguiu fazer 50 voltas no pneu médio na primeira parte da corrida. Com isso, Nasr chegou a ocupar a 11ª colocação, mas recebeu uma ordem da equipe para deixar Ericsson passar. O sueco tinha um ritmo melhor mesmo com um pneu apenas uma volta mais lento. O brasileiro reclamou inicialmente, mas efetuou a troca.

Outra briga que durou toda a prova foi entre as Force India e Williams, com Hulkenberg duelando com Bottas e Massa, em nono, segurando Perez, claramente mais rápido.

Com 20 voltas para o final, Hamilton liderava com Rosberg a pouco menos de 5s, Verstappen em terceiro, Ricciardo em quarto, Vettel em quinto, Hulkenberg em sexto, Raikkonen em sétimo, Bottas em oitavo, Massa em nono e Perez em décimo.

Aproveitando um retardatário, Verstappen chegou a ir para cima de Rosberg, mas acabou travando o pneu e saindo da pista, permanecendo em terceiro e danificando seu assoalho, enquanto Ricciardo fez sua segunda parada com 19 voltas para o fim e colocou os macios. O australiano andou forte e conseguiu chegar na briga entre Verstappen e Vettel pela terceira posição, mas cruzou a linha de chegada em quinto. Com a punição a Verstappen após a prova, acabou em quarto.

Confira a classificação final do GP do México
1. Lewis Hamilton (Mercedes)
2. Nico Rosberg (Mercedes), a 8s354
3. Sebastian Vettel (Ferrari), a 17s313
4. Daniel Ricciardo (Red Bull), a 20s858
5. Max Verstappen (Red Bull), a 21s323
6. Kimi Raikkonen (Ferrari), a 49s376
7. Nico Hulkenberg (Force India), a 58s891
8. Valtteri Bottas (Williams), a 1min05s612
9. Felipe Massa (Williams), a 1min16s206
10. Sergio Pérez (Force India), a 1min16s798
11. Marcus Ericsson (Sauber), a 1 volta
12. Jenson Button (McLaren), a 1 volta
13. Fernando Alonso (McLaren), a 1 volta
14. Jolyon Palmer (Renault), a 1 volta
15. Felipe Nasr (Sauber), a 1 volta
16. Carlos Sainz Jr. (Toro Rosso), a 1 volta
17. Kevin Magnussen (Renault), a 1 volta
18. Daniil Kvyat (Toro Rosso), a 1 volta
19. Esteban Gutiérrez (Haas), a 1 volta
20. Romain Grosjean (Haas), a 1 volta
21. Esteban Ocon (MRT), a 2 voltas
Pascal Wehrlein (MRT): abandonou

UOL Esporte