quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

FBF defende Vitória no "caso Victor Ramos" e ameaça Brasileiro 2017

(Foto: Francisco Galvão/EC Vitória/Divulgação)


A Federação Baiana de Futebol (FBF) entrou na polêmica sobre a inscrição de Victor Ramos pelo Vitória. Nesta quarta-feira, a entidade emitiu uma nota em defesa do Vitória e partiu para o ataque. No texto em que volta a corroborar com a legalidade do caso, a FBF ameaça a realização do Campeonato Brasileiro de 2017 caso o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) não arquive o caso.

- A FBF não espera outra posição do STJD a não ser o arquivamento imediato do caso. Qualquer medida contrária a essa linha, que segue a lei desportiva, o Campeonato Brasileiro 2017 será prejudicado e pode não acontecer - diz o texto.

Na nota enviada para a imprensa, a FBF volta a lembrar os documentos apresentados quando a utilização do atleta foi questionada durante o Campeonato Baiano. Quando a denúncia foi feita, a entidade se manteve inicialmente isenta e afirmou que apenas registra o atleta. Dias depois, o presidente da federação, Ednaldo Rodrigues, garantiu não haver irregularidade no caso.

Na luta contra o rebaixamento, o Internacional apresentou uma peça com 42 páginas na qual elucida os pontos que julga equivocados na transferência do defensor, que pertence ao Monterrey, do México, e havia defendido o Palmeiras no ano passado. O clube gaúcho pede que o STJD reabra o caso e puna o clube baiano com a perda de pontos nas partidas em que Victor Ramos atuou. No momento, a novela jurídica se encontra em espera no STJD. Após o pedido do Inter para anexar documentos ao processo 71/2016, aberto pelo Bahia no começo do ano, a Procuradoria solicitou ao Vitória e à CBF que apresentem esclarecimentos sobre o imbróglio. As duas partes têm até esta quarta-feira para responder à solicitação. A partir daí, a Procuradoria irá decidir se leva o caso adiante.

A queixa do Inter tem a ver com a transferência do defensor para o clube baiano após o término de seu empréstimo ao Palmeiras em 2015. Ramos tem seus direitos ligados ao Monterrey, do México. Ocorre que o atleta estava registrado no Transfer Matching System (TMS) da Fifa como jogador do Palmeiras, com contrato ativo com o clube paulista. Tal transação teria sido feita sem seguir os passos recomendados pela entidade numa negociação internacional.

Contraponto

O Vitória, por sua vez, garante que não há "fato novo" no caso e irá enviar a documentação solicitada pelo STJD nesta quarta-feira. Quando o Bahia entrou na Justiça Desportiva pela primeira vez para denunciar o fato, em abril, o argumento do Leão foi de que, após o fim do empréstimo de Victor Ramos ao Palmeiras, em dezembro do ano passado, o certificado de transferência internacional (ITC) não saiu do Brasil, o que se trataria de uma negociação nacional. A Federação Baiana de Futebol (FBF) teve a mesma visão sobre o caso e afirmou que a CBF confirmou o caráter da negociação. 

Em entrevista recente ao GloboEsporte.com, o diretor de registro e transferência da CBF, Reynaldo Buzzoni, disse que não há irregularidade no registro de Victor Ramos. Buzzoni reconhece que o procedimento não foi o correto, mas afirma a irregularidade existiria se tivesse falta do ITC (o certificado internacional de transferência), o que não aconteceu, já que se tratou de uma transferência nacional. Para ele, o STJD não deve nem aceitar a denúncia do Inter.

CONFIRA A NOTA DA FEDERAÇÃO BAHIANA DE FUTEBOL

Em meio ao noticiário recente do “Caso Victor Ramos”, a Federação Bahiana de Futebol (FBF), por meio de seu presidente, Ednaldo Rodrigues, posiciona-se de modo contrário ao ingresso do Sport Club Internacional no STJD pedindo a retirada dos pontos do Esporte Clube Vitória nas partidas em que utilizou o zagueiro Victor Ramos.

A Federação afirma que a condição regular do atleta foi dada pela CBF. A FBF consultou a entidade máxima do futebol nacional ainda no Campeonato Baiano de 2016. Com a sinalização positiva da Diretoria de Registro e Transferência, Victor Ramos foi liberado para atuar no Estadual. Logo depois, atuou nas demais competições da temporada de forma regular e sem nenhum tipo de problema: Copa Sul-Americana, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro.

A FBF não espera outra posição do STJD a não ser o arquivamento imediato do caso. Qualquer medida contrária a essa linha, que segue a lei desportiva, o Campeonato Brasileiro 2017 será prejudicado e pode não acontecer.

O posicionamento da Federação não foi tomado apenas por ser o Vitória o pivô da situação. A FBF registra que se posicionaria a favor de qualquer filiado que estivesse ameaçado de exercer seu direito de competir.

Globo Esporte