quinta-feira, 3 de novembro de 2016

No Santos, Libertadores deve segurar astros e trazer medalhões em 2017

(Foto: Divulgação/Santos)


O Santos vê muitos benefícios em voltar a disputar a Copa Libertadores da América, competição da qual não participa desde 2012. Nos bastidores, a diretoria santista promete trazer alguns "medalhões" para reforçar o elenco, estratégia diferente em relação aos dois primeiros anos de mandato do presidente Modesto Roma.

Em 2015 e 2016, a cúpula alvinegra apostou nas categorias de base e em reforços mais modestos, principalmente em jogadores livres no mercado. A estratégia nestes anos foi contratar atletas pagando apenas salários, sem investir em direitos econômicos.

Além de atletas mais tarimbados no futebol, a diretoria do Santos acredita que a classificação para a Libertadores da América ajudará a manter os seus principais astros do elenco, entre eles, o meia da seleção brasileira, Lucas Lima, e os campeões olímpicos Zeca e Thiago Maia.

A promessa dos atletas foi feita em algumas reuniões com a diretoria santista e até em público por alguns jogadores, casos de Zeca e Thiago Maia.

"Não sei o que pode acontecer amanhã, mas com a Libertadores tenho certeza que todos os jogadores vão ficar para ajudar. Ninguém sabe o dia de amanhã, mas já foi conversado com a diretoria que nós podemos ficar sim para a disputa da Libertadores", revelou Zeca.  

Robinho é um dos medalhões na mira
Em relação a reforços, o UOL Esporte revelou que o principal "medalhão" que a diretoria santista pretende contratar é o atacante Robinho, ídolo do clube e que tem contrato com o Atlético-MG até dezembro de 2017. O namoro já começou, mas nenhuma proposta foi feita para o clube mineiro.

O zagueiro Gum, do Fluminense, também está com conversas bem adiantadas. O defensor tem contrato com o Flu até o fim de 2018, mas a boa relação entre os presidentes dos clubes, Modesto Roma (Santos) e Peter Siemsen (Flu), facilita a liberação do jogador. Mesmo com o dirigente terminando o último mandato no Tricolor em novembro.

O meia Alejandro Guerra, do Atlético Nacional, da Colômbia, também segue na mira. O clube paulista deixou vencer a prioridade de compra no mês passado, mas segue negociando para trazer o venezuelano. A diretoria santista realiza negociações em sigilo, pois teme a concorrência de outros clubes, principalmente do Palmeiras.

O Santos já acertou a contratação de um atacante para 2017: Vladimir Hernandez, do Junior Barranquilla, da Colômbia.

O Santos almeja terminar o Brasileiro no G3 (três primeiros colocados) e se classificar para a Libertadores sem a disputa da repescagem, conhecida como pré-Libertadores. Atualmente, a equipe santista figura na terceira colocação, com 61 pontos ganhos. 

UOL Esporte