sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Borussia identifica 61 suspeitos por brigas do lado de fora de estádio

 (Foto: Reprodução / Facebook)


O Borussia Dortmund identificou 61 suspeitos envolvidos na confusão do lado de fora do Westfalenstadion no último dia 4 de fevereiro, antes da partida contra o RB Leipezig, pela 19ª rodada do Campeonato Alemão. O clube alemão foi punido pela Federação Alemã de Futebol e não poderá abrir o setor da famosa "Muralha Amarela". Com ajuda da polícia local, o Borussia informou nesta sexta-feira que os torcedores foram identificados e a punição pode ir desde a proibição de entrada no estádio, o cancelamento de ingressos adquiridos até o final da temporada ou até mesmo instauração de processos civis.


Até o momento, a polícia abriu processo de investigação a 32 torcedores que foram pegos em flagrante praticando atos de violência ao redor do estádio, mas o clube admite que nas próximas semanas o número possa aumentar. Na época, a polícia local prendeu 28 pessoas por ataques contra a torcida visitante, incluindo crianças e famílias. De acordo com os torcedores do Leipzig, algumas bombas foram lançadas na direção deles.

Além do fechamento parcial do estádio, o Dortmund também recebeu uma multa de € 100 mil (cerca de R$ 330 mil na cotação atual) relacionado aos incidentes dentro do estádio em que a DFB identificou faixas "difamatórias contra o Leipzig", fora objetos arremessados em direção ao campo e uso de lasers para atrapalhar o time visitante.

O Borussia aceitou a penalidade e se explicou em nota. Nela, a equipe afirmou que 25 mil torcedores não deveriam ser punidos, sendo que a maioria não participou das atitudes, o que seria "desproporcional". Veja a declaração divulgada pelo clube na última segunda:

"O Borussia Dortmund aceitou a demanda do comitê de supervisão da DFB (Federação Alemã de Futebol) para a penalidade é baseada na nossa convicção que, na atmosfera emocional ainda presente, não é possível ou razoável de ter um debate sobre os termos 'adequado', 'necessário', 'proporcionado' ou 'previsora' no sentido judicial. E nós vemos o perigo que a não aceitação dessa penalidade por parte de nós poderia ser interpretada como uma falta de discernimento do clube sobre o comportamento flagrante de nossos fãs. Essa impressão seria desastrosa. Nesse ponto, contudo, nós gostaríamos de expressar que consideramos que a punição coletiva contra 25 mil fãs - em que a maioria não pode ser acusada ou culpada - é desproporcional."

Globo Esporte