sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Corintiano chamado de 'novo Sócrates' vira aposta de Carille em 2017

(Foto: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians)


Rodrigo Figueiredo, 20 anos, ainda não estreou pelo Corinthians, mas está nos planos para a próxima temporada. Destaque das divisões de base do clube neste ano, ele foi promovido recentemente e tem sido trabalhado para compor o grupo definitivamente em 2017. Quem assegura é o treinador Fábio Carille.


"Vou querer, sim, a presença dele. Estou acompanhando o Rodrigo há uns três anos", disse o ex-auxiliar técnico ao UOL Esporte. "Ele não conseguiu a sequência nos profissionais. Chegou da base, teve um problema muscular e demorou a se recuperar porque era uma lesão de grau alto. Ele voltou a treinar, mas machucou a mesma perna. Só nos últimos dias do ano voltou a treinar", descreve Carille. 

A estadia curta no campo com os profissionais, porém, foi suficiente para Rodrigo chamar a atenção em alguns treinamentos. "No pouco tempo em que ele treinou, todos olharam e 'opa'. É um jogador diferente, um articulador, que organiza mesmo todo o jogo", complementou Fábio Carille. 

Em contatos recentes com a diretoria do Corinthians, o estafe de Rodrigo Figueiredo foi informado sobre a intenção de mantê-lo no elenco principal em 2017. Será a oportunidade de cumprir uma expectativa criada desde setembro de 2013: na ocasião, o comando da base acertou a contratação do garoto que era formado pelo Red Bull Brasil. Empresário de Rodrigo desde aquele tempo, Wagner Ribeiro chegou a fazer uma comparação ousada com Sócrates, um dos maiores ídolos de toda a história corintiana (ver abaixo). 

Ao longo dos dois primeiros anos de clube, as avaliações sobre Rodrigo Figueiredo eram similares: um jogador muito técnico, mas que ainda carecia de mais força e personalidade para se impor de verdade. Até por isso, o meia foi banco de reservas em todas as edições da Copa São Paulo que jogou com o Corinthians. Mas, nos últimos meses, o salto que se esperava dele foi confirmado. 

Em entrevista coletiva na quarta-feira, Osmar Loss, treinador do sub-20, apontou justamente isso. "Muitos aqui acham que a nossa derrota para o Botafogo (recente, em final do Brasileiro Sub-20) se deveu à ausência dele, que estava machucado", disse. "O Rodrigo tem qualidade técnica acima da média. Ele amadureceu aos poucos. Está no Corinthians desde os 17 anos (hoje, tem 20), crescendo as suas partes física e mental. O grande pulo de qualidade aconteceu no último ano", definiu.

Fábio Carille, inclusive, faz planos para Rodrigo Figueiredo na pré-temporada. Uma das ideias é observar, nos treinamentos, quais as possibilidades de uso do jogador. Inicialmente, o treinador vê ele como um meia-atacante, para atuar centralizado e próximo ao centroavante, ou um jogador de beirada, com possibilidade de flutuação do lado para o centro. Mas Carille quer saber se Rodrigo também pode jogar mais recuado, como meio-campista de área a área, no sistema 4-1-4-1. 

Há um aliado nessa adaptação: o próprio Osmar Loss, que será auxiliar dos profissionais corintianos após a Copa São Paulo. Melhor para Rodrigo Figueiredo. 

UOL Esporte