quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Destaques das Paralimpíadas Escolares 2016 já despontam em suas carreiras adultas

(Foto: Reprodução)


Um grupo de atletas chama a atenção em suas modalidades nas Paralimpíadas Escolares 2016. Mesmo ainda no limite de idade do evento (12 a 17 anos), alguns competidores já despontam em suas carreiras entre os adulto. Caso de Mayara Petzold, que com 14 anos puxa a fila dos destaques do evento, cujas provas seguem até sexta, no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo.

A jovem nadadora, por exemplo, já é a detentora do recorde nacional dos 100m costas, classe S6. Desempenho que  a colocou no radar da comissão técnica brasileira e a faz sonhar alto. Mais precisamente, com a próxima edição dos Jogos Paralímpicos, em Tóquio 2020. 

"Acompanhei os Jogos Paralímpicos e muitos atletas me inspiraram e me inspiram. Não só da natação. Queria muito ter ido (à Rio 2016), mas Tóquio que me aguarde", disse Mayara, que faz sua estreia em Paralímpiadas Escolares.  "A experiência nas Escolares é bem diferente, porque quando estou nadando entre adultos, recebo muitas dicas, como algumas que já ouvi do Talisson Glock, por exemplo. E aqui eu sou a nadadora que dá as dicas", completou.

Outro caso é o de Jucélio Torquato, do tênis em cadeira de rodas. Na manhã desta quinta, 24, o jovem de 16 anos avançou à final da chave masculina, categoria B, com a vitória por 2 sets a 0 (7/5 e 6/4) sobre Lucas Correia. Oitavo colocado do ranking mundial júnior, ele impressiona e acumula também bons resultados entre os adultos.  

"É um garoto que já participa há algum tempo das Paralimpíadas Escolares, então já vem em formação e cresceu muito nos últimos anos. Hoje ele é o número 1 do ranking júnior brasileiro, então é um menino que pretendemos trabalhar já pensando em 2020", disse Wanderson Cavalcante, coordenador de tênis em cadeira de rodas da CBT. 

As Paralimpíadas Escolares são organizadas desde 2009 pelo CPB. Neste ano, contou com apoio do Governo de São Paulo, mais uma vez a sede da competição. O evento é o maior do mundo entre atletas com idade escolar (12 a 17 anos) e já revelou alguns dos principais atletas brasileiros da atualidade. Em 2016, são oito modalidades no programa: atletismo, bocha, futebol de 7, goalball, judô, natação, tênis de mesa e tênis em cadeira de rodas.

Comitê Paralímpico Brasileiro