segunda-feira, 17 de outubro de 2016

São Paulo quer 9 e 10 de peso e pode negociar Rodrigo Caio em 2017

(Foto: Ricardo Nogueira/Folhapress)


Lutando para afastar de vez o risco de rebaixamento, o São Paulo já traça os primeiros planos para 2017 – construir um time competitivo é o principal deles. Para ir ao mercado, a diretoria já definiu as prioridades: um meia armador, camisa 10, e um atacante. A ideia é de que ambos sejam atletas de peso, que causem impacto imediato dentro de campo.

Por enquanto, a cúpula são-paulina evita falar em nomes, já que ainda não sabe como obterá todos os recursos para as contratações – o fim de ano é uma época de notório aumento de gastos para os clubes, com pagamento de décimo terceiro e férias dos jogadores.

Diante desse cenário, a aposta para engordar os cofres e permitir o investimento é a venda de jogadores: assim como aconteceu em 2016, Rodrigo Caio é o atleta de maior mercado no exterior e o principal candidato a deixar o clube,

O zagueiro, inclusive, chegou a ter proposta para defender o Hamburgo, da Alemanha, mas a negociação não avançou. Destaque na seleção olímpica, também foi alvo de Sevilla, Lazio e Napoli – a expectativa é de que possa render até 15 milhões de euros aos cofres tricolores.

Nomes que agradam e já foram procurados
O São Paulo buscou reforços de peso em 2016 – Lucas Pratto, do Atlético-MG, foi um dos nomes procurados e é um jogador que ainda agrada à diretoria.

Pato esteve muito perto de voltar ao Morumbi no meio do ano, mas a proposta de última hora do Villarreal seduziu o Corinthians e o jogador. Titular na Espanha, não tem nenhuma possibilidade de voltar ao país.

Calleri, por outro lado, foi um dos principais destaques do time no primeiro semestre, e não conseguiu se firmar no West Ham, da Inglaterra – em tom de brincadeira, o diretor executivo Marco Aurélio Cunha até chegou a "convidar" o argentino de volta ao Morumbi – talvez, em 2017, o artilheiro vire alvo de verdade. 

UOL Esporte