sábado, 11 de fevereiro de 2017

Brusque marca no fim, vence a Chapecoense e dorme na vice-liderança do estadual

(Foto: Reprodução)


Uma derrota amarga para a Chapecoense. Com um a mais em campo, o Brusque aproveitou a vantagem numérica e pressionou o Verdão do Oeste até o último minuto de jogo. A estratégia do time do Vale deu resultado. E, aos 49 do segundo tempo, Eliomar desempatou o jogo e colocou o Bruscão na vice-liderança do estadual. A Chape até tentou, mas com futebol inconstante não conseguiu se impor diante do adversário.


A Chapecoense entrou em campo disposta a mudar a má impressão deixada pelo empate com o Almirante Barroso e a derrota para o Avaí. O time manteve a posse de bola no campo de ataque, mas abusou, mais uma vez, das jogas pelas laterais. Enquanto isso, o Brusque mantinha a marcação e saia em velocidade.

E foi em um desses contra-ataques que o atacante Ricardo Lobo tentou encobrir Artur Moraes, que fez a defesa com as mãos fora da área e acabou expulso. Mancini sacrificou o meia Nenén para a entrada do goleiro Elias. Com um a mais em campo, o Brusque se mandou para o ataque e demorou apenas três minutos para abrir o placar. Em uma boa troca de passes, Ricardo Lobo recebeu na meia-lua da área e chutou colocada no canto esquerdo de Elias.

No sétimo escanteio da equipe no primeiro tempo, João Carlos colocou a mão na bola dentro da área, e o árbitro marcou pênalti. Wellington Paulista cobrou no canto direito de Rodolpho, que nem saiu na foto. Era tudo que a equipe precisava antes da saída para o intervalo.

Para a etapa final, o técnico Pingo tirou o lateral João Carlos e colocou Pedrinho. Com um meio campo mais consolidado, o Brusque dominou as ações do jogo. A Chape tentou explorar os contra-ataques e, em uma dessas jogadas, teve outro pênalti marcado a seu favor. Wellington Paulista, que já havia marcado no jogo, dessa vez desperdiçou com um chute na trave. No rebote, Amaral ainda finalizou, mas Clayton salvou quase em cima da linha. A partir da penalidade, a equipe da casa cresceu ainda mais em campo. Mancini tirou Nadson, um dos únicos jogadores que ainda criavam na segunda etapa e colocou mais um centroavante na partida. Em seguida, também perdeu Rossi, com câimbras. O time do Vale insistiu nas jogadas pelo centro do campo. Em uma falta próxima a área, Elias salvou a Chapecoense, mas, na sequência, nada pode fazer quando Eliomar finalizou da pequena área, e a bola desviou na marcação antes de morrer no fundo do gol.

O Campeonato Catarinense terá uma pausa para Brusque e Chapecoense, que abriram a quinta rodada. Na quinta, às 19h15, o Bruscão recebe o Remo no Augusto Bauer, pela Copa do Brasil. O desafio no estadual será domingo, às 10h, contra o Avaí. O Verdão terá a semana de "folga", já que o próximo compromisso será no dia 19, às 17h, diante do Figueirense.

A Chapecoense começou o jogo com 11 jogadores no time, mas terminou com apenas 10 em campo. Aos 22 minutos do primeiro tempo, Artur Moraes defendeu a bola com as mãos fora da área e foi expulso. Vagner Mancini teve que sacrificar o meia Nenén e colocar em campo o goleiro Elias.

Ricardo Lobo foi o autor do primeiro gol do Brusque na partida. Aos 26 do primeiro tempo, em boa triangulação da equipe da casa, o atacante recebeu na meia-lua, chutou colocada no canto esquerdo do goleiro da Chapecoense e correu para o abraço. (Confira o tento no vídeo) Aos 49 do segundo tempo, Eliomar aproveitou a definiu o triunfo dos comandados de Pingo.

Do time visitante, Wellington Paulista deixou tudo igual no placar. Em cobrança de pênalti, o camisa 9 correu para a bola, fez a paradinha e bateu no lado direito do goleiro Rodolpho - ele escolheu o outro canto. (Reveja no vídeo abaixo)

Wellington Paulista teve a chance de virar o jogo nos pés, mas não aproveitou. O atacante da Chapecoense foi cobrar a penalidade, aos 23 minutos da etapa final, e colocou a bola na trave. Na cobrança, Rodolpho só olhou. E, no rebote, Amaral chutou, e o Cleyton salvou para o Brusque quase em cima da linha. A bola foi para fora.

Globo Esporte