quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Nacional é atropelado por japoneses e cai na semifinal do Mundial de clubes

(Foto: Kim Kyung-Hoon/Reuters)


O Kashima Antlers surpreendeu o Atlético Nacional e venceu a primeira semifinal do Mundial de clubes, realizada nesta quarta-feira (14), avançando à decisão da competição de modo inédito. Os colombianos, favoritos no confronto, acabaram derrotados por 3 a 0 e terão que se contentar com a disputa do terceiro lugar da competição. Shoma, Endo e Suzuki fizeram os gols da partida no Suita City Football Stadium.


A partida foi marcada pelo primeiro pênalti assinalado com o auxílio do árbitro assistente de vídeo, uma decisão polêmica por conta da posição do jogador do Kashima na jogada que resultou na penalidade, convertida por Shoma. Confusão à parte, os japoneses fizeram história ao se tornarem o primeiro clube do país e da Ásia a chegar à decisão do Mundial.

Com a vitória dos japoneses, a final será entre Kahima e o vencedor da partida entre Real Madrid e América do México, que será disputada nesta quinta-feira (15), às 8h30 (de Brasília). O Atlético Nacional aguarda quem sair derrotado deste confronto para a disputa do terceiro lugar, que ocorrerá no domingo (18), às 5h.

Atlético pressiona desde o início, mas passa vergonha no fim
Como era de se esperar, o time colombiano foi quem ditou o ritmo do jogo, tomando a iniciativa em busca do gol desde o início. O primeiro tempo teve momentos de equilíbrio entre os dois times, mas Atlético Nacional mostrou superioridade e carimbou a trave adversária duas vezes, além de forçar boas defesas do goleiro Sogahata. Borja centralizou as ações no ataque e ganhou na força repetidas vezes dos defensores japoneses, mas não conseguiu balançar as redes. Conforme o tempo avançou após o primeiro gol dos japoneses, aos 33min da etapa inicial, O clube colombiano se desorganizou e parou de criar boas oportunidades, sofrendo nos contragolpes do rival os gols que definiram o resultado.

Kashima não se acua e é recompensado
Mais contido no campo de defesa, o clube japonês aproveitou quando tinha a bola e criou bons lances, aproveitando a vulnerabilidade do lado esquerdo da defesa adversária. Bem na bola parada, o Kashima teve o primeiro pênalti da história assinalado pelo árbitro de vídeo a seu favor, convertido por Shoma aos 33min do primeiro tempo. Uma vez na frente no placar os japoneses passaram a ser mais pressionados, aguardando o contra-ataque para tentar ampliar a vantagem. A estratégia deu certo. Com atuação destacada do atacante Mu, que entrou no segundo tempo e ficou aberto pela ponta direita, o Kashima ampliou a vantagem aos 38min do segundo tempo e definiu a vitória aos 40min.

Torcida do Atlético usa escudo da Chapecoense
A torcida do Atlético Nacional deu sequência às homenagens iniciadas há duas semanas nas arquibancadas do estádio Atanasio Girardot e trouxe faixas com o escudo da Chapecoense no Suita City Football Stadium. Mais de uma bandeira com o símbolo da equipe brasileira podia ser encontrada estendida nas cadeiras do Japão. Um minuto de silêncio foi respeitado antes do apito inicial, outra homenagem ao clube catarinense.

Árbitro de vídeo tem momento pioneiro com direito a erro
O árbitro Viktor Kassai foi pionero ao marcar o primeiro pênalti assinalado com a ajuda do árbitro assistente de vídeo. Ao revisar um lance duvidoso em uma cobrança de falta do Kashima Antlers, o juiz húngaro marcou a penalidade de Berrío sobre Daigo. No entanto, desconsiderou o fato de que o japonês estava em posição ilegal. O lance abre espaço para interpretação, já que ambos os jogadores não participam diretamente da jogada.

Ficha técnica
Atlético Nacional 0 x 3 Kashima Antlers

Data: 14/12/2016
Horário: 8h30 (de Brasília)
Local: Suita City Football Stadium (Suita, Japão)
Gols: Shoma, 33', Endo, 38', Suzuki, 41' (Kashima Antlers)

Atlético Nacional: Armani, Bocanegra, Aguilar, Henríquez e Diaz; Arias (Guerra), Uribe, Berrio (Rodríguez), Torres e Mosquera (Dajome); Borja. Técnico: Reinaldo Rueda.

Kashima Antlers: Sogahata, Nishi, Ueda, Shoji e Yamamoto; Shibasaki, Nakamura (Suzuki), Endo e Ogasawara (Nagaki); Doi, Akasaki (Mu). Técnico: Masatada Ishii.

UOL Esporte