segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Ponto de Opinião: Felipe Massa sai de cabeça erguida, mas Brasil fica desvalorizado na F1

(Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)


No último domingo (13), o piloto Felipe Massa encerrou seu ciclo de Grandes Prêmios do Brasil de Fórmula 1 em sua carreira. Após um ano de poucas conquistas e quase nenhuma expressividade dirigindo o carro da Willians, Massa entendeu que estava na hora de procurar outro rumo, ou mesmo encerrar sua trajetória na F1.

Em boa parte de sua carreira, Massa ficou a mercê de seus companheiros de equipe como Schumacher e Fernando Alonso. Sempre foi considerado o companheiro de equipe que ajudaria na vitória do seu colega, mas poucas vezes foi considerado o piloto a ser batido ou o destaque da temporada.

Mesmo com o pouco brilho conquistado, Massa ganhou o respeito de outros pilotos e a admiração de muitos brasileiros por sua persistência e por sua garra, que excedia em algumas corridas, mas faltava em outras. Foi um piloto que conseguiu representar as cores do Brasil, mas não trouxe aquela determinação de tempos como Nelson Piquet e Ayrton Senna.

O futuro brasileiro na categoria é uma incógnita. Felipe Nasr corre o risco de deixar a F1, que ficaria, depois de muito tempo, sem um representante do Brasil. O automobilismo tem seus representantes brasileiros a altura, mas são poucos os interessados pela Fórmula 1. A categoria perdeu seu brilho do começo, não enche mais os olhos de quem assiste. A saída de Felipe Massa escancara esse problema. Fórmula 1 virou uma mesmice, onde sempre ganham os mesmos e são poucos o que se destacam.

Felipe Massa foi grande quando precisava, mas não o suficiente para ser campeão do mundo. Mesmo assim, ganhou o meu respeito e o de muitos brasileiros. 

Obrigado Felipe Massa do Brasil!