sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Presidente mantém perfil para elenco e diz: ninguém se aproveitará da Chape

(Foto: Luiza Oliveira/UOL Esporte)


O desafio da Chapecoense em se reorganizar após a tragédia com a queda do avião que levava a delegação para Medellín ganhou grande destaque do jornal espanhol "Marca" nesta sexta-feira (09). O assunto estampou a capa do diário, que ainda publicou uma entrevista com Iván Tozzo, que assumiu a presidência do clube.

Segundo Tozzo, a Chapecoense não se afastará do perfil durante a reconstrução do elenco e buscará jogadores dentro de sua realidade econômica. Além disso, ele disse que terá cuidado para manter a instituição acima de qualquer benefício pessoal.

"Temos que agradecer muito a boa vontade dos jogadores que querem vir à nossa instituição para ajudar a Chapecoense, assim como aos clubes que ofereceram nos emprestar jogadores. Mas temos um perfil determinado, uma conduta no comando do futebol dentro da instituição e ninguém se aproveitará de nós nas circunstâncias que estamos atualmente", disse.

"Vamos contratar jogadores dentro das possibilidades econômicas que o clube tem. Estamos conversando para ver que jogadores podem ter o perfil de profissionais que buscamos para nossa futura equipe", completou.

Tozzo ainda explicou a decisão de recusar a possibilidade ventilada por outros clubes de garantia de imunidade contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. O presidente disse que a Chapecoense precisa ter um tratamento igual a qualquer clube para se reconstruir da maneira correta. 

"Exatamente. Queremos jogar todos os torneios na mesma condição que os outros times. Nós queremos, e vamos jogar torneios como o fazem os outros clubes. Não vamos permitir que as pessoas nos presenteiem com coisas ou nos deem nada como favor. Vamos tentar recuperar o que tivemos com as mesmas armas que o resto dos concorrentes. Temos que continuar e não queremos ser diferentes de ninguém, e é por isso que eu pedi esse tratamento", disse.

UOL Esporte