segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Com direito a mico no ao vivo, carro de 2017 da STR tem bico novo e pintura metálica

(Foto: Reprodução)


A STR tentou fazer uma apresentação diferente. Programou um vídeo ao vivo, direto do Circuito da Catalunha, na tarde deste domingo, com trilha sonora feita com sons de carro de corrida, inovando e fugindo dos padrões. Mas na hora "H", quando o cronômetro zerou, nada aconteceu. O jeito foi revelar a foto no Twitter mesmo. Passado o mico, o STR12 veio com uma pintura bem diferente em relação ao seu antecessor - com misturas de azul e vermelho metálicos, em alusão ao refrigerante da marca de energéticos dona do time, o que agradou o público em geral. O touro, antes vermelho, agora foi pintado na cor prata e invade a barbatana (sim, ela está lá) do novo carro da escuderia italiana, dando um ar agressivo. A novidade fica por conta do nariz, que tem um ângulo mais "quadrado" em relação ao STR11, além de ter, na ponta, um bico completamente diferente do visto em 2016 (e nos carros rivais deste ano).


A principal novidade para o carro que será pilotado por Carlos Sainz Jr. e Daniil Kvyat é a unidade de potência. A escuderia de Faenza troca o motor desatualizado fabricado pela Ferrari e volta a usar propulsores atuais da Renault, assim como a irmã maior. Apesar de só apresentar o carro hoje, a STR já tentou rodar com STR12 (dentro dos 100km que as equipes tem disponíveis para filmagens) em Barcelona, mas não foi bem sucedida, já que sofreu com problemas na motor e precisou cancelar a atividade. O diretor técnico do time, James Key, falou do novo motor usado no carro de 2017.

- O que a STR precise é um motor competitivo e estável. Se você olhar para os três últimos anos, em função de infelizes circunstâncias, sempre tivemos um déficit em relação à unidade de potência. Isso afetou nossa potência e o número de pontos que marcamos. Isso tem sido frustrante porque o pessoal da aerodinâmica tem feito um trabalho fantástico com o chassi, além de ter melhora diversas outras área, como na parte operacional e na gestão dos pneus. Com a grande revolução que vimos nos motores Renault, esperamos que este seja o melhor motor que teremos na era das unidade híbridas. Ao menos uma vez teremos um carro muito mais competitivo - afirma.

Se o STR12 será um carro para brigar por pódios ou não, ainda não sabemos, mas o fato é que a pintura do bólido tem conquistado a todos... até a Mercedes.

Globo Esporte