segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Vice em 2015, técnico do Botafogo-SP inicia trabalho "praticamente do zero"

(Foto: Rogério Moroti/Ag. Botafogo)


O técnico Rodrigo Fonseca foi apontado por muitos como um dos principais, senão principal, responsável pela conquista do vice-campeonato da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2015, perdendo para o Corinthians na decisão, no Pacaembu.

No retorno ao Botafogo, após passagem pela base do Cruzeiro, o treinador se vê diante de um novo desafio: repetir o sucesso com a equipe tricolor na competição das categorias de base mais desejada do país. Porém, Rodrigo Fonseca adianta que a tarefa não será das mais fáceis e as comparações e cobranças seriam desmedidas ou injustas. 

Além do nível de competitividade ser alto, o elenco botafoguense teve que ser construído pelo treinador. Sem disputar campeonatos com o time Sub-20, o treinador explica que a formação do novo Botafogo é "praticamente do zero".

- Iniciamos praticamente do zero. Tive que montar uma equipe em 23 dias. Espero fazer um bom trabalho, pensando na primeira fase e, consequentemente, no que vier depois. Daquela turma que deixei, tenho o goleiro Talles, o lateral-direito Codó [Souza, que disputou uma partida na Série C] e o lateral-esquerdo Coruja - comentou Fonseca, que prefere não comparar os dois times.

- Esse time é totalmente diferente, não se conhece. Estamos usando esse tempo para conhecer melhor, colocar o sistema de jogo para ver se encaixa também. São jogadores fortes, altos, mas não tem como fazer essa comparação - resumiu.

A passagem pelo futebol mineiro, além de experiência, deu a Rodrigo Fonseca uma agenda de contatos mais ampla. Cinco jogadores da dupla Cruzeiro/Atlético estão no Botafogo.

- Três que trabalharam comigo no Cruzeiro, o lateral-direito Gabriel, volante Murilo e o atacante Wendel estão aqui. Alguns jogadores que trabalharam comigo quando fui da seleção mineira, como os atacantes Bocão e Teixeira, ambos ex-Atlético Mineiro - citou Fonseca.

Globo Esporte