terça-feira, 18 de outubro de 2016

MotoGP proíbe asas aerodinâmicas a partir da temporada 2017

A MotoGP já promove mudanças em seu regulamento para 2017, e as alterações mais relevantes se dão com uma limitação no número de vezes que os construtores poderão alterar o corpo dos veículos, além do banimento das asas aerodinâmicas na região frontal da lataria das motos - as chamadas winglets.

As asas serão vistas pela última vez na corrida final da atual temporada, em Valencia. Sua proibição foi definida após o consenso de que a evolução aerodinâmica dos veículos da categoria deve simplificar o aspecto da carenagem das motos.

Uma reunião da Comissão de Grandes Prêmios durante o GP de San Marino, em setembro, definiu um regulamento para evitar soluções extravagantes, e cada construtor terá agora limitações no número de projetos e designs que poderão usar.

As carenagens para o início da próxima temporada além do design dos para-lamas frontais deverão ser aprovadas pelo diretor técnico da MotoGP na abertura da temporada no Qatar. A partir desse momento, apenas uma atualização de cada - contando por competidor, e não por fabricante - será permitida.

Um comunicado resultante da última reunião da Comissão, em Motegi, na semana passada, disse que as medidas eram "pelo interesse de economizar custos". A Comissão aprovou também a exigência de que todos os macacões dos pilotos devem estar equipados com um airbag inflável, homologado para a partir de 2018.

ESPN