sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Carlos Barbosa ganha reforço na prevenção de lesões

(Foto: Ulisses Castro / ACBF)


O departamento da fisioterapia da Associação Carlos Barbosa de Futsal (ACBF) ganhou um reforço nesta semana. O Clube adquiriu um equipamento chamado Recovery Reboot para ajudar na prevenção de lesões dos atletas.


Entre as temporadas de 2015 e 2016, 14 lesões musculares - sete em cada ano – afetaram o time laranja. O número é considerado baixo pelo departamento médico. No entanto, a maior queixa dos jogadores no ano passado foram as fadigas, consumindo mais tempo nas seções de fisioterapia. “O clube vem se preocupando bastante com a parte de prevenção de lesões e é mais um equipamento que vem para somar, que atua principalmente na prevenção de lesões, pois atletas fadigados indo para a quadra é perigoso ter uma lesão mais grave, então é mais fácil prevenir”, argumentou Cristiano Henzel, fisioterapeuta da ACBF.

O equipamento é semelhante a uma bota de tecido, que envolve as pernas do atleta. Após ser acionado por um controle remoto, o aparelho começa a inflar o tecido com ar, pressionando os músculos. “Ele comprime primeiro o tornozelo, depois a panturrilha e depois a coxa, fazendo o sentido correto do fluxo sanguíneo”, explicou.  Ainda, conforme Cristiano, “esse aparelho atua na recuperação do atleta, não só os lesionados, mas também dos jogadores que atuam nas partidas. Ele atua na recuperação de fadiga muscular, acumulo residual e faz uma compressão. Além das botas, temos os complementos que é para os braços e quadril, que fazem esta mesma função”.

O fisioterapeuta comemora, pois o aparelho poderá ser utilizado facilmente durante as viagens da equipe. “Como é um equipamento portátil a gente pode leva-lo em viagens e utilizar no pós-jogos ou pós-treinos para a gente trabalhar com os atletas mais cansados. Como é fácil de transportar, podemos utilizar em aeroporto, ônibus e hotel”.

Esse tipo de tratamento está sendo muito utilizado por clubes de futebol. No futsal, a ACBF é a primeira equipe no Brasil a contar com esse tratamento na sua própria estrutura de departamento médico, sem precisar terceirizar. “A maioria das modalidades do esporte de alto rendimento já utilizam esse aparelho. A gente vê no futebol que muitos clubes têm. Muitos atletas também compram para utilizar em casa mesmo, pois é muito bom para recuperação. No futsal ainda são poucos os clubes que trabalham com esse aparelho, mas a ACBF é uma das pioneiras em comprar esse aparelho, que está sendo utilizado na sua própria estrutura de fisioterapia”, concluiu Cristiano.