quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Pane seca foi decisiva para queda de avião, diz "Anac" colombiana

(Foto: Reuters)
(Foto: Reuters)


As autoridades colombianas confirmaram nessa quarta-feira (30) que o avião da delegação da Chapecoense voava com menos combustível do que mínimo exigido pela lei. E que isso deve ter causado uma "pane seca" e levado a aeronave a cair, matando 71 pessoas e ferindo outras seis.

"Uma das hipóteses que trabalhamos é que [o avião] não contava com combustível e que, por isso, tenha apagado subitamente os motores. Motores são a fonte elétrica. Você pode ter uma turbina adicional, mas se não tinha combustível, vai ter uma pane elétrica", afirmou Fredy Bonilla, secretário de Segurança Aérea da Aeronáutica Civil da Colômbia, órgão com funções semelhantes às da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), agência que regula voos no Brasil.

"As normas internacionais exigem que qualquer aeronave deve viajar com combustível suficiente para chegar ao aeroporto de destino, mais 30 minutos e ainda mais 5 minutos ou 5% da distância, que é o combustível reserva. Neste caso, lamentavelmente, a aeronave não contava com combustível suficiente. Vamos investigar para saber por que a tripulação não contava com combustível suficiente", completou ele, em entrevista coletiva nesta noite.

Bonilla também relatou a sequência de acontecimentos que levaram à queda da aeronave da Chapecoense. Ao se aproximar do aeroporto de Medellín, havia outros dois voos com preferência de aterrissagem, um deles um de carreira da VivaColombia que tinha declarado emergência por um vazamento de combustível.

O piloto da Lamia disse não ter problema algum e deu meia volta para esperar sua vez. Em cima da hora, então, ele avisa a torre de controle que está com pouco combustível, declara emergência, pane elétrica e cai. Bonilla afirmou que o aeroporto ainda tentou contornar a situação, passando o avião à frente na fila de preferência, mas já era tarde.

Autoridades da Bolívia também já haviam sugerido pane seca

Trata-se da confirmação de uma informação já passada pela autoridade aeronáutica da Bolívia, país de operação da Lamia, empresa dona e controladora da aeronave que caiu. O voo trágico saiu de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e tinha destino ao aeroporto internacional de Mérida, mas caiu em uma região montanhosa de seus arredores.

Nesta mais quarta, mais cedo, o UOL Esporte já havia revelado que o avião voava com menos combustível do que o exigido pela lei boliviana.

Para cumprir os regulamentos de tráfego aéreo da Bolívia, a aeronave deveria ter combustível nos tanques para voar, no mínimo, por mais uma hora. A regulamentação de aviação civil boliviana prevê que, além do combustível necessário para fazer a rota prevista, aviões a jato tenham uma reserva da mais 5% (no Brasil são 10%) do tempo total de viagem, o necessário para chegar a um aeroporto de alternativa e o suficiente para outros 30 minutos de voo.

UOL Esporte

Paulistão define tabela de jogos das séries A2 e A3 de 2017

(Foto: Reprodução)


A Federação Paulista de Futebol (FPF) divulgou nesta terça-feira (29) a primeira rodada das séries A2 e A3 do Campeonato Paulista de 2017. A data era o último dia para a divulgação da tabela para a próxima temporada. Confira como ficaram as primeiras rodadas das duas divisões:

Série A2

Portuguesa x Barretos
Guarani x Oeste
Taubaté x Mogi Mirim
Votuporanguense x Água Santa
Juventus x Capivariano
Velo Clube x Bragantino
União Barbarense x Rio Claro
Penapolense x Batatais
Sertãozinho x São Caetano
Rio Preto x XV de Piracicaba

Série A3

Noroeste x São Carlos
Taboão de Serra x Matonense
Comercial x Independente
Grêmio Osasco x Marília
Inter de Limeira x Atibaia
Portuguesa Santista x Paulista
Desportivo Brasil x Catanduvense
Nacional x Rio Branco
São José FC x Monte Azul
Olímpia x Flamengo

As duas divisões começam no dia 29 de janeiro com horários e locais a serem definidos posteriormente pela FPF.

Diretoria da Lamia identifica problemas em esquema de piloto para voo da Chape

(Foto: Reuters)

Por Redação Blog do Esporte


O voo da delegação da Chapecoense para Medellín previa uma parada para reabastecimento antes da chegada na cidade colombiana. De acordo com o general boliviano Gustavo Vargas, diretor da empresa aérea Lamia, as cidades de Cobija, no norte da Bolívia, e Bogotá, capital da Colômbia, seriam alternativas para aterrissagem casa houvesse necessidade.

A ideia inicial do voo é que a aeronave da companhia boliviana Lamia fizesse todo o trajeto entre Brasil e Colômbia com uma parada para reabastecer na Bolívia. No entanto, a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) vetou o fretamento, pois de acordo com regras da aviação, uma empresa boliviana não poderia realizar o voo do Brasil para Colômbia, apenas as companhias dos dois países teriam esta autorização.

“O voo poderia fazer uma parada técnica, com a possibilidade de se reabastecer de combustível, no município de Cobija, no extremo norte da Bolívia, mas isso não ocorreu. De Santa Cruz, teria que ir a Cobija, e de lá para Medellín. Mas eles foram direto para Bogotá, e aí o capitão teria que ver a possibilidade de seguir ou aterrissar. Era de noite. Por essa negação do Brasil tudo se complicou um pouco. Deveríamos sair do Brasil, entrar na Bolívia mais ao norte e ir para Medellín, mas o Brasil não nos deu essa autorização”, disse Vargas, em entrevista ao jornal colombiano El Tiempo.

Mesmo com o imprevisto, o diretor da companhia destacou que o piloto era experiente e confiável para traçar uma nova rota. Entretanto, a nova rota não pode evitar o acidente que deixou 71 mortos e seis feridos, entre jogadores do clube brasileiro, comissão técnica, dirigentes convidados, jornalistas e tripulação.

No site da Lamia, as informações da aeronave modelo British-Aerospace BAE-Avro 146 é de 2.965 km de distância, o que mostra que o voo teria de fazer uma parada, já que o trajeto deixaria o combustível no limite. As informações foram confirmadas pelo atacante Miguel Borja, do Atlético Nacional, que afirmou que era comum a aeronave ter que pousar para colocar mais combustível.

Sobreviventes se recuperam bem do acidente

Os sobreviventes do acidente mostraram um quadro de melhora nas últimas horas nos hospitais da Colômbia. Confira:

Neto (jogador): Último a ser resgatado, Neto sofreu lesões cranianas, passou por drenagem torácica na terça-feira e respondeu bem. Tem boas condições circulatória e neurológica. Ainda passará por novos procedimentos para fechar feridas e evitar infecções.

Alan Ruschel (jogador): Passou por cirurgia na terça-feira para estabilizar uma fratura na coluna, podendo correr o risco de ficar tetraplégico. No entanto, um porta-voz da Chape descartou essa possibilidade. Não há confirmação de onde ele está internado.

Follmann (jogador): Teve a perna direita amputada abaixo do joelho e a esquerda sofreu lesões musculares e vasculares que exigirão novos procedimentos. Está entubado, mas respira normalmente.

Rafael Henzel (jornalista): Teve trauma torácico e costelas quebradas, além de lesões em braços e pernas. O impacto também atingiu seu pulmão. Está entubado, mas respira normalmente.

Ximena Suárez (tripulante): Está fora de perigo. Teve lesões ocasionadas pelo impacto, mas sem atingir órgãos vitais. Teve fraturas nas pernas. Segue sob observação.

Erwin Tumiri (tripulante): Foi resgatado consciente. Teve lesões decorrentes de impacto, mas nenhuma de alta gravidade. Está fora de perigo.

Equipes homenageiam elenco em treinos

Clubes brasileiros fizeram homenagens para os 71 mortos e seis feridos nos treinamentos desta quarta-feira (30). Times como Flamengo, Corinthians, São Paulo e Cruzeiro publicaram fotos nas redes sociais formando um círculo, respeitando um minuto de silêncio e orando após a tragédia. Veja algumas fotos:

Corinthians (Foto: Divulgação/Corinthians)

Cruzeiro (Foto: Marco Antônio Astoni)

Flamengo (Foto: Divulgação/Flamengo)

Botafogo (Foto: Divulgação/Botafogo)

Tirado do voo, Nivaldo cancela o seu jogo 300 e se aposenta após tragédia

(Foto: Amanda Kestelman)


A tragédia que vitimou quase todo o elenco da Chapecoense na madrugada da última terça-feira, em Rionegro, na Colômbia, comoveu o mundo e abalou o emocional de vários jogadores. Entre eles alguns do próprio clube que não viajaram.

É o caso do goleiro reserva Nivaldo, que está no Verdão do Oeste desde 2007 e, aos 42 anos, planejava se aposentar ao fazer o seu jogo de número 300 pela equipe contra o Atlético-MG na Arena Condá.

Havia um planejamento para ele entrar nos minutos finais contra o Palmeiras para completar 299 partidas e deixar para ser homenageado na última rodada do Campeonato Brasileiro. Mas como a programação mudou, e a delegação viajaria direto da São Paulo sem retornar a Chapecó, o jogador foi tirado do voo de última hora.

– Era para eu ir na viagem e acabei ficando. Tudo tem um propósito na vida. Acabei ficando porque eu iria jogar, talvez contra o Palmeiras, porque iria fazer minha despedida no jogo aqui contra o Atlético-MG, quando iria completar 300 jogos pelo clube. Como houve mudança na viagem, eles não retornariam a Chapecó e iriam direto de São Paulo para Medellín. Então o Caio falou que não iria me levar porque como não iria jogar abriu opção para levar outro atleta. Disse que não tinha problema. Infelizmente aconteceu o acidente – disse às lágrimas.

Ao voltar à Arena Condá nesta quarta-feira, Nivaldo se mostrou muito abalado e confirmou não ter cabeça para jogar mais ao ser questionado pela imprensa se teria encerrado a sua carreira.

– Como atleta sim, momento de pensar no clube, junto com os que aqui ficaram, para que a gente possa formar uma nova Chapecoense.

O acidente na Colômbia matou 71 pessoas e deixou seis feridas, entre elas três jogadores da Chapecoense. O goleiro Jackson Follmann teve uma perna amputada e não conseguirá mais jogar futebol. Os outros dois, o zagueiro Neto e o lateral Alan Ruschel, estão em estado crítico.

Globo Esporte

Com oito reforços, Dias aguarda mais cinco contratações no Bafo para a A3

(Foto: Mastrângelo Reino)


Após o anúncio de oito reforços para a temporada 2017, o Comercial promete continuar investindo no mercado de transferências para formatar o elenco. Segundo o técnico Marcelo Dias, o elenco, que hoje conta com 18 jogadores, deve receber ainda pelo menos quatro ou cinco atletas nos próximos dias.

Ainda segundo Dias, as prioridades são as contratações de um zagueiro, já que o elenco conta apenas com Danilo Costa e Rafael Novais no elenco – Fabão continua com a situação indefinida. Um meia armador também é aguardado.

- Será necessária ainda a chegada de quatro ou cinco jogadores para iniciarmos o campeonato. Ainda estamos em busca de um zagueiro para suprir ausências, até porque temos apenas dois jogadores, e um meia armador. Essas são as prioridades – afirmou Dias.

A FPF permite que cada clube inscreva até 28 jogadores na Série A3, mas o treinador diz que o intuito é deixar algumas vagas em aberto.

- Isso é uma preocupação nossa. Até a estreia não teremos os 28 jogadores. A ideia é começar com um grupo mais enxuto para que, quando houver necessidade, buscarmos no mercado uma posição mais carente – completou.

O Bafo iniciou a pré-temporada no último dia 22, segunda-feira, e estreia na A3 dia 29 de janeiro, com adversário a ser definido pela FPF.

Globo Esporte

Velório de vítimas de acidente será na Arena Condá

O velório das vítimas do acidente aéreo que faziam parte do elenco da Chapecoense será realizado na Arena Condá. A prefeitura de Chapecó oficializou a informação nesta quarta-feira (30). A cerimônia ainda não tem data e horário confirmados. 

Às 14h desta quarta-feira (30) haverá uma simulação da cerimônia na Arena Condá: chegada, entrada no estádio e outros procedimentos. Uma entrevista coletiva também será concedida aos jornalistas. Os corpos das vítimas que faziam parte do elenco do time catarinense devem chegar a Chapecó na sexta-feira e então os trâmites para o velório coletivo iniciarão. 

"Imaginamos que na sexta-feira os corpos estejam aqui, mais tardar no sábado. Todos os corpos vêm pra cá, porque os familiares já estão aqui, então não vai ser em São Paulo (a identificação pelos familiares para posterior velório). A partir daí, o velório será na Arena Condá. A partir daqui será feita logística para os envios para estados e municípios", disse o presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Gelson Merisio, em entrevista ao Fox Sports.  

Gelson Merisio era para estar no avião que caiu com o elenco da Chapecoense, próximo a cidade de Medellín, na Colômbia, mas não embarcou por conta de compromissos e por causa da agenda do prefeito Luciano Buligon. Assim, eles viajariam depois, em outro voo.

"Assim como aconteceu comigo, aconteceu com mais quatro pessoas. Mas eu não pensei nisso. O governo está focado no amparo às famílias. A melhor homenagem que podemos levar para as família é rapidamente reerguemos. O mais difícil é ver as famílias, as crianças... Temos que usar a energia positiva que vem do mundo inteiro", comentou.

A prefeitura de Chapecó, por meio de nota, lamentou o ocorrido e ressaltou a prioridade no amparo às famílias das vítimas do acidente. " A Administração Municipal de Chapecó está tomando todas as providências que lhe cabe no sentido de prestar apoio aos sobreviventes, às famílias, ao Clube e à comunidade", diz.

Também foi decretado luto de um mês. "Está Decretado Luto Oficial de 30 dias, ficando suspensas todas as comemorações e festividades realizadas pelo Município de Chapecó. Estão suspensas as aulas na Rede Municipal de Ensino de Chapecó pelo período de 02 dias, a contar pela tarde desta terça-feira (29-11).  E está decretado Ponto Facultativo nas repartições públicas municipais nos dias nos dias 29 e 30 de novembro de 2016, excetuando-se os serviços considerados essenciais".

Confira a nota completa da prefeitura:

A Administração Municipal de Chapecó presta, neste momento de dor e consternação, solidariedade e sentimento de pêsames a todos os familiares e amigos dos jogadores, integrantes da Diretoria, jornalistas e convidados que acompanhavam a delegação da Associação Chapecoense de Futebol a Colômbia.

Não existem palavras que possam consolar tamanha tristeza neste momento trágico para o Esporte Brasileiro e a Comunicação de Santa Catarina. Em 43 anos de história da Associação Chapecoense de Futebol, não faltaram trabalho, otimismo e vontade de tornar a Chapecoense um grande Clube. As parcerias foram sendo conquistadas; a competência da Diretoria, o envolvimento do Grupo, o orgulho dos jogadores em vestir a camisa do Chape e a participação ativa da iniciativa público-privada, contribuíram para fazer da Chapecoense o Clube que é hoje, respeitado em todo o país e no mundo, e agraciado por uma torcida cada vez mais participativa e apaixonada.

Lamentavelmente, as páginas da história da nossa aguerrida Chapecó foram manchadas neste 29 de novembro de 2016 pela irreparável perda de tantas vidas e pela profunda tristeza de uma história de sucesso interrompida. A Administração Municipal de Chapecó está tomando todas as providências que lhe cabe no sentido de prestar apoio aos sobreviventes, às famílias, ao Clube e à comunidade.

Está Decretado Luto Oficial de 30 dias, ficando suspensas todas as comemorações e festividades realizadas pelo Município de Chapecó. Estão suspensas as aulas na Rede Municipal de Ensino de Chapecó pelo período de 02 dias, a contar pela tarde desta terça-feira (29-11).  E está decretado Ponto Facultativo nas repartições públicas municipais nos dias nos dias 29 e 30 de novembro de 2016, excetuando-se os serviços considerados essenciais.

À Chapecoense, o time com a cara e o jeito de Chapecó, que desbravou a cidade por todo o mundo, conquistou a simpatia de milhares de torcedores país afora e a paixão de uma região inteira, o nosso muito obrigado. Força Chapecó!

UOL Esporte

Fórmula 1 divulga calendário sem confirmar Brasil e com Alemanha fora

(Foto: Reprodução)


A segunda versão do calendário da Fórmula 1 para 2017 foi divulgado nesta terça-feira e ainda precisa de ratificação no decorrer desta semana, mas tem algumas alterações importantes em relação à primeira versão, com várias corridas com as datas modificadas. O GP do Brasil, contudo, que apareceu como "a ser confirmado" na versão inicial, ainda segue sem garantia de que será realizado no próximo ano.

No caso da Alemanha, mesmo com a coroação, no último final de semana, em Abu Dhabi, de um novo campeão do país, Nico Rosberg, a prova foi retirada do calendário. Com problemas financeiros de Nurburgring e a impossibilidade de Hockenhiem sediar provas todos os anos, será a segunda vez em três temporadas que o país com maior número de títulos na categoria fica de fora do calendário.

A terceira prova que ainda não estava confirmada na primeira versão, no Canadá, foi assegurada, depois que o prefeito de Montreal garantiu que as reformas acertadas em contrato serão feitas em 2018, além do impulso que a prova ganhou com a estreia do piloto da casa Lance Stroll ano que vem.

A segunda versão do calendário teve algumas alterações, muito em função do cancelamento da Alemanha: o GP da Europa será uma semana após do previsto, abrindo duas semanas de diferença para a prova do Canadá e evitando um choque com as 24h de Le Mans. O GP da Grã-Bretanha também será uma semana após o previsto, assim como o da Hungria, alterações que evitaram buracos muito grandes no campeonato com a saída dos alemães.

Outra alteração já era prevista, com o GP da Malásia invertendo de posição com de Cingapura. Como os profissionais da F-1 permanecem no fuso horário europeu para a prova noturna de Marina Bay, seria um grande desafio fazer a corrida no domingo e começar a preparar os carros dois a três dias depois, já no fuso japonês.

Mais para o final do calendário, a prova do México foi adiantada. Este é um indicativo importante de que o Brasil pode fazer parte do calendário, pois, na versão anterior, o cancelamento da prova de Interlagos geraria um buraco de dois finais de semanas na temporada. Agora, a diferença seria de três, o que seria bastante incomum para a categoria. 

Confira o calendário de 2017 da F-1

26.03 Austrália, Melbourne
09.04 China, Xangai
16.04 Bahrein, Sakhir
30.04 Rússia, Sochi
14.05 Espanha, Barcelona
28.05 Mônaco, Monte Carlo
11.06 Canadá, Montreal
25.06 Europa, Baku
09.07 Áustria, Red Bull ring
16.07 Grã-Bretanha, Silverstone
30.07 Hungria, Hungaroring
27.08 Bélgica, Spa
03.09 Itália, Monza
17.09 Singapura, Marina Bay
01.10 Malásia, Sepang
08.10 Japão, Suzuka
22.10 EUA, Austin
29.10 México, Cidade do México
12.11 Brasil, Interlagos *
26.11 Abu Dhabi, Yas Marina

UOL Esporte

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Crônica: Sonhos interrompidos

(Foto: Reprodução) 


10 de maio de 1973. Surgia a Associação Chapecoense de Futebol em uma cidade até então inexpressiva no futebol estadual. O amadorismo dominava a pequena cidade do oeste de Santa Catarina, que hoje possui quase 210 mil habitantes.

Quem diria que aquele time, esperança para o esporte da cidade, teria uma representação tão forte nos dias atuais. A “Chape” caminhou no mesmo ritmo de seus adversários, mas não foi párea para eles. Passou por cima como um rolo compressor, conquistou seu espaço no futebol catarinense e como um foguete ascendeu no futebol nacional.

Quem diria que após um período conturbado entre 2001 e 2006 a Chapecoense estaria onde está hoje. Não mais em nível estadual, mas continental. Nem os mais otimistas dos torcedores achariam que este crescimento seria tão rápido e tão glorioso. Como diz Milton Leite, mas revertendo seu velho bordão para o lado bom, “Que fase!”.

E que grande fase. Grande, gigante, poderosa, sul-americana e imparável. Potência de um futebol que está desencontrado, procurando seu rumo, procurando um meio de se reorganizar. Reorganização que agora chega a Chape, de modo doloroso, chocante, inacreditável e implacável.

Essa glória estava estampada no rosto de cada um desses jogadores que iam para a Colômbia. Estava no rosto de cada dirigente e comissão técnica que não acreditava que viajava para fora do Brasil rumo a uma final sul-americana. Estava no rosto dos jornalistas que acompanhavam uma festa verde e branca do sul do país. Infelizmente, acabou em um trágico acidente.

Este dia ficará marcado na história como um dia triste, sem brilho, apenas preto no branco e branco no preto. Um dia que será difícil de acabar, que não será fácil deitar a cabeça no travesseiro e dormir em paz. Não é fácil para ninguém e nem mesmo para o esporte mundial.

O momento é de oração, de vigília, de amor com o próximo, de externar mais ainda o amor pelo esporte, pelo futebol. O momento é esse, pois é o que nos resta, o que nos conforta, o que une um mundo inteiro em busca de respostas. Em busca de palavras para explicar todos esses sonhos que foram interrompidos. Nos faltam palavras para expressar este momento. Falta tudo.

Autoridades encerram buscas com 71 corpos e seis sobreviventes

(Foto: Reprodução/Twitter)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


As autoridades da Colômbia encerraram as buscas dos corpos e sobreviventes do acidente com o avião da Chapecoense, que saiu da Bolívia rumo a Medellín, onde o clube brasileiro faria o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana nesta quarta-feira (30), contra o Atlético Nacional. Ao todo, 77 pessoas estavam no avião, sendo 71 mortos e seis sobreviventes.

O número foi ajustado de acordo com o líder de busca da Unidade de Gestão de Riscos e Desastres (UNGRD), Carlos Iván Márquez. Quatro pessoas não embarcaram no voo de última hora, sendo eles Luciano Buligon, prefeito de Chapecó (SC), Plínio David de Nes Filho, presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense, Gelson Merisio (PSD), presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) e Ivan Carlos Agnoletto, jornalista da rádio Super Condá, de Chapecó.

“Pode-se dizer que foi uma das operações mais rápidas que já fizemos, com logística aérea, terrestre, de maquinário e humana. A Polícia Nacional, a Força Aérea, os organismos de socorro e toda a institucionalidade departamental e nacional, como um sistema, operou nesta ação de busca e resgate para mitigar a dor das famílias destas pessoas”, disse Márquez, em pronunciamento para a imprensa.

Alan Ruschel pede para que guardem sua aliança de casamento

O lateral-esquerdo Alan Ruschel chegou ao Hospital de La Ceja perguntando pela família e pediu para que guardassem sua aliança de casamento. Ele e os outros jogadores que sobreviveram continuam internados na Colômbia e o estado é estável, mas preocupante. O estado de saúde dos tripulantes não foi divulgado.

O jornalista Rafael Henzel também foi encontrado com vida no avião e está internado em Medellín, com o estado de saúde grave, mas estável.

Familiares ficarão no Brasil

Um voo que sairia do Brasil para a Colômbia com familiares dos jogadores mortos e os sobreviventes foi cancelado na tarde desta terça-feira. Os governos dos dois países acordaram que não haveria necessidade de deslocar um número grande de familiares para fazer reconhecimento dos corpos, já que não houve explosão e os corpos não ficaram carbonizados.

Os reconhecimentos preliminares dos corpos serão feitos por médicos da Chapecoense que se deslocarão até Medellín.

Clubes pedem a CBF que Chapecoense não seja prejudicada pelos próximos três anos

(Foto: Reprodução)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


A cada momento surgem novas informações sobre o que aconteceu com o avião da equipe da Chapecoense que caiu na Colômbia matando 76 pessoas e deixando apenas cinco sobreviventes. No Brasil, equipes se desdobram para amenizar as perdas irreparáveis de profissionais da comissão técnica, jogadores, jornalistas e tripulação.

Alguns clubes como Corinthians, Palmeiras e Grêmio emitiram uma nota na tarde desta terça-feira (29) pedindo a CBF e a outros clubes que ajudem a equipe catarinense a se reestruturar, cedendo alguns jogadores de forma gratuita e que a Confederação não rebaixe a equipe para a série B, caso o alviverde fique na zona de rebaixamento, pelas próximas três temporadas. Confira a nota oficial:

Neste momento de perda e de profunda tristeza, nós, presidentes dos clubes brasileiros que publicam esta nota, gostaríamos de manifestar nossos mais sinceros sentimentos de pesar e solidariedade à Associação Chapecoense de Futebol e seus torcedores, e em especial às famílias e amigos dos atletas, comissão técnica e dirigentes envolvidos na tragédia ocorrida na madrugada desta terça-feira (29).

Mesmo cientes dos prejuízos irreparáveis provocados por este terrível acontecimento, os clubes entendem que o momento é de união, apoio e auxílio à Chapecoense.

Neste sentido, os clubes anunciam Medidas Solidárias à Chapecoense, que consistirão, dentre outras, em:

(i) Empréstimo gratuito de atletas para a temporada de 2017; e
(ii) Solicitação formal à Confederação Brasileira de Futebol para que a Chapecoense não fique sujeita ao rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro pelas próximas 3 (três) temporadas. Caso a Chapecoense termine o campeonato entre os quatro últimos, o 16º colocado seria rebaixado.

Trata-se de gesto mínimo de solidariedade que se encontra ao nosso alcance neste momento, mas dotado do mais sincero objetivo de reconstrução desta instituição e de parte do futebol brasileiro que fora perdida hoje.

#ForçaChape

Até o momento, Santos, Vasco, Portuguesa, São Paulo, Joinville, Coritiba, Corinthians, Palmeiras, Grêmio, Flamengo, Botafogo, Cruzeiro e Atlético-PR aderiram ao movimento.

No entanto, a CBF prefere manter cautela com os anúncios dos próximos passos para as competições, como Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, por exemplo. Walter Feldman, secretário-geral da CBF, fez um pronunciamento na porta da Confederação, no Rio de Janeiro, apenas ressaltando que as datas foram adiadas e o que o momento é de tranquilizar os familiares e reconhecer os corpos na Colômbia.

"Não há clima, são todas as atividades. Estamos concentrados apenas na ajuda à Chapecoense. E sabemos que todos os clubes estão assim. Uma semana sem nada. E nada a pensar fora disso. Final da Copa do Brasil será na próxima quarta-feira. E a rodada do Brasileiro será no dia 11/12", completou. O evento da próxima segunda-feira, quando seria revelado os melhores do Brasileirão, também foi cancelado.

Adalberto Preis sugere que clubes emprestem atletas à Chape (Foto: Rodrigo Rodrigues/Grêmio)

Atlético pede que Conmebol declare Chape como campeã da Copa Sul-Americana

(Foto: Reprodução)

Por Redação Blog do Esporte


Um vídeo do jogador Gilberto Garcia, porta-voz dos jogadores do Atlético Nacional, disse para a imprensa colombiana que a Conmebol acate a decisão de entregar o título da Copa Sul-Americana de 2016 para a Chapecoense. A equipe brasileira viajava para Medellín quando o avião da delegação caiu na região da cidade de La Unión.

"Tomaremos isso como aviso de Deus para seguir melhorando nossa vida pessoal, seguir acreditando em nós mesmos. Vamos esperar a determinação da Conmebol, mas nós queremos que declare obviamente campeão a Chapecoense. E depois ver o que vem. A iniciativa é nossa e do mundo do futebol. Esperamos que a Conmebol tome essa decisão", disse o jogador

A própria organização da Sul-Americana confirmou pelo Twitter a decisão do Atlético de entregar o título a Chape. Entretanto, o pronunciamento será analisado pela Conmebol e a decisão deve ser divulgada depois do dia 21 de dezembro.



Globo e FOX Sports lamentam morte de funcionários em voo da Chapecoense

(Foto: Divulgação/Fox Sports)


A Fox Sports confirmou na manhã desta terça-feira (29) que seis de seus profissionais, que estavam no avião que levava a delegação da Chapecoense a Medellín para a disputa do jogo de ida da final da Copa Sul-Americana.

Assinada pelo Carlos Martinez, presidente da Fox da América Latina, a mensagem informa que o narrador Deva Pascovicci, os comentaristas Mário Sérgio e Paulo Júlio Clement, o repórter Victorino Chermont, o cameraman Rodrigo Santana e o coordenador de externa Lilácio Júnior viajavam na aeronave que caiu na Colômbia.

O mesmo aconteceu com a Globo. Em nota oficial, a emissora lamentou a perda de dois funcionários no acidente.

"Os nossos repórteres Guilherme Marques e Guilherme Laars e o repórter cinematográfico Ari de Araújo Jr. estavam no voo com o time da Chapecoense. Eles preparavam uma matéria especial para o Esporte Espetacular. Neste momento de dor e expectativa, aguardamos notícias oficiais das autoridades colombianas e prestamos toda a solidariedade às famílias de nossos colaboradores e amigos", falou.

A RBS, afiliada da Globo no sul do país, também divulgou uma nota lamentando a morte de seus funcionários. Cinco membros catarinenses estavam no voo.

"A RBS lamenta informar que os profissionais André Podiacki, Giovane Klein, Bruno Silva, Djalma Araújo Netto e Laion Espíndula estavam no voo que levava a delegação da Chapecoense para a Colômbia. As empresas, em Santa Catarina (Grupo NC) e no Rio Grande do Sul (Grupo RBS), estão oferecendo apoio às famílias neste momento e seguem na busca por informações oficiais sobre a situação dos colaboradores", disse o canal.

De acordo com as informações das autoridades colombianas, 75 dos 81 passageiros e tripulação do avião morreram na tragédia na cidade de La Unión, próxima à Medellín, destino do voo. Um número inicial de 76 mortos havia sido divulgado, porém a contagem reduziu após o zagueiro Neto ser encontrado com vida.

UOL Esporte

Clubes criam corrente de solidariedade nas redes sociais pela tragédia com a Chapecoense



Os clubes brasileiros criaram uma corrente de solidariedade para emanar pensamentos positivos para familiares e amigos dos mortos da tragédia com o avião da Chapecoense, que seguia para Medellín para a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional. Confira algumas mensagens:






















Avião de acidente da Chape tinha 17 anos e foi usado pela seleção argentina

(Foto: Reprodução)


De acordo com o site Sport, da Espanha, o avião que sofreu um acidente com o time da Chapecoense foi utilizado por Messi e os jogadores argentinos justamente na viagem para o Brasil, quando a seleção hermana enfrentou os comandados de Tite pelas eliminatórias da Copa do Mundo, no Mineirão.

Segundo sites especializados em aviação, o avião que sofreu um acidente com o time da Chapecoense é novo, tem apenas 17 anos de uso e era o único da companhia aérea Lamia, da Bolívia.

O modelo é o Avro Regional Jet 85, também conhecido como Jumbolino, de matrícula CP-2933, produzido pela British Aerospace. O avião tem lugar para 95 pessoas, mas segundo as autoridades colombianas, tinha 72 passageiros e 9 tripulantes no momento do acidente.

UOL Esporte

"A Chapecoense tem que continuar", diz vice-presidente do clube



O vice-presidente da Chapecoense, Ivan Tozzo, que está em Chapecó, explicou quais serão os próximos passos dos membros do clube após o acidente de avião com a delegação que seguia para Medellín para a primeira partida da final da Copa Sul-Americana. O dirigente ainda destacou que "o clube tem que continuar".

"Vamos montar um quartel general na Colômbia. Vai os médicos da Chapecoense para lá (para a Colômbia). Provavelmente a CBF vai disponibilizar um voo. Estamos falando até com o presidente da república. Mas de Chapecó a São Paulo provavelmente iremos com um voo fretado. As informações de sobreviventes são o que tenho pela televisão. Eu sei que tinha 5/6 pessoas no hospital, mas não sabemos mais informações. As pessoas querem saber notícias, tomara que mais pessoas tenham sobrevivido. Vamos dar toda a assistência às famílias. A Chapecoense tem que continuar", disse o dirigente em entrevista ao canal Fox Sports.

O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, explicou como está sendo feita a logística para que familiares e autoridades. "Estamos providenciando uma aeronave. Estamos indo para Chapecó com as famílias. Estamos em contato com o presidente Michel Temer e o Ministro das Relações exteriores. Vamos organizar e prestar toda solidariedade", disse ao Fox Sports.

"A aeronave está sendo disponibilizada pelo governo federal para levar familiares. O prefeito de Chapecó já foi para lá. Vamos disponibilizar tudo para as famílias. A gente fica meio tonto no começo, sabemos que precisamos tomar medidas. Prestamos todo apoio aos familiares, tentando ajudar. Estamos recebendo informações agora para prestar todo o apoio", continuou.

"Os contatos com autoridades estão sendo feito com embaixadas, mas há todo um trabalho com identificação de mortos. Eu acho que eu ajudo mais ficando aqui. Eu vou a Chapecó para ajudar os meus companheiros que estão lá. Vou procurar ajudar daqui. Estou indo para Chapecó dentro de meia hora", completou o governador, ressaltando a necessidade de muito cuidado ao falar sobre o assunto.

UOL Esporte

Avião da Chapecoense sofre acidente em viagem para final da Sul-Americana

(Foto: Reprodução/Twitter)

Por Redação Blog do Esporte


O avião que transportava jogadores, comissão técnica e dirigentes da Chapecoense sofreu um acidente na madrugada desta terça-feira (29) - horário de Brasília - transportava 81 pessoas para o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana. Segundo a polícia local, ao todo 75 pessoas morreram e pelo menos seis pessoas foram encontradas com vida.

A imprensa local informa que a aeronave perdeu contato com a torre de controle por volta das 22h15 local (1h15 de Brasília) e caiu ao se aproximar do Aeroporto José Maria Córdovia, em Rionegro, perto de Medelín. As ambulâncias locais foram acionadas para realizar o resgate dos feridos que foram encaminhados para o Hospital San Juan de Dios de La Ceja por volta das 5h (de Brasília).

Os trabalhos de resgate foram suspensos por volta das 6h (de Brasília) e ao todo sete sobreviventes foram encontrados, sendo dois da tripulação, um jornalista e quatro jogadores. Devido ao mau tempo, os resgates devem ser retomados pela manhã na Colômbia. No entanto, foi informado pelas autoridades locais que o resgate foi interrompido de forma definitiva.

O avião de matrícula CP2933 * transportava 81 pessoas; entre tripulação, jogadores, comissão técnica, diretoria e jornalistas. A delegação brasileira viajava rumo a Medellín, cidade na qual a Chapecoense iniciaria nesta quarta-feira a briga pelo primeiro título continental diante do Atlético Nacional.

Final cancelada

A Conmebol cancelou a decisão da Sul-Americana e emitiu uma nota em apoio a equipe brasileira e familiares.

"A Confederação Sul-Americana de Futebol confirma que foi notificada pelas autoridades colombianas de que o avião em que viajava a delegação da Chapecoense, do Brasil, sofreu um acidente em sua chegada à Colômbia. Estamos em contato com as autoridades e esperamos notícias oficiais. A família Conmebol lamenta enormemente o ocorrido", disse a entidade.

As atividades da entidade estão suspensas até segundo aviso e o presidente Alejandro Domínguez viajará para Medellín.

Copa do Brasil

Atlético Mineiro, Grêmio e CBF suspenderam a final da Copa do Brasil que aconteceria nesta quarta-feira (30). Diversas equipes brasileiras e do mundo se solidarizaram com a situação e emitiu palavras de força para todos. Confira algumas notas:





Palmeiras investe em mercado de aplicações para criar gestão vencedora



Por Redação Blog do Esporte


O título do Palmeiras na série A do Campeonato Brasileiro teve um forte aliado nesta nova administração da era Paulo Nobre. A equipe investiu na modernização da administração do clube por meio do software da SAP, uma das líderes mundiais na aplicação de software empresarial, seja para empresas de pequeno, médio ou grande porte ou clubes esportivos, como é o caso do Palmeiras.

Com o novo investimento, todos os processos de todos os departamentos do time como informação de compras, estoque, financeiro, dentre outros, estão unificados pela aplicação da SAP. Segundo o presidente Paulo Nobre, a estratégia foi adotada para inovar e investir em tecnologia para sair na frente de outros clubes. 

“Assim como as maiores empresas do mundo, hoje, com o software da SAP, conseguimos atingir o nível mais elevado de gestão e governança, tornando todos os nossos processos transparentes”, diz.

A aplicação torna o acesso fácil e rápido de informações do alviverde, além da informatização da gestão de seus departamentos, o que resulta na redução de gastos. Muitas atividades que eram feitas de forma manual, hoje foram automatizadas e dispensaram o uso do papel, por exemplo.

“Hoje nossos funcionários trabalham de forma mais produtiva, pois não perdem mais tempo com tarefas manuais e repetitivas. Além disso, a qualidade das informações das áreas administrativas faz todo o motor do negócio girar de maneira mais eficiente”, destaca o diretor financeiro do clube, Luciano Paciello.

Já para a SAP, o Palmeiras se tornou referência na modernização de sua gestão administrativa. “O Palmeiras foi o primeiro time de futebol do Brasil a adotar a aplicação SAP Business One. Então, é uma grande honra estar fazendo parte desse momento tão positivo do Verdão, dentro e fora dos campos”, afirma Priscila Jones, diretora de vendas da solução Business One no SAP Brasil.

CNE aprova nomes dos membros que vão integrar o Tribunal de Justiça Antidopagem

(Foto: Francisco Medeiros/ME)


Os nomes dos integrantes que vão compor o Tribunal de Justiça Antidopagem foram aprovados na manhã desta segunda-feira (28.11), durante a 35ª reunião do Conselho Nacional do Esporte (CNE), no Rio de Janeiro. O colegiado escolheu os três membros indicados por confederações esportivas e os três pela Comissão Nacional de Atletas (CNA). Os três apontados pelo Ministério do Esporte não precisam passar pela apreciação do conselho.

Foram eleitos: Fernanda Bazanelli Bini, Luísa Parente Monteiro de Carvalho e Marcel Ramon Ponickwar de Souza, indicados pelas confederações esportivas; e Luciano Henrique Alvim Battistoti Hostins, Guilherme Faria da Silva e Gustavo Normanton Delbin, indicados pela CNA. Eles se juntarão a Humberto Fernandes de Moura, Tatiana Mesquita Nunes e Eduardo Henrique de Rose, indicados do ministério para compor o tribunal.

“Indicamos dois advogados, que são especialistas em legislação esportiva e fazem parte do quadro da Advocacia-Geral da União, além do médico Eduardo de Rose, um grande especialista no assunto, pioneiro do Brasil nessa temática e membro-fundador da Wada”, disse o ministro do Esporte e presidente do CNE, Leonardo Picciani, ao explicar as indicações que cabiam à pasta.

Segundo o secretário nacional da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, Rogério Sampaio, não houve demora na instalação do tribunal. “Existem regras e prazos a serem cumpridos, de acordo com a legislação brasileira. Tudo tem que ser bem atendido para que não haja problemas no futuro. Na reunião de hoje do CNE, cumprimos mais uma etapa. Necessitávamos ainda, para a implantação do tribunal, de orçamento, e esse orçamento já está garantido para que esse tribunal comece a funcionar”, acentuou.

Sampaio lembrou que a ABCD, interlocutora entre a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) e o CNE, não tem medido esforços para o processo de constituição do tribunal. A reunião desta segunda estava no cronograma apresentado pelo secretário à diretoria da Wada em outubro e a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem vem entregando tudo dentro do prazo. A entidade inclusive corrigiu, por meio de resolução, a questão do pagamento dos oficiais de controle de dopagem.

O secretário da ABCD ressaltou também pontos relevantes acerca do tribunal. “Os atletas serão julgados por um tribunal que trata única e exclusivamente de casos de doping. As penas não serão nem mais altas, nem mais baixas, serão justas, dando ao atleta a possibilidade de se defender. É um avanço no controle de dopagem no país, assim como nos indica a Wada”, frisou.

Bolsa Atleta

Existe um percentual de 15% do montante de recursos do Bolsa Atleta destinado a esportistas que praticam modalidades não olímpicas. Essa autorização também foi renovada durante a reunião de hoje.

“É responsabilidade do Conselho Nacional do Esporte aprovar anualmente resolução que estabelece critérios para a renovação da bolsa. É muito importante que os membros do conselho, com a visão que têm de todas as manifestações do esporte, tenham a prerrogativa de contribuir com o programa nesse sentido, estabelecer critérios e qualificar cada vez mais a concessão da bolsa, que é hoje, se não o principal, um dos principais apoios que o esporte tem”, afirmou o coordenador do Bolsa Atleta, Mosiah Brentano.


“Ainda sobre a resolução que trata do Bolsa Atleta, uma das exigências é que as confederações, para indicar os atletas, têm que ter ainda o plano anual de controle de dopagem aprovado pela ABCD. Esse plano trata não apenas dos eventos em que vá haver controle de dopagem, mas também do trabalho de educação e prevenção ao doping”, completou o secretário da ABCD, Rogério Sampaio.

Homenagem a Capita

O Conselho Nacional do Esporte aprovou ainda uma moção de memória a Carlos Alberto Torres, o Capita, capital da Seleção Brasileira de futebol tricampeã em 1970, pelos serviços prestados ao esporte brasileiro e mundial. A homenagem é um reconhecimento do CNE a tudo o que representou para o futebol o ex-jogador, que faleceu em outubro passado.

Ministério do Esporte

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Renan Ribeiro passa por cirurgia, mas deve participar de pré-temporada do São Paulo

(Foto: ÉRICO LEONAN/SAOPAULOFC.NET)


O goleiro Renan Ribeiro foi submetido a uma cirurgia para corrigir uma luxação sofrida no dedo da mão esquerda durante a virada do São Paulo sobre o Atlético-MG (2 a 1), no último domingo, em Belo Horizonte. O camisa 22 foi operado na madrugada desta segunda-feira em um hospital da capital paulista e passa bem, em repouso em sua própria casa.

A expectativa é que o retorno aos treinos aconteça na pré-temporada de 2017.

A partida contra os mineiros foi apenas a terceira do ano em que Renan iniciou como titular. Isso porque a diretoria tricolor decidiu dar uma chance para o arqueiro de 26 anos nesta reta final de temporada, em detrimento de Denis.

O lance da lesão aconteceu aos 44 minutos do primeiro tempo, quando Renan defendeu uma cabeçada de Fred.

"Ele sofreu uma luxação no terceiro dedo da mão esquerda. O atleta foi submetido a procedimento cirúrgico para redução de luxação interfalangeana. A cirurgia foi bem sucedida, durou aproximadamente uma hora e o Renan já pode repousar. Ele será reavaliado na próxima semana e, então, iniciará o processo de recuperação com os fisioterapeutas do Reffis", explicou o médico do São Paulo, Dr. José Sanchez.

Após deixar o hospital, no fim desta manhã, o goleiro foi ao CCT da Barra Funda e mandou uma mensagem tranquilizadora à torcida tricolor.

"A imagem da lesão foi forte, mas felizmente a cirurgia foi bem sucedida e logo estarei bem de novo. Recebi muitas mensagens de incentivo e, sem dúvida, voltarei mais forte. Agora vou me recuperar bem e seguir as recomendações do Departamento Médico", declarou.

Desta forma, Renan Ribeiro não poderá defender a meta são-paulina na despedida da equipe na temporada 2016: frente ao Santa Cruz, no próximo domingo, no Pacaembu. A tendência é que Denis volte ao time titular.

"Foi uma temporada de muita superação, mas isso me deixou mais forte. Tenho certeza de que voltarei bem no início do próximo ano para tentar ajudar a equipe", concluiu Renan.

ESPN

Jorginho deixa o comando do Vasco após acesso a série A

(Foto: Paulo Fernandes / Site oficial do Vasco)

Por Redação Blog do Esporte


O técnico Jorginho, que garantiu o acesso do Vasco para a série A do Campeonato Brasileiro, deixou o comando da equipe na manhã desta segunda-feira (28). De acordo as primeiras informações, o próprio treinador pediu uma reunião com a diretoria e anunciou sua saída do time vascaíno.

Jorginho chegou ao Vasco no final de 2015 e tinha como missão subir a equipe para a elite do futebol nacional. O acesso foi garantido apenas na última rodada, quando a equipe venceu o Ceará por 2 a 1, de virada, no Maracanã. O time carioca terminou a competição em terceiro lugar. O Atlético Goianiense se sagrou campeão da série B.

O treinador também levará os seus auxiliares Zinho e Joelton Urtiga. O presidente Eurico Miranda concederá entrevista coletiva no Complexo Esportivo de São Januário para oficializar a saída do técnico e os próximos passos por 2017.

Com debandada, Botafogo-SP recomeça do "zero" para temporada 2017

 (Foto: Rogério Moroti/Ag. Botafogo)

Por Nicholas Araujo
Ribeirão Preto, SP


O Botafogo de Ribeirão Preto retornou aos trabalhos nesta segunda-feira (28) no Estádio Santa Cruz, para iniciar os preparativos para a temporada 2017. Sem o acesso para a série B do Brasileiro, a diretoria do clube apostou em uma debandada de jogadores para, possivelmente, criar um elenco mais competitivo para o Campeonato Paulista e para a série C do Campeonato Brasileiro.

A primeira mudança no atual tricolor foi a saída do técnico Márcio Fernandes, que salvou a equipe do rebaixamento no estadual, e a chegada de Moacir Junior, que treinou o Tombense em 2016. Em seguida, a saída de jogadores criou um sinal de alerta para a torcida. Ao todo 18 jogadores, sendo cinco titulares, deixaram o Botafogo.

Da equipe principal ficaram o goleiro Neneca, os zagueiros Filipe e Matheus Mancini, o lateral/volante Diego Pituca, o volante Rodrigo Thiesen e o atacante Serginho.

Na semana passada, a diretoria anunciou a chegada de Raul Prata, que estava no Luverdense e o volante Bileu, que trabalhou com Moacir no Tombense e Linense. O lateral Fernandinho e o volante Eurico estão encaminhados.

No entanto, a busca por reforços segue lenta e os problemas podem aumentar com a chegada da estreia no Paulista. O Botafogo busca juntar os "cacos" da série C e aprender com os resultados que mantiveram a equipe na terceira divisão. O momento agora é de pensar em 2017, se reforçar e trazer um ano de mais glórias para o gigante da Vila Tibério.

Briga tem até arremesso de botijão e suspende clássico no Uruguai




Uma grande confusão com torcedores do Peñarol obrigou a suspensão do clássico contra o Nacional, que aconteceria neste domingo (27), pelo Campeonato Uruguaio.

No enfrentamento da torcida contra a polícia, é possível ver até mesmo um botijão de gás sendo arremessado de cima do estádio Centenário de Montevidéu.

"Não estão garantidas a segurança do local e uma possível evacuação deixaria muitos feridos", disse o diretor nacional de polícia Mario Layera após a decisão de suspender a partida.

Além do enfrentamento com a polícia e brigas ao redor do estádio, a polícia ainda registrou roubos aos vendedores da região do estádio e um botijão de gás foi atirado de dentro do estádio, na região chamada de Ámsterdam por torcedores.

O presidente do Nacional, José Luis Rodríguez, disse que o clube ainda espera uma solução oficial sobre o jogo após a suspensão. "O primeiro é que a súmula do árbitro tem que ir ao tribunal e depois vamos ver o regulamento para saber se jogaremos ou não a partida. Jogar de portas fechadas seria castigar a torcida do Nacional, que se comportou bem. Assim não há solução. Todo mundo viu que o comportamento da torcida do Nacional foi mais que excelente", comentou.


UOL Esporte

Cheiro de rivalidade. Entenda por que o campeão Palmeiras provoca o Santos

(Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)


Em boa parte do jogo contra a Chapecoense, no domingo (27), a torcida do Palmeiras deixou de lado o apoio ao time para xingar o rival Santos. Os jogadores e a diretoria também sempre que podem encontram uma maneira de dar uma provocada na equipe alvinegra. Tais posturas mostram que o Peixe virou o rival da vez do campeão brasileiro.

Mas por que o Santos superou o Corinthians e o São Paulo na rivalidade dos com alviverdes? Alguns motivos explicam essa mudança no comportamento dos palmeirenses.

Os dois clubes estão em alta. Nas últimas duas temporadas, alvinegros e alviverdes disputaram três decisões (final e semifinal do Paulista, 2015 e 2016, respectivamente, e o título da Copa do Brasil 2015). Já no Brasileiro deste ano, a batalha foi pela liderança.

Alguns jogadores também ajudaram a colocar um pouco mais de pimenta nesta rivalidade. Ricardo Oliveira fez cara de deboche na hora de comemorar um gol marcado em Fernando Prass, no ano passado.

Por isso, os palmeirenses não pensaram duas vezes na hora de usar máscaras com o rosto do atacante adversário para celebrar o título da Copa do Brasil. Nas entrevistas, os palmeirenses também não pouparam críticas ao atacante rival. Rafael Marques chegou até a chamá-lo de mau-caráter e Dudu pediu mais respeito ao Palmeiras. 

O meia Lucas Lima, por sua vez, usou as redes sociais para incendiar a disputa. Por exemplo, quando o Palmeiras perdeu do Água Santa por 4 a 1, no Paulista deste ano, ele perguntou, como quem não quer nada, "se era tudo isso mesmo?" De quebra, não escondeu a felicidade quando o alviverde foi eliminado da Libertadores e desejou um bom dia para os seus seguidores.

Já no Brasileiro deste ano, o Santos era o único que ainda tinha chance de acabar com a festa alviverde a duas rodadas do fim do campeonato. Por isso, não era de se estranhar que a torcida palmeirense vibrasse toda vez que o locutor do Allianz Parque avisava um gol do Flamengo sobre o rival, no Maracanã.

UOL Esporte

domingo, 27 de novembro de 2016

Ponto Opinião: Palmeiras se renova após rebaixamento e "invasão argentina"

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)


Palmeiras é campeão brasileiro de 2016. De forma incontestável, a equipe liderou quase todo o campeonato e viu rivais como Flamengo, Santos e Atlético MG seguirem de longe sua liderança. Após a partida contra a Chapecoense e a derrota do Santos, o Verdão levantou o caneco após 22 anos de jejum que culminou em problemas e seu rebaixamento para a série B do campeonato.

O ano parecia que teria repeteco de 2015, mas a chegada de Cuca mudou este parâmetro. Paulo Nobre buscou mudar a equipe após o descenso. A chegada do técnico Gareca mostrou os problemas do clube. A “invasão” de jogadores argentinos preteridos por Gareca foi um tiro pela culatra, já que o treinador foi demitido precocemente do cargo.

Em 2016, os capítulos foram escritos de outras maneiras. De forma brilhante, a equipe passou por todos os adversários, deixou para trás Flamengo, Santos, Atlético Mineiro e Grêmio e viu adversários como Corinthians, São Paulo e Internacional sofrerem com más administrações e saídas precoces de elenco.

(Foto: Reprodução/Twitter)

O Palmeiras jogou no erro dos adversários. Soube crescer em um momento de crise no futebol nacional e nos inúmeros problemas envolvendo clubes e CBF. Soube crescer no momento certo e trazer um treinador com ótima habilidade e qualidade como Cuca. Soube ser grande em momentos pequenos dos rivais. Soube ser Verdão e gigante em momentos importantes.

Agora o momento é de comemoração, alívio e férias. 2017 está aí com muito mais emoção e o Palmeiras continua a ser o time a ser batido. Palmeiras é grande em momento conturbado do Brasil. 

Palmeiras tem história, camisa, tradição e fidelidade com o torcedor. Mesmo com os problemas antigos, o Palmeiras hoje é diferente, é parecido com as Academias e defende com poderio os inúmeros ídolos e títulos. Palmeiras é gigante em 2016. 

(Foto: Reprodução/Twitter)